PORTAL UNISUL     BIBLIOTECA    ACERVO     BASE DE DADOS      DISSERTAÇÕES     TESES     PORTAL DE PERIÓDICOS     MINHA UNISUL     FALE CONOSCO

Página Inicial > Notícias > Notícias de 2011

 

Notícias

Página Principal

Notícias do Front

PPGCL na TV

Notícias de 2018

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Notícias de 2006

Notícias de 2005

Notícias de 2004

 

 

Notícias

2011


PPGCL encerra mais um ano repleto de realizações

 

(22/12/2011) Ano letivo termina quinta (22) com 21 dissertações defendidas, várias publicações de docentes e discentes e a realização de diversos eventos acadêmicos. Recesso vai até 31 de janeiro.

 

Conquistas e realizações

 

Chegamos a mais um final de ano comemorando muitas conquistas e realizações. Longe de sermos exaustivos, segue uma pequena lista.

 

Nossa equipe de docentes foi reforçada com a participação das professoras Andréia Daltoé e Giovanna Flores. Andréia Daltoé defendeu a tese “As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política” no dia 20 de outubro na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Giovanna Flores defendeu a tese “Os sentidos de nação, liberdade e independência na imprensa brasileira (1821-1822) e a fundação do discurso jornalístico brasileiro” no dia 31 de outubro na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Com isso, o Programa passou a ter quatro docentes de cada linha tanto no Campus de Tubarão quanto no Campus de Florianópolis.

 

As revistas científicas Linguagem em (Dis)curso, Crítica Cultural e Ciência em Curso seguem suas trajetórias de sucesso, publicando textos relevantes não somente para a Área de Letras e Linguística como também para a área de Comunicação em geral.

 

Fechamos 2011 com 21 dissertações defendidas. Estudantes do doutorado estão desenvolvendo seus projetos de tese e suas teses, projetando para breve as primeiras defesas. O Programa conta atualmente com 35 alunos de mestrado e 41 alunos de doutorado, já revelando a mudança de perfil instalada com a criação do doutorado em 2009. Além disso, o Programa vem atraindo a atenção de doutores para fazer estágio pós-doutoral na Universidade.

 

Internamente, destaca-se a Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação (11 projetos) e os Seminários Avançados (15 ensaios). Além disso, houve as Oficinas de Pesquisa e a promoção de 9 Seminários de docentes externos em 2011 e o Projeto Cine Clube Cinema em Transe foi destaque no Campus Sul.

 

Em 2011, o Programa participou dos eventos promovidos pela CAPES, Abralin, Anpoll e passou a fazer parte da Rede Sul de Pesquisa em Letras e Linguística. Ratificando a liderança acadêmica na área de letras e de comunicação, a professora Alessandra foi empossada na Secretaria da Diretoria da SOCINE e a professora Ramayana tomou posse no Conselho Deliberativo. Em 2013, a Unisul será sede do Encontro da SOCINE, um dos eventos mais prestigiados de cinema do país.

 

Nossa professora Jussara Sá passou a coordenar o Curso de Letras da Unisul e nossa egressa Mara Sala passou a coordenar o curso de Cinema. Apoiando a graduação, o Programa teve papel relevante na organização do III Simpósio de Formação de Professores em Tubarão, bem como nas atividades do JUNIC e do PIBID.

 

Um conjunto expressivo de trabalhos acadêmicos de docentes e de discentes foi apresentado em vários eventos, entre os quais: o XX Seminário do CELLIP (UEL, Londrina, PR); o Simpósio Internacional Linguagens e Culturas (UFSC, Florianópolis, SC); o V SEAD (UFRGS, Porto Alegre); o VI SIGET (UFRN, Natal, RN); o I SIELP (UFU, Uberlândia, MG); III CONALI (UEM, Maringá, PR); entre outros. Além disso, as professoras Alessandra Brandão e Ramayana Lira, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, apresentaram resultado de pesquisa sobre o documentário brasileiro contemporâneo em conferência internacional na Universidade de Tulane, em New Orleans, nos EUA.

 

Projeto “As relações culturais e artísticas e a preservação de patrimônio material e imaterial implicados no desenvolvimento regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville” produziu três eventos em 2011 em Canoinhas, Joinville e Palhoça, respectivamente. Além disso, o projeto rendeu os livros: “Cultura: faces do desenvolvimento”, publicado pela editora Nova Letra e “Ciência e Cultura”, publicado pela editora Unisul.

 

Egressos do PPGCL publicaram três livros em 2011. Nelson Baibich lançou o livro “O Vai e Vem do Verso”; Mário Abel Bressan Júnior lançou o livro “Semiótica do Crime: a semiótica da narrativa na telenovela”; e Alexandre de Medeiros lançou o livro “Viajando pelas fronteiras de Santa Catarina: da gênese à atualidade”.

 

Ainda em 2011, o Catálogo de Bolonha incluiu o livro “Literatura infantil e juvenil: leituras, análises e reflexões”, organizado pelas professoras Eliane Debus, Chirley Domingues e Dilma Juliano, dentre os livros selecionados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

 

Cartão de Natal Acadêmico

 

Enfim, 2011 foi um ano em que o PPGCL deu passos largos em direção a sua consolidação como vetor de qualificação da Universidade. Destaque-se, contido, que nenhuma dessas realizações e conquistas seria possível sem o apoio de nossos docentes e de nossas secretárias, da Universidade como um todo, e, sobretudo, de nossos discentes, razão pela qual nenhum pedido de agradecimento é suficiente.

 

Fechando o mês de dezembro, temos o prazer de entregar à comunidade acadêmica mais um número de Crítica Cultural (v. 6, n. 2) e de Linguagem em (Dis)curso (v. 11, n. 3), bem como mais uma edição de nosso anuário de notícias.

 

Seguem os mais efusivos votos de um feliz natal e de um próspero ano novo.

 

Fábio José Rauen


Professores da UnA Educação, Humanidades e Artes reúnem-se

 

(19/12/2011) Professores da UnA Educação, Humanidades e Artes reuniram-se para discutir a avaliação do processo de elaboração das certificações 2011 e os encaminhamentos para 2012, nesta última sexta (16) no auditório do Centro de Convivências da Unisul em Tubarão.

 

Retrospectiva e prospectiva

 

Na reunião, de maneira geral, fez-se uma retrospectiva das atividades ocorridas ao longo de 2011 e discutiram-se as propostas a serem desenvolvidas em 2012.

 

As professoras Márcia Neu, coordenadora da UnA, e Tânia Fernandes, assistente pedagógica, relataram as certificações que foram elaboradas e apresentadas no Seminário da UnA. “Todas as etapas de elaboração das certificações previstas para 2011 foram cumpridas”, comenta Márcia. "Em fevereiro de 2012, será realizada a revisão das certificações já elaboradas, bem como os ajustes necessários que caracterizam o novo modelo”, completa.

 

Outros itens abordados na reunião foram às atividades e os ambientes formativos. “É importante definir as atividades e os ambientes formativos, considerando a competência, as habilidades e os conteúdos que se pretende desenvolver em cada certificação”, explica Tânia. “A atividade formativa deve priorizar indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão”, completa.

 

Na reunião, o grupo sugeriu um Programa de Estudos Superiores em Ciências da Linguagem, um Programa de Estudos Superiores em Ciências da Educação e um Programa de Estudos Superiores em Ciências Humanas para abranger a Graduação, os Cursos livres e os Programas de Pós-graduação permitindo maior mobilidade e interfaces das certificações.

 

Por fim, a professora Márcia Neu apresentou o cronograma do PROFOCO 2012 e aproveitou a ocasião para convidar os professores a participar do evento.

 

Participaram da reunião os professores Alexandre Motta, Andréia Daltoé, Claúdio Damaceno Paz, Deise de Farias, Fábio José Rauen, Ilza Laporta, Jussara Bitencourt de Sá, Márcia Neu, Maria Miranda da Silva, Mariléia Mendes Goulart, Suelen Francez Machado e Tânia Fernandes.

 

Confraternização

 

Na véspera (15), as professoras Márcia Neu e Tânia Fernandes organizaram um almoço com o intuito de reunir os professores que compõem a UnA Educação, Humanidades e Artes e de homenagear as professoras que participaram da UnA e que já se aposentaram. Na ocasião, foram homenageadas as professoras Olga Maria Benedet e Eulélia Henrique.

 

Na foto, o grupo registra o momento.

 

PPGCL


Acadêmicas de Letras e Mestranda ganham concurso literário

 

(15/12/2011) Sheila Farias e Daniele Souza Farias, acadêmicas do curso de Letras, e Sheyla de Souza Bittencourt, mestranda em Ciências da Linguagem, receberam premiações no XII Concurso Literário da Academia Criciumense de Letras – ACLE, na noite da última quinta (8).

 

Academia Catarinense de Letras premia alunas da Unisul

 

Sheila Farias obteve o primeiro lugar no gênero Poema com a obra De Faísca. Além de receber menções honrosas pelos poemas Maria e Blecaute, Daniele Souza Farias ficou em segundo lugar no gênero Conto com a obra O início da corrupção. Quem ficou com o terceiro lugar no gênero Poema, foi a recém formada em Letras pela Unisul e agora mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, Sheyla de Souza Bittencourt com a obra 03h45min.

 

Jussara Bittencourt de Sá, professora e coordenadora do Curso de Letras e também professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, acompanhou as alunas, recebeu elogios por parte das autoridades presentes no evento e foi homenageada em nome da Unisul. “Eu e as alunas vencedoras do concurso sentimo-nos gratificadas com as premiações e com o reconhecimento da sociedade catarinense”, finaliza.

 

O concurso foi dividido entre categorias Infantil, Infanto-juvenil, Adulto e Maturidade. Cada categoria foi subdividida em gêneros como Conto, Poema e Crônica. Alunos de quaisquer instituições poderiam inscrever suas obras no concurso. A Unisul foi homenageada pela ACLE por ser o local de estudos das acadêmicas.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Dissertação discute influência do gabarito na correção de interpretação

 

(13/12/2011) A estudante Marina de Lima Cardozo defendeu a dissertação intitulada “Influência do gabarito na correção de interpretação textual por docentes de língua portuguesa: análise com base na Teoria da Relevância”, na última sexta (9), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

Avaliando interpretações de texto

 

De acordo com a estudante, a pesquisa buscou verificar, com base no aparato descritivo e explanatório da Teoria da Relevância de Sperber e Wilson, a influência de um gabarito na avaliação de cinco docentes de Língua Portuguesa de seis interpretações do texto O que é filosofia?, elaboradas por seis estudantes do ensino médio que ela denominou de verossímeis.

 

“Para realizar a pesquisa, o texto de base foi analisado a partir das noções teóricas de forma lógica, explicatura e implicatura”, explica. “Fundamentado nessa análise, aplicaram-se cinco questões interpretativas a alunos da primeira série de uma escola de ensino básico da rede pública estadual de Santa Catarina”, completa.

 

Segundo Marina, a partir das respostas desses alunos, elaboraram-se seis interpretações verossímeis com diferentes graus de fidelidade textual a um gabarito especialmente construído para a avaliação da tarefa.

 

“De posse do texto e do gabarito, foi solicitado a cinco docentes de Língua Portuguesa que corrigissem as interpretações e justificassem os respectivos critérios de avaliação”, elucida. “Os dados sugeriram que as variáveis ‘tipo de resposta’ e ‘atribuição de acerto’ estão correlacionadas estatisticamente, pois 81.33% das respostas textuais foram aprovadas contra 22,66% das respostas inferenciais e 5,33% das respostas textuais foram reprovadas contra 49,33% das respostas inferenciais, apontando que as respostas que se aproximarem textualmente às respostas gabaritadas tendem a ser mais aprovadas”, completa.

 

Ainda segundo a pesquisadora, há um decréscimo da nota potencial dos estudantes conforme a quantidade de respostas inferenciais aumenta.

 

“Apesar de as respostas, em tese, serem corretas, apenas metade delas foi aprovada pelos docentes, não havendo evidências de interferência das questões elaboradas ou do docente avaliador nesse processo”, esclarece. “Todavia, do ponto de vista qualitativo, os achados sugerem que a avaliação foi feita com base nas inferências autorizadas pelos docentes com base em sua interpretação tanto do texto como do gabarito, verificando-se evidências de diferentes graus de consideração do gabarito conforme o profissional”, completa.

 

A dissertação de Marina foi aprovada com distinção por banca formada pelo professor Dr. Fábio José Rauen, orientador; pela professora Dra. Sídnei Cursino Guimarães Romão, UFU, avaliadora externa; e pela professora Dra. Andréia da Silva Daltoé, UNISUL, avaliadora interna.

 

PPGCL


Conferência aborda a construção do humor

 

(13/12/2011) A professora Dra. Sídnei Cursino Guimarães Romão, Universidade Federal de Uberlândia, ministrou a conferência intitulada “A bissociação: um paradoxo relevante para a construção do humor”, na última sexta (9), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

Buscando um mecanismo para explicar o humor

 

De acordo com a professora, sua pesquisa objetivou buscar um modelo de mecanismo para explicar como se estrutura o humor, partindo do conceito de bissociação de Koestler (1964) para a criatividade em geral; e verificar, com base na Teoria da Relevância proposta por Sperber e Wilson (1986) se esse paradoxo, criado pelo mecanismo da bissociação é justamente o recurso que torna ostensivo/relevante o texto humorístico. Em outras palavras, a professora apresentou um modelo de explicação do mecanismo do humor submetendo o conceito de bissociação aos princípios da teoria da relevância.

 

“O texto humorístico apresenta dois esquemas cognitivos de origem: o primeiro é formado pelas suposições contextuais processadas na parte do texto que precede o gatilho (enunciado final); o gatilho não é relevante, em relação ao primeiro esquema, por isso o leitor busca um dado que o torne relevante: reconhece a existência de um segundo esquema (congruente) de origem (até ali não cogitado, ausente do texto, mas indicado pelo gatilho”, explica.

 

Para Sídnei, a incongruência no humor é criada a partir do mecanismo da bissociação (sobreposição de esquemas de significados incompatíveis), que resulta num fenômeno lógico: um paradoxo. “Por resultar de um paradoxo, é inevitável ao raciocínio e causa surpresa, que leva ao riso”, comenta.

 

Na mesma tarde, a professora participou da defesa pública de dissertação de Marina de Lima Cardozo.

 

PPGCL


Filmes são objetos de análise

 

(13/12/2011) O estudante José Carlos dos Santos Debus defendeu a dissertação intitulada “O cinema que pensa a pedagogia: autonomia e emancipação nas práticas pedagógicas dos filmes O contador de histórias e Entre os muros da escola”, nesta última quinta (8), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

O cinema que pensa a pedagogia

 

Segundo Debus, a pesquisa buscou entender como as práticas pedagógicas projetadas nos filmes Entre os Muros da Escola (Laurent Cantet, 2008) e O Contador de Histórias (Luiz Vilaça, 2009) abrem-se aos conceitos de igualdade, liberdade, emancipação do indivíduo e mobilidade social.

 

“Tratam-se de filmes que usam o espaço escolar e educacional como lugar e construção da narrativa”, afirma. “Além de analisar os aspectos da linguagem cinematográfica, buscamos também, a partir deste contexto, analisar espaços de confluência entre a narrativa fílmica e a escola”, completa.

 

O estudante utilizou como referencial teórico reflexões sobre educação, cinema e multiculturalismo.

 

“Na educação, auxiliaram-nos as reflexões/experiências produzidas por Jacques Rancière e Paulo Freire. Para compreender e relacionar educação e multiculturalismo foi utilizado o arcabouço teórico desenvolvido por Stuart Hall, Homi Bhabha e Peter Mclaren. Para a leitura da análise fílmica utilizamos Francis Vanoye, Golliot-Lété e Ella Shohat e Robert Stam que nos possibilitaram uma análise mais abrangente com atenção à estrutura narrativa, às convenções do gênero e ao estilo cinematográfico”, explica.

 

Debus afirma que as narrativas fílmicas analisadas propiciaram uma reflexão sobre a ineficácia de antigos e atuais modelos de ensino. “Os filmes O Contador de Histórias e Entre os Muros da Escola evidenciaram uma conjuntura educacional atrofiadora e embrutecedora”, comenta. “Cabe ao nosso tempo o desafio de formular novos conceitos de convivência humana e construir currículos de ensino que possam modificar as atuais estruturas”, conclui.

 

A dissertação de Debus foi aprovada com distinção por banca formada pela professora Dra. Ramayana Lira de Sousa, orientadora; pela professora Dra. Monica Fantin, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Alessandra Soares Brandão, UNISUL, avaliadora interna.

 

PPGCL


Crianças, cinema e educação são discutidos em conferência

 

(13/12/2011) A professora Dra. Monica Fantin, Universidade Federal de Santa Catarina, ministrou a conferência “Crianças, cinema e educação”, nesta última quinta (8), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

A sociedade da comunicação

 

Segundo a pesquisadora, a realidade sociocultural da sociedade da comunicação é cada vez mais caracterizada pelo protagonismo das mídias. Por isso é preciso pensar nos problemas educativos e na formação cultural frente a estes novos desafios.

 

“Se o enfoque educativo em relação às mídias tradicionais era evitar o consumo passivo, hoje a questão é a de educar não só para o consumo responsável, mas para uma produção responsável”, comenta.

 

Desenvolvendo uma pesquisa

 

Acreditando que o uso de filmes na educação deve ser utilizado para além da ‘substituição’, a professora desenvolveu uma pesquisa de doutorado investigando a apropriação dos filmes feita pelas crianças em diferentes contextos socioculturais e as possibilidades de mediação escolar na experiência da significação.

 

“Nesta pesquisa procurei identificar em que medida a escola estaria sendo um espaço em que as crianças possam transformar a vivência passageira de uma prática cultural como ir ao cinema ou ver filmes em experiências de construção de significados narrados, refletidos e compartilhados, inclusive através de sua participação na criação de cultura”, explica.

 

De acordo com a professora, se o filme exercita novas sensibilidades, o diálogo das crianças com o filme inclui múltiplas interpretações e também pode ser mediado pelo olhar do outro.

 

“No contato direto com as crianças através da pesquisa de campo, observei muitas situações em que olhares, falas e interpretações de algumas crianças inspiravam as falas de outras, num entrecruzamento de ideias que se construíam na interação delas entre si, revelando também a interação simbólica delas com o filme, num verdadeiro processo de apropriação”, comenta.

 

No período em que desenvolvia a pesquisa no Brasil, a professora foi contemplada com uma bolsa de estudos que possibilitava desenvolvê-la também na Itália.

 

“Realizei também a pesquisa de campo numa escola italiana seguindo os mesmo procedimentos adotados na escola brasileira”, comenta. “Além da possibilidade de aproximação com crianças da escola italiana, de conhecer de perto a escola pública de outro país, de dialogar com seus profissionais também viabilizei uma forma de interlocução entre as crianças brasileiras e as italianas que participaram desta pesquisa”, completa.

 

Monica uniu pesquisa e experimentação com a aplicação de uma intervenção voltada para a produção de mídias com crianças na escola, no sentido de assegurar uma passagem das crianças espectadoras às crianças produtoras.

 

“Como havia percebido o interesse das crianças italianas pelas crianças brasileiras, viabilizei uma interlocução entre elas através de mensagens gravadas das crianças italianas, de cartas e da produção de um audiovisual em que as crianças brasileiras contaram e mostraram um pouco de suas vidas, sua cidade, sua escola, suas brincadeiras para ser enviado às crianças italianas”, comenta. “Junto com a professora da turma viabilizei o trabalho de produção de um audiovisual com as crianças, que se envolveram em todos os momentos de pré e pós-produção, através de oficinas de fotografia, análise de filmes, oficinas de roteiro, experimentações com a filmadora, filmagens, edição e exibição”, completa.

