PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA    ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Notícias > Notícias de 2018

 

Notícias

Página Principal

Notícias do Front

PPGCL na TV

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Notícias de 2006

Notícias de 2005

Notícias de 2004

Notícias

2018




Foto/divulgação: PPGCL

Afirmação de Marcelino Freire é objeto de pesquisa

 

(18/05/2018) “Biografemas e narrativas queer praticantes em Marcelino Freire” foi o título da dissertação defendida pelo estudante Alexandre José Ventura da Silva nesta quinta-feira no campus Pedra Branca. A pesquisa analisa irônica afirmação de Freire.

 

Alexandre baseou sua pesquisa através de uma afirmação de Freire, que disse em entrevistas, ao ser questionado sobre sua sexualidade, que era “homossexual não praticante”. A irônica afirmação de Marcelino Freire serviu como argumento para orientar a dissertação, a fim de se verificar como o conceito de biografema pode ser associado a diferentes narrativas de Freire e analisar se – e de qual forma – a referida declaração do autor reverbera na produção literária de personagens queer em sua obra.

“Para se chegar aos objetivos propostos, foi visto como o espaço biográfico de um escritor projeta sua imagem junto aos leitores e se reflete em sua escrita”, explica Alexandre.

A segunda parte da pesquisa traz distintas óticas – estudos culturais, de gênero e de linguagem – para refletir sobre as narrativas e personagens queer de Marcelino Freire. Ao final, a dissertação buscou concluir se o escritor é um “homossexual praticante” em sua literatura, posicionando-se em relação a questões de gênero e sexo na contemporaneidade.

 

A dissertação foi "Aprovada com distinção", em banca composta pelos professores Dr. Jorge Hoffmann Wolff – UFSC (avaliador); Dra. Ramayana Lira de Souza – UNISUL (avaliadora); e Dra. Ana Carolina Cernicchiaro – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Tese analisa a efemeridade da moda

 

(11/05/2018) Pensar a moda ultrapassando a noção de efemeridade e buscar sentido na sobrevivência como forma de re-existência, são reflexões que a estudante Anamelia Fontana Valentim propõe em sua tese intitulada “Da efemeridade à re-existência”. A defesa ocorreu na manhã de hoje (11) no campus de Tubarão, no Centro de Pós-Graduação da Unisul.

 

O sistema da moda

 

Para problematizar o sistema que constrói a moda foi necessário, através da pesquisa, desestabilizar conceitos inerentes a ele, como origem, novo, linearidade, temporalidade, assim como sua construção histórica.

 

“A pesquisa procurou perceber linhas de fuga presentes dentro do próprio sistema e as aproximou do conceito de rizoma. Pensar a moda como imagem e posteriormente como rizoma ampliou nosso olhar para as possibilidades políticas que acontecem nos agenciamentos que a moda promove, e com este exercício contestamos a insustentabilidade da moda como promotora de mudanças, especialmente quando firmada em seu aspecto material”, explica a estudante.

 

A re-existência, neste estudo, confere uma possibilidade de olhar para a moda compreendendo que as mudanças vazias que a efemeridade provoca nela permanecem pelo excesso, já as mudanças necessárias são aquelas que sobrevivem no tempo, seja como imagem, forma, estilo ou sentido compartilhado.

 

A tese de Anamélia foi “Aprovada com Distinção” por banca composta pelos avaliadores: Dra. Ramayana Lira de Souza – UNISUL (orientadora); Dra. Alessandra Soares Brandão – UFSC (coorientadora); Dra. Aurélia Regina de Souza Honorato – UNESC (avaliadora); Dra. Gabriela Machado Ramos de Almeida - ULBRA (avaliadora); Dra. Ana Carolina Cernicchiaro– UNISUL (avaliadora); Dr. Artur de Vargas Giorgi – UNISUL (avaliador); Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias – UNISUL (suplente).

 

Foto/divulgação: PPGCL

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Sarau do curso de Letras é realizado na Unisul

 

(03/05/2018) O curso de Letras da Unisul realizou um Sarau com o tema “‘Língua Portuguesa: letras, autores e autorias’”. O evento foi realizado nos dias 24 e 26 de abril no Salão Nobre da Unisul de Tubarão e contou com a participação de alunos, professores e escritores da região.


