PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA    ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Notícias > Notícias de 2014

 

Notícias

Página Principal

Notícias do Front

PPGCL na TV

Notícias de 2018

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Notícias de 2006

Notícias de 2005

Notícias de 2004

 

Notícias

2014


 

2014: um ano pleno

(17/12/2014) Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem encerra atividades nesta semana contabilizando um conjunto expressivo de realizações. Volume 7 de Notícias do Front compila atividades de 2014.

Produtividade

Em 2014, houve 15 defesas de dissertação e 14 defesas de tese, totalizando 29 estudantes titulados. Atualmente, estamos com 18 egressos de doutorado e a uma defesa de nossa 300ª dissertação mestrado: uma marca e tanto!

As revistas científicas Linguagem em (Dis)curso (A1), Crítica Cultural (B1), Ciência em Curso e Memorare mantêm a tradição de publicar textos relevantes para a ciência nacional. A produtividade docente e discente mantém-se incrementada e a passos largos em direção à nacionalização e internacionalização.

Docentes e estudantes do curso participaram de atividades em outros programas, e o PPGCL recebeu uma quantidade expressiva de docentes externos em quinze seminários e dois cursos de extensão (Dra. Maria Isabel Rodrigues Orofino - ESPM/SP e Dra. Florencia Garramuño, Universidad de SanAndrés, Buenos Aires).

Em 2014, o PPGCL organizou o INTERCOM SUL no Campus da Pedra Branca com cerca de 2 mil inscritos. Além disso, o PPGCL participou expressivamente de eventos da Unisul como o Seminário de Pesquisa do Parfor, Semeia, VI SIMFOP, Seminário Indígena, Semana dos Povos Indígenas, Jornada de Pesquisas do PPGCL.

Outra vez confiantes de que cumprimos nossas metas, segue nosso desejo de que todos possam dedicar sua atenção aos seus familiares e amigos, como a si mesmos e se permitir a comemorar as festas de final de ano e aproveitar as férias merecidas.

 

PPGCL


Parfor organiza Seminário de Pesquisas

 

(13/12/2014) II Seminário de Pesquisa movimentou docentes e estudantes dos Cursos de Licenciatura do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR/UNISUL) no Salão Nobre do Campus da Unisul em Tubarão neste sábado (13).

 

Iniciação científica em destaque

 

O Seminário de Pesquisas do Parfor, em sua II edição, visa a apresentar e disseminar práticas de pesquisa no âmbito dos cursos de licenciatura abrigados pelo Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica – PARFOR na Universidade do Sul de Santa Catarina. Nesta edição, foram apresentadas muitas das pesquisas realizadas nas disciplinas desenvolvidas no ano de 2014, incluindo projetos integradores.

 

O evento foi aberto com a palestra da professora Dra. Cássia Ferri da Univalli (foto principal). Com o título “Fomação Integral: desafios para a docência na Proposta Curricular de Santa Catarina”, Cássia refletiu sobre o que significa ensinar e aprender na educação básica, argumentando que é preciso valorizar os conteúdos naquilo que eles propiciam novas maneiras de compreender a realidade, distanciando-se de uma visão meramente utilitarista.

 

Em seguida, foram desenvolvidas duas sessões de comunicações orais de pesquisas, moderadas pelo professor Dr. Fábio José Rauen, além de uma sessão de pôsteres. O evento foi abrilhantado também com um esquete teatral e uma apresentação musical.

 

“O Seminário foi capaz de demonstrar como os cursos de licenciatura do Parfor têm progredido na direção de uma aprendizagem comprometida com as práticas de pesquisa”, comentou a professora Dra. Andreia da Silva Daltoé (foto abaixo), coordenadora do Parfor na Unisul. “Fechamos o ano letivo de 2014 com a sensação de estarmos no caminho certo para uma sólida formação de docentes”, complementa.

 

O Programa

 

O Parfor, na modalidade presencial, é um Programa emergencial instituído para atender o disposto no artigo 11, inciso III do Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009 e implantado em regime de colaboração entre a Capes, os estados, municípios o Distrito Federal e as Instituições de Educação Superior – IES.

 

O objetivo do Parfor é induzir e fomentar a oferta de educação superior, gratuita e de qualidade, para professores em exercício na rede pública de educação básica, para que estes profissionais possam obter a formação exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB e contribuam para a melhoria da qualidade da educação básica no País.

 

Na Unisul, o Parfor inclui as licenciaturas em Pedagogia (Educação Especial), Física, Química, Sociologia, Filosofia e Artes.

 

PPGCL


Dissertação analisa o discurso de Dilma Roussef


(12/12/2014) “Sim, a mulher pode!: o poder e resistência nos discursos de Dilma Rousseff”, foi o título da dissertação defendida pela mestranda Kellen Bonelli Rodrigues, nesta sexta-feira, 12, às 10 horas, na Sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.


O discurso da Presidenta


A pesquisa parte dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa pecheutiana, bem como, analisa o funcionamento do enunciado Sim, a mulher Pode!, empregado por Dilma Rousseff em seu discurso após vencer a eleição presidencial do País, em 2011, como um dizer que acaba ressoando sentidos de outros dizeres, como: o We can do it!, usado pelo governo americano durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), tomado aqui como efeito de começo, e o Yes, we can!, usado por Barack Obama em seu discurso após vencer a eleição presidencial dos Estados Unidos, em 2008.


“Numa análise vertical, primeiro procuramos investigar esses três enunciados a fim de identificar neles os sentidos mesmos e os sentidos outros e investigar de que forma o Discurso de Dilma é atravessado por dizeres da Formação Discursiva feminista, da militante e da classe trabalhadora de modo que ecoem neles sentidos de poder e de resistência”, explica a estudante.


O Discurso de Dilma se mostra como um modo de contorcimento na língua política, uma vez que Dilma Rousseff, ao assumir a posição de Presidenta da República, o faz atravessada de sentidos da posição mãe, mulher, trabalhadora etc., ou seja, sentidos que marcam o ineditismo: ter uma mulher ocupando a posição Presidenta de um País.


“É a partir desse ineditismo que pudemos perceber não só resistência da sociedade em relação à presença de uma mulher no mais alto cargo do País, mas também a resistência do próprio sujeito enunciador na tentativa de se (re)afirmar com o dizer Sim, a mulher pode! Que marca aí o preconceito ainda existente em nossa sociedade”, finaliza.


Kellen Bonelli foi “Aprovada” em banca composta por: Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (orientadora), Dra. Carolina Fernandes – UNIPAMPA (avaliadora), Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora) e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (suplente).


Na foto principal um registro da mestranda no momento de sua apresentação, e abaixo uma foto com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Maria Marta, Dra. Andréia, Kellen, Dra. Silvânia e Dra. Carolina.

 

 

PPGCL


Dra. Carolina, da UNIPAMPA, ministra seminário no PPGCL


(12/12/2014) Nesta sexta-feira, 12, a Dra. Carolina Fernandes, professora da UNIPAMPA – campus Bagé, ministrou o seminário intitulado “Discurso, imagem e memória: uma trajetória na Análise de Discurso”, às 9 horas, na Sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.

 

Trajetória acadêmica


O seminário ministrado pela Dra. Carolina Fernandes contou sua trajetória acadêmica desde o início de sua vida escolar, até seu doutorado. Toda trajetória foi elencada a Análise do Discurso.


Em 2003, Carolina desenvolveu seu projeto de pesquisa fundamento na Linguística Textual, semântico e discursivo das expressões nominais definidas ou descrições definidas que remetem à Lula nos anos de 1998 e 2002 nos meios jornalísticos.


Iniciou o mestrado em 2006, sob a orientação de Freda Indursky. A pesquisa analisou capas e matérias da revista Veja que abordavam a trajetória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva considerando o modo com as questões ideológicas se marcavam nesta materialidade.


“Já no doutorado mudei meu objeto, ainda analisando imagens, porém, de livros construídos sem a linguagem verbal. As questões principais eram: de que modo se interpreta um texto produzido apenas por imagens? Como funciona a imagem enquanto materialidade discursiva? O que faz com que uma mesma sequência de imagens seja interpretada de modo diferente por distintos leitores?”, finaliza a doutora.

 

Na foto principal um flagrante de sua apresentação, e abaixo, uma foto público que esteve presente em bom número mesmo após o encerramento das aulas do PPGCL.

 

 

PPGCL


Movimento psicodélico de São Francisco é objeto de dissertação

(11/12/2014) Nesta quinta-feira, 11, o mestrando Rafael Hoffmann Maurílio defendeu sua dissertação intitulada “Música colorida: uma viagem cultural e estética pelo movimento psicodélico de São Francisco e seus reflexos na linguagem gráfica dos pôsteres e shows entre 1965 e 1969”, na Sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.
 

Movimento e linguagem gráfica


O trabalho toma a cultura jovem dos anos 60, mais especificamente o movimento psicodélico em São Francisco, como objeto de estudo pelo fato de ser uma das primeiras manifestações jovens com características distintas na música e no comportamento e pelo fato de ser consolidada através de manifestações em diferentes campos, como o das artes gráficas.

“Ao analisar e compreender a formação do movimento percebi como se deu o desenvolvimento da linguagem gráfica que seria característica desse grupo através de uma pesquisa exploratória bibliográfica com o cruzamento de autores e teorias para, além de entender a origem do movimento, estabelecer as suas influências na música e, principalmente, no design gráfico, identificando as principais características estilísticas da produção gráfica do período”, explica o estudante.

Em um segundo momento é apresentada uma análise de pôsteres de shows produzidos em São Francisco entre 1965 e 1969, o auge do movimento, e criados pelos principais artistas da região - Wes Wilson, Stanley Mouse e Alton Kelley, Rick Griffin e Victor Moscoso.

Ao identificar e analisar essas características estilísticas compreendeu-se como elas passaram a ser uma extensão visual da experiência estética e ideológica e da identidade cultural do movimento. Dessa forma, os pôsteres passaram a exprimir o que às vezes a canção não conseguia, servindo de apoio para narrar o contexto social e cultural no qual estava inserido, e acabaram tornando-se um contragolpe, provavelmente inconsciente, ao formalismo e rigidez do estilo de design que era referência na época.

“Esse resultado mostra que a análise da arte gráfica pode ser uma forma de conhecer melhor a cultura daqueles que a produziram, pois ela reflete e reage ao meio social e cultural em que está inserida”, finaliza.

O estudante foi aprovado, por banca composta por: Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora), Dr. André Fábio Villas-Boas – UFRJ (avaliador) e Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, um flagrante do estudante no momento de sua apresentação. Logo abaixo uma foto com a banca. Da esquerda para direita: Profa.Jussara, Profa. Heloísa, Rafael, e Prof. André.

 

 

PPGCL

 


Seminário faz analise gráfica de projetos

(11/12/2014) O prof. Dr. André Fábio Villas-Boas, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ministrou nesta quinta-feira, 11, o seminário intitulado “Análise gráfica de projetos”. A apresentação foi realizada na Sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.

O seminário iniciou com uma breve introdução dos princípios projetuais do design. André sinalizou que os princípios projetuais não são universais. Seu estabelecimento está condicionado às concepções de quem projeta, de quem leciona, de quem analisa.

O palestrante listou princípios presentes em bibliografias de ampla abordagem nos cursos de design e, em geral, tomados como critérios para o desenvolvimento de aulas em Análise gráfica. São eles: unidade, síntese, balanceamento, movimento, hierarquia e harmonia.


“Com tais procedimentos, na perspectiva observada pelo conjunto de premissas e objetivos traçados na apresentação, é possível estabelecer uma dinâmica menos pseudoativista, reprodutivista e consuetudinário (Freitas, 1998), revertendo numa prática do design gráfico inovadora e adequada ao desenvolvimento dom país, porque mais consistente, mais crítica e mais consequente”, finaliza.


PPGCL

 


Dissertação analisa as brincadeiras do faz de conta

 

(10/12/2014) Nesta quarta-feira, 10, a estudante Francine Costa de Bom, defendeu sua dissertação intitulada “A produção da cultura lúdica infantil durante a rotina em sala de aula: os jogos do faz de conta em escolas de Criciúma/SC”, na Sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.


O faz de conta

 

O trabalho analisou narrativas vivenciadas em 29 jogos de duas escolas de Criciúma, uma pública e a outra particular, engendrando culturas de pares diferentes e consequentemente uma cultura lúdica e jogos de faz de conta com conteúdos diversos.


“Explicar como os jogos do faz de conta foram produzidos pelas crianças foi uma experiência de interpretação de arte”, relata a pesquisadora.


A curiosidade infantil sobre aquilo que não conhece, ou que conhece, mas não experimentou, é o que antecede a ação que dá início ao faz de conta, denominado como pré-jogo, ou seja, o primeiro pilar que abriga o terreno da realidade na qual as crianças tendem a explorá-lo.


A presença do adulto no cotidiano prático da rotina em sala de aula foi identificado nas interrupções na construção dos jogos, assim, a pesquisa contesta que a criança é ativa na sociedade e possui uma cultura que lhe é peculiar, na qual a linguagem que ali travam muitas vezes o ser adulto não consegue codificar e interagir. Identificando-se assim o distanciamento entre essas culturas.


O estudo procurou explicar o processo dos jogos do faz de conta na rotina em sala de aula, que levou a identificação de cinco estágios: pré-jogo, disparo para a ação dialógica, início da execução do plano imaginário, manutenção e ajustes das interferências externas e finalização.


“Um horizonte a ser refletido é a importância de um olhar sensível do adulto frente à elaboração dos jogos faz de conta, já que diante dele existe um grupo social ativo na sociedade, que encontra formas de compreender o mundo a partir do seu modo de pensar e agir”, finaliza.


A dissertação foi “Aprovada com distinção” por banca composta por: Dra. Ramayana Lira de Sousa, Dra. Mônica Fantin e Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias.

 

PPGCL


Professor do PPGCL propõe acordos internacionais

 

(10/12/2014) O Professor Aldo Litaiff, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, esteve na Europa para seu segundo Pós-Doutorado, na oportunidade aproximou a Unisul de universidades francesas.

 

O pós-doutorado e as propostas

 

Aldo retornou da França cheio de ideias e projetos. Ele esteve em Paris para a segunda parte do seu segundo pós-doutorado em que traça um comparativo entre os mitos indígenas, guaranis, e os chamados mitos urbanos. Na oportunidade, ele abriu quatro frentes de relacionamento com instituições europeias para o possível intercâmbio de alunos e professores.

A pesquisa do professor é realizada na Universidade de Paris V (Paris Descartes, de Medicina) que abriga também a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais – Sorbonne, instaladas no mesmo prédio. Ali surgiu a primeira possibilidade de interação da Unisul, através dos programas de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e Ciências da Saúde, com a Sorbone.

A principal proposta apresentada ao setor de pesquisa da Unisul foi construída por Litaiff e o grande sociólogo francês Michel Maffesoli, que coordena o Ceaq (CENTRO DE ESTUDOS DO ATUAL E DO COTIDIANO) da Sorbonne. “Deixei as minutas de acordo com o Maffesoli”, assegurou o professor.

Da Universidade de Rouen, localizada no norte da França, veio outra proposta de acordo, sendo a quarta possibilidade de parceria internacional da Unisul. Ela foi construída a partir de iniciativa da Embaixada da França no Brasil.

 

“O Instituto de Altos Estudos da América Latina, que fica no centro de Paris, nos convidou paa enviar professores para ministrarem cursos de dois a quatro meses lá”, revelou Litaiff.

 

UnisulHoje (adaptado)


Dissertação analisa o discurso militar na Marinha

(09/12/2014) A estudante Giana Fonseca Reis defendeu sua dissertação intitulada “A construção de identidade no discurso militar-naval das escolas de aprendizes-marinheiros”, nesta terça-feira, 9, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A formação discursiva militar

A pesquisa de Giana buscou compreender a posição sujeito assumida pelos aprendizes de marinheiro, dentro de uma Escola da Marinha. “Para tanto, investigaremos os textos produzidos pelos alunos, observando-se diferentes circunstâncias que cercam o momento dessa produção”, explica a pesquisadora.


“Em cada uma das três fases de aprendizado, os alunos da Marinha do Brasil têm que “dominar” o jargão marinheiro ao mesmo tempo que vão se constituindo profissionais. Esta identificação com o jargão e com a profissão é que nos interessa investigar, ou seja, como se constituiu a identidade do marinheiro dentro de uma Escola de Aprendizes”, acrescenta.

“Para ser aceito na instituição Marinha do Brasil, ou melhor, para obter o status de bom marinheiro, o aprendiz deve se inscrever nessa formação discursiva militar, incorporando os costumes e a linguagem naval a ela pertencentes”, esclarece.

“Durante as análises, consegui visualizar esse sentimento de pertencimento a essa formação discursiva militar. Gradativamente, em cada uma das etapas em busca do reconhecimento profissional, os jovens marinheiros vão empregando marcas linguísticas que nos permitiram observar que estavam sendo interpelados pela ideologia militar, que estavam assumindo a posição-sujeito marinheiro”, finaliza a pesquisadora.

A estudante foi aprovada, por banca composta por: Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (orientadora), Dra. Maria Cleci Venturini – UNICENTRO (avaliadora) e Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, um flagrante da estudante no momento de sua apresentação. Logo abaixo uma foto com a banca. Da esquerda para direita: Profa. Solange, Giana, Profa. Giovanna e Profa. Cleci.
 


PPGCL


Povo cigano é tema de dissertação

 

(08/12/2014) Na última sexta-feira, 5, o estudante Reginaldo Paulo Giassi defendeu sua dissertação intitulada “Olhares eurocêntricos: a figura do cigano nas narrativas da série O povo cigano no Brasil e as obras Memórias de um sargento de milícias e tocaia grande: a face obscura”, na sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.

 

Ciganos e o imaginário popular

 

A pesquisa analisa criticamente dentro de uma perspectiva contemporânea qual é a visão que se constrói dos ciganos a partir da série O povo cigano no Brasil (2011), desenvolvida pela Rádio do Senado Nacional, tendo como base os episódios Os nômades do sul: vida cigana em Santa Catarina e Os ciganos em São Paulo: as linhas do futuro e a herança do passado.

 

“O foco central deste trabalho está norteado em identificar quais as possíveis razões para que se repitam exorbitantemente o uso de palavras indelicadas na caracterização das populações ciganas que vivem dispersas pelas mais diversas regiões do Brasil desde meados do século XVI”, explica o mestrando.

 

O trabalho busca também compreender até que ponto os valores socioculturais contemplados por essas narrativas assemelham-se a descrições pejorativas dos ciganos encontradas nas obras Memórias de um sargento de milícias (1852) de Manoel Antônio Almeida (1831-1861) e Tocaia grande: a face obscura (1984) de Jorge Leal Amado de Faria (1912-2001).

 

“Observa-se como essas designações promovem uma série de limitações a esse povo e que acabam contribuindo mesmo que involuntariamente para condicioná-las a um árduo processo de estigmatização de sua cultura”, finaliza.

 

O estudante utilizou conceitos como hibridismo, identidade nacional e eurocentrismo que juntos formaram os pilares de sustentação da pesquisa e que também contribuíram efetivamente para transparecer o que ainda hoje existe a perpetuação de uma linguagem preconceituosa e difamatória enraizada no imaginário dos não-ciganos em oposição aos ciganos.

 

A dissertação do estudante foi "Aprovada com distinção", por banca composta por: Dra. Alessandra Soares Brandão – UNISUL (orientadora), Dr. Maurício Reinaldo Gonçalves – Centro Universitário SENAC (avaliador) e Dra. Ramayana Lira de Sousa – UNISUL (avaliadora).

 

Na foto principal um flagrante da apresentação do aluno, e abaixo uma foto da banca: da esquerda para direita: Reginaldo, Profa. Alessandra, Profa. Ramayana e Prof. Maurício.


 

PPGCL


Flamengo é objeto de Tese

 

(08/12/2014) A estudante Cláudia Nandi Formentin defendeu sua tese intitulada “Flamengo: cultura e linguagem de uma “nação rubro-negra””, na última sexta-feira, 5, na sala de Treinamento, Bloco A, Campus Sul da Unisul.

 

A “nação rubro-negra”

 

A pesquisa tem como base os estudos sobre as relações entre a linguagem e a cultura. Para tanto, são avaliadas as manifestações culturais e os discursos que as permeiam e circundam, com intuito de se refletir sobre as concepções de identidade e nação, neste caso “nação-rubro negra”, que poderiam também ser deflagradas a partir de tais manifestações.

 

“No decorrer da pesquisa se pode perceber o conceito de nação, não como objeto delimitado, demarcado; mas sim como uma comunidade imaginada. E foi justamente este conceito que norteou a procura por descobrir como é que se dá esse sentimento de pertença, ou seja, como é que determinado grupo de pessoas tão diferentes e diversas assumem para si um discurso coletivo de nação”, explica a doutoranda.

 

O objetivo da tese é o de apresentar reflexões sobre a linguagem e a cultura, enfatizando o papel do esporte nas relações sócio-culturais; historicizar o futebol, com intuito de avaliar como o Clube de Regatas Flamengo é representado nas diversas manifestações culturais que permeiam o cotidiano do brasileiro; e vanalisar como os enunciados que emergem das obras sugerem a identidade de nação no Clube de Regatas Flamengo, especialmente, no contexto futebolístico com todos os atores nele envolvidos.

 

“É importante destacar que é recorrente ler e ouvir dentre esse grande número de pessoas, que se localiza para além dos limites geográficos do próprio país, a produção de enunciados tais como: “eu e toda a torcida do Flamengo queremos isso”, “somos da nação rubro-negra”, “somos Flamengo até morrer”. Os discursos que deles emergem sugerem certa aproximação aos discursos sobre nação”, complementa.

 

Para construção do trabalho foram analisados, a partir da análise de conteúdo, textos extraídos do Urublog (blog do torcedor do Flamengo, disponível no site do Globo Esporte) entre 2009 e 2013, textos do blogueiro Rica Perrone, onze músicas de épocas diferentes e que tratam do clube, dois livros infantis, um de autoria de Ziraldo e outro de Gabriel, o Pensador, se juntam a uma coletânea de charges do cartunista Henfil e as crônicas de Nelson Rodrigues.

 

“Procuramos, com este estudo, ensejar algumas reflexões com intuito de provocar outras pesquisas sobre o tema. Outros times, outros atletas, outras materialidades cabem aqui. Elementos que procuram entender como e porque tal manifestação cultural ganha tanta força no Brasil e, ao mesmo tempo, é tão pouco estudada apesar de ser tão cantada, desenhada, fotografada, filmada e aclamada em verso e prosa. O ponto está aqui não como final, mas como reticências”, finaliza a estudante.

 

A estudante foi "aprovada”, por banca composta por: Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (orientadora), Dr. Sandro Braga – UFSC (avaliador), Dr. Adolfo Ramos Lamar – FURB (avaliador) e Dra. Heloísa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (avaliadora).

 

Na foto principal um flagrante da apresentação da aluna, e abaixo uma foto da banca: da esquerda para direita: Profa. Heloisa, Profa. Jussara, Cláudia, Prof. Sandro, Profa. Raquel e Prof. Adolfo.

 

 

PPGCL


PPGCL compõe direção da Associação Brasileira de Pragmática


(01/12/2014) Professor Fábio José Rauen é indicado como primeiro vice-presidente da Associação Brasileira de Pragmática. Suelen Francez Machado Luciano compõe Diretoria de Comunicação.


Como parte dos resultados objetivos do II Workshop Internacional de Pragmática, foi criada a Associação Brasileira de Pragmática (ABRAP). A Associação visa a congregar pesquisas relacionadas aos diversos estudos pragmáticos brasileiros e a fazer uma interlocução com pesquisas estrangeiras.


A primeira diretoria da Associação foi formada por pesquisadores paranaenses, liderados pela professora Elena Godoy da UFPR. O professor Fábio José Rauen foi indicado para a primeira vice-presidência e o professor Sebastião Lourenço dos Santos (UPEG) foi indicado para a segunda vice-presidência.


“Uma associação como essa é muito importante para o desenvolvimento das pesquisas pragmáticas no Brasil”, explica Rauen. “Um dos objetivos dos pesquisadores brasileiros é tornar a Pragmática uma linha de pesquisa tão importante no Brasil como é no exterior”, complementa.


Além do professor Fábio Rauen, a estudante Suelen Francez Machado Luciano foi indicada para compor a Diretoria dedicada à divulgação e difusão do conhecimento. Entre as ações dessa diretoria está a criação de um periódico brasileiro semestral dedicado aos estudos pragmáticos, uma reivindicação antiga da comunidade científica.


PPGCL


Grupo de Estudos apresenta trabalhos em Workshop


(28/11/2014) O Grupo de Estudos em Pragmática da Unisul apresenta seis trabalhos acadêmicos no II Workshop Internacional de Pragmática nestas últimas quinta (27) e sexta (28) na UFPR em Curitiba.


Pesquisas de ponta


 

No dia 27, o professor Fábio José Rauen apresentou o trabalho “Relevância e conciliação de metas: adequação lógica e plausibilidade empírica”. O trabalho é uma síntese da dissertação homônima de Suelen Francez Machado Luciano que aplicou pela primeira vez a teoria de conciliação de metas a um exemplo desenvolvido por Deirdre Wilson para explicar a noção de efeitos e esforços cognitivos que descrevem e explicam a cognição e a comunicação humana.

 

“O trabalho da Suelen é muito importante para mim, porque foi o primeiro que pôs em prova a noção de conciliação de metas que venho desenvolvendo na Unisul nestes últimos anos”, comemora Rauen. “Para mim foi muito significativo ver a arquitetura descritiva e explanatória ser aplicada com sucesso na modelação de interações comunicacionais”, completa.

 

 

A estudante Manuela Camila da Silva Matias apresentou o trabalho “Análise ostensivo-inferencial de questões da edição 2013 do ENEM”. O trabalho apresenta um primeiro exemplo de análise de uma questão do ENEM que irá compor a futura dissertação de Manuela, a ser defendida em 2015.

 

 

Logo em seguida, a estudante Andreia da Silva Bez apresentou o trabalho “Conciliação de metas e terapia cognitiva”, ilustrando a modelação da teoria de conciliação de metas de Rauen em intervenções da terapia cognitiva. O estudo apresentou também reflexões sobre esse campo de interface e é uma primeira tentativa de aplicar a gradação de confiança nas hipóteses abdutivas no campo da psicologia.

 

 

Na sexta-feira, foram apresentados três trabalhos. A estudante Leila Minatti Andrade apresentou o trabalho “Uso de piadas na aprendizagem de espanhol: reflexões introdutórias”. Leila defendeu o argumento de que a utilização de piadas, para além de mero entretenimento, é produtiva como estratégia de ensino e aprendizagem de língua espanhola, especialmente porque permite apresentar formas autênticas de uso da língua, normalmente de registro coloquial ou familiar, em contextos comunicativos reais.

 

 

A estudante Suelen Francez Machado Luciano, por sua vez, apresentou o trabalho “Perguntas retóricas na publicidade: cognição e persuasão”.  Neste estudo, a estudante explora o aparato descritivo e explanatório da teoria da relevância de Sperber e Wilson e da teoria da conciliação de metas de Rauen para analisar a criação e os efeitos de perguntas retóricas como recurso argumentativo na publicidade.

 

 

Por fim, a estudante Fátima Hassan Caldeira apresentou o trabalho “A metarrepresentação de metas de usuários pelo Google: um estudo com base na Ciberpragmática, na Teoria da Relevância e na Teoria de Conciliação de Metas”. Neste estudo, Fátima discute em profundidade a influência dos mecanismos de busca da Internet na vida das pessoas de um ponto de vista pragmático-cognitivo.

 

O II Workshop Internacional de Pragmática, realizado entre os dias 26 e 28 na UFPR de Curitiba, é uma iniciativa que visa a congregar pesquisas sobre pragmática do Brasil e do exterior.

 

PPGCL


Teoria de Conciliação de Metas é apresentada em Workshop


(27/11/2014) O professor Fábio José Rauen apresentou a teoria de conciliação de metas à comunidade científica nesta última quarta, 26, no II Workshop Internacional de Pragmática em Curitiba.


Bases Cognitivas


A teoria de conciliação de metas é uma abordagem pragmático-cognitiva desenvolvida pelo professor Fábio José Rauen no Grupo de Estudos em Teoria da Relevância da Unisul. Trata-se de uma abordagem abdutivo-dedutiva fundamentada no princípio cognitivo de relevância, na noção de relevância dependente de meta e na noção de inferência à melhor explicação.


“A teoria parte da ideia que a descrição e a explicação da comunicação humana pode ser incrementada com uma noção de relevância dependente de meta”, explica Rauen.


“Partimos de um estado futuro de meta Q, e de um indivíduo i que se imagina estar nesse estado de meta Q, de tal modo que x é Q equivale a um estado x qualquer que satisfará a expectativa de atingi-la. Ato contínuo, esse indivíduo i formula uma hipótese abdutiva de que há uma conexão nomológica entre P e Q, considerando uma ação antecedente P como pelo menos suficiente para atingir Q, e executa a ação P na expectativa de atingir Q.”


No escopo dessa arquitetura, Rauen desenvolve a noção de conciliação de metas modelando situações onde o indivíduo compara o resultado Q’ com sua meta Q inicial. Há uma conciliação de metas quando o resultado da ação satisfaz as expectativas e há uma inconciliação de metas quando o resultado da ação não satisfaz as expectativas.


“O resultado dessa arquitetura gera quatro tipos de consecução, promove uma teoria de descrição de níveis de confiança nas hipóteses abdutivas e permite descrever tanto auto como heteroconciliações, quando pessoas avaliam metas colaborativamente”, prevê o pesquisador.


O II Workshop Internacional de Pragmática, que é um evento que pretende congregar pesquisas sobre pragmática do Brasil e do exterior, prossegue dias 27 e 28 e conta com a apresentação de mais seis trabalhos do Grupo de Estudos da Unisul.


PPGCL


Estudante completa doutorado sanduíche em Portugal

(27/11/2014) Sueli Regina de Oliveira, doutoranda em Ciências da Linguagem, completa em dezembro seu estágio de quatro meses na Universidade do Minho, em Braga, Portugal.
 

Pesquisas em comunidades pesqueiras


Além do desenvolvimento dos estudos em Análise de Discurso na Universidade do Minho, sob orientação da professora doutora Maria Aldina Marques, a doutoranda realizou pesquisas junto às comunidades pesqueiras de Póvoa de Varzim e de Vila do Conde, região litorânea, norte de Portugal.

No Brasil, a estudante desenvolve pesquisa com a comunidade pesqueira de Balneário Barra do Sul: um grupo de estudantes de Formação Inicial e Continuada do Instituto Federal Catarinense – Câmpus Araquari, no litoral norte de Santa Catarina.

A pesquisa no PPGCL está sob orientação da Profa. Dra. Nádia Régia Maffi Neckel e coorientação do Prof. Dr. Sandro Braga (UFSC), com o seguinte tema: “A Aula Enquanto Possibilidade para o Acontecimento Discursivo: Efeitos de Sentido do Projeto Cambira para Alunos da Comunidade Pesqueira da Barra do Sul.”

“Esta foi uma oportunidade para o amadurecimento das pesquisas já realizadas no Brasil, por meio do conhecimento de outra realidade cultural, e, neste caso, em dois países unidos pela mesma língua, mas com suas variações lingüísticas” diz a estudante.

O estágio foi viabilizado pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Sueli começou o estágio no início de agosto retorna ao Brasil no dia 15 de dezembro.

Na foto, Sueli está acompanhada da Profa. Dra. Maria Aldina Marques, sua coorientadora em Portugal.