 

Segundo a professora, um tempo depois, as crianças italianas responderam comentando sobre o audiovisual e contando sobre a escola em que estudam.

 

“As crianças italianas ficaram encantadas com a beleza natural da cidade brasileira, com seu verde e com as praias tão próximas do centro. Elas acharam curioso o fato de que mesmo tão longe, muitas brincadeiras são comuns e ficaram particularmente curiosas com a capoeira, que não conheciam”, comenta. “Cinema que educa é o cinema que emociona, diverte e faz pensar”, conclui a professora.

 

Na mesma tarde, a professora participou da defesa pública de dissertação de José Carlos dos Santos Debus.

 

PPGCL


Rede Sul de Pesquisa em Letras reuniu-se em Porto Alegre

 

(05/12/2011) Coordenadores e representantes de 12 Programas de Pós-Graduação em Letras da Região Sul reuniram-se para organizar uma Rede de Pesquisas nesta última sexta (2) no Campus de Porto Alegre do Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter).

 

Parcerias em progresso

 

O objetivo da Rede de Pesquisas é estabelecer um amplo conjunto de iniciativas que promovam parcerias interinstitucionais entre os programas da Região Sul do Brasil, de modo a otimizar o desempenho de todos os programas associados.

 

“Vejo a criação da Rede como uma grande oportunidade estratégica de ampliar os contatos com os pesquisadores de nossa região”, disse o professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, que participou da reunião representando a UNISUL. “A criação da rede veio em boa hora, especialmente quando a palavra de ordem na CAPES é a formação de parcerias interinstitucionais”, complementa.

 

A reunião desta última sexta, dirigida pela professora Rejane Pivetta de Oliveira, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Linguagem, Interação e Processos de Aprendizagem da Uniritter, além de discutir pontos para a formação da própria rede, foi dedicada ao estudo de várias portarias da Capes e, em especial, a controversa criação de mestrados profissionais na área.

 

“A reunião permitiu analisar alguns pontos obscuros de um conjunto de portarias da Capes e avançar no entendimento do impacto da criação de mestrados profissionais nas licenciaturas em geral e na área de Letras em particular”, avalia Rauen.

 

Fazem parte da Rede até o momento os seguintes Programas.

 

Programa de Pós-Graduação em Letras: História da Literatura Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

 

Programa de Pós-Graduação em Lingüística e Letras Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade Católica de Pelotas (UCPEL)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras e Cultura Regional Universidade de Caxias do Sul (UCS)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

 

Programa de Pós-Graduação em Linguagem, Interação e Processos de Aprendizagem Centro Universitário Ritter dos Reis (UNIRITTER)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

 

Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Universidade de Passo Fundo (UPF)

 

Programa de Pós-Graduação em Letras - Literatura Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões (URI)

 

A próxima reunião da Rede será realizada no dia 3 de abril de 2012 na Universidade Federal de Pelotas.

 

PPGCL


Professoras do PPGCL participam da reunião do conselho da SOCINE

 

(07/11/2011) As professoras Alessandra Brandão e Ramayana Lira participaram, no último dia 31 de outubro, da reunião do conselho da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual.

 

Professoras Ramayana e Alessandra assumem suas funções na Diretoria da SOCINE

 

Na reunião, a professora Alessandra foi empossada na Secretaria da Diretoria da entidade e a professora Ramayana tomou posse no Conselho Deliberativo.

 

“A participação em associações de pesquisa é estratégica para a consolidação da pesquisa em audiovisual na Unisul”, lembra a professora Ramayana.

 

“Fazer parte da diretoria de uma associação como a SOCINE é oportunidade única para acompanhar de perto os caminhos da pesquisa, seja academicamente, seja em termos das políticas públicas”, completa a professora Alessandra.

 

Na última reunião a Unisul foi ratificada como sede do XVII Encontro Internacional da SOCINE, em 2013. As professoras Ramayana e Alessandra são unânimes em enfatizar a importância do evento para a região e para a Unisul, ressaltando que o prazo de dois anos para organizar o Encontro dá maior segurança e evita atropelos.

 

PPGCL


Cineclube reuniu alunos dos cursos de Relações Internacionais e de Direito

 

(07/11/2011) O Cineclube Cinema em Transe reuniu alunos dos cursos de Relações Internacionais e de Direito da Unisul para a exibição e o debate do filme “11 de Setembro” no último dia 27 de outubro, no campus de Tubarão da Unisul.

 

Encontro discute os 10 anos dos atentados de 11 de setembro

 

O Cineclube, coordenado pelas professoras Ramayana Lira e Alessandra Brandão do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e da Graduação em Cinema e Realização Audiovisual, criou uma oportunidade para, no ano que marca uma década dos atentados terroristas às Torres Gêmeas do World Trade Center em Nova York, discutir como o cinema pode ajudar na reflexão sobre o contexto contemporâneo, profundamente marcado pelo fluxo de pessoas e capitais, pelas desigualdades sociais e atritos culturais.

 

“O filme ‘11 de Setembro’ é, na verdade, um projeto que reúne 11 curtas-metragens de 11 minutos e 9 segundos, realizados por cineastas de vários países, que dão imagem às consequências dos ataques”, explica a professora Alessandra Brandão. “Analisar esses curta dá margem à compreensão da repercussão do atentado, que reverberou de maneiras distintas ao redor do globo”, completa.

 

A participação dos alunos foi intensa, questionando até que ponto os curtas mostravam um alinhamento à exploração midiática do ataque, que, muitas vezes, coloria com tintas ideológicas a ação, qualificando-a de um “ataque à civilização”.

 

“O filme ajuda a colocar em perspectiva essa ideia de choque de culturas e da ‘ofensa’ ao mundo ‘civilizado’. Curtas como o do diretor britânico Ken Loacj, por exemplo, lembram do apoio dos EUA ao golpe militar no Chile, fazendo um paralelo impressionante entre a retórica do ex-presidente estadunidense George W. Bush e a invasão promovida pelo Serviço Secreto americano ao solo chileno, culminando com o assassinato do presidente Salvador Allende”, avalia a professora Ramayana Lira.

 

Além da presença dos alunos dos dois cursos de graduação, a atividade contou com a participação da professora Carla Borba.

 

PPGCL


Coleção etnográfica é objeto de análise

 

(04/11/2011) A estudante Cristina Castellano defendeu a dissertação intitulada “Museu, linguagem e a Coleção Etnográfica Ticuna: a trajetória e os contextos”, nesta última segunda (31) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Estudo investiga linguagem em museus

 

A dissertação de Cristina buscou compreender a trajetória da Coleção Etnográfica Ticuna depositada no Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (MU) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em três contextos distintos: de sua produção e uso, de sua seleção e coleta, e de sua institucionalização museal.

 

“Ao ingressar no Mestrado em Ciências da Linguagem, tendo por preocupação a questão da linguagem em museus, tornou-se evidente para mim a necessidade de aprofundar-me em uma coleção etnográfica. Priorizei a Coleção Etnográfica Ticuna por ser a primeira a compor o acervo institucional do MU da UFSC e a primeira a ser reunida por Sílvio Coelho dos Santos, um dos maiores antropólogos de Santa Catarina”, explica a estudante.

 

“Busquei traçar a trajetória da coleção, conhecendo os contextos que a tangenciaram, o ambiente na instituição que a abriga (MU da UFSC), bem como todo o contexto da pesquisa de Sílvio Coelho dos Santos implicando na formação da coleção”, complementa a pesquisadora.

 

A dissertação de Cristina foi aprovada com distinção por banca formada pelo professor Dr. Aldo Litaiff, UNISUL, orientador; pela professora Dra. Teresa Domitila Fossari, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, UNISUL, avaliadora interna.

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação de Cristina Castellano. Mais abaixo, da esquerda para a direita, Teresa Domitila Fossari, Cristina Castellano, Aldo Litaiff e Jussara Bittencourt de Sá.

 

 

Edna Mazon


Giovanna Flores defende tese na Unicamp

 

(03/11/2011) Giovanna Benedetto Flores, egressa do PPGCL, defendeu a tese “Os sentidos de nação, liberdade e independência na imprensa brasileira (1821-1822) e a fundação do discurso jornalístico brasileiro” nesta última segunda-feira (31) na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

 

Recomendação de Publicação

 

Orientada pela professora Claudia Pfeiffer, a tese de Giovanna foi avaliada pelos professores Antonio Carlos Hohlfeldt (PUCRS), Telma Domingues da Silva (Univás), Susy Lagazzi (Unicamp) e Solange Gallo (Unisul).

 

“A tese de Giovanna foi aprovada com unanimidade pela banca, e os avaliadores ressaltaram o caráter exaustivo da pesquisa e recomendaram a publicação do trabalho”, destaca a professora Solange Gallo.

 

Giovanna tem atuado nos cursos de Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade/Propaganda) no campus de Pedra Branca. Em 2005, defendeu a dissertação “Entre a ciência e a mídia: um olhar da assessoria de imprensa” na Unisul, orientada pela professora Solange Leda Gallo. Em 2010, foi classificada em Processo Seletivo para Docentes do PPGCL.

 

Equipe de Docentes do PPGCL volta a contar com 16 docentes

 

Com as recentes defesas de doutorado das professoras Andréia da Silva Daltoé e Giovanna Benedetto Flores, professoras da Unisul e egressas do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem, o Corpo Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem volta a contar com 16 docentes. São 8 docentes da linha de pesquisa Texto e Discurso e 8 docentes da Linha Linguagem e Cultura. Desses docentes, 8 atuam no Campus de Tubarão e 8 docentes no Campus da Pedra Branca, sendo 4 docentes de cada linha.

 

“Essa configuração é muito benéfica para os atuais e futuros alunos dos cursos de mestrado e de doutorado, porque eles podem contar com um leque adequado de docentes conforme seus interesses de pesquisas”, comenta o professor Fábio José Rauen, que é o Coordenador do Programa.

 

Andréia Daltoé, leciona no curso de Direito em Tubarão e defendeu no último dia 20 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS) a tese intitulada “As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política”, versando sobre a grande repercussão que as metáforas utilizadas por Lula causaram durante seus dois mandatos na Presidência da República.

 

Mais abaixo, a professora Giovanna Benedetto Flores é aplaudida de pé pelos membros da banca após a aprovação.

 

 

PPGCL


Dra. Andréia Daltoé integra Equipe de Docentes do PPGCL

 

(01/11/2011) A professora Andréia da Silva Daltoé passou a integrar a equipe de docentes de Tubarão do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Unisul.

 

Da representação do discurso político às metáforas de Lula

 

Andréia tem uma trajetória acadêmica e profissional expressiva no Campus de Tubarão da Unisul. Até então colaboradora da Pró-Reitoria de Ensino, foi classificada em 2010 no Processo Seletivo para Docência no PPGCL, aguardando tão somente a finalização de sua tese de doutorado para integrar a Equipe.

 

Em 2003, Daltoé defendeu a dissertação, orientada pela professora Maria Marta Furlanetto, “A sujeição ao outro: o lugar-comum da representação do discurso político” junto ao PPGCL. Naquele trabalho, a pesquisadora enfocou o Discurso Político (DP) como representação previsível de um processo eleitoral.

 

Mantendo-se fiel aos estudos das questões políticas, Andréia dedicou-se ao discurso de Luís Inácio Lula da Silva e defendeu no dia 20 de outubro último a tese “As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política” junto ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UFRGS. O trabalho, que se encaixa na especialidade Teorias do Texto e do Discurso da área de Estudos da Linguagem daquele Programa, foi orientado pela Professora Dra. Freda Indursky e foi bastante elogiado pela banca avaliadora formada pelas professoras: Solange Mittmann (UFRGS), Solange Maria Leda Gallo (Unisul) e Ercilia Ana Cazarin (Unijuí).

 

A pesquisa, a partir dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa, investigou as Metáforas de Lula como um processo discursivo que promove o deslizamento dos sentidos cristalizados da língua política brasileira para um novo modo de enunciar nesta cena discursiva.

 

“Com o trabalho, observou-se que a maioria dos estudos, análises e críticas sobre as Metáforas de Lula as considera como erro, desvio, ou mesmo ignorância de Lula em fazer uso do discurso político”, comenta a professora. “Todavia, investigando estes efeitos, é possível observá-los como sintoma de um estranhamento em relação aos sentidos que são mobilizados por este discurso, que vai inserir, num ideal de língua política, sentidos próprios da cultura popular, ao aproximar questões como política/esteira ergométrica; crise econômica/marolinha; governo/futebol, etc.”, complementa.

 

De acordo com a pesquisadora, as Metáforas de Lula transformam-se em pistas de um modo de subversão da ordem política na língua por abrir espaço para um novo modo de dizer.

 

“O estudo deste processo discursivo acaba apontando que muito da reação/negação às Metáforas de Lula representa o sintoma da não aceitação de um homem de origem simples, sem estudo, governar um país, apesar de seus dizeres serem familiares à maioria do povo brasileiro”, explica. “Além disso, negar as Metáforas de Lula é considerar que seria possível a um sujeito enunciar fora de sua formação discursiva, o que, para a Análise do Discurso, é impossível”, conclui.

 

PPGCL


Trabalhos discutem mídia e tecnologia

 

(28/10/2011) Seis trabalhos sobre mídia e tecnologia elaborados por estudantes do PPGCL e do Curso de Letras da Unisul foram apresentados nesta quinta (27) no XX Seminário do Centro de Estudos Linguísticos e Literários do Paraná na Universidade Estadual de Londrina.

 

Quinta midiática

 

Na parte da manhã, Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira (foto acima), acompanhada de Franciele Siqueira Miotto apresentaram o trabalho “Tecnologia e aprendizagem: diferenças e analogias entre esses conceitos”.

 

Edinéia, que é mestre e doutoranda do Programa, problematizou a inserção das Tecnologias de Informação nas escolas paranaenses como solução dos problemas educacionais. Sua pesquisa empírica, sem negar o papel das TICs no ensino, aponta para a necessária revalorização da qualidade da explicação do docente em sala de aula.

 

 

Durante a tarde, a sala 125 foi palco de uma série de trabalhos da Unisul. Eliana Gato Martins apresentou o trabalho “Os atos de fala na campanha publicitária pelo voto consciente”. Nessa comunicação, Eliana classificou os atos de fala presentes nos anúncios televisivos da campanha pelo voto consciente, promovida pelo Ministério Público Federal.

 

 

Em seguida, o grupo encaixou extraoficialmente um trabalho de conclusão de curso da graduação de Letras intitulado “Inferências em comentários do sítio Youtube sobre o filme publicitário “Dona Marisa” da campanha Ame/Bombril: análise com base na teoria da relevância”, apresentado pelas estudantes Vanessa Dias e Gabriela Niero.

 

Neste trabalho, que também é assinado por Amanda Boaventura Gomes, as pesquisadoras analisaram o making off, o vídeo e cem comentários sobre a propaganda “Dona Marisa” do site Youtube, destacando como a proposta de venda da marca é reforçada em background enquanto aspectos mais superficiais do vídeo são relevantes para serem comentados.

 

 

“Estímulos ostensivos no comercial de televisão ‘Troca’ para Sandálias Havaianas: análise com base na teoria da relevância”, assinado por Fábio José Rauen e Suelen Francez Machado foi o trabalho apresentado em seguida. Nesse trabalho, os autores analisaram os estímulos ostensivos que compõem o comercial de televisão Troca, protagonizado pela atriz Daniele, e os processos inferenciais que são necessários para interpretá-lo.

 

“No comercial, Daniele prefere trocar o parceiro de um encontro a deixar de usar suas Havaianas”, comenta Suelen. “Meu trabalho reforça o argumento de que há duas camadas em funcionamento nos comerciais, uma em foreground onde o efeito de humor se instala e outra em background, aquela que é a pretendida pelo anunciante: vender as sandálias”, argumenta a pesquisadora, que é estudante do curso de Mestrado.

 

 

O próximo trabalho, “Improvável – um espetáculo provavelmente bom: análise dos processos interacionais do quadro cena improváveis com base na teoria de relevância”, assinado por Fábio José Rauen e Layla Antunes de Oliveira, discutiu o humor de improviso com o aparato teórico da Teoria da Relevância.

 

Layla destacou para o evento uma cena improvável em que o ator, Daniel Nascimento, falha em obter o efeito humorístico esperado. A pesquisadora argumentou, com base no depoimento do próprio ator, que o esforço de processamento necessário para compreender a cena teria sido muito alto devido a pobreza de estímulos que o ator conseguiu mobilizar nas condições ad hoc de formulação de seus enunciados.

 

 

Simone Atayde Floriano da Silva fechou a participação do PPGCL, apresentando o trabalho “Ferramenta fórum no ensino a distância: do discurso pedagógico à pedagogia do discurso”.

 

A comunicação é parte de sua dissertação de mestrado em que a autora discute com base no aparato da análise do discurso os comentários postados na ferramenta Fórum do Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA) de um vídeo sobre racismo. “Os comentários permitiram observar como diferentes discursos se materializam e quais são os sujeitos que se põem a dizer nesse espaço enunciativo”, comenta.

 

PPGCL


Imagem em discurso é objeto de comunicação coordenada

 

(27/10/2011) Segundo dia do XX Seminário do CELLIP em Londrina contou com comunicação coordenada que problematiza a imagem sob o viés da análise do Discurso. À tarde, Suzana Luiz Tibúrcio apresentou trabalho sobre cultura e identidade.

 

Arte e Cultura em destaque

 

A comunicação coordenada (foto acima), intitulada “Imagem em Discurso”, foi organizada pela Professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel e contou com a participação das doutorandas Regina Aparecida Milléo de Paula, com o trabalho “David de Bernini: discurso e o silêncio”, e Marilene Teresinha Stroka, com o trabalho “A memória através dos movimentos dos sentidos”. Rondando pelos conceitos de tecedura e tessitura, as pesquisadoras apresentaram um interessante painel de como diferentes formas de expressão cultural podem ser vistas por um viés que valoriza o discurso.

 

Para Nádia, “A imagem, assim como a linguagem verbal, tem processos específicos de formulação de sentidos, pois cada ‘corpo’ constitui-se por condições de produção diferenciadas. Isso implica na não separação entre forma e conteúdo, ou seja, jogam na imagem o significante (forma, cores, luz, sombra, movimento) e a história, que são constitutivos um do outro”. Para fundamentar seu argumento, Nádia apresentou uma análise possível do curta-metragem “Enigma de um dia”, de Joel Pizzini, 1996.

 

A escultura “David”, de Bernini foi o objeto de análise de Regina Milléo de Paula. Segundo Regina, seu estudo apresenta uma reflexão sobre o silêncio na perspectiva discursiva na leitura/interpretação de imagens, a partir da observação da escultura barroca “David” feita por Bernini”. “Meu entendimento é que se pode afirmar que a escultura de Bernini é, acompanhando Orlandi, um texto, porque a relação com o simbólico não se dá apenas verbalmente, mas com todas as formas de linguagem na sua relação com o mundo”, diz a pesquisadora

 

Três fotos de São Bento do Sul, por sua vez, foram apresentadas por Marilene Teresinha Stroka para fundamentar seu argumento que há paráfrases e polissemias evidentes no imaginário dos colonos alemães de Santa Catarina. “Meu trabalho demonstra que as imagens da cidade apresentam simultaneamente um Jô entre um “já-dito” e um “a dizer”, complementa a autora.

