PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA    ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Notícias > Notícias de 2013

 

Notícias

Página Principal

Notícias do Front

PPGCL na TV

Notícias de 2018

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Notícias de 2006

Notícias de 2005

Notícias de 2004

Notícias

2013


Um ano pleno


(19/12/2013) Conferência, dissertação e edição anual das Notícias do Front marcam o encerramento das atividades do PPGCL em 2013. Programa entra em recesso de férias nesta sexta (20) e retorna às atividades em 5 de fevereiro.


Dia repleto de atividades


Um ano pleno de atividades só poderia terminar com um dia pleno de atividades. Foi assim a última quinta-feira (19) de 2013, marcada por uma conferência, uma defesa de dissertação e a edição das “Notícias do Front”.


Às 15 horas, a Professora Dra. Andréa Rosana Fetzner da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro apresentou a Conferência “Currículo e interculturalidade: desafios para a escola” na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.


Logo em seguida, às 16 horas, a estudante Maria Luíza da Silva defendeu sua dissertação intitulada “As produções textuais de alunos em escolas organizadas por ciclos de formação: irrupções de um acontecimento discursivo”. Orientada pela Professora Andréia da Silva Daltoé, a dissertação foi avaliada por comissão formada pelas professoras Andréa Rosana Fetzner (UNIRIO) e Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora).


Às 18 horas, foi editada o Dossiê “Notícias do Front” compilando todas as notícias de 2013 publicadas pelo PPGCL. “Trata-se de uma tradição do Programa, que se repete todos os anos. Reunimos num arquivo todas as notícias que publicamos no site durante o ano com o objetivo de produzir uma memória das atividades que realizamos”, explica Suelen Francez Machado Luciano, secretária do PPGCL.


Defesa de Tese marca início de 2014


Mal termina o ano de 2013, já se programam atividades para 2014. Dia 13 de fevereiro, às 15 horas, está marcada a defesa de tese: “A memória em movimento: do esquecimento à lembrança”, da estudante Marilene Teresinha Stroka, orientada pela professora Solange Maria Leda Gallo. Participam da banca as professoras: Maria Onice Payer (UNICAMP), Beatriz Maria Eckert-Hoff (UDF), Nádia Régia Maffi Neckel (UNISUL), Jussara Bittencourt de Sá (UNISUL) e Dilma Beatriz Rocha Juliano (UNISUL).


“Essa quantidade de atividades bem revela o estágio de consolidação de nosso Programa de Pós-graduação. 2013 foi um ano rico em produções e sugere um 2014 ainda mais pleno, notadamente porque será marcado por um aumento significativo de defesas de tese”, pondera o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL. “A ordem agora para docentes, funcionárias, estudantes e amigos do PPGCL é a de curtir as festas de fim de ano e o mês de janeiro com o sentimento justo de dever cumprido”, complementa.


PPGCL


Dossiê “Notícias do Front” é publicado


(19/12/2012) Edição de Notícias do Front destaca as realizações de 2013 do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem.

 

Fechando o ano letivo


Uma das tradições do PPGCL é editar as “Notícias do Front” no fechamento das atividades de cada ano. “Notícias do Front” é um dossiê que abriga em um documento todas as matérias que foram publicadas no site durante o ano.


“Só podemos editar o dossiê, porque contamos com o comprometimento de nossos professores, secretárias e estudantes durante todo o ano”, comemora Suelen Francez Machado Luciano, secretária do PPGCL. “Em cada atividade realizada, nossos colaboradores não somente organizam ou participam, mas se convertem em jornalistas fotografando e produzindo matérias escritas”, complementa.


Segundo o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, um dos efeitos de “Notícias do Front” é a percepção da imensa quantidade de realizações do Programa em um ano de atividades.


“Notícias do Front nos dá uma medida das nossas potencialidades e produz uma memória, mesmo que incompleta na proporção em que nos damos conta de que muitas das atividades sequer foram noticiadas”, explica.


Versão eletrônica de “Notícias do Front” foi enviada por e-mail a todos os professores, funcionários e estudantes do PPGCL, mas você também pode ter acesso ao documento clicando
aqui.


PPGCL


Estudo aborda produções textuais de alunos

 

(19/12/2013) “As produções textuais de alunos em escolas organizadas por ciclos de formação: irrupções de um acontecimento discursivo” foi o título da dissertação da estudante Maria Luíza da Silva, orientada pela professora Dra. Andréia da Silva Daltoé. O trabalho foi defendido nesta quinta (19), às 16 horas, na Sala de Treinamento do Campus Sul da Unisul.

 

Professores e alunos são entrevistados


O presente estudo, a partir dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa pecheutiana, toma como materialidade de análise as produções textuais dos alunos e entrevistas com professoras e diretoras das escolas organizadas em Ciclos de Formação da Rede Municipal de Criciúma/SC, coletadas entre outubro e dezembro de 2012.


“Nessa materialidade, buscamos investigar se a substituição do sistema seriado dessas escolas pela instituição dos Ciclos de Formação, em 2003, provocou mudanças significativas no processo de ensino e de aprendizagem dessas escolas, de modo a alcançar uma maior autonomia desses alunos e seus professores.”, explica a estudante.


Para este propósito, primeiramente, mostra-se no que consiste o sistema em Ciclos de Formação em contraposição às séries, visando a um rompimento com um discurso de imutabilidade que concebe a escola apenas como um lugar de reprodução, cujo papel deve ser o de preparar para o mercado de trabalho. Em seguida, a estudante busca investigar, nos trabalhos produzidos pelos alunos e nas entrevistas com os professores e diretores envolvidos, se essa mudança deu abertura para a multiplicidade de sentidos, rompendo com a tendência ao sentido único no tratamento com os conteúdos.


Uma escola mais humana


“Avaliando este percurso à luz da Análise do Discurso, buscamos investigar se a instituição dos Ciclos, que representou um acontecimento histórico na rede municipal de Criciúma, provocou uma mexida importante nas fileiras dos sentidos a ponto de poder ser considerado também um Acontecimento Discursivo.”, entafiza a autora.

“Nossa proposta é, a partir desta investigação teórica, apontar se é possível atribuir outros sentidos à escola como o de espaço para a formação humana, caracterizando a escola também como um lugar de transformação, e não só de reprodução.”, finaliza.


Maria Luiza foi aprovada com distinção pela banca formada pelos professores Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (orientadora); Dra. Andréa Rosana Fetzner – UNIRIO (avaliadora); Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora); e Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (suplente).


Na foto principal, um flagrante da apresentação.
 

PPGCL


Currículo e Cultura em destaque

(19/12/2013) Dra. Andréa Rosana Fetzner da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro apresentou a Conferência “Currículo e interculturalidade: desafios para a escola” na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul nesta tarde de quinta (19).

Avaliação

A discussão sobre a avaliação escolar em ciclos visa a permitir que os estudantes convivam com seus pares em idade. “Há diferenças consideráveis em ter dificuldades na alfabetização e estar com 7 ou 14 anos de idade”, argumenta a pesquisadora. “Organizar a escola por ciclos diminuiria esses descompassos de contextos de idade”, complementa.

Para Andréa, o currículo escolar tem de levar em conta também questões interculturais. Avaliações externas com critérios que não levam conta essas questões, acabam por punir camadas da sociedade que não se ajustam integralmente ao padrão hegemônico.

Andréa Fetzner é doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007), mestre em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1999) e licenciada em Ciências Sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1991). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Didática, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO.

A pesquisadora tem ampla experiência em estudos sobre formação de professores. , orientando pesquisas principalmente nos seguintes temas: ciclos de formação, currículo, aprendizagem, políticas educacionais e avaliação emancipatória. Na UNIRIO, coordena o Projeto Institucional PIBID - Iniciação à Docência: qualidade e valorização das práticas escolares.

Conheça o trabalho da professora no Blog:
http://arfetzner.blogspot.com.br/.

PPGCL


Periódicos do PPGCL publicam três fascículos


(19/12/2013) Dezembro é marcado pela publicação de três fascículos de Linguagem em (Dis)curso, Crítica Cultural e Ciência em Curso.

 

Número Especial

 

Linguagem em (Dis)curso publicou em seu volume 13 número 3 um número especial sobre Escrita e Discurso organizado pelas professoras Luciani Tenani e Fabiana Komesu(UNESP/São José do Rio Preto). O material procura colocar em evidência a importância e a atualidade do tema no cenário de pesquisas linguísticas e aplicadas.


“Os trabalhos foram organizados em conjuntos que priorizam: aspectos mais propriamente teóricos; aspectos mais propriamente aplicados, considerando-se a escrita do professor em formação, do pesquisador em formação, do aspirante a professor/pesquisador; e aspectos mais propriamente linguísticos, considerando-se a ortografia na chamada aquisição de escrita”, explicam as organizadoras.


O fascículo contou com colaboradores de diferentes instituições no País – Universidade de São Paulo; Universidade Estadual de Campinas; Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”; Universidade Estadual de Maringá; Universidade Federal de São Carlos – e no exterior – Université Stendhal Grenoble 3; Université Charles-de-Gaulle-Lille 3; Université Paris Ouest Nanterre La Défense, França.


Linguagem em (Dis)curso, Qualis A1, é uma publicação quadrimestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior que estejam interessados em questões relativas ao campo textual-discursivo. A revistas é publicada no site do PPGCL, no portal de periódicos da Unisul e na Coleção Scielo Brasil. Versão impressa estará disponível em 2014. Em 2013, o periódico contou com apoio financeiro do CNPq.


Você pode ter acesso ao número, clicando
aqui.


Cinema e cultura em destaque


Crítica Cultural também publicou o segundo número do oitavo fascículo em dezembro. Além da tradicional seção de artigos livres, o tema deste número foi dedicado aos cinemas mundiais, considerados em “suas transnacionalidades, seus hibridismos estéticos, suas indisciplinaridades de gênero no audiovisual”.


“A proposição é a de refletir sobre políticas estéticas contemporâneas compreendidas no transpassamento de reconhecidos limites que guardariam práticas, gostos, estilos e percepções do olhar sobre as produções audiovisuais nacionais, continentais e/ou globais”, apresentam seu editores.


Cinemas Mundiais “põe sob rasura várias noções tão amplamente utilizadas, mas vistas com desconfiança e até com certo incômodo, desde pelos menos anos 80 do século XX, nas leituras culturais ao redor do mundo. Noções como nacionalidade, gênero cinematográfico, autoria ou estética autoral, hegemonia de estilos, para citar algumas, não se sustentam mais sem as devidas relativizações e/ou (im)precisões no contexto de cada enunciado crítico onde são utilizados”, complementam.


Crítica Cultural é uma publicação semestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior, interessados em questões relativas aos saberes e fazeres da cultura, a partir de perspectivas teóricas oriundas da crítica literária, em diálogo com os campos da arte, do cinema e da comunicação. O periódico está classificado no estrato B1 da CAPES.


Você pode ter acesso ao número, clicando
aqui.


Ciência em movimento


Também em dezembro foi publicado o terceiro número da “Revista Científica Ciência em Curso”. O periódico é uma publicação semestral, aberta a pesquisadores do Brasil e do exterior interessados em investigações e reflexões sobre a produção e circulação do conhecimento científico e cultural problematizando o papel da ciência e da cultura tal como elas se constituem, hoje, na sociedade contemporânea nas instâncias das Ciências da Linguagem.


Segundo os editores, “interessa refletir, portanto, sobre as condições de produção de ciência, cultura, tecnologia e mídia. Nos trabalhos nela publicados, busca-se explorar o aspecto político envolvido nos processos de divulgação e circulação do conhecimento, além de despertar para o fato de que os sentidos da ciência e da cultura permeiam vários discursos como o pedagógico, o jornalístico, o jurídico, o político, o publicitário, o artístico, entre outros. Aceitam-se apenas textos relativos a esse campo temático”.


Você tem acesso ao número clicando
aqui.

 

PPGCL


Um ano pleno


(19/12/2013) Conferência, dissertação e edição anual das Notícias do Front marcam o encerramento das atividades do PPGCL em 2013. Programa entra em recesso de férias nesta sexta (20) e retorna às atividades em 5 de fevereiro.


Dia repleto de atividades


Um ano pleno de atividades só poderia terminar com um dia pleno de atividades. Foi assim a última quinta-feira (19) de 2013, marcada por uma conferência, uma defesa de dissertação e a edição das “Notícias do Front”.


Às 15 horas, a Professora Dra. Andréa Rosana Fetzner da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro apresentou a Conferência “Currículo e interculturalidade: desafios para a escola” na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.


Logo em seguida, às 16 horas, a estudante Maria Luíza da Silva defendeu sua dissertação intitulada “As produções textuais de alunos em escolas organizadas por ciclos de formação: irrupções de um acontecimento discursivo”. Orientada pela Professora Andréia da Silva Daltoé, a dissertação foi avaliada por comissão formada pelas professoras Andréa Rosana Fetzner (UNIRIO) e Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora).


Às 18 horas, foi editada o Dossiê “Notícias do Front” compilando todas as notícias de 2013 publicadas pelo PPGCL. “Trata-se de uma tradição do Programa, que se repete todos os anos. Reunimos num arquivo todas as notícias que publicamos no site durante o ano com o objetivo de produzir uma memória das atividades que realizamos”, explica Suelen Francez Machado Luciano, secretária do PPGCL.


Defesa de Tese marca início de 2014


Mal termina o ano de 2013, já se programam atividades para 2014. Dia 13 de fevereiro, às 15 horas, está marcada a defesa de tese: “A memória em movimento: do esquecimento à lembrança”, da estudante Marilene Teresinha Stroka, orientada pela professora Solange Maria Leda Gallo. Participam da banca as professoras: Maria Onice Payer (UNICAMP), Beatriz Maria Eckert-Hoff (UDF), Nádia Régia Maffi Neckel (UNISUL), Jussara Bittencourt de Sá (UNISUL) e Dilma Beatriz Rocha Juliano (UNISUL).


“Essa quantidade de atividades bem revela o estágio de consolidação de nosso Programa de Pós-graduação. 2013 foi um ano rico em produções e sugere um 2014 ainda mais pleno, notadamente porque será marcado por um aumento significativo de defesas de tese”, pondera o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL. “A ordem agora para docentes, funcionárias, estudantes e amigos do PPGCL é a de curtir as festas de fim de ano e o mês de janeiro com o sentimento justo de dever cumprido”, complementa.


PPGCL


Dossiê “Notícias do Front” é publicado


(19/12/2012) Edição de Notícias do Front destaca as realizações de 2013 do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem.

 

Fechando o ano letivo


Uma das tradições do PPGCL é editar as “Notícias do Front” no fechamento das atividades de cada ano. “Notícias do Front” é um dossiê que abriga em um documento todas as matérias que foram publicadas no site durante o ano.


“Só podemos editar o dossiê, porque contamos com o comprometimento de nossos professores, secretárias e estudantes durante todo o ano”, comemora Suelen Francez Machado Luciano, secretária do PPGCL. “Em cada atividade realizada, nossos colaboradores não somente organizam ou participam, mas se convertem em jornalistas fotografando e produzindo matérias escritas”, complementa.


Segundo o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, um dos efeitos de “Notícias do Front” é a percepção da imensa quantidade de realizações do Programa em um ano de atividades.


“Notícias do Front nos dá uma medida das nossas potencialidades e produz uma memória, mesmo que incompleta na proporção em que nos damos conta de que muitas das atividades sequer foram noticiadas”, explica.


Versão eletrônica de “Notícias do Front” foi enviada por e-mail a todos os professores, funcionários e estudantes do PPGCL, mas você também pode ter acesso ao documento clicando
aqui.


PPGCL


Estudo aborda produções textuais de alunos

 

(19/12/2013) “As produções textuais de alunos em escolas organizadas por ciclos de formação: irrupções de um acontecimento discursivo” foi o título da dissertação da estudante Maria Luíza da Silva, orientada pela professora Dra. Andréia da Silva Daltoé. O trabalho foi defendido nesta quinta (19), às 16 horas, na Sala de Treinamento do Campus Sul da Unisul.

 

Professores e alunos são entrevistados


O presente estudo, a partir dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa pecheutiana, toma como materialidade de análise as produções textuais dos alunos e entrevistas com professoras e diretoras das escolas organizadas em Ciclos de Formação da Rede Municipal de Criciúma/SC, coletadas entre outubro e dezembro de 2012.


“Nessa materialidade, buscamos investigar se a substituição do sistema seriado dessas escolas pela instituição dos Ciclos de Formação, em 2003, provocou mudanças significativas no processo de ensino e de aprendizagem dessas escolas, de modo a alcançar uma maior autonomia desses alunos e seus professores.”, explica a estudante.


Para este propósito, primeiramente, mostra-se no que consiste o sistema em Ciclos de Formação em contraposição às séries, visando a um rompimento com um discurso de imutabilidade que concebe a escola apenas como um lugar de reprodução, cujo papel deve ser o de preparar para o mercado de trabalho. Em seguida, a estudante busca investigar, nos trabalhos produzidos pelos alunos e nas entrevistas com os professores e diretores envolvidos, se essa mudança deu abertura para a multiplicidade de sentidos, rompendo com a tendência ao sentido único no tratamento com os conteúdos.


Uma escola mais humana


“Avaliando este percurso à luz da Análise do Discurso, buscamos investigar se a instituição dos Ciclos, que representou um acontecimento histórico na rede municipal de Criciúma, provocou uma mexida importante nas fileiras dos sentidos a ponto de poder ser considerado também um Acontecimento Discursivo.”, entafiza a autora.

“Nossa proposta é, a partir desta investigação teórica, apontar se é possível atribuir outros sentidos à escola como o de espaço para a formação humana, caracterizando a escola também como um lugar de transformação, e não só de reprodução.”, finaliza.


Maria Luiza foi aprovada com distinção pela banca formada pelos professores Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (orientadora); Dra. Andréa Rosana Fetzner – UNIRIO (avaliadora); Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora); e Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (suplente).


Na foto principal, um flagrante da apresentação.
 

PPGCL


Currículo e Cultura em destaque

(19/12/2013) Dra. Andréa Rosana Fetzner da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro apresentou a Conferência “Currículo e interculturalidade: desafios para a escola” na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul nesta tarde de quinta (19).

Avaliação

A discussão sobre a avaliação escolar em ciclos visa a permitir que os estudantes convivam com seus pares em idade. “Há diferenças consideráveis em ter dificuldades na alfabetização e estar com 7 ou 14 anos de idade”, argumenta a pesquisadora. “Organizar a escola por ciclos diminuiria esses descompassos de contextos de idade”, complementa.

Para Andréa, o currículo escolar tem de levar em conta também questões interculturais. Avaliações externas com critérios que não levam conta essas questões, acabam por punir camadas da sociedade que não se ajustam integralmente ao padrão hegemônico.

Andréa Fetzner é doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007), mestre em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1999) e licenciada em Ciências Sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1991). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Didática, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO.

A pesquisadora tem ampla experiência em estudos sobre formação de professores. , orientando pesquisas principalmente nos seguintes temas: ciclos de formação, currículo, aprendizagem, políticas educacionais e avaliação emancipatória. Na UNIRIO, coordena o Projeto Institucional PIBID - Iniciação à Docência: qualidade e valorização das práticas escolares.

Conheça o trabalho da professora no Blog:
http://arfetzner.blogspot.com.br/.

PPGCL


Periódicos do PPGCL publicam três fascículos


(19/12/2013) Dezembro é marcado pela publicação de três fascículos de Linguagem em (Dis)curso, Crítica Cultural e Ciência em Curso.

 

Número Especial

 

Linguagem em (Dis)curso publicou em seu volume 13 número 3 um número especial sobre Escrita e Discurso organizado pelas professoras Luciani Tenani e Fabiana Komesu(UNESP/São José do Rio Preto). O material procura colocar em evidência a importância e a atualidade do tema no cenário de pesquisas linguísticas e aplicadas.


“Os trabalhos foram organizados em conjuntos que priorizam: aspectos mais propriamente teóricos; aspectos mais propriamente aplicados, considerando-se a escrita do professor em formação, do pesquisador em formação, do aspirante a professor/pesquisador; e aspectos mais propriamente linguísticos, considerando-se a ortografia na chamada aquisição de escrita”, explicam as organizadoras.


O fascículo contou com colaboradores de diferentes instituições no País – Universidade de São Paulo; Universidade Estadual de Campinas; Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”; Universidade Estadual de Maringá; Universidade Federal de São Carlos – e no exterior – Université Stendhal Grenoble 3; Université Charles-de-Gaulle-Lille 3; Université Paris Ouest Nanterre La Défense, França.


Linguagem em (Dis)curso, Qualis A1, é uma publicação quadrimestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior que estejam interessados em questões relativas ao campo textual-discursivo. A revistas é publicada no site do PPGCL, no portal de periódicos da Unisul e na Coleção Scielo Brasil. Versão impressa estará disponível em 2014. Em 2013, o periódico contou com apoio financeiro do CNPq.


Você pode ter acesso ao número, clicando
aqui.


Cinema e cultura em destaque


Crítica Cultural também publicou o segundo número do oitavo fascículo em dezembro. Além da tradicional seção de artigos livres, o tema deste número foi dedicado aos cinemas mundiais, considerados em “suas transnacionalidades, seus hibridismos estéticos, suas indisciplinaridades de gênero no audiovisual”.


“A proposição é a de refletir sobre políticas estéticas contemporâneas compreendidas no transpassamento de reconhecidos limites que guardariam práticas, gostos, estilos e percepções do olhar sobre as produções audiovisuais nacionais, continentais e/ou globais”, apresentam seu editores.


Cinemas Mundiais “põe sob rasura várias noções tão amplamente utilizadas, mas vistas com desconfiança e até com certo incômodo, desde pelos menos anos 80 do século XX, nas leituras culturais ao redor do mundo. Noções como nacionalidade, gênero cinematográfico, autoria ou estética autoral, hegemonia de estilos, para citar algumas, não se sustentam mais sem as devidas relativizações e/ou (im)precisões no contexto de cada enunciado crítico onde são utilizados”, complementam.


Crítica Cultural é uma publicação semestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior, interessados em questões relativas aos saberes e fazeres da cultura, a partir de perspectivas teóricas oriundas da crítica literária, em diálogo com os campos da arte, do cinema e da comunicação. O periódico está classificado no estrato B1 da CAPES.


Você pode ter acesso ao número, clicando
aqui.


Ciência em movimento


Também em dezembro foi publicado o terceiro número da “Revista Científica Ciência em Curso”. O periódico é uma publicação semestral, aberta a pesquisadores do Brasil e do exterior interessados em investigações e reflexões sobre a produção e circulação do conhecimento científico e cultural problematizando o papel da ciência e da cultura tal como elas se constituem, hoje, na sociedade contemporânea nas instâncias das Ciências da Linguagem.


Segundo os editores, “interessa refletir, portanto, sobre as condições de produção de ciência, cultura, tecnologia e mídia. Nos trabalhos nela publicados, busca-se explorar o aspecto político envolvido nos processos de divulgação e circulação do conhecimento, além de despertar para o fato de que os sentidos da ciência e da cultura permeiam vários discursos como o pedagógico, o jornalístico, o jurídico, o político, o publicitário, o artístico, entre outros. Aceitam-se apenas textos relativos a esse campo temático”.


Você tem acesso ao número clicando
aqui.

 

PPGCL


Dissertação analisa blogs de Clara Averbuck


(12/12/2013) A estudante Sheyla de Souza Bitencourt defendeu sua dissertação intitulada “Clara Averbuck: a escrita entre o diário e o confessionário”, nesta última terça (10), às 14 horas,
no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.


Verdade ou ficção nos escritos de Clara

 

O objetivo central da pesquisa foi identificar e analisar a escrita dos blogs que, ao se colocarem entre o diário e o confessionário, permite observar a emergência de sujeitos.

 

Clara Averbuck, escritora gaúcha, é a chave para toda essa discussão sobre exposição digital. A autora tem ativos os blogs Brazileira Preta e Adios Lounge, embora não tenham novas postagens desde 11 de dezembro de 2009. Atualmente, a escritora tem postado em seu novo blog Clara Averbuck Oficial e no Facebook (rede social).

 

“É o universo dos blogs que exploramos nessa pesquisa", explica. "As perguntas que balizam esta proposta são: que tipos de questionamentos para a subjetividade os escritos nos blogs de Clara Averbuck produzem, principalmente quando os vemos como uma forma de escrever sobre si que remete ao confessionário e ao diário? Seriam esses questionamentos apenas efeitos de uma espetacularização do eu?”, completa a estudante.

 

Segundo Sheyla, o espaço virtual se abre para uma reconfiguração do que é “próprio”: quem tem o direito de escrever, quem pode ler, sobre o que é possível escrever.

 

"Os blogs, ao transformar o modo como as pessoas escrevem sobre si, permitem a emergência de novos sujeitos que desafiam (em uma perspectiva mais otimista) ou reforçam (em um ponto de vista apocalíptico) o modo como o que é “próprio” de cada um é estabelecido”, finaliza.

 

A dissertação foi aprovada por banca composta pelas professoras Ramayana Lira de Sousa (orientadora), Dra. Luísa Cristina dos Santos Fontes – UEPG (avaliadora externa) e Alessandra Soares Brandão – UNISUL (Avaliadora interna).

 

PPGCL


Carnaval é objeto de tese

(05/12/2013) O estudante Thiago Silva de Amorim Jesus defendeu nesta última quinta (5) sua tese intitulada “Corpo, ritual, Pelotas e o carnaval: uma análise dos desfiles de rua entre 2008 e 2013”. Terceira tese do PPGCL, o trabalho foi apresentado às 13 horas e 30 minutos no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

Carnaval de rua

Segundo Thiago, a pesquisa teve como o objeto principal de análise o carnaval. O contexto escolhido foi o do desfile de rua do carnaval da cidade de Pelotas, extremo sul do Estado do Rio Grande do Sul, mais especificamente os desfiles dos blocos buslescos e das escolas de samba, no período que compreende os carnavais de 2008 a 2013.

“O objetivo geral foi apresentar e explorar a idéia do corpo como símbolo do carnaval brasileiro contemporâneo, analisando a linguagem corporal como elemento central nas relações rituais de passageme de inversão no contexto dos desfiles dos Blocos Burlescos e Escolas de Samba do Grupo Especial de Rua da cidade de Pelotas/RS”, explica o estudante.

Dentre os objetivos específicos do trabalho, destaca-se: ampliar e aprofundar o estudo sobre o corpo no carnaval brasileiro iniciado com a pesquisa no curso de Mestrado em Ciências da Linguagem da UNISUL (2007 a 2009); registrar e divulgar a produção de conhecimento sobre o carnaval de rua do sul do Brasil; e defender a noção de corpo como lugar privilegiado de comunicabilidade simbólica de inversões no contexto do carnaval de rua.

“Após o processo analítico e investigativo de campo, foi possível concluir que o corpo deve ser considerado como um instrumento de linguagem cuja ocorrência é primordialmente contextual, uma vez que a construção do conhecimento se dá pelas experiências singulares dos sujeitos e estas estão ligadas diretamente à idéia de sujeito-corpo”, salienta o autor.

“Ainda, foi constatado que o corpo extracotidiano do tempo carnavalesco não é o mesmo do tempo regular, as quais fazem com que o comportamento corporal possa se deslocar da gramática textual rígida que nos é imposta para a criação e improvisação de novos modos corporais de comportamento, configurando uma gramática gestual dinâmica, constante e transitória”, continua.

 

Corpos em movimento

“Considero, em suma, que assumir a excepcionalidade do comportamento corporal durante o período extracotidiano do carnaval significa atentar para a existência do ethos corporal carnavalesco, ou seja, um modo de comportar-se corporalmente no ambiente (espaço/tempo) do carnaval, que é regido por um conjunto de valores e normas próprios, somente captados no seu contexto singular de ocorrência, circunscrito na extracotidianidade temporal do calendário social brasileiro”, conclui.

A tese foi avaliada, e aprovada com louvor, por banca formada pelos professores Dr. Aldo Litaiff – UNISUL (orientador), Dra. Nádia da Cruz Senna - UFPel (avaliadora), Dra. Miriam Furtado Hartung – UFSC (avaliadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (avaliadora) e Dr. Fernando Simão Vugman – UNISUL (avaliador).

PPGCL


Capes atribui nota “4” ao PPGCL

 

(06/12/2013) O Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem recebeu nota 4 na avaliação trienal 2010-2012 da Capes. Ficha de avaliação aponta viés de alta para a próxima avaliação.

 

Consolidação em processo

 

“A nota 4 obtida pelo programa este ano estava no centro de nossa meta de gestão. Nosso programa havia recebido em 2010 essa mesma nota muito em função da recente aprovação do curso  de doutorado em 2009. Contudo, como o novo triênio fechava em 2012, não houve tempo hábil de formar os primeiros doutores. Nossas três primeiras defesas de doutorado ocorreram recentemente, ou seja, depois do fechamento do triênio. Desse modo, a avaliação levou em conta que o Programa, como um todo que considera os cursos de mestrado e de doutorado, ainda está em processo de consolidação, o que justifica a manutenção da nota”, explica o professor Dr. Fábio José Rauen, coordenador do Programa.

 

“No próximo triênio, que compreende os anos de 2013, 2014 e 2015 já teremos formado em torno de 30 doutores, o que dará uma dimensão mais adequada da qualidade de nosso doutorado”, complementa.

 

Entre os pontos fortes da avaliação, a área considerou a produtividade e a qualificação docente, a forte inserção na graduação e o empenho pela melhoria de vários quesitos avaliados.

 

Viés de alta

 

“O mais importante para docentes, funcionários e estudantes nessa avaliação foi o reconhecimento de nosso empenho por crescimento e aperfeiçoamento de nosso Programa”, comenta Rauen. “Sabemos que temos de ajustar alguns elementos do curso, como ampliar nossa inserção internacional ou incentivar a publicação discente, e vamos, sem dúvida, alcançar essas metas”, completa.

 

Rauen se refere a duas passagens dos comentários da avaliação que foram muito significativas para o Programa. Em dado momento o avaliador expressa que se nota “um empenho do programa na busca de sua consolidação” e, mais adiante que “a área considera que o programa tem potencial para, futuramente, alcançar nota 5”.

 

“Essas passagens foram muito significativas, porque ao mesmo tempo nos incentivam a melhorar nosso desempenho e reconhecem nosso esforço coletivo”, diz o coordenador.

 

PPGCL


Docentes do PPGCL participam de júri

(05/12/2013) As professoras Alessandra Brandão, Dilma Juliano, Nádia Neckel e Ramayana Lira participaram do júri do “Fita Crepe de Ouro 2013” nesta terça (3) no Campus da Pedra Branca em Palhoça. Mostra competitiva do curso de Cinema ampliou parceria com produtoras que premiaram três das quinze categorias que disputam o troféu Fita Crepre.

Fita Crepe de Ouro 2013 inova na premiação

O formando Germano Dutra recebeu o prêmio Desempenho Acadêmico na cerimônia de premiação do Fita Crepe de Ouro, na noite desta terça-feira (3/12). Esta é uma nova categoria que entra para competição da mostra. O estudante levou um prêmio equivalente a dez mil reais em diárias de câmeras, ilhas de edição e diárias de estúdio. O objetivo é fomentar o próximo filme do estudante, que também prevê a orientação dos professores do curso para o projeto. Os demais prêmios do curso de Cinema Unisul foram da Plural Filmes Sul, da Cinesupport e da Orbital Filmes.

Assim como Desempenho Acadêmico, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Germano Dutra intitulado 'Coulrofobia' foi eleito como o de Melhor Roteiro, Melhor Direção de Fotografia e Melhor Maquiagem. A diretora de fotografia de Coulrofobia é a estudante Michele Diniz.

A professora Mara Salla emociona-se ao falar dos trabalhos dos formandos. "Estamos nos despedindo de dez estudantes, os quais construíram uma relação de afeto e carinho com os professores e que vamos estar sempre acompanhando no mercado, torcendo pelo sucesso profissional de cada um", diz. A respeito da graduação de Germano, a coordenadora afirma que o dossiê elaborado por ele será referência de pesquisa para os próximos estudantes.

Apesar dos desafios para a produção, a acadêmica Bruna Konder, da oitava fase, levou quatro prêmios. Seu Trabalho de Conclusão de Curso foi o melhor, de acordo com o Júri Popular.

"Sempre queremos vencer o máximo possível, mas o prêmio do público eu queria muito porque é para ele que nós trabalhamos", diz a formanda. Os 45 metros do vestido de sua personagem lhe valeram o Melhor Figurino. Bruna também recebeu o troféu de Melhor Música Original e de Melhor Atriz, com Luana Amorim. "Foi um desafio trabalhar com uma equipe com uma média de 25 pessoas, mas isso traz confiança para os próximos projetos", finaliza.

A lista oficial dos vencedores pode ser vista
aqui.

Na foto: Krystopher Andrade recebe da coordenadora Mara Salla o Prêmio Orbital Filmes.

UnisulHoje (adaptado)


Ciências da Linguagem seleciona bolsista de pós-doutorado

(04/12/2013) PPGCL receberá doutora para realizar pesquisa de pós-doutorado a partir de 2014. A bolsa foi concedida pelo Programa Nacional de Pós-doutorado (PNPD) e o processo seletivo ocorreu em novembro.

Oportunidade bem-vinda


Ana Carolina Cernicchiaro foi selecionada para desenvolver sua pesquisa no PPGCL a partir do próximo ano. De acordo com a pesquisadora, o PPGCL oferece o grupo de pesquisa mais adequado ao seu estágio pós-doutoral. “Pretendo estudar a ética da alteridade na arte, a desestabilização da cultura e o devir-outro da linguagem na intersecção entre cinema, artes plásticas, jornalismo e literatura”, explica. “Desta maneira, o vínculo do PPGCL com os cursos de graduação em Letras, Comunicação Social, Cinema e Audiovisual será essencial para o desenvolvimento dos meus estudos”, complementa.

Dentre as atividades propostas no projeto de pesquisa, a bolsista enfatiza: discutir, colaborar e orientar estudantes em seus trabalhos de conclusão de curso em relação a questões de identidade e alteridade, imagem e linguagem; publicar artigos; participar de importantes congressos das áreas de Literatura, Jornalismo e Cinema; ministrar disciplinas no PPGCL e nos cursos de graduação em Letras, Comunicação Social, Cinema e Audiovisual.

Para o coordenador do PPGCL, Prof. Fábio José Rauen, a bolsa é um motivo de orgulho para o Programa. “As pesquisas a serem desenvolvidas pela bolsista contribuirão para o fortalecimento do PPGCL e também dos cursos de graduação da Unisul”, comenta.