PPGCL


O silêncio é objeto de dissertação


(27/11/2014) Nesta quinta-feira, 27, a estudante Cristina Kelleter Borges Inhaia defendeu sua dissertação intitulada “O silêncio na constituição do sujeito lacaniano”, na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul.

 

O silêncio na psicanálise

 

Segundo a mestranda esta dissertação tem como objetivo discutir o silêncio na constituição do sujeito desde uma perspectiva da psicanálise lacaniana.

 

Para isso, parte-se do silêncio fundante e des(estruturante) na constituição do sujeito diante da emergência das formas de impossibilidade e resistência à linguagem pela escuta da clínica fonoaudiológica, de onde  através de casos clínicos, busca-se o aporte para discutir o silêncio no plano teórico, desde suas inscrições no registro real e simbólico da experiência psíquica.

 

O trabalho possui base nos conceitos teóricos da psicanálise, mais especificamente sob orientação lacaniana, privilegiando as noções de Sujeito, Discurso e Desejo do Outro, Real e Objeto a.

 

"A pesquisa se destaca em discutir o estatuto de cada modalidade conceitual articulando-as aos silêncios que atravessam o fazer fonoaudiológico elencados distúrbios de linguagem, surge o questionamento que motivará esta investigação: qual a relação, qual a implicação do silêncio fundante e (des)estruturante na constituição do sujeito?”, finaliza explica a estudante.

 

A estudante foi "aprovada com distinção", por banca composta por: Dr. Maurício Eugênio Maliska – UNISUL (orientador), Dr. Pedro Heliodoro de Moraes Branco Tavares – USP (avaliador), Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora) e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (suplente).

 

Na foto principal a estudante no momento de sua apresentação, e logo abaixo uma foto com a banca. Da esquerda para direita: Prof. Maurício, Cristina, Profa. Maria Marta, Profa. Silvânia e Prof. Pedro.
 

 

PPGCL


PPGCL participa do II Workshop Internacional de Pragmática


(26/11/2014) Realizado de 26 a 28 de novembro de 2014 na UFPR, em Curitiba, o II Workshop de Pragmática conta com a participação do Grupo de Estudos em Teoria da Relevância da Unisul de Tubarão, liderado pelo professor Fábio José Rauen.


Oportunidade


O II Workshop Internacional de Pragmática visa a criar oportunidades para congregar professores, pesquisadores e estudantes que trabalham na área, em suas múltiplas vertentes, bem como divulgar novas pesquisas, promover o intercâmbio de experiências e conhecimentos entre os investigadores nacionais e os de outros países. A iniciativa visa a contribuir para divulgar e socializar os conhecimentos produzidos, propiciando com isso o avanço no desenvolvimento da Pragmática no Brasil.


“Trata-se de uma oportunidade ímpar de congregar os estudos pragmáticos realizados no Brasil e compará-los com o que se produz de melhor no exterior”, comenta o professor Fábio Rauen, pesquisador da Unisul e especialista em Pragmática Cognitiva. “Neste Workshop, não somente nós apresentaremos seis trabalhos de estudantes da Unisul, mas terei a oportunidade de propor à comunidade acadêmica o que denomino de teoria de conciliação de metas”, comemora.


Na foto, as estudantes Suelen Luciano, Andreia Bez, Leila Andrade, Fátima Caldeira e Manuela Matias posam em frente ao prédio histórico da reitoria da UFPR.


Para saber mais sobre o evento, clique em www.wip-ufpr.org.


PPGCL


Estudante de doutorado completa estágio na Espanha

(24/11/2014) Sandra Vieira completa esta semana seu estágio de três meses na Universidade de Alicante. Neste período, a estudante aprimorou seus conhecimentos sobre teoria da relevância supervisionada pelo professor Francisco Yus, propositor do conceito de cyberpragmática.

Interação

Sandra tem pesquisado os processos de interação entre usuários e desenvolvedores de soluções informatizadas. Seu trabalho tem como premissa os preceitos pragmáticos da teoria da relevância e busca analisar estas interações sob a perspectiva da noção de conciliação de metas, uma teoria que vem sendo desenvolvida recentemente no Brasil pelo professor Fábio José Rauen.

“Considerando que qualquer interação entre usuário e desenvolvedor envolve a mediação de recursos informatizados, eu precisava compreender melhor como essas questões podem ser observadas por um olhar pragmático”, diz Sandra.

Foi com base nessa constatação que a estudante percebeu que era muito promissor dialogar com um pesquisador que estivesse pesquisando o impacto das mídias eletrônicas nas interações humanas. “Foi esse motivo que me levou a entrar em contato com o professor Francisco Yus Ramos, que é professor titular da Universidade de Alicante na Espanha e propositor da Cyberpragmática”, complementa a estudante.

A cyberpragmática consiste numa análise da comunicação mediada por Internet a partir da perspectiva da pragmática cognitiva. Ela dá conta de uma série de interações que podem ser encontradas na internet, tais como as páginas, as salas de chat, as mensagens instantâneas, os sites de redes sociais, os mundos virtuais 3D, os blogs, as videoconferências, os e-mails, o Twitter, etc. Segundo Yus, na apresentação de seu já famoso livro Cyberpragmatics: Internet-mediated Communication in Context, o interesse especial da cyberpragmática é observar o papel das intenções e da qualidade das interpretações quando ocorrem essas interações mediadas pela Internet, algo, segundo ele, que é afetado frequentemente pelas propriedades textuais do meio.

“Neste estágio, através de frequentes seções de orientações, foi possível um aprofundamento teóricos sobre a cyberpragmática, bem como o aprofundamento em outros conceitos importantes para o desenvolvimento da minha tese”, comemora. “Além disso, o estágio na Espanha permitiu que eu entrasse em profundo contato com acultura acadêmica na Europa”, complementa.

O estágio foi viabilizado pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e contou com o apoio do orientador da tese no Brasil, Prof. Dr. Fábio José Rauen. Sandra começou o estágio no início de setembro e está retornando ao Brasil esta semana.

Na foto Sandra está acompanhada do prof. Dr. Francisco Yus Ramos, seu coorientador na Espanha.


PPGCL


Moda é objeto de projeto de Tese

(20/11/2014) Na última quinta-feira, 20, a estudante Anamélia Fontana Valentim apresentou seu projeto de tese intitulado “Da efemeridade à re-existência: uma perspectiva warburguiana da moda na história”, na sala 3, Bloco A, Campus Sul da Unisul.

Moda e política

O projeto de tese aborda a percepção do potencial político da moda e, por consequência, as inúmeras formas de apresentar, analisar e considerar a moda sob uma perspectiva filosófica.

“Ao pensar a História da Moda como contada na literatura acadêmica percebo um equívoco em reduzi-la a uma linearidade cronológica e/ou determinada localização espacial, principalmente se pensarmos na infinidade de estilos atuantes na atualidade e especialmente se pensarmos a moda além das formas presentes em sua materialidade”, explica a doutoranda.

O conceito de política que a pesquisa traz se ancora em Ranciere (2005) e a re-existência como forma de sobrevivência que busca encontrar nos agenciamentos políticos promovidos pela moda em qualquer uma de suas dimensões um aporte em Deleuze (1999) e Warburg (2009, 2013).

O objetivo do trabalho é o de propor um modo de olhar a moda que escape à noção de efemeridade e permita encontrar sentido político na re-existência, tomando-a como rizoma e na perspectiva warburguiana da imagem sobrevivente.

“O sentido de moda como imagem que tomamos para este estudo parte de um contexto histórico onde a moda não se limita a vestimenta e seu valor de uso, mas como imagem passa a ter valor de troca, destacamos dois momentos onde a moda se destaca como imagem, nas vitrines e nas fotografias de moda”, finaliza.

O Seminário Avançado teve como banca avaliadora: Dra. Alessandra Soares Brandão (orientadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel- UNISUL (avaliadora) e Dra. Ramayana Lira de Sousa - UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Professor e bolsista de pós-doutorado participam de evento na Argentina

 

(18/11/2014) O professor Antonio Carlos Gonçalves dos Santos e a bolsista de pós-doutorado do PPGCL, Ana Carolina Cernicchiaro, participaram do V Congreso Internacional Celehis de Literatura. O evento aconteceu de 10 a 12 de novembro em Mar del Plata, na Argentina.

 

Diálogos sobre Literatura

 

O professor Antonio Carlos Gonçalves dos Santos participou da mesa "Archivos visuales: fotografía, dibujo, pinturas y objetos", com a pesquisa intitulada "Bellatin e a lição dos fantasmas: entra em cena a fotografia". Além do professor Antonio, participaram da mesa Sabrina Gil (UNMdP-CONICET), Silvana Santucci (UNCO) e Filipe Manzoni (UFSC).

 

“A ideia era pensar a relação entre a fotografia e o texto na obra do escritor mexicano Mario Bellatin”, explica o professor.

 

Já Ana Carolina participou da mesa "Literatura argentina: memorias y miradas" apresentando sua pesquisa "Sob a perspectiva do axolotl”, sobre o conto “Axolotl”, de Julio Cortazar. Também participaram da mesa os professores Bertha Bilbao Richter (Unqui-UCA), Maria Luciana Ceja e Patricia Andrea (MCE La Pampa), Pátria Scervino e Marisa Olga (Technical Escola Secundária No. 6 St. Nicholas-UNR).

 

O Congresso

 

O Congresso foi promovido pelo Centro de Letras Hispanoamericanas da Universidad Nacional de Mar del Plata (Celehis). O CELEHIS é o resultado de um esforço sustentado, que se materializa no crescimento de uma massa crítica de pesquisadores, professores, graduados, estagiários e estudantes desde a sua criação, em 1984, até hoje. 

 

Atualmente, o Centro reúne sete grupos de pesquisa, que se concentram em seus respectivos projetos nas três áreas geoculturais latino-americanas: América Latina, Argentina e literatura espanhola, e abarca projetos interdisciplinares relacionados a essas áreas. As reuniões dos Congressos literatura CELEHIS tornaram-se um ponto de encontro entre professores e especialistas de todas as três áreas. 

 

Na foto principal um flagrante da apresentação do professor Antonio. Abaixo, a foto do lado esquerdo mostra o professor Antonio, e a direita a bolsista Ana Carolina no momento de suas mesas-redondas.

 

 

PPGCL


Docentes e discentes do PPGCL participam do XI CELSul

(17/11/2014) Docentes e discentes do PPGCL participaram da décima primeira edição do CELSul. O encontro ocorreu na Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Chapecó, entre os dias 12 a 14 de novembro.

O evento

A Universidade Federal da Fronteira Sul sediou, pela primeira vez, um Encontro do Círculo de Estudos Linguísticos do Sul, seu décimo-primeiro, e também marcando vinte anos da entidade, consolidada como importante espaço de encontro acadêmico e divulgação da pesquisa em estudos linguísticos.

 
O encontro ocorreu no campus de Chapecó – SC de 12 a 14 de novembro, e incorporou atividades de comemoração pelos vinte anos do Círculo. A conferência de abertura, tematizando a criação e o desenvolvimento da entidade, foi proferida pelo Dr. Fábio Lopes da Silva (UFSC), primeiro presidente do CELSul. O fechamento, no dia 14/11, coube ao Dr. José Borges Neto (UFPR), que teceu comentários sobre o trabalho do Círculo, lembrando que sua criação não tinha como espaço de abrangência apenas o Brasil: o Sul devia ser entendido como América Latina, cabendo, portanto, alargar efetivamente o espaço de sua atuação para os outros países do sul.

Docentes e discentes do Ciências da Linguagem participaram das várias atividades do evento

O PPGCL foi muito bem representado com as apresentações de trabalhos:
- Profa. Maria Marta Furlanetto: Alteridade e construção de autoria: memória e desconstrução da “ordem do discurso”;
- Profa. Silvânia Siebert: Gestos de leitura de antologias de crônicas;
- Doutorando Manoel Mathias Ferreira: A constituição do sujeito no discurso das sentenças por danos morais;
- Doutoranda Márcia Cristiane Nunes Scardueli: Relatórios policiais que apuram situações de violência doméstica contra a mulher: discussões preliminares;
- Mestranda Camila Borges dos Anjos: Movimentos de autoria nas aulas de língua inglesa sob um viés discursivo;
- Doutoranda Maria Sirlene Pereira Schlickmann: Alfabetização, letramento e discurso: uma reflexão introdutória sobre os sentidos que constituem o discurso pedagógico dos alfabetizadores, como movimentos de resistência.
- Profa. Andréia da Silva Daltoé coordenou o GT “A ordem política na língua e suas formas de resistência”, em parceria com a professora Raquel Ribeiro Moreira.


Participaram do grupo do PPGCL, também, os estudantes de mestrado: Gabriela Niero, Israel Vieira Pereira e Juliene Marques Cardoso, que acompanharam os docentes e colegas em todas as discussões e atividades do Encontro.


Finalmente, informamos que o Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria propôs sua candidatura para o CELSul 2015-2016, tendo como presidente a professora Dra. Amanda E. Scherer.


Fica aqui o convite aos docentes e discentes do PPGCL para uma próxima aventura acadêmica: CELSul 2016!

 

Na foto principal, um flagrante de alguns dos participantes. Da esquerda para direita: as mestrandas Camila, Juliene, Profa. Andréia, mestrando Israel, Profa. Silvânia, mestranda Gabriela e a Profa. Maria Marta. Abaixo a mestranda Gabriela, Profa. Silvânia, doutorando Manoel, Profa. Maria Marta, doutoranda Marcia, doutoranda Maria Sirlene e a mestranda Juliene em uma das atividades do CELSul.

 

 

PPGCL


Discurso jornalístico é tema de dissertação

(05/11/2014) O estudante Guilherme Augusto Marques Cardoso defendeu a dissertação intitulada “A Máscara do Anonimato: Uma perspectiva discursiva”, nesta última quarta-feira, 5, no Cine Pedra Branca, Bloco A, Do Campus Da Grande Florianópolis da Unisul.

Máscara do anonimato como corpus de pesquisa

A pesquisa de Guilherme buscou compreender como são possíveis os efeitos de sentidos da máscara do anonimato. Através da acareação dos diferentes elementos sobrepostos e, também, esquecidos na máscara, é possível questionar sobre como esta exerce, politicamente, o movimento de ser e/ou estar anônimo na perspectiva discursiva.

“Para tanto me debrucei em um gesto de análise em materialidades que mostrem tal movimento, dentre eles: a presença da máscara em um vídeo de 2012 em uma manifestação em Belo Horizonte; e as implicações, desta tomada de posição anônima, (im)possíveis na forma política”, explica o estudante.
“Aos elementos para esta discussão, integram-se os protestos de junho/julho de 2013 no Brasil, em especial, sob a perspectiva do mascarado anônimo e os deslizamentos nos sentidos produzidos na e pelo discurso da máscara”, analisa.

“O movimento das posições ser/estar anônimo conduzem, primariamente, às discussões nestes escritos, mas são feitos passos paralelos para observar o entorno. Ou seja, interessa-nos tanto o teórico como o político da máscara em perspectiva” acrescenta.

“Para compreender tais aspectos optamos por duas escutas teóricas: a primeira advinda da semiótica, mais especificamente nos postulados de Charles Sanders Peirce, a fim de entender o aspecto compositivo da máscara em sua estrutura visual. A segunda em referencia de uma questão que atravessa o aspecto político de portar a máscara, ou seja, a relação entre rosto e face. Para tanto optamos por Giorgio Agamben e sua mirada filosófico contemporâneo. Isso tudo com base na Análise do Discurso”, esclarece o pesquisador.

A dissertação de Guilherme foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Nádia Régia Maffi Neckel - UNISUL (orientadora), Dra. Suzy Maria Lagazzi - UNICAMP (avaliadora), Dra. Solange Maria Leda Gallo - UNISUL (avaliadora), Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores - UNISUL (suplente).

Na foto, o estudante com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Solange, Dra. Nádia, Guilherme, Dra. Suzy e Dra. Giovanna.


PPGCL


Maicon Tenfen ministra seminário no PPGCL

 

(05/11/2014) O Professor e escritor Dr. Maicon Tenfen ministrou seminário no PPGCL intitulado  “Análise do Discurso: a materialidade significante na história”, na noite de terça-feira, 4, na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul.

 

Quissama: O Império dos Capoeiras

 

O tema “cultura brasileira” foi historicizado e refletido enquanto constructo político social de um tempo, o Século XIX. De acordo com Tenfen, nessa época aconteceu um projeto de nação, no qual procuraram imprimir ícones de uma ‘nacionalidade brasileira’ por meio das artes.

 

Maicon apresentou seu novo romance Quissama: O Império dos Capoeiras. O livro é o primeiro de uma triologia.

 

O Professor destacou a sociedade e a política do século XIX. Sua obra é um romance histórico e o enredo, baseado, nos manuscritos de Daniel Woodruff (1832-1910), é protagonizado por Vitorino Quissama que procura ajuda do viajante, ex agente da Scotland Yard para encontrar sua mãe. O romance coloca em cena o Rio de Janeiro, a guerra secreta dos Nagoas e Guaiamuns, duas temidas maltas do século XIX.

 

A palestra contou com a presença de professores e alunos do PPGCL e da Comunicação Social.

 

PPGCL


Suzy Lagazzi ministra Conferência no PPGCL


(05/11/2014) Nesta última terça-feira, 4, a Profa. Dra. Suzy Lagazzi da Universidade Estadual de Campinas, ministrou a Conferência intitulada “Análise do Discurso: a materialidade significante na história”. A Conferência ocorreu às 14 horas no Cine Pedra Branca, Bloco A, Do Campus Da Grande Florianópolis da Unisul.
 

Reflexões sobre a produção cinematográfica

 

A doutora propôs, durante a conversa, uma análise discursiva da linguagem associada à materialidade fílmica, tomando como corpus a produção cinematográfica Tropa de Elite.

 

Na análise de Tropa de Elite, Suzzy Lagazzi pontuou alguns elementos da materialidade que marcam aquilo que ela chama de “textualização da diferença no social”, levando em consideração, por exemplo, as declarações do personagem Capitão Nascimento (enquanto narrador), a ausência de trilha sonora e o fato de haver uma concentração de câmera nos personagens, fatores que colocam à risca dois tipos de funcionamentos que marcam uma textualidade: a dicotomia que se estabelece entre a polícia e a corrupção/tráfico e a relação entre a polícia e os fatos cotidianos.

 

“A pesquisa constitui uma observação do social e do político aventado no filme por meio do que a imagem produz e do sentido – historicamente construído – que a mesma ventila, isto é, do que o conjunto de imagens, em sua imbricação com a história e a língua, formula”, explica a professora.


Sobre a ministrante

Suzy Lagazzi é professora do Departamento de Lingüística do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas desde 1999 e Pesquisadora Associada do Laboratório de Estudos Urbanos (LABEURB) do NUDECRI da Universidade Estadual de Campinas desde 1998. Atua nas áreas de Análise do Discurso e História das Idéias Lingüísticas. No quadro da Análise do Discurso, seus trabalhos de pesquisa buscam compreender o funcionamento do político no social sob a forma da resistência do sujeito e da contradição, assim como a relação entre o político e o jurídico. Especificamente em documentários e filmes, tem como objetivo analisar, na imbricação de diferentes materialidades significantes, modos de formulação das relações sociais. No quadro da História das Idéias Lingüísticas, investiga o processo de institucionalização da Lingüística no Brasil, tendo como enfoque os diferentes modos de sua legitimação.


PPGCL


Artista catarinense é objeto de dissertação

 

(05/11/2014) Na última terça-feira, 4, a estudante Elaine Miguél Spindola defendeu sua dissertação intitulada "Santa Catarina nos versos e na sanfona: análise de canções de Pedro Raymundo em uma perspectiva nativista", na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul.

 

O trovador Pedro Raymundo

 

Segundo a mestranda, a dissertação desenvolve um estudo sobre canções do artista catarinense Pedro Raymundo, visando a compreendê-las enquanto canções nativistas e promovedoras de possíveis diálogos com outros textos e contextos.

 

"Pedro Raymundo pode ser definido como um trovador nativista de seu tempo", comenta Elaine.

 

Seis obras de Pedro Raymundo são analisadas na dissertação: Adeus Mariana, Gaúcho Alegre, Não Chores Morena, Saudade de Laguna, Luar catarinense e Sanfoninha, velha amiga.  A estudante ressalta que não analisa as canções apenas do ponto de vista linguístico, poético ou melódico, mas enquanto promovedora de diálogos.

 

"A pesquisa se destaca por sua proposta de investigação da representação de imaginários e contextos históricos-sociais humanos, possibilitando reflexões sobre a linguagem artística enquanto representação da vida", finaliza.

 

A estudante foi "aprovada", por banca composta por: Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (orientadora), Dra. Raquel Stela de Sá – UFSC (avaliadora), Dr. Maicon Tenfen – UFSC (avaliador) e Dra. Heloísa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (suplente).

 

Na foto principal um flagrante da apresentação da aluna, e abaixo uma foto da banca: da esquerda para direta Raquel, Jussara, Elaine, Heloísa e Maicon.

 

 

PPGCL


Mudanças na secretaria do PPGCL

(04/11/2014) O último dia 3, segunda-feira, marcou a chegada de Elaine Aparecida Correa Pereira ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem em Tubarão. Elaine auxiliará a coordenação nos trabalhos de gestão dos documentos, de atendimentos aos estudantes, de atualização do sítio do PPGCL e de tramitação da revista Linguagem em (Dis)curso.

Um novo ciclo se inicia

Elaine
ingressou na Unisul em 2012 no setor de secretaria de ensino  e foi transferida para o PPGCL neste mês de novembro.

“Estou muito feliz com este novo desafio”, afirma. 

Elaine
está substituindo a funcionária Suelen Francez Machado Luciano que atuava há anos no PPGCL e que saiu por ser contemplada pela bolsa do doutorado.


PPGCL


Simpósio discute obras de Giorgio Agamben

(31/10/2014) Nos dias 27 e 28 de outubro, o PPGCL, recebeu o professor Dr. Vinícius Nicastro Honesko, docente do departamento de História da Universidade Federal do Paraná (UFPR), para o Simpósio "A potência do pensamento: linguagem e política em Giorgio Agamben".

Nos dois dias de Simpósio, Honesko falou sobre as concepções de história, linguagem e política na obra deste que é considerado um dos maiores pensadores da atualidade. De forma didática e erudita, o professor explicou conceitos-chave do autor, como contemporâneo, dispositivo, experimentum linguae, vida nua, estado de exceção, biopolítica, comunidade que vem e potência.

O professor mostrou, ainda, como Agamben foi influenciado pelo pensamento e pelo cinema de Pier Paolo Pasolini e pela concepção de história e de tempo messiânico de Walter Benjamin, além de suas relações complexas com o pensamento de Hegel, Heidegger, Bataille, Foucault, Blanchot, Nancy e Derrida.

Grupo de estudos discute Agamben

O PPGCL possui um grupo de estudos que discute as obras do autor. O grupo reúne-se quinzenalmente, desde 2013, às segundas-feiras, das 18:00 às 19:00, na sala 112, bloco B, campus Pedra Branca.

Para o encerramento das atividades em 2014, o grupo de estudos terá encontro nos dias 10 e 24 de novembro, quando serão apresentados para debate artigos de membros do grupo que trabalhem o pensamento de Giorgio Agamben em suas pesquisas.

Planejado para dar seguimento em 2015, o grupo retomará o livro “Homo Sacer – o poder soberano e a vida nua”, uma leitura fundamental para a análise da contemporaneidade.

PPGCL


Ex-alunas do PPGCL apresentam trabalho em Portugal

(27/10/2014) As ex-alunas Alexandra Filomena Espindola e Flávia Walter do PPGCL participaram do Colóquio Internacional “A Peregrinação de Fernão Mendes Pinto e a perenidade da Literatura de Viagens” nos dias 9 e 10 de outubro, na Universidade de Algarve (Campus de Gambelas), em Faro, Lisboa.

 

O colóquio teve também o propósito de participar das Comemorações dos oito Séculos da Língua Portuguesa e dos 400 anos da publicação da Peregrinação de Fernão Mendes Pinto.

A literatura de viagem de Carlos Ríos


Flávia e Alexandra apresentaram um estudo sobre a literatura de viagem de Carlos Ríos, a escrita de suas narrativas, mostrando um pouco sobre como está sendo pensada a literatura de viagem do presente, que está unindo cada vez mais as artes plásticas com a literatura, a vida “real” com a “virtual”.

De acordo com o site do evento: “No ano em que se celebram os 400 anos da publicação da Peregrinação de Fernão Mendes Pinto (1614-2014), pretende-se não só revisitar esta obra ímpar da cultura e da literatura portuguesas como alargar o escopo da abordagem dos especialistas à chamada literatura de viagens, “género” perene e universal, cujo corpus se apresenta simultaneamente vasto e heteróclito” (https://sites.google.com/site/peregrinacaofernaompinto/home).

Pela Europa, as alunas ainda visitaram, além de Faro, o centro de Lisboa, Sevilla e Madri, numa viagem cultural importante na formação continuada de quem trabalha com a arte. “Visitar o Museu do Prado foi uma experiência enriquecedora”, explica Alexandra. Já Flávia relata que a arquitetura desses dois países é impressionante.


PPGCL


Professora Andréia Daltoé participa de evento na UFRGS

 

(15/10/2014) A Professora Andréia da Silva Daltoé participou na última quarta-feira, 14, do 1º Seminário nó na rede: interseções e transversões. O seminário foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

Diálogos sobre o discurso de Lula

 

“Diálogos sobre o discurso de Lula” foi o tema da mesa-redonda ministrada pela Profa. Dra. Andréia da Silva Daltoé, sob a Coordenação da Profa. Dra. Solange Mittmann.

A mesa foi composta pelas apresentações:

- O discurso de Lula (1978-1998): a cena de representação do sujeito enunciador - Profa. Dra. Ercília Ana Cazarin - PPG-Letras - UCPel;
- As Metáforas de Lula e o trabalho de resistência na/da língua de barro - Profa. Dra. Andréia Daltoé - PPG-Ciências da Linguagem - UNISUL;
- A projeção do Brasil como ator mundial através dos discursos de Lula - Profa. e Jornalista Liz Fere - CMTI - Univ. Paris VIII.

Nesta quarta-feira, 15, a professora Andréia também participa da banca de Qualificação de Doutorado da aluna Renata Adriana de Souza, com o trabalho intitulado "O enunciado liberdade de expressão em weblogs progressistas: produção e circulação de sentidos", também do Programa de Pós-graduação em Letras da UFRGS.

Conforme a Professora, "Estas oportunidades são extremamente importantes, pois possibilitam o conhecimento sobre as pesquisas da área que se realizam em diferentes lugares, bem como aproximam programas, permitindo as parcerias interinstitucionais".


PPGCL


Professoras Alessandra e Ramayana lançam livro

(15/10/2014) As professoras Alessandra Soares Brandão, Ramayana Lira, ambas do PPGCL, e Anelise Reich Corseuil (UFSC) lançaram o livro “Cinema, Globalização, Transculturalidade”, durante o XVIII Encontro da Socine, que aconteceu na UNIFOR, em Fortaleza, Ceará, entre os dias 07 e 10 de outubro.

“Cinema, globalização, transculturalidade”

Os artigos reunidos neste livro discutem as formas como os processos de globalização e seus corolários afetam as construções audiovisuais, sem deixar de reconhecer as forças singularizantes das imagens transculturais que essas obras engendram.

Os textos resultam de pesquisas e discussões realizadas no Seminário Temático “Cinema, Globalização, Transculturalidade”, que aconteceu durante os Encontros da SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual - entre os anos de 2008 e 2011 - tendo sido coordenado pelas professoras Ramayana Lira e Anelise Corseuil.

Mais um produto da Coleção Linguagens, série de publicações do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da UNISUL, o livro é o primeiro trabalho resultante de pesquisas de Seminários Temáticos da SOCINE a ser impresso.

Com o selo SOCINE, “Cinema, globalização, transculturalidade” foi publicado em parceria com as Editoras UNISUL e Nova Letra, e também será disponibilizado em formato e-book para consulta online através do site da SOCINE (www.socine.org.br).

PPGCL


Discentes do PPGCL também marcam presença no SOCINE

 

(15/10/2014) Além de nossos docentes, discentes do PPGCL marcam presença no XVIII Encontro SOCINE, realizado de 7 e 10 de outubro na UNIFOR, em Fortaleza, Ceará.

 

Doutorandos apresentaram suas pesquisas

O acadêmico Jean Zimmermann Houllou apresentou parte de sua tese de doutoramento no Seminário Temático “Televisão: formas audiovisuais de ficção e de documentário”. O trabalho intitulado "Mr. Spock: um novo significado para a fronteira" aborda a clássica narração de Star Trek, analisando o personagem Mr. Spock e o contexto político de produção do seriado, a Guerra Fria, e os possíveis questionamentos da cultura norte-americana.
 

Esse é o segundo ano em que Julio César da Luz, doutorando do PPGCL, participa do evento. Na primeira oportunidade, quando a UNISUL sediou o evento em 2013, na Unidade Pedra Branca, Julio apresentou parte de sua pesquisa de mestrado ainda em fase de qualificação. Esse ano, já em seu primeiro ano de doutorado, apresentou a leitura das duas obras audiovisuais sobre as quais discorreu em sua dissertação - O Homem que Virou Suco (1979) e em Morte e Vida Severina (1981) - a partir do recorte do 'rosto severino', compondo mesa sobre o rosto e a fotogenia no cinema.

 

Para a orientadora, a Profa. Alessandra Brandão, foi excelente oportunidade de ver a pesquisa já consolidada e amadurecida ser tão bem acolhida pelos colegas presentes. A professora reforça o papel importantíssimo da SOCINE em sua própria formação, quando a participação anual nos Encontros da entidade garantiram espaço de interlocução valiosa para suas pesquisas desde mesmo o mestrado.

 

Na foto principal Júlio César apresentando seu trabalho, e logo abaixo Jean com sua orientadora Profa. Dra. Dilma.

 

 

PPGCL


Docentes do PPGCL participaram do XVIII Encontro SOCINE

(15/10/2014) Professoras do Pós-graduação em Ciências da Linguagem participaram do XVIII Encontro SOCINE, realizado de 7 e 10 de outubro na UNIFOR, em Fortaleza (CE).

Professoras coordenaram mesas

A Profa. Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano coordenou a mesa intitulada “Leituras estéticas e políticas da teledramaturgia”, composta pelos professores Maurício Reinaldo Gonçalves e Nanci Barbosa. Os pesquisadores apresentaram leituras políticas das narrativas audiovisuais do campo televisivo, apontando possibilidades estéticas ali identificadas.

As professoras Dra. Ramayana Lira e Dra. Alessandra Brandão apresentaram pesquisas sobre a relação entre música e cinema na Mesa pré-constituída intitulada "Musicalidades no cinema brasileiro". Segundo elas, as versões anteriores desses trabalhos foram apresentadas em agosto deste ano no Encontro da BRASA (Brazilian Studies Association), em Londres, quando contaram com a participação de dois outros colegas brasileiros, Rodrigo Carreiro (UFPE) e Erly Vieira ((UFES).

 

Para a professora Dra. Ramayana, a mesa buscou "ressaltar especificidades da relação som/imagem que caracterizam o cinema brasileiro tanto de ficção quanto o documentário, investindo em análises estéticas e históricas" e rendeu excelente debate ao final da sessão.

 

Na foto principal a Profa. Dra. Dilma em sua mesa, e abaixo as Professoras Ramayana e Alessandra.

