PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA    ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Notícias > Notícias de 2018

 

Notícias

Página Principal

Notícias do Front

PPGCL na TV

Notícias de 2018

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Notícias de 2006

Notícias de 2005

Notícias de 2004

Notícias

2018



Foto/divulgação: PPGCL

PPGCL inaugura laboratório

 

(10/08/2018) Nesta segunda feira (13), às 17h 30min, o PPGCL inaugura o "Laboratório de Linguagens" na sala IIIB do Campus da Pedra Branca (Unisul - Pedra Branca) com o lançamento do filme Pós Doc.

 

Trabalho de Grupo de Pesquisa

 

O Grupo de Pesquisa em Estética e Política na Contemporaneidade (EPOCA) e o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) estão inaugurando nesta próxima segunda (13) o Laboratório de Linguagens. Na oportunidade, o grupo está lançando às 17h 30min o Filme Pós Doc.

 

Pós-Doc é um documentário realizado pelos pesquisadores do EPOCA e faz parte das atividades do Projeto de Pesquisa "A imagem pelo outro: estética e política no cinema documentário latino-americano contemporâneo" que conta com o fomento da FAPESC.

 

A proposta do projeto é refletir sobre a abertura à alteridade no cinema documentário contemporâneo como uma ética da heterogeneidade que transforma a imagem em irrupção do olhar do outro.

 

O "Grupo de Pesquisa Estética e Política Contemporânea" (EPOCA) desenvolve pesquisas sobre linguagens e perspectivas teóricas das artes. O Grupo promove encontros com pesquisadores brasileiros e estrangeiros, está envolvido em atividades de extensão universitária e é referência na orientação de dissertações e teses junto PPGCL. Além disso, mantém espaço para alunos e professores pesquisadores desenvolverem pesquisas de iniciação científica.

 

Agende-se:

Inauguração do "Laboratório de Linguagens" do PPGCL/Pedra Branca

Dia: Segunda-feira, 13/08/2018

Horário: 17h30

Local: sala IIIB (Unisul - Pedra Branca)

 

PPGCL


Foto/divulgação: UnisulTV

Estudantes do PPGCL usam filmes independentes como tema de estudos

 

(06/08/2018) Os estudantes do programa de pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul, do Campus Tubarão, estão promovendo sessões de filmes independentes. As exibições fazem parte dos trabalhos do grupo de pesquisa das artes.

 

Oportunidade

 

Assistir a filmes que não estão no circuito comercial, esse é o objetivo maior do Cine Clube Gruas do Campus de Tubarão. O projeto é liderado pelo estudante Jessé Antunes Torres, jornalista e estudante de mestrado da Unisul, que falou para a UnisulTV.

 

"Os filmes escolhidos geralmente são produções independentes que trazem uma narrativa diferente dos grandes estúdios. São filmes alternativos, porque realmente é o que a gente não pode ver no circuito comercial", comenta Jessé. "A gente traz essas produções justamente para promover um debate sobre um cinema que foge do comercial", complementa.

 

As exibições, que ocorrem na sala 8 do Centro de Pós-graduação da Unisul ao lado do Althoff, são gratuitas e abertas ao público.

 

Nesta próxima quinta-feira (9) às 18h3omin, o Cine Clube Gruas apresenta o filme "A Sociedade do Espetáculo" filme de 1973 de Guy Debord.

 

Você pode ver a matéria completa da UnisulTV no link: https://youtu.be/pacYXMgd7Mw.

 

UnisulTV, adaptado


Foto/divulgação: PPGCL

Pedra Branca promove exibição de filme e debate com o diretor Cezar Migliorin (UFF)

 

(06/08/2018) O PPGCL, Campus Pedra Branca, exibe no dia 27 (segunda) o filme "Educação: uma montagem sobre o estado da educação no Brasil hoje". Em seguida, haverá um debate com o diretor Cezar Migliorin (UFF)

 

Panorama

 

Imagens de ocupações nas escolas, discursos institucionais e jornalísticos, é assim que "Educação", dirigido por Isaac Pipano e Cezar Migliorin, apresenta um panorama dos pensamentos sobre a questão no Brasil. "Há uma evidente inquietação com as formas como a educação pode apenas reproduzir o mundo que temos hoje", contam os produtores: "Educação é um mapa de uma disputa por corpos, verbas e formas de vida que acontece em torno da educação no Brasil".

 

Segundo explicam os diretores, dois pontos ficaram claros nas pesquisas que fizeram em educação. O primeiro é a capilaridade do tema: em toda parte a educação é discutida. O segundo é a facilidade com que se fala abertamente sobre educação. O desafio, então, era fazer uma montagem que colocasse o espectador no centro das disputas, poderes, discursos e resistências que atravessam a educação, mas sobretudo a escola.

 

Cezar Migliorin é Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ/Sorbonne-Nouvelle, Paris e professor do Departamento de Cinema e Vídeo da UFF. Além disso, é autor do livro "Inevitavelmente cinema: educação, política e mafuá" e organizador do livro "Ensaios no Real: o documentário brasileiro hoje".

 

Isaac Pipano é doutorando em Comunicação pela UFF e coordenador pedagógico e idealizador do projeto "Inventar com a Diferença - Cinema, Educação e Direitos Humanos".

 

Agende-se:

27 de agosto - Auditório do Bloco C: Unidade Pedra Branca

Horário: 19 horas

Filme: Educação (2016)

Direção: Isaac Pipano e Cezar Migliorin

Gênero: Documentário

Duração: 49min

 

Você pode assistir ao trailer do filme em: https://vimeo.com/218567128

 

 

PPGCL, adaptado


Foto/divulgação: Revista Aniki

Dossiê Temático analisa cinema nacional

 

(06/08/2018) A profa Ramayana Lira de Sousa organizou, com as professoras Alessandra Brandão (UFSC) e Lucia Nagib (University of Reading, Inglaterra), o Dossiê Temático O Cinema Brasileiro na era neoliberal, que acaba de ser publicado na Aniki - Revista Portuguesa da Imagem em Movimento, editada pela Associação de Investigadores da Imagem em Movimento, de Portugal.

 

Conforme apresentam as organizadoras, o dossiê "buscou mapear as várias dimensões que a cinematografia brasileira adquiriu no contexto neoliberal, explorando os modos como a política econômica interfere na ordem da produção, afetando a linguagem, os recortes temáticos, a expressão estética e a tomada de posição dos filmes".

 

Projeção Internacional

 

A Aniki é uma das mais importantes publicações acadêmicas da área de cinema e abriga esse dossiê que é fruto da colaboração entre as três professoras que se iniciou em 2012, quando as professoras Ramayana Lira e Alessandra Brandão fizeram seus pós-doutorado na Inglaterra.

 

O dossiê conta com textos de pesquisadores brasileiros que, acompanhando a proposta feita pelas organizadoras, fazem um relevante panorama da cinematografia nacional contemporânea.