A bolsa de pós-doutorado tem duração de 12 meses e pode ser renovada anualmente por até cinco anos.

PPGCL


PPGCL participa de evento em Chapecó

(04/12/2013) Professores e alunos do PPGCL estiveram presentes no II Seminário Internacional de Língua e Literatura na Fronteira Sul e I Instituto de Estudos Linguísticos, que ocorreu entre os dias 19 e 22 de novembro, em Chapecó - SC.

 

Linguagem: pesquisa e ensino

O II Seminário Internacional de Língua e Literatura na Fronteira Sul objetivou criar um ambiente acadêmico-científico de divulgação de pesquisas. A temática do evento – Linguagem: pesquisa e ensino - foi motivada pela relevância social das articulações entre a pesquisa e o ensino.

 

Essas articulações são compreendidas na perspectiva de que o ensino e a pesquisa estão fortemente vinculados, sem se confundirem.

 

Dessa forma, de acordo com a organização do evento, buscou-se construir um instigante espaço de interlocução que possibilitou a reflexão sobre práticas de pesquisa e sobre o ensino de linguagens.

Participação expressiva do PPGCL

Confira os trabalhos apresentados

Simpósios:

Alexandra Tagata Zatti (Doutorado) - Discursividades do sonoro e a produção de disciplinas: uma relação de atravessamentos significantes.

Clésia da Silva Mendes Zapelini (Doutorado) - Literatura infantil: os possíveis efeitos de sentido e a interpretação da materialidade discursiva.

Conceição Aparecida Kindermann (Doutorado) - A constituição do sujeito autor e leitor no ciberespaço.

João Antolino Monteiro (Mestrado) - Causos populares: a autoria em histórias que passam de boca em boca.

Katia Cristina Zilio (Doutorado) - O discurso pedagógico: entre polissemia e a paráfrase (Universidade do Contestado).

Patricia da Silva Meneghel (Doutorado) - Estrutura e acontecimento: a designação da singularidade no ressoar do jogo

Sueli Regina de Oliveira (Doutorado) - Resistência constitutiva no projeto Cambira e suas implicações nas condições de produção do discurso da comunidade pesqueira de Barra do Sul.

Painéis:

Andréia da Silva Daltoé (Docente) - A subjetivação no discurso político: metáforas de Lula e a língua de barro.

André Henrique Nunes do Carmo (Mestrado) - Protesto no facebook: um estudo sobre as te tentativas de apagamento da representatividade dos partidos políticos.

Clésia da Silva Mendes Zapelini (Doutorado) - Os possíveis efeitos de sentido e a interpretação da materialidade significante.

Vera Lucia Sommer (Doutorado) - Os vagalumes de Didi-Huberman e os recentes protestos no Brasil: uma aproximação possível.


PPGCL


Presidente Dilma sanciona Lei das Comunitárias

(27/11/2013) Nesta quarta-feira (27), reitores de universidades comunitárias de Santa Catarina encontram-se com a presidente Dilma Roussef para que a Lei n° 12.881 seja sancionada. A chamada Lei das Comunitárias define um marco legal para as universidades.
 

Novos horizontes

 

Com a lei, passa a haver uma diferenciação entre universidades comunitárias e privadas, entre elas a Unisul, facilitando a cooperação entre as comunitárias e os governos, com possibilidade de participação em editais antes destinados exclusivamente a universidades públicas.

“Isso é muito importante porque abre um horizonte de parcerias, não só com o governo federal, mas também com programas do governo estadual e de municípios”, comenta o reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt.

 

A sanção da presidente Dilma Rousseff foi publicada no dia 12/11 no Diário Oficial da União.
 

Unisul Hoje (adaptado)


XIV SILEL em Uberlândia

(25/11/2013) A professora Dra. Maria Marta Furlanetto e os doutorandos Maria Sirlene Pereira Schlickmann, Cristiane Gonçalves Dagostim e Richarles Souza de Carvalho participaram, de 20 a 22 de novembro, na Universidade Federal de Uberlândia, em Uberlândia - Minas Gerais, do XIV Simpósio Nacional de Letras e Linguística e do IV Simpósio Internacional de Letras e Linguística (SILEL).

 

Expressiva participação do PPGCL em grupo temático

A professora Maria Marta coordenou o Grupo Temático “Análise de/do Discurso: abordagens, convergências e divergências”, e apresentou o trabalho “Discurso: estrutura e acontecimento. Uma avaliação teórica”. No mesmo grupo, os doutorandos discorreram sobre os seguintes temas:
 

Maria Sirlene – Ensino fundamental de nove anos: um estudo introdutório sobre seus desdobramentos em instituições educacionais do sul de Santa Catarina, entre discursos e práticas;

Cristiane – Linguagem não verbal nas aulas de língua portuguesa: hora da diversão ou do aprendizado?


Richarles – Uma análise da indumentária em contextos religiosos e universitários.

Os grupos temáticos foram planejados de forma a possibilitar amplo debate dos trabalhos apresentados e aproximação dos pesquisadores, o que se considerou fundamental nesse tipo de evento.


PPGCL


Dissertação analisa “Rostos severinos”


(25/11/2013) O estudante Júlio César Alves da Luz defendeu sua dissertação intitulada “Rostos severinos: figuras do homem ordinário na ficção audiovisual brasileira”, nesta última sexta (22), às 10h30min, na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.


Imigrante nordestino é objeto de estudo


A partir das personagens interpretadas por José Dumont em O homem que Virou Suco (1979) e Morte e Vida Severina (1981), o trabalho do estudante Júlio coloca em questão, a partir da política de rosto, a imagem estereotipada que a remete a uma identidade vazia.


“A problematização da perspectiva despotencializadora que enquadra a figura do imigrante nordestino numa leitura miserabilista, vitimizante, historicamente estigmatizada numa reprodução reducionista nas telas cinematográficas e televisivas, constitui o objeto deste estudo”, esclarece Júlio.


“São rostos que já se tornaram bastantes conhecidos pela visibilidade que atingiram no cinema e nas mídias, mas que sob um desvirtuado ângulo cristalizado permanecem, em geral, confinados num retrato que os expõe coadunando com os espaços explorados sob o duplo signo da miséria e da violência espetacularizada”, explica.


Contudo, segundo o mestrando, buscando outro traçado que os liberte dos aspectos identitários que insistem em rebaixá-lo ao qualquer rosto nordestino, essa pesquisa propõe repensar essa figura histórica do cinema nacional.


“Assumimos, então, uma perspectiva que procura, nos personagens interpretados por Dumont, expressões potenciais de homens singulares que superam aquela imagem estigmatizante, e que desfaçam, desse modo, os contornos aprisionadores que encerram esses homens ordinário de rosto Severino na moldura de um quadro despotencializador, numa visão alienante de seu univers”, finaliza.


A dissertação foi aprovada com distinção por banca composta pelas professoras Cláudia Cardoso Mesquita – UFMG (avaliadora externa); Ramayana Lira de Sousa – UNISUL (avaliadora interna); e Alessandra Soares Brandão – UNISUL (orientadora).


Na foto principal, um flagrante da apresentação. Mais abaixo, os cumprimentos de sua Professora Orientadora Alessandra.

 


PPGCL


Filmes são objeto de conferência

 

(25/11/2013) “Drama e documento, atualidade e história no cinema brasileiro contemporâneo” foi o título da Conferência da Professora Cláudia Cardoso Mesquita, da UFMG, ministrada nesta última sexta (22) às 9he30min na Sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul. O trabalho destaca aspectos da estética audiovisual nos filmes “A cidade é uma só?” e “O som ao redor”.

 

Dramas ou documentários?

 

Segundo Cláudia, “A cidade é uma só?” (2012), de Adyrlei Queirós, e “O som ao redor” (2013), de Kleber Mendonça Filho, são filmes que fazem coexistir no cinema brasileiro contemporâneo estratégias documentais e encenações dramáticas de forma significativamente crítica.

“Os filmes são encenações do presente, mas os arquivos colocam esse presente em perspectiva e, nesse processo, o inverso também ocorre”, comenta a conferencista.

 

Em “A cidade é uma só?, Adirley Queirós apresenta as vivências atuais de três moradores de Ceilândia, uma das cidades satélites de Brasília, conectando-as com o episódio da erradicação da Vila IAPI nos anos sessenta. Numa crítica do ponto de vista de um proletariado moderno “pobre, mas não redentor”, o filme põe em questão se Brasília e Ceilândia são duas cidades ou a cidade é uma só, destacando os deslocamentos e os contrastes entre os territórios e ironizando os arquivos institucionais sobre a capital federal.

 

“A atualidade dramática colocada em cena no filme põe em crise os arquivos oficiais que veiculam que a criação de Ceilândia decorreu de uma desocupação pacífica da vila IAPI em direção a uma melhoria na qualidade de vida”, reflete a autora. “O filme provoca o estranhamento desses arquivos, na medida em que houve uma expulsão do plano piloto para um lugar inapropriado”, complementa.

 

“O som ao redor” revela as vivências de um quarteirão de classe média alta em Recife, Pernambuco, conectando o espaço privado e o público e demonstrando que nem as muralhas dos condomínios evitam os sons produzidos pelos vizinhos, tratados como os “outros”.

 

“De meu especial interesse nessa produção é a conexão entre fotos antigas reveladoras de relações de poder em engenhos de cana de açúcar, que são apresentadas no início do filme, e as relações interpessoais mais atuais em espaços urbanos”, destaca Cláudia. “São dez fotografias enquanto um passado canavieiro inquietante que assombra o presente do enredo do filme”, completa.

 

Claudia é graduada em Comunicação Social pela UFMG em 1992. Possui mestrado (2002) e doutorado (2006) em Ciências da Comunicação pela USP. Ela foi documentarista do Centro de Estudos da Metrópole e professora da Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é docente e pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais e seus trabalhos giram em torno de temas sobre a comunicação e a estética do audiovisual tais como: narrativas audiovisuais, cinema documentário e cinema brasileiro.

 

Claudia veio a Unisul para participar da defesa da dissertação “Rostos severinos: figuras do homem ordinário na ficção audiovisual brasileira”, do estudante Júlio César Alves da Luz, orientada pela professora Alessandra Soares Brandão.

 

Sobre o filme “A cidade é uma só?”, é possível acessar aqui o artigo “Um drama documentário? – atualidade e história em A cidade é uma só?” da pesquisadora, publicado na Revista Devires.

 

PPGCL


Agamben é debatido em Simpósio

(21/11/2013) Na última segunda-feira, 18 de novembro, o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, através do Grupo de Estudos (PPGCL), em parceria com o Curso de Graduação em Psicologia (Pedra Branca), organizou o Simpósio Agamben, trazendo os professores doutores Selvino Assmann (UFSC) e Sandro Bazzanella (UnC) para um debate.
 

Filosofia, Teologia e Arte em destaque

A complexidade e amplitude da obra de Giorgio Agamben é o desafio que se coloca à leitura e à reflexão. Neste sentido, o Grupo de Estudos em Agamben (PPGCL) propõe-se  a abrir-se ao diálogo com todos aqueles que, interessados em seus textos, possam contribuir para a elucidação de pensamento político contemporâneo.

“A exposição de conceitos como os de potência, de dispositivo, de biopolítica, para citar apenas alguns, foi fundamental para o Grupo de Estudos, uma vez que se constituem em importantes chaves de leitura em Agamben”, avalia a Profa. Dilma Juliano. “As relações da linguagem com a política e a arte, no pensamento do filósofo italiano, foram provocações que, certamente, enlaçam as linhas de pesquisa do PPGCL, podendo, ainda, marcar direções aos estudos do autor”, complementa.

Ao assinalar em Foucault a ausência de análise da religião e da política, Agamben, segundo Prof. Selvino e Prof. Sandro, torna-se tão imprescindível tanto na revisão da matriz judaico-cristã da cultura quanto na reflexão sobre a judicização da vida, na atualidade.

A Profa. Nádia Neckel avalia a importância das relações interinstitucionais dos grupos de estudos possibilitando o trânsito entre diferentes perspectivas, o que, segundo ela, “afina a escuta teórica o que especializa os dispositivos analíticos frente aos corpus de pesquisa, tanto na linha de pesquisa Linguagem e Cultura, quanto na linha Texto e Discurso do PPGCL”. “Discutir o político da/na linguagem interessa tanto aos analistas de discurso, quanto aos pesquisadores de estudos culturais, nessa esteira as proposições de Agamben nos são preciosas para pensar as discursividades contemporâneas”, complementa a profesora.

O Prof. Dr. Mauri Heerdt, Pró-Reitor de Ensino, Pesquisa e Extensão, participou do simpósio pelo interesse que tem pela Filosofia e pelos estudos sobre nossa atualidade teórica. O simpósio reuniu também alunos e egressos do PPGCL, assim como pesquisadores, professores dos Cursos de Psicologia, Cinema e Comunicação Social e do próprio Programa.

PPGCL


Uma chegada muito bem-vinda

(19/11/2013) O último dia 5, terça-feira, marcou a chegada de Patricia de Souza de Amorim Silveira ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem em Tubarão. Patrícia auxiliará a coordenação nos trabalhos de gestão dos documentos, de atendimentos aos estudantes, de atualização do sítio do PPGCL e de tramitação da revista Linguagem em (Dis)curso.

Um novo ciclo se inicia

Patrícia ingressou na Unisul em 2009 no setor de tutoria da Unisul Virtual e foi transferida para o PPGCL neste mês de novembro.

“Estou muito feliz com este novo desafio, pois os cursos de Mestrado e de Doutorado têm uma lógica diferente dos cursos de graduação com os quais eu convivia”, afirma.

Patrícia está substituindo a funcionária Layla Antunes de Oliveira que atuava há anos no PPGCL e que saiu devido a sua mudança de cidade. Hoje ela reside em Joinville.

“Ficamos tristes com a saída da Layla, mas sabemos que ela está iniciando uma nova fase que, com certeza, será muito boa profissionalmente e pessoalmente”, comenta Suelen Francez Machado Luciano. “Além do mais, estamos com grandes expectativas com relação à Patrícia, pois ela está se mostrando ser uma pessoa competente e carismática”, complementa.

PPGCL


Junic compartilha resultados de pesquisas


(08/11/2013) O projeto pedagógico da Unisul, que aproxima a pesquisa do processo de ensino aprendizagem, esteve materializado na oitava edição da Jornada Unisul de Iniciação Científica (Junic). O evento que compartilhou os resultados de pesquisas desenvolvidas na Universidade teve início na tarde desta quarta-feira (6/11) na Unidade Pedra Branca. As apresentações orais ocorreram em salas de aula do Bloco B e os pôsteres ficaram expostos no Ginásio de Esportes da Unidade Pedra Branca.


Pesquisa com o processo de ensino e aprendizagem


Para o reitor da Unisul, professor doutor Sebastião Salésio Herdt, o Junic reflete uma prática de desenvolvimento do projeto pedagógico da Universidade. “Não apenas de projetos de iniciação científica e pesquisa, mas, sobretudo, um pouco da alma da Unisul. A relação da pesquisa com o ensino e aprendizagem é o grande mérito do nosso projeto”, pontua o reitor.


O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) foi representado por dois avaliadores: Adair Roberto Santos Alcibia Helena Maia, ambos da UFSC. “A nossa missão é analisar não só o envolvimento do aluno, mas o produto desta atividade. Ele é refletido na participação dos alunos, na forma de discutir os seus resultados nas apresentações orais e pôsteres. O conjunto destes dados vai nos dizer a perspectiva que o evento exige e que o CNPq espera”, contextualiza o professor Adair Santos.


Em todo o Brasil, mais de 50 mil bolsas de pesquisa PIBIC são disponibilizadas. De acordo com a professora Giovana Dal Zotto, do setor de pesquisa da Unisul, a avaliação dos professores da UFSC vai determinar se a instituição está no caminho progressivo. A avaliadora Alcibia Maia abrange todos os principais pontos em sua análise. “O empenho da instituição, a participação dos alunos e a evolução em relação a edições anteriores do Junic. Tenho acompanhado os eventos da Unisul e percebo grande empenho dos professores e da universidade”, diz.

 

Trabalhos orientados por docentes do PPGCL


Entre os trabalhos orientados por docentes do PPGCL, destacaram-se os seguintes: “Leitura e ensino: estudo de caso com crianças autistas em Tubarão/SC”, de Talita Reis Cortez e Josias Cortez, orientado pela professora Andréia da Silva Daltoé; “As representações de identidade: nacionalidade e gênero, no seriado ‘As Brasileiras’”, de Luana de Amorim Machado, orientado pela professora Dilma Beatriz Rocha Juliano; “Processos ostensivo-inferenciais em campanhas publicitárias sobre a baixa da taxa de juros e a manutenção da credibilidade nas cadernetas de poupança: análise com base na teoria da relevância”, de Yuhanna Mendes Ferreira Ramos, orientado pelo professor Fábio José Rauen; “Religião e felicidade: a percepção de sujeitos acerca das suas possíveis relações”, de Gabriela Rabello, orientado pelo professor Maurício Eugênio Maliska; e “A linguagem jurídica no jornal Diário Catarinense: efeitos de sentido produzidos pelo deslocamento das materialidades significantes”, de Janete Vieira, orientado pelo professor Sandro Braga.


Na foto um flagrante do discurso do professor Mauri Heerdt na abertura do evento.
 

Unisul Hoje (adaptado)


Comunidade Vargem do Cedro é objeto de dissertação

(08/11/2013)  A estudante Valdirene da Silva Campos defendeu sua dissertação intitulada “Fronteiras (in)visíveis: um olhar crítico sobre uma comunidade étnica de origem germânica do sul do estado de Santa Catarina”, nesta última quinta-feira (7), na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

Uma diversidade de fronteiras visíveis e (in)visíveis

Segundo Valdirene, o objetivo principal deste estudo foi identificar e analisar questões de fronteiras físicas e metafóricas e/ou simbólicas em uma comunidade étnica de origem germânica do Sul do Estado de Santa Catarina – comunidade de Vargem do Cedro - baseando-se nas discussões que envolvem as novas concepções dos termos “comunidade” e “fronteira”.

“Metodologicamente esta pesquisa se caracteriza como qualitativa e quantitativa”, explica. “Envolvemos 30 moradores da comunidade divididos em dois grupos: o primeiro representado por empresários e colaboradores dos estabelecimentos comerciais ligados diretamente ao turismo, e o segundo pelos indivíduos que não estão ligados às atividades turísticas, mas que representam as famílias da comunidade”, complementa.

Conforme a pesquisadora, a comunidade objeto de estudo apresenta características culturais e identitárias bastante peculiares e com discretas reformulações, justamente por apresentar certa resistência aos fluxos, preferindo manter-se mais fortemente voltada para a manutenção de seus laços étnicos e culturais de origem.

“A comunidade de Vargem do Cedro, dentro do contexto da modernidade, vive no entre-lugar, nas duas margens, entre ‘lá’ e o ‘cá’, entre a modernidade sólida e a modernidade líquida discutida por Zygmunt Bauman (2001)”, conclui.

Valdirene foi aprovada com distinção pela banca formada pelos professores Dra. Anelise Reich Corseuil – UFSC (avaliadora); Dra. Ramayana Lira de Sousa – UNISUL (avaliadora); e Dra. Alessandra Soares Brandão – UNISUL (orientadora).

Na foto principal, um flagrante da apresentação. Mais abaixo, a banca avaliadora (da esquerda para a direita: professoras Ramayana, Alessandra, Valdirene e Anelise).

 



PPGCL


Documentário Transnacional é tema de conferência

 

(08/11/2013) Professora Anelise Reich Corseuil, Universidade Federal de Santa Catarina, ministrou a palestra “Relações Hemisféricas: A América Latina e o Documentário Transnacional”, que analisa o documentário transnacional “Ao Sul da Fronteira”, de Oliver Stone, na última quinta (7), na Sala de Treinamento do Campus Tubarão da Unisul.

 

Fronteiras em destaque

 

O documentário de Oliver Stone “Ao Sul da Fronteira”, produzido em 2009, apresenta entrevistas e depoimentos de diversos presidentes latino-americanos, focalizando as diferenças políticas entre a América Latina e os Estados Unidos.

 

A pesquisa da professora analisa os discursos conflitantes subjacentes ao filme, isto é, discursos denunciatórios do neoliberalismo e o apagamento de diferenças nacionais através da própria construção estética e da narrativa fílmica transnacional.

 

A pesquisadora explica que o documentário denuncia uma tendência da mídia em manipular uma visão sobre os presidentes de países latino-americanos, na era Bush como mandantes esquerdistas, totalitaristas, etc.

 

“Há uma tentativa de capturar a subjetividade das entrevistas qualificando a produção com um novo documentário, incluindo tons de vídeos familiares”, explica.

 

Uma análise efetivamente inter-hemisférica?

 

Segundo Anelise, “Ao Sul da Fronteira” acaba por apagar diferenças internas à América Latina ao projetar uma identidade latina americana revolucionária e politizada.

 

“O documentário foi duramente criticado pelo New York Times em função de vários erros históricos”, esclarece. Contudo, segundo a professora, Stone se defende dizendo que o objetivo do documentário é traçar um panorama político externo anti-Bush.

 

“Por fim, ‘Ao Sul da Fronteira’ traça um novo mapa político da América Latina e acaba por produzir um efeito de homogeneização a partir de um olhar central de Oliver Stone”, comenta.

 

O filme, que entrevista Hugo Chaves, Evo Morales, Fernando Lugo, o casal Netor e Cristina Kirchner, Rafael Correa e Raul Castro, pode ser acessado aqui.

 

Anelise veio ao PPGCL para participar como avaliadora na banca de defesa da aluna Valdirene da Silva Campos, intitulada “Fronteiras (in)visíveis: um olhar crítico sobre uma comunidade étnica de origem germânica do sul do estado de Santa Catarina”

 

PPGCL



PPGCL e curso de Psicologia promovem simpósio sobre Agamben

(08/11/2013) O Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem e o curso de graduação em Psicologia da Unisul promovem simpósio sobre Agamben com os professores Dr. Selvino José Asmann e Dr. Sandro Luiz Bazzanella, no próximo dia 18 de novembro, às 17 horas, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

A Vida Como Potência a Partir de Nietzsche e Agamben

Selvino José Asmann e Sandro Luiz Bazzanella são tradutores e estudiosos do pensador italiano e apresentarão conceitos-chave na leitura da obra de Agamben. Na oportunidade, os professores comentarão, principalmente, sobre o livro “A Vida Como Potência a Partir de Nietzsche e Agamben”, escrito por eles e publicado pela Editora Líber Ars, em 2013, que será lançado no simpósio.

“O objeto em torno do qual se movem as reflexões que compõem este livro é a questão da centralidade da vida no pensamento de Nietzsche e Agamben, a partir de seus posicionamentos frente à metafísica ocidental e as demandas biopoliticas, que implicam sobre as formas de vida que vem apresentando-se na contemporaneidade”, explica o professor Sandro Luiz Bazzanella.

Grupo de estudos sobre Agamben
 
O PPGCL mantém, desde o dia 9 de agosto, no campus Pedra Branca, um grupo de estudos que discute o pensamento de Agamben e sua aproximação aos estudos literários.

“Este filósofo italiano é um dos pensadores mais discutidos na atualidade. Destaca-se por realizar importantes leituras do pensamento político contemporâneo, interesse de discussão das linhas de pesquisa do PPGCL”, explica a professora Dilma Juliano organizadora do grupo de estudos e do simpósio. “Este simpósio será uma grande oportunidade para aprofundarmos as discussões do grupo”, complementa.

PPGCL 


Cinema e PPGCL aproximam University of Leeds

 

(04/11/2013) Dra. Stephanie Dennison, pesquisadora da Universidade de Leeds/Reino Unido, discutiu possibilidades de convênio com a graduação do curso de Cinema e com o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, PPGCL. O encontro realizado na última sexta-feira (1º), em Pedra Branca,  deu-se por intermédio das professoras Ramayana Lira e Alessandra Brandão, PPGCL, que realizaram pós-doc em Leeds, na Inglaterra. 

 

Alunos da University of Leeds na Unisul

 

Na reunião, entre outros tópicos, foi discutida a possibilidade de alunos da University of Leeds frequentarem a Unisul. “Em todas as instituições do Reino Unido os alunos de línguas são obrigados a passar um ano no estrangeiro para poder se formar”, explica em português a professora inglesa. “Ou seja, estamos constantemente em busca de renovação de convênios com outras instituições. No momento temos grande demanda para o Brasil”, ressalta.

 

A professora Stephanie diz que apenas a PUC-RJ mantém parceira com sua instituição. “No sul não temos ninguém e já tivemos com uma universidade do nordeste, mas não funcionou muito bem por diversos motivos”, afirma. Ela diz que é sempre bom ter contato pessoal antes de iniciar um convênio.

 

As professoras da Unisul pesquisam o Cinema Latino Americano, bem como a pesquisadora da Inglaterra, Stephanie Dennison. “Elas ficaram cinco meses conosco em Leeds. Como elas também trabalham com o cinema Latino Americano, tornamo-nos amigas”, revela a doutora, que é professora de português em Leeds. “Aos dezesseis anos eu fiz intercâmbio para o Rio Grande do Sul”, explica a origem de sua fluência na língua.

 

As professoras Ramayana e Alessandra também ministram aulas no curso de Cinema da Unisul.

 

Para a professora Ramayana, esta é uma excelente forma de manter relações que podem gerar frutos interessantes em termos de produção e pesquisa. “Nossa intenção também é o fortalecimento dos laços internacionais para que a Unisul se coloque neste âmbito de projeção”, acredita.

 

Além das professoras citadas, estiveram na reunião a professora Silvete Heerdt e Júlia Evangelista, do setor de Gestão de Relações Interinstitucionais, a professora Giovanna Dal Zotto, da área de pesquisa, o professor Luciano Bitencourt, coordenador da UnA das Ciências da Educação Humanidades e Artes, a professora Dilma Juliano, coordenadora adjunta do PPGCL, e a professora Mara Salla, coordenadora do curso de Cinema da Unisul.

 

Unisul Hoje


Dissertação analisa obra de Monteiro Lobato

 

(04/11/2013) A estudante Alinne Perrone Auzier de Andrade defendeu, nesta última sexta (1º), sua dissertação intitulada “Imagens televisivas na infância: dos livros ao DVD, o mundo de Monteiro Lobato, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A influência da mídia televisiva na infância

 

Segundo Alinne, o objetivo da pesquisa foi refletir como as crianças lidam com as mídias, principalmente a televisão, onde a imagem é predominante.

 

“Por se tratar de um tema muito amplo, escolhemos focar o estudo numa obra clássica de literatura infantil – Reinações de Narizinho – de autoria de Monteiro Lobato e sua adaptação para a televisão, em seriado homônimo, veiculado pela Rede Globo”, explica a estudante.

 

“A mídia, hoje, está fazendo o papel que a família fazia décadas atrás, o papel da família que participava de todas as fases da educação da criança. Na contemporaneidade, são as mídias que fazem este papel da socialização e a imagem o papel de sedutora, a que atrai rapidamente a atenção das crianças”, analisa.

 

“Foi uma pesquisa interessante e esclarecedora. É diante dessas transformações sociais e culturais que implicam alterações na formação da infância, que se apresenta esta dissertação”, comenta.

 

A dissertação de Alinne foi aprovada por banca formada pelos professores Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (orientadora); Dra. Eliane Santana Dias Debus  – UFSC (avaliadora); e Dra. Silvânia Siebert – UNISUL. (avaliadora).

 

Na foto principal, um flagrante da estudante assinando a ata de defesa. Mais abaixo, a banca avaliadora (da esquerda para a direita: Profa. Dilma, Alinne, Profa. Eliane e Profa. Silvânia).

 

 

PPGCL


Professoras participam de congresso no México

 

(31/10/2013) As Professoras Solange Maria Leda Gallo, Nádia Régia Maffi Neckel, Giovanna Benedetto Flores e Andréia da Silva Daltoé participam, de 28 a 31 de outubro, do X Congreso Internacional de la Asociación Latinoamericana de Estudios del Discurso (ALED), na Benemérita Universidad Autónoma de Puebla, em Puebla, México.

 

A diversidade cultural e os processos de hibridização e multimodalidade no discurso

 

O Congresso tem como foco temático a diversidade cultural e os processos de hibridização e multimodalidade no discurso. Os intercâmbios cada vez mais frequentes entre pessoas de diferentes origens culturais e a utilização de várias plataformas de suporte discursivo têm gerado novas exigências discursivas: modalidades de interação distintas das tradicionais, diferentes modos de organização do discurso, bem como novos usos de recursos semióticos multimodais. 

 

A mescla de gêneros daí resultante requer estudos sistemáticos que permitam demarcar os procedimentos concernentes a distintos tipos de hibridização, identificar as dimensões genéricas que podem ser hibridizadas, assim como os critérios pertinentes que respondem a processos de hibridização e integração de diversos tipos de recursos semióticos na composição de textos coerentes.

 

Dentre os objetivos da Asociación Latinoamericana de Estudios del Discurso (ALED) destaca-se: promover o desenvolvimento científico dos estudos do discurso na América Latina; promover a circulação de conhecimento para enfrentar a pesquisa na área do discurso; promover o intercâmbio com outras instituições globais.

 

O Congresso reúne pesquisadores dos países-membros da ALED (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Puerto Rico, Uruguai e Venezuela), e se constitui num importante evento da área de estudos do discurso.

 

As professoras Solange e Nádia participaram da mesa “O discurso da hibridização na imagem”, apresentando as pesquisas “A imagem e o efeito de informação” e “Corpo imagem: o corpo audiovisual como materialidade discursiva”, respectivamente.

 

As professoras Giovanna e Andréia apresentaram a mesa “Processos de produção e circulação do conhecimento”, com os respectivos trabalhos: “Os sentidos de nação e república na imprensa brasileira no final do império” e “As Metáforas de Lula e seu efeito de estranhamento na/pela mídia”.

 

Na foto principal, um flagrante da mesa das professoras Giovanna e Andréia. Mais abaixo, a mesa composta pelas professoras Solange e Nádia.

 

 

PPGCL


Curso de Cinema sedia Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba

 

(31/10/2013) No dia 7 de novembro, quinta-feira, a cidade de Palhoça, na Grande Florianópolis receberá, com o apoio do curso de Cinema e Audiovisual da Unisul, algumas das produções que fizeram parte do FICBIC - Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba. A exibição dos seis trabalhos selecionados para a versão itinerante do festival será no Auditório do Bloco C da UNISUL – Cidade Universitária Pedra Branca, às 19h30, com entrada gratuita.

 

Conheça o evento


Entre os destaques da mostra, está o vencedor do Prêmio de Melhor Documentário da Olhar Brasilis (Festival de Cinema de Santos), o filme “Pátio” (2013, 17min), de Aly Muritiba. Exibido na Semana da Crítica do Festival de Cannes 2013, a produção é a segunda parte da “Trilogia do Cárcere”, um documentário de observação sobre o dia a dia de um detento no pátio da cadeia na qual está preso. Cineasta baiano residente em Curitiba, Aly viu seu nome alcançar grande repercussão ao ter seu filme anterior, “A Fábrica”, entre os 11 pré-selecionados para o Oscar de melhor curta-metragem.


A programação conta ainda com o curta "Urânio Picuí" (2011, 15 min), de Tiago Melo e Antônio Carrilho. Os londrinenses também poderão conferir as quatro produções premiadas na Mostra Universitária Competitiva do FICBIC. Os vencedores das categorias ficção, videoclipe, experimental e documentário, além de terem seus filmes exibidos em várias cidades, ganharam passagens para conferir de perto o Festival Internacional de Cinema de Berlim, em 2014.


Depois de ser exibido na grande Florianópolis, o FICBIC passará por mais quatro cidades: Belém (PA), Brasília (DF), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG).


Bienal Internacional de Curitiba 2013

 

O FICBIC faz parte das ações comemorativas aos 20 anos da Bienal Internacional de Curitiba. Iniciada no dia 31 de agosto, a Bienal vai até o dia 1º de dezembro levando a Curitiba obras de mais de 150 artistas contemporâneos dos cinco continentes. Além de exposições em diversos museus e centros culturais, os trabalhos podem ser vistos no espaço público, em parques e até nos ônibus da cidade.

 

Programação FICBIC Florianópolis


Curtas-metragens nacionais:

“Pátio” (2013, 17min), de Aly Muritiba

“Urânio Picuí” (2011, 15 min), de Tiago Melo e Antônio Carrilho

 

Vencedores da Mostra Universitária Competitiva:

Documentário: “Leprosário” (2012, 10min30) de Luís Augusto Barbosa – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Experimental: “Meditação: Um Tríptico Telemático” (2013, 10min) de Roderick Steel (USP)

Ficção: “Antes de Palavras” (2013, 13min04) de Diego Carvalho Sá (Academia Internacional de Cinema – AIC)

Videoclipe: “Espelho de Alice” (2012, 4min38) de Nathália Araújo Miranda e Gabriel Lima (Universidade Federal da Bahia – UFBA)

 

Cinema Unisul


III Simpósio Tradução e Psicanálise

 

(25/10/2013) III Simpósio Tradução e Psicanálise acontecerá no dia 29 de outubro, das 9h30min. às 17h30min., no auditório da Biblioteca Universitária da UFSC. O evento é organizado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL-UNISUL), pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução (PGET-UFSC) e pelo Programa de Pós-graduação em Língua e Literatura Alemã (PGLLA-USP).

 

Pesquisadores renomados na área da psicanálise

 

O Simpósio conta com a presença de pesquisadores nacionais e estrangeiros que trabalham a articulação tradução e psicanálise e/ou que se ocupam da tradução de obras psicanalíticas.

 

"Trata-se, então, de um evento interdisciplinar discutindo a teoria da tradução em diálogo com a teoria psicanalítica. Entre os convidados há tradutores brasileiros e franceses da obra de Freud e Lacan, psicanalistas, literatos e editores", explica o prof. Maurício Eugênio Maliska.

 

O evento contará, ainda, com o lançamento da obra Tradução e Psicanálise (Ed. 7 Letras), que reúne artigos de textos apresentados nas duas primeiras versões do Simpósio e também com a apresentação de dois novos projetos de tradução da obra de Sigmund Freud: Ed. Autêntica – Obras Incompletas de Sigmund Freud (2013) e Ed. L&PM – Coleção Pocket (2010) e Série Ouro (2013).

 

PPGCL


Psicanálise vai ao cinema

 

(24/10/2013) A professora Dilma Beatriz Rocha Juliano participou, na última sexta (18), da exposição e discussão do filme “Basquiat – traços de uma vida”, promovida pela Escola Brasileira de Psicanálise e realizada no Centro Cultural Badesc em Florianópolis.