 



PPGCL


Professor Antonio Santos ministra curso na UFRGS


(14/10/2014) O Professor Antonio Carlos Gonçalves dos Santos ministrou o curso intitulado “As voltas da narrativa: Mario Bellatin, Carlos Ríos e Cesar Aira”, nos dias 7, 8 e 9 de outubro no VI Colóquio Internacional Sul de Literatura Comparada realizado na UFRGS.

Análise das narrativas de Mario Bellatin, Carlos Ríos e Cesar Aira

Segundo o Professor, o objetivo do curso foi analisar algumas narrativas breves desses autores para observar como se armam os relatos e o que eles propõem. Foram elas: "Un episodio en la vida del pintor viajero" e "El criminal y el dibujante”, de Aira; "Manigua" e "El artista sanitário", de Carlos Ríos, e "Flores" e "Lecciones para una liebre muerta", de Bellatin.

“Se as vanguardas trataram, por um lado, de desfazer os modos narrativos armados pelo romance realista do século XIX, o que se pode observar em alguns autores latinoamericanos, como é o caso de Bellatin, de Ríos e de Aira, é uma volta à narrativa. Esse retorno do relato, no entanto, não significa um esquecimento das operações das vanguardas do século XX e sim um retorno diferido”, explica o Professor.

“Cada um deles elabora procedimentos singulares que exigem um leitor não inocente diante de textos que embaralham as fronteiras entre autor e narrador, que terminam de maneira abrupta configurando o que alguns críticos chamaram de "abandono" ou o que Sandra Contreras chama, no caso de Aira, de "uma urgência de chegar ao fim", e que operam com restos do real catados na internet”, completa.

PPGCL


Sambaqui Cabeçuda 01 é objeto de Dissertação

 

(09/10/2014) Na tarde desta quinta-feira, 9, na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul, a estudante Bruna Cataneo Zamparetti defendeu sua dissertação intitulada "Sambaqui Cabeçuda 01 Um território resiliente".

 

(Re)significação e Resiliência

 

De acordo com a pesquisa da mestranda o Sambaqui Cabeçuda 01, situado no município de Laguna/SC, tem sofrido todo tipo de interferência ao longo do tempo, a começar por grupos ceramistas Jê, migrantes do centro-oeste brasileiro, passando pelos grupos ceramistas Tupi, migrantes da Amazônia, depois com a vinda dos europeus, no século XVI, o sambaqui foi muito utilizado nas construções de estruturas urbanas, e a partir do século XX, seu uso foi ampliado para aterros de estradas de ferro e de rodagem.

 

"Devido a sua magnitude sempre chamou atenção, e por isso, diversos pesquisadores brasileiros e estrangeiros realizaram investigações interferindo na estrutura do sítio", explica a estudante.

 

"Todas essas ações de alguma maneira, são responsáveis pela alteração do sambaqui, sendo (re)significado, pelos diversos grupos que dele se apropriou", complementa.

 

Diante disso, Bruna questiona como ocorreram esses processos de (re)significação e resiliência pelos quais passaram o sítio arqueológico Sambaqui Cabeçuda 01 no município de Laguna/SC da década 30 do século XX até os dias de hoje, tendo como objetivo compreender como os diversos grupos humanos que atuaram e atuam sobre o sítio arqueológico, provocaram sua "resiliência".

 

A estudante foi "aprovada", por banca composta por: Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias– UNISUL (orientadora), Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (avaliadora) e Dr. Francisco Antonio Pereira Fialho – UFSC (avaliador).

 

Na foto principal um flagrante da apresenção da aluna, e abaixo uma foto da banca: da esquerda para direta Heloísa, Deisi e Francisco.

 

 

PPGCL


Linguagem verbal e linguagem imagética são temas de Tese


(03/10/2014) A doutoranda Cristiane Gonçalves Dagostim defendeu nesta quinta-feira, 2, sua Tese intitulada “Linguagem verbal e linguagem imagética: funcionamento e efeitos de sentido em práticas de alfabetização e letramento”. A defesa foi realizada as 14 horas, na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul.


Turmas de escola municipal e estadual são observadas


Segundo a doutoranda a pesquisa está vinculada ao projeto Alfabetização com letramento: a formação inicial e continuada e trabalho docente nas escolas da rede pública da região sul de Santa Catarina, do Observatório da Educação, financiado pela CAPES/INEP.


“Caracteriza-se como um estudo de caso desenvolvido em duas turmas de 3º ano do ensino fundamental da região da AMUREL – SC, sendo uma turma da escola estadual e outra da escola municipal. O trabalho teve como propósito verificar se ocorre a inserção da linguagem verbal imagética e/ou apenas imagética nas práticas discursivas que levem ao desenvolvimento da oralidade e da escrita no processo de alfabetização e letramento”, explica a estudante.


“A pesquisa teve como pressupostos teóricos a Teoria Sócio-Histórica do Letramento, conceitos relevantes da teoria da Análise de Discurso de linha francesa e também conceitos da psicanálise (Lacan)”, conta Cristiane.


“Os resultados deste estudo evidenciaram que a alfabetização e letramento são – na prática pedagógica – tratados como processos distintos e dissociáveis; prevalece o aprendizado da leitura e da escrita por meio da codificação, decodificação e da metalinguagem; o letramento imagético não se efetiva na escola; os gêneros discursivos não são tratados como discurso; as atividades de leitura se mantêm na paráfrase; a interlocução professor-aluno ocorre na esfera do discurso pedagógico do tipo autoritário; as concepções teóricas dos documentos que regem a educação (PCSC e PCNs) estão distantes das práticas de sala de aula”, finaliza.


A tese da estudante foi avaliada, e aprovada, por banca formada pelas professoras Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora), Dra. Leonete Schmidt - UNISUL (coorientadora), Dra. Nívea Rohling – UTFP (avaliadora), Dra. Maria Aparecida Lapa de Aguiar – UFSC (avaliadora) e Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (avaliadora) e Dra. Tânia Mara Cruz – UNISUL (avaliadora).


Na foto principal um flagrante da apresentação da doutoranda. Logo abaixo, uma foto do grande público que compareceu para prestigiá-la e ao lado a estudante posa com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Tânia, Dra. Nívea, Dra. Andréia, Cristiane, Dra. Leonete, Dra. Maria Aparecida e Dra. Maria Marta.
 

 

 

PPGCL


Nívea Rohling ministra Conferência no PPGCL


(03/10/2014) Nesta última quinta-feira, 2, a Profa. Dra. Nívea Rohling da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, ministrou a Conferência intitulada “A pesquisa qualitativa e a análise dialógica do discurso: caminhos possíveis”. A Conferência ocorreu às 13 horas e 30 minutos, na Sala de Treinamento, Bloco A, do Campus Sul da Unisul.


O Percurso da conversa...


O objetivo da Conferência, segundo Nívea, foi o de problematizar e refletir sobre a contribuição da arquitetônica bakhtiniana para a investigação qualitativa de cunho interpretativista, bem como caminhos possíveis para tal empreitada de pesquisa.


“Discutir a possibilidade de aproximação entre pesquisa qualitativa e teoria/análise dialógica do discurso, tão como apresentar aspectos como a posição do pesquisador; a geração de dados e parâmetros de análise a partir da minha experiência de pesquisa”, explica a Professora.


A Doutora proporcionou na tarde de ontem reflexões sobre a pesquisa qualitativa, a relacionando com a pesquisa qualitativa interpretativista e a teoria/análise dialógica do discurso.

Sobre a ministrante

Nívera Rohling é Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012); mestre em Linguística (UFSC, 2007) e graduada em Letras pela Universidade da Região de Joinville (2003). Atualmente desenvolve atividades de pesquisa e extensão em temas como: Ensino/Aprendizagem da Linguagem; Estudos Bakhtinianos; Gêneros do Discurso; Formação de Professores e Estudos do letramento. Coordenadora do PIBID de Língua Portuguesa na UTFPR. É líder do Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada (GRUPLA), vinculado ao Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão. É professora Adjunta I da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Curitiba/PR.


PPGCL


Encerra-se a disciplina concentrada no PPGCL


(30/09/2014) A Professora Dra. Maria Isabel Rodrigues Orofino da ESPM/SP esteve no campus Tubarão a convite do PPGCL ministrando a disciplina “Comunicação, consumo, mediações”, entre os dias 22 e 26 de setembro.


Um pouco da semana


Os pesquisadores do programa que participaram da disciplina concentrada tiveram a oportunidade de estudar e refletir sobre os estudos culturais e as teorias latino-americanas das mediações. Temas relacionados ao consumo como linguagem, o consumo cultural para crianças, a metodologia da pesquisa em comunicação, as linguagens híbridas e a Educomunicação foram debatidos ao longo da semana.


A experiência com a professora reforçou a importância do intercâmbio entre grupos de pesquisas interinstitucionais como forma de compartilhamento de conhecimento.


“A disciplina não só está sendo uma ótima oportunidade para obtermos um novo olhar sob a comunicação, mas também para aprimorarmos nosso objeto de pesquisa”, comenta Edla, doutoranda do PPGCL.

 

Na foto principal a Professora em sala de aula. Logo abaixo, uma foto com a Profa. Silvânia, do PPGCL, que a acompanhou em toda semana e ao lado uma foto com a turma.

 


PPGCL


Discentes e Docentes do PPGCL participam de evento na UNESC


(24/09/2014) Professores e estudantes do Ciências da Linguagem participaram do Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação: Perspectivas Contemporâneas realizado de 10 a 13 de setembro de 2014 na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), em Criciúma (SC).

 

Professores do PPGL coordenaram GTs

 

O evento contou com a presença do Professor Dr. Jorge María Larrosa Bondía, da Universidade de Barcelona (Espanha), como convidado para proferir a conferência de abertura. Seu tema foi Sobre el estudio.


Na noite do dia 12, mesa-redonda teve a participação da Dra. Helena Costa Lopes de Freitas e do Dr. Helder Eterno da Silveira, vinculados ao setor de Formação de Professores da Educação Básica da CAPES, tendo como mediador o Dr. Gildo Volpato, Reitor da UNESC.


Nossos professores coordenaram os seguintes GTs, em que estudantes e colegas apresentaram comunicações:

Deisi – Identidade e multiculturalismo;
Heloisa – Mídia e cultura: perspectivas sobre o imaginário social;
Andréia, em parceria com Carlos Arcângelo Schlickmann (UNESC) – Educação e formação de professores (grupo PARFOR);
Maria Marta, em parceria com Nelita Bortolotto (UFSC) – Educação e linguagens: abordagens textuais/discursivas e multissemióticas.

Na foto, um grupo de participantes do GT coordenado por Maria Marta e Nelita.

 

PPGCL


Professora Nádia ministra oficina no encontro do Arte na Escola

(22/09/2014) A professora Nádia Neckel ministrou oficina no I Seminário Ensino da Arte na Contemporaneidade, no último dia 20 de setembro, na Universidade do Contestado (UnC), campus Canoinhas.

O I Seminário Ensino da Arte na Contemporaneidade é fruto do Programa Institucional de Extensão Arte na Escola da UnC, cujo objetivo central é propor um espaço de reflexão sobre metodologias contemporâneas do Ensino da Arte na qual o docente seja sujeito do seu próprio processo na construção de conhecimentos e saberes.

Imagens fílmicas: proposições de leitura de imagens na perspectiva discursiva

No evento, a professora Nádia ministrou a oficina “Imagens fílmicas: proposições de leitura de imagens na perspectiva discursiva”. “O objetivo da oficina foi compreender o conceito de Discurso em sua constitutividade teórica relacionando a abordagem discursiva com propostas contemporâneas do Ensino da Arte. Utilizei leitura e interpretação de produções artísticas/ fílmicas em suas imbricações materiais”, explica a docente do PPGCL.

O Instituto Arte na Escola

O Instituto Arte na Escola é uma associação civil sem fins lucrativos que, desde 1989, qualifica, incentiva e reconhece o ensino da arte, por meio da formação continuada de professores da Educação Básica. Tem como premissa que a Arte, enquanto objeto do saber, desenvolve nos alunos habilidades perceptivas, capacidade reflexiva e incentiva a formação de uma consciência crítica, não se limitando a auto-expressão e à criatividade.

O Instituto promove ações para a formação continuada dos professores da Educação Básica por meio de Polos em Universidades que formam a Rede Arte na Escola, de parcerias e de projetos aprovados em Leis de Incentivo.

PPGCL


Professoras do PPGCL ministram Colóquio em Joinville

(17/09/2014) As professoras Nádia Neckel, Giovanna Flores e Solange Gallo participaram do V CLIC - V Colóquio das Licenciaturas, na noite da última terça-feira (16) em Joinville.

Análise do discurso em ambientes de aprendizagem

No evento, as professoras Nádia, Giovanna e Solange ministraram a Colóquio “Análise do discurso em ambientes de aprendizagem”, com a mediação da professora Nadja de Carvalho Lamas. O enfoque do Colóquio foram as formas do discurso pedagógico: o autoritário, o lúdico e o polêmico.

Durante a palestra, as professoras exibiram o filme argentino: “La educación prohibida”. Após a exibição do filme, abriu-se debate, que contou com participação expressiva da plateia.

Dessa forma, de acordo com as professoras, buscou-se construir um instigante espaço de interlocução que possibilitou a reflexão sobre o discurso em ambientes de aprendizagem.

As consequências das políticas nos anos 60 e 70 e seus reflexos na educação

O evento V Colóquio das Licenciaturas foi realizado de 15 a 17 de setembro na Univille e teve como tema “As consequências das políticas nos anos 60 e 70 e seus reflexos na educação".

PPGCL


Diversidade na educação é debatido no Semeia

 

(12/09/2014) A professora Doutora da Udesc, Geovana Mendonça Lunardi Mendes abriu com palestra o 4ª Seminário de Educação Inclusiva e Acessibilidade (Semeia), na noite desta segunda-feira, 8, no Espaço Integrado de Artes da Unisul, em Tubarão.

 

Práticas curriculares voltadas à inclusão de sujeitos com deficiência


Para a doutora Geovana, com as principais modificações das últimas décadas, a produção científica e os debates políticos têm gerado a constatação que é um direito dos sujeitos considerados deficientes o acesso a uma educação escolar de qualidade.“Nessa afirmação explicita-se a compreensão de que mais do que ocupar, participar e integrar os espaços escolares regulares comuns a todas as crianças é preciso desenvolver apoios, serviços e metodologias especializadas objetivando favorecer o acesso também ao conhecimento escolar difundido na escola”.

Segundo a coordenadora do curso de Educação Especial/Parfor da Unisul, professora doutora Mariléia Mendes Goulart, o evento nasceu a partir de pesquisas realizadas pelos alunos do curso de Educação Especial e Pedagogia, por meio, de projetos integradores e TCC,s. “Identificamos as necessidades, dificuldades e também os avanços em relação a educação especial”. Para ela, este encontro tem o objetivo de propiciar discussão e reflexão sobre os novos modos de ver e fazer educação.

O diretor de Educação da SDR, Pedro de Souza, parabenizou a Universidade e os organizadores do evento pela iniciativa de estarem investindo em um tema que é tão debatido pela população. “A educação inclusiva e acessibilidade são palavras que estão sendo faladas no nosso dia a dia. Mas é preciso muito mais do que isso, precisamos ter realmente uma escola inclusiva. Temos que caminhar e investir muito em inclusão”.

O evento foi organizado pelos cursos de Licenciatura em Educação Especial/Parfor e, Pedagogia da Unidade Acadêmica de Ciências da Educação, Humanidades e Artes, integrado também com os demais cursos de Licenciatura, Programa de formação de iniciação à docência (Pibid) e parceira interinstitucional com a Gerência da Educação – 20ª Gered/SDR.


UnisulHoje (adaptado)


Disciplina Concentrada é oferecida em Tubarão

 

(11/09/2014) A professora Doutora Maria Isabel Orofino, da Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, ministrará uma disciplina concentrada intitulada “Comunicação, consumo, mediações”, nos dias 22 a 26 de setembro no campus Tubarão.

 

Mais sobre a palestrante

Maria Isabel é Pós-Doutoranda do Programa de Investigación en Ciencias Sociales, Niñez y Juventud da Red CLACSO de Posgrados, Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo com pesquisa complementar (Bolsa CNPq) na London School of Economics and Political Sciences (LSE), Inglaterra (Londres). Mestre em Educação pela UFSC e Bacharel em Comunicação Social: Jornalismo também pela UFSC. Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing - PPGCOM-ESPM/SP onde atua na linha de investigação: Processos de recepção e contextos sócio-culturais articulados ao consumo. É pesquisadora do Grupo ATOS - Comunicação e Consumo: Estudos de Recepção e Ética no qual coordena a Linha: Comunicação, Consumo e Infâncias. É colaboradora da Rede OBITEL - Observatorio Iberoamericano da Ficção Televisiva (CETVN/USP) do Grupo de Pesquisa Imagens, metrópoles e culturas juvenis (PUC-SP).


O curso

A atividade propõe um debate sobre temas contemporâneos em comunicação e linguagem em uma perspectiva interdisciplinar na qual serão articulados alguns temas geradores como: consumo, cotidiano, televisão, educação, infâncias. As principais referências teóricas ancoram-se nos estudos culturais, teorias da estruturação e teorias latinoamericanas das mediações. No nível metodológico serão debatidos: (a) abordagens qualitativas e etnográficas para os estudos de recepção e (b) aportes do materialismo cultural e da leitura das políticas de representação e significação em textos midiáticos.

Cronograma dos encontros:


22/09 – A pesquisa em comunicação no Brasil. Comunicação e linguagem. Televisão e linguagem. Estudos de recepção. Estudos culturais. Teorias das mediações na América Latina. Metodologia da pesquisa em comunicação.


23/09 – O debate sobre o consumo. Consumo cultural. Consumo de materialidades. Consumo como linguagem.
Identidades e diferenças. Consumo e cotidiano. Usos e apropriações. Reflexividade social. Novos modos de consumir.

 

24/09 – Estudos de televisão. Televisão como forma cultural. Linguagens híbridas em texto, imagem e som. A pesquisa de telenovela no Brasil. Telenovelas, minisséries, seriados brasileiros. Produção, linguagem, recepção. A experiência de pesquisa junto a Rede Obitel- Observatório Ibero-Americano da Teleficção.


25/09 – A pesquisa de recepção com crianças. Crianças, comunicação e consumo. Produção cultural para crianças. Produção cultural com crianças. Comunicação, consumo e educação. O debate sobre a publicidade para crianças. A experiência de pesquisa junto a Rede InJu – Rede de Infâncias e Juventudes – Clacso – América Latina.


26/09 - Educomunicação: a emergência de um novo campo. A trajetória do campo da comunicação e educação no Brasil. Mídia e arte-educação na escola. A escola como espaço de produção cultural. Democratização, participação e as novas redes sociais.

 

A inscrição é gratuita! Mais informações acesse aqui.


PPGCL


Aula especial é ministrada em Pedra Branca

(10/09/2014) No dia 5 de setembro, o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e o Curso de Cinema e Audiovisual da Unisul receberam a Dra. Flávia Cera, pós-doutoranda em Literatura pela UFSC e psicanalista, para uma aula especial.

A aula especial, intitulada “O que a realidade tem de real?”, foi parte das atividades da disciplina "Políticas do Documentário" e uma ótima oportunidade de integração entre graduandos de cinema e mestrandos e doutorandos do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem.

Exibição e debate sobre o filme Jogo de Cena (2007)

A partir da exibição do filme “Jogo de Cena”, de Eduardo Coutinho, Flávia Cera debateu com os alunos sobre as diferenças entre os conceitos de Real e realidade. Segundo ela, uma vez que, conforme a lição de Freud, a realidade psíquica é mais decisiva do que a realidade material, a realidade não pode ser apreendida objetivamente.

Neste sentido, a verdade do sujeito não estaria no que lhe aconteceu de fato, mas na maneira como ele conta isso, na posição que esse acontecimento tem na trama de sua vida. É essa realidade subjetiva que Coutinho evidencia na ambiguidade entre depoimento e atuação, documentário e ficção.

"A fantasia, que costumamos pensar como o avesso da realidade, é justamente, na psicanálise, a realidade de um sujeito. A fantasia opera aí como uma tela através da qual ele vê o mundo. Não será por acaso, então, que a tela do cinema será um instrumento tão poderoso de afetos. De criação de afetos", afirma Cera, lembrando, no entanto, que um mesmo filme não toca seus espectadores da mesma maneira.

"Alguma cena, alguma fala, toca um e não toca outro, e assim vai se formando a cinemateca de uma vida. Isso nos torna singulares, embora seja com isso que vivemos, que conversamos, que nos relacionamos. (...) O que toca aí é um ponto de entrelaçamento, de amarração entre o mundo e eu", complementa.

PPGCL


Cinema é bem avaliado pelo Guia do Estudante

 

(09/09/2014) O curso de Cinema e Audiovisual foi estrelado na avaliação de cursos superiores realizada pelo Guia do Estudante (GE). A avaliação constará da publicação GE Profissões Vestibular 2015, que passa a circular nas bancas a partir do dia 10 de outubro de 2014.

Cinema e Audiovisual da Unisul é o segundo melhor do Brasil

 

O curso de Cinema e Audiovisual da Unisul é considerado o segundo melhor do Brasil na avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Um dos diferenciais do curso é contar com professores experientes e atuantes na área cinematográfica. Como resultado, muitos dos filmes realizados pelos alunos circulam em festivais nacionais e internacionais.

O novo currículo acompanha as políticas de fomento, gerando mais produção acadêmica, distribuição e exibição de obras audiovisuais. Tais políticas públicas evidenciam o caráter estratégico do cinema e do audiovisual como forma de desenvolvimento social, econômico e cultural.

Mais informações no site do curso de Cinema e Audiovisual ou no Blog do curso.

 

UnisulHoje (adaptado)


Encerraram-se as Qualificações de Projetos de Dissertação

 

(05/09/2014) Encerraram-se as Qualificações de Projetos de Dissertação com a apresentação de treze trabalhos, na última quinta (4) e sexta (5), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Dando continuidade as pesquisas

Após a aprovação do projeto de dissertação, os estudantes estão habilitados a dar continuidade as suas pesquisas.

“A Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação é um evento realizado anualmente com o intuito de promover um espaço onde os alunos expõem as pesquisas em desenvolvimento”, comenta Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL. “Nesse ano foram apresentados cinco trabalhos no campus da Pedra Branca e treze trabalhos no campus de Tubarão”, complementa.

Veja os trabalhos apresentados e aprovados no evento:

 

Ketilin Keli da Silva
“Cultura, identidade e patrimônio material e imaterial e sua inserção na cultura escolar do Ensino Médio Inovador da rede pública de Laguna - SC”
Banca:
Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias (orientadora)
Dra. Jussara Bittencourt de Sá
Dra. Heloisa Juncklaus Preis
Luana Alves
“Novos tempos novas perspectivas: a relação possível entre cultura escolar e currículo no ensino médio inovador, caso da Escola de Ensino Médio Eng. Annes Gualberto, no município de Imbituba”
Banca:
Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias (orientadora)
Dra. Jussara Bittencourt de Sá
Dra. Heloisa Juncklaus Preis
Luiza Liene Bressan
“Operários de primeira hora: um estudo sobre o imaginário na corrente imigratória italiana no sul de Santa Catarina a partir da obra homônima de Valdemar Muraro Mazzurana”
Banca:
Dra. Heloisa Juncklaus Preis (orientadora)
Dra. Jussara Bittencourt de Sá
Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias
Karina Silva Rosa
“Vozes veladas, veludosas vozes femininas: análise da obra Noturno, 1894”
Banca:
Dra. Jussara Bittencourt de Sá (orientadora)
Dra. Heloisa Juncklaus Preis
Dra. Silvânia Siebert
Jackson Gil Avila
“Made in Brazil 1970: estudo sobre as identidades e migrações da música brasileira”
Banca:
Dra. Jussara Bittencourt de Sá (orientadora)
Dra. Heloisa Juncklaus Preis
Dra. Silvânia Siebert
Manuela Camila da Silva
“Análise ostensivo-inferencial de questões da edição 2013 do exame nacional do ensino médio”
Banca:
Dr. Fábio José Rauen (orientador)
Dra. Silvânia Siebert
Dra. Maria Marta Furlanetto
Daniela Gabriel Bittencourt
“A histeria e o feminino: laços entre o corpo, a linguagem e o gozo”
Banca:
Dr. Maurício Eugênio Maliska (orientador)
Dr. Antônio Carlos Gonçalves dos Santos
Dr. Carlos Augusto Monguilhott Remor (UFSC)
Camila Borges dos Anjos
“Movimentos de autoria nas aulas de língua inglesa: materialidade do/no discurso”
Banca:
Dra. Andréia da Silva Daltoé (orientadora)
Dra. Silvânia Siebert
Dra. Maria Marta Furlanetto
João Antolino Monteiro
“O discurso da economia solidária no interior do capitalismo: entre a contradição e a resistência”
Banca:
Dra. Andréia da Silva Daltoé (orientadora)
Dr. Fábio José Rauen
Dra. Maria Marta Furlanetto
Michele Maria Pacheco Foggiatto Puel
"O diálogo na prática pedagógica: as formas do discurso pedagógico”
Banca:
Dra. Silvânia Siebert (orientadora)
Dra. Andréia da Silva Daltoé
Dra. Maria Marta Furlanetto
Jozimar Pelegrini
"Transversalidade, moda e gênero: atravessamentos possíveis na Candy" Magazine”
Banca:
Dra. Ramayana Lira de Sousa (orientadora)
Dra. Alessandra Soares Brandão
Dra. Ana Carolina Cernicchiaro
Juliano Guimarães Felizardo
"Experiência do (não) pertenciamento QUEER na cultura pop contemporânea"
Banca:
Dra. Ramayana Lira de Sousa (orientadora)
Dra. Alessandra Soares Brandão
Dra. Ana Carolina Cernicchiaro
Lilian Daros Pescador
“A mise-en-scène do cinema moderno dos anos 60 e sua relação com a vitrine e o ensaio fotográfico de moda”
Banca:
Dra. Alessandra Soares Brandão (orientadora)
Dra. Ramayana Lira de Sousa
Dra. Nádia Régia Maffi Neckel

 

PPGCL


Professor do PPGCL organiza evento da Maiêutica Florianópolis

 

(04/09/2014) O Professor Maurício Eugênio Maliska do PPGCL, que também é integrante e presidente da Maiêutica Florianópolis (Intistuição Psicanalítica), convida a todos para participarem das Jornadas 30 Anos que ocorrerão nos dias 26 e 27 de setembro no Hotel Majestisc em Florianópolis.

 

A Jornada

 

O tema da jornada é "O real da clínica: neurose, psicose, pervesão", que a partir de Lacan (1973), no texto "A terceira", será colocado em debate "que real é esse que está tão presente na prática psicanalítica?"

 

"As Jornadas da Maiêutica desse ano são comemorativas dos 30 anos de sua fundação", explica o Prof. Maliska.

 

O evento propõe dois painéis, um discutindo sintomas contemporâneos e o apagamento do sujeito, e outro, a inibição e a angústia na atualidade. Há ainda uma mesa discutindo o autismo e a psicose, outra a perversão e o seu real na clínica além de uma mesa sobre o gozo e o real na clínica, e mais duas conferências. Os organizadores pretendem fazer uma apresentação clínica, ou seja, trata-se da apresentação de um caso, seguida de comentários e escutas sobre o mesmo. É a primeira vez que a instituição utiliza desse dispositivo de exercício analítico em jornadas abertas.

 

A Jornada ainda conta com a participação de convidados nacionais e estrangeiros, colegas de Convergencia. Ainda haverá a apresentação de um documentário narrando e ilustrando um pouco do percurso da Maiêutica.

 

Para mais informações clique aqui.

 

PPGCL


Semeia irá abordar temas da Educação Especial

 

(03/09/2014) O Seminário de Educação Inclusiva e Acessibilidade (Semeia), acontece nos dias 8, 9 e 10 de setembro, em Tubarão. O evento, que será realizado no Salão Nobre da Unisul, visa reunir profissionais, estudantes e pesquisadores para discutir e semear experiências e conhecimentos voltados ao fortalecimento da educação inclusiva na região.

 

Mais Informações

 

Entre os assuntos abordados no Semeia, estão “Diversidade e deficiências”, “Formação de profissionais para educação especial”, “Políticas públicas na educação especial”, “Políticas inclusivas na educação básica” e “Tecnologia assistiva e acessibilidade”. Estão previstas na programação do evento palestras, debates e oficinas acerca dos temas.

 

Para professores, alunos e profissionais da saúde que desejam participar, o investimento é de R$20,00. A inscrição deve ser feita através do Portal Unisul até o dia 5/9.

 

Veja a programação completa aqui.

 

Mais informações no telefone (48) 3621-3068.

 

UnisulHoje (adaptado)


Revista Memorare está com nova edição

 

(03/09/2014) O Grupep - Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia da Unisul divulga a nova edição da Revista Memorare. O nome dado à revista traduz exatamente o objetivo dos seus criadores.

 

Passado e presente

 

Os editores afirmam que o nome escolhido para a revista caracteriza o grupo de pesquisa. “A obra envolve a reconstituição do passado através da cultura material, que são as pistas deixadas pelos nossos ancestrais, suas lembranças, por isso o nome Memorare, lembra o passado e constrói um presente melhor”, explica a Profa. Deisi Scunderlick Eloy de Farias.

 

A publicação, que traz em suas páginas o dossiê “Identidade e Memória”, é aberta a colaboradores do Brasil e do exterior interessados em propostas vinculadas às temáticas de preservação, valorização e difusão do patrimônio cultural material e imaterial. Entre os temas discutidos, em conjunto ou através de dossiês, estão: Arqueologia Pré-histórica, Arqueologia Histórica, Arqueologia subaquática, Educação Patrimonial, Geoprocessamento, Gestão do Patrimônio Cultural, Memória, Identidade, Conservação e Restauro.

 

Neste viés, a revista compreende que a história da humanidade não pode ser tomada como um simples relato dos acontecimentos, pois há diferentes formas de representação que vêm pela identidade e memória, sejam elas sociais, institucionais ou culturais. O seu conteúdo se inscreve como um alicerce social e cultural de disseminação e reconhecimento da identidade de lugares, pessoas e povos, por meio de estudos dedicados a um reconhecimento da história, situado no tempo e no espaço.

 

Ainda nesse semestre, a revista lançará outros dois números, sobre o mesmo tema. Cada número da revista contará com artigos, que apresentam estudos sobre a relação entre História e Memória em diferentes perspectivas teóricas.

 

Interessados podem conferir o conteúdo da revista no Portal Unisul Periódicos: Revista Memorare.

 

UnisulHoje (adaptado)


Estudantes da Pedra Branca qualificam projetos de dissertação

(02/09/2014) Cinco projetos de dissertação foram apresentados nesta última terça (2), no Campus Pedra Branca da Unisul.

Estudantes da turma 2013 apresentam suas pesquisas

Os trabalhos apresentados representam as pesquisas em andamento dos estudantes da turma 2013 do Campus da Pedra Branca do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem.

“Na semana de qualificação de projetos de dissertação cada estudante tem 20 minutos para apresentação oral do projeto, seguido de arguição da comissão de qualificação”, comenta a professora Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, coordenadora adjunta do Programa.

“A qualificação de projetos de dissertação é uma etapa muito importante na formação dos futuros mestres em Ciências da Linguagem, pois é nela que o estudante declara seus propósitos e define as fronteiras de conhecimento que pretende pesquisar”, finaliza.