 

Compõe o dossiê os seguintes textos:

 

O cinema brasileiro na era neoliberal, de Lúcia Nagib, Ramayana Lira de Sousa e Alessandra Soares Brandão

Figuras do ressentimento no cinema brasileiro dos anos 90, de Ismail Xavier

O infinitesimal do capitalismo contemporâneo no documentário brasileiro Banco Imobiliário, de Aline Bittencourt Portugal e Cezar Migliorin

Brasília entre ruínas: os documentários de ficção científica de Adirley Queirós e Ana Vaz, de Guilherme Carréra

A inexistência como não-compactuação: Um Dia na Vida (2010) de Eduardo Coutinho, de Fabio Cardoso Andrade

O filme Reparação e o debate sobre a luta armada como veículo para o antipetismo no cinema brasileiro contemporâneo, deWallace Andrioli Guedes

Kleber Mendonça Filho, O Som ao Redor e a construção de uma ideia sobre o cinema pernambucano, de Wanderley de Mattos Teixeira Neto

Corpo e Política: Gênero, Sexualidade e Intimidade em "Boi Neon", de Fabio Zoboli, Renato Izidoro da Silva e Eduardo Galak

O "cinema de garagem", provisoriamente: notas sobre o contexto de renovação do cinema brasileiro a partir da virada do século, de Marcelo Gil Ikeda

A inserção da Globo Filmes no cenário cinematográfico brasileiro, de Guibson Dantas e Gárdia Rodrigues

 

Os textos podem ser acessados no link: http://aim.org.pt/ojs/index.php/revista/issue/view/18/showToc

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Campus de Tubarão inicia semestre letivo

 

(03/08/2018) As aulas do segundo semestre de 2018 tiveram início nesta quinta (2) à tarde. Os alunos foram recepcionados pela coordenação e secretaria. De agosto a outubro ocorrem as disciplinas obrigatórias da área de concentração. O semestre se encerra com as disciplinas básicas das linhas de pesquisa.

 

Movimento intenso

 

Esta quinta (2) foi marcada pelo acolhimento dos novos estudantes dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem da Unisul em Tubarão. Os alunos participaram de uma apresentação do Programa seguida de uma recepção. Nesta apresentação, o professor Fábio Rauen descreveu o funcionamento do programa e o papel de docentes e discentes na consolidação da qualidade dos cursos.

 

"Minha intenção com essa apresentação é fazer com que os estudantes compreendam, desde o início das atividades, como a pós-graduação brasileira se organiza e quais são os reflexos dessa organização nos cursos que eles estão iniciando", esclarece Rauen.

 

Foto/divulgação: PPGCL

 

Expectativas

 

O início das aulas gera muitas expectativas, especialmente porque a pós-graduação possui características peculiares que não são encontradas nos cursos de graduação e de especialização.

 

Para Walquíria Guedert Mendes, que está iniciando o curso de mestrado, as expectativas são as melhores possíveis. "Era um sonho estar participando, tanto é que ano passado entrei como aluna especial, quando eu percebi que eu estava dentro, foi surreal! E hoje estando aqui, foi que caiu a ficha e com a apresentação do professor Fábio, é que a gente vê o qual maravilhoso e como pode aprender mais com o mestrado, além da graduação", comenta. "É um crescimento tanto pessoal como profissional, e acredito que como professora eu possa concluir algo com o que eu estou aprendendo aqui", complementa.

 

Francisca Daltoé é jornalista e procurou entrar no mestrado para ampliar seus conhecimentos na área da linguagem e para aprimorar carreira acadêmica. "Espero que seja muito bacana. A estrutura é boa e os professores são muito solícitos", destaca. "Escolhi ciências da linguagem porque venho da área da comunicação e esse curso poderá me trazer mais conhecimento para o meu campo de atuação e para a docência".

 

O doutorado também gera expectativas nos novos estudantes. Para Carla Aparecida Marinho Borba, docente da Unisul, a escolha do curso não foi por acaso. "Eu vi aqui a possibilidade de aprofundar os meus estudos sobre Migração e Refúgio numa perspectiva interdisciplinar", explica. "Algo também muito interessante é o fato de a gente poder ter acesso na Universidade, do lado da nossa casa, a um Programa de pós-Graduação como o nível de excelência do PPGCL. É um Luxo!", comemora.

 

Para Dâmaris de Oliveira Batista da Silva, colaboradora da universidade, estar no PPGCL é também motivo de comemoração. "Vou ter que me conter para não falar carregada de emoção, porque estar aqui é indescritível", declara. "Eu me imagino voando sob duas asas, uma asa da afeição e uma asa da cognição. Sobre o ponto de vista afetivo, é a realização de um sonho de infância: eu sempre me imaginei perseguindo a carreira acadêmica, contribuindo com o mundo do conhecimento e aprendendo muito. Sobre o ponto de vista da cognição, da aprendizagem, a expectativa é estar num meio acadêmico de excelência".

 

Continuidade das aulas

 

As aulas começam em ritmo intenso. Logo em seguida da recepção, iniciaram-se as aulas de Estudos Linguísticos. Hoje é a vez da disciplina de Estética e na semana que vem iniciam-se as aulas de Filosofia da Linguagem. No Campus de Palhoça, as aulas já se iniciaram na segunda-feira (30).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Cineclube Gruas apresenta “Assim falou o amor”
 

(01/08/2018) Na próxima quinta-feira (2) acontece a segunda edição do Cineclube Gruas, promovido pelos estudantes do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) da Unisul, Campus Tubarão.
 

Assim falou o amor


O filme apresentado será “Assim falou o amor”, de John Cassavetes, lançado em 1971. A obra conta a história de Minnie, que rompe com seu namorado casado e fica desiludida com a vida. No entanto, ela começa a aprender que há esperança de amor e romance em um mundo desesperado quando conhece um atendente de estacionamento chamado Seymour.

Sessão


As sessões estão acontecendo às quintas-feiras, às 18h30min, na sala 8 do Centro de Pós-Graduação PPGCL, em Tubarão. O evento é aberto à toda comunidade acadêmica e é gratuito.

 

UnisulHoje


Foto/divulgação: PPGCL

Índios Xokleng são objeto de Tese

 

(31/07/2018) Ainda nesta sexta-feira a estudante Leidiane Coelho Jorge defendeu sua tese intitulada “O imaginário e as recorrências simbólicas narradas pelos descendentes dos colonizadores europeus sobre os índios Xokleng: estudo de caso no município de José Boiteux – SC”. A defesa foi realizada às 14h, no campus Tubarão.

 

O mito dos índio Xokleng

 

O mito, para estabelecer-se como tal, constitui-se de elementos matrizes-arquetipais, que são narrados e tecidos por um determinado grupo em um dado tempo-espaço. O fortalecimento do mito se dá através da prática das ações cotidianas, que são repletas de simbolismos. Compreender o imaginário e as recorrências simbólicas narradas pelos descendentes dos colonizadores europeus sobre os índios Xokleng, partindo de um estudo de caso no município de José Boiteux – SC, é o propósito a que destinou essa pesquisa.

 

“Para cumprir essa premissa, formulamos uma técnica de coleta de dados denominada de Técnica de Associação Semântica, que consistiu em apresentar aos colaboradores da pesquisa sete iscas semânticas idealizadas a partir dos estudos bibliográficos realizados para embasar a pesquisa. A técnica foi aplicada junto a 20 colaboradores diferentes, escolhidos de forma aleatória. No total, foram coletados 140 relatos, os quais foram analisados pelo viés mitocrítico de análise proposto por Durand (1983, 1985)”, explica Leidiane.

 

A pesquisa concluiu que os arquétipos que se sobressaíram nas narrativas foram: o herói, relacionado ao colonizador e ao pacificador; o inocente, relacionado à compreensão do índio como não civilizado; e o paternal e matriarcal, direcionados à importância dos familiares para a construção da história do município.