No primeiro dia de evento alguns escritores falaram sobre a "vida de escritor". Estiveram presentes o professor Pedro Correa, a jovem escritora Naély Covre e o professor Ramires Sartor Linhars. Já o segundo dia de evento, teve participações de talentos da Universidade com apresentações musicais, teatrais, dentre outras.


O Sarau do Curso de Letras foi organizado pela professora do PPGCL, Jussara Bittencourt de Sá e o coordenador do curso de Letras, Fábio Ballmann.
 

Foto/divulgação: PPGCL

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Profa. Andréia Daltoé participa de Ciclo de Debates em Jaguaruna


(23/04/2018) No dia 18 de abril, nas dependências da Cresol de Jaguaruna, a Profa. Andréia dividiu a mesa do Ciclo de Debates “Terra Solidária: multiplicando ações e sujeitos sociais” com o Prof. Marcos Rodrigues da Silva, ambos tratando a temática: A Ditadura de 1964 e a Intervenção Militar no Rio de Janeiro.

O evento em Jaguaruna integrou o Projeto “Terra Solidária: multiplicando ações e sujeitos sociais”, que, numa parceria com a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), objetiva desenvolver a formação de lideranças, articulada às lutas da Agricultura Familiar, multiplicando ações, atores sociais no campo sindical da FETRAF/SC-CUT, cooperativista do sistema CRESOL CENTRAL, CRESOL SICOPER, COOPERHAF, das cooperativas filiadas a UNICAFES, da APACO.

De acordo com o Projeto, estes espaços de formação permitem que o cooperativismo da agricultura familiar e economia solidária mantenham seu crescimento social e econômico de forma equilibrada e sustentável, considerando que a participação das pessoas nos processos de organização social, econômica e principalmente organizacional precisa ser fortalecida.

A atividade desenvolvida em Jaguaruna também acontecerá em outros lugares do Estado e daí em diante o Projeto se divide em Módulos de formação, envolvendo temas como: o papel da agricultura familiar, inserção dos sujeitos neste processo, feminismo e as relações patriarcais, sustentabilidade, inovação, cooperativismo solidário, e outros.


Em Jaguaruna, a Profa. Andréia apresentou parte de suas pesquisas sobre os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão Estadual da Verdade de SC, refletindo sobre o passado e seus reflexos em nosso presente a partir de dados de mortos e desaparecidos da nossa região.
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Jornadas de Pesquisa do PPGCL são um sucesso!


(20/04/2018) As jornadas de pesquisa do PPGCL consistem em apresentações de projetos de tese, projetos de dissertação e ensaios. Desta forma, os estudantes e professores tem a possibilidade de fomentar discussões referentes as pesquisas apresentadas. As jornadas de 2018, foram um sucesso em ambos os campi! Tendo todos os alunos aprovados.


Na última segunda-feira (16) as apresentações foram abertas no Campus Pedra Branca:

 

Foto/divulgação: PPGCL


Roberto Svolenski defendeu seu projeto de tese intitulado “Estética e política nos ensaios fotográficos de Gian Paolo Minelli”. O projeto de Roberto pretende analisar os ensaios fotográficos do artista suíço/argentino radicado em Buenos Aires e as relações estéticas e políticas que aparecem nas fotografias de Gian Paolo Minelli.

 


Foto/divulgação: PPGCL

Barbara Souza apresentou o projeto intitulado “Corpo negro feminino: plus size uma nova forma de subjetivação”. A pesquisa propõe a partir de pressupostos da Análise do Discurso problematizar o corpo negro feminino plus size, e assim compreender que as imagens do corpo nas narrativas midiáticas de moda, carregam uma ideologia e estão associadas a um lugar de poder simbólico.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Adriana Edral expôs o projeto “Potências à venda: uma atualização do debate sobre a produção da indústria cultural”. O objetivo da pesquisa é investigar, a partir de narrativas seriadas, as atualidades da indústria cultural, ou melhor, como suas novas produções lidam com os discursos críticos que parecem tanto escapar quanto integrar o sistema maquínico da indústria cultural.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Já Fabiana Soares propôs como pesquisa “Uma discussão sobre a ética e a moral”. O objetivo do estudo é trazer para a discussão a questão da ética no jornalismo.