Veja a lista dos projetos apresentados:

 

Anderson Barcelos dos Santos
“O chargista na figura de porta-voz: o trabalho criativo em atribuir
posições-sujeito”
Banca:
Dra. Giovanna Benedetto Flores (orientadora)
Dra. Nádia Régia Maffi Neckel
Dra. Solange Maria Leda Gallo

Carolina Mattos Vaz
“O fim da canção como sintoma das mudanças na música popular brasileira”
Banca:
Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos (orientador)
Dra. Nádia Régia Maffi Neckel
Dra. Ana Carolina Cernicchiaro

Vanessa de Souza Corrêa Husein
“A construção da imagem da “Noiva de Garibaldi”:
um fantasma da história na literatura”
Banca:
Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos (orientador)
Dra. Ana Carolina Cernicchiaro
Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano

Camila Giusti Tisott
“O nu e o vestido: o corpo na imagem fotográfica de moda”
Banca:
Dr. Aldo Litaiff (orientador)
Dra. Nádia Régia Maffi Neckel
Dr. Fernando Simão Vugman

Vinicius Marques Batista
“‘The Walking Dead’ e as metáforas do mal-estar americano”
Banca:
Dr. Fernando Simão Vugman (orientador)
Dra. Ana Carolina Cernicchiaro
Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano


PPGCL


Novo Grupo de Pesquisa integra o PPGCL

(02/09/2014) Estudantes e professores do PPGCL criaram novo grupo de pesquisa: Linguagem, Cultura e Mito. O grupo conta com estudos sobre mito e metáfora, em reuniões às manhãs de terças-feiras na Pedra Branca.

O grupo

 

A decisão de criar um Grupo de Pesquisa visou, em primeiro lugar, oferecer uma oportunidade para aumentar a produtividade dos alunos nas horas em que devem estar no Programa. Segundo o Prof. Aldo Litaiff, líder do grupo juntamente com o Prof. Fernando Vugman, “A permanência dos alunos durante o período de atividade do PPGCL passa necessariamente pela programação de atividades, como as reuniões de grupos de pesquisa, pautadas, por exemplo, pela leitura e discussão de textos ligados à identidade do grupo e, consequentemente, às pesquisas e temas de interesse de cada discente”.

O estudo debate e permite reflexões sobre o mito, a metáfora e suas relações, sem qualquer compromisso com um autor ou teoria específicos, permitindo uma gama de abordagens sobre o tema.

 

"Entendo o sentido de troca como algo vital para o crescimento e desenvolvimento de todo e qualquer aluno de Pós-Graduação. O grupo de pesquisa nos permite olhar de diversos lugares distintos o mesmo assunto e trocar pareceres, bem como auxiliar uns aos outros nos trabalhos em desenvolvimento. O resultado dessas contribuições, com certeza, aparecerá na qualidade dos trabalhos", relata a mestranda e integrante do grupo Camila Giusti.

"O estudo sobre metáfora ocupa um lugar importante nas reflexões da minha pesquisa de tese, pois suas conexões junto às questões de jogo (um dos pontos fundamentais para mim) permite avançar e desenvolver sobre as (re)significações entre arte e tecnologia no contemporâneo”, contribui o doutorando Leonardo Roat.

Além de enriquecer a reflexão e o debate entre os alunos, sempre com a participação dos professores, o grupo sobre mito e metáfora também se propõe a gerar artigos, ensaios e comunicações orais, relatando o resultado das discussões.

Na foto, um flagrante de mais um encontro do grupo. Da esquerda para direita, os alunos: Leonardo Amorim Roat, Cynthia Hansen, Camila Giusti Tisott, Vinicius Marques Batista; e os professores: Aldo Litaiff e Fernando Simão Vugman.

 

PPGCL


Tese aborda mito e sociedade de moda contemporânea

(01/09/2014) A doutoranda Graziela Morelli defendeu sua tese intitulada "Do empréstimo a não posse: o mito na sociedade de moda contemporânea e novas perspectivas de consumo de produtos e serviços", nesta última segunda-feira (1º) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A imbricação do discurso publicitário

A tese de Graziela teve como objetivo geral apresentar e analisar novas perspectivas das propostas de posse e circulação de bens na sociedade contemporânea com foco em desenvolvimento sustentável.

“A partir do estudo das noções de posse e de trocas das sociedades simples estudadas pelos antropólogos Marcel Mauss e Bronislaw Malinowski, e da revisão da questão da dádiva apontada pelo filósofo Vicent Descombes, esta tese procura vislumbrar, a partir da condição de um novo paradigma apontado pelo sociólogo francês Michel Maffesoli, a identificação e análise de novas perspectivas de consumo baseadas na não posse e no empréstimo”, explica a doutoranda.

“Busca-se identificar elementos que caracterizem a sociedade contemporânea, seus fundamentos e valores que possam ser relacionados aos hábitos de consumo e estilo de vida; aprofundar a compreensão do conceito de mito que fundamenta a sociedade de moda; compreender a ideia do desenvolvimento sustentável relacionado ao consumo e a moda; e analisar alternativas que visem minimizar o consumo de produtos a partir do compartilhamento, empréstimo, posse temporária e circulação de mercadorias possíveis na sociedade contemporânea”, complementa.

“Os movimentos apontados de compartilhamento, experimentação expressiva e solidariedade vão ao encontro do que, de início, pode-se identificar como possíveis soluções para um desenvolvimento sustentável, ou seja, para a passagem de uma sociedade de consumo baseada não nos produtos, mas na utilização de serviços e empréstimos”, finaliza a estudante.

A tese de Graziela foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Doutor Aldo Litaiff – Universidade do Sul de Santa Catarina (orientador); Doutora Neide Köhler Schulte - Universidade do Estado de Santa Catarina (avaliadora); Doutora Tania Regina Raitz – Universidade do Vale do Itajaí (avaliadora); Doutor Fernando Simão Vugman – Universidade do Sul de Santa Catarina (avaliador); Doutora Jussara Bittencourt de Sá – Universidade do Sul de Santa Catarina (avaliadora); Doutora Ana Carolina Cernicchiaro – Universidade do Sul de Santa Catarina (suplente)

PPGCL


Facebook é objeto de tese

(25/08/2014) Deivi Eduardo Oliari apresentou sua tese intitulada "Mídia social Facebook: O público e o sujeito individuado", nesta última segunda-feira (25) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A imbricação do discurso publicitário

Segundo Deivi, a pesquisa teve como proposta analisar a imbricação do discurso publicitário na mídia social facebook. “Para tanto, observamos essa nova mídia na perspectiva das mídias em geral, salientando seu funcionamento diferenciado”, explica o estudante.

“Dentre os elementos observados, destaca-se a produção dos espaços públicos e privados, nessa mídia, particularmente o efeito de individualização do sujeito”, esclarece. Partiu-se da percepção de uma indistinção de interlocutores - pessoa jurídica e interlocutores - pessoa física”, complementa o doutorando.

“Tomamos a Análise do Discurso como base teórica e analítica para esta pesquisa e as análises permitem relacionar estes processos de indistinção e de deslocamentos com a forma-sujeito contemporânea", finaliza.

A tese de Deivi foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora), Dra. Nadja de Carvalho Lamas – UNIVILLE (avaliadora), Dra. Gilmar Luis Mazurkievicz – UnC (avaliador), Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (avaliadora), Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (avaliadora), e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (suplente)

Na foto principal um flagrante da apresentação e abaixo foto com a banca. Da esquerda para direita: Nadja, Silvânia, Solange, Deivi, Giovanna e Gilmar.

 

 

PPGCL


Discurso jornalístico é tema de dissertação

(15/08/2014) A estudante Patrícia de Oliveira Claudino defendeu a dissertação intitulada “Os efeitos de sentido no/do jornalismo alternativo: Uma análise sobre o discurso de mídia na votação do projeto de alteração do novo Código Florestal Brasileiro de 1965”, nesta última quinta-feira, 14, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A pesquisa de Patrícia buscou compreender se a discursividade proposta pela mídia alternativa foi alterada, quando de seu surgimento no Brasil, ou se uma nova versão deste discurso está sendo praticada sob uma mesma nomenclatura, valendo-se de toda uma memória social incorporada.

Análise de notícias sobre o projeto de alteração do novo Código Florestal Brasileiro

“Procurando desvendar que efeitos de sentido o discurso do jornalismo alternativo perpassa, bem como suas marcas discursivas, a pesquisa parte da análise das notícias veiculadas sobre o projeto de alteração do novo Código Florestal Brasileiro, de 1965, nos sites EcoDebate, representando a mídia alternativa, e G1, representando uma mídia de referência”, explica a estudante.

“O recorde dá-se a partir de dois momentos distintos: quando da votação do Projeto na Câmara dos deputados, em 25 de maio de 2011, e quando sancionado pela Presidência, em 25 de maio de 2012. O estudo teve como base a fundamentação teórica da Análise do Discurso, segundo as teorias formuladas na França por Michel Pêcheux e no Brasil por Eni Orlandi, e do Jornalismo, conforme Nelson Traquina e Pierre Bordieu”, esclarece.

“Constatamos que os dois veículos comungam do discurso institucional do governo, que além de ser o mandatário da Agência Brasil, é o maior patrocinador publicitário da Corporação Globo. O discurso autoritário também é comum aos dois veículos, que apresentam sua versão como a única possível. Esta rigidez uniformiza o movimento de censura, proibindo o sujeito de circular por outras possíveis formações discursivas, procurando manter as relações de poder”, finaliza a pesquisadora.

A dissertação de Patrícia foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Giovanna Benedetto Flores – UNISUL (orientadora); Dr. Sandro Braga – UFSC (avaliador); e Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (avaliadora) e Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (suplente).

Na foto principal, um flagrante da estudante apresentando o seu trabalho. Mais abaixo, a estudante com a banca e secretária. Da esquerda para direita: Edna, Dra. Andréia, Patrícia, Dra. Giovanna, Dr. Sandro e Dra. Nádia.

 

 

PPGCL


I Seminário Indígena acontece em Tubarão

 

(13/08/2014) Iniciou na última terça-feira, 12, o I Seminário Nacional de Educação Escola Indígena. O evento ocorre  entre os dias 12, 13 e 14 de agosto, no Campus Tubarão da Unisul.

 

Educação e cultura

 

O Encontro tem entre seus objetivos proporcionar a integração dos vários pesquisadores, instituições de ensino público e privado, gerando a discussão e reflexão sobre o papel das ações educativas presentes nas diversas práticas científicas.

 

Além disso, busca a sensibilização das comunidades locais, baseada no entendimento e conhecimento sobre os diversos tipos de patrimônios que permeiam uma sociedade, com enfoque nos patrimônios históricos, culturais e arqueológicos, além da cultura imaterial.


O Seminário trará aos participantes o contato com os eixos temáticos: Educação Patrimonial, Gestão e conservação do Patrimônio, Processos de ensino-aprendizagem envolvendo o patrimônio cultural e Patrimônio, Cultura e Turismo. O evento contará também com a participação de palestrantes indígenas das tribos Xoklengs e Kaingangs.


Para mais informações clique aqui.

 

PPGCL


Educação infantil é objeto de tese

 

(13/08/2014) Na última terça-feira, 12, a doutoranda Rosa Cristina Ferreira de Souza apresentou sua tese intitulada "Manifestações afetivo-emotivas na infância: efeitos de sentido produzidos no discurso de professoras de educação infantil", no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

O discurso na educação infantil

 

Rosa explica que o objetivo do trabalho foi estudar como se constituiu o discurso das professoras de educação infantil em relação à manifestação de estados afetivo-emotivos das crianças de um a quatro anos, na perspectiva da Análise do discurso francesa.

"Os sujeitos da pesquisa foram professoras e alunos de três turmas de um centro de educação infantil de caráter público municipal do sul do Estado de Santa Catarina (Tubarão)", complementa a doutoranda.

 

Em sua apresentação, Rosa consitui sua pesquisa a partir dos registros em diário de campo, filmagens e entrevistas semiestruturadas com as professoras. As análises discutem as posições-sujeito do professor nas cenas enunciativas nas quais emergem manifestações afetivo-emotivas das crianças e a produção de sentidos sobre tais manifestações, a partir do olhar para as diferentes linguagens que constituem as interações, considerando, para tanto, sequências discursivas verbais e tomando as imagens como materialidade discursiva.

 

"Sobre conjunto analisado é possível tecer algumas observações que apontam para a importância de se investir na formação inicial e contínua dos professores que trabalham com crianças pequenas, dado que em suas práticas há pouca observância dos aspectos teóricos em relação ao desenvolvimento infantil de forma integral", finaliza.

 

A tese de Rosa Cristina foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora), Dra. Verena Wiggers – UFSC (avaliadora), Dra. Marivete Gesser – UFSC (avaliadora), Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (avaliadora), Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (avaliadora), e Dra. Vera Lúcia Chacon Valença – UNISUL (suplente)
 

Na foto principal um flagrante da apresentação e abaixo foto com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Vera Lúcia, Dra. Maria Marta, Rosa Cristina, Dra. Geovanna, Dra. Silvânia, Dra. Verena Wiggers e Dra. Marivete Gesser.

 

 

PPGCL


A literatura contemporânea é tema de dissertação

(12/08/2014) Flávia Walter defendeu a dissertação intitulada “A literatura de Carlos Rios: “Fábrica de Realidade”, nesta última terça-feira, 12, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

As narrativas de Carlos Ríos

Flávia propôs pensar a questão do narrador viajante nas narrativas intituladas “Manigua: novela swahili” e “Cuadero de Pripyat” do escritor argentino contemporâneo Carlos Rios.

“Há muito, estamos percebendo uma escassez do inédito e um vasto número de repetições nas artes, repetições de temas e estilos literários, de gênero, provenientes de diferentes razões e motivações. Assim, não há mais um “novo” e sim um “de novo”, como já proclamou Antonie Compagnon, em “Os cinco paradoxos da modernidade” (1999), ou seja, um novo feito a partir de uma mescla de muitos outros “novos””, explica a estudante.

“Nesta perspectiva, vemos, na literatura contemporânea, a volta dos relatos de viagens como maneira de construir as narrativas, já que a viagem nunca deixou de ser um instrumento de autoridade para aquele que narra, e o viajante sempre foi aquele que viu e não somente aquele que ouviu, dando mais “veracidade” aos acontecimentos”, analisa.

“Nesta discussão, procuramos compreender como o gênero relato de viagem é retomado hoje e quais elementos diferenciais “novos” se entrelaçam como os “tradicionais” deste gênero, com destaque à confusão de tempos/espaço”, finaliza a pesquisadora.

A dissertação de Flávia foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos – UNISUL (orientador); Dra. Flávia Letícia Biff Cera – UFSC (avaliadora); e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, um flagrante da estudante no momento da apresentação da pesquisa. Mais abaixo, a banca examinadora no momento da arguição. Da esquerda para direita: Dra. Dilma Juliano, Dr. Antonio Santos e Dr. Flávia Cera.
 

 

PPGCL


Dissertação analisa literatura infantil

(12/08/2014) A estudante Ivonete Sueli Segala Pereira defendeu a dissertação intitulada “Literatura infantil na perspectiva dos estudos culturais: por uma infância plural”, nesta última segunda-feira, 11, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Identidade, gênero e etnia nas obras de literatura infantil do PNBE

Segundo Ivonete, a pesquisa discute como a literatura infantil vem abordando, nas produções contemporâneas, questões como: identidade, gênero e etnia. “Para tanto, elegemos o acervo do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), investigando se a literatura selecionada e distribuída pelo programa contribui para o desenvolvimento de um leitor literário mais crítico; se está afinada com a descontrução de estereótipos e se está em consonância com os temas sociais e culturais debatidos pela via dos Estudos Culturais”, explica a estudante.

“A escolha desse programa se deve por considerarmos que os livros passam por um processo minucioso quanto à seleção e indicação dos títulos até chegar ao leitor. Para fundamentar as discussões foram selecionadas cinco obras de literatura infantil destinadas para os primeiros anos do ensino fundamental, de autores nacionais de acordo com os acervos do PNBE de 2008, 2010 e 2012”, esclarece.

“Apesar de ser numericamente reduzido o repertório do PNBE de narrativas que propõem esse debate contemporâneo, é possível perceber que este demonstra uma seleção com boa qualidade tanto na linguagem verbal quanto na visual, o que proporciona às crianças mecanismos de autoconhecimento, novas experiências, traduzindo em textos escritos, cores e ilustrações um mundo diverso daquele normativo que exclui possibilidades e diferenças”, finaliza a pesquisadora.

A dissertação de Ivonete foi aprovada com distinção por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (orientadora); Dra. Eliane Santana Dias Debus – UFSC (avaliadora); e Dr. Altino José Martins Filho – PMF (avaliador).

Na foto principal, um flagrante da estudante apresentando o seu trabalho. Mais abaixo, a estudante com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Dilma, Ivonete, Dra. Altino e Dr. Eliane.


 

PPGCL


Seminários avançados encerram-se no campus Tubarão

 

(08/08/2014) A doutoranda Luciane Lara Acco encerrou os Seminários Avançados na sala 1 do Bloco Sede do campus Tubarão com a apresentação de seu projeto de tese intitulado "Identidade cultural da infância: reflexos da contemporaneidade na nova geração".

 

Sociologia da Infância e da Educação Física

 

A pesquisadora tem como objeto de estudo suas inquietações produzidas e atualizadas, ao longo de sua trajetória profissional na área de Educação Física.

 

Busca compreender esses dados com base nos aportes teóricos da Sociologia da Infância e da Educação Física. Tendo a Educação Física como parâmetro de análise, a doutoranda explica que as questões motoras, cognitivas e socioculturais, que norteiam a disciplina darão suporte para avaliar o desenvolvimento identitário das crianças no ambiente escolar.

 

"Assim, um dos passos importantes na definição do objeto desta pesquisa será verificar se a análise da cultura infantil, produzidas por crianças de 10 e 11 anos que estudam em escolas públicas municipais e estaduais, escola rural, escola privada e uma escola de caráter pedagógico diferenciado, respondem ao problema de pesquisa", complementa a estudante.

 

"A primeira face do problema é perceber nas culturas infantis, processos de reprodução que expressem diferenças em relação à cultura adulta, e que também identifique as crianças e seus pares em uma mesma categoria social, e, a outra face do problema diz respeito à identificação", finaliza.

 

Luciane foi a última estudante a apresentar seu projeto de tese para qualificação, encerrando assim os Seminários Avançados. Sua banca avaliadora contou com as professoras: Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes - UNISUL (orientadora), Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias - UNISUL (avaliadora) e Dra. Ramayana Lira de Sousa - UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Redes sociais digitais são objeto de tese

 

(08/08/2014) Na tarde desta sexta-feira, 8, o estudante Elvis Dieni Bardini apresentou seu projeto de tese intitulado "As implicações das redes sociais digitais na sensibilização dos valores da cidadania na cultura escolar", na sala 1 do Bloco Sede do campus de Tubarão da Unisul.

 

Sensibilização social

 

Elvis apresenta as redes sociais digitais como ferramenta significativa na construção de competências para a cidadania, em virtude das potencialidades destas ferramentas no processo de democratização da informação que foi desencadeado.

 

O doutorando explica que levando-se em conta que as práticas culturais midiáticas hoje fazem parte do cotidiano da maioria dos alunos do ensino médio e sua utilização abre novas perspectivas para o desenvolvimento de práticas que sensibilizem os sujeitos  para a produção de uma consciência cidadã, faz-se necessária a discussão sobre as implicações dessas práticas na cultura escolar do Ensino Médio Inovador.

 

"Quais as implicações das redes sociais digitais como instrumento de sensibilização social e de cidadania em uma sociedade de economia emergente, cuja identificação cultural está em transformação?", questiona.

 

O objetivo geral da tese é o de investigar as implicações das redes sociais digitais como instrumento de sensibilização social, e de cidadania em uma sociedade de economia emergente, cuja identificação cultural está em transformação.

 

"A partir desta base este estudo se limitará à quatro eixos conceituais que são: redes sociais digitais, cultura escolar, competências para a cidadania, identidade cultural e sociedade em rede", conta Elvis.


A qualificação do projeto de tese teve como banca avaliadora: Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes - UNISUL (orientadora), Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias - UNISUL (avaliadora) e Dra. Jussara Bittencourt de Sá - UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Livio Amaral ministra palestra no campus Pedra Branca

(08/08/2014)
Livio Amaral, diretor de avaliação da Capes, ministrou palestra na Pedra Branca na manhã desta sexta-feira, 8, sobre  as avaliações e perspectivas do Sistema Nacional de Pós-Graduação.

O diretor de avaliações da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), professor Livio Amaral, discorreu acerca do conjunto de programas de pós-graduação acompanhados há 50 anos pela Capes e apresentou números, indicadores e taxas de crescimento de cursos, bolsas e financiamentos. 

 

Hoje no Brasil, mais de cinco mil cursos de pós-graduação são desenvolvidos em diferentes instituições. Para Livio Amaral, estabelecer um diálogo com os pesquisadores e estudantes destas instituições é sempre importante. “Fiquei satisfeito com a grande presença de alunos na palestra. Para os jovens que pretendem produzir conhecimento sempre digo que a única certeza é a do questionamento. Se ao longo da pesquisa ele for respondido, no dia seguinte devem criar outras perguntas a serem perseguidas”, sugeriu.

 

Em breve introdução, o reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt, destacou a função social das Universidades Comunitárias e o desafio de formar por competências. “Buscamos na pesquisa soluções para as comunidades”, frisou.

 

O convite para Livio Amaral ministrar a palestra foi feito na França, pela professora e pesquisadora da Unisul Anelise Cubas, em evento promovido pelo convênio Capes/Brafitec (sigla em francês para Brasil-França-Engenharia-Tecnologia). “A intenção foi que o avaliador da Capes nos informa-se exatamente o que ela quer dos cursos de Mestrado e Doutorado”, afirmou Anelise.

 

A Capes

 

Para contextualizar o trabalho da Capes, o diretor de avaliação destacou alguns pontos de referência. Citou a reforma universitária ocorrida entre 1964 e 1967, quando adotado o modelo norte-americano para o ensino superior. Falou sobre o início das avaliações da Capes no ano de 1976, realizadas a cada três anos. Mencionou a validação de títulos em concursos para professor de universidades públicas, para órgãos e para empresas, iniciada em 1985. Nos anos 90, a estrutura do ensino superior foi alterada para que existissem faculdades isoladas, centros universitários e universidades.

 

“A norma para uma instituição tornar-se uma universidade é que tenha certa porcentagem de doutores e mestres entre seus docentes, além de possuir quatro Mestrados e dois Doutorados”, completou.

 

Em 2000, a Capes passou a fazer financiamentos em editais específicos e no ano de 2010 ocorreram mais avanços para que, então, fosse publicado o livro Mestres 2012. Na obra, números ilustram a realidade do ensino no Brasil. “Os dados de 2010 revelam que 44% da população não terminou o Ensino Fundamental. Apenas 23% da população terminou o Ensino Médio, menos de 8% têm Ensino Superior e menos de 1% têm mestrado e doutorado”, explanou.

 

O Brasil tem uma média de 1,9 mestres e doutores por mil habitantes. Entre os exemplos citados no livro e apresentados por Amaral, os Estados Unidos aparecem com média de 10, a Alemanha com 15 e a Suíça com 25. Contudo, o palestrante divulgou números expressivos acerca do crescimento do número de bolsas de estudo no Brasil. “Entre 2004 e 2013, o salto foi de 418%. O aumento do fomento à pesquisa foi de 1.106%, passando de 16 milhões de reias para 193 em dez anos”, disse.

 

Segundo Amaral, outro destaque do trabalho da Capes é o Portal de Periódicos. O crescimento dele foi de 262%, que revela o aumento de 48 para 174 milhões de reais em uma década. “Essa ferramenta incrível é a mais democrática que ocorreu na educação brasileira. Há quinze anos era impossível acessar este conhecimento”, argumentou.

 

Duas ações da Capes no sentido da formação de professores também foram destacadas. “O Pibid tem mais de 90 mil bolsistas e o Parfor mais de 70 mil matriculados. Projetamos 130 mil e 150 mil, respectivamente para 2015”, disse.

 

O Programa Ciência sem Fronteiras foi citado pelo vice-reitor, professor Mauri Heerdt. A Unisul enviou os primeiros alunos selecionados em 2012 e hoje é a quarta universidade em Santa Catarina em número de bolsas já implementadas. “Estamos com 42 alunos em intercâmbio e 33 voltando. Eles estão distribuídos em 66 instituições de 13 países”, enumerou e disse que a Capes é referência mundial em programas de pós-graduação.

 

“A vinda de Livio Amaral foi importante na perspectiva da criação do PDI, 2015-2019, porque deixou mais claro como o Sistema Nacional de Pós-graduação funciona”, concluiu o vice-reitor.

 

UnisulHoje (adaptado)


Dissertação analisa protesto de junho de 2013

(07/08/2014) André Henrique Nunes do Carmo defendeu a dissertação intitulada “Mensagens de protesto nas manifestações de 2013 no Brasil: um estudo sobre as tentativas de apagamento da representatividade dos partidos políticos”, nesta quinta-feira, 7, na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

Protesto no Brasil

A pesquisa, de acordo com o pesquisador, pretendia verificar se as tentativas de apagamento da representatividade dos partidos políticos nas mensagens de protesto de junho de 2013 no Brasil, estabeleceram relação com as diferentes modalidades de identificação do sujeito propostas por Pêcheux (2009).

Para cumprir tal tarefa, o estudante selecionou para análise sete mensagens de protesto retiradas de fotos de cartazes de protesto, utilizadas no dia 16 de junho de 2013, nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte. Analisou essas mensagens, utilizando uma abordagem qualitativa de caráter exploratório do objeto de estudo, em uma proposta alicerçada na Análise de Discurso de linha francesa.

“É possível concluir, a partir da análise da materialidade, que a modalidade de desidentificação não seria uma modalidade em si, mas um processo ideológico que possibilita a passagem do Mau Sujeito superidentificado com essa tomada de posição. No processo de desidentificação, o sujeito retorna à modalidade de identificação do Bom Sujeito e o sujeito superidentificado na Formação Discursiva Resistente com a representatividade dos partidos políticos, reconhece na forma-sujeito Black Bloc”, explica o estudante.

A dissertação foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (orientadora); Dr. Sandro Braga – UFSC (avaliador); e Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, tem-se o estudante apresentando o seu trabalho. Mais abaixo, o estudante com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Maria Marta, André, Dra. Andréia e Dr. Sandro Braga.

 

 

PPGCL


Apresentação do Programa dá início às atividades das turmas 2014

(07/08/2014) No início desta tarde, 7, o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, recepcionou os alunos das turmas 2014, do campus de Tubarão, apresentando o Programa.

Conhecendo o currículo

Durante a apresentação, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer a consecução do currículo dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem.

Na ocasião, foram explicados aos alunos algumas exigências acadêmicas, como por exemplo, o cumprimento de horas para as atividades de pesquisa aos estudantes dos cursos de Mestrado e de Doutorado.

As secretárias Suelen Francez Machado Luciano e Patrícia de Souza de Amorim Silveira e as professoras Heloisa Juncklaus Preis Moraes, Jussara Bittencourt de Sá, Andréia da Silva Daltoé, Silvânia Siebert e Maria Marta Furlanetto estavam presentes e deram as boas vindas aos novos alunos.

Após essa atividade, os alunos iniciaram a disciplina de Estética.

No campus da Pedra Branca, os alunos da turma 2014 também tiveram a oportunidade de conhecer os currículos dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem, apresentado pela professora e coordenadora Dilma Beatriz Rocha Juliano. A secretária Edna Mazon e demais professores do programa participaram da aula inaugural.

PPGCL


Chamada para publicação

 

(04/08/2014) A revista Crítica Cultural (Qualis B1), publicação do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, abre a chamada para o v.9 n.2, a ser publicado em dezembro/2014.

 

Tema será Pornografias

 

A cada número, a revista Crítica Cultural lança uma proposição temática a ser trabalhada sob a forma de um dossiê, uma entrevista e uma resenha. Para esse número, o tema será Pornografias. Interessam propostas que investiguem o pornográfico na literatura, cinema, quadrinhos, televisão e artes visuais, explorando a potência política dos textos pornográficos para além de juízos moralizastes e suas intersecções com as teorias queer e feminista, questões de raça, classe e representação.


Os textos propostos para as seções dossiê, entrevista e resenha deverão ser encaminhados até o dia 22 de setembro de 2014.


Para as seções artigos e tradução, a revista mantém a acolhida de textos em fluxo contínuo. As seções artigos e tradução trarão textos não, necessariamente, vinculados à temática do número.


Normas para submissão disponíveis em:

http://linguagem.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/critica-cultural/normas.htm


PPGCL


Poeta Paulo Leminski é objeto de tese

 

(01/08/2014) "A porta que esqueceram de fechar: o lugar do leitor na poesia de Paulo Leminski", é o título da tese defendida pelo estudante Gutemberg Alves Geraldes Junior. A defesa ocorreu às 14 horas, na última quinta-feira, 31, na Sala de Treinamento no Bloco A da Unisul.

 

O lugar do leito da obra poética

 

Gutemberg conta que para discutir e analisar o lugar do leitor na obra poética de Paulo Leminski problematizou-se o processo de construção do poeta e do leitor enquanto poeta nos contornos do pensamento do autor de Catatau, com a finalidade de elencar conceitos semióticos, identificar e investigar como se dá esse lugar específico do leitor.


“A pesquisa é apoiada no conceito de Leitor-Modelo apresentado por Umberto Eco, nos conceitos de autoria elencados por Focault, Barthes, Bakhtin, Eco e Gumbrecht, que promovem o desvelamento que Leminski tem para com este ponto importante na discussão acerca da poesia, que é o autor”, explica.


O trabalho lança reflexões sobre a semiótica peirciana, sublinham-se abordagens sobre signos, seus objetos, seus representantes, seus interpretantes e as tríades que compõem a tinha teoria da semiótica.


“É possível identificar na poesia de Leminski uma preocupação constante em proporcionar ao leitor elementos que facilitem a sua compreensão do texto”, completa o estudante.


Gutemberg finaliza sua apresentação relatando que os resultados alcançados ratificam a hipótese de que, sabedor da condição de autor que o leitor assume ao cooperar com um poema, a obra de Paulo Leminski traz signos capazes de revelar a posição de poeta do leitor por meio de estratégias textuais que estão sempre aptas a cria conexões entre a obra, o autor e o seu leitor.


O estudante foi aprovado com louvor por banca composta pelos professores: Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (orientadora), Dr. Gladir da Silva Cabral – UNESC (avaliador), Dra. Mariléia Silva dos Reis – UFS (avaliadora), Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (avaliadora), e Dra. Albertina Felisbino – UNISUL (avaliadora).


Na foto principal, um flagrante do doutorando no momento da apresentação e, logo abaixo, uma foto do estudante com a banca. Da esquerda para direita: Dra. Jussara, Dra. Albertina, Dra. Mariléia, Gutemberg, Dra. Heloísa e Dr. Gladir.

 


PPGCL


Conferência analisa a Educação na UFS


(01/08/2014) A Dra. Mariléia Reis (UFS) apresentou na última quinta-feira, 31, a conferência intitulada “Ensino, novos tempos e os Pactos da Educação na UFS”, às 13 horas e 30 minutos, na Sala de Treinamento no Bloco A da Unisul.


Novos tempos e pactos da educação


Mariléia apresentou os objetivos do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio, que são os de promover a valorização do professor da rede pública estadual do Ensino Médio através da oferta de formação continuada e refletir sobre o currículo do Ensino Médio, promovendo o desenvolvimento de práticas educativas efetivas com foco na formação humana integral, conforme apontado nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM).


A Doutora utiliza o Ginásio Estadual Vocacional Oswaldo Aranha, de São Paulo, como exemplo de currículo. Explica que antigamente, e já tão interessante, o currículo era pautado em Estudos Sociais, as aulas não eram divididas em disciplinas, mas em áreas do conhecimento. Possuíam 4 focos: 1º) no município, 2º) no estado de São Paulo, 3º) no Brasil e 4º) no mundo.


