PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA     CONSULTA AO ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Produção Científica > Grupos de Pesquisa

 

Produção Científica

Página Principal

Livros dos Docentes

Capítulos de Livros

Coleção Linguagem

Grupos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

Editais de Teses

Teses

Editais de Dissertações

Dissertações

Linguagem em (Dis)curso

Revista Memorare

Revista Ciência em Curso

Produção Científica

Grupos de Pesquisa


 

Dados atualizados em 25 de março de 2015

Projetos iniciados em 2015 não têm registro de produção científica

 

  Grupo de Pesquisa do Imaginário e Cotidiano

  Análise do discurso: pesquisa e ensino (GADIPE)

 Produção e Divulgação de Conhecimento

 Linguagem, estética e processos culturais (GRUPEC)

 Discurso, Cultura e Mídia

 Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (GRUPEP)

 Estética e Política na Contemporaneidade (EPOCA)

 

GRUPO DE PESQUISAS DO IMAGINÁRIO E COTIDIANO

 

As pesquisas em Imaginário e Cotidiano buscam a discussão sobre as manifestações simbólicas e formadoras da noção de realidade presentes em nosso cotidiano. Para tanto, procura-se alinhavar reflexões teórico-práticas acerca da linguagem, do imaginário e das imagens que nos cercam e são motivadoras da vida social. As pesquisas desenvolvidas no Grupo de Pesquisas do Imaginário e Cotidiano abordam os mais variados objetos e corpus para as discussões do Imaginário e do cotidiano na formação dos localismos, regionalismos e da brasilidade e do olhar para a Literatura, Mídia e outras narrativas como tecnologias do imaginário.


Pelas lentes da teoria do imaginário, podemos entender as materialidades das artes, das mídias e tantas outras formas de representação como potência simbólica. A convergência, o isomorfismo e a totalidade das imagens, traços fundantes da antropologia do imaginário proposta por G. Durand (2002), estão presentes nas atitudes imaginativas que dão sentido à vida. Podemos observar o tempo e o espaço de determinada sociedade através das imagens-símbolos presentes nos discursos produzidos. O autor (DURAND, 2002, p. 18) conceitua imaginário como “o conjunto de imagens e relações de imagens que constitui o capital pensado do homo sapiens – aparece-nos como o grande denominador fundamental onde se vêm encontrar todas as criações do pensamento humano”.


A partir desta perspectiva, queremos identificar no imaginário local, regional e nacional, simbolismos, através das narrativas, imagens e práticas cotidianas, a formação desta identidade, no ambiente local, regional ou nacional. Ainda que priorizando o localismo e regionalismo, dada a característica comunitária da Unisul, cabe-nos colocar em cena a discussão sobre a socialidade e cultura da comunidade em que estamos inseridos. Assim, temos que estar aptos à reflexão de seu conteúdo e mediação do que chamamos de “espírito do tempo”, como proporia Morin. A proposição teórica deste projeto diz respeito à formação e utilização do Imaginário Social: este reservatório/motor que cria uma aura social, uma atmosfera em torna de construções imaginais. Reservatório porque remete à metáfora da bacia semântica e motor, pois é um dispositivo de motivação (que age pela sedução).


O grupo trabalha a partir de duas linhas de pesquisa, a saber:
 

Mitos do Cotidiano: localidade, regionalismos e brasilidade
Nesta linha, propomos pesquisas que busquem identificar no imaginário local, regional e nacional, simbolismos, através das narrativas, imagens e práticas cotidianas, a formação desta identidade, no ambiente local, regional ou nacional. Ainda que priorizando o localismo e regionalismo, dada a característica comunitária Unisul, cabe-nos colocar em cena a discussão sobre a socialidade e cultura da comunidade em que estamos inseridos.


Literatura, mídia e outras narrativas
 

Devido as interfaces com as Letras e a Comunicação, nesta linha, propomos pesquisas que discutam e apresentem relações entre o Imaginário, a Literatura e/ou os aportes midiáticos, bem como música, teatro e jogos, no sentido de perceber nestas narrativas a criação de imagens através das quais se produzem os sentidos de vida.

 

Para outras informações, acesse:

http://www.facebook.com/imaginarioecotidiano/
 

 

ANÁLISE DO DISCURSO: PESQUISA E ENSINO (GADIPE).