 

Leidiane foi aprovada com distinção por banca composta pelos avaliadores Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora); Dr. Geam Karlo Gomes – UFP (avaliador); Dr. Mário de Faria Carvalho – UFPE (avaliador); Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias – UNISUL (avaliadora); Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora); Dr. Artur de Vargas Giorgi – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Tese aborda Repositórios institucionais brasileiros

 

(31/07/2018) “Repositórios institucionais brasileiros: entre público e privado nos processos de produção e circulação do conhecimento científico”, este foi o título da Tese defendida com base na Análise de Discurso, pelo estudante Márcio José da Silva, nesta sexta-feira, às 9 horas na Unidade Pedra Branca, Campus da Grande Florianópolis da Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

Produção e circulação e conhecimento científico

 

A temática central do trabalho de Márcio é a produção e a circulação do conhecimento científico na atualidade. Para tratar disso, o estudante desenvolveu a pesquisa tomando como ponto de partida os repositórios institucionais (RI) brasileiros. Trata-se de uma análise pelo qual buscou-se compreender os diversos processos discursivos que especificam o funcionamento dos RI em relação ao(s) discurso(s).

 

“Extrapolando a dimensão utilitarista dos RI, buscamos desconstruir algumas evidências pelas quais o RI é definido como “um tipo de biblioteca digital” para compreender seu funcionamento discursivo”, disse o doutorando.

 

Ainda, foi considerada na análise as relações entre língua, linguagem, inconsciente e ideologia que constituem tanto os dizeres e sentidos que se produzem por meio deste funcionamento, quanto os sujeitos que aí se inscrevem.

 

A tese foi aprovada com distinção pelos avaliadores Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora); Dra. Claudia Regina Castellanos Pfeiffer – UNICAMP (avaliadora); Dr. Henrique César da Silva – UFSC (avaliador); Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (avaliadora); Dra. Andreia da Silva Daltoé– UNISUL (avaliadora) e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Cineclube estreia no Campus Tubarão
 

(26/07/2018) Nesta quinta-feira (26) aconteceu a primeira edição do Cineclube do Grupo de Estudos em Artes (Gruas) da Unisul em Tubarão. O grupo de pesquisa faz parte do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) da Universidade.

 

O filme de estreia


O mestrando Jessé Antunes Torres foi quem teve a iniciativa de começar o Cineclube em Tubarão. Para ele, esta foi uma forma encontrada de ampliar os debates realizados pelo grupo. “Como estudamos bastante sobre estética, o filme nos proporciona uma discussão bem variada sobre o assunto. Podemos ir além dos textos e livros”, conta. "Esta é a primeira vez que o evento aconteceu no Campus Tubarão. O projeto já existe há mais tempo na Unidade Pedra Branca, na Grande Florianópolis", complementa.


O filme escolhido para a primeira sessão foi o “Um homem com uma câmera”, de 1926. A obra trata sobre um homem que, munido de sua câmera, sai pelas ruas das cidades de Moscou, Kiev e Odessa, documentando a vida das pessoas. Ele engloba diversos aspectos e particularidades da vida urbana e da modernidade. Inicialmente o filme era mudo, mas, posteriormente, uma orquestra fez a sonorização da obra.

A iniciativa do Cineclube havia sido lançada já em 2017 pelo professor Alexandre Linck. Porém, por falta de tempo, a ideia foi adiada e neste ano Jessé tomou a iniciativa. Segundo o professor, a atitude do mestrando foi muito elogiada. “Os alunos geralmente têm uma postura que nós, professores, criticamos: muitos não têm iniciativa e ficam acomodados. A Universidade é um espaço que tem que ser ocupado. Nós gostaríamos que mais estudantes tivessem iniciativa e fizessem acontecer”, comenta.

Próximas sessões


Por enquanto o Cineclube Gruas vai acontecer todas as quintas-feiras, às 18h30min, na Sala 8 do Centro de Pós-Graduação PPGCL, em Tubarão. O evento é aberto à toda a comunidade acadêmica e gratuito.

 

UnisulHoje


Foto/divulgação: PPGCL

PPGCL marca presença no XXXIII Encontro da ANPOLL

 

(04/07/2018) Ente os dias 27 a 29 de junho ocorreu o XXXIII Encontro da ANPOLL na Universidade Federal do Mato Grosso – UFMT – em Cuiabá – MT, cujo tema “Produção de conhecimento, liberdade intelectual e internacionalização: Homenagem ao Professor Antônio Candido”. A profa. Nadia Neckel do PPGCL esteve presente.

Durante o evento ocorreram diversas mesas que procuraram discutir: os sistemas de avaliação dos PPGs de Letras e Linguística incluindo os processos de qualis periódicos livros e eventos; o papel do CNPq e o fomento à pesquisas na área; o papel das associações nacionais de linguagem e a possibilidade de uma agenda comum de trabalho; as proposições das ações de internacionalização e o perfil de parceiros internacionais.

A professora Nadia Neckel participou deste evento representando o PPGCL - Unisul e assumiu a coordenação do GT de Análise de Discurso juntamente com a professora Dra Verli Petri da UFSM.

Durante a reunião do GT de AD a professora Nádia apresentou o trabalho “Corpo-Imagem” vinculado ao linha 2 de pesquisa em AD – Práticas Discursivas, diferentes materialidades e movimentos na história sob a coordenação dos professores Helson Sobrinho (UFAL), Suzy Lagazzi (Unicamp) e Solange Gallo (Unisul).

 

Foto/divulgação: PPGCL

 

Da esquerda para a direita: Profa. Maria Leandro Ferreira (UFRGS);  Profa. Suzy Lagazzi (Unicamp); Prof. Helson Sobrinho (UFAL); Profa. Nádia Neckel (Unisul), Profa. Verli Petri (UFSM); Profa. Ana Cláudia Fernandes Ferreira (Unicamp); Profa. Vanise Medeiros (UFF); Profa. Amanda Scherer (UFSM); Profa. Maite Celada (USP) e Profa. Maristela Cury Sairan (UNEMAT).
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Corpo feminino é tema de pesquisa

 

(02/07/2018) Ainda nesta sexta-feira (29), a mestranda Jéssica Gomes Vaz, defendeu sua dissertação intitulada "As imagens de campanhas publicitárias de moda como dispositivos de docilização do corpo da mulher". A defesa foi realizada no campus Pedra Branca.

 

O trabalhou buscou mostrar como as imagens de moda são utilizadas pelo biopoder como um dispositivo para docilizar os corpos femininos na sociedade de controle. Através de Giorgio Agamben e sua conceituação do termo dispositivo; de Michel Foucault e seus escritos sobre a sociedade disciplinar, os conceitos de poder e de biopolítica; Gilles Deleuze com sua teoria a respeito da sociedade de controle, e Judith Butler, com sua teoria a respeito de uma heterossexualidade compulsória e de um gênero performativo, discutiu-se a questão da constante busca por disciplinar as mulheres através de padrões de beleza, gênero e comportamento pré-estabelecidos considerados socialmente aceitáveis

 

A mestranda foi "aprovada com distinção" pelos membros da banca: Dra. Ana Carolina Cernicchiaro – UNISUL (orientadora); Dra. Alessandra Soares Brandão – UFSC (avaliadora); Dra. Ramayana Lira de Sousa – UNISUL (avaliadora); Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Tese avalia sob a perspectiva da AD a autoria e escrita do 5° ano do ensino fundamental


(29/06/2018) Sob a perspectiva da Análise do Discurso, a doutoranda Rosane Lemos Barreto, defendeu sua tese intitulada “Desenvolvimento da autoria nos anos iniciais do Ensino Fundamental em perspectiva discursiva”, nesta sexta-feira (29). A pesquisa propôs avaliar a produção escrita de alunos do Ensino Fundamental para identificar possíveis indícios de autoria.