Explica ainda que as avaliações eram bimestrais. Não eram feitas por notas, mas sim por conceitos e, principalmente, pela autoavaliação.


Mariléia indica o vídeo “Sete vidas eu tivesse”, um documentário realizado pelos alunos da turma de 1963 do Ginásio Estadual Vocacional Osvaldo Aranha. “Sete vidas eu tivesse” mostra a experiência inovadora do ensino vocacional na rede pública de São Paulo nos anos 60, interrompida de modo brutal pelo regime militar em 1969. Para acessar o vídeo clique aqui.


O ensino tradicional


Mariléia destaca que o ensino tradicional acaba transformando o saber em um saber “mecanizado”, com métodos de ensino de cópia, tabuada decorada, etc.


“A escola se “perde”: quando a escola mecaniza o saber, quando apenas “repassa” informação”, comenta.


A Professora finaliza afirmando que uma escola promissora, será a escola que dispor de um currículo com maior intersecção e escalaridade entre as múltiplas áreas do saber e seus sujeitos.


PPGCL


Ensino fundamental é objeto de tese

 

(25/07/2014) "Autoria, criança e ensino: Uma construção possível?" é o título da tese da doutoranda Rosane Lemos Barreto. Rosane apresentou seu projeto nesta sexta-feira, 25, na sala 3 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

Letramento, escrita e autoria

 

O projeto de tese apresentado busca investigar caminhos que abram possibilidades para a observação e produção de novos efeitos de sentido para um trabalho com o Ensino Fundamental, iniciado há pouco mais de doze anos, especificamente voltado para as múltiplas faces da linguagem.

 

Ao iniciar seu percurso escolar no Ensino Fundamental, a criança principia uma trajetória de construção adquirindo os mais variados conhecimentos que fazem parte do mundo das letras. Percebe, aos poucos, a necessidade de usar a escrita como forma de expressão. Vai, paulatinamente, mergulhando em textos de outros autores, tornando-se leitora/interlocutora ao dialogar com o que já foi pensado, construído, repensado e por fim, escrito.

 

"Encontramos nos bancos escolares elementos limitadores que parecem cercear a criatividade das crianças, tais como: produção textual, seja através de releitura ou não, com número de linhas e tempo para organizar (engessar) os pensamentos. Do outro lado, o sujeito professor, que luta com suas próprias limitações, muitas vezes oriundas de uma formação mais conservadora", explica a estudante.

 

Os pressupostos teóricos deste estudo têm como base a Análise de Discurso de Linha Francesa (AD), além de procurar-se discutir conceitos e questões voltados para a autoria, diferentemente do que propôs Foucault em primeira mão (são autores os escritores consagrados por sua produção literária) para assumir a compreensão de autoria refletida nos textos de Possenti (2009), bem como o que postula Ginzburg (1989) acerca do paradigma indiciário.

 

O objetivo geral da tese é avaliar, simultaneamente a um trabalho planejado, a produção escrita de alunos do 2º e 3º anos do Ensino Fundamental I, identificando possíveis indícios de autoria nos sujeitos participantes da pesquisa.

 

A apresentação fez parte dos Seminários Avançados do PPGCL e teve como banca avaliadora: Dra. Maria Marta Furlanetto  - UNISUL (orientadora), Dra. Silvânia Siebert - UNISUL (avaliadora), Dra. Andréia da Silva Daltoé - UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Projeto de Tese analisa discurso de George W. Bush

 

(25/07/2014) Estudante do doutorado, Paulo Afonso de Oliveira Barrios, apresentou seu projeto de tese nesta sexta-feira, 25, intitulado "O discurso de George W. Bush e a chamada “guerra contra o terror”, na sala 3 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

11 de setembro de 2001

 

A tese relaciona uma das gestões mais polêmicas dos Estados Unidos – a de George Walker Bush, seus colaboradores e apoiadores. Propõe-se a analisar o discurso do então presidente que, a partir dos eventos de 11 de setembro de 2001, defendeu a chamada “Guerra Contra o Terror”, a qual estimulou as invasões do Afeganistão e, posteriormente, do Iraque, num conjunto de ações desaprovadas desde o início pela ONU – Organização das Nações Unidas
 

Destaca-se que, junto aos argumentos utilizados, tanto pela gestão W. Bush, como pelas mídias, houve a necessidade de proteger o “mundo livre” e o desejo “legítimo” de vingança contra o mal praticado por terroristas do “incivilizado” mundo árabe. A partir daí, passou-se a associar (mesmo sem provas) os “ataques” a Osama bin Laden, à rede Al-Qaeda, ao Afeganistão e, posteriormente, ao Iraque e a Saddam Hussein, que foi acusado de estar produzindo armas de destruição em massa para atacar os Estados Unidos e seus aliados. (AVERY, 2006).
 

Tendo como base estes conceitos, evidencia-se o seguinte problema de pesquisa: Que elementos aparecem no discursivo de George W. Bush em defesa da chamada “Guerra Contra o Terror”?

 

Objetivos da pesquisa

 

O objetivo geral do trabalho é analisar de que forma o discurso defende a chamada “Guerra Contra o Terror”.


"Entre os objetivos específicos destacam-se: realizar um estudo comparativo entre a “versão da Casa Branca” e as versões dissonantes sobre os eventos de 11 de setembro de 2001; verificar fatores que influenciam sua memória discursiva; destacar os efeitos de sentido gerados pelos pronunciamentos do então presidente", explica o doutorando.

 

Com o objetivo de analisar o discurso do então presidente, em defesa da chamada “Guerra Contra o Terror”, optou-se em ter como base as teorias ligadas à Análise do Discurso (AD) de linha francesa a partir de Michel Pêcheux, buscando outras fontes e autores que viessem a fortalecê-las para facilitar a identificação dos ditos e não-ditos e seus efeitos de sentido, conforme já referidos por Orlandi (2009).

 

Tudo no sentido de perceber como W. Bush buscou a identificação/adesão dos cidadãos estadunidenses em seu processo de interlocução/convocação. Entende-se, de acordo com Pêcheux (2006), que as condições de produção de cada discurso são definidas pelo lugar ocupado pelo emissor e receptor em cada formação discursiva.

 

A banca da apresentação do projeto de tese foi composta pelos professores: Dr. Maurício Eugênio Maliska (orientador), Dra. Maria Marta Furlanetto - UNISUL (avaliadora), e Dra. Andréia da Silva Daltoé - UNISUL (avaliadora).


PPGCL


Autoria é tema de tese

 

(25/07/2014) Nesta quinta-feira, 24, a estudante Gisele Fuchter Fuchs apresentou seu projeto de tese intitulado “Os saberes dos mais velhos na comunidade escolar: autoria e divulgação do conhecimento”, na sala 3 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

O que se espera e o que se faz

Gisele argumenta que se observam nos manuais de Língua Portuguesa práticas orientadas nas quais os alunos devem seguir modelos, cujos sentidos parecem evidentes, únicos, verdadeiros. Esses sentidos prontos nos livros didáticos acabam por ser ecoados na voz do professor. Essa visão que, normalmente, rege os manuais didáticos de Língua Portuguesa, apresenta o texto como uma forma modelar de se produzir sentidos. Nessa perspectiva, parte-se da pressuposição de que se o aluno conhecer a estrutura de um texto, ele saberá escrever melhor.

 

"A escola visa a que o aluno produza textos uniformes. Quando todos conseguem escrever conforme o modelo e alcançam os padrões estabelecidos de um bom texto na visão do professor, eles são caracterizados como bons estudantes e, acredita-se, isso confere à escola um atestado do sucesso", comenta a pesquisadora.

"Esse ato de homogeneizar, tanto o aluno quanto a forma de escrever, faz com que a escola funcione como um lugar de (re)produção do mesmo em vez de perceber na diferença um lugar de múltiplas possibilidades", completa.

 

Objetivo e hipótese

Gisele considera que o ensino de língua portuguesa precisa ser repensado quando se trata do dizer, do como dizer, proporcionando ao aluno um espaço para produzir novos sentidos, interpretar. Em vista dessas considerações, a pesquisadora estabeleceu como questão de pesquisa como ou se pode acontecer o processo de autoria na produção de textos dentre uma conjuntura escolar que ainda prevê a escrita de textos uniformes e um aluno ideal. O trabalho que é fundamentado na Análise do Discurso de linha francesa, consiste em investigar se a prática de produção de textos, ao ultrapassar fronteiras simbólicas e físicas da escola, possibilita a assunção da autoria.


“Nossa hipótese é de que uma perspectiva coletiva de produção de textos, mediante saberes não restritos ao ambiente escolar, constitui um percurso possível para construção de um sujeito autor, desfazendo limites sejam físicos ou simbólicos entre escola e comunidade”, finaliza a doutoranda.

 

O projeto faz parte dos Seminários Avançados e teve como banca avaliadora: Dr. Maurício Eugênio Maliska (orientador), Dra. Maria Marta Furlanetto - UNISUL (avaliadora) e Dra. Solange Maria Leda Gallo - UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Cursos gratuitos de Licenciatura são ofertados
 

(24/07/2014) A Unisul está com inscrições abertas para o Programa Segunda Licenciatura, que oferece cursos presenciais gratuitos a professores da rede pública que já possuem uma Licenciatura.
 

O Programa


O objetivo do Programa é dar oportunidade para que os professores obtenham formação específica para a área em que estão atuando na rede pública. Na Unisul de Tubarão, serão oferecidos os cursos de Ciências Biológicas, Letras-Português e Matemática. Na Pedra Branca, há inscrições abertas para o curso de Letras-Português.

O programa concede bolsa de estudo para os participantes. O valor total da bolsa de estudo para o curso presencial de Segunda Licenciatura corresponde ao pagamento da mensalidade do curso, acrescido de R$ 200,00 a serem repassados pela Unisul ao aluno bolsista, a fim de custear as despesas para execução de projeto de intervenção em escola da educação básica da rede pública.

Os cursos são oferecidos em regime de calendário especial e as aulas acontecerão às sextas-feiras (no período noturno) e aos sábados (nos períodos matutino e vespertino), e em regime concentrado nos períodos de férias escolares (janeiro, fevereiro e julho).

 

As inscrições estão abertas até o dia 08 de agosto e podem ser feitas pelo Portal da Unisul ou diretamente no Serviço de Atenção Integral ao Acadêmico (Saiac).

Mais informações podem ser obtidas no site unisul.br/segunda-licenciatura.

 

UnisulHojet (adaptado)


Tese analisa a cultura cigana

(23/07/2014) A estudante Sílvia Régia Chaves de Freitas Simões defendeu sua tese intitulada “Vida cigana: Aspectos que configuram as atuais dinâmicas de mudanças dos ciganos brasileiros”, nesta última quarta-feira, 23, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A identidade cigana

Silvia investiga alguns aspectos que caracterizam a minoria étnica e suas relações com os processos contemporâneos, procurando identificar os possíveis efeitos da pós-modernidade sobre o coletivo cigano brasileiro.

“A análise da relação entre cultura e sociedade surgiu a partir da necessidade de aprofundar o trabalho que vem sendo realizado desde o mestrado, no qual se percebeu a complexidade que permeia a relação dos ciganos com as sociedades não-ciganas contemporâneas e as possíveis interferências das mesmas no contexto cultural cigano. O nomadismo foi o fio condutor para observar-se as dinâmicas atuais da identidade cigana”, explica a estudante.

“A pesquisa pretende, portanto, conhecer elementos que compõem a cultura cigana, mas busca compreender, também, em que consistem as sociedades ditas pós-modernas, no intuito de perceber como se dão as relações dos ciganos com os indivíduos e ambientes não-ciganos”, complementa.

A estudante foi aprovada por banca composta pelos professores Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (orientadora); Dra. Nadir Esperança Azibeiro – UDESC (avaliadora); Dr. Theophilos Rifiotis – UFSC (avaliador); Dra. Alessandra Soares Brandão – UNISUL (avaliadora); Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias – UNISUL (avaliadora); e Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (suplente).

PPGCL


Professoras do PPGCL participam de congresso em João Pessoa

(23/07/2014) As professoras Nádia Neckel e Giovanna Flores participaram do XVII Congresso Internacional Associação de Lingüística e Filologia da América Latina (ALFAL), de 14 a 19 de julho, em João Pessoa, na Paraíba.

Sessão Coordenada Cartografias da Imagem e(m) Discurso Digital


A professora Nádia coordenou a Sessão Coordenada Cartografias da Imagem e(m) Discurso Digital. Esta mesa elege a imagem como ponto de ancoragem para discuti-la em diferentes funcionamentos discursivos a partir do marco teórico da análise de discurso de linha francesa de Pêcheux e Foucault. O objetivo é compreender o funcionamento discursivo de textos imagéticos e digitais.

Na pesquisa apresentada, intitulada “Projeções Sensíveis da Imagem/Corpo no discurso digital”, Nádia propõe pensar o discurso artístico e suas projeções sensíveis, tomando o corpo como materialidade discursiva no meio digital e em seus aspectos ficcionais. A autora tem por objetivo discutir a imagem do corpo na arte em sua dimensão estética, histórica e política. Um percurso analítico que se pauta na forma e funcionamento da imagem/corpo em suas diferentes tessituras, termo cunhado pela autora, assim como se pauta em processos de produção de sentido da/na materialidade significante e memória discursiva, suas teceduras, termo igualmente cunhado pela autora, considerando tanto as condições de produção dos dizeres do corpo/imagem na contemporaneidade.

O discurso jornalístico em seu funcionamento: do século XIX aos dias atuais

A professora Giovanna participou da Sessão Coordenada O discurso jornalístico em seu funcionamento: do século XIX aos dias atuais. Os trabalhos reunidos nesta sessão têm como foco a análise do discurso jornalístico em diferentes momentos históricos, à luz de um mesmo aparato teórico-metodológico: a Análise de Discurso proposta por Michel Pêcheux. Os corpora analisados são diversos: a prática da divulgação científica em meados do século XIX; a questão da República e da abolição nesse mesmo período; a temática da (in)felicidade, recorrente na mídia na atualidade. Contudo, o propósito das análises é um só: refletir acerca dos modos de constituição de sentidos na imprensa, pensar o discurso jornalístico em seu funcionamento.

Giovanna apresentou o trabalho “A república e a abolição dos escravos na imprensa brasileira do século XIX: O jornal Cidade do Rio”. A pesquisadora tem buscado compreender o funcionamento do discurso jornalístico brasileiro, desde a sua fundação em 1822 (FLORES, 2011), com o primeiro decreto da lei de imprensa nos anos 20 do século XIX. Para tanto, seu olhar recai sobre acontecimentos históricos, como a abolição da escravatura e a proclamação da república, que foram marcados nos periódicos brasileiros no século XIX. A partir destes acontecimentos, quais são os sentidos de nação e república debatidos nas páginas dos jornais que circulavam na corte? Para responder a esta pergunta, analisa discursivamente os periódicos de 1888 e 1889, para compreender o modo de relação e produção de sentidos da mídia como um processo político afetado pelas condições sócio-históricas do Brasil no período que a imprensa se dividia entre monarquia/república e abolicionistas/escravocratas.

PPGCL


“Vida na arte” é tema de tese

(23/07/2014) Nesta última terça-feira, 22, a estudante Alexandra Filomena Espíndola defendeu sua tese intitulada “Vida na arte – realismo/naturalismo e modernismo: descontinuidades e permanências”, no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Realismo, naturalismo e modernismo

A pesquisa de Alexandra teve por objetivo compreender como a “vida na arte” do século XIX permanece e/ou descontinua na arte do início do século XX a partir de duas ferramentas que a estudante criou para poder ler o realismo/naturalismo e o modernismo.

“Para cumprirmos este objetivo primeiro tivemos que percorrer alguns caminhos, dentre eles: fazer um brevíssimo reconhecimento do debate sobre a vida desde Tales de Mileto a Agamben; voltar ao final do século XIX para revisitar, reformular e ampliar nossa noção de vida na arte; rever como a crítica recebeu a arte realista/naturalista; reconhecer os procedimentos artísticos do final do século”, explica a estudante.

“Defendemos a ideia de que a vida na arte do final do século XIX não somente se diferencia da vida na arte do início do século XX, mas também se estende, num movimento elástico de descontinuidades e permanências, causando, assim, tensões entre o realismo/naturalismo e o modernismo brasileiros” finaliza.

A estudante foi aprovada por banca composta pelos professores Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos – UNISUL (orientador); Dra. Vera Lucia de Oliveira Lins – UFRJ (avaliadora); Dr. Jorge Hoffmann Wolff – UFSC (avaliador); Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (avaliadora); Dr. Fernando Simão Vugman – UNISUL (avaliador); e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (suplente).

PPGCL


Google é tema de tese

(18/07/2014) A estudante Fátima Hassan Caldeira apresentou na tarde desta sexta-feira, 18, seu projeto de tese intitulado “A metarrepresentação de metas de usuários pelo Google: um estudo com base na ciberpragmática, na teoria da relevância e na teoria de conciliação de metas”, na sala 3 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

Tecnologia e Teoria da Relevância

Segundo Fátima, Cada vez mais os mecanismos de busca fazem parte do nosso cotidiano. Os dispositivos móveis permitem que a busca seja realizada por qualquer pessoa em qualquer tempo e lugar. Todavia, muitas vezes, não estamos cientes de que os resultados de uma busca estão sendo personalizados de acordo com a “identidade” de cada usuário com o objetivo de alcançar a relevância na relação entre o sistema (buscador) e o usuário.

“Os buscadores desenvolvem seu sistema operacional tendo em vista alcançar a relevância de seus resultados de acordo com as metas de seus usuários. Assim, defendemos que eles metarrepresentam tais metas para gerar resultados mais relevantes através da chamada personalização de resultados”, explica a estudante.

O Google é o buscador mais usado e conhecido em todo o mundo e, recentemente, tem adotado mudanças em seu algoritmo para incluir a chamada busca semântica com a finalidade de interpretar a real intenção do usuário quando este formula uma consulta na Web.

As buscas são realizadas em linguagem natural, e os dispositivos móveis têm possibilitado uma novidade: as “buscas conversacionais”, ou seja, como se estivéssemos conversando com alguém. O Google também está criando aplicativos que permitem buscar oralmente.

Partindo da hipótese, inaugurada por Francisco Yus através da Ciberpragmática, de que a Teoria da Relevância é capaz de dar uma explicação científica às atividades humanas na Net, o objetivo geral desta pesquisa consiste em descrever e explicar o mecanismo de busca do Google através do aporte teórico dessas teorias e da Teoria de Conciliação de Metas de Rauen (2013, 2014).

“Meu estudo elege a seguinte questão de pesquisa: As ferramentas fornecidas pela Teoria da Relevância, com as contribuições da Ciberpragmática e da Teoria de Conciliação de Metas, são capazes de descrever e explicar o mecanismo de busca do Google?”, finaliza a estudante.

 

A banca avaliadora do projeto de tese foi formada por: Dr. Fábio José Rauen (orientador), Dra. Silvânia Siebert (avaliadora) e Dra. Andréia da Silva Daltoé (avaliadora). A apresentação faz parte dos Seminários Avançados do PPGCL.
 

PPGCL


Piada é objeto de pesquisa

 

(18/07/2014) Nesta sexta-feira (18), a doutoranda Leila Minatti Andrade apresentou projeto de tese intitulado "A utilização de piadas no processo de ensino-aprendizagem da língua espanhola: estudo com base na Teoria da Relevância", na sala 3 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

Piadas em língua espanhola

 

Leila destaca que, confirmando Selinker (1972), o ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras é um dos fenômenos mais complexos de todas as habilidades próprias do ser humano, pois envolve a criação de um sistema linguístico implícito, abstrato e inconsciente, que é também chamado sistema em desenvolvimento ou interlíngua.

 

Quando o aluno está aprendendo um idioma, ele fica muito ansioso. Essa ansiedade o deixa inibido, com medo de se expor, por não se sentir competente a produzir essa nova língua. A ansiedade é uma das maiores dificuldades para se aprender uma língua estrangeira.

 

Contudo, quando o aluno é exposto a textos humorísticos em foreground, sua meta naquele momento tende a ser o riso, de modo que a aprendizagem fica implícita/inconsciente em background. Ou seja, a aprendizagem é uma consequência e não a principal preocupação naquele momento. Por isso, supostamente, o aluno se sente menos pressionado e mais relaxado, mesmo sabendo que ele não conseguirá compreender muitas das palavras, estruturas e expressões.

 

“Em nossa prática, já constatamos que a utilização do humor para a aprendizagem da língua espanhola causa uma motivação muito grande nos alunos, pois os deixa mais relaxados, e a aula fica mais dinâmica”, diz a estudante.

Por haver constatado as diversas possibilidades de aprendizagem de uma língua estrangeira por meio dos textos de humor, por se perceber como despertam o interesse dos alunos que estão aprendendo uma língua estrangeira e por haver averiguado a grande dificuldade que os alunos têm de interpretar de textos de humor é que foi decidido estudar o tema do humor no ensino-aprendizagem de espanhol.

A pesquisa

 

O objeto desta pesquisa é a piada e embora encontremos alguns estudos sobre piada no Brasil, não encontramos trabalhos sobre aprendizagem de Língua Espanhola pelo viés do humor usando os conceitos da Teoria da Relevância. Acredita-se que as piadas contêm um material riquíssimo para trabalhar a compreensão e interpretação de textos em língua espanhola de uma forma lúdica, atraente e divertida. O grande problema para o professor que opta por trabalhar com esse input linguístico é o de identificar que tipo de piada pode ser utilizada na aprendizagem do espanhol, ou seja, o que o professor deve levar em conta ao selecionar esse gênero textual. De acordo com a Teoria da Relevância, se o esforço de processamento for muito alto, o ouvinte/leitor não produzirá efeitos contextuais e, consequentemente, não compreenderá a piada, não rirá.

“Em outras palavras, pretendemos selecionar piadas em espanhol correlacionando com as metas do professor para ensinar a língua espanhola. Como se trata de uma simulação, a Teoria da Relevância nos auxiliará para prever as inferências, implicaturas e os efeitos contextuais que provavelmente surtirão nos alunos no processo de compreensão das piadas.”, finaliza a doutoranda.

 

A apresentação faz parte dos Seminários Avançados do PPGCL e teve como banca avaliadora: Dr. Fábio José Rauen (orientador), Dra. Silvânia Siebert (avaliadora) e Dr. Maurício Eugênio Maliska (avaliador).
 

PPGCL


António Nóvoa fala sobre futuro da educação

 

(18/07/2014) O professor e psicólogo português, António Nóvoa, proferiu palestra sobre a pedagogia universitária no Espaço Integrado de Artes (EIA), no Campus Tubarão da Unisul na noite desta quinta-feira, 17. O evento reuniu professores da Universidade e da rede pública de ensino.

Pedagogia Universitária

 

Nóvoa destacou a necessidade de mudanças na área da pedagogia, que classificou como “uma das mais conservadoras no âmbito da educação”. Segundo ele, os professores atualmente se dedicam muito mais à pesquisa. “O ensino, por outro lado, é que deveria ser a nossa maior preocupação. É necessário que o coloquemos novamente como prioridade”, frisou.

O professor também fez comparações sobre o ensino superior que se faz em Portugal e no Brasil. “A situação das universidades em todo o mundo é, de maneira geral, muito parecida. Mas, no Brasil, há uma diferença clara: o ensino público ainda é muito restrito”, comentou.

A autonomia universitária foi outro elemento destacado. De acordo com Nóvoa, as universidades brasileiras têm muito menos autonomia que as instituições européias. “Essa questão é central. Embora seja difícil encontrar critérios que definam as melhores universidades, uma coisa é certa: as que têm mais autonomia estão um passo à frente”, disse.

O reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt, definiu a presença do professor português como “um momento importante para buscar desenvolver novas metodologias”. Herdt também frisou a importância de desenvolver cada vez mais “laços internacionais com outras universidades”.

O professor António é doutor em História pela Universidade de Paris IV-Sorbonne e em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra. Foi Reitor da Universidade de Lisboa durante sete anos e hoje é docente Catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. É autor de obras em 15 países, sobre temáticas da formação de professores, da história da educação e da educação comparada.

O evento foi promovido pelos programas Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR), Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e Programa de Formação Continuada (PROFOCO).

 

UnisulHoje (adaptado)


António Nóvoa ministrará Palestra na Unisul

 

(16/07/2014) O tema “Pedagogia Universitária: perspectivas atuais e futuras” será ministrado pelo professor e historiador António Nóvoa. A palestra, com entrada gratuita, acontece nesta quinta-feira, 17, às 19h15min, no Salão Nobre da Unisul, campus Tubarão.
 

O educador português


O professor António é Doutor em História pela Universidade de Paris IV-Sorbonne e em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra. Foi Reitor da Universidade de Lisboa durante sete anos e hoje é docente Catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. É autor de obras em 15 países, sobre temáticas da formação de professores, da história da educação e da educação comparada.

O evento é promovido pelos programas Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR), Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e Programa de Formação Continuada (PROFOCO).

 

Para saber um pouco mais sobre Nóvoa clique aqui.

 

UnisulHoje (adaptado)


Jornal Escolar é tema de tese

(15/07/2014) Nesta última segunda-feira (14) a estudante Vanessa Lima defendeu sua tese intitulada “A prática social no gênero jornal escolar: estudo do ponto de vista da análise crítica de gênero”, no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Receptores x Sujeitos

A tese é analisa, do ponto de vista da Análise Crítica de Gênero (BONINI, 2011), a relação entre gênero e prática social em jornal escolar produzido por alunos de uma turma de correção de fluxo dos anos finais do ensino fundamental de uma escola pública estadual do município de Tubarão, SC.


O estudo permitiu perceber algumas questões, entre elas, a constatação de que é possível preparar sujeitos para a vida, conforme o fundamento da educação crítica, inclusive o dos estudos do letramento.

 

O objetivo geral dessa pesquisa foi alcançado quando esta permitiu evidenciar alguns aspectos da relação entre a prática social e o gênero. Foi possível perceber que não é possível estagnar a produção ou o ensino de um gênero porque a prática social não pode ser isolada da produção genérica. Assim, os planejamentos de ensino podem sofrer diversas modificações em função da influência da prática social. Este jornal escolar é um exemplo disso. O gênero jornal escolar apresenta características diferentes do esperado para uma publicação do tipo, porque as práticas sociais que envolviam a equipe produtora influenciaram na constituição do gênero. Dessa forma, por mais que uma proposta de ensino de gêneros seja cuidadosamente planejada, o momento da produção genérica será influenciado pela prática social e esta, por sua vez, influenciará o projeto como um todo.


“Creio que o principal resultado desse trabalho é o incentivo a pesquisas que tomem a formação docente para escolas públicas como ponto central. O incentivo a pesquisas que trabalhem uma formação docente que possa enfrentar obstáculos como a fome, a violência ou a falta de uma casa segura. Ou ainda, que essas pesquisas invistam seus esforços em mostrar aos professores como tomar problemas como esses como pontos de partida para um processo educativo que utilize as práticas sociais locais como centrais a fim de incentivar uma visão crítica sobre o mundo.”, finaliza a estudante.

 

A estudante foi aprovada por banca composta pelos professores Dr. Fábio José Rauen (orientador),  Dr. Adair Bonini – UFSC (coorientador), Dra. Débora de Carvalho Figueiredo – UFSC (avaliadora), Dr. Marcos Baltar – UFSC (avaliador), Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora), Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (avaliadora) e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


Identidade, memória e cultura no trato com plantas medicinais


(14/07/2014) A estudante Eliane Anastácio Floriano, apresentou na tarde desta última sexta-feira (11) seu projeto de tese intitulado “Identidade, memória e cultura no trato com plantas medicinais: um possível diálogo entre saberes”, na Sala 3 do bloco Sede do campus Sul da Unisul.


Plantas medicinais na Pós-modernidade


O presente estudo está focado nas práticas com plantas para fins medicinais em diferentes contextos de saberes, mais precisamente na construção das identidades dos sujeitos envolvidos nesta atividade.


“Uma pesquisa nasce, provavelmente, da simpatia e da atração que determinados assuntos ou temas despertam. Por isso, o interesse pelo estudo desse tema surgiu tanto do meu envolvimento pessoal e acadêmico, como profissional, principalmente na transmissão destes conhecimentos às futuras gerações”, comenta a doutoranda.


A prática de utilização de plantas como medicamentos faz parte da existência humana. Para o homem, o conhecimento sobre plantas acompanha sua evolução, sendo de fundamental importância e considerada essencial para sua sobrevivência e qualidade de vida. No entanto, isso não garante que haja a continuidade pelas futuras gerações, uma vez que os indivíduos mais velhos acreditam que a cultura e as tradições locais se perdem pelo desinteresse dos mais novos, ou os indivíduos mais novos.

Assim, o estudo parte do pressuposto de que comunidades tradicionais, que praticam o cultivo e uso de plantas medicinais, produzem um espaço de memória, onde preservam e difundem um saber instituído, transmitido de geração a geração.

Nessa perspectiva, a pesquisa investigará como as rápidas mudanças ocorridas na pós-modernidade, influenciam na manutenção, transformação ou apagamento destas práticas tradicionais. Como recorte busca-se pesquisar contextos diferentes quanto à transmissão destes conhecimentos.


Identidade, memória e cultura presentes no trato com plantas medicinais, tanto na Medicina Popular como na Medicina Tradicional, configuram-se como objeto deste estudo, onde se buscará responder a seguinte questão norteadora da pesquisa: as comunidades tradicionais, que trabalham com plantas medicinais, estão alterando sua forma de atuação, no contexto cultural da pós-modernidade e com isso, modificam sua identidade, manejam suas memórias, alterando assim a cultura local?


A banca da apresentação do projeto de tese foram: Dra. Alessandra Soares Brandão (orientadora), Dra. Ramayana Lira de Sousa (avaliadora) e Deisi Scunderlick Eloy de Farias (avaliadora).


PPGCL


Uma análise sob a perspectiva da Teoria da Conciliação de Metas


(14/07/2014) Na última sexta-feira (11) a doutoranda Andreia da Silva Bez apresentou seu projeto de tese “Os processos de auto e heteroconciliação de metas no processo psicoterapêutico da Terapia Cognitiva: uma análise sob a perspectiva da Teoria da Conciliação de Metas”, na Sala 3 do bloco Sede do campus Sul da Unisul.


Potencial descritivo e explanatório da Teoria de Conciliação de Metas


A tese avalia o potencial descritivo e explanatório da Teoria de Conciliação de Metas de Rauen (2013, 2014) em intervenções de Terapia Cognitiva. O sucesso da intervenção consiste na projeção colaborativa de metas, e a terapia consiste na elaboração de hipóteses abdutivas antefactuais, cuja execução pode, na medida em que gera resultados conciliáveis com as metas traçadas, enfraquecer ou flexibilizar a conexão categórica de causa e efeito em crenças disfuncionais.


“Descrever e explicar por um viés pragmático da comunicação fundamentado no conceito de relevância os tipos de raciocínios do terapeuta e do paciente na Terapia Cognitiva, pode ampliar o entendimento desses processos e, com isso, possibilitar uma melhor compreensão da conceitualização do caso”, explica a estudante.


Considerar a pertinência dos conceitos de auto e heteroconciliação de metas pode esclarecer aspectos importantes dessa relação terapêutica, especialmente porque ela deve ser estabelecida por empirismo colaborativo. Ou seja, por um processo pelo qual paciente e terapeuta, cada qual com seus conhecimentos, compartilham todas as tomadas de decisão, para juntos resolver problemas e atingir os propósitos traçados.