 

O filme

 

Em 1981, um jovem artista de rua Basquiat (Jeffrey Wright) é descoberto por Andy Warhol (David Bowie) e tem uma ascensão meteórica, tornando-se uma estrela no mundo das artes. Mas este sucesso repentino e inesperado terá um preço muito alto.

 

O preço da filiação em arte

 

“Trata-se de um filme com uma proposição biográfica, uma narrativa imagética complexa porque tecida de memórias, construções, representações e afetos – com direção de Schanbel, amigo de Basquiat, que assume a função de narrador da história. E por se tratar de uma biografia marca certos compromissos factuais que, supostamente, dão credibilidade à empreitada.”

 

““Reprodutibilidade técnica” e “indústria cultural” são referências conceituais imprescindíveis para qualquer debate que recaia sobre a produção cultural da década de 80 do século XX. Os paradigmas da arte estão tensionados, naquele momento, não só pela inserção tecnológica na feitura dos objetos, mas também do ponto de vista político-econômico, na relação entre autor-obra-público.”

 

“O desprestígio da estética e a supervalorização simbólica pela via da moeda colocam artistas, críticos e público, no filme, numa ridícula representação cinematográfica, fazendo retomar a história da arte com seus critérios de universalidade, filiação artística, perenidade exigindo uma profunda reavaliação destes parâmetros.”

 

“O efêmero, em Basquiat, tanto serve para marcar a existência simbólica da arte quanto para assinalar a impossibilidade da vida após o corte com tudo aquilo que lhe dava a marca da humanidade. Em outras palavras, não havia como reinventar-se após a “realização do sonho” de circular como mercadoria.”

 

“Espiando pelas frestas, toma corpo, e o seu corpo, a vontade de sucesso que, no filme, aparece confundindo-se com os sonhos. Um “crioulo”, um “mestiço” em Nova York, que mistura desejo de liberdade com liberdade para consumir. Ele experimenta o apagamento das linhas entre o fora e o dentro do mercado e testa o limite do humano na heroína, entre o lá e o cá, para saber quanto vale – uma grama a mais ou a menos de droga/tinta. Aquilo - o mesmo -  que faz a vida faz a morte – o phármakon”, explica a professora Dilma.

 

A atividade, que foi aberta ao público, contou com a coordenação de Soraya Valerim – psicanalista – e com a participação da professora, e também psicanalista, Louise Lhullier (UFSC).

 

PPGCL


Tese analisa capas de CD Funk

 

(22/10/2013) A estudante Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira defendeu nesta última segunda (21) sua tese intitulada “Análise multimodal da comodificação de homens e mulheres em capas de CD de música funk”. Segunda tese do PPGCL, o trabalho foi apresentado às 9 horas no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Comodificação e pós-modernidade

 

Nesta pesquisa, orientada pelos professores Dr. Fábio José Rauen – UNISUL e Dra. Débora de Carvalho Figueiredo – UFSC, a estudante destacou o tema da comodificação na modernidade tardia.

 

A comodificação é um processo que transforma coisas, eventos e seres em objetos de venda. “Quando a imagem de nossos corpos passam a compor produtos, embalagens e peças publicitárias, elas passam a compor os insumos desses produtos, ou seja, elas são vendidas tanto quanto os produtos”, esclarece o professor Fábio José Rauen.

 

“Um dos méritos do trabalho é o de estudar textos que circulam em comunidades não elitizadas e que, mais recentemente, ganham a mídia implica olhar para práticas discursivas sociais específicas que, em geral, não se estuda na academia”, complementa Rauen.

 

Edineia analisou, com base nas metafunções da linguagem da Gramática Visual de Kress e van Leeuwen (1996, 2001) e nos arcabouços teóricos da Linguística Sistêmico-Funcional e Análise Crítica do Discurso, o processo comodificação de homens e mulheres em quarenta capas de CD de música funk de 2012.

 

Diferentes representações

 

A tese partiu da hipótese de que homens e mulheres são comodificados de diferentes formas nas capas de CD e de essas diferenças podem ser indícios de representações sociais demarcadas para homens e mulheres no próprio movimento funk.

 

Os achados da estudante demonstram que a promoção do gênero comodifica pessoas essencialmente. Das 40 capas selecionadas, 38 capas apresentam imagens humanas, a maioria contendo imagens femininas.

 

“Nas capas que eu analisei, pude perceber que os homens são representados como sujeitos. Eles são representados como Mestres de Cerimônias (MCs), Disk Jóqueis (DJs) ou cantores em imagens que destacam as suas qualidades profissionais e artísticas nos bailes e que apresentam alguns de seus objetos de desejo, entre os quais carros, joias e mulheres”, salienta a autora.

 

“Quando eu observo as imagens das mulheres, eu percebo que elas são representadas como dançarinas  em alguns casos ou elas posam sensualmente, de uma forma muito semelhante às fotos de calendários, para um consumidor masculino, como se estivessem convidando esse homem para o baile para a curtição da música”, continua.

 

“Dá para perceber que os homens são sujeitos do movimento, e as mulheres fazem parte da lista de seus objetos de desejo e de poder”, lamenta. “As imagens projetam uma representação social de um consumidor masculino que ao mesmo tempo em que quer ter o sucesso dos DJs, MCs e cantores, também quer ter esses objetos de desejo, incluindo as mulheres, obviamente”, completa.

 

O estudo de Edinéia leva a conjecturar que, de fato, essa divisão marcada de papeis sociais nas representações de capas de CD funk possa ser consequência do contexto maior dos bailes, das músicas e do próprio movimento funk.

 

“É razoável supor que essas representações são pistas de posições sexistas que privilegiam homens sobre mulheres numa estrutura de cultura maior que domina essas práticas e discursos”, conclui.

 

A tese foi avaliada e aprovada por banca formada pelos professores Dr. Fábio José Rauen – UNISUL (orientador), Dra. Débora de Carvalho Figueiredo - UFSC (coorientadora), Dr. Adair Bonini – UFSC (avaliador), Dra. Viviane Maria Heberle – UFSC (avaliadora), Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (avaliadora), Dra. Ramayana Lira de Sousa – UNISUL (avaliadora) e Dr. Maurício Eugênio Maliska – UNISUL (suplente).

 

PPGCL


PPGCL participa do VI SEAD

 

(18/10/2013) Docentes e discentes do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem participam do VI SEAD - Seminário de Estudos em Análise do Discurso – que acontece entre os dias 15 a 18 de outubro, em Porto Alegre.

 

Evento bianual

 

O SEAD, Seminário de Análise do Discurso, acontece a cada dois anos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Programa de Pós-graduação em Letras. As organizadoras são pesquisadoras da análise do discurso, Freda Indursky, Maria Cristina Ferreira e Solange Mittmann. O evento congrega pesquisadores de todo o Brasil e tem abrangência internacional, principalmente com pesquisadores da França.

 

A peculiaridade do evento é manter uma sessão única na qual são apresentadas as pesquisas para o conhecimento e discussão dos demais. Com isso pretende-se que não haja dispersão e que se conheça o que está sendo produzido mais recentemente na área.

 

PPGCL tem participação expressiva

 

O PPGCL foi representado por docentes e discentes da linha de Texto e Discurso. A Profa. Solange Gallo coordenou o simpósio “Análise do Discurso e Tecnologias de Informação e Comunicação” juntamente com a professora Evandra Grigoletto (UFPE). As professoras Nádia Neckel, Andréa Daltoé e Giovanna Flores participaram com apresentação de comunicações nos simpósios.

 

O evento contou, ainda, com a presença das doutorandas Carolina Bithencourt Rubin, Clésia da Silva Mendes Zapelini, Conceição de Maria dos Santos Pacheco e Regina Aparecida Milléo de Paula com apresentações de pôsteres.

 

PPGCL


O mundo do Cinema é debatido no Socine

 

(15/10/2013) A diversidade de comunicações marca o início do XVII Encontro da Sociedade Brasileira de Cinema (Socine). Sob o tema “A Sobrevivência das Imagens”, o evento ocorreu até a última sexta-feira (11). Entre os palestrantes estão nomes de expressão no cenário mundial, como o português Luis Nogueira e o francês Kristian Feigelson, que apresentam suas pesquisas.

 

Pesquisadores da Europa, das Américas e da África discutem a arte audiovisual durante o Encontro da Sociedade Brasileira de Cinema

 

Mais de 600 pesquisadores estão reunidos na Unidade Pedra Branca e ocupam as salas de aula, os auditórios e um ambiente criado especialmente para grandes exibições audiovisuais.

 

As palestras, os debates e as discussões reúnem tudo o que a coordenadora do curso de Cinema, professora Mara Salla, esperava. “Uma semana, de manhã, de tarde e de noite falando sobre cinema”, orgulha-se.

 

A professora Ramayana Lira, PPGCL e curso de Cinema, destaca que os convidados internacionais são pesquisadores do mais alto nível e com um diálogo muito produtivo com os brasileiros.

 

A norte-americana Camara Yung, da Michigan State University, está no evento para observar e aprender o máximo sobre cinema e Brasil. “Também estou aqui como pesquisadora para abordar a mídia como meio de elevar a consciência acerca da cultura negra”, diz.

 

Para a aluna da segunda fase do curso de Cinema da Unisul, Caroline Alves, a palestra de abertura, sobre o uso das imagens nos dias de hoje e na internet, foi o destaque. “Também tenho achado muito interessante o nível de discussão deles”, avalia a estudante.

Entre as celebridades do evento, Luis Nogueira, de Portugal, afirma que encontrou a qualidade que está habituado no Encontro. “Já vim em outros anos e as comunicações que vi até agora, todas elas, muito interessantes e muito informadas, sobre temas pertinentes e que interessam de alguma forma toda a comunidade de investigadores de cinema, tanto de Portugal, quanto do Brasil”, diz. Nogueira está acompanhado por outros dois cineastas portugueses, Francisco Merilo e Ana Catarina Pereira.

Também com grande reconhecimento no cenário mundial do cinema, Kristian Feigelson, vinculado à Université Sorbonne Nouvelle/Ircav, abordou as ‘Representações Visuais de Gulag’. “Gostei muito da comunicação sobre a subjetividade, apropriação e tendências nos documentários, porque acredito que eles são uma tendência no cinema”, afirma. O francês se referiu ao trabalho ‘Subjetividade, ensaio, apropriação, encenação: tendências do documentário’, sessão coordenada por Consuelo Lins (UFRJ), Henri A. de A. Gervaiseau (USP) e Andrea França Martins (PUC-Rio).

Maomé Beimba, da Costa do Marfim, professor da Universidade Federal da Bahia, também elogia o evento. “O Socine tem esta tradição de rotatividade. A organização tem sido muito bacana neste início e está deixando uma boa impressão da Unisul. Pelo resultado das comunicações consigo perceber uma evolução no evento”, avalia o professor.

 

A estudante da segunda fase, Daysa Teixera, ajuda na organização do evento. “É muito bom, enquanto acadêmica, conhecer tanta gente de fora. São trocas de experiência para a vida”, acredita.

 

O cineasta João Macellolo representa a Universidade Federal de São Carlos e apresentou, na última sexta (11), comunicação acerca das séries de televisão. “Hoje este tipo de produção está muito forte na TV paga por conta da nova lei. Portanto, precisamos criar e produzir porque pela primeira vez isto está ficando sério”, analisa.

 

Veja a programação completa do Encontro Socine. 

 

Unisul Hoje


Coordenadores e vices são empossados

 

(11/10/2013) Cerimônia realizada nesta quinta-feira (10) marcou o início dos mandatos dos gestores dos cursos para a gestão 2013-2016.

 

Compromisso com a  formação de profissionais

 

Alguns são experientes na função. Outros, novatos. Mas em comum entre eles o desejo de trabalhar na formação de profissionais que irão contribuir para o desenvolvimento regional. Este era o sentimento que predominava entre os coordenadores e vice-coordenadores dos cursos da Unisul que foram empossados nesta quinta-feira (10/10), no Salão Nobre, em Tubarão. A entrega de 157 portarias para eleitos, adjuntos e pro tempore marcou o início oficial das gestões 2013-2016.

 

O coordenador do curso de Medicina, professor João Ghizzo Filho, foi o escolhido para falar em nome de todos os empossados e se disse emocionado pela deferência. Ele representou os professores que atuarão na gestão dos cursos de graduação, mestrado e doutorado. “Este é um desafio para os educadores e para a instituição. Temos o compromisso de buscar a excelência ao longo dos cursos e investir na humanização, sem esquecer os deveres éticos de cada profissão. É uma missão árdua e difícil, mas possível de ser realizada”, afirmou.

 

O reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt, considerou a disposição dos coordenadores empossados como um ato de comprometimento com a Universidade. “Entre suas atribuições está zelar pelo cumprimento do Projeto Pedagógico do Curso (PPC), exercendo a supervisão didático-pedagógica em conjunto com as atividades de pesquisa e extensão, alinhadas com o Projeto Pedagógico Institucional (PPI)”, relatou. “É um compromisso conjunto. Nós da reitoria, junto com vocês coordenadores, estamos envolvidos com um projeto que vai completar 50 anos”, encerrou Herdt fazendo referência ao cinquentenário da Unisul que será celebrado em 2014.

 

Coordenadores do PPGCL

 

“Gostaria de agradecer à comunidade acadêmica do PPGCL por mais esses três anos de confiança em meu trabalho e no  trabalho da professora Dilma Juliano”, comenta o professor Fábio Rauen. “Esse período seguramente será marcado pela consolidação e internacionalização do Programa, que agora conta também com a formação de doutores”, complementa.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Anúncios publicitários televisivos são analisados em dissertação

 

(11/10/2013) Eliana Gato Martins defendeu a dissertação “Leitura de anúncios publicitários televisivos: perspectivas para o ensino de língua portuguesa numa abordagem discursiva”, no último dia 8 de outubro, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Funcionamento discursivo de anúncios publicitários televisivos em aulas de leitura

 

Segundo Eliana, o objetivo da pesquisa foi promover a leitura de anúncios publicitários televisivos com a intenção de instaurar um espaço polêmico de construção de sentidos, no qual os alunos possam posicionar-se de forma reflexiva sobre os valores e ideologias trazidas por esse tipo de texto.

 

Para a pesquisadora, o fenômeno midiático televisivo é um novo campo de estudo a ser pensado e trabalhado pela escola. “Não se trata de mensurar a influencia da mídia na vida das pessoas, mas de compreender esse fenômeno em suas condições de produção e fornecer alguns pressupostos para que os alunos possam posicionar-se diante da infindável gama de discursos vinculados a todo tipo de produtos aos quais são expostos diariamente”, explica a estudante.

 

“Promover a leitura de anúncios publicitários televisivos poderá possibilitar ao aluno não só observar o caráter opaco da linguagem publicitária, mas também compreender os possíveis efeitos de sentido presentes nos anúncios a partir da observação do dito e do não dito, dos equívocos, dos deslocamentos de sentidos, da incompletude e de todos os aspectos que são inerentes ao discurso presente neste tipo de texto”, complementa a pesquisadora.

 

A dissertação de Eliana foi aprovada por banca formada pelos professores Dr. Sandro Braga – UNISUL (orientador); Dra. Maria Ester Wollstein Moritz  – UFSC (avaliadora); e Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL. (avaliadora).

 

Na foto principal, um flagrante da estudante durante a apresentação. Mais abaixo, a banca avaliadora (da esquerda para a direita: Profa. Maria Ester, Prof. Sandro, Eliana e Profa. Andréia.

 

 

PPGCL


Márcia Scardueli apresenta pesquisa de tese

 

(07/10/2013) Márcia Cristiane Nunes Scardueli, doutoranda do PPGCL, apresentou, em um “Open Seminar”, seu projeto de pesquisa aos mestrandos e aos doutorandos dos Programas de Pós-Graduação em Inglês e Pós-Graduação em Estudos da Tradução, da Universidade Federal de Santa Catarina, no dia 1º de outubro.

 

Aplicação da Lei Maria da Penha em debate

 

Márcia Cristiane pesquisa a aplicação da Lei Maria da Penha nos casos de violência contra a mulher praticada por parceiros íntimos, apurados na cidade de Araranguá, sob a perspectiva da Análise do Discurso de linha francesa.

 

Atualmente a doutoranda faz estágio sanduíche com o Prof. Dr. Malcolm Coulthard, no grupo de pesquisa em Linguística Forense, criado em 2013 para ser um canal de pesquisa, exploração e prática de assuntos relacionados à Linguística Forense no Brasil. O grupo está ancorado no Grupo de Pesquisa NUPDiscurso (Texto, Discurso e Práticas Sociais) da UFSC.

 

A programação dos “Open Seminars” realizados pelos dois programas tem o propósito de discutir pesquisas realizadas e em andamento na área de Linguística Forense. O convite para a participação da doutoranda foi iniciativa do professor Coulthard, que ministra a disciplina Linguagem e Direito, a alunos dos dois programas.

 

PPGCL


Dissertação aborda o duplo no filme “Dead of Night”

 

(04/10/2013) “O duplo em Dead of Night”, foi o título da dissertação apresentada pelo estudante Walterson de Faria, nesta última terça-feira (01), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

O filme e a trajetória do diretor Alberto Cavalcanti

 

Segundo Walterson, a pesquisa procurou verificar e identificar de que forma o tema do duplo aparece no filme. “Além da análise do filme, abordei a trajetória do diretor Alberto Cavalcanti, que iniciou a sua carreira no cinema Francês, estendendo pela Inglaterra e Brasil”, explica o estudante.

 

“Ao assistir esse filme, o que mais me chamou a atenção foi, além de sua riqueza técnica e narrativa, a insistência de elementos que se duplicam ao longo do filme. Assim proponho mapear a produção artística desse autor e desenvolver um quadro teórico sobre o duplo para auxiliar na leitura deste filme”, analisa.  

 

“Trazer este filme à cena nos dias de hoje pode possibilitar novas discussões sobre este objeto de arte e revalorizar o trabalho de Alberto Cavalcanti, um cineasta brasileiro que talvez ainda não tenha ganhado valor devido e reconhecimento dos brasileiros. Raras são as publicações nacionais que se dedicam ao diretor, não aprofundando na sua obra cinematográfica que teve uma grande importância para o cinema Francês e Europeu”, completa o pesquisador.

 

A dissertação de Walterson foi aprovada por banca formada pelos professores Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos – UNISUL (orientador); Dr. Caio Ricardo Bona Moreira  – FAFIUV (avaliador); e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano  – UNISUL. (avaliadora).

 

PPGCL


Relevância e Metas são temas de Simpósio

 

(04/10/2013) Quatro trabalhos do PPGCL foram apresentados no Simpósio “Cognição: relevância e metas”, durante a “VI Conferência Linguística e Cognição”, o “VI Colóquio Nacional Leitura e Cognição” e a “ XIV Semana Acadêmica de Letras”, que ocorreram entre os dias 25 e 27 de setembro de 2013, na Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC, em Santa Cruz, RS.

 

Conhecendo as pesquisas

 

“Os trabalhos desse simpósio exploram aspectos inferenciais da noção de uma heurística de interpretação e verificam, de um ponto de vista teórico, lógico e aplicado, relações entre as noções de relevância e meta em situações proativas”, explica Rauen, coordenador do Simpósio.

 

Conheça os trabalhos:

 

“Relevância, metas e processos ostensivo-inferenciais”

Fábio José Rauen

Nesta comunicação, exploro a possibilidade de a noção de relevância ser superordenada por uma noção de meta. Para tanto, problematizo o mapeamento de intenções informativas e comunicativas de emissores e intérpretes, argumentando que os seres humanos são antes proativos que reativos, tanto no processo de produção do estímulo ostensivo, quanto no processo de interpretação inferencial. Numa interpretação reativa, é razoável supor que o intérprete mapeia intenções visando ampliar os efeitos cognitivos, de modo que o processamento ocorre dedutivamente das premissas em direção à conclusão; contudo, numa interpretação proativa, pode ser o caso de o intérprete estar interessado somente em minimizar custos em favor de uma conclusão a priori, de modo que o processamento ocorre abdutivamente das conclusões em direção às premissas convenientes.

 

 

“Relevância e metas: efeitos cognitivos positivos e esforço de processamento”

Suelen Francez Machado Luciano

No curso Pragmatic Theory, Wilson (2004, p. 3-4) ilustra o princípio de relevância com um exemplo onde alguém estaria em dúvida se conseguiria pegar ou não o ônibus que a levaria até uma conferência. Nesse contexto, por hipótese, haveria três suposições na entrada do mecanismo dedutivo: (1) ela provavelmente pegaria o ônibus (P); (2) se ela pegasse o ônibus, ela participaria da conferência (P®Q); e (3) se ela não pegasse o ônibus, ela não participaria da conferência (ØP®ØQ). Do ponto lógico, não há nenhum problema nessas suposições, uma vez que a adoção das suposições contrárias (2) e (3) preserva o rigor lógico, e a inferência se dá por modus ponens, conseguindo ou não a pessoa pegar o ônibus. Contudo, a adoção dessas duas suposições é contra-intuitiva na prática, além de implicar, do ponto de vista cognitivo, uma sobrecarga no mecanismo dedutivo, o que vai contra a noção de relevância. Este trabalho propõe uma tentativa de solução para esse problema a partir da adoção de uma lógica abdutiva guiada pela noção de meta.

 

 

“A relação entre relevância e metas na elaboração de soluções informatizadas”

Sandra Vieira

Na informática, os fundamentos da lógica de programação são fundamentais na elaboração programas de computadores. Os programas de computadores surgem das necessidades dos usuários/clientes que buscam uma solução informatizada. Para desenvolver uma solução deste tipo há um processo a ser desenvolvido que envolve não somente o conhecimento das ferramentas de programação, mas também vários processos de conversão semiótica já que a linguagem humana é diferente da linguagem das máquinas, conhecida como linguagem binária. Ao supor a forma como o cérebro humano realiza estas conversões poderíamos pensar que ele seguiria o princípio da lógica como os computadores. Contudo, estudos prévios indicam que o cérebro humano não funciona apenas com base reativa, partindo das premissas em direção a uma conclusão, ele parece também ser dotado de capacidade proativa, pois funciona no sentido inverso. Esta comunicação trata da possibilidade de que relações de relevância orientadas para metas subjazem a elaboração de programas de computadores necessários para soluções informatizadas.

 

 

“Terapia Cognitiva e Teoria da Relevância: perspectivas de interface”

Andréia da Silva Bez

A terapia cognitiva é uma abordagem psicológica baseada em evidências. Trata-se de um modelo de compreensão do indivíduo, assente na interação dos pensamentos, sentimentos e comportamentos. Pesquisas recentes nesta área já delineiam possibilidades de aproximações com teorias mais abrangentes e/ou de interface: psicologia evolutiva, ciências cognitivas, neurociências, entre outras. Neste estudo, destacam-se possibilidades de interface com a teoria da Relevância de Sperber e Wilson (1986, 1995), uma abordagem pragmática e cognitiva do processo de comunicação, que considera o modo como a informação é representada e processada inferencialmente.

 

 

Na foto principal, da esquerda para a direita, podem ser vistos: Sandra Vieira, Fábio José Rauen, Suelen Francez Machado Luciano e Andréia da Silva Bez.

 

PPGCL


Ciências da Linguagem aprova o primeiro doutor

 

(02/10/2013) Professores, acadêmicos e gestores acompanharam a defesa de tese “Ciberespaço e cibermito: repatriação e socialização de acervos museológicos e dados etnográficos às comunidades de origem”, do aluno Hans Peder Behling, orientada pelo prof. Dr. Aldo Litaiff, na manhã da última terça-feira (01), no Auditório Anfiteatro do Bloco C do Campus da Pedra Branca. A defesa da primeira tese de doutorado em Ciências da Linguagem consolida a pesquisa na Unisul.

 

Momento de emoção

 

Emocionados, os coordenadores do programa, professores Fábio Rauen e Solange Gallo, abriram o evento ao lado do vice-reitor Mauri Heerdt. “A história deste primeiro doutor, de Pomerôde, se parece com a de muitos outros estudantes do programa. Ele cursou nosso Mestrado, viajou para o Canadá em formação sanduíche e voltou para defender a tese”, parabeniza a doutora Solange.

 

Para o vice-reitor, professor Mauri Heerdt, às vésperas do aniversário dos seus 50 anos, a Unisul disponibilizar a maior titulação que uma Universidade pode conceder é sinônimo de ter uma pesquisa do mais alto nível. “Foi um evento emotivo e histórico”, destaca.

 

Segundo o professor doutor Fábio Rauen, esta defesa coroa a trajetória da Universidade. “Destaco especialmente a qualidade da pesquisa apresentada por este nosso primeiro doutor”, orgulha-se.

 

O novo doutor explica que sua pesquisa visou aproximar o lógica da cibercultura com a da oralidade. De acordo com Behling, muitas comunidades indígenas do Brasil e do mundo têm buscado a devolução de acervos e patrimônios dos museus e universidades. “Mas no caso dos Guarani aqui do Estado, que têm uma cultura oral, os patrimônios materiais não são relevantes. Eles querem as fitas de vídeo e de música que antropólogos produziram ao longo dos anos, patrimônios imateriais. E como fazer esta devolução? Então a nossa proposta é fazer isso no ciberespaço, porque ali o conteúdo pode ser interativo, o que o aproxima da oralidade”, explica.

 

A apresentação da tese de Behling teve início com uma contextualização da origem e história do seu trabalho, sem abrir mão do rigor científico. “Terminei o mestrado na Unisul em 2006 para ingressar no doutorado em 2009”, lembra. O objetivo do seu trabalho foi apresentar e explorar o conceito de ‘cibermito’ relacionado com o Neo-Pragmatismo.

 

Na metodologia, foi utilizado um quadro de referências baseado no holismo. Seu método de abordagem foi a dialética com o procedimento hermenêutico. A tese foi desenvolvida em quatro etapas: diálogo com os Guaranis; pesquisa exploratória bibliográfica; estágio PDSE/Capes na Universidade de Montreal; redação geral. Para chegar ao conceito de mito, o pesquisador citou a contestação de Sócrates ao discurso mítico de sua época, explanou acerca de outros filósofos e pensadores até chegar aos três autores do Neo-Pragmatismo. “Richard Rorty, Donald Davidson e Robert Crépeau nortearam este trabalho”, afirma.

 

O pesquisador abordou a linguagem no capítulo três, relacionando a oralidade e a escrita. Em seguida, atravessou a cultura para chegar à cibercultura. “Existem as propriedades do ciberespeço (sintaxe) e os prazeres estéticos do ciberespaço (semântica). No entanto, o verdadeiro caráter distintivo do ambiente virtual do ciberespaço que nos interessa são as práticas comunicacionais (pragmática)”, explica. Neste tópico, aprofundou a pesquisa nas relações entre os usuários e as políticas públicas de inclusão digital.

 

Antes de chegar no mito Guarani, foi preciso trabalhar com Levi Strauss. “Desta forma chegamos no capítulo quatro que aborda a Etnologia Guarani”, diz. De acordo com sua pesquisa, o mito Guarani visa à busca pela terra sem mal. “É na religião que está a cultura desta população. Para eles a reza é a coisa mais importante. Contudo, focamos no mito mais conhecido, o Mito dos Irmãos”, revela. A relação dos Guarani com as tecnologias de informação e comunicação fechou o capítulo.

 

A partir deste ponto, a pesquisa trabalhou com a museologia, a genealogia das práticas e as tendências museológicas recentes. O capitulo cinco se fecha com a abordagem sobre a repatriação. As análises semióticas foram realizadas em doze sites indígenas, seis do brasil e seis do Canadá, divididos entre sites culturais, de organizações, e universitários.

Para Hans Behling, a efemeridade é o aspecto de linguagem que aproxima a oralidade do mito ao hibridismo do ciberespaço. "Contudo, ainda é preciso romper com o modelo fundamentado em texto que organiza a maioria destes sites", conclui o doutor.

A próxima defesa de tese do programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem ocorre no dia 21 de outubro às 9h, no auditório C, da Unidade Pedra Branca. Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira defende "Análise multimodal da comodificação de homens e mulheres em capas de CD de música funk".

 

Unisul Hoje


Letras promove sarau de memórias poéticas

 

(30/09/2013) Com o objetivo de expor a produção artística, literária e a performance dos acadêmicos, o curso de Letras da Unisul promove o 4º Sarau “Entrelaços: Memórias Poéticas”, que será realizado nesta terça (01) e quarta (02) às 19h30 no Salão Nobre e no auditório 211 do bloco pedagógico, respectivamente. A entrada é franca e o evento aberto à comunidade.

 

Arte é compartilhada

 

No sarau, acadêmicos e professores irão levar fotografias antigas, cartas, músicas e objetos que tenham alguma lembrança e relação com suas vidas. Estão sendo criados poemas, contos, crônicas, músicas e teatros para apresentar. Alguns escritores e artistas também irão participar do evento.

 

A novidade deste ano é a página do facebook “Faceteratura: Sarau do Curso de Letras”, onde é realizada a divulgação do evento. Também são publicadas fotografias, poemas e cartas.

 

“Dessa forma as pessoas que não têm disponibilidade para ir ao sarau podem acompanhar pela página. Também é uma forma de integração com a comunidade”, enfatiza a coordenadora do curso de Letras, professora Jussara Bittencourt de Sá.

 

O evento é organizado pelos acadêmicos do 8º semestre e professores do curso. Também tem o apoio dos professores do curso de Comunicação Social.

 

Unisul Hoje


Dissertação analisa a renda de bilro como objeto cultural

 

(24/09/2013) Mary Neuza de Clasen defendeu a dissertação “Linguagem e cultura: recontextualização da renda de bilro catarinense na moda brasileira”, nesta terça-feira (24), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A prática da renda de bilro em Santa Catarina

 

Segundo Mary, a pesquisa teve por objetivo buscar a continuidade da prática da renda de bilro em Santa Catarina, equacionando a sua inserção no ambiente da moda no vestuário, uma vez que estes dois campos semióticos, por se apresentarem como distintos, raramente estão juntos.

 

“Para tanto, busquei coletar informações sobre ações e projetos que promovam a prática da produção da renda de bilro, verificar quais as formas possíveis e os procedimentos necessários á inserção deste produto no âmbito da moda, bem como desenvolver uma fonte alternativa de consulta, que poderá ser referencia para pesquisadores e profissionais da moda que desejem conhecer esta arte e aplicá-la em seus trabalhos”, explica a estudante.

 

“Destaquei a singularidade da renda de bilro como objeto cultural de identidade local, priorizando a reflexão que emerge entre mercado de produtos artesanais e de vestuário, visto que a renda de bilro vem sendo ameaçada pela desvalorização econômica, que acaba fazendo as novas gerações buscarem outras atividades mais rentáveis”, analisa.

 

“Considerando que a prática da renda de bilro poderá desaparecer em um futuro próximo, entendemos como imperativo necessário um estudo teórico a fim de proporcionar condições para que o objeto deste estudo permaneça vivo e presente nos estudos das tradições litorâneas”, complementa.   

 

A dissertação de Mary foi aprovada por banca formada pelos professores Dr. Aldo Litaiff – UNISUL (orientador); Dra. Icléia Silveira  – UDESC (avaliadora); e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel  – UNISUL. (avaliadora).

 

Na foto principal, um flagrante da estudante minutos antes da apresentação. Mais abaixo, a banca avaliadora (da esquerda para a direita: Prof. Aldo, Profa. Icléia, Mary e Profa. Nádia).

 

 

PPGCL


Perfil literário: Professora Jussara Bittencourt de Sá

 

(23/09/2013) A professora e escritora Jussara Bittencourt de Sá desenvolveu o gosto pela leitura desde cedo e naturalmente, pois seus pais gostavam de romances. Ela cresceu entre livros, com a literatura ficcional, e esse sentimento foi potencializado com o tempo. Entre suas obras estão livros de não ficção, contos e poemas. E na hora de selecionar o que vai ler não tem critérios específicos, pois lê gêneros diversos, escolhendo os livros pelos autores, por recomendações, entre outros.
 

Conhecendo a professora enquanto leitora

 

Ao citar cinco obras que mais gostou de ter lido até hoje, Jussara achou um pouco difícil, mas encarou o desafio. O primeiro foi o romance de época O Vermelho e o Negro de Stendhal que para ela, além de ter um enredo interessante é rico em detalhes. “As descrições contribuem com uma interessante moldura à trama colocada em cena”, explica. Outra obra citada foi À Procura dos Motivos, de Oswaldo França Júnior, com toda a história bem tecida que proporciona uma leitura leve e reflexiva. Jussara comenta também a obra Flor de Poemas, de Cecília Meireles. “É sempre bom ler o trabalho desta escritora e este livro é repletos de um lirismo contagiante, os versos dos poemas provocam-nos a sensibilidade”, destaca.

 

Agatha Christie e Machado de Assis também entraram na lista dos melhores da professora. O livro Cai o Pano é a última obra da escritora inglesa e para Jussara que leu quase todos os seus livros dela, esse foi um marco em sua história de leitora, pois a Agatha Christie mata o seu personagem célebre, Hercules Poirot,  na trama. “Isso despertou em mim um sentimento paradoxal, de curiosidade temerosa, pois sabia que as linhas encerravam a vida do personagem, li bem devagar, não queria terminar, gosto muito dessa obra”, declara.

 

Machado de Assis marcou para Jussara com a peça de teatro Lição de Botânica. Essa obra mostra um enredo moderno, além do seu tempo, e a personagem Helena tem nas mãos a condução da história. 

 

Ler, para Jussara, é decifrar  a arte em palavras e a literatura permite criar, refletir, sonhar e principalmente escrever. “Viver nas páginas, transitando pelas linhas em meio às palavras, é algo muito interessante”, ressalta. Ela considera a leitura de fundamental importância tanto para adultos quanto para crianças porque contribui na formação intelectual, emocional, aguça a criatividade, a escrita e a linguagem.

 

As obras de Jussara Bittencourt de Sá são: Cazuza no Vídeo O Tempo não Para, A Nação em Cena: Brasil Teatro, Século XIX, contribuiu na organização de Palavras Contadas: Memória Oral do Povo de Tubarão e também em Fragmentos d’Alma.

 

Fabrícia de Pelegrini


Conferência discute tradução, sujeito e cultura

 

(16/09/2013) “Flusser com Freud - Tradução, Sujeito e Cultura” foi o tema da conferência ministrada pelo prof. Dr. Pedro Heliodoro de Moraes Branco Tavares, USP, na última sexta (13), na sala de Treinamento da Unisul.

 

Psicanálise e tradução em destaque

 

No evento, Tavares desenvolveu algumas articulações entre o fazer linguístico, literário, semiótico e tradutório de Flusser e o fazer psicanalítico de Freud.