 

Foto/divulgação: PPGCL


O doutorando Teodulino Rosendo mostrou o ensaio preparado para a disciplina Tópicos Avançados de Leitura. Intitulado “O funcionamento do EFEITO-resistência-SIMBÓLICO no Projeto Seca, Xote e Baião”, a proposta é compreender a resistência a partir do Projeto Seca, Xote e Baião desenvolvido com alunos do ensino médio, no sertão paraibano, idealizado como um gesto de ressignificação do convívio com a seca e de luta contra um imaginário linguístico, social, político que oprime e segrega o nordestino.


No campus Tubarão as apresentações foram realizadas nesta quinta (19) e sexta-feira (20):

 


Foto/divulgação: PPGCL


A estudante Mayara de Paulo abriu as apresentações do Campus Tubarão com o projeto intitulado “Linhas e entrelinhas no desenho da identidade em literaturas africanas de expressão portuguesa”, que pretende investigar a identidade cultural a partir da literatura africana de expressão portuguesa em prosa.

 


Foto/divulgação: PPGCL

 

 “Análise discursiva do funcionamento de teorias da conspiração: os efeitos de verdade na produção de sentidos” foi o título da pesquisa apresentada pelo estudante Israel Vieira Pereira. A pesquisa busca desenvolver princípios de análise do funcionamento discursivo de Teorias da Conspiração, na tentativa de compará-las ao funcionamento discursivo do Boato e, em um movimento de contraste, compreender como se dá o funcionamento dos gêneros através de suas semelhanças e distanciamentos.

 


Foto/divulgação: PPGCL


Andréa Andrade Alves Debiasi expôs sua proposta de ensaio intitulada “Memória e Identidade Cultural: Contribuição do grupo da Terceira Idade para a Valorização da Constituição Étnica do Município de Orleans (SC) no campo educacional”. O objetivo é analisar qual desenho identitário se enseja a partir das contribuições do grupo da terceira idade do referido município, observando o sentimento de pertencimento por meio das manifestações culturais.

 

Foto/divulgação: PPGCL


O ensaio apresentado pelo estudante Vinicius Ribeiro aborda os processos de interpretação, autoria, e a heterogeneidade enunciativa em diários de leituras produzidos, autonomamente, por estudantes do Ensino Médio. O título escolhido foi “Heterogeneidade e autoria no ensino médio: vozes participantes em diários de leituras”.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Éderson José de Lima por sua vez expos o ensaio “A analítica da verdade e o sujeito pós-moderno na lei de cotas: uma questão de poder político e jurídico em tempos de uma sociedade politicamente midiatizada”, que tem por objetivo promover uma breve reflexão, à luz do pensamento epistêmico-filosófico contemporâneo acerca do sujeito pós-moderno e sua relação com os discursos de verdadesobre a lei de cotas em tempos de uma sociedade politicamente midiatizada.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Encerrando as apresentações, Vivian Mara, apresentou o ensaio intitulado “Design, antropologia, inteligência artificial: eixos de estudo que convergem para compreender o papel do designer na cibercultura” que analisa aspossibilidades de atuação do designer em consonância com as necessidades de uma cultura conectada e dominada pela tecnologia, com diferentes sistemas de conhecimento, diferentes modos de produção e processos de inovação totalmente inéditos vivenciados nos ambientes colaborativos virtuais do ciberespaço e seus múltiplos espaços antropológicos, ainda segundo Lévy (1999b).


PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Primeira dissertação de 2018 é defendida


(16/04/2018) Na última sexta-feira (13), o estudante Reginaldo Osnildo Barbosa, defendeu sua dissertação intitulada “Análise do fortalecimento da imagem do vilão mediante o medo expresso nas tecnologias do imaginário”. O tema faz parte da linha de pesquisa Linguagem e Cultura.


A pesquisa, orientada pela professora Heloisa Moraes, propôs analisar o fortalecimento da imagem do vilão mediante o medo expresso nas tecnologias do imaginário. Para isso, enfatiza o jornalismo impresso como uma destas tecnologias e delimita a mitocrítica durandiana (1998) como suporte metodológico para a análise dos títulos da série de reportagens A máfia das cadeias, veiculada no Diário Catarinense entre 12 e 17 de abril de 2013, objeto escolhido.