“O estudo intencionou perceber se é possível desenvolver o processo de autoria juntamente com o aprendizado da escrita, fazendo com que os alunos possam assumir posições autorais conquistando autonomia para controlarem (ilusoriamente) os efeitos de sentido de seus textos ao selecionarem adequadamente os recursos linguísticos que a língua oferece”, fala a doutoranda.

 

Exercício da escrita


Foi estabelecido um período de intervenção junto aos alunos para proporcionar-lhes o exercício da escrita como prática social, propondo-lhes atividades específicas que envolvam gêneros discursivos. Do resultado deste trabalho, foram selecionados alguns textos que apresentaram certa singularidade em sua construção chamando atenção para presença de autoria.

 

"A análise indica indícios de autoria presentes nos textos dos alunos trazendo como consequência a indispensabilidade de praticar na escola a expressão escrita que possa desenvolver a autonomia e o estilo de um sujeito incompleto, assim como a linguagem que o constitui", conclui Rosane.

 

Rosane foi aprovada em banca composta pelos avaliadores Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora); Dra. Eliane Santana Dias Debus – UFSC (avaliadora); Dra. Cristiane Gonçalves Dagostim – SATC (avaliadora); Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (avaliadora); Dra. Maria Sirlene Pereira Schlickmann – UNISUL (avaliadora); Dra. Clésia da silva Mendes Zapelini – UNISUL (suplente).,

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Leminski é objeto de dissertação

 

(29/06/208) "A dignidade suprema de um navio perdendo a rota": figurações de um Leminski acéfalo, este foi o título da dissertação defendida nesta quinta-feira (28) pelo estudante Eduardo Silva Pereira. A apresentação foi realizada no campus Tubarão, sob orientação do professor Artur de Vargas Giorgi.

Dentro da linha de pesquisa Linguagem e Cultura, a pesquisa almejou demonstrar uma forma de leitura da poesia como cifra histórica, política, não literária, questionando a integridade da literatura como instituição enrijecida, bem como a poesia em sua coincidência consigo mesma.

“Tínhamos como alvo também, através de uma metodologia da montagem e da disposição em formato de atlas, formar uma leitura de documentos estéticos envolvendo Leminski e o período de sua produção, bem como documentos de movimentos da época, descontextualizando suas habituais colocações e colocando-os em jogo a partir de diferentes formas de encaixe”, explica o Eduardo.

O trabalho ainda objetivou identificar uma forma de leitura do poema kamiquase, a fim de, a partir dele, constatar a forma de leitura de uma poesia, literatura, arte e políticas inconsistentes e não coincidentes consigo mesmas.

A banca formada pelos professores Dr. Artur de Vargas Giorgi – UNISUL (orientador); Dra. Elisa Helena Tonon – IFSC (avaliadora); Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora); Dr. Alexandre Linck Vargas – UNISUL (avaliador) e Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes (suplente) deu como “Aprovada” a dissertação de Eduardo.


PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Professora do IFSC/Florianópolis ministra seminário sobre escrita e leitura no PPGCL

 

(29/06/2018) "Percursos entre a escrita e a leitura" foi o tema do seminário proposto pela Dra. Elisa Helena Tonon, do IFSC/Florianópolis, realizado no PPGCL da Unisul, de Tubarão, nesta quinta-feira (28).

 
Elisa apresentou sua prosa poética relatando biografemas e cenas em que atuou e atua, de forma a levar os ouvintes a uma viagem por suas experiências de crítica e prática da poesia. No entremeio dessas narrativas, evidenciou-se o percurso de estudante, professora e pesquisadora, perpassando pelas dificuldades e encantamentos do fazer/ser literário.


Em sua fala, também foi destaque os projetos que corroboram a prática docente/discente, principalmente no que se refere à responsabilidade sobre a escrita do outro. A esse respeito, Dra. Elisa teceu reflexões sobre a escrita literária e o processo de autoria, evidenciando práticas desenvolvidas em um grupo de escrita poética e no “Clube de Escrita”, do IFS/Florianópolis.


Nos diversos espaços que testemunham a dança dos livros, descrita pela professora, o PPGCL também se fez cenário de seu fazer literário, de sua dança poética, e, com isso, os presentes puderam testemunhar e reconhecer-se nesse percurso de pesquisa e autoria que permitiu, conforme a fala do seminário, “um encontro com as palavras a partir do outro”.
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Pesquisa analisa circulação de sentidos entre conversas de criveiras de Ganchos/SC

 

(27/06/2018) O estudante William Wollinger Brenuvida apresentou na tarde desta terça-feira, no campus Pedra Branca, sua dissertação intitulada “Para além do crivo: circulação de sentidos na prática de mulheres em Ganchos/SC”. Sob orientação da professora Solange, a pesquisa analisa a circulação de sentidos através das conversas, diálogos e gestos de interpretação realizados pelas criveiras da comunidade.

O campo teórico da Análise do Discurso pecheutiana foi base para o estudo. Através da AD, foi possível observar as noções de interdiscurso, pré-construído, memória discursiva e formações discursivas dos diálogos.

 

A arte do Crivo

O Crivo é uma arte em bordado herdada de imigrantes açorianos e madeirenses que aportaram em Santa Catarina em 1748, e que se manteve em Ganchos/SC. Sua produção acontece em uma roda de criveiras que se reúnem sistematicamente e constituem nesse ritual, sua autoria, em uma prática discursiva de oralidade.
 

Foto/divulgação: Jornal Notícias do Dia


“Consideramos, nesta análise, a imbricação material presente na roda que se tomou como objeto, procurando compreender os processos discursivos ali presentes”, explica Willian.

O estudante foi "aprovado com distinção" por banca composta pelos professores Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora); Dra. Luciene Jung de Campos – UCS (avaliadora); Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora); Dra. Juliana da Silveira – UNISUL (suplente).

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Professora da UFMA participa de Tópico Especial do PPGCL


(12/06/2018) Com o intuito de enriquecer ainda mais sua disciplina, a professora Nadia Neckel do PPGCL proporcionou aos seus estudantes uma conversa com a professora Glória França, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). “Sobre (e n)o corpo: o discurso do turismo sexual nos ambientes digital e off-line”, foi o título da webaula ministrada por Glória.


Glória trouxe questionamentos sobre o papel do digital na produção, formulação e circulação dos sentidos concernentes ao turismo sexual. Esse tema fez parte de sua tese de doutorado recentemente defendida no IEL – Institutos de Estudos da Linguagem Unicamp. A pesquisadora toma como corpus de análise uma enunciação corporal, um “corpo-discurso”, no qual se percebe um posicionamento que desloca os sentidos sobre “turismo sexual” como um discurso que resiste aos sentidos oficiais.


A fala da professora Glória foi transmitida via Skype, nessa segunda-feira (11), às 14 horas, na disciplina Tópicos Especiais: Corpo (e)m discurso ministrada pela professora e coordenadora ajunta do programa, Nadia Neckel.


Currículo de Glória França


Professora de língua francesa e de Literatura de língua francesa, no curso de Letras, da Universidade Federal do Maranhão. Doutora em Linguística, pelo Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutora em Ciências da Linguagem, pela École Doctorale Erasme, Laboratório Pléiade, da Université Paris 13 Sorbonne Paris Cité. Faz parte do grupo de pesquisas Mulheres em Discurso/CNP. Mestra em Ciências da Linguagem/Linguística, Linguagem, Línguas e Fala: teorias e práticas", pelo Institut de Linguistique et Phonétique Génerales et Appliquées, ILPGA, pela Universidade Paris 3 - Sorbonne Nouvelle (2012). Possui graduação em Letras (Habilitação em Língua Portuguesa e Francesa, Linguística e Literatura Portuguesa, Brasileira e Francófona), pela Universidade Federal do Maranhão (2008).