 

 

De tarde, Suzana Luiz Tibúrcio, em trabalho em co-autoria com a professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, apresentou o trabalho “Cultura e identidade: estudo e reconhecimento dos legados étnicos no município de Sangão SC”.

 

“Neste trabalho, eu procurei apresentar alguns resultados preliminares de minha dissertação que visa resgatar os valores culturais híbridos do bairro Morro Grande (Sangão, SC), bairro esse caracterizado pelas diversas etnias presentes em sua formação identitária”, diz Suzana. “Meu trabalho vem coletando, através de entrevistas, aspectos miscigenados nos folguedos e costumes diários, como forma de valorizar os diferentes matizes que uma cultura toma através do contato das diversas etnias”.

 

O Seminário segue amanhã (27) com mais cinco trabalhos do Programa.

 

PPGCL


PPGCL participa do  XX CELLIP

 

(26/10/2011) Quatro apresentações de trabalhos do PPGCL foram apresentadas quarta (25) no XX Seminário de Estudos do Centro de Estudos Linguísticos e Literários do Paraná – CELLIP, que ocorre nessa semana, de 25 a 27 na Universidade Estadual de Londrina. Ao todo, o PPGCL conta com treze trabalhos no evento.

 

Discurso e Cultura em destaque

 

 

O primeiro trabalho apresentado foi o de Rosane Lemos Barreto, em co-autoria com o professor Dr. Maurício Eugênio Maliska. Intitulado “O discurso da escola e as ‘patologias’ da linguagem”, o trabalho é uma reflexão acerca do discurso de docentes das séries iniciais sobre sujeitos que apresentam “patologias” na linguagem, sob a perspectiva da Análise do Discurso de linha francesa.

 

“Meus achados da pesquisa sugerem que as condições das formações do discurso pedagógico sobre as “patologias” da linguagem provocam efeitos de sentido que incidem tanto no campo do discurso como das práticas pedagógicas a respeito desse objeto”, argumenta a autora, que é mestre em Ciências da Linguagem pela Unisul.

 

 

Leidiane Coelho Jorge, por sua vez, apresentou o trabalho “Uso social e mediações do desenho animado Doki como recurso motivador da aprendizagem”. O trabalho de Leidiane, partindo dos pressupostos dos estudos culturais e utilizando as categorias de “usos sociais dos meios” e “mediações”, de Martín-Barbero, pretende analisar a recepção desse desenho por crianças do ensino infantil.

 

 

Marilene Maria Schimidt apresentou a pesquisa “As condições de produção e posições subjetivas de um projeto de Curso Superior Tecnológico”. O estudo de Marilene visou analisar as condições de produção e posições subjetivas de um projeto de um curso superior de tecnologia de uma instituição de ensino da cidade de Jaraguá do Sul – SC, focalizando as competências finais expressas no projeto do curso.

 

 

O último trabalho do dia foi o de Suzana Luiz Tibúrcio, com co-autoria da professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, intitulado “Personalidade feminina: Contornos e cores no teatro do século XIX”. Nesse trabalho, as autoras propõem analisar o que denominam mulheres a frente de seu tempo em peças de teatro do século XIX: “Lição de Botânica”, de Machado de Assis, “As casadas solteiras”, de Martins Pena e “Dois proventos em um saco”, de França Júnior.

 

O seminário prossegue amanhã (26) com uma comunicação coordenada e uma apresentação individual de autoria de docentes e discentes do Programa.

 

PPGCL


Jogo eletrônico e processos de ensino/aprendizagem em destaque

 

(25/10/2011) O estudante Roberto Baron defendeu a dissertação intitulada “O discurso pedagógico nos jogos de simulação de vida e ambientes por telefone celular: o jogo The Sims 2”, nesta última segunda (24) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Discurso pedagógico inserido em jogo eletrônico

 

A pesquisa de Roberto analisou, sob o olhar da Análise do Discurso de Linha Francesa, a possibilidade de um discurso pedagógico inserido em um jogo eletrônico como apoio a processos de ensino e aprendizagem.

 

“O objeto de análise foram as imagens e as ferramentas de simulação do jogo The Sims 2, da EA Games, fundamentada na tipologia do discurso e nas condições de produção de sentido pesquisadas e desenvolvidas por Eni Orlandi”, explica Roberto.

 

“É parte da análise a comparação do discurso pedagógico, discurso nas escolas, com o discurso produzido por um sujeito que ocupa a posição discursiva de jogador de um jogo eletrônico de simulação de vidas e ambientes”, completa.

 

Segundo o estudante, o motivo instigante para a pesquisa foi a popularização e os recursos incorporados ao telefone celular nos dias atuais. “Recursos de interação, simulação de vida e ambientes como o jogo The Sims 2 são ferramentas que podem ser incluídas no ensino das escolas”, complementa o pesquisador.

 

A dissertação de Roberto foi aprovada por banca formada pela professora Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, UNISUL, orientadora; pela professora Dra. Maria Ester Wollstein Moritz, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, UNISUL, avaliadora interna.

 

Edna Mazon


Nelson Baibich lança “O Vai e Vem do Verso”

 

(24/10/2011) Nelson Baibich lança a obra “O Vai e Vem do Verso”, pela Editora Unisul, no dia 27 de outubro, às 19 horas, na livraria Saraiva do Shopping Iguatemi em Florianópolis. Profissional de muitas funções, Baibich, fez da sua dissertação de mestrado em Ciências da Linguagem pela Unisul, em que compara anúncios publicitários com a vanguarda da poesia dos anos 50 e 60, um livro que indica a estudantes, profissionais da área de Comunicação Social e amantes da poesia concreta.

 

Conhecendo o autor

 

Natural do Rio Grande do Sul, filho de livreiros, Baibich logo se interessou pela arte e queria criar. A afinidade por uma poesia que tem forma e a atividade de publicitário despertaram o interessante por essa pesquisa. Mas, segundo ele, a relação já existia, faltava só mostrá-la.

 

“Começou mesmo com a minha afinidade pela poesia concreta. Eu e um colega fazíamos haicai (poesia de origem japonesa que valoriza a objetividade e é composta por três versos). E até hoje, todo dia no Facebook eu coloco um haicai. Percebi, de certa forma, que a publicidade usava muito da poesia. Sempre usou. Isso não é novidade. A novidade era levantar esses dados todos numa pesquisa bibliográfica, na verdade, que faz a relação entre o anúncio publicitário, os procedimentos técnicos, de criatividade, utilizando recursos da poesia concreta, sem saber. E eu mesmo fiz isso durante 30 anos”, explica o autor.

 

Nelson Baibich, em suas pesquisas, encontrou um trabalho que analisava o design. Percebendo a proximidade, seguiu nas investigações e se aprofundou na poesia concreta, surpreendendo-se com as evidências. “Os poetas concretos romperam, lançaram uma poesia que era proveniente do design, da publicidade, da comunicação. Então isso fez com que eu entrasse nessa questão de fazer um comparativo”, conta Nelson.

 

Quem faz a apresentação do livro “O Vai e Vem do Verso” é o publicitário e professor da Unisul Elóy Simões. A contracapa é do professor Antonio Carlos Santos, que orientou a dissertação e o livro de Nelson Baibich. “O professor Elóy abre o livro fazendo uma coisa que eu adorei: Sou poeta e não sabia. Então eu vejo o lado positivo de conseguir unir publicidade com literatura de forma não preconceituosa, como diz a apresentação dos dois. Um fala como publicitário e outro como doutor em literatura”, conta Nelson.

 

O autor compreende a existência de preconceito entre as áreas. Mas vai contra, mostra anúncios que a imprensa cria. Para ele, uma coisa está dentro da outra, até na música existe essa poesia, menciona o Tropicalismo e afirma que Arnaldo Antunes também utiliza o recurso hoje.

 

“A poesia concreta tinha forma, não é só o que ela dizia, mas o que ela mostrava. Eles foram uma vanguarda, quebraram a história do Simbolismo que, visualmente, não interessava só o significado das palavras no contexto”, conta Nelson.

 

Apesar de receber o casamento entre a poesia e a publicidade ele tem o cuidado de dizer que “propaganda não é arte, ela bebe na arte, se serve da arte. Por isso que muita gente que quer fazer propaganda não estuda outras coisas e acha que não precisa. Tem que estudar Estética, Semiótica, tudo isso, se não você não consegue”, comenta.

 

Essa é a voz do jornalista por formação, publicitário por atuação, arquiteto frustrado, desenhista por amor, professor por sustento, pai e esposo por prazer e obrigação. Para ele conciliar tudo isso é questão de sobrevivência.

 

“Sempre trabalhei muito e nunca deixei a arte de lado, aliás, deixei por um período e me arrependi, depois retomei. A publicidade engole a gente. Na agência não tinha horário para nada, pintava final de semana e a bronca era grande em casa. Mas eu não consigo ficar parado”, finaliza.

 

O tempo está para Baibich como a arte estava para o holandês M. C. Escher, seu principal referencial. Se Escher não deixava espaços sobrando nas suas criações, Baibich não deixa tempo sobrando na vida. A aposentadoria para ele seria para organizar melhor o tempo para criar, e não para descansar. É assim que o autor vive e pensa.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Curso de Letras promove eventos literários

 

(20/10/2011) O curso de Letras da Unisul está completando 40 anos e, para comemorar, está com uma agenda cheia de eventos culturais até o dia 22 de outubro. Faz parte da programação o I Seminário Estadual de Linguagem, Cultura e Comunicação, o II Sarau Twitteratura e o III Sarau Literário Entrelaços.

 

Saraus, palestras e oficinas em comemoração aos 40 anos de curso na Unisul

 

O sarau via Twitter acontecerá no sábado (22) e qualquer pessoa poderá publicar suas próprias citações literárias, das 19h às 20h, de qualquer lugar. Basta digitar #SarauLetras40 e, em seguida, o texto de sua autoria.

 

“O Twitter também é um espaço para a arte literária. É promover artistas das palavras, divulgar a Unisul, o nosso curso e nossos valores institucionais. É promover a integração e a interação através da literatura por meio da internet”, comenta Jussara Bittencourt de Sá, coordenadora do Curso de Letras e docente do PPGCL.

 

Renan Pacheco é um dos acadêmicos do curso de Letras que tiveram a ideia do Sarau, que terá sua segunda edição. “Eu sempre tive vontade de conhecer aqueles arrobas que me fascinavam com suas obras literárias no Twitter, mas como temos internautas do Oiapoque ao Chuí, um encontro seria impossível. Então, por que não um sarau online? Todos publicando no mesmo horário, na mesma data”, fala. Quem tiver interesse, pode seguir o perfil do curso no Twitter: @LetrasUnisul.

 

Além do Twitteratura, vários convidados irão apresentar suas ideias através de palestras no evento. Dentre eles, professores da universidade, ex e atuais acadêmicos. O público contará também com a presença de médicos que falarão de sua relação com a literatura e lançarão seus livros. Dois acadêmicos do curso irão promover Oficinas de Twitter: a arte de escrever em 140 caracteres. Muitos não utilizam a ferramenta, esta é uma oportunidade de criar um perfil para poder participar do sarau online.

 

Jussara fala sobre a importância do curso e seus 40 anos de história: “penso que ele está ligado diretamente à história da universidade e à formação de muitos profissionais que fizeram e fazem a história de nosso município, de nossa região, de nosso estado e também daqueles que moram em outros estados e países. Sabemos que os pensamentos norteados das ciências que formam diferentes profissionais nascem das palavras formadas pelas letras da nossa linguagem”.

 

Quem tiver interesse em participar dos eventos (exceto o Sarau Twitteratura) deve realizar a inscrição no site da universidade. O custo é de R$ 10,00 para os acadêmicos da Unisul e R$ 20,00 para o público externo. Mais informações podem ser obtidas através da coordenação do curso: 3621-3047. Confira a programação:

 

17 de Outubro – 19h30min

Oficina de Twitter

Laboratório Multimídia II – Bloco Sede

 

18 de Outubro – 19h30min

Palestras, lançamentos de livros, apresentações artísticas

Salão Nobre – Bloco Sede

 

19 de Outubro – 19h30min

Palestras, lançamentos de livros, apresentações artísticas

Salão Nobre – Bloco Sede

 

20 de Outubro – 19h30min

Palestras, workshops, apresentações artísticas

Salão Nobre – Bloco Sede

 

21 de Outubro – 19h30min

Oficina de Twitter

Laboratório Multimídia II – Bloco Sede

 

22 de Outubro – 19h às 20h

II Sarau Literário Via Twitter

Local livre

 

Unisul Hoje (adaptado)


Cinema é tema da revista Ciência em Curso

 

(19/10/2011) O Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, PPGCL, lança mais uma edição da revista Ciência em Curso com artigos e vídeos de alunos e de professores do curso de Cinema da Unisul.

 

Curso de Cinema e Realização Audiovisual

 

A nova edição da revista Ciência em Curso, produzida pelo PPGCL, tem como tema o Curso de Cinema e Realização Audiovisual da Unisul.

 

Informações sobre o curso criado em 2009, alunos contando suas experiências atrás das câmeras, professores falando sobre cinema e filmes são alguns dos destaques da publicação, em textos, fotos e vídeos.

 

Acesse a revista aqui.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Estudo investiga questões sobre violência relacional

 

(17/10/2011) O estudante Manoel Sebastião Nascimento Junior defendeu a dissertação intitulada “Análise crítica do discurso nos estudos de violência relacional: homens violentados por mulheres nos gêneros boletim de ocorrência e termo circunstanciado”, nesta última segunda (17) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Análise de relatos de homens violentados por mulheres

 

A pesquisa de Manoel analisou a violência relacional tendo como base relatos de homens violentados por mulheres que comparecem a 1ª Delegacia Regional de Florianópolis, Santa Catarina, nos gêneros boletim de ocorrência e termo circunstanciado.

 

“O objetivo desta pesquisa foi o de compreender a outra face da violência relacional, ou seja, pensar e refletir sobre a possibilidade de homens também virem a sofrer violência no âmbito relacional com mulheres”, explica Manoel.

 

Segundo o pesquisador, a violência relacional é compreendida como um problema social que apresenta uma dinâmica multifacetada. “Estudos anteriores sobre gênero social evidenciam que esta situação era vivenciada apenas as mulheres. Hoje, porém, observa-se que as mulheres também estão assumindo esta postura”, explica o estudante.

 

A dissertação de Manoel foi aprovada por banca formada pelo professor Dr. Maurício Eugênio Maliska, UNISUL, orientador; pela professora Dra. Susana Borneo Funck, UFSC, avaliadora externa; e pelo professor Dr. Fábio José Rauen, UNISUL, avaliador interno.

 

Na foto principal, um flagrante da apresentação de Manoel Sebastião Nascimento Junior. Mais abaixo, da esquerda para a direita, os professores Susana Borneo Funck, Maurício Eugênio Maliska e Fábio José Rauen.

 

 

Edna Mazon


Evento na UFSC conta com participação expressiva do PPGCL

 

(11/10/2011) O Simpósio Internacional Linguagens e Culturas: Homenagem aos 40 anos dos Programas de Pós-graduação em Linguística, Literatura e Inglês contou com 11 trabalhos de docentes e discentes do PPGCL. O evento ocorreu entre os dias 4 e 7 de outubro de 2011 no Campus Universitário da Trindade na UFSC.

 

Programas comemoram 40 anos

 

O evento, que comemorou os 40 anos dos Programas de Linguística, Literatura e Inglês da UFSC, teve o propósito de debater questões seminais da área por intermédio de mesas-redondas e grupos de trabalho.

 

Na foto, da esquerda para a direita, podem ser vistos: Maria Sirlene Pereira Schlickmann, Eliana Gato Martins, Sandro Braga e Clésia da Silva Mendes Zapelini.

 

A seguir, apresenta-se a lista de trabalhos da Unisul que compõem o Caderno de Resumos do Evento:

 

“Relações interpessoais e de saberes na Linguística Aplicada: o desafio da alteridade”

Maria Marta Furlanetto

 

“Georg Simmel e o arquivo moderno”

Antonio Carlos dos Santos

 

“Sentir a falta da ausência: documentário e(m) retratos”

Ramayana Lira

 

“Práticas de letramento no livro didático de língua portuguesa: diferença entre aquisição e prática”

Vanessa Wendhausen Lima

 

“O desenvolvimento da compreensão crítica de textos verbais e não-verbais: um olhar discursivo”

Cristiane Gonçalves Dagostim

 

“Gonzaga Duque: história e biografia – ficções”

Alexandra Filomena Espindola

 

“In Memorian dos Mortos: as Imagens que Narram Pequenas e Grandes Histórias da Catástrofe do Século Passado”

Dilma Beatriz Rocha Juliano

 

“Análise do discurso e psicanálise: possíveis convergências enquanto campos de investigação discursiva”

Adriana de Oliveira Limas Cardozo

Maurício Eugênio Maliska

 

“O gênero social nas capas de MEN’S HEALTH: um novo modelo de masculinidade?”

Fabio Silva

 

“O ensino fundamental de nove anos: um estudo introdutório sobre os limites e os desafios enfrentados por escolas públicas de três municípios da região da Amurel/SC”

Maria Sirlene Pereira Schlickmann

 

“Ponto final: os possíveis efeitos de sentidos na posição do ponto – BEATRIZ.A E BEATRIZ S.” – no nome de duas crianças de 4 e 5 anos”

Clésia da Silva Mendes Zapelini

Sandro Braga

 

  

 

PPGCL


Professora Maria Marta participa de evento na UFSC

 

(11/10/2011) A professora Dra. Maria Marta Furlanetto participou, como convidada, do Simpósio Internacional Linguagens e Culturas: Homenagem aos 40 anos dos Programas de Pós-graduação em Linguística, Literatura e Inglês da Universidade Federal de Santa Catarina, realizado entre 4 e 7 de outubro de 2011 no Campus Universitário da Trindade.

 

Diploma de Honra ao Mérito

 

Na abertura, a professora foi, juntamente com outros coordenadores de curso e com outros professores, homenageada com um Diploma de Honra ao Mérito pela atuação como coordenadora do Programa em Linguística (durante cerca de 10 anos).

 

No evento, a professora participou também, como coordenadora e simposiasta, da mesa-redonda “Linguística Aplicada e a produção do conhecimento na contemporaneidade”, ao lado das professoras Rosângela Hammes Rodrigues, atual coordenadora do Programa, e Roxane Rojo, da UNICAMP.

 

A professora Maria Marta apresentou o trabalho “Relações interpessoais e de saberes na linguística aplicada: o desafio da alteridade”, focalizando a questão ética da intersubjetividade em sua relação com os saberes nas várias esferas de atuação de professores e pesquisadores.

 

Roxane Rojo, em “Desafios: a linguística aplicada e a educação para os multiletramentos”, expôs a necessidade de uma educação que não desconsidere as inúmeras formas de letramento e os processos aí envolvidos na contemporaneidade, associados à semiose múltipla que caracteriza os gêneros na sociedade.

 

Rosângela Rodrigues mostrou, em sua intervenção, “A linguística aplicada no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC: caminhos, perspectivas e desafios”, destacando o desenvolvimento da área de estudo praticamente desde o início do Programa.

 

PPGCL


Coordenadores tomaram posse dos cargos durante sessão solene

 

(07/10/2011) Coordenadores e vice-coordenadores de cursos eleitos em 14 de setembro foram empossados oficialmente nos cargos, sob o compromisso de concluir o processo de mudança que está em andamento na Unisul, nesta quarta-feira (05), durante sessão solene realizada no salão nobre do campus de Tubarão da Unisul.