“De maneira específica, esta dissertação atenta para a utilização da expressão do medo na sensibilização do fazer jornalístico, de modo a contribuir para o entendimento do fortalecimento da imagem do vilão nas tecnologias do imaginário, identificando o mito do caos como sendo o mito diretor por trás da referida série de reportagens, quiçá do próprio jornalismo”, explica o estudante.


Reginaldo foi aprovado em banca composta pelos professores Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora); Dr. Alexandre Linck Vargas – UNISUL (avaliador); Dra. Marília Köenig - SENAC (avaliadora); e Dra. Jussara Bittencourt de Sá– UNISUL (suplente).

 

Foto/divulgação: Facebook


PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Colóquio na UNESC tem participação do PPGCL


(04/04/2018) Nesta terça-feira, 3, a professora do PPGCL Andréia Daltoé participou como conferencista do IV Colóquio História, Política e Poder do Curso de História da UNESC, Criciúma/SC. O evento “Direitos Humanos em tempos de exceção” reuniu alunos de vários cursos de Licenciatura e outros em uma importante discussão sobre questões políticas atuais.


Convidada para apresentar suas pesquisas sobre Comissão da Verdade e sobre os trabalhos de Derlei De Luca, Andréia realizou uma conferência sob o título “A resistência contra crimes da Ditadura e o trabalho de Derlei De Lucca: silêncio, memória e esquecimento”.


“Foi uma oportunidade rica de debate, mas também um momento de forte emoção, pois Derlei, que faleceu recentemente, final de 2017, nos deixou um grande legado de luta pela democracia e pela memória dos mortos e desaparecidos de SC”, conta a professora emocionada.


De 2014 a 2017, Derlei foi forte colaboradora do evento anual Marcas da Memória organizado pelo PPGCL.

 

PPGCL


Foto divulgação: Acervo Helena Solberg

Professora do PPGCL participa de Mostra em SP


(18/03/2018) A professora do PPGCL Ramayana Lira de Sousa, participou no último dia 10 de março, da “Mostra Restrospectiva Helena Solberg” no Rio de Janeiro. Na oportunidade, apresentou e debateu os filmes Meio dia, A Entrevista e A nova mulher da cineasta Helena Solberg.


Solberg é uma das mais importantes cineastas brasileiras, pioneira do cinema moderno no país. Sua obra recebe reavaliação em 2018, ano em que completa 80 anos.


“Além de tudo, pude contribuir com um texto para o Catálogo da Mostra, que conta com 15 ensaios inéditos escritos por um grupo incrível de pesquisadoras, professores e críticos de cinema”, comenta a professora. Eles abordam temas como feminismo, engajamento político, regimes ditatoriais, música popular brasileira e mais, se debruçando sobre os 50 e poucos anos de carreira da cineasta Helena Solberg.


Saiba mais sobre a Restrospectiva Helena Solberg


A Retrospectiva Helena Solberg apresenta no Centro Cultural Banco do Brasil a obra integral desta cineasta singular cuja carreira acaba de completar cinco décadas. A mostra é organizada pela Filmes de Quintal com curadoria de Carla Italiano e Leo Amaral e patrocínio do Banco do Brasil.


A mostra conta com a exibição de 17 obras realizadas de 1966 a 2017, entre documentários e ficções de durações variadas. Embora pouco exibidos em âmbito nacional, seus filmes tiveram amplo reconhecimento estrangeiro, sendo premiados em diversos festivais. Neles, temas como feminismo, exílio, ditadura, trabalho e militância tornam-se pontos recorrentes.


Ao longo de 12 dias de programação nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo (07 a 19 de março), e 17 dias em Brasília (03 a 22 de abril), a mostra contará com uma Aula magna ministrada pela realizadora e uma mesa-redonda em cada cidade, além de exibições seguidas de debates.

 

PPGCL


Foto/divulgação: UnisulHoje

Unisul entre as melhores do país: MEC confere nota máxima em qualidade à Universidade

(12/03/2018) A Unisul obteve conceito 5 em avaliação realizada pelo Ministério da Educação (MEC) para o recredenciamento da instituição junto ao Sistema Federal de Ensino. A nota máxima coloca a Universidade entre as melhores Instituições de Ensino Superior de Santa Catarina e do País.