 

Em resumo, a conferência tratou das relações entre Psicanálise e Tradução, sobretudo conjunções e disjunções entre os dois campos.

 

“O fazer do psicanalista pode estar em analogia com o fazer do tradutor? Pergunta que, a meu ver, pairou ao longo de toda a conferência, na medida em que os dois ofícios operam sobre uma prática de linguagem. Falar de Flusser e Freud traçando algumas similaridades, e outras diferenças, foi somente a maneira em que se abordou o complexo tema da tradução e psicanálise”, explica o prof. Maurício Eugênio Maliska.

 

“De modo mais específico, esta discussão tem ocupado o professor Pedro nos últimos tempos em função de um projeto que está sob sua responsabilidade. Trata-se da tão esperada tradução das obras de Freud direto do alemão para o português, uma vez que a edição “canônica” e amplamente difundida no Brasil pela Editora Imago é uma tradução da versão inglesa. O projeto audacioso sob o título de Obras Incompletas de Sigmund Freud deve ter uma primeira publicação ainda este ano pela Editora Autêntica de Minas Gerais”, completa.

 

“Ainda para este ano está sendo organizado o 3º Simpósio Psicanálise e Tradução numa realização conjunta dos Programas de Pós Graduação em Ciências da Linguagem da UNISUL, Pós Graduação em Letras e Literatura Alemã da USP e a Pós Graduação em Estudos da Tradução da UFSC. O simpósio está agendado para o dia 29 de Outubro de 2013, na UFSC, e contará com a participação de psicanalistas, tradutores e pesquisadores da área de várias regiões do país. Do exterior, teremos a participação da Profa. Claire Gillie, da Universidade Paris VII, que recentemente publicou uma tradução (para o francês) comentada da obra O Futuro de uma ilusão de Sigmund Freud”, destaca.

 

Tavares é professor de Alemão - Língua, Literatura e Tradução da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Doutor em Psicanálise e Psicopatologia pela École Doctorale Recherches en Psychanalyse da Université Paris VII (Paris-França) (2005-2008), bem como Doutor em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003-2007). Realizou Pós-Doutorado junto à Pós-Graduação em Estudos da Tradução da UFSC (2010-2011) investigando as traduções da obra de Sigmund Freud. Autor dos livros "Versões de Freud" (7Letras, 2011), "Fausto e a Psicanálise" (Annablume, 2012) e "Freud & Schnitzler" (Annablume, 2007). Tem considerável experiência como psicanalista e professor de Psicologia.

 

Após a conferência, Pedro participou da banca de qualificação de projeto de dissertação de Cristina Kelleter Borges Inhaia, intitulada “O silêncio na constituição do sujeito lacaniano”.

 

Na foto principal um flagrante da conferência. Mais abaixo, o momento em que o prof. Maliska apresenta Tavares a plateia.

 

 

PPGCL


Encerraram-se as Qualificações de Projetos de Dissertação

 

(16/09/2013) Encerraram-se as Qualificações de Projetos de Dissertação com a apresentação de oito trabalhos, na última quinta (12) e sexta (13), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Dando continuidade as pesquisas

 

Após a aprovação do projeto de dissertação, os estudantes estão habilitados a dar continuidade as suas pesquisas.

 

“A Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação é um evento realizado anualmente com o intuito de promover um espaço onde os alunos expõem as pesquisas em desenvolvimento”, comenta Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL. “Nesse ano foram apresentados seis trabalhos no campus da Pedra Branca e oito trabalhos no campus de Tubarão”, complementa.

 

Veja os trabalhos apresentados e aprovados no evento:

 

  

 

Cristiano De Souza Hordejuk

Cultura, identidade, memória e patrimônio: representações nas comunidades escolares João XXIII e Dite Freitas no município de Tubarão no estado de Santa Catarina - SC

Banca:

Deisi Scunderlick Eloy de Farias (orientadora);

Jussara Bittencourt de Sá;

Márcia Neu.

  

 

Bruna Cataneo Zamparetti

Resiliência e significado: sambaqui cabeçudas 01

Banca:

Deisi Scunderlick Eloy de Farias (orientadora);

Jussara Bittencourt de Sá;

Heloisa Juncklaus P. Moraes.

  

 

Francine Costa De Bom

A produção da cultura lúdica infantil durante a rotina em sala de aula: as brincadeiras do faz de conta em escolas de Criciúma/SC

Banca:

Ramayana Lira de Sousa (orientadora);

Deisi Scunderlick E. de Farias;

Heloisa Juncklaus P. Moraes.

  

 

Rafael Hoffmann Maurilio

Os pôsteres do jardim maravilhoso: um estudo cultural e estético da linguagem gráfica do movimento psicodélico

Banca:

Heloisa Juncklaus Preis Moraes (orientadora);

Alessandra Soares Brandão;

Ramayana Lira de Sousa.

  

 

Reginaldo Paulo Giassi

As representações e os estereótipos dos ciganos: no discurso entre a rádio Senado do Brasil e as obras Memórias de um sargento de milícias e Tocaia grande

Banca:

Alessandra Soares Brandão (orientadora);

Heloisa Juncklaus P. Moraes;

Ramayana Lira de Sousa.

  

 

Katiuscia Angélica Micaela De Oliveira

A ressurgência da imagem na contemporaneidade: ressignificação do grafitti através das obras de Nina Pandolfo

Banca:

Ramayana Lira de Sousa (orientadora);

Alessandra Soares Brandão;

Dilma Beatriz Rocha Juliano.

  

 

André Henrique Nunes do Carmo

Frase de protesto no facebook: um estudo sobre as tentativas de apagamento ideológico

Banca:

Andréia da Silva Daltoé (orientadora);

Maria Marta Furlanetto;

Fábio José Rauen.

  

Cristina Kelleter Borges Inhaia

O silêncio na constituição do sujeito lacaniano

Banca:

Maurício Eugênio Maliska (orientador);

Pedro Heliodoro Tavares;

Maria Marta Furlanetto.

 

 PPGCL


Doutorado promove primeira defesa

 

(16/09/2013) Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul promove sua primeira defesa de tese. A pesquisa, intitulada “Ciberespaço e cibermito: repatriação e socialização de acervos museológicos e dados etnográficos às comunidades de origem” foi produzida pelo estudante Hans Peder Behling e orientada pelo professor Dr. Aldo Litaiff.

 

A tese

 

Hans faz parte da primeira turma de Doutorado em Ciências da Linguagem, que iniciou seus estudas em julho de 2009. Além dos estudos pós-graduados realizados na Unisul, o estudante realizou estágio sanduíche na Universidade de Montreal, no Canadá, de janeiro a junho de 2012, como parte do Programa PSDE da Capes.

 

Conforme o professor Aldo Litaiff, “os estudos de doutoramento tem um significado decisivo abrindo muitas possibilidades para os acadêmicos como pesquisadores e contribuindo com a troca de saberes”. A experiência no exterior é um exemplo concreto dessa circulação de conhecimentos.

 

Sobre o conteúdo da tese, Litaiff assim se expressa: “A tese de Hans se desenvolveu e mantém uma estreita ligação com a noção de repatriação (devolução e retorno de patrimônio da cultura material e imaterial aos locais e povos de origem), um conceito canadense que surgiu na década de 80 do século XX e depois virou tendência internacional – o que justifica a importância da pesquisa”.

 

Segundo o coordenador do curso, professor Dr. Fábio José Rauen, a defesa da tese de Behling demarca a maturidade do Programa e é a primeira de uma série de trabalhos de alta qualificação que vem sendo orientado pelos professores do curso de doutorado.

 

“O trabalho de Hans Peder Behling, além de pioneiro, caracteriza-se pelo aspecto interdisciplinar que é marca registrada do Programa, uma vez que aproxima os conceitos de linguagem aos conhecimentos antropológicos”, explica.

 

A defesa

 

A defesa da tese de Hans Peder Behling será avaliada por banca formada pelo professor Dr. Aldo Litaiff, orientador, professor Dr. Theophilos Rifiotis, UFSC, professora Dra. Maria Elisa Máximo, IELUSC, professora Dra. Giovanna Benedetto Flores, UNISUL, Professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, UNISUL, avaliadores, e Professora Dra Dilma Beatriz Rocha Juliano, UNISUL (suplente).

 

O evento está agendado para as 9 horas do dia 1º de outubro, terça-feira, no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis, Unidade Pedra Branca, da Unisul.

 

Ainda em outubro ocorre a segunda defesa de tese do Programa. No dia 21, às 9 horas, também na Pedra Branca, Edineia Aparecida Chaves de Oliveira, defende a tese intitulada: “Análise multimodal da comodificação de homens e mulheres em capas de cd de música funk”. A pesquisa, orientada pelo professor Fábio Rauen e pela professora Débora Figueiredo, hoje na UFSC, traça um estudo das figuras humanas nas representadas capas de CD como objetos de consumo.

 

O curso de Doutorado em Ciências da Linguagem foi recomendado pela CAPES (órgão de orientação e avaliação de mestrados e doutorados do MEC) em 2009. A primeira turma iniciou as aulas em julho do mesmo ano e após, sempre no segundo semestre de cada ano, houve ingresso de nova turma. O tempo de duração do curso é de quatro anos, entre a realização dos créditos e o desenvolvimento da tese.

 

PPGCL


Programa elege coordenadores

 

(16/09/2013) Docentes e estudantes elegeram, nesta última quarta (11), os professores Dr. Fábio José Rauen e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano como coordenador e vice coordenadora do PPGCL . O mandato vale para o biênio 2013-2015.

 

Unanimidade

 

A chapa, formada pelos professores Fabio José Rauen e Dilma Beatriz Rocha Juliano foi unanimemente acolhida. Resultado de um consenso entre os docentes do Programa, a chapa procurou articular os dois campi e as duas linhas de pesquisa. Participaram da votação 11 professores e 19 estudantes de um colégio eleitoral de 14 professores e 81 alunos.

 

As eleições aconteceram na quarta-feira (11) através do portal Minha Unisul. O resultado das eleições foi divulgado pela Comissão Eleitoral na manhã de quinta-feira (12/9). A apuração dos votos aconteceu na noite de quinta-feira (11/9), no auditório 211 do bloco pedagógico da Unisul, em Tubarão. Participaram da junta os professores Heitor Wensing Júnior, Rafael Avila Faraco, Willian Corrêa Máximo e Lester Marcantonio Camargo.

 

PPGCL


Solange Gallo ministra palestra em Programa do Mato Grosso

 

(09/09/2013) Professora Solange Gallo, PPGCL, ministrou, na última terça (03), a palestra “Ensino, pesquisa e extensão no ensino fundamental” na aula inaugural do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras (Profletras), campus Unemat, de Mato Grosso.

 

Atividade marca início de Mestrado Profissional

 

A palestra foi proferida para os 18 alunos da primeira turma na modalidade de Mestrado Profissional em Letras de Mato Grosso.

 

Gallo fez questão de frisar que há mais de 20 anos atua junto a Unemat e que os docentes de Letras de Cáceres formam um grupo pioneiro e sempre disposto a desafios. “É fácil se especializar nos grandes centros. O trabalho, a distância e as dificuldades provam que o grupo de pesquisa vem dividindo os mesmos sonhos há muito tempo aqui na Unemat.”

 

Professora destaca a importância da pesquisa nos ambientes digitais

 

Um dos objetivos da palestra é pensar a autoria nos ambientes digitais. De acordo com a professora, os alunos podem e devem ter um trabalho mais consciente quando pesquisam na internet ao invés da prática de copiar e colar.

 

Também assistiram à palestra, professores da Unemat e da rede estadual e municipal de Cáceres e acadêmicos do curso de Letras.

 

Hemilia Maia (adaptado)


Estudantes da Pedra Branca qualificam projetos de dissertação

 

(04/09/2013) Seis trabalhos foram apresentados na semana de qualificação de projetos de dissertação, nesta última segunda (2), no Campus Pedra Branca da Unisul.

 

Estudantes da turma 2012 apresentam suas pesquisas

 

Os trabalhos apresentados representam as pesquisas em andamento dos estudantes da turma 2012 do Campus da Pedra Branca do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem.

 

“Na semana de qualificação de projetos de dissertação cada estudante tem 20 minutos para apresentação oral do projeto, seguido de arguição da comissão de qualificação”, comenta a professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, vice-coordenadora do Programa.

 

“A qualificação de projetos de dissertação é uma etapa muito importante na formação dos futuros mestres em Ciências da Linguagem, pois é nela que o estudante declara seus propósitos e define as fronteiras de conhecimento que pretende pesquisar”, finaliza.

 

 Veja a lista dos projetos apresentados:   

 

  

Guilherme Augusto Marques Cardoso

“A máscara como objeto político social: ser anônimo ou estar anônimo?”

Banca:

Dra. Nádia Neckel (orientadora);

Dr. Aldo Litaiff;

Dra. Solange Gallo. 

  

Elton Alvarenga Junior

“A Guerra do Contestado: diferentes posições sujeito nas produções de Silvio Back”

Banca:

Dra. Giovanna Flores (orientadora);

Dra. Dilma Juliano;

Dra. Nádia Neckel. 

  

Adriana Stela Bassini Edral

 ““As Brasileiras”: a diversidade cultural na produção audiovisual brasileira”

Banca:

Dra. Dilma Juliano (orientadora);

Dr. Antonio Carlos Santos;

Dra. Giovanna Flores. 

  

Flávia Walter

“Carlos Rios e sua fábrica de “realidade””

 Banca:

Dr. Antonio Carlos Santos (orientador);

Dra. Dilma Juliano;

Dra. Nádia Neckel.

 

  

Ivonete Sueli Segala Pereira

“Literatura infantil na perspectiva dos estudos culturais: o despertar para uma infância plural”

Banca:

Dra. Dilma Juliano (orientadora);

Dr. Sandro Braga;

Dra. Nádia Neckel. 

  

 Giana Fonseca Reis

“A construção de identidade no discurso das escolas de aprendizes-marinheiros”

Banca:

Dra. Giovanna Flores (orientadora);

Dr. Sandro Braga;

Dra. Nádia Neckel.

 

 PPGCL


Dissertação analisa a produção teatral de Zeno Wilde

 

(23/08/2013) “O universo teatral de Zeno Wilde: Uma biografia marginal” foi o título da dissertação defendida pela estudante Daiane Nara de Oliveiranesta última terça-feira (20), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Zeno Wilde na dramaturgia nacional

 

Segundo a estudante, o objetivo da pesquisa foi o mapeamento biográfico do dramaturgo Zeno Wilde a partir da peça teatral Blue Jeans, cuja relevância foi fundamental para consolidar no cenário dramatúrgico os textos posteriores do autor.

 

“Minha pesquisa comenta a produção teatral de Zeno Wilde na dramaturgia nacional, relacionando-a com as recentes discussões na esfera dos Estudos Culturais, e também considerando as peças teatrais escritas como importante instrumento para a leitura, análise e interpretação do gênero literário dramático, além da contextualização do século XX para o teatro através de pesquisa sobre o contexto político, cultural e artístico brasileiro dos anos 80 e início dos anos 90”, explica a pesquisadora.

 

A dissertação de Daiane foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano (orientadora), Dr. Thiago Juliano Sayao – UDESC (avaliador), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel  (avaliadora) e  Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos (suplente).

 

PPGCL


Grupo discute o pensamento de Giorgio Agamben

 

(23/08/2013) Docentes e discentes de Pedra Branca reuniram-se na última segunda-feira (19) para discutir o pensamento de Giorgio Agamben e sua aproximação aos estudos literários.

 

Por que ler Agamben?

 

“Este filósofo italiano chamado Giorgio Agamben é um dos pensadores mais discutidos na atualidade. Destaca-se por realizar importantes leituras do pensamento político contemporâneo, interesse de discussão das linhas de pesquisa do PPGCL”, explica a professora Nádia Neckel, organizadora do Grupo juntamente com a professora Dilma Juliano.

 

Os encontros do grupo serão quinzenais, das 18h às 19 horas, na sala 112B (sala de estudos do PPGCL Pedra Branca). O próximo encontro está agendado para ocorrer no dia 2 de setembro.

 

Mais informações podem ser obtidas pelos e-mails dilma.juliano@unisul.br ou nadia.neckel@unisul.br ou, ainda, pelo telefone (48) 3279-1061. 

 

PPGCL


Linguagem em (Dis)curso é classificada no Estrato A1

 

(19/08/2013) A Revista Linguagem em (Dis)curso é qualificada no estrato mais alto entre as revistas científicas da área de Letras pela CAPES.

 

O periódico

 

Linguagem em (Dis)curso é uma publicação quadrimestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior que estejam interessados em questões relativas ao campo textual-discursivo. “Os trabalhos que são publicados no periódico estão circunscritos aos objetos texto e discurso, separadamente ou em sua intersecção, e às teorias pertinentes a tais objetos”, esclarece a professora Dra. Maria Marta Furlanetto, editora.

 

Linguagem em (Dis)curso, uma feliz denominação sugerida pela Professora Albertina Felisbino, publicou seu primeiro número em julho de 2000. A partir de 2003, sob a liderança do professor Adair Bonini, passou a incorporar um terceiro fascículo com temas especiais. Em 2006, optou-se pela publicação de três números regulares. Desde 2008, o periódico faz parte da Coleção Scielo Brasil.

 

Linguagem em (Dis)curso conta hoje com a Professora Dra. Maria Marta Furlanetto, como editora, o professor Dr. Fábio José Rauen, como coeditor e a secretaria de Suelen Francez Machado Luciano. Integram o comitê editorial os professores Adair Bonini (UFSC), Andréia da Silva Daltoé (Unisul), Carmen Rosa Caldas-Coulthard (Universidade de Birmingham), Débora de Carvalho Figueiredo (UFSC), Freda Indursky (UFRGS), Maurício Eugênio Maliska (Unisul), Sandro Braga (Unisul) e Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva (UFMG). O Conselho Editorial é formado por 68 pesquisadores do Brasil e do Exterior.

 

A revista é indexada nas seguintes bases de dados: EBSCO Publishing, Scientific Electronic Library Online – SciELO, Cambridge Scientific Abstracts, MLA International Bibliography, Linguistics Abstracts (Blackwell Publishing), Ulrich's Periodicals Directory, DOAJ - Directory of Open Access Journals, Cabell’s Directories, CLASE, Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades,  Latindex, Dialnet, Genamics JournalSeek, CAPES, OASIS.BR e Geodados.

 

Além da classificação “A1” na área de Letras/Linguística, Linguagem em (Dis)curso foi também classificada nos estratos “A2” na área Interdisciplinar, “B1” na área de Psicologia, “B1” na área de Ciências Sociais Aplicadas, “B2” na área de Sociologia e “B2” na área de Educação.

 

“Ficamos especialmente felizes por saber que nossa Revista está tão bem qualificada em áreas do conhecimento correlacionadas com o Programa de Ciências da Linguagem”, comenta Fábio José Rauen, coeditor.  “Em geral, as áreas consideram como altamente qualificados os artigos publicados entre os estratos A1 e B2”, complementa.

 

Crítica Cultural “B1” foi também muito bem classificada na avaliação

 

Os resultados do projeto de publicações do PPGCL não se resumem a Linguagem em (Dis)curso. A Revista Crítica Cultural, que é um periódico que se volta para as pesquisas culturais do Programa, recebeu avaliação “B1” no Qualis da CAPES.

 

Crítica Cultural é uma publicação semestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior, interessados em questões relativas aos saberes e fazeres da cultura, a partir de perspectivas teóricas oriundas da crítica literária, em diálogo com os campos da arte, do cinema e da comunicação. Lançada em 2006, seu último fascículo publicado foi o primeiro número do oitavo volume, relativo aos meses de janeiro a junho de 2013.

 

Além dessa classificação, Crítica foi qualificada como “B1” na área de Educação, “B1” na área interdisciplinar, “B2” na área de Geografia, “B2” na área de Artes/Música, além do estrato “B5” na área de Ciência Sociais Aplicadas I.

 

Conheça a classificação Qualis

 

O Qualis é um conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. O Qualis visa a atender as necessidades específicas do sistema de avaliação e é baseado nas informações fornecidas por meio do aplicativo Coleta de Dados. Como resultado, disponibiliza uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção.

 

A classificação de periódicos é realizada pelas áreas de avaliação e passa por processo anual de atualização. Esses veículos são enquadrados em estratos indicativos da qualidade - A1, o mais elevado; A2; B1; B2; B3; B4; B5; C - com peso zero.

 

No Qualis, o mesmo periódico, ao ser classificado em duas ou mais áreas distintas, pode receber diferentes avaliações. O aplicativo que permite a classificação e consulta ao Qualis das áreas, bem como a divulgação dos critérios utilizados para a classificação de periódicos é o WebQualis. Você pode ter acesso ao WebQualis, clicando aqui.

 

PPGCL


Doutoranda e Professora do PPGCL publicam artigo em livro internacional

 

(19/08/2013) Anamélia Fontana Valentim, doutoranda do PPGCL,  e Alessandra Brandão, docente do PPGCL, publicaram o artigo “The Position of Brazilian Fashion in a Borderless Place”, no e-book Trending Now. O referido trabalho foi apresentado em setembro de 2012 no "4º Global Conference Fashion: Exploring Critical Issues" no Mansfield College em Oxford, Reino Unido.

 

A moda em destaque

 

O livro, por meio da seleção dos artigos apresentados, promove o conhecimento dos estudos relacionados à moda, oferecendo perspectivas interdisciplinares.

 

O artigo foi resultado da disciplina de Teoria Literária, cursada durante o mestrado, ministrada pela professora Dra. Alessandra Brandão, co-autora do artigo.  Anamélia defendeu a dissertação “Reflexões sobre a cópia: reprodutibilidade estética nas criações de moda, um recorte do sul de Santa Catarina”.

 

“Busquei argumentos importantes nos estudos de Silviano Santiago e Roberto Schwarz sobre literatura relacionando ao pressuposto de que a moda brasileira é uma mera emulação da moda que é produzida no exterior”, comenta a aluna.

 

“Essa perspectiva foi problematizada considerando as construções históricas e culturais do Brasil, bem como o contexto atual da cultura global interconectada que desafia as noções fixas de pureza e identidade, ao mesmo tempo em que questiona a validade de binários como original/cópia”, completa.

 

“A conquista da publicação é muito importante pessoalmente e como doutoranda estimula o aprofundamento da pesquisa sobre a cópia na moda para a tese”, finaliza.

 

Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

 

PPGCL


Revista Crítica Cultural recebe artigos

 

(06/08/2013) A revista científica Crítica Cultural, do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul (PPGCL), está aberta à submissão de textos para o número 2, volume 8. Nesta edição, a temática proposta é “Cinemas Mundiais”.

 

Cinema em destaque

 

Entre os assuntos que podem ser explorados, estão as transnacionalidades, os hibridismos estéticos e as indisciplinaridades de gênero audiovisual. Os interessados podem se inscrever nas categorias “Dossiê”, “Entrevista”, “Resenha”, “Artigos” e “Tradução”. Os textos devem ser enviados pelo autor para o e-mail critica.cultural@unisul.br.

 

Para as categorias “Dossiê”, “Entrevista” e “Resenha” o prazo limite para o envio se encerra no dia 8/9, e os textos devem estar necessariamente associados à temática proposta para este número da revista. Já para as categorias “Artigos” e “Tradução” não há prazo limite de inscrição, e os textos são livres. Serão aceitas apenas contribuições que envolvam pelo menos um autor com título de doutor, no caso de haver co-autoria com mestres. Todas as normas para a submissão estão disponíveis nesta página

 

A ideia de trabalhar temas específicos em cada publicação faz parte de uma reformulação no formato da revista, cujo objetivo é acompanhar as constantes demandas do contexto cultura. A revista Crítica Cultural tem Qualis B1.

 

Unisul Hoje


Apresentação do Programa dá início às atividades das turmas 2013

 

(06/08/2013) No início da tarde da última quinta (1º), o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, recepcionou os alunos das turmas 2013, do campus de Tubarão, apresentando o Programa.

 

Conhecendo o currículo

 

Durante a apresentação, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer a consecução do currículo dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem.

 

Na ocasião, as secretárias Suelen Francez Machado Luciano e Layla Antunes de Oliveira explicaram aos alunos algumas exigências acadêmicas, como por exemplo, o cumprimento de sessenta pontos em atividades acadêmicas completares.

 

As professoras Deisi Scunderlick Eloy de Farias, Heloisa Juncklaus Preis Moraes e Jussara Bittencourt de Sá estavam presentes e deram as boas vindas aos novos alunos.

 

Após essa atividade, os alunos iniciaram a disciplina de Estética.

 

Campus Pedra Branca

 

No campus da Pedra Branca, os alunos da turma 2013 tiveram o privilégio de acompanhar a defesa de dissertação intitulada “A imagem fotográfica, o facebook e os políticos: realidades construídas”, do estudante Eduardo Aníbal Blanco. Assim, já no primeiro dia, puderam presenciar o último rito de um Programa de Pós-graduação.

 

Após a defesa, os alunos conheceram os currículos dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem

 

PPGCL


Jogos eletrônicos são analisados em dissertação

 

(01/08/2013) “O herói sou eu: As relações entre jogos eletrônicos e jogadores” foi o título da dissertação defendida pelo estudante Fabian Antunes Silva nesta última quarta-feira (31), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Os jogos eletrônicos e suas relações com os jogadores

 

“Meu trabalho foi basicamente um tentativa de organizar o pensamento em torno de um tema com o qual venho me debatendo a algum tempo: os jogos eletrônicos e suas relações com os jogadores. Em um primeiro momento, os jogos eletrônicos foram, para mim, a diversão provisória, em outros o desafio provocador, em outros ainda o espaço-tempo de uma experiência sensível marcante”, comenta o estudante.

 

“Minha tentativa foi o de tentar compreender a relação entre os jogos eletrônicos e os jogadores e, através da adoção destes dois termos, procurei deixar claro que, o que se tratava aqui, era de uma relação dupla de influências e solicitações, tanto do jogador em relação ao jogo, quanto do jogo em relação ao jogador e que, por conta disso, todo jogo pode ser percebido enquanto evento porque só se realiza de fato, enquanto jogado”, explica.

 

“Nossa sugestão é a de que os jogos eletrônicos, como produtos culturais complexos, podem contar histórias, desenvolver personagens e nos tocar sensivelmente. Na longa história narrativa, que se confunde com o próprio surgimento do ser humano, a narrativa deslocou-se por inúmeros suportes e formatos. Por conta da sua estrutura independente, a narrativa pode ser articulada nos mais diversos meios e alcançar os mais diversos públicos. Nós crescemos ouvindo, lendo, vendo histórias e agora, de uma maneira muito significativa, nós podemos jogá-las”, finaliza.

 

A dissertação de Fabian foi aprovada com distinção por banca formada pelos professores Dr. Fernando Simão Vugman, orientador, representado pela professora Solange Gallo; Dra. Yara Rondon Guasque Araujo – UDESC (avaliadora); e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL (avaliadora).

 

PPGCL


Dissertação analisa imagens fotográficas no Facebook

 

(01/08/2013) Eduardo Aníbal Blanco defendeu a dissertação “A imagem fotográfica, o Facebook e os políticos: realidades construídas”, nesta última terça-feira (30), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Os políticos no Facebook

 

Segundo Eduardo, a pesquisa teve por objetivo analisar como as imagens fotográficas colaboram na construção de diferentes realidades de políticos nas redes sociais digitais, mais especificamente no Facebook.

 

“A internet aparece, na existência do ser humano, como um divisor de águas conceitual. Ao mesmo tempo em que lê, permite amplas possibilidades de informação e conexão com o mundo ao qual pertence, o exilia de sua existência corpórea para submergi-lo em um mundo de números binários, onde tudo é digital. As imagens fotográficas colaboram na construção destas realidades virtuais”, explica o estudante.

 

“Analisei como, a partir da utilização e manipulação de imagens fotográficas, os políticos conseguem construir determinadas realidades que convém aos seus objetivos. Neste sentido, a utilização da ferramenta denominada linha do tempo, dentro da rede social analisada, permite a construção, em um horizonte temporal, de realidades acerca das atividades, ações e ativismo social que caracteriza a vida dos políticos em geral”, analisa.

 

“A simples observação denota a importância que as imagens fotográficas ocupam neste contexto, como apoio do discurso verbal criado acerca de determinado fato, do qual a figura pública tenha participado. Postura, cores, momentos, enquadres e composição fotográfica são alguns dos fatores que indicam a manipulação e programação estratégica relacionadas à fotografia”, finaliza. 

 

A dissertação foi aprovada por banca formada pelos professores Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos – UNISUL (orientador); Dra. Cristiane Pimentel Neder – Centro Univ. Anhanguera (avaliadora); e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano – UNISUL. (avaliadora).

 

PPGCL


Dissertação discute a construção social da realidade pela linguagem

 

(22/07/2013) João Paulo Dagoberto de Luca defendeu a dissertação intitulada “A construção social da realidade pela linguagem: análise das relações entre meios de comunicação, democracia e sociedade no município de Içara/SC pela perspectiva da Teoria dos Campos”, na última sexta-feira (19), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Notícias políticas em destaque

 

A pesquisa, de acordo com o pesquisador, pretendia verificar a forma pela qual os meios de comunicação, tendo a linguagem como instrumento, criam as representações que, ao longo do tempo, são tomadas como a própria realidade, e como o processo eleitoral reflete essas representações.

 

Para cumprir tal tarefa, foi criada uma matéria fictícia que tratava da utilização de recurso público e foram entrevistados moradores do município de Içara/SC, a fim de se analisar as relações entre meios de comunicação, democracia e sociedade pela perspectiva da Teoria dos Campos.

 

“O objetivo central da pesquisa de campo foi verificar alterações, ainda que sensíveis, nas representações sociais criadas a partir de notícias políticas veiculadas pelos meios de comunicação de massa e abrir discussão a respeito do alcance dessas representações sobre o processo democrático, a partir das diferentes percepções entre receptores”, explica o estudante.

 

A dissertação foi aprovada por banca composta pelos seguintes professores: Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora); Dr. Rogério Christofoletti – UFSC (avaliador); e Dra. Alessandra Soares Brandão – UNISUL (avaliadora).

 

Na foto principal, tem-se o estudante apresentando o seu trabalho. Mais abaixo, os avaliadores efetuando a arguição.

 

 

PPGCL


Jornalismo, ética jornalística e tecnologia

 

(22/07/2013) "Jornalismo, Deontologia e Tecnologia" foi o título da Conferência ministrada pelo professor Dr. Rogério Christofoletti, da Universidade Federal de Santa Catarina, nesta última sexta (19), às 14 horas, na sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul. A atividade discutiu aspectos de imbricação entre jornalismo, ética jornalística e tecnologia.

 

Educação e jornalismo sob impacto

 

Segundo Christofoletti, duas áreas estão sendo fortemente impactadas pelas transformações tecnológicas: a educação e o jornalismo. “Comunicação e conhecimento estão mudando de status. São áreas em que os indivíduos eram tradicionalmente consumidores e, atualmente, assumem cada vez mais papéis de produtores”, afirma.

 

O pesquisador, então, apresentou uma série de indícios das transformações mais recentes que a tecnologia vem causando na área do jornalismo, destacando os impactos que essas transformações têm exercido sobre questões éticas, principalmente no que se refere à privacidade e à autoria.

 

O conceito de privacidade dos indivíduos precisa ser repensado em tempos de farta exposição. O autor destacou os recentes escândalos de grampos no Reino Unido e o das escutas do governo americano. “A violação de privacidade está na agenda das pessoas e afeta diretamente o trabalho dos jornalistas”, argumenta. “Minha hipótese é a de que a internet provoca mudanças na forma como encaramos a privacidade”, conjectura.

 

O direito autoral é também um elemento controverso. A internet impõe outros regimes de autoria. Compartilhamento, pirataria e direito autoral, seja moral ou patrimonial, têm sido objeto de constantes discussões.

 

A neutralidade da rede foi outro aspecto destacado por Christofoletti. Segundo o pesquisador, urge a elaboração de um marco civil da internet, mas conflitos de interesse têm adiado essa questão. “De um lado há interesses comerciais que defendem que o desempenho da rede dependa dos investimentos que as pessoas se disponham a fazer; de outro, há aqueles que defendam a ampla democracia no fluxo dos dados”, destaca.

 

O pesquisador destacou que o universo on-line não é mais uma segunda realidade. As fronteiras entre o mundo real e o mundo virtual tem se tornado muito mais porosas, e os recentes protestos das ruas são um exemplo dessa porosidade.

 

Por fim, Christofoletti discutiu o papel de uma espécie de ética hacker no desenvolvimento exponencial da rede de computadores. Esse comportamento tem vazado para a prática jornalística. Segundo ele, “os jornalistas estão se abastecendo dessa ética hacker, com amplo acesso à informação, redimensionamento da privacidade, constante câmbio de trabalhos e trabalho em rede.”

 

Rogério Christofoletti é professor e pesquisador do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Jornalista, é mestre em Linguística e doutor em Ciências da Comunicação. Autor de três livros e organizador de outros sete, tem dezenas de artigos publicados em periódicos científicos, tratando de temáticas como ética jornalística, crítica de mídia, novas tecnologias e educação. Em 2010, venceu o Prêmio Luiz Beltrão/Intercom na categoria “liderança emergente”.

 

Mais tarde o professor Rogério Christofoletti participou da banca de avaliação da dissertação de João Paulo Dagoberto de Luca, intitulada “A construção social da realidade pela linguagem: análise das relações entre meios de comunicação, democracia e sociedade no município de Içara/SC pela perspectiva da Teoria dos Campos”.

 

PPGCL


Reflexões sobre a cópia na moda é tema de dissertação

 

(22/07/2013) “Reflexões sobre a cópia: reprodutibilidade estética nas criações de moda, um recorte do sul de Santa Catarina” foi o título da dissertação defendida pela estudante Anamélia Fontana Valentim, na última quinta (18), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

A cópia integrando o processo de criação

 

Segundo Anamélia, a pesquisa buscou investigar, por meio das práticas utilizadas na criação de moda, a presença da cópia como parte do processo de desenvolvimento dos produtos.

 

“Além de explorar a bibliografia a respeito da reprodutibilidade técnica e estética, a análise do assunto foi ancorada por entrevista semi-aberta com estilistas da região sul de Santa Catarina, o que permitiu perceber entre outras conclusões a forte presença do uso de tendências como direcionador do processo criativo”, explica.

 

Por meio dessa investigação, de acordo com a pesquisadora, foi possível a discussão a respeito da condenação da cópia, presente em várias esferas sociais e até mesmo no setor da moda.