 

Novo modelo de gestão

 

O novo modelo de gestão já faz parte do trabalho atual dos gestores e foi lembrado no discurso do reitor, professor Dr. Ailton Nazareno Soares. “Agradeço vocês, gestores, pela coragem de iniciar neste mandato uma nova forma de trabalhar, com um desafio pela frente. Obrigado pelo o que ainda irão fazer ao longo dos próximos anos”, disse.

 

Um a um, os professores foram sendo chamados para receber a portaria que os oficializa nos mandatos que têm a duração de dois anos. A alegria estampada pelos professores era confirmada nos cumprimentos recebidos pelos integrantes da reitoria e demais colegas.

 

O vice-reitor da Unisul, professor Dr. Salésio Herdt, falou sobre a postura pessoal e profissional que a reitoria espera dos coordenadores. Ele disse que um misto de paixão, movimento, força e ambição levam à realização dos objetivos. “Outro aspecto fundamental é a ética, o aluno tem que estar em primeiro lugar nos interesses do gestor”, comenta. “A universidade acredita na formação humana: formar profissionais e cidadãos. Sobretudo, agentes sociais para a comunidade”, enfatiza.

 

Coordenação PPGCL

 

No Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, PPGCL, foram eleitos os professores Fábio José Rauen e Solange Maria Leda Galo, coordenador e vice-coordenadora respectivamente.

 

Na sessão solene, o professor Fábio José Rauen recebeu portaria que lhe conferiu exercer a função de coordenador do PPGCL com mandato de dois anos. Na ocasião, o professor Fábio representou a professora Solange que também recebeu portaria que lhe conferiu a função de vice-coordenadora.

 

 

Unisul Hoje (adaptado)


Estudo analisa a educação escolar indígena

 

(03/10/2011) A estudante Kenya Simas Tridapalli defendeu a dissertação intitulada “Conquistas, desafios e perspectivas do ensino bilíngue e intercultural na educação escolar indígena: estudos em aldeias Guarani-MBYÁ de Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, nesta última sexta (30) no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Diversidade linguística no Brasil em destaque

 

A pesquisa de Kenya analisou a diversidade linguística no Brasil, focalizando as línguas indígenas, sobretudo a língua Guarany-Mbyá, tomando como base territorial nove comunidades de Santa Catarina e cinco comunidades do Rio Grande do Sul.

 

Segundo Kenya, a pesquisa foi motivada pela percepção da necessidade de reflexões e de debates voltados ao fomento e à valorização da discussão sobre a diversidade étnica e linguística do país.

 

“Parti da premissa de que a preservação dos hábitos e da língua dessas comunidades é de suma importância, visto que constitui uma enorme riqueza antropológica, que corresponde à história e ao patrimônio cultural da nação brasileira”, comenta.

 

“Analisei o contexto escolar indígena de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, cuja proposta é de um ensino bilíngue e intercultural, isto é, as crianças indígenas têm a oportunidade, pela primeira vez na história (depois de terem sua língua proibida durante séculos por colonizadores e ditaduras), de se alfabetizar na sua língua materna e paralelamente na língua portuguesa, com professores indígenas e não indígenas”, conclui. 

 

A dissertação de Kenya foi aprovada por banca formada pelo professor Dr. Aldo Litaiff, orientador; pela professora Dra. Maria Dorothea Post Darella, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, UNISUL, avaliadora interna.

 

 

Edna Mazon


Alunos do curso de direito participam de Cineclube

 

(03/10/2011) Os alunos do curso de direito da Unisul participaram do Cineclube Cinema em Trânsito na noite da última quinta (29). Na ocasião, houve exibição e debate do filme Juízo, de Maria Augusta Ramos.

 

Jovens infratores e a administração da justiça no Brasil

 

No evento, compareceram acadêmicos de diversas fases do curso de Direito que assistiram atentamente ao documentário que problematiza a relação entre jovens infratores e a administração da justiça no Brasil.

 

Além dos alunos, estiveram presentes as professoras Alessandra Brandão, Ramayana Lira e Andréia Daltoé, do PPGCL, e Carla Borba, do curso de Direito, que animaram o debate.

 

“As discussões giraram em torno da problemática da encenação (já que os menores infratores personagens do filme tiveram que ser ‘representados’ por outros adolescentes, uma vez que a justiça resguarda a imagem e o nome do jovem infrator), da barreira linguística entre o jargão jurídico e a linguagem cotidiana, que leva a mal-entendidos graves, e da relevância política de obras como Juízo”, comenta a professora Ramayana.

 

Os participantes avaliaram positivamente o evento, o que estimulou o convite para uma sessão especial para o Curso de Relações Internacionais, que partiu da professora Carla.

 

“O objetivo do Cineclube é exatamente esse, o de aproximar o público das obras cinematográficas de maneira crítica, questionando o filme, o mundo e a si mesmo como espectador”, conclui a professora Ramayana.

 

PPGCL


Assembleia elege a Unisul como sede do XVII SOCINE em 2013

 

(03/10/2011) A Universidade do Sul de Santa Catarina sediará o XVII Encontro Internacional da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual - SOCINE em 2013.

 

SOCINE na Unisul

 

Segundo a professora Ramayana, todos ficaram empolgados com a ideia de vir a Santa Catarina em 2013. “A Unisul, o PPGCL, o próprio curso de graduação em Cinema e Realização Audiovisual, tem a maturidade para organizar um evento dessa importância”, comenta. “Será uma oportunidade ímpar para ver de perto a qualidade da pesquisa realizada no Brasil”, conclui.

 

Professoras Ramayana Lira e Alessandra Brandão são eleitas para o Conselho Deliberativo e para a Secretaria da Diretoria da SOCINE respectivamente

 

Durante o do XV Encontro Internacional da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (SOCINE), que aconteceu de 20 a 24 de setembro na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a professora Alessandra Brandão foi eleita para a Secretaria da Diretoria da SOCINE, enquanto que a professora Ramayana Lira foi eleita para o Conselho Deliberativo.

 

Para a professora Alessandra, o que a motivou a fazer parte da chapa eleita para a Diretoria foi a percepção de que haveria uma continuidade da gestão anterior, uma gestão não verticalizada, marcada por um trabalho harmonioso e que se empenhou em consolidar a posição da SOCINE como entidade de ponta diante das agências governamentais.

 

“A minha participação na Diretoria representa uma posição estratégica para pensar os rumos da pesquisa, em articulação de âmbito nacional e internacional”, comenta a professora Alessandra. “Por outro lado, é muito bom ter o reconhecimento da relevância da minha trajetória dentro da entidade”, completa.

 

Quanto à sua eleição para o Conselho Deliberativo, a professora Ramayana avalia de forma bastante positiva.

 

“Ter sido eleita de forma direta, pelos pares, para uma vaga no Conselho Deliberativo, revela a confiança dos participantes da SOCINE na capacidade de entender o contexto da pesquisa no Brasil e de encaminhar propostas para o seu desenvolvimento”.

 

As professoras ressaltam que a participação na Diretoria e no Conselho da SOCINE serve para dar visibilidade ao trabalho de pesquisa em audiovisual dentro do PPGCL.

 

“Afinal, estamos falando da maior entidade de pesquisadores de audiovisual e cinema do Brasil e da segunda maior associação do mundo”, lembra a professora Alessandra.

 

PPGCL


Vanessa Cavalli cursará doutorado na Espanha

 

(03/10/2011) Vanessa Cavalli, mestre em Ciências da Linguagem, cursará doutorado em Comunicação na Universidade Autônoma de Barcelona, Espanha. Vanessa, que foi orientada pelo professor Dr. Aldo Litaiff, defendeu a dissertação intitulada “A linguagem cinematográfica: modelos sociais e os mitos futuristas” em dezembro de 2006.

 

Conquistando espaço no cenário acadêmico internacional

 

Vanessa Cavalli é mais uma egressa do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem que conquista um importante espaço no cenário acadêmico internacional.

 

“Além de Vanessa, podemos citar também Kênia Moreira Cabral, que finalizou seu doutorado na Universidade de Paris V, Sorbonne, orientada por Maffesoli e co-orientada por mim; e Hans Peder Behling, aluno do doutorado do PPGCL, que, de janeiro a junho de 2012, fará parte do seu curso na Universidade de Montreal, Canadá”, comenta o professor Aldo Litaiff, que foi orientador de mestrado dos três estudantes.

 

Na pesquisa de dissertação, Vanessa Cavalli verificou a forma pela qual a linguagem cinematográfica apropria-se de “paradigmas” sociais, reforçando-os e naturalizando-os, transformando-se em veículo propagador de mitos. Além disso, a pesquisa verificou pontos de difusão do pensamento filosófico “dualista”, fundamentado pelo “corte epistemológico”, em três obras fílmicas: Metropolis (Fritz Lang, 1927), Blade Runner (Ridley Scott, 1982) e Matrix (Andy e Larry Wachowski, 1999) e a naturalização dos mitos futuristas.

 

PPGCL


XV SOCINE conta com a participação de professoras do PPGCL

 

(03/10/2011) As professoras Alessandra Brandão e Ramayana Lira, PPGCL, participaram do XV Encontro Internacional da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (SOCINE), que aconteceu de 20 a 24 de setembro na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

Professoras Ramayana e Alessandra apresentam suas pesquisas

 

No encontro, cujo tema foi “Imaginários (In)Visíveis”, as professoras Ramayana Lira de Sousa e Alessandra Soares Brandão apresentaram suas pesquisas dentro do Seminário Temático Cinema, Transculturalidade, Globalização, coordenado pela professora Ramayana ao lado dos professores Denilson Lopes (UFRJ) e Anelise Corseuil (UFSC).

 

O trabalho da professora Alessandra, intitulado “Viagens que levam ao mar no cinema latino-americano contemporâneo”, mapeou algumas narrativas de deslocamento para o mar, na tentativa de repensar suas forças simbólicas para além de um impulso utópico e alegórico do nacional, como “massa viva”, para redimensionar sua força política sob uma ótica transnacional.

 

“No contexto atual de deslizamentos e desestabilização das noções de origem e fim, o mar parece apontar para uma terceira margem”, afirma a professora.

 

Já o trabalho da professora Ramayana versou sobre as políticas dos afetos no cinema brasileiro recente. Observando que há uma série de filmes brasileiros que passam ao largo de temas repisados pela cinematografia nacional, como a violência urbana e o revisionismo histórico, o trabalho buscou esboçar algumas das linhas de força desse cinema recente, mapeando movimentos sugeridos por filmes realizados nos últimos cinco anos que sugerem pontos de fuga a estéticas e temáticas ubíquas.

 

“É preciso pensar o cinema também na chave dos afetos”, diz a professora, apontando que estes já aparecem nos encontros criativos na concepção e realização dos filmes, mas também mostram-se nas reconfigurações das relações entre personagens que revelam insuspeitados laços afetivos, para além de modelos estabilizados de identidades, sugerindo novos modelos comunitários.

 

“Os encontros da SOCINE são sempre espaços de intenso debate e de extrema relevância para a maturidade dos estudos de cinema no Brasil”, afirma a professora Alessandra. “Esse é o principal fórum para pesquisadores de cinema e audiovisual no Brasil”, completa.

 

A professora Ramayana ressalta a participação de professores do PPGCL na SOCINE como fato que revela a consistência dos estudos de cinema dentro do Programa.

 

PPGCL


Professora Solange Gallo participa de discussão sobre pesquisa na Unisul

 

(29/09/2011) A professora Dra. Solange Maria Leda Gallo participou de mesa-redonda intitulada “Pesquisa na Unisul: reflexões e ações para um novo modelo de universidade” na VI Jornada Unisul de Iniciação Científica, JUNIC, nesta última terça (27) no Campus de Pedra Branca da Unisul.

 

Unisul discute pesquisa

 

Segundo a professora Solange, está acontecendo neste momento uma discussão bastante profícua na Unisul em relação à pesquisa em todos os níveis. “Essa discussão vem se dando desde o início da atual gestão e que se desdobrou no Projeto Pedagógico Institucional (PPI) e nos documentos das Unidades de Articulação Acadêmicas.

 

A pesquisa enquanto atividade formativa

 

“O desafio consiste em trabalhar com a pesquisa enquanto atividade formativa, inerente ao ambiente acadêmico e estruturante do novo modelo pedagógico. Não é um desafio pequeno e exige a participação de todos, pois esse modo de estruturação da universidade envolve todas as suas instâncias. Assim, quanto mais interlocutores aderirem a este debate, mais enriquecido ele fica e mais rapidamente chegaremos às soluções que estamos almejando”, esclarece.

 

De acordo com a professora, estamos partindo de uma realidade já bem trabalhada de pesquisa na universidade que se dá nos Grupos de Pesquisa, nos Programas de Pós-graduação stricto sensu, nos Programas de Iniciação Científica, nos trabalhos de final de curso e em muitas atividades de ensino e de extensão que já se dão de modo integrado. “Articular todas essas instâncias na rotina de nossos docentes e acadêmicos é o nosso desafio”, conclui.

 

Na foto principal, um instante da exposição da professora Solange. Mais abaixo, o público assiste à mesa redonda.

 

 

Edna Mazon


PPGCL participa do V SEAD

 

(27/09/2011) Discentes e docentes do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem participaram do V SEAD - Seminário de Estudos em Análise do Discurso – entre os dias 20 e 23 de setembro, em Porto Alegre.

 

Evento bianual

 

O SEAD, Seminário de Análise do Discurso, acontece a cada dois anos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Programa de Pós-graduação em Letras. As organizadoras são pesquisadoras da análise do discurso, Freda Indursky, Maria Cristina Ferreira e Solange Mittmann. O evento congrega pesquisadores de todo o Brasil e tem abrangência internacional, principalmente com pesquisadores da França.

 

A peculiaridade do evento é manter uma sessão única na qual são apresentadas as pesquisas para o conhecimento e discussão dos demais. Com isso pretende-se que não haja dispersão e que se conheça o que está sendo produzido mais recentemente na área. Os simpósios contam com uma prévia seleção de trabalhos realizados por pesquisadores da área, entre eles, a professora do PPGCL, Solange Leda Gallo.

 

Estiveram presentes neste V SEAD, além da professora Solange Gallo, a professora Nádia Régia Maffi Neckel; os atuais alunos de doutorado e mestrado, Regina Aparecida Milléo de Paula, Leonardo Amorim Roat e Conceição de Maria dos Santos Pacheco; os egressos Jorge Alexandre Lucas e Lúcio Flávio Giovanella; além das professoras da Unisul Giovanna Benedetto Flores e Andréia da Silva Daltoé.

 

Na foto, da esquerda para a direita, Regina Aparecida Milléo de Paula, Leonardo Amorim Roat, Conceição de Maria dos Santos Pacheco, Andréia da Silva Daltoé e Giovanna Benedetto Flores.

 

Edna Mazon


VI JUNIC movimenta o campus da Pedra Branca

 

(27/09/2011) A VI Jornada Unisul de Iniciação Científica (JUNIC) movimenta o campus da Pedra Branca da Unisul nesta terça (27). O evento mostrará o resultado de pesquisas realizadas em 2010 por professores e alunos de todos os campi da universidade.

 

Os resultados das iniciações científicas da Unisul são apresentados

 

No evento são apresentados os resultados das investigações científicas realizadas tanto por grupos de pesquisa quanto por alunos contemplados com bolsas de auxílio dos programas PUIC e PUIP (próprios da universidade), dos Artigos 170 e 171, do PMUC, FAPESC, PIBIC e PIBITI (recursos federais e estaduais).

 

A jornada acontece junto com o sexto Seminário de Pesquisa, que tem como tema “Universidade e Conhecimento: Interlocuções e Interfaces entre Pesquisa e Ensino”.

 

Pela manhã, a professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, docente e vice-coordenadora do PPGCL, participou da mesa-redonda “Pesquisa na Unisul: reflexões e ações para um novo modelo de universidade”. À tarde acontecerão as apresentações dos trabalhos. Ao todo, são 209, sendo 133 pôsteres e 76 apresentações orais.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Universidades da ACAFE lançam biblioteca online

 

(27/09/2011) A Associação Catarinense das Fundações Educacionais (ACAFE) lançou, durante o III Fórum Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão, realizado na última semana na UNIVALI, o Catálogo Coletivo da Rede de Bibliotecas.

 

Mais de um milhão de exemplares

 

O catálogo reúne mais de um milhão de publicações dos acervos das 17 universidades comunitárias que compõem a ACAFE. São livros, dissertações, revistas, jornais, materiais impressos que, a partir da segunda-feira (19), poderão ser acessados de qualquer uma destas instituições. Materiais digitalizados para deficientes visuais também ficarão disponíveis.

 

O acervo da Unisul possui mais de 300 mil obras disponíveis. Com o catálogo coletivo, o aluno terá acesso a outras obras não disponíveis nas bibliotecas da sua instituição de ensino. Para isso, basta solicitar a obra desejada através do site da biblioteca e pagar pela viagem do livro.

 

“O aluno poderá solicitar uma obra que a Unisul não tem. Por exemplo, uma obra que esteja na UNESC, que fica em Criciúma, e poderá consultar o material aqui na nossa biblioteca”, explica Luciana Mara, coordenadora da biblioteca do campus universitário Grande Florianópolis – Pedra Branca.

 

Para acessar o Catálogo Coletivo, clique aqui.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Mário Abel Bressan Junior lança livro

 

(27/09/2011) Mário Abel Bressan Júnior, mestre em Ciências da Linguagem e professor no Curso de Comunicação Social da Unisul, lançou o livro “Semiótica do Crime: a semiótica da narrativa na telenovela” em evento realizado no curso de Comunicação Social da Unisul no último dia 12.

 

Estudo publicado em livro faz parte da dissertação de mestrado

 

Bressan desenvolveu em sua dissertação no curso de Mestrado em Ciências da Linguagem um estudo no aspecto da semiótica da narrativa e do crime na telenovela. Ao analisar a narrativa da telenovela “A favorita”, de João Emanuel Carneiro, ele pontuou os elementos da construção de sentido que contribuíram para a construção das personagens e do ponto de vista do telespectador. Parte da pesquisa desenvolvida na dissertação pode ser conferida no livro “Semiótica do Crime: a semiótica da narrativa na telenovela”.

 

“O dia de hoje é fruto de um longo trabalho. É inexplicável passar por um momento como este, receber o carinho dos amigos, familiares, alunos, ex-alunos e principalmente o reconhecimento pelo trabalho desenvolvido”, externa Bressan ao comemorar o resultado do estudo desenvolvido por cerca de dezoito meses.

 

O coordenador do curso de Comunicação Social, Ildo Silva da Silva, esteve presente no evento e realizou a abertura da solenidade. “Eu me orgulho muito. Para um professor publicar uma obra tem um valor imenso. Parabéns Mário”, cumprimentou o coordenador.

 

Para a professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Morares, docente do PPGCL e orientadora do estudo, o livro é uma fonte da aplicação da semiótica em um objeto diferente. “É um recorte da dissertação de mestrado realizado com um aspecto inovador, traz a teoria de Greimas aplicada ao áudio visual, diferencial imprescindível que serve de base para alunos de comunicação e de letras que tem interesse em trabalhar a narrativa na semiótica”, destacou.

 

O livro já foi incluído ao acervo da Biblioteca da Unisul. Quem tiver interesse em comprá-lo poderá efetuar a aquisição através do site da Biblioteca 24 Horas.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Unisul é destaque em Festival Nacional de Cinema e Vídeo

 

(23/09/2011) Entre os dias 14 e 17 de setembro a cidade de Piratuba – SC foi palco do III Festival Nacional de Cinema e Vídeo Rural. Duas das 10 produções vencedoras do evento têm como diretoras pessoas que já fizeram história nos cursos de comunicação da Unisul.