 

Legitima ainda a qualidade dos seus cursos, projetos e serviços, bem como a excelência da infraestrutura física nos processos formativos promovidos pela instituição. Demonstra, enfim, a coerência entre as políticas acadêmicas e de gestão – que integram o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2015-2019) – e a sua prática efetiva, cujos resultados mobilizam a sociedade e mais de 25 mil pessoas, entre discentes, docentes e colaboradores, em três Campi, seis Unidades Universitárias, 78 Polos de Apoio EAD, nos diferentes níveis e modalidades. O Ministro da Educação, por meio da Portaria 197, de 7 de março de 2018, homologou parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que recredencia a Unisul pelo prazo de 8 anos. A Portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 7 de março de 2018.

A nota máxima foi atribuída à Unisul após um criterioso procedimento avaliativo, com análises documentais da Instituição, e duas avaliações in loco por comissões designadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP/MEC), nas quais ocorreram reuniões com estudantes, professores, coordenadores de curso, técnico-administrativos e dirigentes, bem como a verificação das instalações físicas e demais infraestruturas. As visitas dos avaliadores aconteceram em setembro e novembro de 2017, respectivamente nos Campi da Grande Florianópolis e em Tubarão. Até 2014 a Unisul era vinculada ao Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina (CEE/SC), com o último ato regulatório de recredenciamento institucional realizado em 2007. Em 2014, a Unisul migrou para o Sistema Federal de Ensino, passando então todos os processos de avaliação externa a serem realizados diretamente pelo MEC. Além de evidenciar a excelência da instituição, o CI 5 é referência para os diversos atos regulatórios relativos aos cursos e a própria instituição. A avaliação externa é um dos eixos que compõe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e os conceitos que podem ser atribuídos vão de 1 a 5.

Para o Pró-Reitor de Ensino, Pesquisa, Pós-graduação, Extensão e Inovação, professor Hércules Nunes de Araújo, o conceito que recredencia plenamente a Unisul coroa mais uma etapa do movimento positivo e propositivo da Instituição: “nossos programas de graduação e de pós-graduação foram fundamentais na acreditação. Este processo auxilia e dá segurança, entre outros, à comunidade e aos interessados que buscam referências sobre onde cursar, estudar e realizar o seu projeto de vida. Fazer parte de uma instituição de 53 anos, que tem o conceito máximo, avaliada pelo maior órgão de educação federal do país, sem dúvida, é muito positivo”, frisou.

O procurador institucional, professor Roberto Iunskovski, explica que ao longo do processo que culminou com o recredenciamento, toda universidade foi verificada: “foi realizado um olhar amplo sobre a instituição, desde seus aspectos formais legais, até a infraestrutura, laboratórios, corpo docente, ou seja, a soma de tudo foi avaliada; o planejamento, o projeto político-pedagógico, o relacionamento com a comunidade, a sustentabilidade, o conjunto de tudo o que a Universidade é e faz, foi avaliado por duas comissões formadas por avaliadores designados pelo INEP”, afirmou.

O Reitor da Unisul, professor Mauri Luiz Heerdt, fez questão de evidenciar a atuação comprometida dos envolvidos: “o processo de recredenciamento pôde refletir a importância do papel das pessoas que fazem o dia a dia da Unisul: o talento, a dedicação e a relevância de cada integrante da Universidade neste movimento, sejam alunos, professores, técnico-administrativos e a própria comunidade; minha gratidão a todos”. O Reitor ressaltou ainda, que o momento possibilitou à Unisul a oportunidade singular de autoavaliação, na perspectiva da qualificação permanente e, igualmente, a responsabilidade de seguir proporcionando um acesso ao ensino superior com excelência, em todas as etapas do nosso processo de ensino-aprendizagem.

 

UnisulHoje


Foto/divulgação: PPGCL

Pesquisa analisa livro de matemática


(09/03/2018) A estudante de doutorado Vanessa Isabel Cataneo defendeu na manhã desta sexta (9) o ensaio “Registros de representação semiótica, relevância e conciliação de metas: uma análise do capítulo Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas do livro Matemática compreensão e prática de Ênio Silveira”. Participaram do evento, professores e estudantes do Grupo de Pragmática Cognitiva da Unisul.