“Diante dessas considerações fundamentadas nas noções teóricas da Teoria da Relevância e da Teoria da Conciliação de Metas, investigam-se nesta tese as interações comunicacionais entre terapeuta e paciente em uma relação psicoterapêutica da Terapia Cognitiva”, finaliza Andreia.


Participaram do seminário: docentes, colaboradores e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Fábio José Rauen (orientador), Dra. Maria Marta Furlanetto (avaliadora) e Dr. Maurício Eugênio Maliska (avaliador).


PPGCL


Jogo "Mass Effect 3" é tema de projeto de tese

 

(11/07/2014) O estudante Cremilson Oliveira Ramos abriu os Seminários Avançados de Tubarão com a apresentação do seu projeto de tese intitulado "Fábulas eletrônicas: a transexualidade virtual no videogame Mass Effect 3". O projeto foi apresentado nesta última quinta-feira (10), na Sala 3 do bloco Sede do campus Sul da Unisul.

 

Relação entre sujeito e videogames

 

A escolha do jogo Mass Effect 3, se fez pela percepção do problema de gênero. Ainda que seja apenas possível escolher entre o sexo masculino e feminino, deixa-se aberta a possibilidade de se construir o gênero da personagem. A inclusão dos temas gênero e sexualidade nos games pareceu algo bastante provocador sobre o qual o doutorando escolheu refletir.

 

"Sempre tive interesse em entender a relação entre os sujeitos e os videogames, o que acontece além da diversão", explica o estudante.

 

Como poderíamos entender a relação entre o sujeito e a personagem nos jogos de RPG (Role Playing Games) quando o gênero de que o jogador se apropria dentro do mundo do game não coincide com aquele que ele assume em sua vida diária?, questiona.

 

Nesse sentido, a pesquisa propõe a possibilidade de existência de uma transexualidade virtual, dado que há uma transposição de gênero na interação entre o jogador e o avatar.

 

O seminário foi composto por docentes e discentes do Programa. A comissão avaliadora foi formada por Dra. Ramayana Lira de Sousa (orientadora), Dra. Alessandra Soares Brandão - UNISUL (avaliadora) e Dr. Fábio José Rauen - UNISUL (avaliador).

 

PPGCL


Encerram-se os Seminários Avançados na Pedra Branca

(03/07/2014) Cynthia Hansen foi a última doutoranda a apresentar seu projeto de tese em Pedra Branca. A pesquisa intitulada “Moda para além do fashion: a aparência como hábito estético na contemporaneidade” foi apresentada nesta última terça-feira (1º), no Cine Pedra Branca do campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Moda para além do fashion

A pesquisa de Cynthia tem como objetivo geral discutir a contemporaneidade a partir da análise da aparência como hábito estético que vai além do uso institucionalizado da moda.

“A partir do estudo sobre mitologia e sobre o surgimento e desenvolvimento da moda realizado na dissertação de Mestrado, foi possível verificar que a moda consiste num fenômeno tanto histórico quanto social, característico da sociedade ocidental contemporânea pelo fato de se afirmar na negação do tradicional e na exaltação do presente social e, também, por sua intrínseca relação com a ideologia dominante em tal sociedade: o individualismo” esclarece a doutoranda.

“Por conta disso, viu-se que a moda também pode ser considerada um mito, posto que, na sociedade contemporânea, o vazio criado pela falta de uma estrutura dada de valores que estabeleça um padrão contra o qual o indivíduo possa avaliar sua vida – estruturas típicas de sociedades pré-modernas, como a religião, por exemplo – é preenchido, entre outros, pelas narrativas fornecidas pela moda”, explica.

No intuito de comprovar, retificar ou refutar os pressupostos de pesquisa apresentados, Cynthia propõe objetivos específicos do projeto de tese, dentre eles: a) Relacionar os modelos produtivos característicos da moda vestuário – alta-costura, prêt-à-porter e fast fashion – ao sentido kuhniano de matriz disciplinar; b) Relacionar a situação de matriz disciplinar dos modelos produtivos da moda vestuário à realidade social contemporânea; c) Definir a aparência como um hábito estético que se constitui pelo uso seletivo, entre outros, de roupas, calçados e acessórios.

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Aldo Litaiff (orientador), Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel.

PPGCL


Projeto estuda a obra de Bernardo Carvalho

(03/07/2014) A estudante Vera Lucia Sommer apresentou o projeto de tese intitulado “Literatura e jornalismo na obra de Bernardo Carvalho: cruzamentos, fronteiras e tensões” nesta última terça-feira (1º), no Cine Pedra Branca do campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Nove noites: romance

Segundo a pesquisadora, o projeto de tese surgiu do estranhamento à mistura da narrativa literária com a jornalística apresentada em Nove noites: romance, obra de Bernardo Carvalho.

“Esta obra é uma narrativa marcada pelo embaçamento da fronteira entre realidade e ficção. Ele apresenta dramas originados de artigos de jornais, cartas, bilhetes, diários, bem como relatos sem qualquer compromisso com o mundo concreto, narrados em primeira pessoa do singular por personagens, geralmente, sem nome”, explica.

A obra de Bernardo Carvalho constitui tema recorrente de artigos científicos, dissertações e teses de academias brasileiras, e até estrangeiras. Apesar disso, não é um autor que freqüente as listas dos livros mais vendidos do ranking publicado em revistas e jornais do país. Costuma, entretanto, provocar discussões em encontros literários e científicos dos quais participa justamente pelo desafio a que se lançou na literatura.

“Em função dessas inquietações, um dos objetivos específicos é descrever a obra deste escritor brasileiro, a partir da presença de elementos característicos da literatura latino-americana contemporânea, baseados nos estudos realizados por Garramuño (2012), Ludmer (2010), Laddaga (2007) e Klinger (2006)”, complementa a estudante.

“Outro objetivo é apresentar alguns conceitos de jornalismo, ficção e realidade, público e privado – tomando o jornalismo como contraponto à literatura. Para isso, valemo-nos das pesquisas realizadas por Castro e Galeno (2002), Bulhões (2007), Ferreira (2003) e Pena (2008) sobre cruzamentos, fronteiras e tensões entre jornalismo e literatura”, finaliza.

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos (orientador), Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano e Dra. Ana Carolina Cernicchiaro.

PPGCL


Tese analisa jogos de linguagem

(01/07/2014) O doutorando Cristiano Neves defendeu a tese “A linguagem viva – Wittgenstein e os jogos de linguagem: A comunicação em uma organização prisional”, nesta última segunda-feira (30), no Cine Pedra Branca, Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Jogo de linguagem do reeducando em uma organização prisional

Segundo o estudante, a pesquisa consiste em uma investigação da linguagem utilizada pelos reeducandos em uma organização prisional, compreendendo essa comunicação como um jogo de linguagem.

“Minha proposta foi investigar se a linguagem utilizada pelos reeducandos no Complexo penitenciário de Florianópolis pode ser entendida como um jogo de linguagem. Para isso criei o termo “jogo de linguagem do reeducando”. Percebi que esse jogo de linguagem se origina na necessidade de codificar informações que dizem respeito apenas ao meio criminal”, explica.

“Para tanto, utilizei os escritos do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein, o contexto de seu surgimento e as mudanças que suas idéias tiveram no decorrer de sua vida”, complementa o estudante.

A tese de Cristiano foi aprovada por banca formada pelos professores Dr. Aldo Litaiff – UNISUL (orientador), Dr. Marciano Adilio Spica – UNICENTRO (avaliador), Dra. Kátia Maheirie – UFSC (avaliadora), Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (avaliadora) e Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, um flagrante do doutorando no momento da apresentação.

 

PPGCL


Discurso feminista é analisado em tese


(30/06/2014) A estudante Adriana de Oliveira Limas Cardozo, defendeu nesta última sexta-feira (27), sua tese intitulada “Discurso Feminista e suas relações com a concepção de feminino na Psicanálise”. A defesa ocorreu às 8 horas e 30 minutos, na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.


Ser mulher x Ser feminina


O tema desta tese surgiu de uma questão que se construiu na experiência clínica. Investiga o que se revela no discurso feminista tão disseminado na cultura e reproduzido pelas mulheres. Na mesma medida em que ser uma mulher e ser feminina é uma questão social, é também uma interrogação clínica desde a invenção da Psicanálise.


“O objetivo geral é analisar o discurso feminista e suas relações com a concepção de feminino na Psicanálise”, explica Adriana.


Assim como, os objetivos específicos são o de investigar a posição feminina no discurso feminista e no discurso psicanalítico; articular a posição feminina no discurso feminista como um efeito da castração a partir da concepção sobre o feminino na Psicanálise; provocar uma reflexão sobre como as mulheres estão inseridas no discurso feminista e no discurso psicanalítico; compreender de forma pormenorizada a relação pensada por Freud e Lacan sobre o feminino; e analisar uma produção textual pertencente a autora Simone De Beauvoir, através da psicanálise e da Analise de Discurso de linha francesa como possibilidades de análise discursiva.


Análise do discurso e Psicanálise


Tanto a A.D. quanto a psicanálise trabalham com a noção de inconsciente, interpretação, efeito de sentido. O discurso é uma possibilidade de articulação com as manifestações do inconsciente. O efeito de sentido é produzido pela sua relação com a metáfora, a contradição e o não-dito.


“Parte-se do princípio de que o feminino, assim como o feminismo, são discursos”, diz a estudante.


“Pensar as mulheres, o feminino, e a histeria, refere-se a estabelecer uma concepção discursiva sobre o que chamam de feminino/masculino, sobre as mulheres e a neurose”, complementa.

Ainda na tese, estuda-se o imaginário que se revela no fragmento de Beauvoir como a questão essencial de sua escrita. Há um imaginário social de completude: o homem é o “completo” e, por consequência, a mulher é a incompleta.


“Propõe-se ainda, com base na discussão promovida na análise e nestas considerações, pensar o feminino como uma posição que atravessa as mulheres, como uma posição inconsciente, que atravessa a linguagem”, finaliza a doutoranda.


A tese da estudante foi avaliada, e aprovada, por banca formada pelos professores Dr. Maurício Eugênio Maliska – UNISUL (orientador), Dra. Maria Cristina Candal Poli – UFRJ (avaliadora), Dr. Pedro Heliodoro de Moraes Branco Tavares – USP (avaliador), Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora), Dra. Silvânia Siebert– UNISUL (avaliadora) e Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (suplente).

 

Na foto principal, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação. Logo abaixo, a banca no momento de avaliação com a participação da avaliadora Dra. Maria Cristina Candal Poli via skype, e ao lado uma foto da estudante com a banca, da esquerda para a direita: Dra. Maria Marta, Dr. Pedro Heliodoro, Dr. Maurício Maliska, a estudante Adriana, Dra. Silvânia Siebert e Dra. Andréia Daltoé.

 

   

 

PPGCL


Derrida com Makumba: do racismo científico às vanguardas

(25/06/2014) Dr. Rodrigo Lopes de Barros (Massachusetts, EUA), apresentou a conferência “Derrida com Makumba: do racismo científico às vanguardas” no último dia 16 de junho, às 13h30min, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Leituras vanguardistas das manifestações africanas na América


Na conferência, Barros mostrou de que modo a criminologia positivista e cientificista foi radicalizada por experiências místicas e transculturais que influenciaram fortemente as leituras vanguardistas das manifestações africanas na América.

Em sua leitura original e desafiadora, Barros destacou a forma como os ensaios de Fernando Ortiz, os romances de Alejo Carpentier, as imagens de Pierre Verger, os estudos de Alfred Métraux e a antropologia acefálica de Georges Bataille - atravessados pelo transe, o sacrifício, o jogo, o dom e o pharmakon das religiões afro-latino-americanas - penetraram no pensamento desconstrucionista do filósofo Jacques Derrida, influenciando alguns dos conceitos mais importantes da crítica atual.

Rodrigo é professor de Literatura Hispânica e Estudos Brasileiros da Boston University (Massachusetts, EUA) e esteve na Unisul a convite da bolsista de pós-doutorado do PPGCL, Ana Carolina Cernicchiaro, que intermediou o debate realizado logo após a conferência.

PPGCL


A identidade feminina na música gaúcha

(24/06/2014) Íria Catarina Queiroz Baptista apresentou o projeto de tese intitulado “Guria, prenda, china, chinoca, patroa ou simplesmente mulher: a identidade feminina gaúcha construída através da música nativista do Rio Grande do Sul” nesta última terça-feira (24), no Cine pedra Branca do campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A identidade feminina gaúcha construída através da música nativista do RS

O projeto da estudante tem como objetivo principal investigar e refletir acerca das representações, utilizadas pelos compositores de músicas nativistas gaúchas, na construção midiática da identidade da mulher sulriograndense, pelo viés dos Estudos Culturais.

Para atingir este objetivo, a pesquisadora apoiou-se em uma mídia de grande poder. “Optei por estudar as letras de músicas nativistas selecionadas para compor os discos (Vinil e CDs) do programa televisivo “Galpão Crioulo”, apresentado, nas manhãs de domingo pela Rede Brasil Sul de Televisão (RBS TV) – filiada à Rede Globo de Televisão - nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, tomando por base as canções que apresentassem a figura feminina como tema principal”, explica.

“A intenção da pesquisa é dar visibilidade ao tema proporcionando espaços onde se possam vislumbrar discursos com base na (des)igualdade de gênero. Além disso, compreender, interpretar e criticar as representações sociais é uma forma de resistir a sua transmissão pura e simples além de abrir espaços para outras possibilidades”, complementa.

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Fernando Simão Vugman (orientador), Dr. Aldo Litaiff e Dra. Ana Carolina Cernicchiaro.

PPGCL


Projeto analisa condições de produção e autoria

(24/06/2014) A estudante Katia Cristina Schuhmann Zilio apresentou o projeto de tese intitulado “O sujeito aluno e as condições de produção da autoria no processo de busca/pesquisa da/na internet” nesta última terça-feira (24), em continuidade às apresentações da disciplina de Seminários Avançados de Pedra Branca.

Segundo a estudante, a pesquisa se caracteriza em uma proposta de análise discursiva do processo de pesquisa/ busca em turmas de quinto ano de duas escolas públicas, para posteriormente propor uma prática que possa tornar mais refletida e qualificada a pesquisa nas escolas envolvidas.

Objetivos da pesquisa

“O objetivo de que se vale esta pesquisa é de apresentar procedimentos de pesquisa/busca do sujeito aluno, por meio de uma análise discursiva, visando à qualificação dessa prática. Dessa forma, é necessário descrever o complexo de formações discursivas presentes num processo de letramento (de aquisição da leitura e escrita) promovido pela escola/ bem com o de letramento digital”, explica a estudante.

“Pretendo refletir teoricamente acerca do sujeito e sua posição na trajetória do letramento digital e compreender a(s) inscrição(ões) do sujeito junto às tecnologias, verificando quando e como o processo se faz . É necessário, nesse percurso,analisar o material coletado, tendo a Análise do Discurso como base teórico analítica, para compreensão das escolhas feitas e suas determinações discursivas para devolver os resultados aos sujeitos envolvidos (alunos, professores e estagiários) e discuti-los, explicitando os fatores determinantes da busca, em nível social, histórico e ideológico”, completa.

Como objetivos específicos, a doutoranda destaca os seguintes: analisar as condições de produção da autoria quando se estabelece a busca por um tema (prática de pesquisa escolar); questionar como se faz busca/pesquisa e de que forma ela se instala na escola e na academia ajuda a compreender as condições de produção estabelecidas durante esse processo e, talvez, formar questões mais convergentes e instrumentalizadoras de análise, a fim de discutir novas práticas para o processo de produção de conhecimento a partir da pesquisa.

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dra. Solange Maria Leda Gallo (orientadora), Dra. Giovanna Benedetto Flores e Dr. Maurício Eugênio Maliska.

PPGCL


Tambor de Crioula do Maranhão é objeto de estudo

(18/06/2014) A estudante Conceição de Maria dos Santos Pacheco apresentou o projeto de tese “Coreira do tambor de Crioula do Maranhão: interpelações do discurso” nesta última segunda-feira (16), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A brincadeira do Tambor de Crioula

A brincadeira do Tambor de Crioula é uma manifestação cultural popular afro maranhense. Representa-se pelo canto e dança de pessoas oriundas dos antigos quilombos reunidas numa roda onde mulheres vestidas com largas e longas saias de chita colorida que rodopiam e se encontram no meio da roda no momento da punga1 sob o som de tambores e toadas que só os homens entoam.

Segundo a estudante, o objetivo central da pesquisa é compreender a posição sujeito brincante coreira da brincadeira do Tambor de Crioula do Maranhão e seus movimentos de contorno às categorias de gênero do mundo “semanticamente normal” e do logicamente estabilizado.

Dentre os objetivos específicos a aluna destaca: descrever os processos de textualização do brincante do Tambor de Crioula observando a posição sujeito coreira e suas regularidades e deslocamentos; compreender o aspecto político do discurso, a partir da posição sujeito coreira; apontar, por meio de análise, os deslizamentos das materialidades significantes/corpos que tragam outros efeitos de sentidos da brincadeira do Tambor de Crioula e suas representações na contemporaneidade.

“Para esta análise utilizarei a teoria da Análise do Discurso para observar a forma sujeito brincante coreira do Tambor de Crioula quando o efeito de sentido político resgata o efeito de lugar de resistência, haja vista, que a posição sujeito brincante coreira se constitui na possibilidade de uma mulher negra, advinda da senzala poder dançar na roda de uma brincadeira de negros em louvor a um santo da igreja católica,” explica.

A comissão avaliadora foi composta pelas professoras Dra. Nádia Régia Maffi Neckel (orientadora), Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano e Dra. Solange Maria Leda Gallo.
 

PPGCL


Projeto analisa as novas estruturas das relações amorosas no século XXI

(17/06/2014) A estudante Suzana Raquel Bisognin Zanon apresentou o projeto de tese “Dona Flor antes e depois: da transgressão da leia à transgressão como lei” nesta última segunda-feira (16), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Dona Flor e seus dois maridos (1966)


Segundo a estudante, o objetivo da pesquisa é estudar as novas estruturas das relações amorosas no século XXI como um fator que contrapõe os códigos da heteronormatividade social. Nessa conjuntura, o trabalho teve como objeto de pesquisa a personagem Dona Flor, de Dona Flor e seus dois maridos (1966), a qual pode ser lida sob a ótica da transgressão das normas de conduta social e do patriarcalismo em declínio.

“Este trabalho vem a questionar alguns aspectos, os quais serão investigados e, negados ou afirmados, ao longo da tese de doutoramento: podemos considerar Dona Flor como um sintoma da implosão de novos projetos conjugais e afetivos? É possível as relações poliamorosas adentrarem no universo da transgressão à heteronormatividade? De que forma a transgressão das leis patriarcais abre espaço a novas formas de gozo?”, explica a estudante.

“Justifica-se a escolha do tema “Dona Flor antes e depois: da transgressão da lei à lei como transgressão” por ser Dona Flor protagonista de um clássico (ainda estudado em várias dimensões teóricas) que problematiza o matrimônio em crise, frente a uma sociedade burguesa movida pelo preconceito e hipocrisia. Frente aos novos estudos como o poliamor, o qual discute as novas formas de gozo, Dona Flor pode ser objeto de comparação e um intermédio entre passado e presente, o que nos causa curiosidade”, completa.

Como objetivos específicos, a doutoranda destaca os seguintes: (1) estudar o projeto patriarcal das sociedades ocidentais, bem como os seus princípios básicos; (2) mostrar como se dá a transgressão na obra em discussão, a partir dos estudos de Bataille; (3) analisar a heteronormatividade como um padrão de conduta no seio social; (4) estudar a prática do poliamor como uma nova forma de gozo; (5) mostrar como Dona Flor projeta um sintoma de desconstrução da estrutura familiar; (6) caracterizar as relações
poliamorosas como um novo projeto em ascensão no século XXI.

A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Antônio Carlos Gonçalves dos Santos (orientador), Dra. Ana Carolina Cernicchiaro e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel.
 

PPGCL


Dissertação discute adequação lógica e plausibilidade empírica

 

(16/06/2014) “Relevância e conciliação de metas: adequação lógica e plausibilidade empírica” é o título da dissertação defendida pela estudante Suelen Francez Machado Luciano, na última sexta-feira (13), às 15 horas, no Salão Nobre, Bloco A, Campus Sul da Universidade do Sul de Santa Catarina.

Relevância e Conciliação de Metas

 

"Wilson (2004) desenvolve no curso Pragmatic Theory um exemplo no qual alguém está em dúvida se pega o ônibus para participar de uma conferência num contexto cognitivo formado por três suposições: (1) 'Eu (provavelmente) pegarei o ônibus'; (2) 'Se eu pegar o ônibus, eu participarei da conferência'; e (3) 'Se eu não pegar o ônibus, eu perderei a conferência', contextualiza a estudante.

 

"Sua modelação, contudo, apresenta problemas lógicos de omissão do tratamento da suposição contrária tanto na versão positiva, quando a pessoa pega o ônibus, quanto na versão negativa, quando a pessoa perde o ônibus; e empíricos, dado que a pessoa fica fadada a não ir à conferência caso não embarque", explica.

 

A partir desse cenário, segundo a mestranda, a dissertação buscou explorar alternativas de descrição e de explicação do exemplo de Wilson (2004), a partir de modelações dedutivas, buscando evitar a omissão de suposições contrárias e preservar o rigor lógico, e de uma modelação abdutivo/dedutiva, buscando incrementar a plausibilidade empírica das modelações.

 

"No que se refere ao ponto de vista lógico, utilizamos as regras de eliminação no escopo dedutivo da Teoria da Relevância e concluímos que o operador bicondicional adéqua-se ao caso sem os inconvenientes da modelação condicional, porém, além de pressupor a equivalência de causa e efeito, redunda empiricamente na mesma consecução radical daquela modelação", argumenta.

 

"Buscando, então, a plausibilidade empírica, extrapolamos a modelação dedutiva da Teoria da Relevância ao utilizar a Teoria de Conciliação de Metas que propõe que o o mecanismo é antes abdutivo e depois dedutivo, uma vez que a conclusão Q (meta) tem um papel essencial no processo de filtragem das premissas P, ou seja, a suposição Q surge a partir de uma meta estabelecida, e a suposição P é uma hipótese ao menos exequível para conquistar Q", complementa.

 

"Por fim, defendemos que o desejo de participar da conferência é primário à ação de pegar o ônibus, uma vez que dificilmente alguém pega um meio de transporte para depois escolher o destino, isto é, antes projetamos onde queremos ir e depois abduzimos o melhor meio para se chegar", finaliza.

Suelen foi aprovada com distinção por banca formada pelos professores Dr. Fábio José Rauen – UNISUL (orientador); Dra. Heloísa Pedroso de Moraes Feltes – UCS (avaliadora); Dr. Jorge Campos da Costa – PUCRS (avaliador); e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (suplente).

Na foto principal, um flagrante da apresentação. Mais abaixo, a estudante posa com a banca avaliadora (da esquerda para direita: Suelen Luciano, Fábio Rauen, Jorge Campos (participou via Skype), Heloísa Feltes e Silvânia Siebert).

 

 

PPGCL


Conceitos ad hoc são abordados em conferência


(16/06/2014) Dra. Heloísa Pedroso de Moraes Feltes (UCS) apresentou a conferência “Conceitos ad hoc: operando sobre a indeterminância no nível da explicatura” nesta última sexta (13) às 13h30min no Salão Nobre da Unisul de Tubarão.


Debate


A questão da indeterminação semântica tem sido objeto de constante debate acadêmico, porque ela põe em xeque a fronteira entre o domínio da semântica e o domínio da pragmática. No contexto de pesquisas fundamentadas no conceito de relevância, uma das formas de tratar esse fenômeno é a de propor que o ouvinte elabore um conceito ad hoc para dar conta de interpretar uma palavra indeterminada e construir a explicatura de um enunciado. Justamente essa questão que foi destacada pela pesquisadora Heloísa Feltes da Universidade de Caxias do Sul para uma plateia formada por docentes e estudantes do PPGCL.


Por exemplo, quando alguém diz que os olhos de outra pessoa estão vermelhos, qual seria a primeira interpretação consistente com a noção de relevância? Sem contexto, é possível saber o que as palavras ‘olhos’ e ‘vermelho’ significam. Todavia, numa perspectiva que considera seriamente a intervenção de contextos, bem pode ser o caso de essa pessoa ter chorando ou ter levado uma pancada, o que leva a pensar que o falante está considerando não somente os olhos, mas a região em torno dos olhos. Por outro lado, bem pode ser o caso de essa pessoa estar sob o efeito de drogas, o que leva a inferir que se está considerando os globos oculares, ou ainda de a pessoa ser um vampiro, o que leva a inferir que a Iris dos olhos é o tema da conversa.


“Segundo a proposta baseada no conceito de relevância, nesses casos, a pessoa lançaria mão de uma interpretação ad hoc, isto é, uma interpretação provisória”, comenta a pesquisadora. “A tese que se defende é a de que no decurso da conversação essa interpretação provisória seria posta à prova. Por exemplo, se o assunto avança no sentido de falar sobre os desdobramentos de uma decepção amorosa, parece que o conceito ad hoc que a região dos olhos está vermelha em função de a pessoa ter chorado vai se confirmando; se é o caso de falar sobre um filme de vampiros, tudo leva a inferir que a palavra ‘olhos’ é mais bem interpretada como a íris dos olhos; e assim por diante”, complementa.


Com base em exemplos como este, a autora apresentou um conjunto de desdobramentos que a noção de conceitos ad hoc pode gerar para o desenvolvimento da teoria da relevância em particular e para a definição de uma fronteira mais precisa entre o domínio da semântica e da pragmática em geral.


Para conhecer um pouco mais sobre o tema, é possível ler o artigo “Problematizando o item lexical ‘beijo’: explicaturas e implicaturas em questão da provinha Brasil”, publicado pela autora em coautoria com o professor Fábio José Rauen. Para acessar o artigo, basta clicar aqui.


Heloísa esteve na Unisul para compor a banca de defesa de dissertação da estudante Suelen Francez Machado Luciano e é uma das pesquisadoras mais reconhecidas no país nos estudos cognitivos de natureza semântica e pragmática.


PPGCL


O sujeito em EaD é tema de tese

 

(16/06/2014) A estudante Patrícia da Silva Meneghel, defendeu na última sexta-feira (13), sua tese intitulada “O sujeito que se constrói no ensino a distância: uma reflexão discursiva acerca das singularidades designáveis na estrutura e no acontecimento”. O trabalho foi apresentado às 9 horas, no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Plataforma EaD

Esta tese parte do ensino a distância (EaD), das materialidades textual-discursivas produzidas por sujeitos-acadêmicos de uma instituição de ensino superior bem como de uma plataforma virtual que oportuniza os acontecimentos discursivos. Utiliza-se, em face disso, uma ferramenta específica para fins didáticos, o EVA (Espaço Virtual de Aprendizagem) da Universidade do Sul de Santa Catarina.

“O objetivo central desta tese é analisar o sujeito que se constrói no ensino a distância, por meio de uma reflexão discursiva acerca das singularidades designáveis na estrutura e no acontecimento”, explica a doutoranda.

Para a análise utiliza-se de uma reflexão filosófico-discursiva, pautada em conceitos teóricos que se entrecruzam entre a Filosofia e a Análise de Discurso e, por vezes, aproximando uma ou outra instância teórica para, oportunamente, discorrer sobre as condições de produção dos enunciados/acontecimentos atualizados nas salas virtuais de aprendizagem, tanto de disciplinas a distância (DAD), quanto de cursos totalmente a distância, da UnisulVirtual.

O sujeito

Ao final, considera-se que há um sujeito que se constrói no ensino a distância e o faz em função do ressoar das estruturas em acontecimentos múltiplos; que cabe ao aluno a movência, o ocupar posições-sujeito distintas dentro de uma forma-sujeito Unisul; a partir das posições ocupadas pelo sujeito, é possível observar para além do que a face pode transparecer: emerge o rosto; há uma arquiestrutura que possibilita a vibração do significante e do significado, estabelecendo um jogo sem centro e, em razão disso provoca o deslizamento do sujeito para um devir imprevisível; como lugar de universalização do conhecimento, a Universidade deve fazer fluir a movência entre várias posições-sujeito possíveis e, ainda, despertar e desvendar os rostos velados que se acanham nas faces transparentes.

A tese da estudante foi avaliada, e aprovada com louvor, por banca formada pelos professores Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora), Dr. Sandro Braga – UFSC (coorientador), Dr. Fábio Luiz Lopes da Silva – UFSC (avaliador), Dr. Eric Duarte Ferreira – UFFS (avaliador), Dra. Ramayana Lira de Sousa– UNISUL (avaliadora) e Dra. Alessandra Soares Brandão– UNISUL (avaliadora).

Na foto, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação.

PPGCL


Tese analisa a Educação a Distância no Brasil

(12/06/2014) “O que é e o que deve ser EAD no Brasil – Gestos de interpretação” foi o título da tese defendida pela doutoranda Regina Aparecida Milléo de Paula, nesta última quarta-feira (11). O trabalho foi apresentado às 16 horas no Cine Pedra Branca, Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A Educação a Distância

Em linhas gerais, sabe-se que a EAD é uma forma de educação em que os alunos e o professor não se encontram, continuadamente, um na presença do outro. O que denota que a maior parte da comunicação professor-aluno se realiza por meio de uma tecnologia.

Em sua tese, Regina pretendeu compreender o modo de funcionamento específico da EAD no que se relaciona à produção e circulação do conhecimento neste ambiente virtual.

“Ao desenvolver esta tese pretendo refletir sobre uma experiência vivida enquanto coordenadora de avaliação de um curso oferecido nesta modalidade, atuação esta que iniciou-se em 2005 quando fui convidada para corrigir redações que faziam parte do processo seletivo-vestibular do Curso Normal Superior, Licenciatura para as Séries Iniciais do Ensino Fundamental na modalidade EAD, oferecido pela Faculdade Educacional da Lapa, com sede na cidade da Lapa no estado do Paraná”, explica.

Efeitos de sentido e relação com interlocutores

A tese, a partir dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa pecheutiana, apresenta o estudo acerca dos gestos de interpretação na análise das diferentes séries do arquivo jurídico relativo à Educação a Distância (EAD), buscando dar visibilidade aos equívocos, silenciados e contradições que trabalham os processos de escritura da lei, abrindo fissuras na superfície homogênea do texto.

“Pretendi discutir os efeitos de sentido, relação entre interlocutores, discursividades e, portanto, observar esta relação, buscando compreender o funcionamento dos processos discursivos nos quais, os sentidos se constituirão nesta relação “sujeito e sentido””, continua.

“Acredito que uma maneira de fugir das armadilhas mencionadas na tese seria elaborar e apresentar uma proposta de definição, uma proposta em que procuro assumir esta forma de significação de EAD, porém, remetendo-a aos sentidos que julgo serem os que devem ser fortalecidos: Educação a distância é, em essência, educação e como tal “a distância” é uma tipologia, uma adjetivação que visa ao atendimento. A tipologia “a distância” especifica o atendimento e não o processo, porque o processo é a Educação”, finaliza.

A tese da estudante foi Aprovada com Louvor, por banca formada pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora), Dra. Mónica Graciela Zoppi Fontana – UNICAMP (avaliadora), Dra. Dulce Márcia Cruz – UFSC (avaliadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (avaliadora) e Dra. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores – UNISUL (avaliadora).

Na foto principal, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação. Logo abaixo, a banca avaliadora, da esquerda para a direita: Dra. Solange, Dra. Dulce, Dra. Giovanna, Dra. Mónica e Dra. Nádia e um registro da estudante e sua orientadora.