 

Egressas da Unisul recebem prêmios

 

Francieli Dalpiaz recebeu a menção honrosa com a reportagem de TV intitulada Personagem da Vida Real. Ela é formada em Jornalismo pela Unisul e, na época da graduação, se destacou como repórter e editora do telejornal SBT Metropolitano, um projeto que levava ao ar um jornal diário no SBT SC, produzido por alunos e coordenado por professores do curso.

 

A outra vencedora é a cineasta Mara Salla, na categoria Melhor Ficção, com o curta-metragem Malabares - Os filhos dos Outros, produção lançada em 2010 no Cinemark, do Floripa Shopping, e que trata, de forma poética, do tema da violência e do descaso com a infância. Mara se formou em Cinema pela Unisul, e atualmente é coordenadora do curso da qual foi aluna.

 

Durante o festival, concorreram 146 vídeos e 85 fotos, havendo representantes de 21 Estados do Brasil. Na categoria "Filme de Ficção" houveram 28 inscritos, na "Reportagem de TV" 38 inscrições, na categoria "Documentário" concorreram 65 produções, e a "Produção Amadora" contou com 15 participantes. Os vídeos foram julgados por jurados com formação na área audiovisual. Durante a entrega da premiação, em noite de gala, o público contou com a participação do ator da Rede Globo, Jackson Antunes.

 

Kleber Pizzamiglio, ex-aluno do curso de Jornalismo da Unisul, e que atualmente atua na RBS de Joaçaba, também esteve presente durante a cerimônia de entrega da premiação.

 

Rafaela Fusieger/Adaptado


Comissão Eleitoral apresenta novos coordenadores

 

(20/09/2011) Comissão Eleitoral divulga os resultados homologados do pleito que elegeu coordenadores e vice-coordenadores dos cursos da Unisul. Professores e alunos do PPGCL elegeram os professores Fábio José Rauen e Solange Maria Leda Gallo para os cargos de coordenador e vice para os próximos dois anos.

 

Cursos da Unisul têm novos coordenadores eleitos

 

O resultado das eleições para coordenador e vice-coordenador de cursos da Unisul foi divulgado pela Comissão Eleitoral. A ata com o nome dos eleitos para o biênio 2011-2013 informa o resultado das eleições e os números de eleitores participantes entre professores e alunos.

 

As eleições foram realizadas na última quarta-feira, 14/9, quando professores e alunos aptos a participar do pleito puderam votar pelo sistema online por meio do Portal Minha Unisul. No final do mesmo dia a Junta Escrutinadora analisou os resultados das eleições. O trabalho da junta foi homologado nesta segunda-feira, 19/9, em reunião da Comissão Eleitoral.

 

Ainda na segunda-feira, o presidente da Comissão Eleitoral, professor Peter Johann Bürger, entregou os resultados homologados ao reitor da Unisul, professor Ailton Nazareno Soares (foto)

 

Unanimidade

 

No Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, estavam habilitados 14 docentes e 68 alunos para a votação. Desses, 10 professores e 18 alunos votaram na chapa composta pelos professores Fábio José Rauen (coordenador) e Solange Maria Leda Gallo (vice) para um mandato de dois anos.

 

“É a primeira vez que o Programa elege seus coordenadores. Até o momento, Solange e eu sempre coordenamos os cursos de mestrado e de doutorado por indicação da reitoria”, comenta o professor Fábio José Rauen. “A eleição é muito importante, porque legitima nossas ações e é um voto de confiança dos colegas e dos alunos em nossa atuação”, complementa.

 

Unisul Hoje/Adaptado


Capes reúne Programas para avaliação anual

 

(16/09/2011) Coordenadores de 137 Programas de Pós-graduação de Letras e Linguística reuniram-se na sede da Fundação de Capacitação de Pessoal de Ensino Superior – CAPES em Brasília nesta semana (de 12 a 14 de setembro últimos). Na pauta, a avaliação do desempenho dos cursos no triênio 2007-2009 e no ano de 2010.

 

Área tem novos coordenadores

 

A reunião foi presidida pelos novos coordenadores da área de Letras/Linguística: o professor Dermeval da Hora Oliveira (UFPB), representando a área de linguística, e a professora Sandra Regina Goulart Almeida (UFMG), coordenadora adjunta, representando a área de literatura.

 

“O professor Dermeval fez parte da Comissão ad hoc que, junto com o professor Sírio Possenti (UNICAMP), avaliou o projeto de implantação do curso de mestrado em Ciências da Linguagem em 2003”, comenta o professor Fábio José Rauen que representou o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul na reunião.

 

Metodologia elogiada

 

A reunião, além de projetar o perfil da área de Letras/Linguística e discutir temas polêmicos como o mestrado profissional, a qualificação de periódicos e a avaliação de livros, inovou positivamente ao dividir os Programas em quatro grupos e solicitar que cada coordenador apresentasse a seus pares as características dos seus cursos, destacando pontos fortes e aspectos a serem melhorados. A iniciativa, elogiada por todos os coordenadores, teve a intenção de traçar um perfil coletivo, visto que permitiu aos coordenadores compararem seus cursos entre si.

 

O PPGCL integrou o grupo de cursos interdisciplinares. Os outros três grupos compunham-se de Programas dedicados à Linguística e à Literatura exclusivamente e aqueles denominados mistos por possuírem as duas especialidades como áreas de concentração.

 

“Os cursos interdisciplinares definiram-se, em sentido amplo, como aqueles que, além de mesclarem os estudos da linguagem e da literatura (teria sido melhor dizer cultura) internamente, promovem interfaces externas com as artes, a comunicação, a tradução, o ensino, a filosofia, entre outras”, esclarece Rauen. “Esses cursos têm em comum uma fronteira fluida entre os estudos linguísticos e literários/culturais, mesmo em casos onde aparentemente essa fronteira possa ser de alguma forma identificada como área ou linha de pesquisa”, completa.

 

O grupo interdisciplinar compôs-se dos Programas das seguintes Universidades: UNISUL, UNIRITTER, UERN, UNISC, UFOP, UCS, UEPG, UESB (Cultura, Educação e Linguagens), UNEB (Estudos da Linguagem), UFT, UFG/Catalão, CESJF, UnB (Estudos da Tradução), UEMS, UFAC, UFSC (Tradução), USP (Francês; Espanhol; Japonês; Clássicas; Italiano; Hebraico; Árabe), UFRJ (Neolatinas; Clássicas) e URI.

 

“Foi muito salutar ter percebido que compartilhamos essas características interdisciplinares não somente com cursos emergentes da primeira década dos anos 2000, mas também com vários cursos tradicionais de línguas clássicas e modernas”, considera Rauen.

 

Na tarde do dia 14, os grupos apresentaram o resumo das atividades. A área interdisciplinar, representada pelo professor Gilton Sampaio de Souza (UERN, segundo da esquerda para a direita na foto) destacou, entre outras questões, a necessidade da promoção de uma avaliação que considere as características interdisciplinares dos estudos desenvolvidos nesses cursos, incluindo representantes desses Programas na equipe de avaliação trienal.

 

“A inclusão de avaliadores que compreendam o caráter interdisciplinar desses Programas é importante para a consolidação dessas propostas, especialmente aquelas mais recentes que foram sendo construídas, com base em uma perspectiva mais ampla e menos fragmentada dos estudos da linguagem”, avalia Rauen.

 

                 

 

PPGCL


Professora Maria Marta participa de I Encontro de Letras do PIBID

 

(12/09/2011) A convite da professora Dra. Mariléia Silva dos Reis, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), a professora Dra. Maria Marta Furlanetto participou de duas atividades no campus Professor Alberto Carvalho, de Itabaiana, durante o I Encontro de Letras do PIBID de Itabaiana, promovido pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Pesquisa do Departamento de Letras, no dia 5 de setembro.

 

Discussão de resultados obtidos pelos alunos

 

À tarde, durante o minicurso sobre práticas discursivas no ensino de língua portuguesa, os grupos de alunos de vários semestres do curso de Letras, que desenvolvem projetos nas escolas da região sob a supervisão da professora Mariléia (coordenadora de área do PIBID Letras), apresentaram resultados obtidos até então a partir das várias atividades elaboradas por eles. Os relatórios foram discutidos pelos presentes, incluídas duas supervisoras dos trabalhos nas escolas. Na ocasião, os estudantes manifestaram sua preocupação quanto aos problemas de ensino-aprendizagem que perceberam em sua prática e nas escolas, e receberam sugestões para a continuidade de seus projetos.

 

“Fiquei muito sensibilizada com o interesse dos estudantes envolvidos no PIBID e sua maturidade no desenvolvimento dos projetos. A professora Mariléia e seu grupo de alunos estão fazendo um excelente trabalho em prol da formação docente em língua portuguesa", comenta a professora Maria Marta. “Espera-se que as atividades realizadas por esses dedicados estudantes possam integrar-se harmoniosamente nos programas das escolas, com um efeito de irradiação que, num futuro próximo, represente efetiva melhoria no ensino e na aprendizagem", completa.

 

À noite, no novo auditório do campus, a professora Maria Marta proferiu a palestra “Norma-padrão ou norma culta? Mudança, diversidade linguística e ensino de língua portuguesa”, seguindo-se a apresentação da professora Raquel Meister Ko. Freitag (UFS), que palestrou sobre os vários tipos de gramática e suas implicações no ensino-aprendizagem. Os temas, que se complementaram, foram longamente discutidos pela audiência, manifestando a preocupação do público com a implicação das questões em pauta na formação docente e nas práticas discursivas em geral.

 

“Foi uma experiência enriquecedora para mim, que, além de conhecer alunos e outros pesquisadores da UFS, contei com a presença constante e incansável de Mariléia, nossa ex-colega da Unisul, e de dois de nossos egressos, hoje professores bem-sucedidos em Aracaju, também participantes ativos nas atividades do Encontro: Vinicius Valença Ribeiro e Antonio Pedro Gonçalves, este casado com uma sergipana e aquele casado com uma tubaronense", conclui a professora Maria Marta.

 

Na foto principal, um flagrante da palestra da professora Maria Marta Furlanetto. Mais abaixo, as professoras Maria Marta Furlanetto e Mariléia Reis interagem com os alunos.

 

 

PPGCL


Seminário Ciência e Cultura reuniu pesquisadores na Pedra Branca

 

(12/09/2011) VI Seminário Integrado e Interinstitucional de Ciência e Cultura reuniu pesquisadores para discutir a cultura sob o viés da arte, da comunicação e da tecnologia, nos dias 5 e 6 de setembro no campus da Pedra Branca da Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

Ciência e Cultura: novo projeto pode surgir

 

Este sexto seminário é também o último realizado pelo projeto “As relações Culturais e Artísticas e a Preservação de Patrimônio Material e Imaterial Implicados no Desenvolvimento Regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville”, desenvolvido com o apoio da Capes/MINC.

 

O resultado está depositado em cinco publicações, uma para cada evento, que registram o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores das universidades participantes. A sexta publicação sairá em breve, com os resultados deste último seminário.

 

Segundo as coordenadoras do projeto, o sexto seminário não encerra os trabalhos. "Amadurecemos muito durante esses dois anos, no sentido de trabalharmos de forma integrada e interdisciplinar. Estamos prontos para iniciar um novo projeto", afirma a professora Solange Maria Leda Gallo, coordenadora geral do projeto e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Unisul.

 

A coordenadora do curso de Mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade da Univille, Nadja de Carvalho Lamas, é da mesma opinião. “Criamos uma base de reflexão interdisciplinar, que foi sendo construída aos poucos, durante esses dois anos de trabalho conjunto, e isso poderá render muitos trabalhos futuros ainda”.

 

A professora Maria Luiza Milani, do Mestrado em Desenvolvimento Regional da UnC, observa: “De fato, aconteceu uma interlocução de saberes materializados pelas discussões encabeçadas por cada Programa envolvido no projeto. Cultura, ciência e desenvolvimento, ao longo desses dois anos, estiveram o tempo todo amarrados pelas produções e pelos avanços que foram feitos”. Maria Luiza ressalta a participação não só de alunos, mas também de professores dos cursos envolvidos e destaca que o grupo inicial foi acrescido com a introdução de novos pesquisadores. "Não foi um Programa fechado, mas que acolheu novos componentes que deram mais densidade às discussões e pesquisas".

 

Na foto, da esquerda para a direita, as professoras Solange Maria Leda Gallo, Maria Luiza Milani e Nadja de Carvalho Lamas.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Palestra discute filme “U-KarmenKayelitsha”

 

(12/09/2011) O professor Dr. José Soares Gatti Junior ministrou a palestra intitulada “O Retorno de Carmen: a cultura do canto lírico, o trabalho comunitário e a realização do filme U-KarmenKayelitsha nas favelas da Cidade do Cabo, África do Sul”, na noite da última segunda (5), no VI Seminário Ciência em Cultura.

 

Sincretismo em debate

 

Definindo a palavra sincretismo como um diálogo entre diferentes culturas, onde cada uma tem seu espaço em pé de igualdade, o palestrante exibiu e comentou trechos do filme “U-KarmenKayelitsha”, do sul-africano Mark Dornford-Mayque, que faz uma transposição para a favela de Khayelitsh da ópera “Carmen”, escrita em 1875 por Bizet, a partir da história de Prosper Mérimée.

 

Cultura, apropriação de símbolos em novos contextos e memória permearam toda a programação do primeiro dia do seminário. Uma mesa sobre Ciência, Cultura e Desenvolvimento, conduzida pela professora Maria Luiza Milani, UnC, abriu a programação.

 

O professor Valdir Roque Dallabrida levantou a hipótese de que a existência de formas de dominação, legítima ou ilegítima, pode explicar a razão de uma determinada região desenvolver-se mais ou menos. Já o professor Sandro Luiz Bazzanella abordou o assunto técnica e desenvolvimento a partir de Álvaro Vieira Pinto e Heidegger. E o professor Reinaldo Knorek discorreu sobre como a arte pública reflete ou não a história das cidades. Ele citou alguns exemplos positivos, como o portal de entrada da cidade de Canoinhas, que remete à colonização e à economia que promoveu o desenvolvimento da região, mas concluiu que na maioria das vezes os monumentos públicos pecam pela ausência de evocações da história.

 

Na sequência da programação, houve a comunicação de trabalhos que remeteram às relações culturais com o desenvolvimento e com a memória. Mitos guarani, ciganos brasileiros, lambrequins foram alguns dos assuntos tratados.

 

Na foto, um flagrante da palestra do professor Dr. José Soares Gatti Junior.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Palestra à noite é destaque do Seminário Ciência e Cultura

 

(05/09/2011) O professor Dr. José Soares Gatti Junior ministrará a palestra intitulada “O Retorno de Carmen: a cultura do canto lírico, o trabalho comunitário e a realização do filme U-KarmenKayelitsha nas favelas da Cidade do Cabo, África do Sul”, na noite desta segunda (5), no Auditório do Campus da Pedra Branca da Unisul,  no VI Seminário de Ciência e Cultura.

 

Palestra de José Gatti exibirá trechos de filme inédito no país

 

“O Retorno de Carmen” é o tema da palestra do professor de cinema José Gatti que exibirá trechos do filme "U-KarmenKayelitsha", do sul-africano Mark Dornford-Mayque, que recebeu em 2005 o Urso de Ouro do Festival de Berlim. “U-KarmenKayelitsha” é a transposição para a cidade de Khayelitsh (África do Sul) do drama da cigana Carmen, escrita em 1875 por Bizet, a partir da história de Prosper Mérimée.

 

Uma das poucas óperas não italianas famosas, “O Retorno de Carmen” já teve várias e diversificadas versões ao redor do mundo. Só no cinema, já foi recontada, entre outros, por Otto Preminger e Carlos Saura.

 

A entrada é gratuita e faz parte da programação do VI Seminário de Ciência e Cultura, que reúne pesquisadores, professores e alunos de três universidades de Santa Catarina: Univille, UnC e Unisul.

 

O evento conta com dois dias de debates, reflexões e apresentações de trabalhos que têm como eixo a ciência e a cultura.

 

Veja a programação aqui.

 

De Olho na Ilha e UnC (adaptado)


Encerra-se a Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação

 

(02/09/2011) A Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação encerrou-se com a apresentação de sete projetos de pesquisas das Linhas Texto e Discurso e Linguagem em Cultura, nesta sexta (2) na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Formando pesquisadores

 

Um curso de mestrado, em essência, deve formar pesquisadores e a elaboração do projeto de dissertação revela as capacidades e as habilidades que os estudantes estão desenvolvendo para dar conta de uma pesquisa de alto nível: a dissertação. Um passo essencial para a produção de pesquisas é a elaboração de um projeto. No Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, os projetos são avaliados por uma banca formada por três professores, incluindo o orientador como presidente.

 

“A Semana de Qualificação de Projetos de Dissertação é um evento realizado anualmente com o intuito de promover um espaço onde os alunos expõem as pesquisas em desenvolvimento”, comenta Suelen Francez Machado, secretária do PPGCL no campus de Tubarão. “Nesse ano foram apresentados quatro trabalhos no campus da Pedra Branca e sete traballhos no campus de Tubarão”, complementa.

 

Veja a lista de trabalhos apresentados e aprovados no evento:

 

 

Eliana Gato Martins

“Leitura de anúncios publicitários televisivos: perspectiva para o ensino de língua portuguesa numa abordagem discursiva"

Dr. Sandro Braga (orientador);

Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes;

Dr. Fábio José Rauen.

 

 

João Paulo Dagoberto de Luca Junior

"Fundamentos para um modelo analítico das relações entre meios de comunicação de massa, democracia e sociedade: a construção social da realidade pela linguagem"

Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes

(orientadora);

Dra. Ramayana Lira de Sousa;

Dr. Sandro Braga.

 

Bazilicio Manoel de Andrade Filho

"Processos ostensivos inferenciais na modelação matemática de um problema socioeconômico: estudo de caso com base na Teoria da Relevância"

Dr. Fábio José Rauen (orientador);

Dra. Maria Marta Furlanetto;

Dr. Maurício Eugênio Maliska.

 

 

Layla Antunes de Oliveira

"Processos ostensivo-inferenciais do quadro Cenas Improváveis de Improvável – um espetáculo provavelmente bom: estudo de caso com base na Teoria da Relevância"

Dr. Fábio José Rauen (orientador);

Dra. Maria Marta Furlanetto;

Dr. Maurício Eugênio Maliska.

 

 

Valdirene da Silva Campos

"Fronteiras (in)visíveis: um olhar crítico sobre uma comunidade étnica de origem germânica do sul do estado de Santa Catarina"

Dra. Alessandra Soares Brandão (orientadora);

Dra. Jussara Bittencourt de Sá;

Dra. Ramayana Lira de Sousa.

 

 

Suzana Luiz Tibúrcio

"Identidade, cultura, memória: análise de interfaces do filme Narradores de Javé e de narradores do município de Sangão – SC, a partir de elementos da identidade cultural e da história oral”

Dra. Jussara Bittencourt de Sá (orientadora);

Dr. Aldo Litaiff;

Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes.

 

Leidiane Coelho Jorge

"Uso social e mediações do desenho animado Doki: estudo comparativo de recepção"

Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes (orientadora);

Dra. Alessandra Soares Brandão;

Dra. Jussara Bittencourt de Sá.