Linguagem e Matemática em pauta


A pesquisa de Vanessa analisou o capítulo Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas do livro Matemática Compreensão e Prática: 8º ano, de Ênio Silveira, a partir das noções teóricas de registros de representação semiótica, relevância e conciliação de metas.


“Assumi a hipótese de que as atividades cognitivas de formação de representações identificáveis, tratamento e conversão de registros de representação semiótica estão à serviço de conciliações ativas relevantes de um plano de ação intencional do autor que é passível de ser descrito e explicado pelos estágios de formulação de metas e de formulação, execução e checagem de hipóteses abdutivas antefactuais habilitadoras”, explica a pesquisadora.


Os resultados do estudo sugerem prevalência de exemplos e atividades no capítulo que demandam conversão de situações-problema em língua natural para o registro algébrico, pouco desenvolvimento de interpretações gráficas, casos raros de conversões inversas e ausência de propostas de elaboração de problemas.


A pesquisa, orientada pelo professor Dr. Fábio José Rauen, integra o Grupo de Pesquisas em Pragmática Cognitiva do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem. O ensaio foi produzido como requisito parcial à obtenção de créditos na disciplina Tópicos Avançados de Leitura do Curso de Doutorado em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).


Para ser aprovado na disciplina, o texto foi avaliado pelo professor Saddo Ag Aumouloud da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Doutor em Matemáticas e Aplicações pela Université de Rennes, França, Almouloud é considerado um dos melhores especialistas no campo do ensino da matemática no Brasil.


Na foto principal, um flagrante da apresentação da autora. Abaixo, estudantes do grupo de pesquisa interagem com o pesquisador via Skype.

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Vice-coordenadora do PPGCL participa de banca na Unicamp

 

(08/03/2018) Nesta segunda-feira (5), a vice-coordenadora do PPGCL, professora Nádia Régia Maffi Neckel, integrou como avaliadora uma banca de tese de Doutorado da Unicamp. A tese foi realizada em âmbito de co-tutela firmado entre a Universidade Estadual de Campinas e a Université Paris 13.

 

Glória da Ressurreição Abreu França, foi a estudante de doutorado que defendeu a tese "Gênero, raça e colonização: a brasilidade no olhar no discurso turístico no Brasil e na França", sob a supervisão da professora Dra. Monica Zoppi-Fontana (Unicamp) e a professora Dra. Marie-Anne Paveau (Univ Paris 13).

 

"A perspectiva analítica textualizada nessa tese traz importantes contribuições tanto teóricas, quanto analíticas para a AD. Da mesma forma que traz um posicionamento político pungente mobilizando a análise do discurso justamente em suas ancoragens constitutivas: fazer teoria é, necessariamente, fazer política. Foi um imenso prazer ter participado como arguidora dessa banca em co-tutela entre a Unicamp e Paris XIII. Uma oportunidade de estreitar ainda mais os laços de parceria em pesquisas que temos mantido com o IEL – Unicamp, além de ter sido um importante momento de trocas com os pesquisadores franceses", comenta professora Nádia.

 

A banca foi composta por três avaliadores franceses e três avaliadores brasileiros: Profa. Dra. Marie-Anne Paveau (Université de Paris XIII (Paris-Nord); Profa. Dra. Mònica-Zoppi Fontana (IEL/Unicamp); Prof. Dr. Lauro José Siqueira Baldini (IEL/Unicamp); Prof. Dr. Luca Greco (Université Paris III Sorbonne Nouvelle); Profa. Dra. Nadia Neckel (Unisul); e Prof. Dr. Thierry Guilbert (Université de Picardie Jules Verne).

 

Mais informações: https://penseedudiscours.hypotheses.org/15326
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Professora do PPGCL visita Universidade de Portugal

 

(19/02/2018) A professora Giovanna Benedetto Flores, do PPGCL/Unisul - Pedra Branca, participou da aula do professor doutor Jorge Pedro Sousa, sobre pesquisa em Jornalismo, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação, da Universidade Fernando Pessoa, em Porto (Portugal).


Para os doutorandos do Programa, Giovanna falou sobre a Análise do Discurso e o discurso jornalístico. A professora Giovanna está fazendo pós-doutoramento em História da Imprensa, tendo como supervisor o professor Jorge Pedro Sousa.

PPGCL


MAIS NOTÍCIAS DO PROGRAMA

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061