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Museu ao ar livre de Orleans é tema de dissertação


(11/06/2018) A estudante de mestrado Rosilane Damazio Cachoeira, defendeu na última sexta-feira (8), sua dissertação intitulada “Ações educativas do museu ao ar livre Princesa Isabel: visibilidade e valorização da memória do idoso, no município de Orleans – SC”. A defesa foi realizada no campus Tubarão.


O museu e sua relação com o público


O Museu ao ar livre Princesa Isabel é uma instituição de caráter tecnológica, histórica e documental que preserva, pesquisa e divulga a cultura material de diversas etnias, destacando um acervo proveniente da imigração, mantendo-o em funcionamento.


Foto/divulgação: unibave.net


A expressão “ao Ar Livre” corresponde à forma de apresentação do acervo num ambiente natural e ecológico, destacando o modo de vida de uma dada comunidade, em uma determinada época, residência, igreja, moinhos, galpões, indústrias artesanais, enfim, procuramos conservar um ambiente de contemplação e estudo.


“Para entender melhor a relação de todo o acervo do museu com o público participante das ações, bem como a visibilidade e a valorização da memória do idoso por meio das ações educativas promovidas pelo museu, a pesquisa se desenvolveu num primeiro momento na busca documental, relatando a história do museu, realizando recorte temporal das ações educativas direcionadas ao público idoso e na sequência pela investigação, junto ao próprio idoso, por meio de entrevistas temáticas, com roteiro previamente elaborado”, explica a estudante.


As entrevistas possibilitaram a aproximação do saber contido nas memórias dos entrevistados com o saber existente dentro do museu. Como resultado, verificou-se que o museu desenvolve ações destinadas ao público idoso e que estas possibilitam a visibilidade e a valorização de suas memórias. A pesquisa contribuiu para a fortalecimento do museu como espaço de valorização da memória e de possibilidade de acesso às diversas culturas locais.


O trabalho de Rosilane foi Aprovado sob orientação da professora Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias – UNISUL e pelos avaliadores Dra. Marli de Oliveira Costa – UNESC (avaliadora), Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora) e Dr. Alexandre Linck Vargas – UNISUL (suplente).

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL
PPGCL marca presença no III Congresso Ibero-Americano


(28/05/2018) Aconteceu entre os dias 22 e 25 de maio, na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), em Criciúma, o III Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação, que teve como temática a produção e democratização do conhecimento na Ibero-América.


Na sexta-feira pela manhã os professores doutores Jussara Bittencourt de Sá e Gutemberg Alves Geraldes Junior coordenaram o grupo de trabalho (GT) “Identidade Cultural em Migrações”, do qual participaram, com a apresentação de seus projetos, as alunas do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) Tatiana Gzornabay Manica (doutoranda), Luciana Daminelli Eugenio (mestra), Marlene Rodrigues (pós-doutoranda) e Renata Marques de Avellar Dal-Bó (mestranda).


O congresso visa a promover interlocução entre pesquisadores, docentes e discentes da pós-graduação, profissionais da educação superior e básica, e estudantes das áreas de Humanidades, Ciências e Educação e demais interessados pela temática. O evento coloca em perspectiva um lugar para construção coletiva de conhecimentos, trabalhos colaborativos e parcerias interinstitucionais de modo a evidenciar a incessante busca pela consolidação de Ensino, Pesquisa e Extensão, Educação e formação de professores.

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Arte literária como linguagem inter e transdisciplinar

 

(21/05/2018) Na última sexta-feira (18), ocorreu no campus Tubarão a apresentação do projeto de dissertação intitulado “Arte literária: a linguagem em perspectivas inter e transdisciplinar”. A proposta de pesquisa é da mestranda Marcia Bianco, orientada pela profa. Jussara.

 

Pesquisa-ação


O projeto pretende investigar a arte literária como integradora e promovedora da inter e transdisciplinaridade. O objetivo é analisar a utilização inter e transdisciplinar, dentro de uma perspectiva ecossistêmica, da obra Fita Verde no Cabelo, de Guimarães Rosa, pelos docentes do 5º ano, da Escola Pública Estadual Engenheiro Annes Gualberto, da rede pública estadual de ensino do município de Braço do Norte.


A metodologia utilizada será baseada em uma abordagem qualitativa do tipo pesquisa-ação, com intenção de auxiliar na transformação e produção de novos conhecimentos dos sujeitos envolvidos.


“Como instrumentos para pesquisa-ação serão utilizados procedimentos dos Projetos Criativos Ecoformadores (PCE)”, explica Marcia.


A banca avaliadora foi formada pelos professores Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (orientadora); Dr. Alexandre Linck Vargas – UNISUL (avaliador); Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (avaliadora).


PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Afirmação de Marcelino Freire é objeto de pesquisa

 

(18/05/2018) “Biografemas e narrativas queer praticantes em Marcelino Freire” foi o título da dissertação defendida pelo estudante Alexandre José Ventura da Silva nesta quinta-feira no campus Pedra Branca. A pesquisa analisa irônica afirmação de Freire.

 

Alexandre baseou sua pesquisa através de uma afirmação de Freire, que disse em entrevistas, ao ser questionado sobre sua sexualidade, que era “homossexual não praticante”. A irônica afirmação de Marcelino Freire serviu como argumento para orientar a dissertação, a fim de se verificar como o conceito de biografema pode ser associado a diferentes narrativas de Freire e analisar se – e de qual forma – a referida declaração do autor reverbera na produção literária de personagens queer em sua obra.

“Para se chegar aos objetivos propostos, foi visto como o espaço biográfico de um escritor projeta sua imagem junto aos leitores e se reflete em sua escrita”, explica Alexandre.

A segunda parte da pesquisa traz distintas óticas – estudos culturais, de gênero e de linguagem – para refletir sobre as narrativas e personagens queer de Marcelino Freire. Ao final, a dissertação buscou concluir se o escritor é um “homossexual praticante” em sua literatura, posicionando-se em relação a questões de gênero e sexo na contemporaneidade.

 

A dissertação foi "Aprovada com distinção", em banca composta pelos professores Dr. Jorge Hoffmann Wolff – UFSC (avaliador); Dra. Ramayana Lira de Souza – UNISUL (avaliadora); e Dra. Ana Carolina Cernicchiaro – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Tese analisa a efemeridade da moda

 

(11/05/2018) Pensar a moda ultrapassando a noção de efemeridade e buscar sentido na sobrevivência como forma de re-existência, são reflexões que a estudante Anamelia Fontana Valentim propõe em sua tese intitulada “Da efemeridade à re-existência”. A defesa ocorreu na manhã de hoje (11) no campus de Tubarão, no Centro de Pós-Graduação da Unisul.

 

O sistema da moda

 

Para problematizar o sistema que constrói a moda foi necessário, através da pesquisa, desestabilizar conceitos inerentes a ele, como origem, novo, linearidade, temporalidade, assim como sua construção histórica.

 

“A pesquisa procurou perceber linhas de fuga presentes dentro do próprio sistema e as aproximou do conceito de rizoma. Pensar a moda como imagem e posteriormente como rizoma ampliou nosso olhar para as possibilidades políticas que acontecem nos agenciamentos que a moda promove, e com este exercício contestamos a insustentabilidade da moda como promotora de mudanças, especialmente quando firmada em seu aspecto material”, explica a estudante.