 

  


PPGCL


Ciências da Linguagem promove Bancas

(11/06/2014) Estão sendo divulgadas datas das Bancas Avaliadoras dos alunos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem. Até o momento são 7 defesas, entre elas de doutorado e mestrado, que serão avaliadas nos dois Campi de Tubarão e da Pedra Branca.


Represa de defesas se abre


O PPGCL vive um momento muito importante, onde, está se fechando a primeira turma de doutorado do curso. Devido a isto, várias defesas ocorrerão nos próximos dias.

Os temas pesquisados para a elaboração das teses e dissertações abordam, em aspecto geral, o ensino a distância, os jornais escolares, a linguagem e a arte.


Na próxima sexta-feira (13) duas bancas de defesa acontecerão. Uma no campus Pedra Branca, da doutoranda Patrícia da Silva Meneghel, intitulada “O sujeito que se constrói no ensino a distância: uma reflexão discursiva acerca das singularidades designáveis na estrutura e no acontecimento”, e da mestranda Suelen Francez Machado Luciano, apresentando sua dissertação intitulada “Relevância e Conciliação de Metas: adequação lógica e plausibilidade empírica”.


As defesas são aberta ao público. Para conferir mais informações, acesse aqui.
 

UnisulHoje (adaptado)


Iniciam-se as apresentações dos Seminários Avançados

(11/06/2014) O doutorando Carlos Alberto Silva da Silva iniciou, na última terça (10), uma sequência de dezoito apresentações que compõem os Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem. Seu trabalho foi apresentado no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Voz e autoria em Clementina de Jesus

Carlos apresentou o projeto de tese intitulado “Voz e autoria em Clementina de Jesus – a cultura da oralidade do negro afro-brasileiro”.

De acordo com o pesquisador, o trabalho visa investigar os elementos que constituem a autoria na voz de Clementina de Jesus e apagamento do negro na construção da história cultural afro-brasileira.

“O problema desta pesquisa consiste em saber o lugar/espaço da voz de Clementina de Jesus na interface oralidade/autoria no cenário da cultura brasileira”, explica o estudante.

“Para desenvolver a pesquisa, um dos principais suportes será o vídeo documentário Clementina de Jesus: Rainha Quelé, de Werinton Kermes, de 2011, que sintetiza boa parte da história de Clementina de Jesus a partir de um trabalho de investigação junto a pesquisadores acadêmicos e músicos que acompanharam ou que reconhecem a importância da voz de Clementina não só para Música Popular Brasileira, mas também para preservação da memória cultural negra no Brasil”, complementa.

 

Estudos culturais

Carlos explica que o estudo sobre a autoria pela voz em Clementina de Jesus se caracteriza como pesquisa qualitativa e se organiza em seu fundamento teórico a partir dos estudos culturais, que possibilita mapear a diversidade de posições e tradições para pensar o contexto em que se encontra o cantar de Clementina.

“É pelos estudos culturais que vamos constituir um campo interdisciplinar, transdisciplinar e em algumas vezes contra-disciplinar, como sugerem Cary Nelson, Paula A. Treichler e Lawrence Grossberg (1998), para atuar na tensão entre suas tendências para abranger uma concepção estreitamente humanística de cultura”, completa.

O seminário avançado, que é apresentado oralmente pelos estudantes, é uma etapa obrigatória para a formação dos futuros doutores em Ciências da Linguagem. No Seminário, o estudante apresenta o seu projeto de tese, que é avaliado por uma comissão composta por três docentes, dois na qualidade de arguidores, e o orientador, que preside a comissão.

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão foi composta pelos professores Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano (orientadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel (representada pela bolsista de pós-doutorado do PPGCL, Dra. Ana Carolina Cernicchiaro) e Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos.

PPGCL


29º Enanpoll inicia hoje na UFSC


(09/06/2014) O 29º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (Enanpoll) inicia hoje (9) e segue até quarta-feira (11). O evento está sendo realizado no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis (bairro Trindade).


Programação


A cerimônia de abertura será realizada pela coordenadora Rosângela Hammes Rodrigues da UFSC com a entrega do Prêmio ANPOLL.


O evento segue com a participação de pesquisadores de diversas instituições de ensino para debater as perspectivas da área e suas peculiaridades. Os palestrantes confirmados são Dermeval da Hora (UFPB), Rita Terezinha Schmidt (UFRGS), Maria das Graças Soares Rodrigues (UFRN), Roxane Rojo (UNICAMP), Tânia Ramos(UFSC), Fábio Durão (Unicamp), Fábio Alves (UFMG), Lynn Mario T. Menezes de Souza (USP), Margarida Salomão (UFJF - Deputada Federal).


Para conferir a programação completa do evento clique aqui. Informações adicionais podem ser obtidas no site do 29º Enanpoll.


PPGCL


Campus Tubarão realiza sua primeira defesa de doutorado


(09/06/2014) A doutoranda Conceição Aparecida Kindermann defendeu, nesta última sexta-feira (6), sua tese intitulada “O ciberespaço como instância para a constituição do sujeito: autor e leitor”. Foi à primeira defesa realizada no Campus Tubarão, apresentada às 8 horas e 30 minutos na Sala de Treinamento, no Bloco A da Unisul.


A forma do sujeito constituir-se autor e leitor


A tese tem como objetivo analisar de que forma o EVA (Espaço Virtual de Aprendizagem) proporciona aos estudantes de graduação constituírem-se sujeitos autor e leitor, levando-se em consideração as especificidades do ciberespaço e se esse espaço contribui para o desenvolvimento de práticas autorais e de leitura.


O sujeito acadêmico matriculado numa instituição de ensino superior em um curso à distância, com vistas a constituir-se autor e leitor, não só ocupa necessariamente uma posição discursiva, como ainda constrói um corpo, uma forma de mostrar-se, discursivamente (ethos) e, devido a isso, significa e significa-se.

 

O corpo teórico fundamenta-se especialmente em Pêcheux, Orlandi e Furlanetto. Quanto à metodologia, esta pesquisa segue os dispositivos teórico-metodológicos da Análise de Discurso.

 

EVA – Espaço Virtual de Aprendizagem


A plataforma analisada na pesquisa é o Espaço Virtual de Aprendizagem – EVA. Espaço Virtual de Aprendizagem próprio da Unisul que potencializa a interação entre aluno e professor nos cursos oferecidos à distância.


“Visando constituir-se nesse ambiente virtual de aprendizagem, o sujeito, necessariamente, passa pela construção de um corpo discursivo, para que tenha visibilidade e mobilidade nesse espaço”, explica Conceição.


“Os principais resultados, em relação à constituição do sujeito, apontam para a) a constituição do sujeito autor em níveis diferenciados; b) a relação entre sujeito-autor e sujeito-leitor; c) a construção de um corpo discursivo para subjetivar-se; e d) a autoria textualizada sob diversas ancoragens”, finaliza a estudante.


A tese da estudante foi aprovada com louvor, por banca formada pelos professores Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora); Dra. Mariângela Peciolli Galli Joanlilho – UEL (avaliadora); Dr. Cleudemar Alves Fernandes – UFU (avaliador); Dra. Andréa da Silva Daltoé – UNISUL (avaliadora); Dr. Maurício Eugênio Maliska – UNISUL (avaliador); e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL (suplente).


Na foto principal, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação. Logo abaixo, a estudante posa com a banca avaliadora, da esquerda para a direita: Dr. Maurício Eugênio Maliska, Dra. Silvânia Siebert, Dra. Maria Marta Furlanetto, Conceição, Dra. Andréa da Silva Daltoé, Dra. Mariângela Peciolli Galli Joanlilho e Dr. Cleudemar Alves Fernandes.

 

 

PPGCL


Processo Seletivo ocorre nos campi de Tubarão e Florianópolis


(02/06/2014) Exame escrito e de proficiência em língua estrangeira marcam o primeiro dia do processo seletivo de ingresso de alunos aos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem. Atividades ocorreram simultaneamente no Campus de Tubarão e no Campus da Pedra Branca nesta segunda (2).


Vagas


Este ano o PPGCL abriu 32 vagas, sendo 11 para o curso de Doutorado e 14 para o curso de Mestrado. Habilitaram-se para as vagas de doutorado 18 candidatos (1,7 candidatos por vaga) e 32 candidatos para o curso de mestrado (2,3 candidatos por vaga).


O processo seletivo


O processo seletivo de ingresso aos cursos de mestrado e doutorado em Ciências da Linguagem resulta de três fases: a) avaliação de projeto, b) avaliação do conhecimento do candidato, através de exame escrito, e c) classificação dos candidatos aprovados em cada linha de pesquisa, mediante entrevista e avaliação do currículo.


Além dessas etapas, os candidatos podem aproveitar a oportunidade para realizar um exame de proficiência em língua estrangeira moderna (inglês, espanhol ou francês). “No curso de mestrado, o estudante precisa ter proficiência em uma língua estrangeira; e no curso de doutorado, precisa comprovar proficiência em duas línguas”, esclarece Patrícia Amorim, secretária do Programa.

Como vem sendo feito nos anos anteriores, um dos destaques da avaliação, tanto dos exames escritos como dos exames de proficiência, é que o Programa adota a metodologia cega. Conforme essa metodologia, os docentes não sabem o nome do candidato nas folhas de teste. Isso permite que os candidatos tenham as mesmas chances de entrar no Programa.

A lista de aprovados será publicada em Edital nos locais de realização do curso e no sítio www.unisul.br/linguagem até o dia 27 de junho de 2014. As aulas iniciam-se na primeira semana de agosto.

Nas fotos, um flagrantes da elaboração dos exames em Tubarão.

 

PPGCL


'A escola deve educar para o amor', diz Frei Betto


(30/05/2014) O escritor e religioso dominicano falou sobre história, política, fez duras críticas à "radicalização mercadológica da vida" e defendeu uma educação voltada para o afeto, durante o encerramento do sexto Simfop, na Unisul de Tubarão.


Escola dos sonhos


Na escola dos sonhos de Frei Betto, os professores formam cidadãos capazes de imprimir sentido às suas existências. “É uma escola que educa para o amor, para o afeto e para a espiritualidade”, defendeu o escritor e religioso dominicano, que encerrou as atividades do sexto Simpósio sobre Formação de Professores (Simfop) com palestra na tarde desta sexta-feira, 30, no Espaço Integrado de Artes da Unisul, em Tubarão.


A pauta era educação e cultura escolar, mas o assunto foi muito mais longe. Premiado pela sua atuação a favor dos direitos humanos e dos movimentos sociais, Frei Betto destinou boa parte da sua fala a fazer duras críticas ao mercado. “Enquanto a família, a escola e a Igreja querem formar cidadãos, o sistema quer formar consumistas. Todo o sistema está centrado nos ‘valores’ do mercado. Este é o grande paradoxo do tempo pós-moderno”, disse.


O religioso observou que passamos por uma “crise de racionalidade”, uma mudança de tempos não vista desde 500 anos atrás. “Vivemos a radicalização mercadológica de toda a vida e natureza. Um dos exemplos desse tempo está bem perto de vocês, uma moça que põe a leilão a própria virgindade”, comentou Frei Betto, em referência à catarinense Catarina Migliorini, que há dois anos leiloou sua virgindade por cerca de 1,7 milhões de reais.


Frei Betto também criticou o modelo capitalista neoliberal, preponderante em grande parte do mundo. “Esse sistema é bom para nós, que estamos aqui dentro dessa sala, que ganhamos na loteria biológica e não nascemos entre os 4 bilhões de pobres e miseráveis, número de pessoas no mundo que na atualidade vive abaixo da linha da pobreza”, disse.


Carlos Alberto Libânio Christo, o Frei Betto, é adepto da Teologia da Libertação, militante de movimentos pastorais e sociais. Foi preso por duas vezes durante a ditadura militar por combater o regime. É autor de livros de ficção, literatura infanto-juvenil, memórias e ensaios. Venceu o Prêmio Jabuti, em 1982, com “Batismo de sangue”, livro que descreve os bastidores da participação dos frades dominicanos na resistência à ditadura, a morte de Carlos Marighella e as torturas sofridas por Frei Tito.
Na foto, Frei Betto, durante palestra no Simpósio sobre Formação de Professores, na Unisul de Tubarão, nesta sexta, 30.


Unisul Hoje (adaptado)


Dr. Bernard Charlot realiza a palestra de abertura do VI SIMFOP

 

(29/05/2014) O Professor Doutor Bernard Charlot realizou ontem, 28/05, a palestra de abertura no VI SIMFOP. Bernard Charlot destacou que os professores jamais podem competir com o Google. O encontro aconteceu no auditório do Espaço Integrado de Artes da Unisul, em Tubarão.


Os desafios da educação brasileira


Autoridades, professores, gestores da universidade e acadêmicos estiveram presentes na abertura oficial do Simpósio de Formação de Professores da Unisul (Simfop). O evento, que está na sexta edição, procura aproximar os profissionais da educação de diferentes níveis e modalidades de ensino, a fim de socializar práticas e pesquisas e refletir sobre os desafios da educação brasileira.


O Professor Doutor Bernard Charlot ministrou a palestra de abertura “O saber do estudante e a educação no Brasil: desafio das possibilidades”. Charlot destacou que os professores jamais podem competir com o o Google. “Temos que ensinar nossos alunos a pesquisar no mundo virtual. Usar este ping-pong de informações para o crescimento pessoal dos nossos alunos”, afirma.


O Brasil tem um grande desafio a enfrentar nos próximos 10 anos, diz o pesquisador. “Ter uma escola de qualidade e em tempo integral. Temos que ter menos professor de informação e mais professor de saber. O desafio maior é ajudar os alunos a ter acesso à informação”. Charlot diz ainda que a maioria das coisas na escola são importantes, mas não úteis.


Bernard Charlot é doutor pela Universidade Paris 8 e atualmente membro dos cursos de Pós-Graduação em Educação (PPGED) e em Ensino de Ciências e Matemática (NPGECIMA) na Universidade Federal do Sergipe (UFS)


A primeira noite do Simfop também contou com a participação do vice-reitor e pró-reitor de ensino, pesquisa e de extensão da Unisul, professor Mauri Luiz Heerdt, e da diretora-presidenta da Fundação Municipal de Educação, Lúcia Helena Fernandes de Souza.

 

UnisulHoje (adaptado)


Jornada de Pesquisas do PPGCL abre VI SIMFOP


(28/05/2014) O VI SIMFOP - Simpósio sobre Formação de Professores iniciou hoje com apresentações dos discentes do PPGCL. O evento está sendo realizado no Campus Tubarão, bloco Sede da UNISUL.


Jornada de Pesquisas


Os discentes e docentes do PPGCL se mobilizaram para apresentar trabalhos hoje, o dia todo, no VI SIMFOP. As apresentações ocorrem nas salas da Pós-graduação de 1 a 7, no bloco Sede da UNISUL. Alunos dos campi Tubarão e Pedra Branca apresentam suas pesquisas, envolvendo mesa de discussões e trocas de experiências, tudo coordenado por seus Professores Orientadores.


“A Jornada de Pesquisas está ocorrendo de forma muito cooperativa. Todos os alunos estão interessados em aprender e ensinar”, comenta o Coordenador do PPGCL.


Programação segue até sexta-feira (30/05)


A programação do VI SIMFOP segue oficialmente até sexta-feira (30/05). No sábado (31/05), uma Programação Artístico-Cultural será realizada no Campus Araranguá.


PPGCL


VI SIMFOP – Simpósio sobre Formação de Professores


(28/05/2014) O VI SIMFOP – Simpósio sobre Formação de Professores inicia hoje, 28/05, e vai até 30/05. Ele está sendo promovido no Campus Tubarão, bloco Sede da Unisul.


Programação


A programação inicia com a Jornada de Pesquisas do PPGCL e uma mesa-redonda coordenada pela Dra. Rosa Batista (UNISUL). Os três dias de evento contam ainda com minicursos, mesas-redondas, palestras e simpósios. Além da programação oficial, sábado, 31/05, ocorrerá uma Programação Artístico-Cultural, no Campus Araranguá, a partir das 13 horas e 30 minutos.


Palestrantes renomados como Bernad Charlot, Dra. Suely Amaral Mello e Frei Betto, farão parte do evento. Estas palestras poderão ser acompanhadas ao vivo pela web através do link http://videostream.unisul.br/r4yar3h522o/.

 

Toda programação do evento pode ser acompanhada através do site www.unisul.br/simfop


Ainda a tempo de se inscrever! As inscrições na modalidade ouvinte poderão ser efetuadas até hoje (28/05) via sistema.


PPGCL


Dissertação analisa o programa ProJovem Urbano

(19/05/2014) A estudante Josane Fernanda Lisboa Chinkevicz defendeu sua dissertação intitulada “Juventude e identidade: um olhar do jovem sobre si mesmo”, nesta última quinta (15), às 14 horas, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Identidade e os Estudos Culturais


Segundo Josane, o objetivo central da pesquisa foi estudar as noções de “identidade” presentes em um projeto social direcionado às “classes populares”, com suas realidades múltiplas, dentro do Universo escolar.

“Buscamos essas noções a partir das produções didático-pedagógicas vivenciadas no chão da escola, local de onde emergem os depoimentos dos jovens que caracterizam nossa problematização, a partir dos estudos sobre identidade cultural”, explica a pesquisadora.

O campo de pesquisa escolhido foi o programa ProJovem Urbano de Santa Catarina, mais especificamente desenvolvido em três municípios da Grande Florianópolis: Biguaçu, São José e Palhoça.

De acordo com a estudante, a pesquisa apoia-se na ideia do protagonismo dos jovens no avanço dos Estudos Culturais no que se refere a identidade cultural e educação, uma vez que o programa ProJovem Urbano sustenta sua atuação pedagógica no respeito à diversidade cultural, sem, no entanto, definir o que se deve entender como peculiar nesta população atendida.

O programa ProJovem Urbano

O ProJovem Urbano nasceu do resultado de uma pesquisa realizada pela Secretaria Nacional da Juventude, entre jovens de 18 a 29 anos, que não possuíam Ensino Fundamental e necessitavam de uma qualificação para o mercado de trabalho. Foi implantado no Brasil em 2005 sob a coordenação da Secretaria Nacional de Juventude.

Este programa, atualmente, propõe unir, além do Ensino Fundamental, a qualificação profissional e a ação comunitária, propondo-se à formação integral do jovem, como estudante e cidadão, fazendo-o unir o conteúdo aplicado em sala de aula com a sociedade em que vive através de projetos de disciplinas.

“Trabalhar com jovens em um projeto social que visa à inclusão, bem como a concepção sobre este tema, é um desafio que se desdobra e nos faz refletir sobre o modo como os jovens se vêem em um tempo em que a juventude é compreendida genericamente como uma fase de construção de identidades e de projeção de planos para o futuro”, complementa a estudante.

A dissertação foi aprovada por banca composta pelos professores Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano (orientadora), Dra. Marilise Luiza Martins dos Reis Sayão – UFSC (avaliadora externa) e Dr. Paulo Roberto Sandrini – UNISUL (avaliador interno).


PPGCL


Manifestação de rua é tema de painel no Intercom

(12/05/2014) “Das Imagens: Manifestações de Rua e de Guerra”, esse foi o tema do primeiro painel apresentado no Intercom Sul nesta sexta-feira, 9 de maio, na Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul, Pedra Branca. A mesa foi mediada pelo professor Fernando Vugman.

Linguagem e Comunicação


Os profissionais convidados para compor a mesa foram à Professora Doutora Solange Gallo e os Professores Doutores Antônio Carlos Santos e Aldo Litaiff, membros do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Unisul.

Solange Gallo, vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação da Unisul, destacou que a pesquisa apresentada no painel faz parte do trabalho do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem. Segundo ela, tanto as linhas de pesquisa do discurso, quanto os estudos culturais e literários, têm objetos de mídia de comunicação em comum, mas as teorias de abordagem são diferentes.

“Diferente do que seria uma Pós-Graduação específica em comunicação, que trabalharia com teorias da comunicação, nós trabalhamos com as teorias de linguagens, mas com os objetos da comunicação”, esclareceu Solange Gallo.


UnisulHoje (adaptado)


Gerente de transmídia da Globo fala no Intercom

(12/05/2014) O processo de transformação das narrativas para diferentes plataformas é o tema da palestra ministrada por Alex Medeiros, gerente de desenvolvimento de novos formatos e transmídia da TV Globo.


TV aberta para a internet e conteúdo original para a rede

“Transmídia vai muito além da interação do público com a programação, como acontece no BBB, no Superstar e como foi feito há muito tempo no Você Decide. Transmídia é o processo de explorar uma narrativa para diversas plataformas”, explica Alex. O palestrante destaca também a necessidade de produzir conteúdo original para a internet, no qual o público procura por material exclusivo. “Mas tem relação com a TV aberta, é uma extensão do conteúdo”, enfatiza.

O gerente de desenvolvimento participou da produção do GShow, novo canal de comunicação da Rede Globo, onde se produz uma narrativa original baseada no conteúdo produzido para a TV. Além disso, Alex é diretor de web séries produzidas exclusivamente para a internet, como “A Lei de Murphy”e “ATORmentados”.
“É importante ressaltar que esses programas não vão substituir a teledramaturgia (novelas), o Brasil consome esse material e não acho que a população irá abrir mão disso”, acredita Alex.

Para os congressistas, foi essencial debater o tema. A acadêmica da 1ª fase do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria, Fernanda Shuster, acredita que a transformação do conteúdo é eminente. “Todos estão conectados na internet, está tudo disponível na rede, e essa transformação está acontecendo pela facilidade de acesso à informação”, analisa.


UnisulHoje (adaptado)


Painel analisa os 100 anos do Jornalismo

 

(09/05/2014) Os congressistas do Intercom Sul participaram na tarde desta quinta-feira, 8/5, do painel “Análise dos 100 anos do Jornalismo” no auditório G, às 15h. Conflitos, reinvidicações e transformações na forma de comunicar e do mercado de trabalho nesse período foram alguns dos temas debatidos pelos palestrantes e alunos presentes no local.

Francisco Karam e Roger Bitencourt participam do debate

O professor Francisco Karam, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o assessor de imprensa Roger Bitencourt, da Fábrica de Comunicação, fizeram parte da mesa de debate, que teve como mediador o professor do curso de Jornalismo da Unisul Laudelino José Sardá.

“Acho excelente termos um congresso desse nível aqui na Grande Florianópolis, porque é sempre momento de agregar e debater os temas importantes para a comunicação”, enfatiza Karam, que falou aos participantes sobre as mudanças no jornalismo e no tratamento dos fatos.

Roger destacou a importância de debater sobre a área de comunicação. “É sempre uma oportunidade de melhorar e trocar experiências. Eu abordei a questão do mercado profissional e das mudanças nesses 100 anos de jornalismo, para trazer a mensagem de que a profissão tem muito mais opções do que trabalhar em uma redação e de que existem várias áreas de atuação”, pontua.

 

UnisulHoje (adaptado)


Intercom Sul 2014 debate “Comunicação e Consumo”

 

(09/05/2014) O painel III “Comunicação e Consumo”, que tem como tema: o consumo como gesto político e identidade, foi realizado nesta quinta-feira, 8 de maio, com o auditório lotado. O debate contou com a presença das profissionais de comunicação Maria Isabel Orofino e Mônica Rebeca Nunes, que conversaram sobre à proibição total da publicidade para criança no Brasil.


Criança Alerta

Maria Isabel Orofino deixou claro que é contra a proibição aprovada recentemente como lei, pelo CONANDA (Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente), junto com uma ação do instituto ALANA: “Eu acho que os publicitários não são agentes do mal, que vão causar danos irreversíveis para a infância. Acredito na Comunicação Social de qualidade, socialmente responsável.” A pós-doutoranda do Programa de Investigación em Ciencias Sociales, Niñez y Juventud da Red CLACSO de Posgrados (2012), ainda trouxe para o debate os resultados de uma pesquisa de campo feita durante sete meses com crianças de uma ONG de São Paulo.

Nesta pesquisa as crianças elaboraram o programa de televisão questionando o Programa Cidade Alerta da emissora Rercord. Elas fizeram um vídeo de seis minutos utilizando o formato do programa, definindo assim um tema e um nome: Criança Alerta. Para a surpresa de Maria Orofino, o conteúdo do vídeo era uma contramão do programa Cidade Alerta, que segue uma pedagogia do medo sobre as crianças. As pautas do programa Criança Alerta, falavam sobre o aumento do salário mínimo e um protesto a favor de mais brinquedos.

Com este vídeo, Orofino constatou o quanto é fraca e bastante ultrapassada a visão legal que impede a produção de publicidade e propaganda para as crianças, pensando que elas são incapazes de pensar e fazer escolhas, e até de discordar. No meio de uma produção jornalística de três horas (Cidade Alerta), a criança se protege e revela sua identidade de “Criança Alerta”.


UnisulHoje (adaptado)


Intercom debate os 100 anos de PP e RP

 

(09/05/2014) O painel “100 anos de PP e RP”, realizado nesta quinta-feira 8 de maio, na Unidade Pedra Branca, contou com a presença de Robson Thiago Ferreira, RP do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas – 4ª Região (Conrerp) e de Rosa Estrella, presidente executiva do Sindicato das Agências de Propaganda de Santa Catarina (Sinapro).

Relações Públicas e Publicidade e Propaganda


O debate faz parte da programação do primeiro dia de atividades do 15º Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul (Intercom) que teve como mediador Juan Fonseca, da Unisul. O conselheiro Ferreira traçou em sua explanação uma linha do tempo dos 100 anos de Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, a relação do conselho com a ditadura militar e como está o mercado de Relações Públicas atualmente.

 

“Muita gente não sabe qual o papel das Relações Públicas e o que ela pode fazer. Sabem o que é a função. Muitos inclusive executam irregularmente a profissão, só que não tem o conhecimento de que isto é Relações Públicas”. afirmou Ferreira. Destacou também que na atual gestão do Conrerp está sendo realizado um trabalho de conscientização do conselho de fiscalização com relação a essa prática.

Já Estrella, declarou que atualmente só saber o conteúdo, só ter o conhecimento de uma determinada matéria, não é mais preponderante no mercado de trabalho. “Até dez anos atrás os departamentos de uma agência de propaganda eram muito bem definidos, antes havia o departamento de atendimento, o que tinha contato direto com o cliente, o departamento de mídia, de criação, que tinham uma importância menor dentro de um todo, era como uma casa de máquinas, e hoje é tudo muito misturado. Cada vez mais o profissional tem que ser criativo e inovador, porque não são mais apenas cinco meios de comunicação, são centenas de opções, de cruzamentos e de formas de se comunicar”, declarou a palestrante.


Na foto, Robson Ferreira e o painel de 100 anos de Relações Públicas.

UnisulHoje (adaptado)


Alunas do PPGCL participam de Simpósio na UERJ

 

(09/05/2014) As alunas Flávia Walter, Ivonete Sueli Segala Pereira e Alexandra Filomena Espindola do PPGCL participaram do II Congresso Internacional Vertentes do Insólito Ficcional, V Encontro Nacional O Insólito como Questão na Narrativa Ficcional, XIII Painel Reflexões sobre o insólito na narrativa ficcional, (Re)Visões do Fantástico: do centro às margens, caminhos cruzados, de 28 a 30 de abril.  

 

Dissertação em andamento é apresentada

 

Flávia apresentou seu trabalho de dissertação em andamento, intitulado Carlos Ríos e sua “fábrica de realidade”, e enfatizou a construção narrativa de Carlos Ríos, principalmente em Manigua: novela swahili, de 2009. As mudanças abruptas de narrador e a “realidade” pega em fragmentos fazem com que essa narrativa possa ser pensada como um relato de viagem contemporâneo, diferentemente do tradicional que prezava pelas “certezas dos fatos”, pela “verdade” desvendada pelos desbravadores, Carlos Ríos trabalha com um relato de viagem que privilegia os restos deste mundo incerto e ambivalente.

 

Ivonete também falou sobre sua dissertação, que será defendida ainda neste semestre. Com o título Literatura infantil na perspectiva dos Estudos Culturais: o despertar para uma infância plural, a mestranda destacou os livros do acervo do PNBE: Maria mole, de André Neves; O rei maluco e a rainha mais ainda, de Fernanda Lopes de Almeida; O reino adormecido, de Leo Cunha; Betina, de Nilma Lino Gomes; e Obax, de André Neves. Com essas narrativas, a autora analisa como a literatura aborda as questões de identidade, gênero e etnia e como estas contribuem para o desenvolvimento do leitor crítico na infância, uma vez que temas sociais e culturais promovem a reorganização das percepções de mundo das crianças.

 

Alexandra fez a articulação da sessão IV das comunicações livres.

 

“Participar de um evento desse porte enriquece nossa experiência acadêmica e nos ajuda a pensar em nossas próprias pesquisas”, concluem as alunas.

 

Além disso, elas contam que aproveitaram a ida ao Rio de Janeiro para visitar centros culturais, como: Biblioteca Nacional, Museu de Belas Artes, Museu de Arte Moderna, entre outros.

 

Na foto, as alunas em frente à Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

 

PPGCL


Edição 2014 do Intercom Sul inicia com 2 mil inscritos


(08/05/2014) O XV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul (Intercom) tem início nesta quinta-feira (8) na Unisul, Unidade Pedra Branca. Ao todo são 2 mil inscritos que contam com uma estrutura preparada especialmente para receber os universitários.


Estrutura diferenciada aguarda universitários de toda Região Sul


Nos estúdios de cinema do Bloco A, foram montados espaços de integração. No local, estão disponíveis para os alunos computadores, mesa com tomadas e sofás. Além de um segundo ambiente, com almofadas e um telão, onde são reproduzidos filmes de acordo com o tema do congresso, “Guerra e Paz”. Na entrada do estúdio os congressistas podem ainda usar pincéis e tintas para deixar recados em um painel branco.


O credenciamento oficial, que estava marcado para às 9h, começou antes para receber os alunos da Universidade Federal de Santa Maria, instituição que tem mais participantes nesta edição. “Nesse momento inicial tivemos essa grande movimentação, até recebermos todos os universitários e finalizar a parte de credenciamento, mas nós já esperávamos por esse grande fluxo nesse período. Porém temos muitos alunos da Unisul participando, envolvidos na organização, além da própria comissão, e estamos preparados para fazer um ótimo evento”, pontua o coordenador das relações institucionais do Intercom Sul 2014 e professor do curso de Jornalismo da Unisul, Luciano Bittencourt.


Para a professora do curso de Jornalismo da Unisul e integrante da comissão organizadora do Intercom Sul 2014, Giovanna Flores, o primeiro dia de atividades do evento marca a realização de quase três anos de trabalho. “Estamos envolvidos no planejamento do evento desde outubro de 2011 e receber os congressistas, com toda essa expectativa, é muito gratificante. Nós trabalhamos muito para promover, além do conhecimento, essa troca de experiências entre universidades e universitários. Nós queremos fazer um excelente congresso”, destaca.

 

Participantes já elogiam o XV Intercom Sul

 

“A proposta ficou bem legal e os alunos estão aproveitando muito. Em algumas horas de uso do espaço o painel (disponibilizado no estúdio) já está quase todo preenchido. O pessoal de comunicação tem essa característica, são bastante participativos”, observa a acadêmica Tamara.

A acadêmica da 7 fase do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria, Maira Dill, aprovou a estrutura preparada pela Unisul. “Eu vou apresentar um trabalho hoje a tarde e não teria onde descansar e estudar. E esse espaço é ótimo pra fazer isso. Eu participei de todos os congressos nesse período da faculdade e pelo que eu percebi até agora, esse é o que está melhor organizado e com a melhor estrutura”, relata.