 

PPGCL


Filme “Histórias Mínimas” será exibido e debatido no Cineclube

 

(01/09/2011) O filme argentino “Histórias Mínimas” de Carlos Sorín será exibido e debatido no segundo encontro do Cineclube no campus de Tubarão da Unisul nesta quinta-feira (1º), às 18h45min na Sala de Treinamento do Bloco Sede. Coordenado pelas professoras Alessandra Brandão e Ramayana Lira, o Cineclube tem como proposta a divulgação e a produção de conhecimento sobre a arte cinematográfica.

 

Arte cinematográfica

 

O Cineclube Cinema em Trânsito iniciou suas atividades em Tubarão no dia 18 de agosto com a discussão sobre o filme argentino “Um Conto Chinês” (2011) de Sebastian Borensztein. Trata-se de um espaço ligado ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e ao Curso de Cinema e Realização Audiovisual da Unisul destinado à exibição e discussão de filmes.

 

Segundo a professora Ramayana, o filme “Um Conto Chinês” propiciou um debate sobre a condição de imigrantes ilegais na América Latina, os conflitos gerados pela globalização, os limites da comunicação e a alienação dos sujeitos contemporâneos. “A narrativa mostra o encontro de dois personagens de países em desenvolvimento (Argentina e China) nas franjas do que se convencionou chamar globalização. Isso, fazendo uso de uma linguagem que explora os motivos cômicos sem, contudo, perder de vista o elemento humano”, explica.

 

Assim como ‘Um Conto Chinês’, ‘Histórias Mínimas’ também problematiza as relações humanas a partir de uma abordagem sutil, por vezes engraçada, mas sempre humana. “Aqui, o principal tema é o cotidiano e o entrelaçamento de histórias e afetos em uma paisagem do interior da Argentina. Mas trata-se, também, de passagens pelo interior, uma espécie de pequeno road movie onde as vidas mínimas e solitárias encontram uma possibilidade de felicidade”, explica.

 

Confira o cartaz de divulgação aqui.

 

PPGCL


“O Desespero de Veronika Voss” é objeto de discussão

 

(01/09/2011) O filme “O Desespero de Veronika Voss”, do diretor alemão Rainer Werner Fassbinder, foi objeto de discussão no último dia 22 de agosto em um encontro do projeto Cinema em Crise, espaço criado junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e ao curso de graduação em Cinema e Realização Audiovisual da Unisul no Campus da Pedra Branca.

 

Debate da reinvenção do melodrama

 

No encontro, as turmas do curso de graduação em Cinema e Realização Audiovisual puderam debater a reinvenção do melodrama junto com as professoras do PPGCL Alessandra Soares Brandão, Dilma Beatriz Rocha Juliano e Ramayana Lira de Sousa.

 

“O projeto Cinema em Crise tem como objetivo unir professores e alunos em torno de uma obra cinematográfica para discutir aspectos estéticos e políticos implicados em cada filme. A proposta foi reunir turmas de diferentes contextos (disciplinas, fases, níveis e cursos diversos) para explorar o potencial do cinema”, explica a professora Ramayana.

 

O filme “O Desespero de Veronika Voss” é uma narrativa ambientada na Alemanha dos anos 50 onde um jornalista esportivo conhece a decadente atriz de cinema Veronika Voss, viciada em heroína e sustentada pela ambígua figura da Dra. Katz, que lidera um grupo que alimenta o vício de pacientes ricos para ficar com suas fortunas.

 

“No debate, discutiu-se a dimensão da autoria de Fassbinder, que é um dos mais importantes diretores do cinema europeu, cuja estética obriga-nos a repensar a imagem cinematográfica entre o melodrama e o distanciamento brechtiano. Ou seja, Fassbinder faz filmes que ao mesmo tempo dialogam com a linguagem de um cinema industrial narrativo e com o modernismo”, esclarece.

 

Segundo a professora Ramayana, o debate serviu para a reflexão sobre como Fassbinder foi responsável por revalorizar o melodrama, gênero cinematográfico que é visto, em muitos casos, como menor, conservador, sexista. “‘O Desespero de Veronika Voss’ foi entendido como oportunidade de repensar o melodrama em outra chave estética, uma com tons políticos, marcados pela não-inocência nas relações entre câmera e cena, música e emoção”, detalha. 

 

O próximo encontro na Pedra Branca está programado para o dia 10 de outubro, onde será exibido e analisado o filme “Memórias do Subdesenvolvimento”, de Tomás Gutierrez Alea.

 

Edna Mazon


Seminário Ciência e Cultura começa dia 5

 

(31/08/2011) O sexto Seminário Integrado e Interinstitucional de Ciência e Cultura, desenvolvido com o apoio da Capes/MINC começa na próxima segunda-feira (5). Durante dois dias, o evento, que faz parte do projeto "As relações Culturais e Artísticas e a Preservação de Patrimônio Material e Imaterial Implicados no Desenvolvimento Regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville", reunirá no campus da Pedra Branca pesquisadores da Unisul, da UnC e da Univille.

 

Pedra Branca sedia último Seminário Integrado e Interinstitucional

de Ciência e Cultura

 

O seminário sediado na Pedra Branca é o último de uma série de seis, dois em cada uma das instituições participantes, realizados em dois anos de trabalho. Durante esse tempo, os pesquisadores das três universidades envolvidas discutiram as relações culturais que se estabelecem nas regiões onde essas instituições de ensino superior estão inseridas. O resultado está registrado em seis publicações digitais e seis seminários de abrangência nacional e internacional que procuraram discutir as temáticas de Ciência e Cultura, Cultura e Arte e, Cultura e Desenvolvimento.

 

Em cada um dos eventos realizados, o foco foi direcionado para as pesquisas desenvolvidas pela instituição sede do evento. Assim, o destaque dos trabalhos desenvolvidos pela Univille é o aspecto artístico das manifestações culturais, na UnC é o patrimônio e o desenvolvimento, e, na Unisul, o tema é Ciência e Cultura.

 

Acesse a Programação do evento aqui.

 

Unisul Hoje (adaptado)


Estudantes da Pedra Branca qualificam projetos de dissertação

 

(30/08/2011) Quatro trabalhos foram apresentados na semana de qualificação de projetos de dissertação, nesta última segunda (29), no Campus da Pedra Branca da Unisul.

 

Estudantes da turma 2010 apresentam suas pesquisas

 

Os trabalhos apresentados representam as pesquisas em andamento dos estudantes da turma 2010 do Campus da Pedra Branca do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem.

 

“Na semana de qualificação de projetos de dissertação cada estudante tem 20 minutos para apresentação oral do projeto, seguido de arguição da comissão de qualificação”, comenta a professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, vice-coordenadora do Programa. “A qualificação de projetos de dissertação é uma etapa obrigatória na formação dos futuros mestres em Ciências da Linguagem”, completa.

 

 Veja a lista dos projetos apresentados:   

 

  

Alinne Perrone Auzier de Andrade

“Mídia televisiva: educação, educador e educado”

Banca:

Dra. Dilma Juliano (orientadora);

Dr. Fernando Vugman;

Dra. Nádia Neckel.

  

Conceição de Maria dos Santos Pacheco

“O tambor de crioula do Maranhão

como modo de subjetivação do sujeito”

Banca:

Dra. Solange Gallo (orientadora);

Dra. Nádia Neckel;

Dra. Dilma Juliano.

  

Mary-Neuza de Freitas Clasen

“A recontextualização de um

objeto cultural em um espaço de moda”

Banca:

Dr. Aldo Litaiff (orientador);

Dr. Fernando Vugman;

Dra. Dilma Juliano.

  

Walterson de Faria

“Dead of Night: Sonho e realidade - Impressões”

Banca:

Dr. Antonio Santos (orientador);

Dra. Ramayana Lira;

Dra. Alessandra Brandão.

 

Edna Mazon 


Mara Salla assume coordenação de Cinema

 

(30/08/2011) Mara Salla, egressa do curso de “Cinema e Vídeo” e Mestre em Ciências da Linguagem, assume a coordenação do curso de Cinema e Realização Audiovisual no Campus da Pedra Branca.

 

A trajetória da cineasta Mara Salla: competência

 

O curso de Cinema e Vídeo (o atual Cinema e Realização Audiovisual) tinha entre seus calouros uma jovem chamada Mara Salla em 2001. Alta, magra e morena, destacava-se por ser uma das mais tímidas em uma turma bastante expansiva de jovens que, como ela, queriam se realizar através do cinema. Para contrabalançar o temperamento mais reservado, ela era uma das mais experientes da turma – já tinha na bagagem 10 anos de envolvimento prático com as imagens em movimento que, nas telas e telinhas, emocionam, fazem rir, chorar e pensar.

 

Quando Mara saiu de sua pequena cidade natal, Arvorezinha (RS), para continuar os estudos, pensava que seu sonho estava na música. Entrou no curso de Psicologia e de repente, em um verão, seu futuro a encontrou: arranjou um “bico” como cinegrafista de escuna, filmando os passeios de turistas pelas imediações da Ilha de Santa Catarina. Passou oito verões assim, mas logo já tinha sua própria produtora, a “Salla de Imagens Produções Artísticas”.

 

Mas Mara ainda não tinha percebido que ali estava o seu futuro. Essa certeza ela só teve quando trancou o curso de Psicologia e viu, em um jornal, um anúncio do vestibular para o curso de Cinema e Vídeo na Unisul. Na hora, teve a certeza absoluta que era isso que queria fazer para o resto de sua vida.

 

“A música faz parte dos meus filmes, é um elemento muito forte nas histórias que conto. Gosto de pensar a imagem e o áudio com o mesmo interesse, portanto, meu sonho com a música continua intenso”, comenta Mara.

 

O que ela descobriu é que o que gostava mesmo de fazer, e queria fazer isso pelo resto de sua vida, era contar, inventar histórias.

 

“O cinema deu-me essa possibilidade, especialmente nos filmes de ficção, com os quais eu mais me identifico. Tem magia, a gente está aqui e de repente pode estar em outra dimensão, isso é o que me atrai. A realidade é muitas vezes sem graça sem uma dose de fantasia. O cinema é esse lugar em que tudo é permitido. Ou seja: o cinema é a casa da magia”, enaltece.

 

Mesmo com toda essa experiência de vantagem, ela não ficou parada no curso. No segundo semestre já estagiava com o professor Daniel Izidoro no Programa Experiências, na TVCOM, logo se tornou monitora e em seguida foi contratada pela universidade como técnica em Edição, Montagem e Fotografia.

 

Seu TCC foi incluído entre os cinco finalistas do Prêmio de Apoio à Produção de Trabalhos de Conclusão de Cursos de Cinema e Audiovisual promovido pelo Ministério da Cultura e Forcine em 2005 - o único de uma universidade não federal premiado. Adaptado de uma crônica da escritora catarinense Urda Alice Klueger, “Por causa de Papai Noel” é a história de uma menina que interage com personagens de fábulas infantis. Já participou de cerca de 40 festivais e amealhou alguns prêmios.

 

Nesse meio tempo, ela concluiu o mestrado em Ciências da Linguagem e foi convidada para dar aulas no curso de Cinema, junto com seu trabalho de técnica. Essa função ela exerceu até o mês passado quando, a convite, assumiu a coordenação do curso.

 

Segundo o professor Luciano Bitencourt, coordenador da UNA Educação, Humanidades e Artes, sua indicação, feita pelo ex-coordenador Marcelo Esteves, foi baseada na qualificação acadêmica e também empreendedora de Mara e pela sua própria vivência na instituição, pois conhece o curso como aluna, como técnica e como professora.

 

Nessa sua trajetória, outro momento bastante significativo ela vivenciou ano passado, quando retornou à sua cidade natal. O comovente relato ela transpôs em palavras em um artigo publicado no Unisul Hoje. Vale a pena conferir. Acesse

 

Unisul Hoje (Adaptado)


Transtornos alimentares em discussão

 

(24/08/2011) Carolina Bithencourt Rubin e Ligiane Pessoa dos Santos Bonifácio, mestres em Ciências da Linguagem, apresentaram o trabalho intitulado “A prática de transtornos alimentares em redes sociais: uma pesquisa com base na análise crítica do discurso” no VI SIGET em Natal, Rio Grande do Norte.

 

Fórum virtual torna-se objeto de análise

 

De acordo com as autoras, a pesquisa analisou, segundo os pressupostos teórico-metodológicos da Análise Crítica do Discurso e da Linguística Sistêmico Funcional, os significados representacionais, acionais e identificacionais construídos pelo discurso de 30 garotas que participaram do fórum virtual “DESABAFOS–AQUI” da comunidade “Anorexia e Bulimia-Ajuda” da rede social Orkut.

 

“Para investigarmos e analisarmos como os textos das participantes do fórum, através de significados representacionais, identitários e acionais, constroem e/ou alteram o social, selecionamos alguns relatos no fórum que nos ofereceram evidências a respeito das atitudes das participantes para atenderem ao padrão hegemônico da beleza magra”, explica Carolina.

 

“Fizemos uso da Análise Crítica do Discurso e da Linguística Sistêmico Funcional para analisarmos os efeitos ideológicos que os eventos discursivos exercem sobre as formas de as garotas participantes do fórum “DESABAFOS–AQUI” se relacionarem e agirem socialmente, as suas formas de ser, as suas identidades e os seus sistemas de valores, crenças e atitudes”, complementa Ligiane.

 

Ligiane defendeu sua dissertação em julho de 2011 e Carolina em maio. Atualmente, Carolina cursa Doutorado em Ciências da Linguagem no PPGCL.

 

Na foto, da esquerda para a direita, Ligiane Pessoa dos Santos Bonifácio e Carolina Bithencourt Rubin no VI SIGET.

 

Edna Mazon


Professora Ramayana é entrevistada no Jornal do Almoço

 

(24/08/2011) Professora Dra. Ramayana Lira de Sousa divulgou o projeto Cineclube Cinema em Transe que é promovido pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem nesta última quinta (18) em entrevista concedida a Rodrigo Speck no Jornal do Almoço da RBS.

 

Cinema em transe

 

Segundo Ramayana, que também é docente da graduação em cinema da Unisul, o objetivo do projeto é promover um espaço totalmente democrático e aberto para que as pessoas possam reunir-se ao redor de uma obra cinematográfica e produzir conhecimento a respeito do filme.

 

Segundo a pesquisadora, a produção audiovisual está mais acessível ao público. “A tecnologia digital e a ampliação dos espaços de discussão oportunizam um contato maior com a arte audiovisual e uma reflexão sobre as obras”, explica. “Por isso nós, do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem e do curso de Graduação em Cinema, temos pensado em oportunizar espaços onde se possa reunir-se e pensar sobre o que é um filme e sobre o que esse filme faz conosco”, completa.

 

Na sequência, Rodrigo pergunta se as pessoas estão preparadas para esse tipo de filme, já que são filmes europeus, argentinos e chilenos, isto é, são filmes não convencionais. “As pessoas estão preparadas para qualquer cinema. Uma das maravilhas da sétima arte é que ela surge como uma arte extremamente democrática, mas nós precisamos incentivar um olhar um pouco mais apurado, pois, algumas vezes, o nosso olhar é um tanto ingênuo quando nós vemos um filme”, comenta. “Um dos objetivos desse projeto é exatamente voltar a educar o olhar de como ver um filme e a partir desse olhar não mais ingênuo do cinema pensar todo o audiovisual que nos cerca”, complementa.

 

O projeto é totalmente aberto a comunidade em geral e a comunidade acadêmica. As reuniões são quinzenais e iniciam-se a partir das 18h45min, nas quintas-feiras, na Sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

Confira o calendário de encontros: 1º de setembro, 29 de setembro, 6 de outubro e 20 de outubro.

 

Veja a entrevista completa, aqui.

 

PPGCL


Professor Sandro Braga apresenta trabalho no IV SIGET

 

(23/08/2011) O professor Dr. Sandro Braga, PPGCL/UNISUL, e a professora Maria Ester Moritz, UFSC, apresentaram o trabalho intitulado “O gênero entrevistas: uma investigação do contexto de situação e dos marcadores de modalidade” no VI SIGET em Natal, Rio Grande do Norte.

 

Páginas amarelas da Revista Veja em destaque

 

De acordo com os professores, a pesquisa pretende investigar o contexto de situação das entrevistas publicadas nas páginas amarelas da Revista Veja assim como analisar os significados interpessoais manifestados através dos marcadores de modalidade presentes nos textos.

 

“A investigação da função interpessoal justifica-se a partir da afirmação de Halliday de que ‘por meio da modalidade o falante associa à tese uma indicação de seu estatuto e validade segundo seu próprio julgamento; ele se introduz e toma uma posição’, explica o professor Sandro Braga. “Assim, é nesse nível interpessoal de análise que a voz dos interactantes é apresentada revelando atitudes, julgamentos, identidades e os papéis estabelecidos nas interações”, completa a professora Maria Ester Moritz.

 

Segundo os pesquisadores, a investigação do contexto situacional das entrevistas pode ser uma ferramenta que pode trazer bons resultados tanto para entender o contexto em que as entrevistas acontecem assim como os papéis que os interlocutores assumem na produção do discurso.

 

“O propósito da pesquisa é suscitar uma consciência crítica acerca do gênero entrevista, identificar a bidirecionalidade entre o uso da língua materializado nesse gênero e as práticas discursivas de entrevistados e entrevistadores”, conclui Braga.

 

PPGCL


Colóquio discute arte contemporânea

 

(23/08/2011) Colóquio Internacional sobre Arte Contemporânea reuniu estudantes e professores de três Universidades catarinenses – Unisul, Univille e UnC – nesta última segunda, 22, em Joinville.

 

Professores da Université Aix-Marseille I, França,

discutiram questões de alcance mundial

 

Docentes e estudantes da Universidade da Região de Joinville (Univille) da Universidade do Contestado (UnC) e da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) participaram de programação intensiva, no qual os conceitos de arte contemporânea foram discutidos a partir das artes visuais, do cinema, do teatro e da música.

 

O evento começou com a fala da professora Nádja de Carvalho Lamas que, em seguida, passou para o professor Walter Queiroz Guerreiro a tarefa de apresentar os desenhos de Luiz Henrique Schawnke e discutir até onde esta obra pode ser considerada contemporânea a partir de conceitos clássicos e modernos sobre este gênero. “Fiz uma passagem sobre os vários momentos dos desenhos de Schwanke, do pop ao minimalista”, afirma o professor.

 

Em seguida, houve o debate sobre artes visuais e cinema, com a participação das professoras Taiza Rauen Morais, da Univille; Caroline Renard e Carolina Martin, da Université Aix-Marseille I; e Nádia Régia Maffi Neckel e Solange Maria Leda Gallo, da Unisul.

 

“É importante discutir a arte contemporânea, porque é nela que se expressa a angústia das pessoas na atualidade. É na transgressão de regras e no hibridismo que vive a arte contemporânea”, avalia o professor Euler Westphal, que foi o moderador da mesa sobre cinema.

 

Por fim, a maestrina Fabrícia Piva e a professora Luciane Garcez, da UDESC, foram moderadoras da mesa sobre teatro e música, com a participação de três professores franceses que fizeram uma análise dos caminhos da arte contemporânea nos dois estilos a partir do ano 2000. Esta palestra teve tradução simultânea para o português.

 

“O objetivo do colóquio é ampliar as possibilidades de discussão. Esse intercâmbio entre as Universidades é fundamental: se a gente fica só ‘conversando consigo mesmo’, não cresce”, avalia a professora Nadja de Carvalho Lamas, organizadora do Colóquio.    