 

A re-existência, neste estudo, confere uma possibilidade de olhar para a moda compreendendo que as mudanças vazias que a efemeridade provoca nela permanecem pelo excesso, já as mudanças necessárias são aquelas que sobrevivem no tempo, seja como imagem, forma, estilo ou sentido compartilhado.

 

A tese de Anamélia foi “Aprovada com Distinção” por banca composta pelos avaliadores: Dra. Ramayana Lira de Souza – UNISUL (orientadora); Dra. Alessandra Soares Brandão – UFSC (coorientadora); Dra. Aurélia Regina de Souza Honorato – UNESC (avaliadora); Dra. Gabriela Machado Ramos de Almeida - ULBRA (avaliadora); Dra. Ana Carolina Cernicchiaro– UNISUL (avaliadora); Dr. Artur de Vargas Giorgi – UNISUL (avaliador); Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias – UNISUL (suplente).

 

Foto/divulgação: PPGCL

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Sarau do curso de Letras é realizado na Unisul

 

(03/05/2018) O curso de Letras da Unisul realizou um Sarau com o tema “‘Língua Portuguesa: letras, autores e autorias’”. O evento foi realizado nos dias 24 e 26 de abril no Salão Nobre da Unisul de Tubarão e contou com a participação de alunos, professores e escritores da região.


No primeiro dia de evento alguns escritores falaram sobre a "vida de escritor". Estiveram presentes o professor Pedro Correa, a jovem escritora Naély Covre e o professor Ramires Sartor Linhars. Já o segundo dia de evento, teve participações de talentos da Universidade com apresentações musicais, teatrais, dentre outras.


O Sarau do Curso de Letras foi organizado pela professora do PPGCL, Jussara Bittencourt de Sá e o coordenador do curso de Letras, Fábio Ballmann.
 

Foto/divulgação: PPGCL

 

PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Profa. Andréia Daltoé participa de Ciclo de Debates em Jaguaruna


(23/04/2018) No dia 18 de abril, nas dependências da Cresol de Jaguaruna, a Profa. Andréia dividiu a mesa do Ciclo de Debates “Terra Solidária: multiplicando ações e sujeitos sociais” com o Prof. Marcos Rodrigues da Silva, ambos tratando a temática: A Ditadura de 1964 e a Intervenção Militar no Rio de Janeiro.

O evento em Jaguaruna integrou o Projeto “Terra Solidária: multiplicando ações e sujeitos sociais”, que, numa parceria com a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), objetiva desenvolver a formação de lideranças, articulada às lutas da Agricultura Familiar, multiplicando ações, atores sociais no campo sindical da FETRAF/SC-CUT, cooperativista do sistema CRESOL CENTRAL, CRESOL SICOPER, COOPERHAF, das cooperativas filiadas a UNICAFES, da APACO.

De acordo com o Projeto, estes espaços de formação permitem que o cooperativismo da agricultura familiar e economia solidária mantenham seu crescimento social e econômico de forma equilibrada e sustentável, considerando que a participação das pessoas nos processos de organização social, econômica e principalmente organizacional precisa ser fortalecida.

A atividade desenvolvida em Jaguaruna também acontecerá em outros lugares do Estado e daí em diante o Projeto se divide em Módulos de formação, envolvendo temas como: o papel da agricultura familiar, inserção dos sujeitos neste processo, feminismo e as relações patriarcais, sustentabilidade, inovação, cooperativismo solidário, e outros.


Em Jaguaruna, a Profa. Andréia apresentou parte de suas pesquisas sobre os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão Estadual da Verdade de SC, refletindo sobre o passado e seus reflexos em nosso presente a partir de dados de mortos e desaparecidos da nossa região.
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Jornadas de Pesquisa do PPGCL são um sucesso!


(20/04/2018) As jornadas de pesquisa do PPGCL consistem em apresentações de projetos de tese, projetos de dissertação e ensaios. Desta forma, os estudantes e professores tem a possibilidade de fomentar discussões referentes as pesquisas apresentadas. As jornadas de 2018, foram um sucesso em ambos os campi! Tendo todos os alunos aprovados.


Na última segunda-feira (16) as apresentações foram abertas no Campus Pedra Branca:

 

Foto/divulgação: PPGCL


Roberto Svolenski defendeu seu projeto de tese intitulado “Estética e política nos ensaios fotográficos de Gian Paolo Minelli”. O projeto de Roberto pretende analisar os ensaios fotográficos do artista suíço/argentino radicado em Buenos Aires e as relações estéticas e políticas que aparecem nas fotografias de Gian Paolo Minelli.

 


Foto/divulgação: PPGCL

Barbara Souza apresentou o projeto intitulado “Corpo negro feminino: plus size uma nova forma de subjetivação”. A pesquisa propõe a partir de pressupostos da Análise do Discurso problematizar o corpo negro feminino plus size, e assim compreender que as imagens do corpo nas narrativas midiáticas de moda, carregam uma ideologia e estão associadas a um lugar de poder simbólico.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Adriana Edral expôs o projeto “Potências à venda: uma atualização do debate sobre a produção da indústria cultural”. O objetivo da pesquisa é investigar, a partir de narrativas seriadas, as atualidades da indústria cultural, ou melhor, como suas novas produções lidam com os discursos críticos que parecem tanto escapar quanto integrar o sistema maquínico da indústria cultural.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Já Fabiana Soares propôs como pesquisa “Uma discussão sobre a ética e a moral”. O objetivo do estudo é trazer para a discussão a questão da ética no jornalismo.

 

Foto/divulgação: PPGCL


O doutorando Teodulino Rosendo mostrou o ensaio preparado para a disciplina Tópicos Avançados de Leitura. Intitulado “O funcionamento do EFEITO-resistência-SIMBÓLICO no Projeto Seca, Xote e Baião”, a proposta é compreender a resistência a partir do Projeto Seca, Xote e Baião desenvolvido com alunos do ensino médio, no sertão paraibano, idealizado como um gesto de ressignificação do convívio com a seca e de luta contra um imaginário linguístico, social, político que oprime e segrega o nordestino.


No campus Tubarão as apresentações foram realizadas nesta quinta (19) e sexta-feira (20):

 


Foto/divulgação: PPGCL


A estudante Mayara de Paulo abriu as apresentações do Campus Tubarão com o projeto intitulado “Linhas e entrelinhas no desenho da identidade em literaturas africanas de expressão portuguesa”, que pretende investigar a identidade cultural a partir da literatura africana de expressão portuguesa em prosa.

 


Foto/divulgação: PPGCL

 

 “Análise discursiva do funcionamento de teorias da conspiração: os efeitos de verdade na produção de sentidos” foi o título da pesquisa apresentada pelo estudante Israel Vieira Pereira. A pesquisa busca desenvolver princípios de análise do funcionamento discursivo de Teorias da Conspiração, na tentativa de compará-las ao funcionamento discursivo do Boato e, em um movimento de contraste, compreender como se dá o funcionamento dos gêneros através de suas semelhanças e distanciamentos.

 


Foto/divulgação: PPGCL


Andréa Andrade Alves Debiasi expôs sua proposta de ensaio intitulada “Memória e Identidade Cultural: Contribuição do grupo da Terceira Idade para a Valorização da Constituição Étnica do Município de Orleans (SC) no campo educacional”. O objetivo é analisar qual desenho identitário se enseja a partir das contribuições do grupo da terceira idade do referido município, observando o sentimento de pertencimento por meio das manifestações culturais.