 

“A criação de moda por possuir ampla ligação poética e estética pode ser caracterizada enquanto linguagem e representação, agenciando os signos sociais”, ressalta. “Ampliando o leque de possibilidades do tema, investigou-se também a potência transgressora que pode haver na prática da cópia dos produtos de moda”, conclui.

 

O trabalho foi aprovado por banca composta por Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL (orientadora); Dra. Roberta Mânica Cardoso – UCS (avaliadora); e Dra. Alessandra Soares Brandão – UNISUL (avaliadora).

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação da Anamélia. Mais abaixo, temos a banca realizando a arguição.

 

 

PPGCL


Docentes e discente do PPGCL participam da ABRALIC

 

(22/07/2013) As professoras Dra. Ramayana Lira, Dra. Alessandra Brandão e Dra. Dilma Juliano, assim como a doutoranda Aurélia Honorato participaram, entre os dias 08 e 12 de julho de 2013, em Campina Grande – Paraíba, do XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada – ABRALIC.

 

Internacionalização do Regional

 

Neste ano, o tema geral do evento foi “a internacionalização do Regional”. Para a literatura comparada, a nacionalidade e a unidade cultural e linguística sempre foram caras, o que tem exigido um constante repensar de seus métodos dentro dos estudos literários, num mundo cujas relações contextuais e de diálogos entre textos são, hoje, muito mais complexas do que durante os séculos XIX e XX. Tudo isso exige um repensar da própria literatura.

 

O evento foi caracterizado pela multiplicidade de pesquisas envolvendo a literatura e demais áreas correlatas promovendo um amplo debate entre elas, assim como abrindo um excelente espaço para a troca de experiências e fortalecimento das pesquisas. As professoras e a aluna do PPGCL participaram com apresentação de trabalhos no Simpósio Temático intitulado Afetos: Literatura, Cinema e Artes.

 

PPGCL


Matemática e Linguagem em interface

 

(09/07/2013) O estudante Bazilicio Manoel de Andrade Filho defendeu a dissertação intitulada “Processos de conversão de registros em língua natural para linguagem matemática: análise com base na Teoria da Relevância”, nesta última quinta (4), às 9 horas na sala Pós-graduação 2 do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

Ensino de Matemática e a interpretação de problemas

 

Andrade Filho analisou processos de conversão de registros em Língua Natural para Linguagem Matemática na resolução de problemas matemáticos, argumentando que relações de relevância subjazem esse processo. Para dar conta dessa meta, ele fundamentou sua pesquisa com a teoria dos registros de representações semióticas de Duval (2009) e com a Teoria da Relevância de Sperber e Wilson (1986, 1995).

 

“O estudante fez uma importante contribuição tanto para o ramo da linguística como para o ramo da matemática, quando correlacionou os fundamentos das duas teorias”, explicou o professor Dr. Fábio José Rauen, orientador da pesquisa. “O professor da matemática pode encontrar na dissertação fundamentos para entender como funcionam os mecanismos de compreensão de enunciados de problemas, e o estudioso da linguagem pode observar como teorias da linguagem podem ser aplicadas a contextos de outras disciplinas”, complementa.

 

Além de contribuir teoricamente, o autor ilustrou o potencial descritivo e explanatório da Teoria da Relevância na análise da resolução de um problema sobre área de trapézio e volume de prisma de uma barra de ouro. Nesse exemplo, os alunos chegavam a um resultado de 250 cm3, quando deviam chegar a 1.500 cm3.

 

“Eu percebi que a proposição do problema em língua natural e a representação geométrica da barra deitada levaram os alunos a fazer um mapeamento da sequência lexical ‘altura da barra’ corretamente como altura do trapézio e incorretamente como altura do prisma”, explica Bazilício. “Isso me fez perceber que os estudantes estavam mobilizando o conceito altura como algo que é vertical e não como um segmento de reta que é perpendicular às bases e é compreendido entre elas, nesse caso, altura do trapézio, ou então a distância que forma um ângulo de 90° entre as duas bases de um prisma, quando aí é a altura do prisma”, completa.

 

A banca foi formada pelos professores Dr. Fábio José Rauen (UNISUL), orientador, Dr. Méricles Thadeu Moretti (UFSC) e Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes (UNISUL) avaliadores.

 

PPGCL


Sentenças de processos por danos morais são analisadas

 

(09/07/2013) Manoel Mathias Ferreira defendeu o projeto de tese intitulado “O discurso avaliador/quantificador nas sentenças de processos por danos morais da segunda vara cível da comarca Tubarão/SC”, na última sexta-feira, na Sala de Treinamento do Bloco Sede da Unisul.

 

O campo jurídico

 

“O direito é uma ciência social que tem em si uma necessidade de ser aplicada. Assim considerado, o direto é denominado direito positivo. Nos meandros de produção do discurso do direito, discute-se se é possível a aplicação ou não de determinado conceito, em determinada situação, ou se ele fica para outro campo de discussão, não propriamente para o ramo da ciência jurídica”, comenta. “Nesse contexto, o conceito de danos morais é um tipo de “calcanhar de Aquiles” de uma ideologia que carrega a condição de se impor como ciência a partir do próprio poder político/discursivo constituído”, completa.

 

De acordo com Ferreira, nas sentenças de processos por danos morais, o discurso do direito perde sua força de objetividade, constituindo-se como um poder político-ideológico que se sustenta por si mesmo.

 

“Nesse espaço, não existe uma ciência suporte para poder qualificar e/ou quantificar o dano moral sofrido por sujeitos que recorrem ao judiciário para verem reparados os supostos danos”, comenta. “Nas ações por danos morais, mais explicitamente, a decisão fica à mercê de uma ideologia envolta na subjetividade que constitui a posição-sujeito do juiz. Nesse caso, o juiz é um sujeito atento aos discursos produzidos, prós e contra pelas partes num determinado processo, pelo texto da Lei e pela doutrina e/ou jurisprudência jurídicas, para definir se determinada ofensa moral fere ou não a honra de uma determinada parte e se fere, avaliar/quantificar quanto custa a dor moral sofrida”, completa.

 

Nesta pesquisa, segundo o estudante, propõem-se investigar as condições sociais, históricas, políticas, simbólicas (linguística de uma maneira geral), éticas e estéticas estabelecidas nas materialidades textuais das sentenças de dois processos por danos morais da segunda vara cível da comarca de Tubarão Santa Catarina.

 

“O objetivo principal é apontar como os discursos sobre indenização por danos morais são constituídos, avaliados, qualificados e quantificados”, finaliza.

 

O projeto de Manoel foi aprovado por banca composta pelos professores Sandro Braga, orientador; Maria Marta Furlanetto, avaliadora; e Fábio José Rauen, avaliador. Terminados os apontamentos da banca, a plateia pronunciou-se com comentários, perguntas e sugestões.

 

PPGCL


Quando o parto assistido vira reality show

 

(09/07/2013) “Quando o parto assistido vira reality show” foi o tema do projeto de tese defendido pela estudante Edla Maria Silveira Luz, na última quinta-feira, na Sala de Treinamento do Bloco Sede da Unisul.

 

Conhecendo o objeto de pesquisa

 

“O que percebemos, no contexto atual, são inúmeros anúncios e propagandas para a filmagem do nascimento das crianças ofertados como produtos das próprias maternidades, que incorporam em suas páginas na internet, detalhes sobre recursos de filmagem dos partos em 3D feitas por cinegrafistas profissionais e amadores, no intuito de ampliar a experiência da espectatorialidade do parto, incluindo transmissão ao vivo via internet”, explica a estudante.

 

“Ainda nesse cenário, observam-se salas especiais para a família e convidados, que oferecem telas de alta resolução para que acompanhem o espetáculo do parto como um programa de televisão em uma espécie de home theater, em que são servidos petiscos e espumantes para brindar a vida que se dá, antes de tudo, como imagem”, completa.

 

Segundo Edla, os objetos de estudo são um vídeo de parto cesariana disponível no youtube, uma investigação e análise do Programa exibido pela GNT formatado em 5 episódios intitulado Parto pelo mundo e um audiovisual de um DVD de uma filmagem realizada em um Centro Obstétrico de um hospital geral, gentilmente cedido pela família.

 

“O objetivo da análise é pensá-los, a partir do recorte de reality show, em suas implicações éticas e políticas, bem como a exposição da intimidade, ‘quando assistir um parto torna-se, no turbilhão das imagens, ‘assistir’ a um parto’”, esclarece. “O presente projeto propõe, então, um olhar sobre o ‘parto assistido’ como um reality show, ou seja, entendido em sua dimensão midiatizada e espetacularizada que confunde os espaços do público e do privado e transforma a intimidade do parto em objeto de escrutínio para câmeras atentas e olhares de ‘fora’ da equipe médica”, completa.

 

O projeto de Edla foi aprovado por banca composta pelos professores Alessandra Soares Brandão, orientadora; Ramayana Lira de Sousa, avaliadora; e Heloisa Juncklaus Preis Moraes, avaliadora. Finalizados os comentários da banca, a plateia pronunciou-se a respeito do trabalho.

 

PPGCL


Grupep e IPT escavam Gruta em Portugal

 

(09/07/2013) A professora Deisi Scunderlick Eloy de Farias, juntamente com outros arqueólogos da Unisul, está em Portugal para uma investigação arqueológica. O destino é o Sitio Arqueológico da Gruta do Bacelinho, localizado em Alvaiázere, no centro de Portugal. Os trabalhos de escavação, aprovados pela direção geral do Patrimônio Cultural, fazem parte de um conjunto de pesquisas sob a responsabilidade da arqueóloga portuguesa Alexandra Figueiredo, desenvolvidos sob o apoio do Laboratório de Arqueologogia e Conservação do Património Subaquático, do Instituto Politécnico de Tomar, da Associação CAAPortugal e da Camara Municipal de Alvaiázere.

 

Parceria entre Brasil e Portugal

 

A equipe da Unisul, em colaboração com a portuguesa do IPT, desenvolverá até setembro um curso avançado de mergulho científico e arqueologia subaquática que, além de aulas teóricas, integra a participação em trabalhos de escavação, quer em sítios arqueológicos portugueses, quer em brasileiros. Um exemplo da participação e articulação conjunta das duas instituições é a campanha de escavação subaquática da gruta do Bacelinho, coordenada por Alexandra Figueiredo, do Laboratório de Arqueologia e Conservação do Patrimônio Subaquático, do Instituto Politécnico de Tomar e pela professora da Unisul Deisi Scunderlick Eloy de Farias, do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep-Arqueologia).

 

A gruta tem cavidade com mais de 500 metros quadrados, possui duas galerias submersas onde serão realizados os trabalhos, que servem também como treino de estágio aos alunos da pós-graduação de Arqueologia Subaquática (www.ipt.pt). Este curso, lecionado em regime presencial e a distância, de caráter internacional, tem tido uma extraordinária afluência de alunos e pesquisadores do Brasil, como são os investigadores do Grupep/Unisul ou da Marinha Brasileira.

 

“A arqueologia subaquática não pesquisa só naufrágios e é importante que os futuros arqueólogos tenham essa consciência e saibam como agir perante diferentes situações e contextos arqueológicos", destaca Alexandra. Ela diz ainda que "a participação conjunta da Unisul e IPT nos trabalhos de campo permitirão enriquecer as pesquisas, sendo uma mais valia para o estudo da cavidade, que decorre desde 2011”, ressalta Alexandra.

 

A arqueóloga Deisi de Farias explica que desta gruta já foi exumada uma grande diversidade de objetos cerâmicos, metais, fragmentos de recipientes em vidros, alguns elementos líticos e ossos faunísticos, que integram o período romano e a época medieval. Entre os objetos destacam-se alguns artefatos de armamento romano, relativamente raros, incluindo duas espadas em ferro, que estarão expostas ao público no Museu Nacional de Arqueologia, explica Alexandra Figueiredo.

 

Para a arqueóloga Deisi Scunderlick Eloy Farias, a expectativa desta escavação é grande. “Pretendemos encontrar mais evidências da exploração da gruta, assim como os seus utensílios e demais artefatos que compunham aquele contexto histórico”.

 

Em relação ao ambiente úmido da gruta, o conservador da equipe Claúdio Monteiro afirma que "podemos ter algumas surpresas bastante interessantes, pois a capacidade de descobrir vestígios orgânicos é bastante elevada, ainda que tenhamos que ter uma atenção redobrada pelos processos de degradação, que normalmente registramos em qualquer tipo de objetos provenientes destes ambientes". Por este mesmo motivo, do ponto de vista metodológico, associado ao trabalho de campo é montado um laboratório de apoio para a estabilização e início do processo de conservação destes objetos, muito próximo ao local, em instalações cedidas pela Camara Municipal de Alvaiázere.

 

Ainda durante os trabalhos de escavação, que se desenvolverão de 1 a 12 de julho, ocorre no dia 6 de julho o Seminário Luso-Brasileiro de Arqueologia e Património, no Museu Municipal de Alvaiázere, aberto a toda a comunidade e organizado pela mesma equipe com auxílio do próprio Museu e colaboração da Universidade Autónoma de Lisboa.

 

Após as escavações do Bacelinho, o curso e as atividades conjuntas da Unisul e IPT retomarão com aulas teórico-práticas, saltando para o contexto brasileiro e sítios arqueológicos do Sul de Santa Catarina, culminando na exposição itinerante Praxis & Techne: Arqueologia Subaquática.

Para os pesquisadores do Grupep, a integração entre Unisul e IPT estimula o desenvolvimento científico e possibilita pensar a ciência em rede.

 

Cilene Macedo (adaptada)


Ensino a distância é tema de dissertação

 

(05/07/2013) Alexandre Wagner da Rocha defendeu a dissertação “O funcionamento do discurso pedagógico no EVA: diferentes posições sujeito”, nesta última quarta-feira (3), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Espaço Virtual de Aprendizagem

 

O trabalho de Alexandre teve por objetivo principal compreender, por meio das relações contraditórias do Discurso Pedagógico, como o interdiscurso e os pré-construídos sustentam e determinam certas posições sujeito assumidas pelo professor nas turmas do Espaço Virtual de Aprendizagem - EVA (ambiente virtual de aprendizagem desenvolvido pela Unisul).

 

“Para isto, partiremos dos modos de inscrição dos professores neste ambiente, procurando compreender neste processo como ocorre o funcionamento do discurso pedagógico na modalidade de Ensino à Distância - EaD, bem como identificar os diferentes discursos que o atravessam”, explica o estudante.

 

“Neste percurso, pudemos observar que tanto as condições materiais da EaD, como as relações que os sujeitos estabelecem com ela e com outros sujeitos (inscritos neste processo), determinam e são determinadas pelo modo como os sujeitos se inscrevem”, analisa.

 

“As posições assumidas pelos professores no EVA foram de outra ordem que não o discurso pedagógico, ou seja, ao depararem-se com o diferente, os professores mobilizaram memórias, pré-construídos e sentidos provenientes de formações discursivas nas quais se identificam para interpretar o novo. Tal tomada de posição nos faz concluir que é incontornável os modos de identificação, ou seja, as posições socialmente assumidas em relação ao saber”, finaliza.

 

A dissertação foi aprovada por banca formada pelos professores Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (orientadora); Dr. Gilmar Luis Mazurkievicz– UnC (avaliador); e Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (avaliadora).

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação de Alexandre. Mais abaixo, a banca examinadora.

 

 

 

PPGCL


Seminário Avançado discute benzedores e benzimentos

 

(03/07/2013) A doutoranda Suzanne Mendes Valentini defendeu seu projeto de tese intitulado “Memória e contemporaneidade: a voz dos benzedores”, na última terça (2), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Discutindo conceitos de memória, identidade, cultura e história oral

 

A pesquisa de Suzanne apresenta como intenção a discussão dos conceitos de memória, identidade, cultura e história oral, trazendo à tona o registro da oralidade dos benzedores e benzimentos, bem como suas práticas e vivências, crenças e formas de sobrevivência na contemporaneidade.

 

“Com base nesses registros, pretendo estabelecer pontos de convergência entre os conceitos estudados e a pesquisa a ser realizada junto aos benzedores, tendo como pressuposto perceber e compreender as transformações passadas por um modo de vida específico – nesse caso, dos benzedores –, suas ações cotidianas, os hábitos e crenças que são praticados há muito tempo e como se situam hoje, frente à contemporaneidade,” explica a estudante.

 

Para realizar a pesquisa, Suzanne pretende realizar visitas nas moradias das benzedeiras, na região do município de Caçador, que já são do conhecimento da pesquisadora, num total de cinco sujeitos. Nestas visitas serão realizados diálogos abertos, com a intenção de que sejam gravados e/ou filmados, para se constituírem em material para análise e elemento que se constitui em história oral.

 

O trabalho de Suzanne foi aprovado por banca composta pelos professores Dilma Beatriz Rocha Juliano, orientadora; Antonio Carlos Gonçalves dos Santos, avaliador; e Nádia Régia Maffi Neckel, avaliadora. Terminada a arguição, a plateia manifestou-se com perguntas e comentários sobre a pesquisa.

 

PPGCL


Ironia e humor são destaques em tese

 

(02/07/2013) “Os efeitos de sentido da ironia e do humor: uma análise das histórias em quadrinho da Mafalda” é o título do projeto de tese apresentado por Silvana Colares Lúcio de Souza, na última sexta (28), na sala de Treinamento do Bloco Sede da Unisul.

 

Algo sobre o discurso de Mafalda

 

Mafalda enuncia discursos contra-ideológicos, marcados, veiculadores de uma visão não conformista. “Assim, quando em uma questão de humor a personagem principal é uma criança, o humor pode ser gerado pela destruição da hipótese da ignorância das crianças sobre temas secretos ou tabus como em alguns quadrinhos quando em que as crianças conhecem ou fazem o que se supõe que desconheçam ou não façam”, explica.

 

Com relação às justificativas para a realização do trabalho, Silvana destaca a sua indefinição e curiosidade de criança e aluna, e a sua atuação como docente, pois, segundo ela, as histórias em quadrinhos são um relevante instrumento pedagógico.

 

“Além da relevância da pesquisa quanto à utilização da Mafalda no contexto pedagógico, destaca-se a relevância dos temas sociais, políticos e culturais abordados nas tirinhas. Ou seja, torna-se importante depreender os efeitos de sentido nesses temas tão atuais e instigantes, em que a análise da Mafalda possa trazer contribuições nas discussões em torno desses temas”, comenta.

 

Tendo em vista toda essa riqueza que se pode extrair das tirinhas da Mafalda, conforme Silvana, a pesquisa irá aprofundar-se nos efeitos de sentido da ironia e do humor, pois, parece que o texto humorístico, na atualidade, precisa de pesquisas mais detalhadas; pelo fato de estudos trazerem a perspectiva de que o texto serve para causar o riso e para ilustrar determinados temas sociais.

 

“Portanto, o presente estudo tem a finalidade de Investigar os efeitos de sentido da ironia e do humor nas histórias em quadrinho da Mafalda, e pauta sua sustentação teórica na Análise do Discurso, doravante AD, de linha francesa, teoria que situa seu objeto – o discurso – no campo das relações entre o linguístico e o histórico-ideológico, buscando no interior desse campo as determinações sociais, políticas e culturais dos processos de construção do sentido”, esclarece.

 

“Dessa maneira, os discursos e as imagens presentes nas narrativas das tirinhas em quadrinho da Mafalda, se configuram enquanto objeto desse estudo, pois é a partir da desconstrução de sentidos que se buscará responder a seguinte questão norteadora da pesquisa: Quais os efeitos de sentido da ironia e do humor nas histórias em quadrinho da Mafalda?”, conclui.

 

Silvana teve seu projeto aprovado com distinção por banca composta por Maurício Eugênio Maliska, orientador; Maria Marta Furlanetto, avaliadora; e Andréia da Silva Daltoé, avaliadora. Encerrada a arguição, os demais presentes contribuíram com perguntas e sugestões sobre a pesquisa.

 

 

PPGCL


Lei Maria da Penha é analisada em tese

 

(02/07/2013) Márcia Cristiane Nunes Scardueli defendeu o projeto de tese intitulado “A discursividade da Lei 11.340/2006: efeitos de sentido produzidos a partir da aplicação da Lei Maria da Penha na Comarca de Araranguá/SC entre 2006 e 2012”, na última sexta (28), na sala de Treinamento do Bloco Sede da Unisul.

 

A violência contra a mulher

 

“A temática da violência contra a mulher desperta o meu interesse tanto acadêmico como profissional há muito tempo, possivelmente, desde o meu ingresso na Polícia Civil catarinense, vinte anos atrás. Durante todo esse período atuando na segurança pública, várias foram as ocasiões em que percebi que a falta de compreensão teórica das questões relativas à violência contra a mulher, que vão além da prática policial repressiva e se inserem no campo da linguagem, contribuía para que o corpo policial deixasse de realizar um trabalho, de fato, eficaz”, explica.

 

“Foi essa percepção que me estimulou a investigar questões afetas à polícia, em especial, aquelas voltadas para o combate à violência doméstica. Dentre as políticas públicas criadas pelo Estado para o enfrentamento da violência doméstica contra a mulher, a Delegacia da Mulher, foi, talvez, a mais significativa, até a promulgação da Lei 11.340, em setembro de 2006, que estabeleceu mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, estimulando alterações no Código de Processo Penal, no Código Penal e na Lei de Execução Penal, no que concerne aos crimes cometidos contra a mulher no ambiente doméstico”, completa.

 

A Delegacia da Mulher já foi temática de estudo anterior, à época do Mestrado, quando a representação dessa unidade policial foi investigada em um contexto policial específico.

 

“Parece-me, então, pertinente, nesta nova etapa acadêmica, adentrar-me no cenário, relativamente novo, que é o da aplicação da Lei 11.340/2006, que ficou nacionalmente conhecida, como Lei Maria da Penha, em homenagem à mulher que lutou pelo combate à violência de que foi vítima1, ampliando sua busca de justiça às outras mulheres que também sofrem os efeitos da violência praticada no ambiente doméstico, buscando dignidade humana e justiça social”, explica

 

De acordo com Márcia, a pesquisa pretende investigar quais efeitos de sentido podem ser produzidos a partir da aplicação da Lei nº 11340/2016 – Lei Maria da Penha –, em processos criminais que apuram a violência doméstica contra a mulher na Comarca de Araranguá/SC, entre 2006 e 2012, em diferentes instâncias de poder.

 

“Para efetivação desta pesquisa, parte-se da hipótese inicial de que os sentidos produzidos no processo de aplicação da Lei Maria da Penha pelas diferentes instâncias envolvidas, a saber, as instituições formais representativas do Estado (Polícia e Poder Judiciário) e as individuais (vítimas e agressores) têm efeitos de sentido diversos, o que interfere na eficácia da aplicação desse instrumento jurídico”, finaliza.

 

O projeto de Márcia foi aprovado com distinção por banca composta por Maurício Eugênio Maliska, orientador; Fábio José Rauen, avaliador; e Andréia da Silva Daltoé, avaliadora. Após arguição, a plateia manifestou-se com comentários e sugestões sobre a pesquisa.

 

PPGCL


Tambor de Crioula do Maranhão é tema de pesquisa

 

(28/06/2013) Conceição de Maria dos Santos Pacheco defendeu a dissertação intitulada “A constituição, a formulação e a circulação do tambor de crioula do Maranhão”, na última segunda (24), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A brincadeira do Tambor de Crioula do Maranhão

 

O tambor de crioula, como manifestação de arte, possui uma identificação representativa no cenário maranhense, e se representa pelo canto e dança de pessoas reunidas numa roda onde mulheres vestidas com largas e longas saias de chita colorida rodopiam e se encontram no meio da roda sob o som de tambores e toadas que só os homens entoam.

 

Na pesquisa, Conceição procurou compreender a contradição presente nas diferentes formas de existência do Tambor por meio da forma de inscrição do sujeito brincante e do sujeito não brincante do Tambor de Crioula, nessas discursividades.

 

“A do sujeito não brincante do Tambor de Crioula, o sentido X, aquele que baliza pela estética da cultura proveniente das heranças do colonizador português, que se estrutura pelo discurso da escrita, no qual se inscrevem formas artísticas, as já institucionalizadas como o teatro, a poesia, os romances, a música, etc.”, explica a estudante. 

 

“A do sujeito brincante do Tambor de Crioula, o sentido Y, aquele que traz consigo a marca de sua memória de negritude de origem afro-brasileira, em que brincar relaciona-se a sua alegria no toque percussivo do tambor, das toadas, do rodopio das coreiras com a imagem do São Benedito com seus braços, das apresentações nas praças ao ar livre”, complementa.

 

“Do ponto de vista discursivo, minha pesquisa permitiu avançar no conhecimento que se tem sobre o funcionamento do Discurso da Escrita e do Discurso da Oralidade, pois mostra que a relação contraditória entre essas duas discursividades não é uma questão resolvida no Brasil”, finaliza.

 

A dissertação foi aprovada por banca composta pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo – Unisul, orientadora; Dra. Nadja de Carvalho Lamas – Univille, avaliadora externa; e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – Unisul, avaliadora interna.

 

 

PPGCL


Encontro discute demandas regionais das escolas

 

(25/06/2013) Professores de escolas estaduais, municipais e particulares; alunos, professores e coordenadores dos cursos de Licenciatura da região; e representantes políticos participaram do I Seminário Regional de Licenciaturas, que ocorreu no auditório do Espaço Integrado de Artes (EIA) da Unisul de Tubarão, durante esta segunda (24). Na última sexta-feira (21), a mesma atividade aconteceu na Unidade de Araranguá.

 

Projetos pedagógicos em destaque

 

O objetivo do encontro era debater questões relacionadas aos projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura nas Instituições de Ensino Superior (IES) para adequá-los às realidades regionais.

 

A realização desses seminários foi uma solicitação do Fórum Estadual Permanente de Formação de Professores. Todas as universidades que participam do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) foram chamadas a participar.

 

“A partir das primeiras discussões realizadas durante o evento, os presentes se reuniram em grupos e apresentaram proposições para construção de projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura no estado de Santa Catarina”, explica a coordenadora do PARFOR na Unisul, professora Andréia Daltoé, que organiza o seminário na Universidade ao lado da professora Márcia Fernandes Neu.

 

As proposições dos participantes vão constar num documento, que será apresentado no Seminário Estadual das Licenciaturas, que acontece entre os dias 30 e 31 de julho, em Florianópolis. Para o professor Dorival Menegaz Nandi, da Pró-reitoria de Ensino do Instituto Federal de Educação, as discussões nas bases são fundamentais para a construção de projetos pedagógicos que atendam às demandas regionais. “É necessário respeitar as características e peculiaridades de cada região, porque isso consolida melhor os projetos. Essa é a importância de seminários como esse”, ressalta.

 

A estudante Adriana Beatriz Santiago, que cursa Educação Especial pelo PARFOR na Unisul, destaca que participar do evento é uma maneira de colaborar para que as reivindicações dos professores sejam postas em prática. “A valorização dos profissionais, algo que sempre destacamos, se reflete na qualidade de ensino. Participar de um evento como esse é uma forma de fazer com essa valorização aconteça”, afirma.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Enunciação radiofônica em destaque

 

(25/06/2013) “Ciência e imaginário social: (re)discutindo os critérios de noticiabilidade na enunciação radiofônica, a partir do paradigma do pensamento complexo: um estudo de caso da produção da notícia na rádio C&T do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação” foi o título do projeto de tese defendido por Willian Corrêa Máximo, na última sexta (21), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Buscando a popularização da ciência

 

Segundo Willian, o objetivo de sua pesquisa é (re)discutir os valores-notícia na enunciação radiofônica a partir do pensamento complexo, visando contribuir para a construção e a compreensão do imaginário social com vistas à popularização da ciência.

 

“Dessa forma, uma questão desafiadora é como facilitar a compreensão pública com as ações, muitas vezes, 'mutilantes' da mídia, por intermédio da ciência como notícia, numa lógica transdisciplinar que, para além dos objetos, considera o sujeito, o acaso, as incertezas, a desordem e a imprecisão”, explica.

 

Para realizar tal trabalho, de acordo com o pesquisador, será realizado um estudo de caso com a Rádio C&T, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) - estratégia do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia – DEPDI, que legitima as políticas públicas da área no País.

 

O projeto de Willian foi aprovado por banca composta pelas professoras Heloisa Juncklaus Preis Moraes, orientadora; Dilma Beatriz Rocha Juliano, avaliadora; Jussara Bittencourt de Sá, avaliadora. Terminada a arguição, a plateia manifestou-se com perguntas e comentários sobre a pesquisa.

 

PPGCL


Discurso retrô é objeto de tese

 

(25/06/2013) Richarles Souza de Carvalho defendeu o projeto de tese “O antigo que é novo ou o novo que quer ser antigo? Análise do discurso retrô em diferentes materialidades”, na última sexta (21), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

O antigo que é novo ou o novo que quer ser antigo?

 

Na tese, Richarles pretende analisar materialidades linguísticas e multissemióticas que rememoram outras épocas.

 

“Paralelamente à inegável presença das representações de novo, coisas inovadoras, modernosas, existem manifestações do que frequentemente se chama de retrô”, comenta. “De maneiras diversas, há uma gritante presença de elementos verbais e não verbais representativos de décadas passadas – por vezes de séculos passados, como é o caso do estilo provençal, pauta da vez entre decoradores”, completa.

 

Segundo o pesquisador, as manifestações retrô não são exclusividade de agora. “Essas representações discursivas hibridizadas acontecem desde sempre. O próprio conceito de interdiscurso da análise do discurso faz supor que, se há um fluxo contínuo de pensamentos e enunciados nos discursos, isso sempre existiu”, explica.

 

Diante de todo esse contexto, Richarles apresenta o seguinte problema de pesquisa: de que forma o discurso retrô se apresenta na pós-modernidade e quais as (re)significações advindas das materialidades constituídas a partir da presença desse discurso?

 

“Meu interesse em particular nesse trabalho será discutir o fato de que, por vezes, elementos do passado apresentam-se de maneira deslocada/deslizada. Onde não se esperaria a presença de elementos antigos, pois se trata de um contexto moderno e contemporâneo, lá estão tais elementos – um design antigo, supostamente ultrapassado, que não iria condizer com aquele produto, uma cor que já foi da moda de outrora, uma expressão verbal que caiu no desuso, um hábito que há muito já não era utilizado. As materialidades são perpassadas por uma série de discursos, também antigos, os quais deixam suas marcas e ressignificam o ‘novo’”, conclui.

 

O projeto de Richarles foi aprovado por banca composta pelos professores Maria Marta Furlanetto, orientadora; Fábio José Rauen, avaliador; Maurício Eugênio Maliska, avaliador. A defesa contou, ainda, com perguntas e comentários da plateia sobre a pesquisa.

 

PPGCL


Troca de informações em rede é tema de Seminário Avançado

 

(19/06/2013) A doutoranda Juliana Bonfante de Souza defendeu seu projeto de tese intitulado “A apropriação cultural e hibridização de objetos, sujeitos e práticas transnacionais através de sistemas de troca de informações em rede”, na última terça (18), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

“Nação digital”

 

Segundo Juliana, o projeto apresenta como temática central a reflexão sobre a recontextualização de objetos, sujeitos e práticas, através do cenário digital, bem como facilitar a compreensão das funcionalidades da arquitetura digital e da rede social, suas relações socioculturais, capazes de transformar identidades nacionais e substancialmente alterar a identidade dos sujeitos conectados através do surgimento de novos hábitos estabelecidos para uma “nação real” por uma “nação digital”.

 

“A partir do olhar sociológico, questiona-se como essa recontextualização acontece dentro do prisma atual: o meio digital como um espaço transparente “que ocorre em toda parte” ou “parte alguma”, como um meio social líquido, capaz de “estilhaçar” a identidade dos sujeitos, ao invés de unir socialmente como a ideologia da aspiração globalizante”, comenta a estudante.

 

“Como profissional de formação básica em design gráfico e de uma recente experiência como gestora de comunicação e marketing de uma instituição de ensino, questões relacionadas às mídias sociais e o valor agregado através do capital social pelo engajamento digital, perturbam-me constantemente enquanto também sujeito e habitante revés de uma sociedade líquida”, explica.

 

O trabalho de Juliana foi aprovado por banca composta pelos professores Aldo Litaiff, orientador; Dilma Beatriz Rocha Juliano, avaliadora; e Giovanna Benedetto Flores, avaliadora. Terminada a arguição, a plateia manifestou-se com perguntas e comentários sobre a pesquisa.

 

PPGCL


A informática como mote para analisar a interação humana

 

(18/06/2013) A estudante Sandra Vieira defendeu o projeto de tese “Identificação de erros de execução na proposição de solução informatizada para um problema descrito em linguagem natural: análise com base na teoria da relevância”, na última sexta (14), na sala de treinamento do bloco sede da Unisul de tubarão.

 

A informática encanta e assusta, muitas vezes, de forma simultânea

 

“A quantidade de recursos disponíveis e a possibilidade de uso ilimitado em qualquer ramo e/ou atividade humana podem deixar ultrapassadas até as previsões mais otimistas”, comenta. “Parte desse sucesso decorre de uma preocupação acentuada em programar logicamente sistemas, programas, ferramentas que interajam otimamente com os seres humanos”, completa.

 

Segundo Sandra, dizer que um problema precisa de solução frequentemente equivale a perguntar se uma nova hipótese é consistente com uma teoria existente ou se é consequência dela, este costuma ser é o ponto de partida na busca de soluções informatizadas.

 

“Em seguida, cabe ao programador desenvolver um algoritmo codificado que se apresente como um caminho de transposição semiótica entre a linguagem natural e a linguagem artificial. Por fim, elabora-se um programa em linguagem artificial. O programa, neste caso, corresponde à solução do problema inicial”, explica.

 

Como a lógica está associada também ao processo comunicativo, ela também pode ser analisada a partir da Teoria da Relevância que é uma teoria pragmática e cognitiva que tenta identificar como as pessoas lidam com o processo comunicativo.

 

“A partir destas reflexões, tendo consciência de todo processo envolvido no desenvolvimento de algum algoritmo a partir de uma determinada situação problema e considerando que o cérebro humano seja guiado pelas noções de relevância e intencionalidade, surge o seguinte questionamento: como ocorre a identificação de erros de execução na proposição de solução informatizada para um problema descrito em linguagem natural?", esclarece.

 

Com base neste problema, de acordo com Sandra, a pesquisa tem o objetivo geral  de analisar, com base na teoria da relevância, a identificação de erros de execução na proposição de solução informatizada para um problema descrito em linguagem natural.