 

Na foto principal, um flagrante da mesa de abertura. Mais abaixo, os organizadores do evento posam com as professoras da Université Aix-Marseille I.

 

 

A NOTÍCIA (adaptado)


Ciências da Linguagem terá 15 trabalhos no CELLIP

 

(22/08/2011) Alunos e professores do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Unisul participarão entre os dias 25 e 27 de outubro do XX Seminário do Centro de Estudos Linguísticos e Literários do Paraná (CELLIP), em Londrina. O evento completa 25 anos. Junto com o Círculo de Estudos Linguísticos do Sul (CELSUL), que ocorre nos anos pares, o CELLIP é um dos grandes eventos da área, que reúne pesquisadores de todo o Sul do país.

 

Alunos e professores dos cursos de mestrado e de doutorado

em Ciências da Linguagem da Unisul têm suas pesquisas

apresentadas em evento que reúne estudiosos de todo o sul do Brasil

 

Foram quinze trabalhos aceitos para apresentação no evento que este ano será na Universidade Estadual de Londrina. Os trabalhos fazem parte de pesquisas sobre diversos temas. Um deles é da aluna do mestrado, Layla Antunes de Oliveira. Ela realizou sua pesquisa com base na Teoria da Relevância, analisando o show de humor “Improvável – Um espetáculo provavelmente bom”. Para Layla, a participação no seminário será válida pela troca de experiências com outros pesquisadores. “Acho muito importante esse contato que contribuirá para o desenvolvimento da minha pesquisa”, avalia.

 

Veja a lista das pesquisas da Unisul aprovadas na programação do evento:

 

“Tecnologia e aprendizagem: diferenças e analogias entre esses conceitos”, de Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira e Franciele Siqueira Miotto;

 

“Os atos de fala na campanha publicitária pelo voto consciente”, de Eliana Gato;

 

“Estímulos ostensivos no comercial de televisão para sandálias havaianas: análise com base na teoria da relevância”, de Fábio José Rauen e Suelen Francez Machado;

 

“Um espetáculo provavelmente bom: análise dos processos interacionais do quadro cenas improváveis com base na teoria da relevância”, de Fábio José Rauen e Layla Antunes de Oliveira;

 

“Personalidade feminina: contornos e cores no teatro do século XIX”, de Jussara Bittencourt de Sá e Suzana Luiz Tibúrcio;

 

“Cultura e identidade: estudo e reconhecimento dos legados étnicos no município de Sangão – SC”, de Suzana Luiz Tibúrcio e Jussara Bittencourt de Sá;

 

“Uso social e mediações do desenho animado doki como recurso motivador da aprendizagem”, de Leidiane Coelho Jorge;

 

“As condições de produção e posições subjetivas de um projeto de curso superior tecnológico”, de Marilene Maria Schmidt;

 

“O discurso da escola e as patologias da linguagem”, de Rosane Lemos Barreto e Maurício Eugênio Maliska;

 

“Ferramenta fórum no ensino a distância: do discurso pedagógico à pedagogia do discurso”, de Simone Atayde Floriano da Silva;

 

“O letramento no livro didático de língua portuguesa: aquisição versus prática”, de Vanessa Wendhausen Lima;

 

“A memória através dos movimentos dos sentidos”, de Marilene Teresinha Stroka;

 

“Imagem em discurso”, de Nádia Régia Maffi Neckel;

 

“O David de Bernini: discurso e o silêncio”, de Regina Aparecida Milléo de Paula;

 

“Enquadrando a vida: as tirinhas no contexto escolar”, de Tatiani Novaes.

 

Veja o site oficial do evento.

 

C&R (adaptado)


Universidade recebe Seminário de Ciência e Cultura

 

(22/08/2011) Nos dias 5 e 6 de setembro será realizado no campus da Pedra Branca o sexto Seminário Integrado e Interinstitucional, Ciência e Cultura. O evento faz parte do projeto "As relações Culturais e Artísticas e a Preservação de Patrimônio Material e Imaterial Implicados no Desenvolvimento Regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville". Esse projeto é desenvolvido por três universidades: Unisul, Universidade do Contestado e Univille.

 

Seminário Integrado e Interinstitucional

de Ciência e Cultura será realizado em setembro na Unisul

 

Com duração de dois anos (2010 e 2011), o projeto previu a realização de seis seminários, dois em cada uma das instituições participantes. O sexto, e último, será realizado na Unisul, que é a instituição coordenadora do projeto. Cada seminário destacou o foco das pesquisas desenvolvidas pela instituição que sediou o evento. Na Unisul o tema é Ciência e Cultura.

 

“O VI Seminário Integrado e Interinstitucional Ciência e Cultura marca o encerramento deste projeto que realizou um amplo ciclo de discussão de pesquisas e de produções na área de economia, cultura, arte, ciência e desenvolvimento, no Estado de Santa Catarina”, explica Edna Mazon, secretária do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem no campus da Pedra Branca. Edna auxilia a organização deste VI Seminário e participou do seminário que a Unisul realizou anteriormente. A professora Solange Gallo representa a Unisul neste projeto e nos seminários. Também participam dos eventos docentes e discentes do PPGCL e dos cursos de graduação da Unisul.

 

Este evento é o último de uma série de seis, realizados em dois anos de trabalho. Durante esse tempo o grupo de pesquisadores das três universidades envolvidas discutiram as relações culturais que se estabelecem nas regiões onde essas instituições de ensino superior estão inseridas. A Unisul é a responsável pela coordenação geral do projeto através da professora Solange Gallo. Assim, a Unisul, juntamente com a Univille e a UnC produziram seis publicações impressas, seis publicações digitais e seis seminários de abrangência nacional e internacional que procuraram discutir as temáticas de Ciência e Cultura, Cultura e Arte e, Cultura e Desenvolvimento.

 

Edna pontuou os benefícios da universidade ao participar do evento: produção docente e discente; inserção na comunidade; relações interinstitucionais com demais Programas de Pós-graduação stricto sensu; pesquisa continuada sobre as relações culturais do Sul, do Norte e do Planalto Norte de Santa Catarina.

 

Os seguintes temas serão abordados:

Cultura, Ciência e Discurso;

Cultura, Ciência e Desenvolvimento;

Ciência, Patrimônio Cultural e Arte.

 

Programação

 

Dia 5 de setembro (segunda- feira)

 

09h30 – Credenciamento e colocação de pôster

10h30 -11h30 Reunião interna: Discussão de propostas para futuros projetos

12h – 14h - Almoço

 

14h00 – 15h30 - Mesa: Ciência, Cultura, Desenvolvimento-

1ª parte - Coordenação Maria Luiza Milani (UnC)

 

15h30 –16h - Intervalo

 

16h - 18h - Comunicações: Ciência, Cultura, Desenvolvimento

2ª parte - Mestrandos e Doutorandos

 

18h30 - 19h00 Intervalo

 

19h–19h30 - Abertura oficial do evento

19h30 - Momento Cultural

 

20h - Palestra: Jose Soares Gatti Junior

Mediação: Ramayana Lira de Sousa e Alessandra Soares Brandão (PPGCL- Unisul)

 

Dia 6 de setembro (terça-feira)

 

09h30 - 11h - Mesa: Ciência, Cultura, Tecnologia

1ª parte – Coordenação Solange Maria Leda Gallo (PPGCL- Unisul)

 

11h – 13h - Comunicações – Ciência, Cultura, Tecnologia

2ª parte - Mestrandos e Doutorandos

 

13h – 14h – Almoço

 

14h-15h30 Mesa: Ciência, Cultura, Arte

1ª parte - Coordenação Nadja de Carvalho Lamas (Univille)

 

15h30 –16h Intervalo

 

16h - 18h Comunicações: Ciência, Cultura, Arte

2ª parte - Mestrandos e Doutorandos

 

18h30 - Mesa de avaliação do Projeto

 

C&R (adaptado)


Professora Maria Marta coordena Simpósio no SIGET

 

(22/08/2011) A professora Dra. Maria Marta Furlanetto coordenou com a professora Rosângela Hammes Rodrigues (UFSC) o simpósio temático "Ensino-aprendizagem da leitura e da produção textual mediado pelos gêneros do discurso: caminhos e reflexões" no VI SIGET.

 

Gêneros do discurso são discutidos

 

A professora apresentou, nesse simpósio, o trabalho "Revisitando o gênero em Bakhtin pela visão de Patrick Sériot: interpretando a teoria e a dispersão de sentidos - consequências no campo educacional".

 

“Nesse trabalho eu pude discutir e avaliar a interpretação feita pelo autor do texto-chave de Bakhtin sobre os gêneros do discurso, bem como o que se tem feito pedagogicamente com a mudança de rumo metodológico na aprendizagem de línguas”, explica.

 

Foram apresentados no simpósio várias pesquisas que aplicam as teorias linguísticas em situações-problema de ensino e aprendizagem, especialmente no que se refere a problemas de letramento. O simpósio foi muito produtivo porque fez circular um conjunto de experiências que visam melhorar o ensino de língua materna.

 

Furlanetto possui graduação em Letras Neolatinas pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em Linguistique Appliquée pela Universidade de Paris VIII. Atualmente é professora e pesquisadora da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), onde coordena o Grupo de Pesquisa "Análise do Discurso, pesquisa e ensino" (GADIPE). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes campos: discurso, educação, língua portuguesa e semântica. Integra o Grupo de trabalho de Linguística Aplicada da ANPOLL. É um dos editores do periódico Linguagem em (Dis)curso e membro do corpo editorial de vários periódicos.

 

Na foto, a professora Maria Marta Furlanetto à direta e a professora Rosângela Hammes Rodrigues à esquerda.

 

PPGCL


Estudos da mídia no VI SIGET

 

(19/08/2011) A professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes apresentou dois trabalhos no VI Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais - SIGET que ocorreu entre os dias 16 e 19 em Natal, Rio Grande do Norte.

 

Mídia televisiva em discussão

 

O primeiro trabalho apresentado pela professora foi uma comunicação no Simpósio Temático “Gêneros Jornalísticos e Estilo”, intitulado “Informação e Espetáculo: análise dos gêneros jornalísticos exibidos no Programa Fantástico (Rede Globo)”.

 

“Na primeira apresentação, o inventário dos gêneros presentes foi analisado sob a perspectiva da Sociedade do Espetáculo proposta por Guy Debord (1997) - e dos conceitos de sensacionalismo, espetáculo e simulacros, e promoveu uma reflexão sobre a função social do jornalismo e seu papel na formação do imaginário social”, explica.

 

O segundo trabalho foi uma apresentação na Linha de Mídia produzido em coautoria com o mestrando João Paulo de Luca Júnior.

 

“No estudo intitulado “Comunicação, linguagem e representações sociais: análise do gênero jornalístico televisivo” a discussão recaiu sobre a forma de produção textual do gênero jornalístico televisivo como um modo de construção de representação social para a massa receptora, passando pelo conceito de habitus (Bourdieu, 1992)”, explica. “O estudo propôs uma comparação entre uma notícia do Jornal Nacional com a publicação de quatro sites noticiosos”, completa.

 

Na foto, um flagrante da apresentação da professora.

 

PPGCL


Estudo integra teoria da relevância e gênero

 

(18/08/2011) O professor Dr. Fábio José Rauen apresentou o trabalho “Teoria da relevância e análise sociorretórica de gêneros textuais: análise das correlações entre chamadas de capa e textos chamados” nesta última quarta (17) no VI SIGET em Natal, RN. No estudo, Rauen integra as duas teorias, quando defende que o texto chamado desenvolve a escala focal anunciada pelo título.

 

Viés pragmático-cognitivo

 

O trabalho de Rauen tem procurado verificar as correlações teóricas e conceptuais entre a análise sociorretórica de gêneros textuais e a teoria da relevância em textos de gêneros que circulam nos jornais.

 

“Comecei a me interessar por essas interfaces quando analisei cartas-consulta. Esse gênero me permitiu observar as interfaces entre relevância e organização retórica e eu consegui refinar o próprio conceito desse gênero e de seus dois subtipos, as cartas-consulta diretas e indiretas”, comenta.

 

Na pesquisa apresentada no VI Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais, que ocorre até o dia 19 em Natal (RN), o pesquisador apresentou os primeiros resultados com o gênero chamada de capa.

 

“Nesta fase do projeto, estou analisando 31 chamadas de capa e seus 38 textos desenvolvidos. Esses textos foram selecionados dos jornais Folha de S. Paulo, Diário Catarinense e A Tribuna (Araranguá, SC) e fazem parte da dissertação de Caldeira (2007)”, explica.

 

Rauen está desenvolvendo a hipótese de que os estímulos ostensivos da chamada de capa e do lead do texto chamado formam um todo com o corpo principal do texto chamado no qual os primeiros funcionam como elementos direcionadores da escala focal do último.

 

“Para o Simpósio, eu analisei apenas uma chamada de capa e seu texto chamado e os resultados são promissores porque o texto chamado funcionou como desenvolvimento da escala focal apresentada no título”, comemora.

 

“Uma escala focal é um expediente onde você direciona para a direita o constituinte da sentença que você quer focalizar. Por exemplo, o título da matéria Câmara de SP aprova proibição de outdoor põe à direita o constituinte proibição de outdoor e forma uma escala do tipo: Alguém fez algo, A Câmara de SP fez algo, O que fez a Câmara de SP?, A Câmara de SP aprovou algo, O que a Câmara de SP aprovou?, A Câmara de SP aprovou a proibição de outdoor”, detalha o autor.

 

Rauen comenta que seus achados são uma evidência de que se os gêneros textuais são esquemas mais estabilizados de modos de dizer, parte dessa estabilização decorre de arranjos sintáticos que, do ponto de vista pragmático-cognitivo, diminuem esforços de processamento e, por consequência, aumentam a relevância do texto.

 

O Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais – SIGET é um evento que visa: congregar pesquisadores brasileiros e estrangeiros envolvidos em estudos sobre gêneros textuais; discutir questões teóricas e aplicadas relacionadas à pesquisa em gêneros textuais; divulgar estudos teóricos e aplicados que possam oferecer diferentes enfoques e abordagens, contribuindo para releituras desse objeto de pesquisa; e oportunizar a discussão de questões relevantes para a construção de uma agenda política e pedagógica destinada a políticas governamentais.

 

Na sexta edição, o tema central é “Gênero textual/discursivo e Letramento”. Em 2007, a Unisul sediou a quarta edição do evento em Tubarão com a participação de cerca de mil pesquisadores nacionais e internacionais.

 

Na foto, um flagrante da apresentação do pesquisador.

 

PPGCL


Mestre em Ciências da Linguagem lança livro

 

(18/08/2011) Mário Abel Bressan Júnior, mestre em Ciências da Linguagem e professor do curso de Comunicação Social da Unisul, lançará em setembro o livro “Semiótica do crime: a semiótica da narrativa na telenovela”. O livro é fruto de sua dissertação de Mestrado.

 

Semiótica do Crime é tema de livro

 

O livro é fruto de sua dissertação de Mestrado intitulada “As estruturas de sentido no horário nobre: análise das personagens Flora e Donatela na telenovela A Favorita sob as perspectivas da classificação das personagens e da semiótica da narrativa”, sob a orientação da professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes. 

 

Segundo Bressan, o livro explica o percurso gerativo de sentido, na narrativa televisiva, quando, diante de um assassinato, a trama apresenta duas personagens principais suspeitas e estimula, pois, o público a posicionar-se sobre quem está falando a verdade.

 

De acordo com o autor, a obra faz uma análise do áudio visual das personagens Flora e Donatela com o intuito de entender porque os telespectadores têm visões diferentes entre um personagem e outro, e identificar elementos que promovem a construção de sentido.

 

“O livro traz como fundamentação teórica aspectos sobre a história da telenovela, características deste gênero, destaca os conceitos e aplicações da semiótica da narrativa, evidenciado por Greimas e outros autores, contextualiza o percurso gerativo de sentido nas narrativas”, explica. “Enfim, investiga a forma com que a narrativa de suspense direciona o telespectador à escolha do assassino por meio dos indícios pontuados pelas personagens”, conclui.

 

O lançamento do livro está previsto para setembro. Todavia, já é possível adquiri-lo pelo site da editora biblioteca 24 horas www.biblioteca24x7.com.br.

 

Daiana Carvalho/Agcom (adaptado)


Professoras do PPGCL promovem debate sobre filme

 

(18/08/2011) O filme "O desespero de Verônica Voss" será exibido pelas professoras Ramayana Lira de Sousa e Alessandra Soares Brandão para os alunos do curso de Cinema e Realização Audiovisual da Unisul na próxima segunda-feira, dia 22 de agosto, às 19 horas, no auditório do Bloco C do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

O filme "O desespero de Verônica Voss" é objeto de dicussão

 

As professoras Ramayana Lira de Sousa e Alessandra Soares Brandão promoverão a exibição e o debate do filme "O desespero de Verônica Voss" para os alunos do curso de Cinema e Realização Audiovisual da Unisul, mas a sessão é aberta à comunidade acadêmica. A obra é o penúltimo filme de um dos mais importantes diretores do cinema europeu, Rainer Werner Fassbinder.

 

Ramayana explica que o filme possui linguagem de um cinema industrial com o modernismo. Foi responsável por revalorizar o melodrama, um gênero popular que prioriza o sentimento e a organização esquemática da narrativa, visto normalmente como conservador, sexista. A reinvenção do gênero está conectada, exatamente, à não-inocência nas relações entre câmera e cena, música e emoção.

 

O filme é uma narrativa ambientada nos anos 50, na Alemanha, onde a protagonista, Verônica, decadente atriz de cinema e viciada em heroína, se envolve com um jornalista de esporte. É sustentada por Dra. Katz, uma figura ambígua líder de um grupo que utiliza o vício de pacientes ricos para se aproveitar de suas fortunas.

 

“O desespero de Verônica Voss oferece-nos também a oportunidade de repensar o melodrama em outra chave estética, em exemplo com tons políticos. O mundo criado pelo cineasta é inteiramente estilizado, disforme, o preto e branco cria formas de uma frieza analítica. O cinema também pode ser um mundo excessivo, sozinho, fazendo-nos pensar em relação à vida. E como afirmava o próprio Fassbinder: não existem acontecimentos reais. O verdadeiro é o que vem da arte”, argumenta Ramayana.

 

Unisul Hoje (Adaptado)


Dissertação analisa o ensino do espanhol no Brasil

 

(11/08/2011) A estudante Sueli Terezinha de Oliveira defendeu a dissertação intitulada “O ensino do espanhol no Brasil: silenciamentos e dominâncias”, nesta última quarta (10), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Políticas linguísticas são discutidas em dissertação

 

A pesquisa de Sueli analisou, com base na teoria da Análise do Discurso, as políticas linguísticas voltadas à promoção do ensino da língua espanhola no Brasil e suas contradições.

 

“Se por um lado existem Acordos e Leis que favorecem um maior estreitamento nas relações entre o Brasil e os países vizinhos que compõem o Mercosul, que têm como língua oficial o Espanhol; por outro, existe a relação estreita entre o Brasil e a Espanha que, através de uma política linguística bem definida e de ações suportadas pelo governo brasileiro, sobrepõem-se aos interesses do Bloco de países que formam o Mercosul”, explica a estudante.

 

Segundo Sueli, foram analisados documentos que institucionalizam políticas de promoção do Espanhol, como acordos do Mercosul e a Lei 11.161/2005.

 

“No contraponto, analisamos o papel do Instituto Cervantes, e a forma como a língua espanhola chega às escolas através de materiais didáticos”, observa. “A partir das análises, em seu conjunto, constatamos que a preferência por uma ou outra vertente de ensino do espanhol no Brasil vem determinada por ações de organismos reguladores, sejam estes: governo, escolas ou iniciativa privada”, conclui a pesquisadora.