 

Foto/divulgação: PPGCL


O ensaio apresentado pelo estudante Vinicius Ribeiro aborda os processos de interpretação, autoria, e a heterogeneidade enunciativa em diários de leituras produzidos, autonomamente, por estudantes do Ensino Médio. O título escolhido foi “Heterogeneidade e autoria no ensino médio: vozes participantes em diários de leituras”.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Éderson José de Lima por sua vez expos o ensaio “A analítica da verdade e o sujeito pós-moderno na lei de cotas: uma questão de poder político e jurídico em tempos de uma sociedade politicamente midiatizada”, que tem por objetivo promover uma breve reflexão, à luz do pensamento epistêmico-filosófico contemporâneo acerca do sujeito pós-moderno e sua relação com os discursos de verdadesobre a lei de cotas em tempos de uma sociedade politicamente midiatizada.

 

Foto/divulgação: PPGCL


Encerrando as apresentações, Vivian Mara, apresentou o ensaio intitulado “Design, antropologia, inteligência artificial: eixos de estudo que convergem para compreender o papel do designer na cibercultura” que analisa aspossibilidades de atuação do designer em consonância com as necessidades de uma cultura conectada e dominada pela tecnologia, com diferentes sistemas de conhecimento, diferentes modos de produção e processos de inovação totalmente inéditos vivenciados nos ambientes colaborativos virtuais do ciberespaço e seus múltiplos espaços antropológicos, ainda segundo Lévy (1999b).


PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Primeira dissertação de 2018 é defendida


(16/04/2018) Na última sexta-feira (13), o estudante Reginaldo Osnildo Barbosa, defendeu sua dissertação intitulada “Análise do fortalecimento da imagem do vilão mediante o medo expresso nas tecnologias do imaginário”. O tema faz parte da linha de pesquisa Linguagem e Cultura.


A pesquisa, orientada pela professora Heloisa Moraes, propôs analisar o fortalecimento da imagem do vilão mediante o medo expresso nas tecnologias do imaginário. Para isso, enfatiza o jornalismo impresso como uma destas tecnologias e delimita a mitocrítica durandiana (1998) como suporte metodológico para a análise dos títulos da série de reportagens A máfia das cadeias, veiculada no Diário Catarinense entre 12 e 17 de abril de 2013, objeto escolhido.


“De maneira específica, esta dissertação atenta para a utilização da expressão do medo na sensibilização do fazer jornalístico, de modo a contribuir para o entendimento do fortalecimento da imagem do vilão nas tecnologias do imaginário, identificando o mito do caos como sendo o mito diretor por trás da referida série de reportagens, quiçá do próprio jornalismo”, explica o estudante.


Reginaldo foi aprovado em banca composta pelos professores Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora); Dr. Alexandre Linck Vargas – UNISUL (avaliador); Dra. Marília Köenig - SENAC (avaliadora); e Dra. Jussara Bittencourt de Sá– UNISUL (suplente).

 

Foto/divulgação: Facebook


PPGCL



Foto/divulgação: PPGCL

Colóquio na UNESC tem participação do PPGCL


(04/04/2018) Nesta terça-feira, 3, a professora do PPGCL Andréia Daltoé participou como conferencista do IV Colóquio História, Política e Poder do Curso de História da UNESC, Criciúma/SC. O evento “Direitos Humanos em tempos de exceção” reuniu alunos de vários cursos de Licenciatura e outros em uma importante discussão sobre questões políticas atuais.


Convidada para apresentar suas pesquisas sobre Comissão da Verdade e sobre os trabalhos de Derlei De Luca, Andréia realizou uma conferência sob o título “A resistência contra crimes da Ditadura e o trabalho de Derlei De Lucca: silêncio, memória e esquecimento”.


“Foi uma oportunidade rica de debate, mas também um momento de forte emoção, pois Derlei, que faleceu recentemente, final de 2017, nos deixou um grande legado de luta pela democracia e pela memória dos mortos e desaparecidos de SC”, conta a professora emocionada.


De 2014 a 2017, Derlei foi forte colaboradora do evento anual Marcas da Memória organizado pelo PPGCL.

 

PPGCL


Foto divulgação: Acervo Helena Solberg

Professora do PPGCL participa de Mostra em SP


(18/03/2018) A professora do PPGCL Ramayana Lira de Sousa, participou no último dia 10 de março, da “Mostra Restrospectiva Helena Solberg” no Rio de Janeiro. Na oportunidade, apresentou e debateu os filmes Meio dia, A Entrevista e A nova mulher da cineasta Helena Solberg.


Solberg é uma das mais importantes cineastas brasileiras, pioneira do cinema moderno no país. Sua obra recebe reavaliação em 2018, ano em que completa 80 anos.


“Além de tudo, pude contribuir com um texto para o Catálogo da Mostra, que conta com 15 ensaios inéditos escritos por um grupo incrível de pesquisadoras, professores e críticos de cinema”, comenta a professora. Eles abordam temas como feminismo, engajamento político, regimes ditatoriais, música popular brasileira e mais, se debruçando sobre os 50 e poucos anos de carreira da cineasta Helena Solberg.


Saiba mais sobre a Restrospectiva Helena Solberg


A Retrospectiva Helena Solberg apresenta no Centro Cultural Banco do Brasil a obra integral desta cineasta singular cuja carreira acaba de completar cinco décadas. A mostra é organizada pela Filmes de Quintal com curadoria de Carla Italiano e Leo Amaral e patrocínio do Banco do Brasil.


A mostra conta com a exibição de 17 obras realizadas de 1966 a 2017, entre documentários e ficções de durações variadas. Embora pouco exibidos em âmbito nacional, seus filmes tiveram amplo reconhecimento estrangeiro, sendo premiados em diversos festivais. Neles, temas como feminismo, exílio, ditadura, trabalho e militância tornam-se pontos recorrentes.


Ao longo de 12 dias de programação nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo (07 a 19 de março), e 17 dias em Brasília (03 a 22 de abril), a mostra contará com uma Aula magna ministrada pela realizadora e uma mesa-redonda em cada cidade, além de exibições seguidas de debates.

 

PPGCL


Foto/divulgação: UnisulHoje

Unisul entre as melhores do país: MEC confere nota máxima em qualidade à Universidade

(12/03/2018) A Unisul obteve conceito 5 em avaliação realizada pelo Ministério da Educação (MEC) para o recredenciamento da instituição junto ao Sistema Federal de Ensino. A nota máxima coloca a Universidade entre as melhores Instituições de Ensino Superior de Santa Catarina e do País.

 

Legitima ainda a qualidade dos seus cursos, projetos e serviços, bem como a excelência da infraestrutura física nos processos formativos promovidos pela instituição. Demonstra, enfim, a coerência entre as políticas acadêmicas e de gestão – que integram o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2015-2019) – e a sua prática efetiva, cujos resultados mobilizam a sociedade e mais de 25 mil pessoas, entre discentes, docentes e colaboradores, em três Campi, seis Unidades Universitárias, 78 Polos de Apoio EAD, nos diferentes níveis e modalidades. O Ministro da Educação, por meio da Portaria 197, de 7 de março de 2018, homologou parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que recredencia a Unisul pelo prazo de 8 anos. A Portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 7 de março de 2018.