A abertura oficial do evento será realizada nesta quinta-feira, às 19h, nos auditórios C e G.
 

Acontecendoaqui e UnisulHoje (adaptado)


Grupo Manuí narra histórias indígenas para alunos

(08/05/2014) Pelo segundo ano consecutivo o Grupo Manuí se apresentou durante a Semana dos Povos Indígenas. A apresentação ocorreu na tarde desta quinta-feira, 8, no Salão Nobre da Unisul, em Tubarão. Essa encenação foi focada na tribo Tupi-Guarani, incluindo lendas e mitos indígenas.


Instrumentos chamam a atenção na narração de histórias


A narração de histórias teve como inspiração o livro “As fabulosas fábulas de Iauaretê”, de Kaká Werá. A apresentação incluiu cantigas da cultura popular brasileira, canções autorais e músicas instrumentais compostas e produzidos pelo Grupo Manuí.


As histórias foram narradas com a ajuda de instrumentos como violão guarani, rabeca, viola caipira, percussão indígena, efeitos sonoros, acordeom e adereços e instrumentos indígenas. O pesquisador do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep) Geovan Guimarães destaca que a atividade facilita o aprendizado dos alunos. “Eles explicam de forma diferente da sala de aula. Fica mais dinâmico, logo prende a atenção dos alunos”.


O grupo é composto por Tatiana Zalla, Leandro Pfeifer e Domingos de Salvi.


Nesta sexta, 9, haverá outras três apresentações, às 8h30, 10 e 15 horas. Para agendar sua turma para esta atividade, entre em contato com o Grupep através dos telefones (48) 3621-3909 ou 3621-3195.


UnisulHoje (adaptado)


Unisul recebe o XV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul

(07/05/2014) A Unisul recebe, de 08 a 10 de maio, o XV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul (Intercom Sul). O evento, que será realizado na Unisul da Pedra Branca, tem como tema os cem anos da Primeira Guerra Mundial, da Publicidade e Propaganda e das Relações Públicas.

 

Revolucione a comunicação

Promovida pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, um dos objetivos do Intercom é estimular pesquisas nas áreas das Ciências da Comunicação para discutir os rumos da mídia brasileira. Além disso, o evento visa fortalecer vínculos com pesquisadores de outros países e avaliar o ensino dos cursos universitários.

Realizado anualmente, o congresso teve como sede na edição de 2013 a Universidade de Santa Cruz, Rio Grande do Sul, quando a Unisul foi escolhida para receber a edição 2014. Para a diretora da Regional Sul da Intercom, Paula Regina Puhl, a universidade foi escolhida pela boa apresentação e representação da instituição na ocasião. “A proposta da coordenação do curso de Comunicação Social foi muito empolgada, além da grande presença de alunos e professores da Unisul”, destaca a diretora.

A coordenadora dos cursos de Comunicação Social da Unisul da Pedra Branca, Daniela Germann, ressalta a importância de sediar o Intercom Sul. “Isso destaca a universidade, por ser um evento em que se reúnem pensadores, pesquisadores, profissionais e estudantes da área da Comunicação, além de ser um espaço de fomento e conhecimento importantíssimo para quem pesquisa ou atua na área”, explica a coordenadora.

Entre os debatedores que participam dos painéis nos três dias de congresso, estão professores pesquisadores e profissionais da comunicação como Mônica Rebeca Nunes e Maria Isabel Ourofino, da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM/SP), Roger Bittencourt, da Fábrica Comunicação, assessoria de imprensa em Florianópolis, Daisi Vogel e Eduardo Meditsch, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Além dos painéis de debate, ocorrem também o Intercom Jr, espaço para apresentação de projetos de alunos de cursos de graduação, o Expocom, destinado aos melhores trabalhos experimentais produzidos por alunos da área de Comunicação e o GPs Intercom, apresentação de trabalhos realizados por doutores, doutorandos, mestres, mestrandos e especialistas.

PPGCL


“Educação, Currículo e Escola” será tema do VI SIMFOP

(07/05/2014) O Simpósio sobre Formação de Professores - SIMFOP, em sua VI edição, ocorrerá nos dias 28, 29 e 30 de maio de 2014, tendo como tema central “Educação, Currículo e Escola”. O SIMFOP procura aproximar os profissionais da educação de diferentes níveis e modalidades, a fim de socializar práticas e pesquisas e refletir sobre os desafios da educação brasileira.

Você não pode ficar fora dessa!

As inscrições para apresentação de trabalhos (Relato de experiência e Comunicação Oral) foram prorrogadas até o dia 11 de maio. Para os participantes que desejarem se inscrever na categoria de ouvinte, as inscrições seguem até o dia 28 de maio.

A programação inclui:

• conferências de abertura e de encerramento;
• palestras;
• relatos de experiências;
• comunicações orais;
• mesas-redondas;
• minicursos;
• simpósios.

Os eixos temáticos do evento são:

• Educação e diversidade
• Formação de professor e política pública
• Cultura escolar
• Educação e linguagens

Contatos:
E-mail: simfop@unisul.br
Telefones: (48) 3621-3339 / (48) 3621-3446

Para obter mais informações, acesse o site:

http://linguagem.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/eventos/simfop/sfp_2014.htm

 

PPGCL


Dentro da aldeia: vídeos mostram visão dos índios

 

(07/05/2014) O espaço educativo do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep) recebeu nesta manhã, 7, dois grupos de estudantes do Ensino Médio da rede pública da região. As sessões aconteceram na Sala de Pós-Graduação 8, no Prédio Sede da Unisul, em Tubarão, as 8 e 10 horas.


Cultura indígena através das lentes


A mostra reúne trechos de vídeos produzidos pelas mãos dos próprios índios, que, através de um programa do Governo Federal, receberam a proposta de documentar sua cultura por uma ótica diferente, de dentro para fora. O técnico de laboratório Alexandro Dematé, responsável pela compilação de vídeos produzidos em aldeias de todo o Brasil desde 2009, conta que essa mostra é importante para os alunos no sentido de desmitificar alguns pensamentos. “O vídeo mostra um pouco do cotidiano do índio na visão dele. A produção de artesanato, a cultura, as dificuldades dentro da aldeia, mas também o índio inserido na sociedade, que tem televisão e celular em casa”, diz ele.


Para Daiana Viel, estudante da 1ª série do Ensino Médio da Escola Santo Anjo da Guarda, “O vídeo é uma oportunidade de conhecer a cultura indígena de uma forma mais ampla, não apenas pelo senso comum”. Segundo ela, os povos indígenas já foram tema de debate em sala de aula, mas nunca da maneira exposta na mostra. “Pudemos conhecer as aldeias pelo lado de dentro, na visão do índio”, conta a estudante.


As sessões do Cinema Indígena continuam a ser oferecidas até a sexta-feira, 9, nos períodos matutino e vespertino, mediante agendamento prévio.


UnisulHoje (adaptado)


Oficina ensina produção cerâmica a alunos


(06/05/2014) Como parte das atividades da Semana dos Povos Indígenas, o Grupep de Tubarão realizou a oficina Ceramistas de Santa Catarina, nesta terça-feira, 6, em Tubarão.
 

Diversão e aprendizagem


O segundo dia da nona Semana dos Povos Indígenas contou com a oficina “Ceramistas de Santa Catarina”. A atividade foi realizada na tarde desta terça-feira, 6, pela pesquisadora Ketilin Silva, do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep), promotor do evento. A turma de onze alunos do terceiro ano do Colégio Dehon participou da aula sobre os grupos ceramistas.


A lição, que teve como cenário o pátio do Bloco Sede da Unisul de Tubarão, ensinava como os ceramistas que habitavam o território catarinense produziam vasilhas cerâmicas. “Além de se divertir, os alunos têm a oportunidade de aprender as técnicas de produção dos índios”, conta Ketilin. Além de sair da rotina da sala de aula, os acadêmicos demonstraram entusiasmo ao conhecer melhor a cultura indígena em um ambiente fora da sala de aula.


A oficina será oferecida ao longo da semana no período matutino e vespertino. A Semana dos Povos Indígenas, que esse ano tem o tema “Memória, Identidade e Linguagem na Terra dos Mil Povos”, continuará com suas atividades até sexta-feira, 9. Para participar, é necessário fazer inscrição com o colégio informando a oficina e o horário de interesse. O contato com o Grupep é através do telefone (48) 3621-3909 ou 3621-3195, ou pela Fan Page do grupo de pesquisa.


Na foto, alunos do Dehon durante oficina na Semana dos Povos Indígenas.


UnisulHoje (adaptado)


Cerâmica e Escavação envolvem alunos da região


(06/05/2014) Teve início nesta terça-feira, 6, a IX Semana dos Povos Indígenas, evento promovido pelo Grupep de Tubarão. Alunos de diversas escolas participaram de atividades práticas como produção de cerâmica e escavação
 

Oportunidade aos estudantes

As atividades ludo-pedagógicas promovidas pelo Grupep, que objetivam a participação de alunos do Ensino Infantil, Fundamental e Médio da região, tiveram início na manhã desta terça-feira, 6. São oferecidas dez oficinas diferentes dentro da temática “Memória, Identidade e Linguagem na Terra dos Mil Povos”. Para participar, é necessária uma inscrição prévia da escola, indicando horário e oficina escolhida.

No período matutino o evento já recebeu três escolas da rede particular no Prédio Sede da Unisul. As oficinas oferecidas foram ‘Escavação Arqueológica’ e ‘Ceramistas de Santa Catarina’. Segundo a auxiliar de laboratório do Grupep, Bruna Cataneo Zamparetti, a oficina sobre Escavação proporciona aos alunos uma introdução ao tema em sala de aula. “Conhecimento que posteriormente é colocado em prática através da escavação de sedimentos, que são identificados, peneirados, fotografados e então desenhados, simulando o processo realizado por arqueologistas”.

Bruna diz ainda que já na oficina sobre Cerâmica, as crianças estudam os costumes e a cultura dos ceramistas de Santa Catarina, estão produzindo recipientes feitos da matéria-prima. “Todas as oficinas envolvem algum tipo de conhecimento prático”.

Na tarde de hoje 11 grupos de três escolas participarão do evento, dessa vez nas oficinas “Gostos e Sabores”, “Contação de História”, “Arte Rupestre” e também na “Escavação Arqueológica” e “Ceramistas de Santa Catarina”.

UnisulHoje (adaptado)


Índio Xokleng/Laklãnõ fala sobre seu povo


(06/05/2014) Nanblá Gakran abriu a Semana dos Povos Indígenas. Ele falou sobre a sua história, a de sua tribo, e sobre o trabalho que busca resgatar a identidade dos Xokleng/Laklãnõ.

 

Palestra abre a nona Semana dos Povos Indígenas


A nona Semana dos Povos Indígenas foi aberta na Unisul de Tubarão com uma saudação Xokleng. Nanblá Gakran, índio da tribo Xokleng/Laklãnõ, localizada em Santa Catarina, recebeu a todos com um “boa noite” em seu idioma. A propósito, este tem sido o trabalho dele ao longo dos últimos anos: resgatar tradições e costumes de seu povo. Ao longo de sua fala na abertura do evento, na noite desta segunda-feira, 5, no Salão Nobre da Universidade, foi justamente isso que Nanblá fez.


Com a palestra “Xokleng/Laklãnõ – uma história de resistência: 100 anos de conto”, ele falou aos presentes sobre o impacto do último século na vida da sua tribo, marcado principalmente pelos efeitos da construção de uma barragem que inundou boa parte de suas terras. A Barragem Norte, obra que começou a ser executada nos anos 70 no vale do Itajaí, dividiu o povo Xokleng. “Toda a nossa história está debaixo da água”, lamenta o índio. As indenizações pelas terras inundadas, de acordo com ele, até hoje não foram pagas.


A maior parte dos Xokleng/Laklãnõ - 70% - vive dentro dos limites dos municípios de José Boiteux e Doutor Pedrinho, a aproximadamente 260 km da capital, Florianópolis. Segundo dados da Funasa (2010), a tribo possui uma população de 1,8 mil. O trabalho de Nanblá Gakran, desde os anos 90, tem sido de conscientização e resgate da cultura de sua tribo. “Depois do contato, o nosso povo passou a rejeitar a si mesmo. Os costumes, o artesanato, as tradições, foram deixadas de lado”.


Um índio guerreiro


Para começar o trabalho de retomada da cultura Xokleng/Laklãnõ, Nanblá Gakran foi em busca de conhecimento, graduou-se em Ciências Sociais e se tornou mestre em Linguística. Em 2011, começou um doutorado na Universidade de Brasília. A sua tese trata do estudo da gramática da língua Xokleng/Laklãnõ. “Eu quis fazer isso pelo meu povo”, diz. O seu principal esforço concentra-se na revitalização da língua da tribo. “Aproximadamente 600 índios falam o idioma atualmente”, conta.


Mas esse número tende a crescer. A língua Xokleng/Laklãnõ é ensinada a crianças em escolas dentro da própria tribo. “Ela tem mais peso que a Língua Portuguesa”, comenta Nanblá. Isso só é possível porque o currículo das escolas Xokleng é diferenciado. Há também um esforço no sentido de incentivar os membros da tribo para que se especializem e se tornem professores. “A nossa expectativa é de que, daqui a um tempo, todos os professores sejam índios”.


Dentro da aldeia, o povo preza pela coletividade. O que é de um, é de todos. As decisões também são tomadas em reuniões que levam em conta a opinião de cada um, como a que deu origem ao nome Laklãnõ. “Sempre fomos conhecidos como Xokleng. Mas não fomos nós que escolhemos esse nome. Então colocamos outro, escolhido por todos da tribo, e que quer dizer Descendentes do Sol”, explica Nanblá.


Os Xokleng/Laklãnõ não têm um único Deus. Acreditam que a divindade está em todo lugar. “Tudo tem espírito, o vento, o sol, a natureza”, comenta o índio. Ele acredita, também, na possibilidade de reconquistar a cultura de seu povo. “Além disso, queremos mostrar para a sociedade que estamos aqui. Está na hora de as pessoas saberem quem nós somos. Nós também somos seres humanos”.

Na foto, Nanblá Gakran, índio da tribo Xokleng/Laklãnõ.

UnisulHoje (adaptado)


Semana dos Povos Indígenas inicia nesta segunda


(30/04/2014) A nona edição da Semana dos Povos Indígenas inicia nesta segunda-feira, 5, com palestra com o índio Nanblá Gakran. A abertura ocorre no Salão Nobre da Unisul , em Tubarão, às 19h30. Neste ano, o evento aborda o tema “Memória, Identidade e Linguagem na Terra dos Mil Povos”.

 

De acordo com a pesquisadora Bruna Cataneo Zamparetti, do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep), o tema foi escolhido “para que os alunos aprendam o lado simbólico e religioso através da dança, filtro dos sonhos e outras tradições indígenas”.


Programação

 

As atividades educativas incluem, além da palestra com o índio Nanblá, quatro apresentações do Grupo Manuí e as dez oficinas ludo-pedagógicas, que acontecem até a sexta-feira, 9. Arte rupestre brasileira, Ceramistas de Santa Catarina, Escavação Arqueológica Simulada, Dança Circular e Cinema Indígena são algumas das oficinas, que ocorrem das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas, com até 30 alunos em cada turma.


O evento é aberto ao público no Espaço Educativo do Grupep, localizado no Bloco Sede da Unisul. Para participar, basta se inscrever.


“A expectativa é de superar o público do ano passado. Esperamos atender em torno de três mil pessoas nessa edição”, conta Bruna. Além dos próprios alunos do Colégio Dehon, poderão participar acadêmicos da Unisul, familiares e qualquer pessoa interessada em aprender sobre a diversidade dos grupos indígenas habitantes do território catarinense no período pré-colonial.


Para obter mais informações, entre em contato com o Grupep no telefone (48) 3621-3909 ou 3621-3195, ou acesse a Fan Page do grupo de pesquisa.

 

UnisulHoje (adaptado)


Elaboração de resumos é objeto de oficina


(14/04/2014) O professor Fábio José Rauen ministrou nesta última sexta (11) uma oficina de elaboração de resumos e resumos expandidos para estudantes do Programa Parfor/Unisul de Araranguá. A iniciativa é parte do projeto "Discutindo metodologias de ensino no contexto das licenciaturas do Plano Nacional de Formação de Professores da Universidade do Sul de Santa Catarina".


Participação em eventos


Uma das atividades mais importantes do pesquisador é a de participar de eventos de pesquisa. Para isso, ele deve ser competente em resumir sua pesquisa em textos que, em geral, estão restritos a um número pequeno de palavras, entre 100 e 150, por exemplo. Isso põe em evidência que informações considerar nesses textos. Com vistas a preparar os estudantes do Programa PARFOR/UNISUL a essa demanda, o professor Fábio José Rauen ministrou a oficina de elaboração de resumos que foi realizada nesta última sexta-feira (11) em Araranguá.


“Aproveitamos a chamada de trabalhos do VI SIMFOP para incentivar que todos os alunos do Programa participem do evento inscrevendo trabalhos na modalidade de comunicação oral”, explica Rauen. “Desse modo, não apenas promovemos nos alunos a produção de textos acadêmicos, mas também oportunizamos que eles tenham uma primeira experiência de participar de um evento dessa natureza”, complementa.


Além de dar atenção aos resumos, que são exigidos nas inscrições, Rauen dedicou parte do tempo para apresentar elementos básicos para a escrita de resumos expandidos. Resumos expandidos são uma modalidade emergente em eventos que têm por característica, como o nome sugere, expandir o resumo do trabalho em um texto que não excede a três páginas.


“Os Anais do VI SIMFOP este ano têm como novidade a opção de os alunos de graduação produzirem resumos expandidos entre 500 e mil palavras”, explica Rauen. “Se, de um lado, esses textos não têm a extensão exigida de um artigo; por outro, tem exigências próprias que obrigam o autor a ser muito conciso ao expressar seu trabalho com um conjunto tão restrito de palavras”, completa.


A oficina foi uma iniciativa do Programa PARFOR e contou com alunos dos cursos de Educação Especial, Sociologia, Filosofia e Artes. PARFOR é a sigla do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica. Trata-se de um Programa emergencial instituído para prover formação a professores da educação básica educação básica que não tenham formação superior ou que mesmo tendo essa formação se disponham a realizar curso de licenciatura na etapa/disciplina em que atua em sala de aula. O projeto foi implantado em regime de colaboração entre a Capes, os estados, municípios o Distrito Federal e as Instituições de Educação Superior – IES, entre as quais a Unisul.

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação. Mais abaixo, um registro dos estudantes.

 


PPGCL


Curso intensivo é oferecido em Pedra Branca

(03/04/2014) A professora Doutora Florencia Garramuño, da Universidad de SanAndrés, Buenos Aires, ministrará o curso intensivo intitulado “Formas do não pertencimento na estética contemporânea”, nos dias 7 a 10 de abril no campus Pedra Branca, em Palhoça.
 

Mais sobre a palestrante

Florencia é professora da Universidad de SanAndrés, Buenos Aires, associada ao Departamento de Humanidades. É diretora do Programa de Cultura Brasileira. Formou-se em Artes pela Universidade de Buenos Aires, onde se especializou em Literatura Latino-Americana e Teoria Literária. Cursou doutorado em Línguas Românicas e Literaturas da Universidade de Princeton e fez seus estudos de pós-doutorado no Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro.


O curso

O curso propõe estudar uma série de práticas estéticas contemporâneas que exploram uma estendida porosidade de fronteiras entre territórios, regiões, campos e disciplinas. Por um lado, cada vez são mais os textos que justapõem ficção, fotografia, imagens, memórias, autobiografias, blogs, chats e e-mails, bem como ensaios e textos documentais, como pode ser visto nas obras de Alan Pauls, Tamara Kamenszain, Bernardo Carvalho ou Carlito Azevedo.

Junto com essa expansão da literatura, muitas dessas novas práticas estabelecem conexões intensas entre diferentes campos da estética, como o evidenciam intercâmbios entre instalação ou performance e literatura nas obras do Nuno Ramos, Mario Bellatin ou Ronsângela Rennó.

Com o intuito de compreender o entrecruzamento de meios e suportes e o questionamento da especificidade, o curso explora o modo em que essa aposta pela inespecificidade se constitui como um modo de elaborar uma linguagem do comum que propicia modos diversos do não pertencimento.

Eixos

O curso será dividido em cinco eixos:
1. Problemas críticos na estética contemporânea. A arte contemporânea e o questionamento à especificidade do suporte. Interdisciplinariedade, transdisiciplinariedade. Problemas e possibilidades da saída da especificidade.
2. O uso de diferentes suportes na obra de Nuno Ramos. A literatura de Nuno Ramos e a sua condição inespecífica. Fotografìa e texto em El infarto del alma, de Diamela Eltit.
3. Literatura, vida e arte. A poesia contemporânea e suas aproximações à experiência e outros discursos em Monodrama y El eco de mi madre.
4. Arquivo e contemporaneidade. A arte como arquivo. Documento, arquivo e testigo.
5. A literatura como instalação e performance. Transformações do estatuto do literário. Performance, autoexposição e instalação em textos narrativos.

PPGCL


Mestrado e Doutorado com inscrições abertas

 

(20/03/2014) O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem está com o Processo Seletivo aberto para Mestrado e Doutorado até o dia 30 de abril. As aulas das duas ofertas ocorrem nos campi Grande Florianópolis e Tubarão.

 

Informações sobre a seleção 2014

 

Ficam abertas para o processo seletivo 2014, 14 vagas para o curso de Mestrado e 11 vagas para o curso de doutorado. O candidato concorrerá às vagas, preferencialmente, conforme as opções pelo professor orientador, pela linha de pesquisa e pelo campus de sua inscrição, admitindo-se eventualmente ajustes, quando necessário. O investimento pode ser efetivado em 36 vezes, sendo de R$896,39, para o Mestrado, e de R$1095,59 para o Doutorado. 

 

O processo seletivo consta de três fases: avaliação de projeto, avaliação do conhecimento do candidato, através de exame escrito, e classificação dos candidatos aprovados em cada linha de pesquisa, mediante entrevista e avaliação do currículo.

 

Os professores da Unisul podem concorrer a bolsas de 50% de acordo com o edital. Aqueles que não têm nenhum tipo de vínculo empregatício com a Unisul podem inscrever-se no Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (Prosup), vinculado à Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O incentivo federal garante bolsas de estudo ou auxílio escolar.

 

O Programa

 

O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem concentra-se na área de ‘Processos Textuais, discursivos e culturais’. Duas linhas de pesquisa norteiam as produções científicas do Programa: Texto e Discurso e Linguagem e Cultura.


Entre os professores do 
Mestrado e Doutorado em Ciências da Linguagem está Fernando Vugman. Segundo o doutor, o Programa não se organiza em torno de um objeto de pesquisa, mas sim de um quadro teórico. “Assim os mais variados objetos são investigados a partir da teoria da linguagem. Por exemplo, as linguagens cinematográfica, literária, da moda, do Direito, das mitologias e muitas outras”, orienta. 

 

No Campus Universitário Tubarão a coordenação do Programa é do professor Fábio Rauen. No Campus Grande Florianópolis, a professora Dilma Juliano coordena as atividades.

Para mais informações sobre o Processo Seletivo e Bolsas de Estudo, clique aqui.

 

UnisulHoje (adaptado)


Palestra abre período letivo no campus Pedra Branca 

 

(10/03/2014) O Programa de Pós-Graduação de Ciências da Linguagem deu início ao período letivo dos alunos de Mestrado e Doutorado com palestra do etimologista Deonísio da Silva. Catarinense, professor e escritor destacou a importância do resgate do estudo da origem das palavras para uma melhor compreensão do futuro.

 

Dia D

 

O romancista Deonísio da Silva, com livros publicados nas Américas e Europa, foi professor da UFSCar (SP), é consultor das universidades Estácio (RJ) e Unisul (SC), além de colunista da Bandnews. Pela Editora Unisul lançou no final de 2013 a 17° edição da obra ‘De onde vêm as palavras, origens e curiosidades da língua portuguesa’.

 

O reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt, abriu a aula magna com as boas vindas aos alunos. “A participação do Deonísio valoriza vocês que vieram produzir ciência na Unisul. Vocês são os pilares desta Universidade”, afirmou.

 

Autor fala sobre etimologia

 

A intervenção do escritor foi no sentido do resgate da etimologia, tema que aborda há 20 anos em coluna da Revista Caras. Ele acredita que este é um ramo esquecido da linguagem. “Não prestamos mais atenção ao o que as palavras nos trazem da antigas culturas e estas marcas estão no seu etmo”, acredita. No entanto, Silva destaca a pós-graduação brasileira. “É uma ilha de excelência no meio de um panorama que tem várias falhas. A pós-graduação no Brasil é um exemplo de excelência, mas é preciso, no caso da Linguagem, chamar a atenção para aquilo que ela abandonou”, frisa referindo-se à etimologia.

 

Entre as falhas do edifício educacional brasileiro, Silva aponta para o atraso do surgimento da primeira universidade no país. “Getúlio Vargas fundou por decreto a primeira universidade do Brasil em 1930, sendo que nos países hispanohablantes elas surgiram no século 16”, revela.


Na visão de Deonísio, os estudos clássicos não têm nessa vertente específica que é a pós-graduação em Linguagem, a relevância, a preferência e a receptividade que têm, por exemplo, os autores norte-americanos e europeus.

 

“Somos de ponta em várias áreas, mas temos graves falhas na base. No Ensino Fundamental as deficiências são muito grandes e não só em Linguagem. Porque se você tem uma deficiência em Linguagem, tem deficiência em todas as áreas porque ela é o meio de se chegar nas outras”, finaliza Deonísio da Silva.  

 

Na foto, a partir da esquerda Deonísio, Salésio Herdt, Laudelino Sardá, Alessandra Turnês e os alunos do PPGCL

 

UnisulHoje (adaptado)


Professora Ramayana é contemplada com bolsa Fulbright

 

(27/02/2014) A professora Ramayana Lira de Sousa, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e do Curso de Cinema e Audiovisual da Unisul, foi contemplada com uma bolsa da Comissão Fulbright, uma das mais prestigiosas agências de fomento do mundo.

Comissão Fulbright

O Programa Fulbright oferece bolsas de estudos para brasileiros e norte-americanos em nível de graduação e de pós-graduação ou professores, pesquisadores e profissionais de todas as áreas do conhecimento.

A professora participa, de janeiro a maio, do Programa Scholar-in-Residence. O programa apoia a visita de professores por um semestre em universidades que enfatizam as humanidades. No caso da professora Ramayana, ela desenvolverá atividades de ensino e de pesquisa no Dickinson College, instituição reconhecida pelo currículo internacionalizado e pela educação global.

"Ministrarei dois cursos", explica. "Um de cultura afro-brasileira e outro de cinema e literatura brasileiros. Além disso, organizo uma pequena mostra de cinema afro-brasileiro e oriento alunos de Dickinson que, em geral, revelam muito interesse pelo Brasil", complementa.

Experiência vai além da sala de aula

Além das atividades acadêmicas dentro da universidade, a professora também se envolve com a comunidade de Carlisle, cidade onde está situado o College.

Ainda como parte de suas atividades nos EUA, a professora proferirá palestras na Pensylvannia e em New Orleans e apresentará trabalho na Conferência da American Comparative Literature Association.

"É vital que pesquisadores circulem pelo mundo e possam trocar ideias", conclui.

 

PPGCL


Reunião do Colegiado planeja 2014

 

(24/02/2014) Colaboradores e docentes do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem reuniram-se nos dias 17, 18 e 19 de fevereiro para traçar o planejamento das atividades de 2014. Na pauta, entre outros assuntos, a consecução do curso de doutorado, a situação acadêmica dos estudantes, o processo seletivo e a coleta de dados da Capes.

 

Ciclo de reuniões

 

A reunião iniciou com a análise da avaliação da CAPES, a fim de propor ações concretas para a consolidação do Programa no biênio 2014-2015.

 

Os periódicos e livros fizeram parte da pauta. Decisões importantes em relação as revistas Linguagem em (Dis)curso, Ciência em curso e Crítica Cultural foram tomadas. “O objetivo principal é padronizar todas as revistas, de modo que, o leitor ao olhar a capa de uma delas identifique o curso.”, explica o coordenador Fábio Rauen.

 

Casos pontuais foram discutidos em um conselho de classe, envolvendo estudantes e orientação, bem como desempenho dos estudantes, principalmente dos que estão com o prazo de conclusão de curso expirando.

 

Após outros assuntos, a reunião encerrou-se com a consolidação do Edital de Seleção 2014.

 

PPGCL


Tese analisa imigração alemã, memória e esquecimento

 

(17/02/2014) A doutoranda Marilene Teresinha Stroka defendeu, nesta última quinta (13), sua tese intitulada “A memória em movimento: do esquecimento à lembrança”. Quarta tese do PPGCL, o trabalho foi apresentado às 15 horas no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Constituição do imigrante alemão e seus descendentes

 

Segundo Marilene, o objetivo que sustenta a tese está pautado no funcionamento da memória e esquecimento do sujeito imigrante alemão que colonizou a região norte de Santa Catarina, particularmente na campanha de nacionalização do Estado Novo (1937-1945) no Governo de Getúlio Vargas através de uma política lingüística de interdição da língua alemã.

 

“Meu objetivo foi o de compreender como os discursos se produzem e se fixam como memória e como esquecimento para os imigrantes alemães e seus descendentes no processo da nacionalização do Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-1945) e na contemporaneidade.”

 

O imigrante e seus descendentes, de acordo com a pesquisadora, foram chamados a se representarem como brasileiros pelo Estado Nacional, em nome de um ideal nacionalista, ancorado por uma língua imaginária que sustentaria a consolidação do Brasil como nação. Era uma forma de produzir um “bom brasileiro”, inscrevendo-se como sujeito nacional e apagando as imagens de um sujeito estrangeiro, que tinha sua língua com ancoragem de uma identidade outra.

 

“A (con)fusão das duas línguas, fez com que o imigrante criasse uma língua dentro de sua própria língua como forma de poder se fazer representar dentro dela, reinventando a sua língua através da apropriação da língua do outro”, explica Marilene.

 

Através da lei de proibição da língua, os imigrantes e seus descendentes sentiam-se pressionados a inscreverem-se como sujeitos brasileiros tendo que apagar todos os elementos constitutivos de ser alemão.

 

Identidade Imigrante

 

Partindo da concepção de que a identidade é um processo inacabado, sempre em formação, é importante ressaltar que o sujeito imigrante vai sendo interpelado por todos esses sentidos, que passam a ser constitutivos de sua identidade. Uma identidade sendo construída nos entremeios de múltiplos discursos.

 

“Foi possível, por meio da pesquisa, compreender que nenhum sentido pode ser calado totalmente, enquanto houver sujeitos com ele identificados, e que nenhuma política é capaz de impedir essa identificação. No entanto, como pudemos também compreender, toda política de Estado afeta os modos de identidade dos sujeitos e o seu poder (poder dizer, poder fazer, poder sentir)”, finaliza a estudante.

 

A tese da estudante foi avaliada, e aprovada com louvor, por banca formada pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora), Dra. Maria Onice Payer - UNICAMP (avaliadora), Dra. Beatriz Maria Eckert-Hoff – UDF (avaliadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (avaliadora) e Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora).

 

 

Na foto principal, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação. Logo abaixo, a estudante posa com a banca avaliadora, da esquerda para a direita: Dra. Nádia, Dra. Onice, Marilene, Dra. Solange, Dra. Beatriz e Dra. Jussara.

 

PPGCL


MAIS NOTÍCIAS DO PROGRAMA

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061