Os trabalhos em desenvolvimento do Grupo de Pesquisa "Análise do discurso: pesquisa e ensino" (GADIPE), articulados pela linha de pesquisa Texto e Discurso, visam ao estudo dos processos de produção de sentido, desde sua dimensão subjetiva até sua dimensão social, histórica e ideológica. Concebe-se que os processos de significação sempre se dão em eventos sociais específicos e únicos que acionam, além da língua, determinações materiais.

O GADIPE organiza-se a partir dos seguintes objetivos gerais, associados à linha:

a) Explorar, do ponto de vista enunciativo e discursivo, fenômenos da linguagem oral e da escrita, nas suas diferentes formas de manifestação e representação no contexto sócio-histórico brasileiro;
b) Examinar as relações entre enunciação, discurso e fatores sócio-históricos;
c) Explorar o dinamismo da linguagem e a multiplicidade de seus registros, em si mesmos ou em referência ao chamado padrão;
d) Viabilizar orientações teórico-metodológicas que permitam o desenvolvimento de estratégias de ensino e aprendizagem nos vários níveis de ensino.


PRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO DE CONHECIMENTO.


O Grupo de Pesquisa "Produção e Divulgação de Conhecimento Científico" protagoniza a discussão em torno da produção do conhecimento cientifico na contemporaneidade, ressaltando os modos como esse conhecimento circula e é divulgado. Assim, está interessado no que se denomina Jornalismo Científico, que é o espaço social com forte injunção da Mídia, em que, segundo alguns autores, o conhecimento científico “sai” de seu lugar "originário" e vai produzir sentidos no cotidiano dos não especialistas. Decorre das pesquisas do Grupo a Revista Laboratório Ciência em Curso, http://aplicacoes.unisul.br/cienciaemcurso/revista/index.html.


LINGUAGEM, ESTÉTICA E PROCESSOS CULTURAIS (GRUPEC).


O Grupo de Pesquisa Linguagem, Estética e Processos Culturais (GRUPEC) contempla projetos na linha de pesquisa, Linguagem e cultura, por empreender investigações sobre as linguagens verbais e não verbais, estudando a estética suscitada nas manifestações da cultura e nas mídias. São, assim, propostas pesquisas interdisciplinares sobre os processos culturais e midiáticos, de âmbitos local e global, em diferentes tempos, evidenciando seu papel sócio-histórico. Visam-se estudos das interações orais, escritas, visuais e áudio visuais como elementos constitutivos de práticas culturais. Nessa perspectiva, os objetos de pesquisa são observados como promovedores das relações/interações criativas, identitárias e educativas.


DISCURSO, CULTURA E MÍDIA.


O Núcleo de Pesquisa "Discurso, Cultura e Mídia" surgiu da necessidade de ampliar as discussões sobre os materiais midiáticos (vídeos, produção artística, textos, áudios, etc.) tanto em peças publicitárias como em materiais jornalísticos ou culturais de Santa Catarina. Para tanto, o Núcleo congrega estudos a partir de referências teóricas no campo da Análise do Discurso da Linha Francesa e contemplando processos de constituição, de formulação e de circulação dos sentidos, tomando por objetos a produção cultural midiática em diversos meios: jornais, revistas, internet, radio, televisão, cinema, celular, entre outros.


EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E ARQUEOLOGIA (GRUPEP).


O Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep) é referência na pesquisa do patrimônio arqueológico do sul de Santa Catarina. A partir de 2012, entre suas demandas de pesquisa, incluiu estudos pós-graduados dos processos comunicacionais ligados tanto aos objetos arqueológicos encontrados quanto à sua preservação e ensino. Do ponto de vista técnico-científico, o grupo compreende que os objetos materiais assumem uma dimensão de linguagem, uma vez que os processos discursivos de interpretação são intrínsecos aos estudos arqueológicos.


ESTÉTICA E POLÍTICA NA CONTEMPORANEIDADE (EPOCA)


Em novembro de 2014, o "Núcleo de Pesquisa em Audiovisual" (NUPA) foi reformulado e passou a se chamar "Grupo de Pesquisa de Estética e Política Contemporânea" (EPOCA). Este grupo desenvolve pesquisas sobre linguagens e perspectivas teóricas das artes. O Grupo de Pesquisa tem organizado e participado de diversas atividades. Promove encontros com pesquisadores brasileiros e estrangeiros, está envolvido em atividades de extensão universitária e é referência na orientação de dissertações e teses junto PPGCL. Além disso, mantém espaço para alunos e professores pesquisadores desenvolverem pesquisas de iniciação científica.

 

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:  Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061