A nota máxima foi atribuída à Unisul após um criterioso procedimento avaliativo, com análises documentais da Instituição, e duas avaliações in loco por comissões designadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP/MEC), nas quais ocorreram reuniões com estudantes, professores, coordenadores de curso, técnico-administrativos e dirigentes, bem como a verificação das instalações físicas e demais infraestruturas. As visitas dos avaliadores aconteceram em setembro e novembro de 2017, respectivamente nos Campi da Grande Florianópolis e em Tubarão. Até 2014 a Unisul era vinculada ao Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina (CEE/SC), com o último ato regulatório de recredenciamento institucional realizado em 2007. Em 2014, a Unisul migrou para o Sistema Federal de Ensino, passando então todos os processos de avaliação externa a serem realizados diretamente pelo MEC. Além de evidenciar a excelência da instituição, o CI 5 é referência para os diversos atos regulatórios relativos aos cursos e a própria instituição. A avaliação externa é um dos eixos que compõe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e os conceitos que podem ser atribuídos vão de 1 a 5.

Para o Pró-Reitor de Ensino, Pesquisa, Pós-graduação, Extensão e Inovação, professor Hércules Nunes de Araújo, o conceito que recredencia plenamente a Unisul coroa mais uma etapa do movimento positivo e propositivo da Instituição: “nossos programas de graduação e de pós-graduação foram fundamentais na acreditação. Este processo auxilia e dá segurança, entre outros, à comunidade e aos interessados que buscam referências sobre onde cursar, estudar e realizar o seu projeto de vida. Fazer parte de uma instituição de 53 anos, que tem o conceito máximo, avaliada pelo maior órgão de educação federal do país, sem dúvida, é muito positivo”, frisou.

O procurador institucional, professor Roberto Iunskovski, explica que ao longo do processo que culminou com o recredenciamento, toda universidade foi verificada: “foi realizado um olhar amplo sobre a instituição, desde seus aspectos formais legais, até a infraestrutura, laboratórios, corpo docente, ou seja, a soma de tudo foi avaliada; o planejamento, o projeto político-pedagógico, o relacionamento com a comunidade, a sustentabilidade, o conjunto de tudo o que a Universidade é e faz, foi avaliado por duas comissões formadas por avaliadores designados pelo INEP”, afirmou.

O Reitor da Unisul, professor Mauri Luiz Heerdt, fez questão de evidenciar a atuação comprometida dos envolvidos: “o processo de recredenciamento pôde refletir a importância do papel das pessoas que fazem o dia a dia da Unisul: o talento, a dedicação e a relevância de cada integrante da Universidade neste movimento, sejam alunos, professores, técnico-administrativos e a própria comunidade; minha gratidão a todos”. O Reitor ressaltou ainda, que o momento possibilitou à Unisul a oportunidade singular de autoavaliação, na perspectiva da qualificação permanente e, igualmente, a responsabilidade de seguir proporcionando um acesso ao ensino superior com excelência, em todas as etapas do nosso processo de ensino-aprendizagem.

 

UnisulHoje


Foto/divulgação: PPGCL

Pesquisa analisa livro de matemática


(09/03/2018) A estudante de doutorado Vanessa Isabel Cataneo defendeu na manhã desta sexta (9) o ensaio “Registros de representação semiótica, relevância e conciliação de metas: uma análise do capítulo Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas do livro Matemática compreensão e prática de Ênio Silveira”. Participaram do evento, professores e estudantes do Grupo de Pragmática Cognitiva da Unisul.


Linguagem e Matemática em pauta


A pesquisa de Vanessa analisou o capítulo Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas do livro Matemática Compreensão e Prática: 8º ano, de Ênio Silveira, a partir das noções teóricas de registros de representação semiótica, relevância e conciliação de metas.


“Assumi a hipótese de que as atividades cognitivas de formação de representações identificáveis, tratamento e conversão de registros de representação semiótica estão à serviço de conciliações ativas relevantes de um plano de ação intencional do autor que é passível de ser descrito e explicado pelos estágios de formulação de metas e de formulação, execução e checagem de hipóteses abdutivas antefactuais habilitadoras”, explica a pesquisadora.


Os resultados do estudo sugerem prevalência de exemplos e atividades no capítulo que demandam conversão de situações-problema em língua natural para o registro algébrico, pouco desenvolvimento de interpretações gráficas, casos raros de conversões inversas e ausência de propostas de elaboração de problemas.


A pesquisa, orientada pelo professor Dr. Fábio José Rauen, integra o Grupo de Pesquisas em Pragmática Cognitiva do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem. O ensaio foi produzido como requisito parcial à obtenção de créditos na disciplina Tópicos Avançados de Leitura do Curso de Doutorado em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).


Para ser aprovado na disciplina, o texto foi avaliado pelo professor Saddo Ag Aumouloud da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Doutor em Matemáticas e Aplicações pela Université de Rennes, França, Almouloud é considerado um dos melhores especialistas no campo do ensino da matemática no Brasil.


Na foto principal, um flagrante da apresentação da autora. Abaixo, estudantes do grupo de pesquisa interagem com o pesquisador via Skype.

 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Vice-coordenadora do PPGCL participa de banca na Unicamp

 

(08/03/2018) Nesta segunda-feira (5), a vice-coordenadora do PPGCL, professora Nádia Régia Maffi Neckel, integrou como avaliadora uma banca de tese de Doutorado da Unicamp. A tese foi realizada em âmbito de co-tutela firmado entre a Universidade Estadual de Campinas e a Université Paris 13.

 

Glória da Ressurreição Abreu França, foi a estudante de doutorado que defendeu a tese "Gênero, raça e colonização: a brasilidade no olhar no discurso turístico no Brasil e na França", sob a supervisão da professora Dra. Monica Zoppi-Fontana (Unicamp) e a professora Dra. Marie-Anne Paveau (Univ Paris 13).

 

"A perspectiva analítica textualizada nessa tese traz importantes contribuições tanto teóricas, quanto analíticas para a AD. Da mesma forma que traz um posicionamento político pungente mobilizando a análise do discurso justamente em suas ancoragens constitutivas: fazer teoria é, necessariamente, fazer política. Foi um imenso prazer ter participado como arguidora dessa banca em co-tutela entre a Unicamp e Paris XIII. Uma oportunidade de estreitar ainda mais os laços de parceria em pesquisas que temos mantido com o IEL – Unicamp, além de ter sido um importante momento de trocas com os pesquisadores franceses", comenta professora Nádia.

 

A banca foi composta por três avaliadores franceses e três avaliadores brasileiros: Profa. Dra. Marie-Anne Paveau (Université de Paris XIII (Paris-Nord); Profa. Dra. Mònica-Zoppi Fontana (IEL/Unicamp); Prof. Dr. Lauro José Siqueira Baldini (IEL/Unicamp); Prof. Dr. Luca Greco (Université Paris III Sorbonne Nouvelle); Profa. Dra. Nadia Neckel (Unisul); e Prof. Dr. Thierry Guilbert (Université de Picardie Jules Verne).

 

Mais informações: https://penseedudiscours.hypotheses.org/15326
 

PPGCL


Foto/divulgação: PPGCL

Professora do PPGCL visita Universidade de Portugal

 

(19/02/2018) A professora Giovanna Benedetto Flores, do PPGCL/Unisul - Pedra Branca, participou da aula do professor doutor Jorge Pedro Sousa, sobre pesquisa em Jornalismo, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação, da Universidade Fernando Pessoa, em Porto (Portugal).


Para os doutorandos do Programa, Giovanna falou sobre a Análise do Discurso e o discurso jornalístico. A professora Giovanna está fazendo pós-doutoramento em História da Imprensa, tendo como supervisor o professor Jorge Pedro Sousa.

PPGCL


MAIS NOTÍCIAS DO PROGRAMA

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061