 

O trabalho de Sandra foi aprovado por banca composta por Andréia da Silva Daltoé, UNISUL, avaliadora; Heloisa Juncklaus Preis Moraes, UNISUL, avaliadora; e Fábio José Rauen, UNISUL, orientador. Terminada a arguição, a plateia manifestou-se com perguntas e comentários sobre a pesquisa.

 

PPGCL


Tese buscar analisar a criação a partir das dimensões estéticas e poéticas da arte

 

(18/06/2012) A estudante Aurélia Regina de Souza Honorato defendeu o projeto de tese “Há apenas que se inquietar com o entre: a criação do sensível”, na última sexta (14), na sala de Treinamento do bloco sede da Unisul de Tubarão.

 

Clarice Lispector como mote de criação

 

“Meu problema de pesquisa assim se apresenta: Como se produz um espaço de criação usando a literatura de Clarice Lispector, na busca de perceber a constituição do sujeito na contemporaneidade a partir da medialidade que o sensível promove? Na medialidade em que o sensível está?”, explica a pesquisadora.

 

Segundo Aurélia, o objetivo geral do projeto é investigar esta criação a partir das dimensões estéticas e poéticas da arte, em especial na medialidade que emerge das experiências com as obras de romance de Clarice Lispector.

 

“A obra de Clarice não é objeto específico da pesquisa, assim como as referências que trago não vem da teoria literária. A literatura aqui interessa como expressão do sensível”, esclarece. "E é a partir daqui que começo os entrelaçamentos com as teorias de Emanuele Coccia e seu estudo que propõe uma mudança radical no modo de entender as imagens; Georges Didi-Huberman e seus estudos sobre a linguagem e a visualidade, assim como o convite que nos faz para nos tornar vagalumes formando uma comunidade de lampejos; Gilles Deleuze & Felix Guattari e a filosofia da imanência, dos diagramas, dos acontecimentos; Giorgio Agamben e seu conceito de ser contemporâneo e Jacques Ranciére no desenvolvimento de sua teoria da partilha do sensível. Alio também a estas leituras, Almeida Salles com suas teorias mais específicas da área da arte e em especial da arte contemporânea no que concerne ao ato de criação e de recepção da obra de arte”, completa.

 

O trabalho de Aurélia foi aprovado por banca composta por Antônio Carlos Gonçalves dos Santos, UNISUL, avaliador; Alessandra Soares Brandão, UNISUL, avaliadora; e Ramayana Lira de Sousa, UNISUL, orientadora. Após a arguição da banca, os alunos e demais professores presentes discutiram a proposta de tese.

 

PPGCL


Dissertação aborda a resistência às aulas de inglês

 

(13/06/2013) A professora Vaniele Medeiros da Luz defendeu a dissertação “A (im)possível identidade de aprendizes de Língua Inglesa: um estudo discursivo das formas de resistência em sala de aula”, nesta última quinta-feira (13) na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

Resistência

 

Vaniele estudou o discurso de alunos e professores sobre o ensino e a aprendizagem de Língua Inglesa a partir de conceitos da Análise do Discurso e algumas incursões culturais como a do trabalho de Bonny Norton. Por resistência, a autora considerou reações dos alunos que atrapalham ou desviam o curso do trabalho pedagógico na interação professor/alunos.

 

“Como professora de inglês, sempre me incomodou a forma como os alunos resistem à matéria”, desabafa a estudante. “Isso me motivou a analisar como essa resistência ocorre no contexto da sala de aula”, complementa.

 

O trabalho detectou que a resistência não ocorre apenas por estratégias de ruído, tais como interrupções e argumentações, mas também por estratégias de silêncio em direção à ausência de participação.

 

“Embora os estudantes expressem certa crença na importância da língua inglesa, prevalece a resistência na prática”, comenta a pesquisadora. ‘Para que aprender inglês se eu quero ser apenas um pedreiro’, disse um aluno durante a pesquisa”, exemplifica.

 

O trabalho foi aprovado com distinção por banca formada pelas professoras Dra. Maria Marta Furlanetto – UNISUL (orientadora); Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini – UNICAMP (avaliadora); e Dra. Andréia da Silva Daltoé – UNISUL (avaliadora); e contou com a suplência do professor Dr. Maurício Eugênio Maliska – UNISUL.

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação de Vaniele. Mais abaixo, a banca examinadora.

 

 

PPGCL


Seminário aborda “Memória e identidade”

 

(13/06/2013) “Memória e Identidade” foi o título da Conferência proferida pela Professora Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini, da Universidade Estadual de Campinas, nesta última quinta-feira (13) na Sala de Treinamento do Bloco A do Campus Sul da Unisul.

 

Memória: múltiplas abordagens

 

Em sua conferência, Coracini desenvolveu a noção de memória desde um ponto de vista histórico e psicológico, até os pontos próprios da Análise do Discurso, da Psicanálise e de Derrida, mais próximos de suas últimas pesquisas.

 

A pesquisadora destacou como a emergência da escrita gerou desconforto aos gregos, que vinculavam a noção de memória à oralidade. “Como garantir o acesso à verdade sem poder consultar o mestre ou o rei?”, reflete. “Como passar do arquivo vivo do indivíduo ao arquivo morto da escrita?”, complementa. Seja como for, o que se pode ter acesso é uma ficção do passado. Toda história (incluindo a História) é uma ficção, uma interpretação.

 

A abordagem de Coracini desloca-se de uma memória cognitiva para uma memória que constitui os sujeitos. “Eu só falo que ‘me lembro’, porque existem esquecimentos”, argumenta. “Toda vez que dizemos x, queremos dizer que existem y e z”. É nesse processo de escolha discursiva que o que se memoriza se constitui sobre o que se esquece ou se acoberta.

 

Não apenas esquecimento, a memória, desde Freud, “é aquilo que se inscreve no corpo pelo Outro (tesouro do inconsciente) e que permite ao sujeito saber quem ele é, reconheça seu nome próprio ‘Este sou eu’, certificando-se de si mesmo diante de uma imagem especular”, expõe Coracini em seu texto.

 

Além disso, com base em Derrida, Coracini faz uso da noção de testimonialidade, noção que partilha com a ficção a reflexão sobre o testemunho. Falar de memória é falar de arquivos que não se constroem de modos inocentes. Mesmo que participemos do “mesmo” fazemos isso a partir de nossos corpos e de nossas memórias.

 

“As três abordagens me fazem refletir a identidade do sujeito a partir de uma memória que se constitui a partir do esquecimento; que se faz no e pelo outro, como traços do Outro de si; e que é ao mesmo tempo singular e social”, resume a autora.

 

Maria José Rodrigues Faria Coracini é graduada em Letras: Francês-Português pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, mestre em Letras (Língua Francesa) pela Universidade de São Paulo e doutora em Ciência: Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. A pesquisadora é livre docente e professora titular de linguística aplicada na UNICAMP e tem dois estágios pós-doutorais: em Montréal, Canadá, e na Université Paris 3 (Sorbonne Nouvelle), França. É autora de várias publicações ligadas à Linguística Aplicada. Atualmente, a autora trabalha no que define como “espaço movediço e escorregadio das fronteiras opacas e difusas entre discurso, psicanálise e desconstrução, na tentativa de compreender sempre mais as subjetividades em travessia: entre línguas-culturas, entre si e o outro - o outro de si...”.

 

Além de participar dos Seminários de Linguagem do PPGCL, Coracini veio a Tubarão, à convite da professora Dra. Maria Marta Furlanetto, para participar da defesa da dissertação intitulada “A (im)possível identidade de aprendizes de Língua Inglesa: um estudo discursivo das formas de resistência em sala de aula”, de Vaniele Medeiros da Luz.

 

PPGCL


Iniciam-se as apresentações dos Seminários Avançados

 

(12/06/2013) A doutoranda Sueli Regina de Oliveira iniciou, na última terça (11), uma sequência de doze apresentações que compõem os Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem. Seu trabalho foi apresentado no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

O projeto Cambira

 

Sueli apresentou o projeto de tese intitulado “A aula enquanto acontecimento discursivo: efeitos de sentido do Projeto Cambira para alunos da comunidade pesqueira da Barra do Sul”.

 

De acordo com a estudante, o trabalho visa contribuir para a discussão sobre o discurso pedagógico no âmbito da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no Brasil, por meio da análise da materialidade significante apresentada no decorrer das aulas de Formação Inicial e Continuada em Processamento de Pescados e Cooperativismo de uma comunidade pesqueira do Balneário Barra do Sul, que ocorreram no Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari (IFC-Araquari).

 

“O objetivo da minha pesquisa é investigar se as condições de produção do processo de formação do Projeto Cambira instauram a aula enquanto acontecimento discursivo”, explica a pesquisadora. “O Projeto Cambira é um projeto de extensão, e tem como foco a Formação Inicial e Continuada em Processamento de Pescados e Cooperativismo de uma comunidade pesqueira, composta por mulheres de cultura açoriana do Balneário Barra do Sul, alunas do IFC-Araquari”, complementa.

 

O tema central do projeto de tese da estudante é a possibilidade de instaurar a aula como um acontecimento discursivo. Fundamentando na teoria da análise do discurso (AD), a hipótese levantada por Sueli é que ocorre o acontecimento discursivo por meio das aulas do Projeto Cambira, na medida em que as experiências trazidas pelas pescadoras para o ambiente da sala de aula produzem sentido na vida de cada uma das integrantes do projeto.

 

O seminário avançado, que é apresentado oralmente pelos estudantes, é uma etapa obrigatória para a formação dos futuros doutores em Ciências da Linguagem. No Seminário, o estudante apresenta o seu projeto de tese, que é avaliado por uma comissão composta por três docentes, dois na qualidade de arguidores, e o orientador, que preside a comissão.

 

Participaram do seminário: docentes, colaboradora e alunos do Programa. A comissão foi composta pelos professores Dr. Sandro Braga (orientador), Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel.

 

PPGCL


Pedro Demo defende a educação na prática

 

(12/06/2013) Dr. Pedro Demo, professor emérito da Universidade de Brasília (UNB), ministrou a conferência de encerramento do V Simpósio de Formação de Professores (SIMFOP), na última sexta-feira (7), no auditório do Espaço Integrado de Artes da Unisul (EIA), em Tubarão.

 

Educação básica em destaque

 

“Educação Básica: novas configurações curriculares” foi o tema da conferência de encerramento do SIMFOP. O professor criticou o modelo de educação brasileiro. “Nós somos o país da aula. Mas é preciso mudar isso. O aluno aprende fazendo. Por mim, a gente acabava com isso que chamamos de aula”, afirmou.

 

Pedro Demo defendeu um currículo que tenha menos matérias e mais profundidade. “Não adianta entupir o aluno com conteúdos que ele não sabe onde vai aplicar. Ele precisa fazer Matemática, entender onde ela aparece na vida dele, e não simplesmente decorá-la”, exemplificou.

 

Ainda de acordo com o professor, para que essa mudança aconteça, um fator é determinante: o professor. Por isso, é necessário que haja maior valorização e formação dos educadores, de modo que eles possam contribuir com essa nova proposta de ensino. “Não adianta mudar o currículo se não mudarmos o professor”.

 

Ele criticou o piso salarial da profissão, classificando-o como “uma infâmia”, e defendeu mais qualidade nos cursos de pedagogia e de licenciaturas. “O professor é a chave de tudo, é a alma do negócio. Uma escola pode ter uma bela biblioteca, mas sem a presença de um bom professor, ela não serve de nada”, reforçou.

 

Perguntado sobre as perspectivas de melhora na educação brasileira, Pedro Demo revelou pessimismo. “Infelizmente não estamos no país do estudo. Enquanto o professor estiver na sarjeta, não há nenhuma possibilidade de mudança”.

 

Voltado a professores e acadêmicos dos cursos de licenciatura, o SIMFOP realizou conferências, palestras, minicursos, mesas redondas, e destinou espaço para apresentação de trabalhos científicos. O evento foi organizado pela Unidade Acadêmica (UNA) de Educação, Humanidades e Artes, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e em Educação e pelos colégios Dehon e Conceito.

 

PPGCL


Humor, contexto escolar e cognição são discutidas no SIMFOP

 

(12/06/2013) Humor, contexto escolar e cognição foram os temas discutidos na sala coordenada pelo prof. Fábio José Rauen, na última quinta (6), no V SIMFOP.

 

Pesquisas desenvolvidas no PPGCL

 

Trata-se de pesquisas dos Projetos “Interpretação, leitura e produção de textos em ambientes interacionais e de ensino e aprendizagem” e “Linguagem e Psicanálise: articulações possíveis”, do Grupo de Pesquisa: Análise do discurso: pesquisa e ensino - GADIPE e da Linha de pesquisa: Texto e Discurso, do Programa em Pós-graduação em Ciências da Linguagem.

 

Conheça os trabalhos:

 

O jogo Cenas improváveis de Improvável – um espetáculo provavelmente bom: análise dos processos ostensivo-inferenciais de duas cenas com base na Teoria da Relevância

Fábio José Rauen (PPGCL/UNISUL)

Layla Antunes de Oliveira (PPGCL/UNISUL)

O show Improvável – um espetáculo provavelmente bom é produzido pelos atores Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento e Elidio Sanna da Cia. Barbixas de Humor. Influenciado pelo programa Whose line is it anyway?, da Inglaterra e dos EUA, o espetáculo ocorre com a participação da plateia que sugere cenas que devem ser interpretadas de improviso pelos atores. No jogo Cenas improváveis, por exemplo, sugerem-se aos atores cenas consideradas absurdas para as quais eles devem preparar de improviso esquetes humorísticos coerentes. Reconhecendo que os princípios cognitivo e comunicativo de relevância guiam o atendimento desses comandos, esta pesquisa visa analisar os processos ostensivo-inferenciais de duas cenas absurdas do jogo Cenas improváveis diferenciadas pelo sucesso/insucesso dos atores/jogadores em deflagrar o riso na plateia com base no aparato descritivo e explanatório da Teoria da Relevância de Sperber e Wilson (1986/2001, 1995). Esta comunicação apresenta os resultados desta investigação.

 

 

O Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade na perspectiva da Terapia Cognitiva e as suas dimensões no contexto escolar

Andréia da Silva Bez (PPGCL/UNISUL)

Os problemas e dificuldades relacionados à aprendizagem têm cada vez mais consistido em objeto de pesquisas por profissionais de diversas áreas, dentre eles, psicólogos, pedagogos, psicopedagogos, psiquiatras e neuropediatras. Isso se deve ao significado que a aprendizagem adquire no meio e suas implicações no desenvolvimento biopsicossocial do indivíduo. O Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH) apresenta uma prevalência significativa em crianças e adolescentes em fase escolar e, quando não percebido e tratado, pode resultar em prejuízos de ordem de desenvolvimento, acadêmica e social. O diagnóstico, tratamento e as intervenções implicam o envolvimento da família, escola e o próprio aluno. Neste trabalho apresentam-se possibilidades de intervenções com base na terapia cognitiva com enfoque no contexto escolar, especificamente na relação professor-aluno.

 

 

Os efeitos de sentido da ironia e do humor: uma análise das histórias em quadrinho da Mafalda

Silvana Colares Lúcio de Souza (PPGCL/UNISUL)

Este trabalho propõe uma análise dos efeitos de sentido da ironia e do humor em tirinhas da Mafalda. O humor é um meio de expressão que abarca mecanismos que colocam em funcionamento a interdiscursividade. A ironia, por sua vez, é um fator que contribui para o humor nas tiras da Mafalda, promovendo reflexão e contestação.

 

 

Relevância e custo de processamento

Suelen Francez Machado Luciano (PPGCL/UNISUL)

Fábio José Rauen (PPGCL/UNISUL)

No curso Pragmatic Theory, Wilson (2004, p. 3-4) ilustra o princípio de relevância com um exemplo onde alguém estaria em dúvida se pegaria ou não o ônibus que a levaria até uma conferência. Nesse contexto, haveria três suposições: (1) ela provavelmente pegaria o ônibus (P); (2) se ela pegasse o ônibus, ela participaria da conferência; e (3) se ela não pegasse o ônibus, ela não participaria da conferência. Nesta comunicação, pretende-se discutir a adoção das suposições contextuais contrárias (2) e (3). Essa adoção preserva o rigor lógico, pois a inferência se dá por modus ponens, mas tem o efeito contraditório de aumentar o custo de processamento do mecanismo dedutivo. Adotar somente uma das suposições, contudo, diminui o esforço de processamento, mas implicaria acolher a falácia da negação do antecedente no segundo caso, evidenciando a fronteira entre lógica formal e lógica da língua natural.

 

 

Relevância e meta: aproximações

Fábio José Rauen (PPGCL/UNISUL)

O conceito de relevância (SPERBER; WILSON, 1986, 1995) tem-se mostrado produtivo para a análise de estímulos ostensivo-inferenciais. Numa abordagem guiada pela relevância, assume-se que um estímulo será mais relevante quanto maiores forem os efeitos cognitivos e menores os esforços despendidos. Do princípio cognitivo de que a mente maximiza a relevância, decorre o princípio comunicativo de que enunciados geram expectativas precisas de relevância ótima que viabiliza um mecanismo de interpretação, segundo o qual o ouvinte segue um caminho de esforço mínimo na computação de efeitos cognitivos, considerando hipóteses interpretativas em ordem de acessibilidade e parando quando é alcançado o nível esperado de relevância. Nesta comunicação, exploramos a possibilidade de a relevância ser superordenada pela noção de meta, analisando o trabalho de Lindsay e Gorayska (2004).

 

 

Teoria da Relevância é discutida em Seminário Internacional

 

(10/06/2013) Quatro trabalhos da Unisul foram apresentados no 1º Seminário Internacional sobre Teoria da Relevância (SITR) que ocorreu entre os dias 4 e 7 de junho de 2013, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS. O evento foi promovido pelo Grupo de Pesquisa Processos Interacionais – PROINT, que envolve PUCRS, UNISUL e UCS.

 

Conhecendo o evento

 

O Seminário Internacional sobre Teoria da Relevância tem por objetivo a promoção de um espaço para discussão acerca da Teoria da Relevância e de suas diferentes possibilidades teóricas. Ao estimular e revisar as discussões acerca da linguagem, da cognição e da comunicação, as atividades visaram discutir os fundamentos e as propriedades específicas da Teoria da Relevância em nível internacional.

 

O evento contou com a presença do Prof. Dr. Francisco Yus Ramos, da Universidade de Alicante, que ministrou o minicurso “A review of relevance theory” cujo conteúdo envolveu aspectos gerais da TR e específicos da cyberpragmática, área em que o autor se destaca. A presença do Dr. Yus possibilitou observar melhor o panorama de pesquisas envolvendo os diferentes aspectos da teoria, visto que ele é um articulador das diversas formas de pesquisa dentro de áreas interdisciplinares.

 

“O evento abriu perspectivas de parcerias internacionais para o PPGCL. Uma delas é a produção de um número especial de Linguagem em (Dis)curso sobre Humor, que propus editar junto com o professor Yus Ramos”, comenta o professor Fábio José Rauen.

 

Apresentações da Unisul

 

A Unisul apresentou quatro trabalhos no evento. Fábio Rauen apresentou duas pesquisas sobre o humor em dois jogos: cenas improváveis e só perguntas, que foram objeto de uma dissertação, de Layla Antunes de Oliveira, e de um TCC, de Pedro Henrique Mattos, respectivamente. As estudantes Sandra Vieira e Suelen Francez Machado Luciano apresentaram suas pesquisas atuais de doutorado e mestrado.

 

“O trabalho de Suelen, de uma maneira geral, discute os postulados da teoria da relevância e a noção de meta como ordenadora da relação entre efeitos cognitivos positivos e esforço de processamento. A pesquisa de Sandra ressalta a importância do processo de inferência para a compreensão de enunciados nas interações entre homem/homem ou entre homem/computador”, destaca Rauen.

 

Conheça os trabalhos:

 

“Relevância e Humor de improvisação: o jogo só perguntas”

Fábio José Rauen

O conceito de relevância tem-se mostrado produtivo para descrever e explicar processos ostensivos e inferenciais na interpretação de enunciados em jogos humorísticos de improvisação. Nesta comunicação, apresentamos um panorama do estudo de Mattos (2011) sobre o jogo “Só perguntas”.

 

“Relevância e meta: aspectos lógicos”

Suelen Francez Machado Luciano

Fábio José Rauen

Neste trabalho, avaliamos a noção de meta como ordenadora da relação entre efeitos cognitivos positivos e esforço de processamento. Para ilustrar esta questão, problematizamos, do ponto de vista lógico, o exemplo de Wilson (2004, lição 3, p. 3-4), no qual, diante da meta de ir a uma conferência, alguém estaria em dúvida se pegaria ou não o ônibus.

 

“Relevância, metas e elaboração de soluções informatizadas”

Sandra Vieira

O trabalho discute correlações entre a noção de meta e a interpretação de demandas por soluções informatizadas, partindo da noção de que os processos de conversão da linguagem natural para a linguagem binária são guiados pela noção de relevância enquanto balanceamento de custos e benefícios cognitivos.

 

 

Na foto principal, da esquerda para a direita, podem ser vistos: Andréia da Silva Bez, Suelen Francez Machado Luciano, Fábio José Rauen e Sandra Vieira. Mais abaixo, um flagrante da mesa composta pelo prof. Fábio José Rauen.

 

 

PPGCL


Arte Contemporânea em destaque no SIMFOP

 

(10/06/2013) A artista plástica Thaís Zumblick ministrou oficina no SIMFOP e falou sobre Arte Contemporânea, na tarde desta sexta-feira (7), em Tubarão.

 

“Vivemos no tempo em que tudo pode”

 

“Vivemos o tempo do ‘por que não?’. Tudo pode”, afirmou a artista plástica tubaronense Thaís Zumblick logo no início de sua oficina sobre Arte Contemporânea e Pós-modernismo. Sobrinha neta do também artista plástico Willy Zumblick, ela falou ainda sobre as influências do Willy em seu trabalho.

 

Segundo Thaís, o artista precisa ter uma sensibilidade especial, que está associada à história de vida, contexto geográfico e socioeconômico, nível educativo e intercâmbios culturais. “O artista tem que usar as referências que têm a seu favor. Acredito, inclusive, que a gente nasça artista. Mas isso não importa muito, se não houver um resultado estético”, comentou.

 

Ela falou também sobre as influências das suas obras, que vão dos filmes de terror ao carnaval brasileiro. “Tenho uma preocupação que elas tenham um clima cinematográfico”, ressaltou, sobre a forte influência do cinema. Thaís comentou, ainda, sobre a presença de Willy Zumblick. “Ele foi a minha primeira referência. Cresci vendo as obras dele”, disse.

 

Thaís Zumblick viveu em Tubarão até os 18 anos de idade. Depois, partiu para a Itália, onde se especializou em História da Arte Renascentista. Atualmente, vive em Buenos Aires.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Prof. Maliska participa de evento na França

 

(07/06/2013) O prof. Dr. Maurício Eugênio Maliska participou do Colloque Voix/Psychanalyse: Vox Dolorosa - Journée Mondiale de la Voix, na Universidade Paris VII, na última segunda-feira, 4 de junho de 2013.

 

Psicanálise em destaque

 

O evento foi organizado por Claire Gillie com o apoio da Universidade Paris VII e reuniu psicanalistas e pesquisadores de outras áreas em torno da temática da voz em Psicanálise.

 

Além deste evento, Maliska participou da Reunião e do Colóquio de Convergência: movimento lacaniano para a psicanálise freudiana que ocorreu entre os dias 30/05 e 02/06 na França.

 

PPGCL


A produção de moda como linguagem

 

(07/06/2013) Cynthia Hansen defendeu a dissertação intitulada “Mito em desfile: a produção de moda como linguagem”, na última segunda (3), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A produção de moda pode ser entendida como uma linguagem mítica?

 

A dissertação de Cynthia visou responder a seguinte questão: a produção de moda pode ser entendida como uma linguagem mítica?

 

“Para tanto, realizei uma pesquisa bibliográfica buscando localizar a moda como fenômeno no âmbito da sociedade ocidental contemporânea, contextualizar o papel dos desfiles e da produção de moda no campo da moda e descrever como se dá o processo de construção de signos a partir da atividade de produção de moda nos desfiles”, explica a pesquisadora.

 

“A Disneylândia de Ronaldo Fraga”

 

O exemplo analisado pela estudante foi o desfile “A Disneylândia de Ronaldo Fraga”, apresentado na São Paulo Fashion Week, visando exemplificar como os recursos de produção de moda são utilizados para a elaboração da imagem em um desfile.

 

“Da análise deste desfile à luz do quadro teórico-metodológico elaborado, inferiu-se que para além da expressão das propostas dos criadores de moda, a produção de moda faz parte de um processo de coletivização, permitindo aos desfiles atuarem como uma fonte de ferramentas conceituais que justificam e orientam as ações dos indivíduos, criando e reforçando a crença existente em torno da moda”, conclui a estudante.

 

A dissertação foi aprovada por banca composta pelos professores Dr. Aldo Litaiff – Unisul, orientador; Dra. Sandra Regina Rech – UDESC, avaliadora externa; e Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – Unisul avaliadora interna.

 

 

PPGCL


Programa discute pesquisa em audiovisual

(07/06/2013) “Pesquisa em cinema e audiovisual: projetos e imagens em movimento” foi o tema do minicurso ministrado pelas professoras Dra. Alessandra Soares Brandão e Dra. Ramayana Lira de Sousa nesta última sexta-feira (7) na sala 1 do prédio sede do Campus de Tubarão. A atividade faz parte do V SIMFOP.

Discutindo metodologias

Educação audiovisual, metástase de imagens, componente curricular e mesmo prazer estético, são elementos que, segundo Alessandra e Ramayana, justificam pesquisar a produção de cinema e audiovisual. De filmes a videogames, de videoclipes a reality shows, de outdoors dinâmicos a telenovelas, todos esses objetos merecem ser estudados pela academia, não apenas por suas características intrínsecas, mas também pelo papel que esses produtos desempenham na sociedade contemporânea, argumentam.

“Os audiovisuais podem ser analisados sob múltiplos aspectos como os ligados a estudos de gêneros, autoria, modos de produção, história do cinema e mesmo elementos da linguagem como narrativa, fotografia, trilhas sonoras e musicais, mise-en-scéne, direção, atuação, montagem, etc.”, diz Alessandra. “Uma das dificuldades neste tipo de pesquisa é estudar o audiovisual sem compreender seus elementos”, complementa.

Para as professoras, há uma série de dificuldades que precisam ser superadas para uma pesquisa consistente nesta área. Entre elas, destacam-se: o domínio da linguagem, o repertório, impressionismo, descrição das imagens, narrativa apenas verbal do objeto, ênfase apenas na imagem e até a questão de falta de acesso ao material.

“Um aspecto interessante nesse tipo de pesquisa é verificar como o filme chama a abordagem teórica e não o inverso”, destaca Ramayana. “Além disso, a ênfase da pesquisa deve estar no como e não no porquê. Como o filme me conduziu a simpatizar com esse ou aquele personagem ou como o filme gerou em mim essa ou aquela ideia, impressão, associação”, completa.

Conforme as pesquisadoras, para estudar um filme é preciso decompô-lo, interpretá-lo e só então analisá-lo. O cuidado é sempre partir do filme e retornar ao filme, ressalvam.

O curso finalizou-se com um estudo de um videoclipe.

PPGCL


Mesa redonda discute escrita sob o viés da psicanálise

(07/06/2013) “Infância, educação e psicanálise: perspectivas de linguagem na modalidade escrita” foi o tema da mesa redonda coordenada pelo professor Dr. Sandro Braga (UNISUL), que contou com a participação dos professores Dr. Cristóvão Gionani Burgarelli (UFG), Dr. Maurício Eugênio Maliska (UNISUL) e Me. Clésia da S. Mendes Zapelini (UNISUL) realizada no Salão Nobre da Unisul de Tubarão nesta última quinta (6) como parte do V SIMFOP.
 

Psicanálise e linguagem em debate.

O professor Cristóvão Gionani Burgarelli apresentou um apanhado de reflexões sobre como a psicanálise entende o processo de escrita. Burgarelli argumentou que toda linguagem é, em essência, um processo conotativo. O significante, segundo ele, assemelha-se ao vazio de um vazo que se enche com elementos do imaginário da fantasia.

“Para a psicanálise, o importante não é o que o sujeito faz com a linguagem, mas o que a linguagem faz com o sujeito”, ressalta. “A rigor, o sujeito é constituído por essa ciranda de discursos”, complementa.

 

O professor Dr. Maurício Eugênio Maliska destacou a escrita da clínica. Ressaltou que não é possível escrever tudo o que o paciente revela, mas essencialmente o efeito que a análise tem sobre o analista. Maliska destaca esse aspecto paradoxal que a escrita tem de ser perene e, ao mesmo tempo ausente.

“A escrita faz com que algo se perdure e, ao mesmo, tempo presentifica uma ausência”, ressalta. “Essa relação presença/ausência permeia toda a linguagem”, ressalva.

Por fim, o pesquisador destacou o desafio de descrever o inconsciente e como Lacan utilizou-se de uma escrita nem sempre alfabética, mas topológica, algébrica, esquemática. “Não tanto por ele querer ser hermético, mas sobretudo por ser o objeto de estudo complexo”, argumenta Maliska.

 

A professora Clésia da S. Mendes Zapelini, por sua vez, apresentou elementos de sua tese de doutorado em andamento sobre as primeiras escritas das crianças. Orientada pelo professor Dr. Sandro Braga, ela lança a hipótese de haver uma escrita de entremeio nessas primeiras produções.

“Não se trata de meros rabiscos, mas de algo que é mais complexo e merece ser investigado mais detidamente fundo pela academia”, defende. “De onde vêm essas materialidades é o desafio que a autora se propõe deslindar.

A mesa foi encerrada com um debate sobre os assuntos. Nas fotos, flagrantes das apresentações de Burgarelli, Maliska e Zapelini.

PPGCL


Unisul participa de Encontro Nacional do PARFOR
 

(06/06/2013) Professora Dra. Andréia Daltoé, coordenadora do programa na Universidade e professora do PPGCL, participa do encontro em Brasília, ao lado da professora Mariléia Mendes Goulart e da acadêmica Suzana de Oliveira Felipp.

Espaço de discussão


A coordenadora institucional do Plano Nacional de Formação de Professores (PARFOR) da Unisul, professora Andréia Daltoé, participa do II Encontro Nacional do PARFOR, que acontece em Brasília desde esta quarta-feira (5/6), e até sexta-feira (7/6). Também representam a Universidade no encontro a coordenadora do curso de Educação Especial do PARFOR, professora Mariléia Mendes Goulart, e a acadêmica do mesmo curso Suzana de Oliveira Felipp, que apresentou pôster sobre a pesquisa “Acessibilidade das pessoas com deficiência visual em Jaguaruna/SC”.

Para a professora Andréia Daltoé, o evento é um espaço de discussão sobre as experiências do PARFOR no Brasil inteiro. Ela destaca, ainda, que o tema recorrente nas falas dos palestrantes sobre a reorganização dos espaços de aprendizagem para além da sala de aula vai ao encontro das discussões que também têm permeado as ações de formação na Unisul.

“Este encontro em Brasília reforça a parceria do MEC/Capes com a Unisul, que, hoje, conta com sete cursos de licenciatura no PARFOR: Ciências da Religião (Içara); Educação Especial e Física (Tubarão); Artes, Educação Especial, Filosofia e Sociologia (Araranguá), e empenha-se cada vez mais em contribuir com uma formação docente séria, que possa ajudar a melhorar a qualidade da educação na região”, ressalta Daltoé.

De acordo com a professora Mariléia Mendes Goulart, o evento está sendo importante para reforçar os pilares sobre a formação docente, principalmente a partir da palestra de abertura com o professor António Nóvoa, reitor e professor pesquisador da Universidade de Lisboa. “Ele enfatizou que o foco principal da escola deve ser o conhecimento e as ações pedagógicas. Para Nóvoa, ser professor poderia ser resumido nas ações de: refletir sobre a prática, primar pelo conhecimento e ter cuidado com o outro”, destacou Mariléia.

Para a aluna Suzana – que apresentou trabalho de pesquisa no evento -, a participação valoriza ainda mais o profissional da educação. “O diferencial está nas oportunidades de pesquisa que este projeto proporciona”, pontuou.

Na foto, Mariléia Mendes Goulart, Suzana de Oliveira Felipp e Andréia Daltoé, ao lado do professor António Nóvoa.

 

Unisul Hoje (Adaptado)


Ensino Médio Inovador é debatido no SIMFOP
 

(06/06/2013) A coordenadora geral do Ensino Médio do DICEI/SEB/MEC, Sandra Regina de Oliveira Garcia, mostrou a atual situação do Ensino Médio no Brasil.

Carências

 

Coordenadora geral do Ensino Médio do DICEI/SEB/MEC, Sandra Regina de Oliveira Garcia
Professores, alunos e dirigentes de escolas reuniram-se, na manhã desta quinta-feira (6/6), para debater o Ensino Médio Inovador, no quinto Simpósio de Formação de Professores (SIMFOP), realizado pela Unisul, em Tubarão. A palestrante foi a coordenadora geral do Ensino Médio do DICEI/SEB/MEC, Sandra Regina de Oliveira Garcia, que explicou que o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) tem o objetivo de apoiar e fortalecer o desenvolvimento de propostas curriculares inovadoras nas escolas de ensino médio. “A escola tem autonomia para criar seu currículo de acordo com as necessidades. O MEC não vai engessar os currículos”.

Segundo a palestrante, as escolas carecem de professores mais preparados e descansados para trabalhar uma metodologia diferenciada para os alunos que estudam no período noturno. “70% dos alunos que estudam à noite trabalham durante o dia. O desafio de mudar essa realidade é grande”.

A coordenadora do MEC disse ainda que atualmente quase um milhão de jovens entre 15 a 17 anos nunca passaram pelas escolas. “Temos 10 milhões de estudantes e precisamos fazer com que eles permaneçam até o final nas escolas. Mas fora esse número, temos pessoas de outras idades que não estão inseridas nas escolas”.

Sandra enfatizou que apenas 58% das escolas usaram os recursos destinados pelo governo federal. “As escolas não sabem gastar seus dinheiros. Elas acabam utilizando os recursos em coisas que não aparecem. O governo, a partir do ano que vem, pretende mudar esse quadro”.

De acordo com ela, é papel da escola mostrar para o estudante como ele deve utilizar o conhecimento adquirido ao longo de sua caminhada estudantil.

Voltado a professores e acadêmicos dos cursos de Licenciatura, o SIMFOP acontece até sexta-feira (7/6). A programação inclui conferências, palestras, minicursos, mesas redondas e espaço para apresentação de trabalhos científicos. Os participantes receberão certificado de 30 horas/aula. A organização está a cargo da Unidade Acadêmica (UNA) de Educação, Humanidades e Artes, do Programa de Pós-Graduação e Mestrado em Ciências da Linguagem e em Educação e dos colégios Dehon e Conceito.

Unisul Hoje (Adaptado)


"Há descaso com formação dos professores"
 

(06/06/2013) Professora doutora Lisete Regina Gomes Arelaro, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP), abriu os trabalhos do quinto SIMFOP na Unisul e destacou a necessidade de uma formação consistente para os educadores.
 

Descaso

As atividades do quinto Simpósio de Formação de Professores (SIMFOP), realizado pela Unisul, foram abertas oficialmente na noite desta quarta-feira (5/6). A professora doutora Lisete Regina Gomes Arelaro, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP), ministrou a palestra de abertura, no Espaço Integrado de Artes (EIA) da Universidade, em Tubarão. Neste ano, o evento tem como tema “Educação Básica: desafios frente às desigualdades educacionais”. Para Arelaro, é necessário, sobretudo, dar atenção à formação dos próprios professores, que, segundo ela, precisa ser mais consistente.

“Há um descaso com a formação dos professores no Brasil. Poucas universidades fazem esse trabalho com seriedade. Posso citar a Unisul como uma das sobreviventes”, afirmou a professora doutora. De acordo com ela, o problema envolve o ‘mercado da educação’, onde empresas que visam exclusivamente o lucro estão disfarçadas de instituições educacionais. “Nenhum país sério entrega a formação dos seus professores ao setor privado empresarial. O Ministério da Educação (MEC) precisa inspecionar com mais clareza o que está acontecendo. A educação não pode ser um negócio”, ressaltou.

A professora doutora também comentou a necessidade do cumprimento do piso salarial nacional para os professores e o respeito às horas que estes profissionais precisam para preparar as aulas e fazer as avaliações. “O ato de educar envolve três momentos: preparar, lecionar e avaliar. O que acontece hoje é que os alunos estão escrevendo cada vez menos, porque os professores não têm tempo sequer de ler o que eles escrevem. Cerca de 50% dos professores do nosso país trabalham em mais de uma escola”.

Ainda de acordo com ela, diminuir as desigualdades educacionais passa, essencialmente, por essas questões, porque o professor deve estar preparado e ter condições para cumprir este desafio. “Nós não somos apenas mediadores de conhecimento, nós mediamos valores. Por isso também é necessário que o professor tenha a formação ética como componente fundamental de ação”, destacou.

Na foto, a professora doutora Lisete Regina Gomes Arelaro na palestra de abertura do SIMFOP, na Unisul de Tubarão
 

Unisul Hoje (Adaptado)


Acadêmicos participaram do Intercom Sul
 

(05/06/2013) Evento da área de Comunicação foi realizado em Santa Cruz do Sul/RS e em 2014 será na Pedra Branca.


Santa Cruz em movimento

 

A cidade gaúcha Santa Cruz do Sul recebeu o XIV Intercom Sul - Congresso de Ciências da Comunicação da Região Sul no último final de semana, entre 30/5 e 1/6. Realizado na Unisc, o evento foi orientado sob o tema ‘Comunicação em tempo de redes sociais: afetos, subjetividades e emoções’. Entre os participantes, acadêmicos dos cursos de Publicidade e Propagada e de Jornalismo do Campus Grande Florianópolis - Pedra Branca.

Além dos acadêmicos da Unisul, que viajaram até o estado vizinho em busca de conhecimento, mais de dois mil congressistas de universidades de todo o Sul do Brasil estiveram presentes. Docentes dos cursos de Comunicação Social acompanharam os acadêmicos, entre eles a coordenadora Daniela Germann e os professores Luciano Bitencourt, Giovanna Flores, Silvania Siebert e Geraldo Campos. Veja fotos no Flicker da Unisul.

Durante o evento ocorreu o Expocom em que os estudantes de comunicação inscreviam os trabalhos experimentais para concorrer a premiações. Além desta participação, a Universidade teve a tarefa de anunciar a Unisul como sede do Intercom Sul 2014.

O trabalho dos acadêmicos Bruno Mendes e Bruno Lima, ambos futuros publicitários, chamado ‘Cápsula do Tempo’ fez com que mais de 400 congressistas, de várias universidades diferentes, interagissem (foto). Eles depositaram mensagens na cápsula sobre as mudanças na comunicação até o ano que vem. Todas as mensagens serão divulgadas no Intercom Sul 2014, na Unisul do Campus Grande Florianópolis - Pedra Branca. Os participantes tiveram o direito a retirar um QR Code e concorrer a camisetas e livros. Aproveitaram a visita ao stand da Unisul para tirar fotos, que foram publicadas na fan page oficial do Intercom Sul 2014.

Unisul Hoje (Adaptado)


SIMFOP discute desigualdades educacionais
 

(05/06/2013) Evento de formação de professores realizado pela Unisul inicia na próxima quarta-feira (5/6) e tem como principal objetivo propor soluções para um dos maiores desafios que a escola tem hoje: fazer com que todas as crianças aprendam.

Conferência de abertura


O quinto Simpósio de Formações de Professores (SIMFOP) inicia na Unisul de Tubarão nesta quarta-feira (5/6). A programação foi montada a partir do tema “Educação básica: desafios frente às desigualdades educacionais”. Segundo a professora Maria Sirlene Pereira Schlickmann, uma das organizadoras do evento, o principal objetivo deste simpósio é contribuir com as escolas no sentido de discutir e compreender as questões relacionadas às desigualdades de aprendizagem.

“Este é um dos maiores desafios que a escola tem hoje: fazer com que todas as crianças aprendam. Um aluno que não aprende é colocado numa situação de desigualdade. Isso compromete um dos seus direitos básicos”, destaca Schlickmann. Ela acredita que este é um momento de aproximação e diálogo entre as agências formadoras e os professores da educação básica. “Queremos consolidar aquela que era a nossa intenção fundamental quando criamos o simpósio: ter um evento forte que discuta a educação, que seja um espaço político e de debates”, reforça.

Entre os destaques da programação está a professora doutora Lisete Regina Gomes Arelaro, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP). Ela é chefe do Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação da USP e foi secretária de educação da cidade de Diadema, em São Paulo, por duas vezes: de 1993 a 1996 e de 2001 a 2002. Pesquisadora reconhecida em nível nacional pela sua produção acerca da municipalização do ensino, Alearo fará a conferência de abertura do SIMFOP.

Sandra Regina de Oliveira Garcia é outra pesquisadora reconhecida que integra a programação desta edição do SIMFOP. Coordenadora geral do Ensino Médio do Ministério da Educação (MEC), ela ministrará o simpósio Ensino Médio Inovador. Também reconhecido por seu trabalho na educação, o professor doutor Pedro Demo, da Universidade de Brasília (UNB), também é presença confirmada. Ele faz a palestra de encerramento do evento, com o tema “Educação básica: novas configurações curriculares”.

Além das universidades já citadas, participam do quinto SIMFOP pesquisadores da Unisul, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Estadual Paulista (UNESP), PUC-Goiás, Universidade da Região de Joinville (Univille), Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc) e Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

Voltado a professores e acadêmicos dos cursos de licenciatura, o evento acontece entre os dias 5, 6 e 7/6. A programação inclui conferências, palestras, minicursos, mesas redondas e espaço para apresentação de trabalhos científicos. Confira o cronograma completo de atividades. Para participar, é preciso se inscrever neste endereço. Os participantes receberão certificado de 30 horas/aula. A organização está a cargo da Unidade Acadêmica (UNA) de Educação, Humanidades e Artes, do Programa de Pós-Graduação e Mestrado em Ciências da Linguagem e em Educação e dos colégios Dehon e Conceito.

Unisul Hoje (Adaptado)


Programa aprova 39 estudantes
 

(03/06/2013) Reunião nesta última quarta-feira (29) aprova 39 novos estudantes em Processo Seletivo: 18 estudantes para o doutorado e 21 estudantes para o mestrado. Matrículas ocorrem em meados de junho e aulas se iniciam no final de julho.
 

Bom nível
 

O Processo seletivo de 2013 foi caracterizado pelo bom nível dos candidatos. Essa foi a impressão geral dos docentes do Colegiado depois de uma maratona de exames e entrevistas realizadas entre os dias 27 e 28 de maio.
 

“Embora o Programa tenha aberto somente 32 vagas, foram selecionados mais 7 candidatos, uma vez que o desempenho dos candidatos nos exames e nas entrevistas ultrapassou as expectativas este ano”, explica o professor Fábio Rauen, coordenador do Programa.
 

O processo seletivo já havia se caracterizado por uma procura significativa. Foram homologadas este ano as inscrições de 30 candidatos para o doutorado (2,5 candidatos por vaga) e 35 candidatos para o curso de mestrado (1,75 candidatos por vaga). Na seleção, os docentes consideraram 18 projetos satisfatórios para o ingresso no doutorado (6 a mais do que as vagas em edital) e 21 projetos de mestrado (1 a mais do que as vagas em edital).
 

O processo seletivo decorre de uma média de duas avaliações: um exame escrito e uma avaliação mais complexa que envolve a análise do currículo, do anteprojeto de pesquisa e do desempenho do candidato em entrevista individual.
 

As matrículas ocorrem entre os dias 17 e 21 de junho, em Tubarão e Pedra Branca, das 8h às 11h 45min e das 13h 30min às 17h 45min. As aulas começam no dia 29 de julho em Pedra Branca e no dia 1º de agosto em Tubarão.
 

PPGCL


Processo Seletivo movimenta Campus da Pedra Branca


(29/05/2013) Seleção dos candidatos aos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem é marcada por exame escrito, exame de proficiência em língua estrangeira e entrevistas. Atividades ocorreram no Campus da Pedra Branca nos últimos dias 27 e 28 de maio.


Procura


Este ano o PPGCL abriu 32 vagas, sendo 12 para o curso de Doutorado e 20 para o curso de Mestrado. Habilitaram-se para as vagas de doutorado 30 candidatos (2,5 candidatos por vaga) e 35 candidatos para o curso de mestrado (1,75 candidatos por vaga).


O processo seletivo


O processo seletivo de ingresso aos cursos de mestrado e doutorado em Ciências da Linguagem resulta da média de duas notas. A primeira nota decorre da análise do exame escrito a partir de um conjunto de leituras estabelecidas em edital. A segunda nota decorre da análise do currículo, do anteprojeto de pesquisa e do desempenho do candidato em entrevista individual perante banca de docentes da linha de pesquisa que ele selecionou.


Além dessas etapas, os candidatos podem aproveitar a oportunidade para realizar um exame de proficiência em língua estrangeira moderna (inglês, espanhol ou francês). “No curso de mestrado, o estudante deve comprovar proficiência em uma língua estrangeira; no curso de doutorado, deve comprovar proficiência em duas línguas”, esclarece Layla Antunes de Oliveira, secretária do Programa.


Um dos destaques da avaliação, tanto dos exames escritos como dos exames de proficiência, é que o Programa adota a metodologia cega “Os docentes não têm acesso ao nome do candidato na folha de teste”, afirma o professor Fábio José Rauen, coordenador do Programa. “Essa providência visa a minimizar algum viés na avaliação, permitindo que os candidatos tenham as mesmas chances de entrar no Programa”, complementa.


A divulgação da lista de aprovados ocorre na próxima segunda (3), através de Edital específico no sítio do Programa. As aulas iniciam-se no dia 29 de julho em Pedra Branca e 1º de agosto em Tubarão.


Nas fotos, flagrantes da elaboração dos exames.


 

PPGCL


Professoras Nádia e Giovanna participam de evento em Joinville

 

(15/05/2013) As professoras Giovanna Benedetto Flores e Nádia Régia Maffi Neckel participaram do evento “Encontro Estadual sobre formação contínua no ensino da arte”, realizado nos dias 10 e 11 de maio, na Univille.

 

O papel do professor na sua formação contínua: Arte na Escola, 20 anos em Santa Catarina.

 

O encontro comemorou os 20 anos da Rede Arte na Escola em Santa Catarina e congregou aproximadamente 300 pesquisadores das áreas de Arte e Educação na cidade de Joinville, na Univille.

 

Os Programas do Arte na Escola de Santa Catarina são vinculados ao Instituto Arte na Escola, que é uma associação civil sem fins lucrativos com o objetivo de incentivar e qualificar o ensino da arte por meio da formação contínua de professores da Educação Básica, e se constroem conforme as indicações apontadas nas avaliações que se realizam durante o processo, pois é o próprio percurso dos professores nos grupos que direciona as ações nos seus diversos níveis.

 

O evento, de caráter internacional, integrou  professores de Arte e de Educação Básica, estudantes e professores de licenciatura e pós-graduação. A programação contou com mesa redonda,  comunicações e whorkshops sobre o papel do professor na sua formação contínua. 

 

A professora Nádia Régia Maffi Neckel coordenou a mesa “A Formação continua do Professor de Arte”, da qual participaram os professores Evelyn Berg Ioschpe, presidente do Instituto Arte na Escola (SP),  Dr. Saturnino De La Torre, da Universidade de Barcelona e a Dra. Ana Mariza Pilipouski, da Faculdade Porto Alegrense de Educação, Ciências e Letras (RS).

 

“Creio que o evento atingiu plenamente seus objetivos de reflexão sobre a formação contínua do professor de artes, assim como fora um momento de reconhecimento do trabalho integrado de pesquisa no estado de Santa Catarina”, analisa a Profa. Nádia Neckel.

 

Acadêmicos do curso de Jornalismo da Unisul realizaram a cobertura do evento

 

Os acadêmicos do curso de Jornalismo da Unisul realizaram uma experiência prática de cobertura de eventos, sob a orientação da Profa. Giovanna Benedetto Flores. Os vídeos serão publicados posteriormente na Revista Laboratório Ciência em Curso do PPGCL.

 

“Esta foi uma ótima experiência para os alunos de graduação, pois os estudantes entrevistaram professores, acadêmicos, gestores culturais, pesquisadores nacionais e internacionais na área de arte e de educação”, comenta a Profa. Giovanna.

 

Na foto principal a Profa. Nádia participa da mesa redonda. Mais abaixo os estudantes do curso de Jornalismo posam com as professoras Nádia e Giovanna.

 

 

PPGCL


Videogame é objeto de investigação
 

(13/05/2013) “Lendo Fable 2: os videogames como espaço possível de negociações e produção de efeitos de sentido” foi o título da dissertação defendida pelo estudante Cremilson Oliveira Ramos nesta última segunda (13) na Sala de Treinamento do Bloco Sede do Campus de Tubarão da Unisul. A pesquisa investigou efeitos de sentido que o contato com jogos videogames podem produzir nos jogadores.

Games levados a sério!

A pesquisa de Ramos tem o mérito de levar a sério a produção de games para além de sua função de entretenimento. “É preciso investigar os efeitos que os jogos eletrônicos têm sobre sujeitos que os usam, e as formas como a linguagem é empregada no contexto da construção, distribuição e manipulação desses jogos”, argumenta o autor.

Nesta dissertação, na qual se analisou o Jogo Fable 2 por meio de gaming, decupagem e estudo de configuração sob a ótica da narratologia, o estudo destacou em especial a estética maniqueísta, a relação de videogames com o cinema e a produção de efeitos de realidade.

“Quanto mais o jogo se aproxima do mundo fenomênico, mais apelo tem para que o jogador construa a narrativa”, defende Ramos. “Esse efeito de realidade é essencial porque na diegese gâmica, diferente daquela do cinema, a ação extradiegética do jogador é fundamental para que a narrativa seja concluída”, complementa.

Ramos, então, demonstrou como a Fable 2 constrói um mundo maniqueísta onde escolhas são recompensadas ou punidas de diferentes formas, levando a questionar supostas ingenuidades nos artefatos gâmicos. Afinal: “o jogo é uma representação da vida ou uma simulação da vida”, questiona o autor.

A dissertação foi avaliada por banca formada pelas professoras Dra. Jussara Bittencourt de Sá, (orientadora), Dra. Mirtes Lia Pereira Barbosa, IFSC (avaliadora), Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias (avaliadora) e Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes, (suplente).

PPGCL


Conferência aborda discurso sobre saúde em agendas escolares
 

(13/05/2013) A professora Doutora Mirtes Lia Pereira Barbosa, do IFSC, apresentou conferência intitulada “Uma análise discursiva sob a perspectiva dos estudos culturais” nesta segunda (13) na Sala de Treinamento do Bloco Sede do Campus de Tubarão da Unisul. A atividade discutiu como o discurso sobre saúde se manifesta em agendas escolares da rede municipal de Porto Alegre.

Educação Currículo e Saúde

Como parte do Programa de Saúde Escolar do governo federal, a rede municipal de educação de Porto Alegre passou a se utilizar de agendas escolares com temas relacionados à saúde. Dada a ampla circulação dessas agendas, Mirtes, em sua tese de doutorado na UFRGS, questionou que discursos sobre prevenção e à promoção da saúde eram construídos socialmente nesses materiais.

“As agendas escolares merecem ser investigados, porque são artefatos de produção de discursos sobre saúde no currículo das escolas, têm um evidente caráter político, envolveram os alunos em sua produção e visam a ensinar a ser saudável de alguma forma”, argumenta a pesquisadora. “Além disso, uma pesquisa dessa espécie ajuda a desnaturalizar o que é considerado óbvio e corriqueiro”, complementa.

Segundo a autora, foram recorrentes nas agendas estratégias fundamentadas na exposição na repetição de bons exemplos e na ideia de que a felicidade é uma meta possível com boas práticas de saúde e prevenção.

“Os materiais usam discursos que invocam a responsabilização dos indivíduos, mas que igualmente os culpam por qualquer ação que venha a não dar certo. Os atos, então, são bons e maus, corretos e incorretos, educados e mal-educados no processo de constituição de uma vida saudável”, constata. “Cuidar de si e do outro implica a constituição de um sujeito autônomo e consciente: alguém capaz de assumir seus atos perante a sociedade e de se tornar um exemplo a ser seguido”, completa.

Segundo Mirtes as agendas utilizam-se de máximas e slogans produzidos por especialistas ou pelos próprios alunos para representar, através de frases, versos, desenhos e poesias, os resultados negativos decorrentes de condutas sem restrições. “Contudo, é também interessante registrar como os discursos que postulam acerca de comportamentos exemplares utilizam representações voltadas a instalar o medo da doença, do sofrimento e da morte”, destaca.

A palestra da professora Mirtes Barbosa antecedeu a defesa de dissertação do estudante Cremilson Oliveira Ramos, intitulada: “Lendo Fable 2: os videogames como espaço possível de negociações e produção de efeitos de sentido”, na tarde desta última segunda (13). Participaram também da banca as professoras Dra. Jussara Bittencourt de Sá (orientadora) e Dra. Deisi Scunderlick Eloy de Farias (avaliadora).

PPGCL


Docentes do PPGCL organizam livro

 

(10/05/2013) A rede enquanto instrumento de cultura e enredamento de um grupo de pesquisa é tema do livro "Discurso, ciência e cultura: conhecimento em Rede", organizado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem e publicado pela Editora Unisul. A publicação é resultado da compilação de trabalhos apresentados no VI Seminário Integrado e Interinstitucional, realizado na Unisul em 2011.

 

Livro é fruto de projeto integrado

 

O seminário foi a última etapa do projeto "As relações culturais e artísticas e a preservação de patrimônio material e imaterial implicados no desenvolvimento regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville". O projeto teve início em 2009 e durou dois anos. Foi realizado em cooperação entre a Unisul, a Universidade do Contestado (UnC) e a Universidade da Região de Joinville (Univille). Cada instituição reuniu grupos de pesquisadores, que trabalharam de acordo com a sua especificidade de pesquisa, dentro do tema proposto.

 

Para a professora Nádia Neckel, uma das organizadoras do livro, o tema reflete o trabalho realizado durante o projeto. "No último livro nós optamos por abordar a relação e a construção dessa rede de conhecimento, até porque o projeto aconteceu de forma integrada. Os grupos de pesquisa relacionavam-se em rede”, contextualiza. Além da professora Nádia, participaram da organização do livro as professoras Giovanna Flores e Solange Gallo.

 

O trabalho, que envolveu alunos, professores e pessoas das comunidades locais, trouxe resultados positivos, acredita a professora Solange. “Nós estivemos produzindo conhecimento em rede de pesquisa. Foi um projeto ótimo, que deu sementes. Além de servir de divulgação para o nosso programa de Pós-Graduação na região”, avalia.

 

O projeto foi financiado pelo Ministério da Cultura e pela Coordenação de Aperfeiçoamento e Pessoal de Nível Superior (CAPES). O livro "Discurso, ciência e cultura: conhecimento em rede" tem distribuição gratuita.

 

Unisul Hoje


Tese é escolhida para representar UFRGS em concurso

 

(08/05/2013) A tese "As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política", da professora Dra. Andréia Daltoé, defendida em 2011 na UFRGS, sob a orientação da professora Dra. Freda Indursky, foi escolhida para representar o Instituto de Letras da UFRGS no Concurso de Teses e Dissertações do X Congresso Internacional da Associação Latino-americana de Estudos do Discurso, que se realizará em outubro, em Puebla – México, na Benemérita Universidad Autónoma de Puebla.

 

Diversidad cultural, procesos de hibridación y multimodalidad en el discurso

 

O X Congresso Internacional da Associação Latino-americana de Estudos do Discurso terá como tema a "diversidad cultural, procesos de hibridación y multimodalidad en el discurso".

 

Participam deste concurso os trabalhos referentes ao exercício de 2011-2013, representantes dos Programas de Pós-Graduação dos países-membros da Associação: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Puerto Rico, Uruguai e Venezuela.

 

PPGCL


Parfor: Projeto de Pesquisa apresentado a docentes

(06/05/2013) Em encontro durante a tarde desta sexta-feira (3/5), professores dos cursos do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) em funcionamento na Unisul receberam orientações voltadas à pesquisa.

Ensino com pesquisa em cena...

 

Coordenadores e professores dos cursos do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) que estão em funcionamento na Unisul receberam orientações voltadas à prática da pesquisa na tarde desta sexta-feira (3/5). Na atividade, que aconteceu no Salão Nobre da Universidade, em Tubarão, os professores Fábio José Rauen e Marleide Coan Cardoso apresentaram o Projeto de Pesquisa do Parfor.

De acordo com a coordenadora do Parfor na Unisul, professora Andréia Daltoé, a intenção é contribuir para uma formação pedagógica que articule ensino e pesquisa nos cursos deste programa. “Considerando que os alunos já são professores da rede pública, os cursos do Parfor precisam contribuir para que estes alunos-professores lancem à sua prática um olhar de pesquisador”, destaca Andréia.

Para a professora Cléia Demétrio Pereira, do curso de Educação Especial do Parfor, momentos como este servem para que os professores façam uma autoavaliação, dialoguem e percebam avanços e necessidades de melhorar. Sobre a importância da pesquisa, Cléia ressalta o papel dos professores. “A nossa intenção é disseminar no aluno o olhar de pesquisador. E ele só vai conseguir este olhar a partir do professor”, observa.

O encontro foi dirigido a professores e coordenadores dos cursos que estão em funcionamento. Em Tubarão, cursos de Física e de Educação Especial. Em Araranguá, cursos de Educação Especial, Sociologia, Filosofia e Artes. E em Içara, curso de Ciências da Religião.

 

Por Guilherme Simon
Jornalista C&M


Telejornalismo em Santa Catarina será objeto de tese

 

(03/05/2013) “TV digital e telejornalismo em Santa Catarina: tendências de participação do telespectador na escolha da notícia” foi o título do projeto de tese defendido pelo estudante Fábio Bitencourt Cadorin, na última sexta (26), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Mudanças com a implementação da TV digital

 

O trabalho, segundo Cadorin, pretende investigar tendências de participação do telespectador na escolha das notícias que irão ao ar em telejornais de Santa Catarina, a partir da implantação da TV digital em canal aberto e consolidação de recursos de interatividade.

 

“Cabe ressaltar que a implantação do sinal digital não implica necessariamente a disponibilidade de todos os recursos possíveis da TV digital”, explica. “O telespectador/usuário precisa de aparelhos receptores adequados e as emissoras precisam adaptar o modelo de transmissão e implantar os softwares necessários ao funcionamento de aplicativos que permitam a multiprogramação e a interatividade. Por enquanto, a maior parte dos municípios que recebem sinal digital usufrui apenas da transmissão de som e imagem de alta definição”, complementa.

 

Conforme Cadorin, a televisão assumiu papel de destaque na vida dos brasileiros ao longo das últimas seis décadas. “Hoje, ela é o veículo de comunicação mais usado no país – por 96,6% dos brasileiros, segundo o Instituto Meta Pesquisas de Opinião (2011). Isso por si só já legitima a pesquisa”, finaliza.

 

O projeto de Fábio Bitencourt Cadorin foi aprovado por banca composta pelos professores Jussara Sá, orientadora, Heloisa Moraes e Fábio Rauen, avaliadores.

 

Na foto principal, um flagrante da defesa. Mais abaixo, a banca avaliadora.

 

 

PPGCL


Lima Barreto em destaque

 

(03/05/2013) Marília Köenig defendeu o projeto de tese intitulado “Um pré pós-moderno? A ética da estética em Lima Barreto”, na última sexta (26), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Um pré pós-moderno?

 

Segundo Marília, a pesquisa objetiva perceber como a ética da estética própria à obra de Lima Barreto, pré-modernista, parece conectá-lo ao que se entende por pós-modernidade.

 

“Na hipótese principal, são considerados aspectos como a fragmentação da identidade - e da consequente eclosão das identificações do sujeito”, explica. "Esse sujeito que, em sociedade, é cada vez mais plural (HALL, 2006); o relato da vida cotidiana (ou vida sem qualidade, no entender de Maffesoli, (1995) - e o delineamento do imaginário social da nova República, estão marcados na obra de Lima Barreto”, complementa.

 

De acordo com a aluna, no que se refere à metodologia, serão analisadas obras do autor, em especial a coletânea Vida urbana, objeto de análise desta pesquisa.

 

“Pretende-se, em suma, responder a uma questão fundamental: que indícios haveria em Vida urbana, na qual é possível perceber a ética de sua estética, no tocante à pós-modernidade, para que se caracterize Lima Barreto como escritor pré pós-moderno?”, conclui.

 

O projeto de Marília Köenig foi aprovado por banca composta pelos professores Heloisa Moraes, orientadora, Deisi Farias e Jussara Sá, avaliadoras.

 

Na foto principal, um flagrante da defesa. Mais abaixo, a banca avaliadora.

 

 

PPGCL


Editora lança ebook "Discurso, cultura e mídia"
 

(26/04/2013) O livro é resultado do primeiro Seminário Nacional sobre o tema, realizado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul.

Primeiro livro digital da Editora da Unisul

 

Já está disponível o ebook “Discurso, cultura e mídia: registros e discussões”, que acaba de ser lançado pela Editora Unisul. A edição pode ser acessada neste endereço. O livro reúne trabalhos apresentados durante o primeiro Seminário Nacional de Discurso, Cultura e Mídia, promovido pela Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul e realizado em junho de 2012.

Na oportunidade, foram apresentados 176 trabalhos sobre o tema. “Discutimos questões relativas às linhas de pesquisa texto, discurso, linguagem e cultura. Agora, pesquisadores e estudantes da área podem ter acesso a esse material através do ebook”, diz a professora doutora Giovanna Benedetto Flores, uma das organizadoras do livro. Além dela, participaram da organização as professoras Deisi Eloy de Farias e Nádia Maffi Neckel.

Este é o primeiro ebook lançado pela Editora Unisul. O acesso é gratuito. “É uma tendência, uma maneira de disponibilizar o material mais facilmente, e que tem relação com o conteúdo apresentado por este livro especificamente”, avalia Giovanna Benedetto Flores.

 

Unisul Hoje


O ensino fundamental de nove anos será discutido em tese

 

(24/04/2013) “O ensino fundamental de nove anos e os desdobramentos desse acontecimento discursivo em instituições educacionais: entre discursos e práticas” é o tema do projeto de tese defendido por Maria Sirlene Pereira Schlickmann, na última sexta (19), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Analisando as discursividades

 

A pesquisa tem o objeto de analisar histórica e politicamente as discursividades manifestadas na política do Ensino Fundamental de nove anos (Lei nº. 11.274/2006) e seus desdobramentos no contexto das instituições educacionais.

 

Segundo Sirlene, as seguintes questões norteiam a pesquisa: Quais discursos são mobilizados pelo Estado e pela comunidade educacional no processo de criação da Lei 11.274/06 do EF9A no Brasil?  A partir do dia 6 de fevereiro de 2006, data de aprovação da Lei, que efeitos de sentido são gerados pela respectiva Lei nas instituições educacionais que fazem da Lei do EF9A um acontecimento discursivo?  Onde está o acontecimento?

 

“Para responder a essa problemática, pretende-se interpretar e compreender, histórica e ideologicamente, as discursividades materializadas na lei do EF9A, os desdobramentos da respectiva política e como ela tem impactado o cotidiano de instituições educacionais pertencentes às redes públicas de ensino da região Sul de Santa Catarina com a implantação do Ensino Fundamental de nove anos”, explica.

 

“Partimos da hipótese de que, nesse movimento de implantação, o processo de apropriação das determinações novas ao confrontar-se, no interior das diferentes formações discursivas, com discursos e práticas já cristalizadas, germina movimentos no processo de implementação da Lei 11.274/06 que se distinguem nas diferentes instituições, compondo um mosaico de múltiplas implicações no processo de materialização da respectiva Lei”, completa.

 

O projeto foi aprovado por banca composta por Maria Marta Furlanetto (orientadora), Andréia Daltoé e Sandro Braga (avaliadores).

 

PPGCL


Educação Infantil em destaque

 

(24/04/2013) Clésia da Silva Mendes Zapelini defendeu o projeto de tese intitulado “Escrita de entremeio: os possíveis efeitos de sentido e as condições de produção da materialidade significante no contexto da Educação Infantil”, na última sexta (19), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Tese propõe a escrita de entremeio

 

A pesquisa propõe-se a analisar a escrita enquanto materialidade significante produzida pelas crianças em folhas de papel, pensando na sua relação com os possíveis efeitos de sentido e as condições de produção.

 

“As crianças, em seus primeiros registros gráficos, atribuem múltiplos efeitos de sentido para uma mesma materialidade e, ao entrar em contato com as diferentes materialidades em práticas discursivas, elas interpretam e manifestam os sentidos, mesmo que não percebam”, explica. "Assim, começam a atribuir sentidos para seus registros gráficos, a partir de atravessamentos das materialidades expostas na sala e em outros espaços sociais. Diante desse contexto, elas deslizam por diferentes formações discursivas, constituindo-se como sujeito e produzindo sentidos para e nas materialidades discursivas”, completa.

 

Diante disso, segundo a estudante, a pesquisa busca responder a seguinte pergunta: quais os efeitos de sentido e as condições de produção das materialidades significantes - escritas de entremeio - produzidas em sala de aula no contexto da Educação Infantil?

 

Segundo Clésia, a hipótese é de que os elementos constitutivos dessas materialidades significantes, esses aportes gráficos, constituem-se de um misto de registros icônicos (desenhos) e de elementos simbólicos (letras), que produzem efeitos de sentido para a criança que está em processo de formação.

 

“Aquilo que a criança produz dentro do espaço do suporte material (folha de papel) é, de algum modo, a representação da posição sujeito que ela ocupa no espaço escolar”, esclarece. “Essa separação entre o desenho e os traços que viriam a formar letras são constatações nossas, sendo difícil, inclusive para nós, delinearmos as fronteiras que separariam o desenho da letra nessa materialidade que estamos chamando de escrita de entremeio”, finaliza.

 

O trabalho foi aprovado por banca compostas pelos professores Sandro Braga (orientador), Andréia Daltoé e Maurício Maliska (avaliadores).

 

PPGCL


Tese trará amor em curso e discurso

 

(24/04/2013) “Amor em curso e discurso: as subjetivações de si presentes no discurso do amor” é o título do projeto de tese defendido pela estudante Andréa Volpato Wronski, na última sexta (19), na sala de treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Dizeres do e sobre o amor em destaque

 

Segundo Andréa, a pesquisa trará a questão dos dizeres do e sobre o amor atrelada às possibilidades de circulação desses enunciados que se constituem em discurso e que por isso mesmo marcam a posição do sujeito no ato de enunciar e pretende.

 

“Nosso foco recairá sobre os discursos que emergem quando se trata do enlace afetivo-romântico entre sujeitos, aquilo que se prolifera discursivamente quando entra em jogo as práticas discursivas enunciadas sobre as formas de se relacionar afetivamente”, explica. “Para tanto, três recortes constituirão o corpus de análise: as cartas trocadas entre Dom Pedro I e sua amante Domitila (Obra literária); as cartas trocadas por um casal apaixonado da década de 60 que iniciaram o namoro no ano de 1967 e casaram no ano de 1969; e os modos como os sujeitos escolhem falar de si nas auto apresentações em sites de relacionamento”, completa.

 

Com base nesses recortes, conforme a pesquisadora, o estudo pretende identificar as semelhanças e dessimilitudes presentes no discurso sobre o amor quando esse percorre diferentes recortes históricos em diferentes lugares de produção; e compreender os efeitos de sentido produzidos quando a materialidade dos dizeres sobre o amor não possui um interlocutor dirigido (sites de relacionamento). 

 

“Esse estudo pretende dar conta de compreender os efeitos de sentido que estão presentes em diferentes cenas enunciativas e no modo como as pessoas manifestam seus dizeres sobre o amor, olharemos os dados desse estudo à luz de uma perspectiva qualitativa", complementa. "Isso se define uma vez que a proposta se inscreve numa dimensão puramente interpretativa e analítica dos dados, sem levar em consideração quem diz, mas sim o que é dito quando os dizeres sobre o amor são postos em circulação e suas materialidades discursivas”, finaliza.

 

O projeto foi aprovado por banca composta pelos professores Sandro Braga (orientador), Alessandra Brandão e Maria Marta Furlanetto (avaliadores).

 

PPGCL


As professoras Solange e Dilma participam de reunião na Capes

 

(23/04/2013) As professoras Solange Gallo e Dilma Juliano participaram de reunião da Capes na PUC/MG, em Belo Horizonte, entre os dias 17 e 18 últimos. O evento discutiu a questão da adoção de matrizes curriculares para área de letras e linguística.

 

Análise do discurso em pauta

 

Entre as discussões do evento, destacou-se a apresentação do perfil dos estudos de análise do discurso na pós-graduação brasileira. “A reunião encerrada ontem resultou em um importante momento de posicionamento político-institucional da área da análise de discurso”, afirmou a professora Solange Gallo.

 

Segundo Claudia Pfeiffer, os trabalhos apresentados pelos colegas Beth Brait, José Luiz Fiorin e Sírio Possenti, na Mesa "A Análise de Discurso na Pós-Graduação", apresentaram de modo contundente uma posição pela autonomia dos programas.

 

“A partir das discussões realizadas no interior do Grupo de Trabalho de Análise de Discurso do Evento Capes, e com base nos textos apresentados pelos colegas da mesa, elaboramos um documento da área, apresentado na plenária final do evento”, comenta Cláudia. “Este documento foi organizado em torno de quatro eixos que consideramos os mais importantes de serem destacados junto ao plenário e à Capes, justamente por expressarem de modo firme a posição da área da análise de discurso sobre aquilo que havia sido o tema gerador do evento: um núcleo curricular comum e a formação dos egressos dos Programas de Pós-Graduação da área de Letras e Linguística”, complementa.

 

O documento salientou a posição do grupo sobre: política na pós-graduação, formação na pós-graduação, análise de discurso na pós-graduação e análise de discurso e inovação.

 

Literatura é objeto de discussão

 

A linha Linguagem e Discurso foi representada pela professora Dilma Juliano, que participou das discussões sobre a literatura no evento.

 

“O evento serviu como oportunidade de perceber o funcionamento de outras pós-graduações de letras brasileiras e, especificamente, a compreensão que perpassa os programas no que se refere à literatura”, comenta Dilma. “Minha participação se deu através da presença nas plenárias e nas discussões do grupo de literatura, da CAPES/Letras”, completa.

 

Entre as discussões de literatura, foram debatidos vários temas tais como: a crise da literatura em âmbito nacional, o ensino de literatura nos níveis fundamental e médio e a participação das pós-graduações nesse cenário. Além disso, foram feitas, também, exposições de práticas com a literatura nos programas de pós-graduação e as possibilidades de diversificação de apresentação dos resultados das pesquisas sob a forma de curtas-metragens, romances, roteiros de ficção, etc., e não somente dissertações e teses em formato acadêmico.

 

PPGCL


SIMFOP 2013: inscrições até 30 de abril

 

(22/04/2013) A quinta edição do Simpósio sobre formação de professores - SIMFOP, que se realiza de 5 a 8 de junho, irá discutir a educação básica em seus diferentes aspectos.

 

Desigualdades educacionais em destaque

 

O V SIMFOP, que abordará a temática “Educação básica: desafios frente às desigualdades educacionais”, está com as inscrições abertas até o dia 30 de abril. O objetivo do evento é discutir a educação básica em seus diferentes aspectos, na perspectiva do processo de superação das desigualdades educacionais.

 

Os temas eixos do evento são: Políticas e práticas de gestão educacional e superação das desigualdades educacionais, Práticas pedagógicas e superação das desigualdades e Política curricular e superação das desigualdades.

 

O SIMFOP é organizado pela UnA de Ciências da Educação, Humanidades e Artes, Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem e Programa de Pós-graduação em Educação.

 

O evento acontece de 5 a 7 de junho no campus Tubarão e de 7 e 8 junho na unidade de Araranguá.


Outras informações nos telefones (48) 3621-3339/(48) 3621-3446 ou no
site do evento.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Grupo Arte na Escola reúne-se em Pedra Branca

 

(22/04/2013) A convite da professora Nadia Neckel, estiveram reunidos na última quarta (17), no campus da Pedra Branca, coordenadores dos Pólos do Arte na Escola de Santa Catarina (FURB, UNIVILLE, UnC, UNESC, UFSC). O objetivo do encontro foi a finalização do planejamento do Encontro de 20 anos do Arte na Escola em Santa Catarina que será realizado em Joinville nos dias 10 e 11 de maio.

 

Conhecendo o Instituto Arte na Escola

 

O Instituto Arte na Escola é uma associação civil sem fins lucrativos que, desde 1989, incentiva e qualifica o ensino da arte, por meio da formação continuada de professores da Educação Básica. Tem como premissa que a Arte, enquanto objeto do saber, desenvolve nos alunos habilidades perceptivas, capacidade reflexiva e incentiva a formação de uma consciência crítica, não se limitando à auto-expressão e à criatividade (http://www.artenaescola.org.br).

 

Em Santa Catarina os Pólos realizam ações de formação contínua com professores das redes de ensino na educação básica, bem como pesquisas em parcerias interistitucionais. As ações em Santa Catarina completaram 20 anos de atuação.

 

“O evento em comemoração aos 20 anos pretende congregar pesquisadores na área de arte e ensino da arte, alunos, artistas e professores de arte de todo o estado. O PPGCL, o curso de graduação em Comunicação Social - Jornalismo e a Revista Laboratório Ciência em Curso serão parceiros nesse evento, realizando uma ação de divulgação científica por meio da revista em seu próximo número”, explica a professora Nádia Neckel.

 

O curso de graduação em Cinema e Realização Audiovisual da Unisul também tem mantido contato com o Arte na Escola visando futuras parcerias por meio do projeto Lendo Filmes, elaborado pela professora Mara Salla, coordenadora do curso de Cinema da Unisul.

 

A reunião também contou com a participação de Roseli Alves, coordenadora geral do Instituto Arte na Escola SP.

 

PPGCL


Instalação usa tecnologia para voltar ao passado

 

(22/04/2013) "Escafandro do tempo profundo", instalação interativa apresentada na Semana dos Povos Indígenas, faz com que estudantes tenham acesso a tecnologias avançadas para, ao mesmo tempo, conhecerem mais sobre a história dos povos antigos.

 

Semana de Povos Indígenas instalação interativa

 

À primeira vista, a instalação nos remete ao futuro. Imagens projetadas nas paredes de uma das salas do Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia da Unisul (Grupep), tabletes e códigos espalhados num ambiente com pouca luz. No entanto, um olhar mais apurado revela cerâmicas e instrumentos de povos antigos, e até mesmo um sítio arqueológico simulado. Trata-se do “Escafandro do tempo profundo”, instalação interativa realizada pela Semana dos Povos Indígenas onde o passado e o futuro ocupam o mesmo espaço.

 

Os estudantes entram na sala e são convidados a participar de um jogo, onde utilizam tabletes para descobrir o que escondem os QR Codes, códigos de barra bidimensionais, que estão por toda a parte. Cada um deles traz uma informação nova sobre povos antepassados. A intenção é simular as etapas de trabalho de um arqueólogo, que procura indícios para conhecer mais sobre as culturas antigas.

 

A brincadeira foi desenvolvida pelos professores Daniel Signorelli e Daniel Izidoro, junto a acadêmicos das disciplinas de Mídias Digitais e Linguagens Híbridas, dos cursos de Jornalismo e de Cinema da Unisul Pedra Branca, com apoio do Grupep, que realiza a Semana dos Povos Indígenas. “Usamos a tecnologia para voltar ao passado. Tivemos o cuidado de, durante o processo de criação, utilizar as memórias sociais, como a música que serve de trilha para a apresentação, que é de tradição Guarani”, explica o professor Daniel Izidoro.

 

“Nunca tinha visto algo parecido. Achei tudo muito interessante”, diz o estudante do primeiro ano do Ensino Médio da escola João XXIII, Bruno Pereira Marques, que visitou a instalação na tarde desta sexta-feira (19/4). A professora de Língua Portuguesa da escola, que acompanhou os alunos, destacou a surpresa: “quando se fala em arqueologia, pensamos sempre que vamos encontrar apenas materiais antigos. Mas dessa vez foi diferente. A união desses dois mundos deu certo”, afirmou.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Alunos do Dehon aprendem nas escavações

 

(22/04/2013) Durante as atividades na 8ª Semana dos Povos Indígenas, os estudantes participaram de escavação arqueológica, pescaria e teatro.

 

Semana de Povos Indígenas movimenta os estudantes

 

Os alunos do 1º ao 5º ano do Colégio Dehon realizaram nesta semana uma visita a 8ª Semana dos Povos Indígenas, evento promovido pelo Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep) da Unisul. Os estudantes participaram de diversas atividades que visam à conscientização da importância dos povos indígenas.

 

De acordo com a professora do 5º ano, Gladys Lima Floriano da Silva, é essencial que as crianças participem de atividades de conscientização a respeito do meio ambiente. “É uma forma divertida de aprendizado. O grupo e as pessoas envolvidas nos projetos da 8ª Semana dos Povos Indígenas estão de parabéns. Os alunos adoraram tudo. Está muito bem organizado”.

 

Teatro, simulação de escavação arqueológica, pescaria e jogos relacionados ao tema foram algumas das atividades programadas. Para a aluna da 5ª série Camilly Mazzuco, a visita foi bem legal. “Gostei mais da escavação, pois aprendi a cavar como os arqueólogos fazem e também aprendi sobre os índios”.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Estudantes qualificam projetos de tese em Pedra Branca

 

(19/04/2013) Os doutorandos Claudinei Zunino e Carolina Bithencourt Rubin apresentaram seus projetos de tese nos dias 3 e 10 de abril, respectivamente, no campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Discurso de divulgação  e  Subjetivação corporal em destaque

 

Claudinei apresentou seu projeto de tese intitulado “Discurso de divulgação: A Bossa Nova e Vinicius de Moraes”. “Pretendo desenvolver as análises a partir da forma como circula e circulou a obra de Vinicius de Moraes, dentro do universo simbólico da Bossa Nova, em diferentes materialidades: dentro do livro didático (marcado pelo discurso pedagógico), dentro do livro científico (marcado pelo discurso da ciência), dentro de jornais, revistas e documentários (marcados pelo discurso midiático) e na internet (marcado pelo discurso da internet), em diferentes momentos”, explica o estudante.

 

O projeto de Claudinei foi aprovado por banca formada pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo, orientadora, Dra. Nádia Régia Maffi Neckel e Dra. Jussara Bitencourt de Sá, avaliadoras.

 

Carolina, por sua vez, apresentou sua pesquisa intitulada “Os modos de subjetivação corporal feminino: Rainhas de bateria e a (re)construção do corpo”.  O projeto de tese da estudante tem por objetivo investigar os modos de subjetivação corporal feminino determinado por diferentes funcionamentos discursivos sustentados pelo marketing, tomando como corpus investigativo os perfis de Rainhas de Bateria do carnaval do Rio de Janeiro no ano de 2013 veiculados na mídia por meio das redes sociais no Facebook.

 

Compuseram a banca de avaliação de Carolina as professoras Dra. Nádia Régia Maffi Neckel, orientadora, Dra. Solange Maria Leda Gallo e Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, avaliadoras.

 

Na foto, Carolina Bithencourt Rubin apresenta seu projeto de tese.

 

PPGCL


Grupep promove 8ª Semana dos Povos Indígenas

 

(12/04/2013) A 8ª Semana dos Povos Indígenas, desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa em Educação Patrimonial e Arqueologia (Grupep) da Unisul, acontece entre os dias 15 e 19 de abril, e explora a temática “Outras culturas, múltiplas linguagens: o patrimônio marinho e costeiro do Sul de Santa Catarina”. O evento, que conta a participação do Grupo Manuí, comemora o Dia do Índio, celebrado no próximo dia 19. Várias atividades, que visam à conscientização da importância dos povos indígenas, estão programadas para a semana.

 

Saiba mais sobre o Grupep e sobre o evento

 

O Grupep busca transmitir conhecimentos em relação ao Patrimônio Arqueológico. Para isso, promove jogos, exposições, teatros e uma série de outras apresentações. A cada ano, o grupo busca novas metodologias e temáticas para serem transmitidas.

 

Cerca de 2 mil alunos de diferentes escolas da região devem prestigiar as exposições e as atividades artísticas, que vão acontecer no Salão Nobre da Unisul. São estudantes de escolas estaduais, municipais e particulares, das cidades da região. Segundo a coordenadora do Grupep, professora Deisi Farias, a participação dos alunos cresce a cada ano.

 

A pesquisadora do Grupep Bruna Cataneo defende que “o conhecimento é a arma para a preservação”. Por isso, na Semana dos Povos Indígenas, são utilizadas metodologias diferentes para levar a informação e conscientizar as pessoas.

 

As atividades previstas no evento são: Exposição Interativa, Trilha da Preservação do Meio Ambiente, Batalha Naval contra a destruição do meio ambiente, Teatro de Fantoches, Espaço Infantil, Escavação Arqueológica Simulada, Pescaria, Espaço de jogos com: jogos de tabuleiro, de cartas, da memória e quebra-cabeça adaptados à temática do evento.

 

O evento vai ser aberto no dia 15 de abril com palestras no Salão Nobre às 19h30. Podem participar professores, acadêmicos e comunidade em geral. De 16 a 19 ocorrerão atividades ludo-pedagógicas direcionadas ao público do Ensino Fundamental e Médio, comunidade acadêmica e público em geral. As atividades ocorrem durante o dia, das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas, no Espaço Educativo do Grupep-Arqueologia (EEDUG), localizado no Prédio Sede da Unisul, Campus Tubarão.

 

Visitas podem ser agendas previamente pelos telefones (48) 3621-3909 e 3621-3195, com Bruna Cataneo Zamparetti e/ou Denise Pereira Antônio ou por e-mail para povosindigenas@unisul.br e/ou grupep@unisul.br.

 

Unisul Hoje


Curso de Letras busca se adequar à cultura digital

Acadêmicos do curso de Letras em registro de 2012

(10/04/2013) Com o novo projeto pedagógico, que objetiva atender ao programa de Educação Permanente da Universidade, o curso de Letras busca a atualização para formar profissionais capazes de trabalhar com a internet.

 

Adequando-se a cultura digital

 

De acordo com a coordenadora, professora Jussara Bittencourt de Sá, a ideia foi se adequar aos novos tempos, nos quais a cultura digital passou a ocupar um grande espaço na linguagem. “Para que os nossos alunos saiam da Universidade capazes de trabalhar com a internet e analisar e avaliar os conteúdos, principalmente na literatura”, enfatiza Jussara.

 

A elaboração deste novo modelo, que já será implantado no segundo semestre de 2013, envolveu a participação da congregação do curso de Letras e do colegiado do programa de Ciências da Linguagem, com a orientação da Unidade de Articulação Acadêmica (UNA) de Humanidade e Artes.

 

Neste novo formato, o curso vai proporcionar uma interface com a comunicação e expressão. Na face didática, prepara o aluno para atuar em sala de aula, mas para atuar com as manifestações culturais e com a produção, correção e revisão de textos.

 

Serão implantadas também as certificações, nas quais acadêmicos de outros cursos terão a oportunidade de adquirir certas competências do curso de Letras. Dentre as certificações disponíveis estão ‘Criação e roteiro de resgate da memória e institucionais’, ‘Criação de roteiros ficcionais’, ‘Produção cultural e crítica literária’, ‘Produtor e revisor de textos’, ‘Corretor de textos’, ‘Fundamentos e libras’, ‘Estudos monográficos’ e ‘Estágio Supervisionado’.

 

A professora Jussara ainda ressalta que o curso procura interagir com outras licenciaturas e com os cursos de Comunicação Social, tanto na questão do aprimoramento intelectual, quanto na prática pedagógica. “É interessante o diálogo com a Comunicação Social, em especial, por causa das unidades de aprendizagem afins. O aluno que frequentar o curso de Letras e interagir com a Comunicação Social vai ter um conhecimento amplo das duas áreas, e vice-versa”.

 

Quanto à importância do novo modelo para o curso, Jussara salienta que estão sendo oportunizadas certificações, que visam à atuação em sala de aula, mas também em outras áreas, como nas mídias, entidades culturais, crítica cultural e nas artes visuais, como é o caso dos roteiristas. “Destacamos também a importância do curso de Letras para a formação do cidadão no exercício da sua cidadania. A relevância da Língua Portuguesa como conhecimento é para todas as áreas de atuação, integração e relações sociais”.

 

O curso de Letras da Unisul, com áreas de formação em Língua Portuguesa e Literatura, proporciona ao futuro profissional fundamentação teórica para as pesquisas linguística e literária, e o conhecimento crítico-interpretativo de expressões artísticas, como a literatura, a música, o cinema e as artes plásticas.

 

Unisul Hoje


Plataforma Brasil unifica registros de pesquisas

 

(10/04/2013) O Comitê de Ética em Pesquisa da Unisul (CEP) receberá pesquisas envolvendo seres humanos somente mediante encaminhamento on-line pela Plataforma Brasil, desde terça-feira (9). O objetivo é agilizar e facilitar o processo, além de possibilitar aos pesquisadores o acompanhamento de cada etapa.

 

Conhecendo a Plataforma Brasil

 

A Plataforma Brasil é uma base nacional e unificada de registros de pesquisas que envolvem seres humanos e foi desenvolvida pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Essa ferramenta possibilita que as pesquisas sejam acompanhadas em cada estágio, desde a submissão até sua aprovação, quando necessário, pelo CEP e Conep.

Por conta da mudança no processo, o
CEP-Unisul
 promoveu capacitações voltadas aos pesquisadores e professores, com informações e orientações sobre a Plataforma Brasil, além de sanar as principais dúvidas quanto ao uso da nova ferramenta. Segundo Josiane Prophiro, uma das coordenadoras do CEP-Unisul, houve um período de transição e adaptação ao uso da base de registros. “Desde setembro do ano passado estamos com as duas versões, tanto a versão impressa quanto a plataforma, para ter esse período de adaptação dos pesquisadores”, informa.

 

Também de acordo com Josiane, é natural que os pesquisadores tenham dúvidas referente à utilização da Plataforma Brasil. “Mas o interessante é que a própria ferramenta disponibiliza manuais, perguntas frequentes, central de ajuda, justamente para sanar as maiores dúvidas na hora de submeter o trabalho on-line. Está tudo disponível no site”, sugere.

 

Para Carine Ceratti, secretária administrativa do CEP-Unisul, a mudança no processo traz mais transparência não só para os pesquisadores. “Nós também vamos conseguir acompanhar com mais facilidade o projeto dos pesquisadores, e a nossa comunicação com eles, quando necessária, também será feita on-line, através da própria plataforma”, avalia.

Anteriormente, com a entrega de projetos impressos, os prazos eram mais longos e os projetos eram analisados mensalmente. Com o uso da Plataforma Brasil, os projetos são analisados quinzenalmente, o que agiliza prazos e torna o processo mais claro para os envolvidos

 

Unisul Hoje


O texto publicitário em sala de aula

 

(10/04/2013) Jucirlei Pereira Casagrande defendeu a dissertação intitulada “O texto publicitário em sala de aula: modos de produção de sentido na formação do sujeito leitor”, no último dia 1º, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Livro didático como objeto de pesquisa

 

Segundo Jucirlei, a pesquisa teve o objetivo de apresentar uma proposta de reflexão acerca do processo de produção de leitura do texto publicitário no livro didático Português Linguagens de William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães, do primeiro ano do Ensino Médio e analisar a funcionalidade desses textos na formação do sujeito-leitor.

 

“A leitura do texto publicitário permite ampliar o repertório do aluno para além do texto puramente verbal, ampliando sobremaneira a competência discursiva. Além disso, a publicidade faz parte do cotidiano do aluno, é um texto de grande circulação social e por isso, segundo as orientações da Proposta Curricular de Santa Catarina e dos Parâmetros Curriculares Nacionais, deve fazer parte das aulas de língua portuguesa a fim de um trabalho de produção de leitura”, explica.

 

De acordo com a pesquisadora, a dissertação foi embasada pelos conceitos da Análise do Discurso de linha francesa de Pêcheux e Orlandi que abordam a historicidade da constituição do sujeito, a ideologia como determinante na produção de sentidos e a leitura como o momento crítico da relação entre autor/texto/leitor.   

 

“Dentro dessa perspectiva de leitura como prática discursiva, o leitor é interpelado pela posição-sujeito que o afeta, (des)constrói o texto lido e atribui-lhe sentidos que nem sempre são os esperados pelo autor", esclarece. "Enfim, a pesquisa buscou investigar a postura do livro didático diante das recomendações do trabalho com a diversidade textual e da ampliação da capacidade leitora do aluno por meio de novas leituras, além daquelas comuns aos livros didáticos, a saber, o texto publicitário”, conclui.

 

A dissertação foi aprovada por banca composta pelos professores Dr. Sandro Braga – Unisul, orientador; Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini – Unicamp, avaliadora externa; e Dra. Maria Marta Furlanetto – Unisul avaliadora interna.

 

PPGCL


Memória e identidade é tema de seminário

 

(10/04/2013) A professora Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini, da Universidade Estadual de Campinas, apresentou o seminário intitulado “Memória e identidade”, no último dia 1º, no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Memória em destaque

 

Inicialmente, Coracini traçou uma perspectiva por várias abordagens teóricas trazendo à baila concepções para a compreensão do que é a memória.

 

Partindo da abordagem histórica remontada a Aristóteles, passou pela concepção psicológica e cognitivista até chegar à abordagem discursiva.

 

Na sequência, apresentou um panorama de uma abordagem a qual se inscreve e que intitula como perspectiva discursiva desconstrutivista, numa interface entre análise do discurso, psicanálise e as formulações de Derrida em torno da questão da desconstrução.

 

Por fim, a professora pontuou como as questões de/da identidade estão calcadas entre aquilo que é esquecido e o que emerge enquanto memória constituída pelo inconsciente na relação entre o eu e o grande Outro.

 

PPGCL


PPGCL prorroga inscrições para Mestrado e Doutorado

 

(27/03/2013) Inscrições para os cursos de Mestrado e de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem são prorrogadas até o dia 03 de maio de 2013. As datas da seleção e das matrículas foram mantidas.

 

Prorrogação

 

Estão prorrogadas as inscrições, até o dia 03 de maio, para os cursos de mestrado e doutorado, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem. “A hipótese de prorrogação já estava definida nos editais”, explica o professor Fábio José Rauen, coordenador do Programa.

 

“Essa medida não deve causar nenhum prejuízo aos candidatos que já formalizaram suas inscrições. Aos candidatos que já se inscreveram, será facultada a revisão de seus anteprojetos e documentação”, complementa Rauen.

 

Incentivos

 

Este ano, o Programa disponibiliza 1 bolsa integral e 3 bolsas de isenção de mensalidade para o mestrado e duas bolsas de isenção de mensalidade para o doutorado do Programa PROSUP/CAPES. Há também bolsas do Projeto Observatório da Educação. Outra possibilidade de bolsas é a participação de editais do Governo do Estado de Santa Catarina.

 

Além disso, para profissionais da Unisul, há desconto de 50% das mensalidades até o limite de 20% das vagas, ou seja, 2 bolsas para o doutorado e 4 para o mestrado. Alunos do doutorado que são egressos de mestrado da Unisul recebem 20% de desconto.

 

Os cursos

 

A área de concentração do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Linguagem é denominada Processos textuais, discursivos e culturais. No programa, são promovidas pesquisas sobre a linguagem em suas dimensões textual: discursiva e cultural e se desenvolvem a pesquisa e a produção do conhecimento em linguagem, bem como na docência do ensino superior.

 

O processo seletivo tem duas fases, avaliação do conhecimento do candidato, através de exame escrito, e classificação dos candidatos aprovados em cada linha de pesquisa, mediante entrevista e avaliação do anteprojeto e do currículo. O candidato deve optar por uma das duas linhas de pesquisa. Texto e Discurso ou Linguagem e Cultura.

 

O Mestrado tem a duração de 24 meses e o Doutorado de 48 meses. Ambos ocorrem nos dois campi da Unisul, Tubarão e Grande Florianópolis – Pedra Branca.

 

O Campus da Grande Florianópolis, em Palhoça, concentra aulas e atividades curriculares nas segundas e terças-feiras, nos turnos matutino e vespertino. O Campus de Tubarão concentra aulas e atividades curriculares nas quintas, turnos vespertino e noturno, e sextas-feiras, turnos matutino e vespertino.

 

Para o curso de mestrado, o investimento é de 36 parcelas no valor de R$ 831,53. Para a formação no doutorado são 36 parcelas de R$ 1.016,32.

 

Informações podem ser obtidas no site www.unisul.br/linguagem, no e-mail ppgcl.sec@unisul ou no telefone (48) 3621 3369.

 

PPGCL


PPGCL tem projeto aprovado no edital OBEDUC

 

(22/03/2013) O projeto “As práticas cotidianas do ensino médio inovador na rede pública estadual da microrregião de tubarão SC: a cultura escolar e a formação cidadã”, coordenado pela professora Deisi Scunderlick Eloy de Farias, foi aprovado no edital 49/2012 do Observatório da Educação – OBEDUC.

 

Discutindo práticas cotidianas no ensino médio inovador

 

A pesquisa tem como finalidade investigar a cultura e a formação cidadã, discutindo as práticas cotidianas no ensino médio inovador da rede pública estadual da microrregião de Tubarão SC.

 

“A Pesquisa deverá acontecer em seis escolas com implantação do ensino médio inovador, com ampliação de tempo” comenta a professora Deisi. “Essas escolas possuem realidades distintas, tanto no tempo de implementação da proposta, como nos resultados até agora alcançados”, comenta.

 

A Proposta Curricular de Santa Catarina (1998) na sua concepção traz a teoria histórico-cultural, na qual o ser humano é visto como um ser social, resultado de um processo histórico, conduzido pelo próprio homem.

 

“Nesse sentido, a escola precisa valorizar a cultura de estudantes como ponto de partida para otimização do saber produzido, sem desconsiderar a cultura dos professores, como principais agentes de transformação das políticas educacionais em ação efetiva em sala de aula, explica.

 

“A análise da cultura e o modo como a escola se desafia a formar cidadãos será foco da pesquisa, que contribuirá para a melhoria do ensino médio inovador nestas escolas e nas próximas a serem implantadas”, finaliza.

 

PPGCL


PPGCL inicia ano letivo

 

(08/03/2013) Primeira semana de março é marcada pelo início das aulas no Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem - PPGCL. Na segunda e terça (4 e 5), iniciaram os Tópicos Especiais na Pedra Branca e, na quinta e sexta (7 e 8), em Tubarão.

 

Ano de 2013 inicia-se com tópicos especiais

 

Nesta segunda-feira (4) iniciaram-se as atividades letivas para os estudantes de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem do campus da Pedra Branca. Foram ofertadas as seguintes disciplinas: Semiótica, prof. Aldo Litaiff; Teoria da Imagem, prof. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos; Cultura de massas: caracterizando narrativas híbridas, profa. Dilma Beatriz Rocha Juliano; Pesquisa e ensino em análise do discurso, prof. Sandro Braga; e Discurso, Cultura e Mídia I e II, profas. Solange Gallo, Giovanna Flores e Nádia Neckel.

 

Ontem (7) foi à vez do campus de Tubarão iniciar suas atividades. As disciplinas iniciadas foram: Identidade cultural, representações e migrações, profas. Deisi de Farias e Jussara Sá; Processos culturais, sociais e midiáticos, profa. Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes; Pesquisa e ensino em análise do discurso, profas. Maria Marta Furlanetto e Andréia Daltoé; Análise do discurso e psicanálise, prof. Maurício Eugênio Maliska; Cinema, Política e Cultura: Cinemas Mundiais, profas. Alessandra Brandão e Ramayana Lira.

 

As disciplinas denominadas Tópicos Especiais consistem em discussões teórico-práticas emergentes, correlacionadas com a área de concentração e linhas de pesquisa do PPGCL.

 

PPGCL


Mestrado e Doutorado estão com inscrições abertas

 

(08/03/2013)  Estão abertas, até o dia 29 de março, as inscrições para os cursos de Mestrado e de Doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem - PPGCL. No Programa, são promovidas pesquisas sobre a linguagem em suas dimensões textual, discursiva e cultural. Os cursos desenvolvem a pesquisa e a produção do conhecimento em linguagem, bem como na docência do ensino superior.

 

Conhecendo o PPGCL e a Seleção

 

A área de concentração do PPGCL é denominada Processos textuais, discursivos e culturais. O mestrado tem a duração de 24 meses e o doutorado de 48 meses. Ambos ocorrem em dois campi da Unisul, Tubarão e Grande Florianópolis – Pedra Branca.

 

O processo seletivo tem duas fases, avaliação do conhecimento do candidato, através de exame escrito, e classificação dos candidatos aprovados em cada linha de pesquisa, mediante entrevista e avaliação do anteprojeto e do currículo. O candidato deve optar por uma das duas linhas de pesquisa: Texto e Discurso ou Linguagem e Cultura.

 

O Campus da Grande Florianópolis, em Palhoça, concentra as aulas e as atividades curriculares nas segundas e terças-feiras, nos turnos matutino e vespertino. O Campus de Tubarão concentra as aulas e atividades curriculares nas quintas, turnos vespertino e noturno, e sextas-feiras, turnos matutino e vespertino.

 

Para o curso de mestrado, o investimento é de 36 parcelas no valor de R$ 831,53. Para a formação no doutorado são 36 parcelas de R$ 1.016,32. Em 2013, será oferecido desconto pontualidade de 20% aos alunos de Doutorado que sejam egressos de cursos de Mestrado da Unisul.

 

PPGCL


Professora Nádia participa de mesa redonda na UFSM
 
(01/03/2013) A professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel participou de mesa redonda intitulada “Discurso e imagem: questões de arquivo”, na última segunda-feira (25), na Universidade Federal de Santa Maria/RS.
 
Exposição “Jorge Amado é Universal” 
 
Na mesa redonda Nádia abordou questões a respeito dos conceitos de inscrição e memória discursiva a partir do imbricamento de materialidades significantes que produzem sentido(s) no Museu de Língua Portuguesa durante a exposição “Jorge Amado é Universal”. 
 
“Apresentei uma breve análise das imagens e do projeto curatorial  a fim de compreender os processos de identificação/desidentificação por meio das projeções sensíveis (NECKEL, 2010) na leitura de objetos simbólicos que têm na língua, na cultura e no patrimônio museal contemporâneo, seus territórios estéticos/estésicos de equívoco e de contradição das posições sujeito de leitores e seus autores”, explica.
 
Compuseram a mesa redonda as professoras Nádia Régia Maffi Neckel (UNISUL) e Lucília Romão (USP de Riberão Preto) com a mediação da professora Simone de Oliveira (UFSM).
 
PPGCL

Reunião traça planejamento de 2013

 

(22/02/2013) Docentes e colaboradores do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem reuniram-se nesta última quarta (20) no Campus da Pedra Branca para traçar o planejamento das atividades de 2013. Na pauta, entre outros assuntos, a consecução do curso de doutorado, a situação acadêmica dos estudantes, o processo seletivo e a coleta de dados da Capes.

 

Encontro produtivo

 

A reunião iniciou com a discussão e a homologação dos editais de seleção. “Este ano o PPGCL abre 12 vagas para o doutorado e 20 vagas para o mestrado”, comenta o professor Fábio Rauen, coordenador do PPGCL.

 

Em seguida, foram discutidos casos pontuais envolvendo estudantes e orientação, bem como desempenho dos estudantes, principalmente dos que estão com o prazo de conclusão de curso expirando. “O ano de 2013 é especial, porque será marcado pelas primeiras defesas de doutorado”, complementa o coordenador.

 

Após outros assuntos, a reunião encerrou-se com a divulgação dos dois eventos que serão organizados pelo PPGCL em 2013: o SIMFOP, em parceria com demais cursos de Tubarão, e a SOCINE, na Pedra Branca.

 

PPGCL

 


Tese analisa imigração alemã, memória e esquecimento

 

(17/02/2013) A doutoranda Marilene Teresinha Stroka defendeu, nesta última quinta (13), sua tese intitulada “A memória em movimento: do esquecimento à lembrança”. Quarta tese do PPGCL, o trabalho foi apresentado às 15 horas no Auditório Anfiteatro, Bloco C, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Constituição do imigrante alemão e seus descendentes

 

Segundo Marilene, o objetivo que sustenta a tese está pautado no funcionamento da memória e esquecimento do sujeito imigrante alemão que colonizou a região norte de Santa Catarina, particularmente na campanha de nacionalização do Estado Novo (1937-1945) no Governo de Getúlio Vargas através de uma política lingüística de interdição da língua alemã.

 

“Meu objetivo foi o de compreender como os discursos se produzem e se fixam como memória e como esquecimento para os imigrantes alemães e seus descendentes no processo da nacionalização do Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-1945) e na contemporaneidade.”

 

O imigrante e seus descendentes, de acordo com a pesquisadora, foram chamados a se representarem como brasileiros pelo Estado Nacional, em nome de um ideal nacionalista, ancorado por uma língua imaginária que sustentaria a consolidação do Brasil como nação. Era uma forma de produzir um “bom brasileiro”, inscrevendo-se como sujeito nacional e apagando as imagens de um sujeito estrangeiro, que tinha sua língua com ancoragem de uma identidade outra.

 

“A (con)fusão das duas línguas, fez com que o imigrante criasse uma língua dentro de sua própria língua como forma de poder se fazer representar dentro dela, reinventando a sua língua através da apropriação da língua do outro”, explica Marilene.

 

Através da lei de proibição da língua, os imigrantes e seus descendentes sentiam-se pressionados a inscreverem-se como sujeitos brasileiros tendo que apagar todos os elementos constitutivos de ser alemão.

 

Identidade Imigrante

 

Partindo da concepção de que a identidade é um processo inacabado, sempre em formação, é importante ressaltar que o sujeito imigrante vai sendo interpelado por todos esses sentidos, que passam a ser constitutivos de sua identidade. Uma identidade sendo construída nos entremeios de múltiplos discursos.

 

“Foi possível, por meio da pesquisa, compreender que nenhum sentido pode ser calado totalmente, enquanto houver sujeitos com ele identificados, e que nenhuma política é capaz de impedir essa identificação. No entanto, como pudemos também compreender, toda política de Estado afeta os modos de identidade dos sujeitos e o seu poder (poder dizer, poder fazer, poder sentir)”, finaliza a estudante.

 

A tese da estudante foi avaliada, e aprovada com louvor, por banca formada pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo – UNISUL (orientadora), Dra. Maria Onice Payer - UNICAMP (avaliadora), Dra. Beatriz Maria Eckert-Hoff – UDF (avaliadora), Dra. Nádia Régia Maffi Neckel – UNISUL (avaliadora) e Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (avaliadora).

 

 

Na foto principal, um flagrante da doutoranda no momento da apresentação. Logo abaixo, a estudante posa com a banca avaliadora, da esquerda para a direita: Dra. Nádia, Dra. Onice, Marilene, Dra. Solange, Dra. Beatriz e Dra. Jussara.

 

PPGCL

MAIS NOTÍCIAS DO PROGRAMA

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:  Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061