 

A dissertação de Sueli foi aprovada por banca formada pela professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel, orientadora; pelos professores Dr. Rafael Márcio Chapieski e Dra. Maria Luiza Milani, UnC, avaliadores externos; e pela professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, UNISUL, avaliadora interna.

 

Na foto principal, um flagrante da defesa pública de dissertação. Mais abaixo, da esquerda para a direita, Rafael Márcio Chapieski, Maria Luiza Milani, Nádia Régia Maffi Neckel, Sueli Terezinha de Oliveira e Solange Maria Leda Gallo.

 

 

Edna Mazon


Professora Solange apresentará Ciência em Curso na UNICAMP

 

(10/08/2011) A professora Dra. Solange Maria Leda Gallo ministrará palestra intitulada “Os filhos do Contestado: uma análise discursiva” na próxima segunda-feira, dia 15 de agosto, às 9 horas e 30 minutos na sala dos colegiados do IEL/UNICAMP em São Paulo.

 

Revista Ciência em Curso será objeto de discussão

 

Na palestra, a professora fará a análise de um material audiovisual publicado na Revista Ciência em Curso, volume 6 (out/dez 2010), denominado “Contestado Com-testado”(http://cienciaemcurso.unisul.br/interna_capitulo.php?id_capitulo=179).

 

“Trata-se da análise de um material de divulgação científica disponibilizado no site da Revista Ciência em Curso que versa sobre a Guerra do Contestado, um dos mais ricos movimentos populares da história brasileira”, explica a professora.

 

Na mesma oportunidade, a professora Solange participará de uma banca de qualificação de tese.

 

Edna Mazon


VI Seminário Integrado Interinstitucional será em setembro

 

(09/08/2011) O VI Seminário Integrado e Interinstitucional: Ciência e Cultura movimentará o campus de Pedra Branca da Unisul nos dias 5 e 6 de setembro. O evento acontecerá no Auditório do Bloco C.

 

O VI Seminário Integrado e Interinstitucional: Ciência e Cultura marca o encerramento do projeto desenvolvido pela UNISUL, UnC e UNIVILLE

 

O VI Seminário Integrado e Interinstitucional: Ciência e Cultura vincula-se ao projeto de pesquisa "As relações Culturais e Artísticas e a Preservação de Patrimônio Material e Imaterial Implicados no Desenvolvimento Regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville", desenvolvido por três universidades: UNISUL, Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem; UnC, Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional; e UNIVILLE, Programa de Mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade, com o apoio CAPES/MINC.

 

O VI Seminário Integrado e Interinstitucional Ciência e Cultura marca o encerramento deste projeto, que realizou um amplo ciclo de discussão de pesquisas e produções na área de economia, cultura, arte, ciência e desenvolvimento, no estado de Santa Catarina durante os anos de 2010 e de 2011.

 

As inscrições serão gratuitas e realizadas no primeiro dia do evento. Os interessados em apresentar comunicação oral ou pôster devem enviar sua proposta para reginamilleo@yahoo.com.br até o próximo dia 15 de agosto de 2011.

 

Informações e normas para submissão de trabalhos, clique aqui.

Para acessar o modelo de pôster, clique aqui.

 

Edna Mazon


Ciências da Linguagem faz aula magna

 

(08/08/2011) O Mestrado e o Doutorado em Ciências da Linguagem receberam o professor Dr. Adair Bonini (UFSC) em uma aula magna na tarde desta sexta-feira (5). O tema “A leitura crítica e aporte da análise crítica de gêneros” foi apresentado na sala 311 do bloco Pedagógico. O palestrante apresentou conceitos e análises de gênero com o objetivo de estimular a valorização da criticidade na sala de aula, com ênfase na realidade brasileira.

 

Leitura crítica e análise de gêneros relacionadas à realidade brasileira estiveram no centro da palestra

 

Para Bonini é “importante pensar a análise crítica, distinguir uma fala deste tipo, para que os alunos possam refletir sobre o que estão pesquisando, produzindo e também para que eles pensem no papel do ensino no Brasil, principalmente da linguagem”, afirma. Sobre sua linha de pesquisa, ele explica que tem pensado em “análise de gênero de orientação brasileira e particularmente através de Paulo Freire, ao tentar relacionar o conceito de crítico com a pedagogia utilizada por Freire, que é a pedagogia popular, libertadora”, define.

 

Durante a aula, Bonini apresentou exemplos de análises através de pontos-chave como Gênero: ações de textualização, produção e compreensão e Discurso: identidades, relações e representações sociais. Também foi destaque a leitura crítica ou reflexiva, usando o texto como um meio de estimular a mente, colocando-se como ator social, levando o aluno a pensar seu lugar no mundo. “O professor precisa se mostrar como alguém que opina para estimular o aluno a ter também a sua opinião”, comenta o doutor.

 

Bonini também usou exemplos da mídia nacional para pesquisar os gêneros, analisando os discursos, questionando quem está por trás do texto, quais interesses, que grupo tem a voz para o relato ter este ou outro sentido. O gênero aponta para certo tipo de prática de discurso, identidades, relações e representações e o leitor precisa refletir em que sentido esses fatores nos levam ao lado crítico. “Nós somos alternativos, criando novos conceitos, interpretações e ações ou somos adaptacionistas, repetido o passado”, questiona.

 

O autor refere-se a Paulo Freire quando aponta que no Brasil dentro de três categorias de atores sociais: intransitividade, transitividade e transitividade crítica. Na intransitividade, o sujeito não tem diálogo, apenas reproduz modelos; na transitividade ele já tem abertura debater idéias com outros, tem falas diferentes e na transitividade crítica o ator já tem uma posição diante das outras falas. Dentro da transitividade crítica há o diálogo e a democracia que, segundo Freire, não existe sem consciência crítica; autogoverno, no qual as comunidades assumem seus problemas e tentam resolvê-los sem importar modelos prontos, e a massificação que seria a mídia construindo uma consciência mágica, mascarando os problemas. “Paulo Freire é mais que um pedagogo, ele é um pensador da realidade brasileira”, afirma Bonini.

 

Na foto, Dr. Adair Bonini fala aos alunos do Mestrado e do Doutorado em Ciências da Linguagem.

 

Emanuelle Querino para o Unisul Hoje (adaptado)


Eventos e apresentações marcam primeiras aulas do PPGCL

 

(08/08/2011) De apresentação de docentes a grupos de estudos, de performance teatral a aula magna, uma série de atividades especiais marcou as primeiras aulas dos cursos de mestrado e de doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem nesta última sexta (5) em Tubarão.

 

Programação de fôlego

 

A sexta-feira iniciou com a apresentação dos projetos de pesquisa da equipe de professores doutores que compõe o quadro de Tubarão do Programa. Apresentaram-se os professores Doutores Heloísa Moraes, Alessandra Brandão, Ramayana Sousa, Maurício Maliska, Fábio Rauen, Maria Marta Furlanetto e Andreia Daltoé, bem como as secretárias Layla Oliveira e Suelen Machado.

 

Em seguida, o professor Ms. Gutemberg Geraldes leu o poema “Tabacaria” de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa, com a participação de dois atores do grupo de teatro da Unisul. Gutemberg é estudante do curso de Doutorado do PPGCL e juntamente com as professoras Erly Popoasky e Cláudia Formentin, em nome dos veteranos dos cursos do Programa, desejou as boas-vindas às novas turmas coma a performance.

 

À tarde, o professor Adair Bonini (UFSC) apresentou a aula magna “A leitura crítica e o aporte da análise crítica de gêneros”. Bonini traçou um panorama sobre os estudos de gêneros, enfatizando a necessidade de se pensar com mais seriedade a leitura crítica, resgatando para isso a teorização de Paulo Freire. A conferência ocorreu no auditório 311 do Bloco Pedagógico da Unisul em Tubarão.

 

No final da tarde, sob a coordenação da professora Ramayana Sousa, estudantes e docentes discutiram aspectos de “Humano, demasiadamente humano”, uma das obras de Friedrich Wilhelm Nietzsche. Trata-se do primeiro encontro do Grupo de Estudos Transdisciplinares do PPGCL com o tema “O sujeito da/na teoria”. Novos encontros do Grupo ocorrem no segundo semestre deste ano sempre discutindo a questão da subjetividade.

 

Na foto principal, um instantâneo da apresentação teatral. Nas fotos abaixo, um flagrante da exposição do professor Adair Bonini e da participação do público.

 

    

 

PPGCL


Curso de Letras completa 40 anos

 

(08/08/2011) O curso de Letras da Unisul completa 40 anos em 2011 e para comemorar estão sendo preparadas atividades para todo o semestre. A primeira foi na noite desta quinta-feira (4), com uma palestra do diretor do Colégio Dehon, professor Ms.Antônio Matiola, sobre a importância do professor, realizada no auditório do bloco da Saúde.

 

Outros eventos estão programados para o semestre

 

A coordenadora do Campus, Milene Kindermann, parabenizou os professores que lutaram desde o início do curso para que ele esteja hoje com 40 anos de sucesso. Lembrou que a Unisul completa este ano 47 anos e que, então, o curso de Letras esteve presente na universidade desde os primeiros anos. “Olhar para frente e ver uma universidade cada vez mais globalizada e olhar para trás, para a nossa história perceber que estamos aqui hoje porque muitos professores lutaram por isso. O curso em 40 anos formou muitos profissionais que hoje estão espalhados por todo o Sul do Estado e um dos frutos do curso de Letras é o Mestrado e Doutorado em Ciências da Linguagem, que tanto nos orgulha”, registra.

 

A palestra de Matiola teve como centro o questionamento “que tipo de professor eu quero ser”? Ele falou sobre a importância das dimensões ética, humana e política da profissão. “Ensinar é uma arte, é preciso gostar de gente. O professor precisa ter um encanto para conquistar os alunos e para isso é preciso comprometimento com a educação, com as ações pedagógicas da escola e integração com os colegas”, explica. Mattiola também estimulou a avaliação pessoal de cada aluno presente, para que refletissem como estão agindo como estudantes, porque isso vai refletir diretamente no perfil profissional.

 

O coordenador do Mestrado e Doutorado em Ciências da Linguagem, Fábio Rauen, se orgulha em saber que o programa é a realização de um sonho. Traçou uma linha do tempo em que em 1971 está o início do curso de Letras, em 1999 o início do Mestrado e em 2009 a primeira turma de Doutorado. “Quando começamos nossa estrutura era o sonho, a gana e o amor, não tínhamos uma cadeira. Aprendemos a fazer mestrado e doutorado fazendo, e hoje somos referência. Quando vejo que mais de 250 mestres estão espalhados pelo Brasil vejo o quanto crescemos”, comenta.

 

A coordenadora do curso de Letras, Jussara Bittencourt de Sá, destacou a história do curso que já teve licenciatura com Francês e Italiano e hoje tem Inglês e Espanhol, além das atividades feitas com os alunos como Sarau Literário e Dramaturgia.

 

Na oportunidade, os acadêmicos ganharam um kit com pasta, bloco de anotações, marca páginas, um livro e um exemplar da revista científica Linguagem e Discurso, além de uma camiseta esportiva personalizada em alusão à data.

 

A próxima atividade de comemoração ocorre na semana que vem com as defesas das monografias. No dia 28 de agosto, ocorre mais uma edição do Sarau Literário.

 

Na foto, o professor Antônio Matiola fala aos alunos do curso de Letras.

 

Adaptação do texto de Emanuelle Querino para o “Unisul Hoje”


Reitor prestigia abertura de turmas do PPGCL

 

(04/08/2011) Abertura de novas turmas de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem em Tubarão contou com a participação do Professor Dr. Ailton Nazareno Soares, Reitor da Universidade do Sul de Santa Catarina, nesta última sexta (4) na Sala 105 do Bloco Sede. Na oportunidade, Soares desejou as boas-vindas aos novos estudantes e falou sobre o projeto de educação permanente da Universidade.

 

Estudantes de Doutorado e de Mestrado foram prestigiados com a presença do Reitor da Universidade no início do ano letivo 2011-2012 do PPGCL. O professor Ailton Nazareno Soares falou sobre a importância da formação de mestres e doutores para a Universidade e relatou aos estudantes os esforços para se constituir como referência em pesquisa dentro de um paradigma de educação permanente. Em breve, todos os cursos da Unisul estarão alinhados com esse paradigma, afirmou.

 

Em seguida da apresentação do Reitor, o professor Fábio José Rauen, coordenador do Programa, falou sobre a história, o currículo, a estrutura e o funcionamento dos cursos de mestrado e de doutorado (foto abaixo). “O objetivo dessa apresentação foi o de orientar os estudantes no que se refere aos procedimentos acadêmicos e administrativos necessários para a consecução dos cursos”, explicou Rauen.

 

As aulas do Programa prosseguem hoje com as disciplinas Estética e Estudos Linguísticos e amanhã, sexta-feira (5), com a disciplina Filosofia da Linguagem. Para amanhã está programada uma Conferência inaugural intitulada “A leitura crítica e o aporte da análise crítica de gêneros” a cargo do Professor Dr. Adair Bonini, da UFSC, às 13:30 no Auditório 311 do Bloco Pedagógico, e o primeiro encontro do Grupo de Estudos “O sujeito da/na teoria”, às 15:00.

 

 

PPGCL


Ciências da Linguagem recomeça as atividades

 

(04/08/2011) O Mestrado e o Doutorado em Ciências da Linguagem da Unisul em Tubarão retomou suas atividades na tarde desta quinta-feira, 4. O coordenador, Fábio Rauen, fez a recepção dos mestrandos e doutorandos do segundo semestre de 2011.

 

A aula magna será uma palestra sobre “A leitura crítica e o aporte da análise crítica de gêneros”, com o Dr. Adair Bonini da UFSC. O evento será amanhã, 5, às 13h30 no auditório do bloco pedagógico.

 

Eventos sobre Cinema e Iniciação à Docência

fazem parte do calendário do semestre

 

Entre as atividades que o curso realiza este semestre estão o Cineclube Cinema em Transe, um espaço para discutir e apreciar a arte. Os encontros serão nos dias 18 de agosto, 1º, 15 e 29 de setembro e 6 de outubro, sempre às 18h45 na sala de treinamento do bloco Sede; e o Seminário Institucional PIBID/Unisul (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) – 3º Encontro de Formação Pedagógica e Seminário de Socialização em 1º de outubro no Espaço Integrado de Artes. O objetivo é oferecer aos bolsistas e envolvidos no programa práticas docentes sobre ensino com pesquisa em sala de aula.

 

Unisul Hoje (Adaptado)


Dissertação analisa divulgação científica na imprensa catarinense

 

(02/08/2011) O estudante Jorge Alexandre Lucas defendeu a dissertação intitulada “Análise do discurso de divulgação científica na imprensa catarinense” nesta segunda-feira (1º), no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A dissertação de Jorge trata do deslocamento dos efeitos de sentido da ciência entre a ciência propriamente dita e o efeito de sentido em ciência e tecnologia.

 

“Este esforço em compreender o funcionamento desse processo surge com Pêcheux no final da década de 1960, quando ele faz a discussão sobre a disputa na ‘leitura dos arquivos’ e interpretação da história, e os reflexos da mudança de mãos dessa leitura”, explica o estudante.

 

Segundo o estudante, a análise é feita por segmentos que passam pelo jornalismo científico na imprensa catarinense em comparação com mídia imprensa de São Paulo, para efeito de uma referência nacional, onde é apresentado o corpus segmentado e o recorte.

 

O trabalho de Jorge foi aprovado por banca formada pela professora Dra. Solange Maria Leda Gallo, UNISUL, orientadora; pela professora Dra. Heloísa Dallanhol, FAPESC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel, UNISUL, avaliadora do PPGCL.

 

PPGCL


Novos estudantes são acolhidos em Pedra Branca

 

(02/08/2011) Os estudantes das turmas 2011 foram acolhidos pelos docentes e discentes no campus de Pedra Branca, nesta última segunda (1º). História, currículo dos cursos de mestrado e de doutorado, estrutura e funcionamento foram destacados na atividade.

 

Para dar início a mais um ano letivo, o PPGCL preparou uma acolhida aos novos estudantes neste primeiro dia de aula. A professora Solange Maria Leda Gallo, coordenadora adjunta, iniciou as atividades com uma exposição sobre a concepção dos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem.

 

Na sequência, houve uma apresentação sobre as pesquisas desenvolvidas pelos docentes do campus. Expuseram suas pesquisas os professores Dr. Fernando Simão Vugman, Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, Dr. Antônio Carlos Santos, Dra. Solange Maria Leda Gallo, Dra. Nádia Regia Maffi Neckel e Dr. Sandro Braga. A professora Giovanna Gertrudes Benedetto Flores também foi convidada para a atividade.

 

Para a mestranda Daiane Nara de Oliveira Nogara, este primeiro momento foi muito proveitoso para compreender o funcionamento do Programa. “Gostei bastante da característica do curso: a interdisciplinaridade. Tenho colegas formados em psicologia, administração, comunicação social... e isso é muito interessante para a troca de ideias e de experiências”, explica. “Acredito que esse seja um diferencial do curso, pois percebi que em outras instituições os mestrados são focados em uma única área”, conclui.

 

Claudinei Zunino, egresso do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem, explica por que retornou para cursar o Doutorado. “Quando fiz o mestrado encantei-me com o curso e com os professores, principalmente com a professora Solange que foi minha orientadora na época”, comenta o estudante. “Voltei à procura de novos desafios”, projeta.

 

No período da tarde ocorreu a primeira aula da disciplina de Estudos Linguísticos. Logo após, às 17 horas e 30 minutos, os alunos prestigiaram a defesa de dissertação do estudante Jorge Alexandre Lucas.

 

Nesta terça-feira (2), iniciaram as disciplinas de Estética e de Filosofia da Linguagem.

 

Na foto principal, um flagrante da professora Solange Gallo. Mais abaixo, a professora Dilma Juliano apresenta seus projetos de pesquisa.

 

 

Edna Mazon


PPGCL promoverá Cineclube Cinema em Transe

 

(02/08/2011) Dra. Ramayana Lira de Sousa e Dra. Alessandra Soares Brandão, professoras do PPGCL, promoverão o Cineclube Cinema em Transe. Um espaço para curtir e para discutir cinema.

 

Nascidos nos anos 20, os cineclubes vinculam-se a uma concepção democrática de construir a relação do público com a obra cinematográfica.

 

“Tentamos construir um espaço para a apreciação e discussão de filmes, um espaço do novo, do pensamento sobre o audiovisual e do encontro de subjetividades, favorecendo um posicionamento crítico diante da proliferação de produtos audiovisuais, ajudando a construir critérios de avaliação e análise”, comenta a professora Ramayana.

 

“Buscamos estabelecer espaço de vivência e socialização, onde a discussão em torno do filmes mostra-se como potencialização da troca de saberes, oferecendo oportunidade para que alunos e professores, bem como comunidade em geral de Tubarão possam reunir-se em torno da obra audiovisual para a reflexão sobre temas, estéticas, políticas e sua relevância para o mundo contemporâneo”, completa.

 

Os encontros ocorrerão às 18h45min na sala de Treinamento do bloco sede do campus de Tubarão da Unisul.

 

Calendário de encontros: 18 de agosto; 1º de setembro; 15 de setembro; 29 de setembro e 6 de outubro.

 

Para maiores informações sobre o 1° encontro (18 de agosto), clique aqui.

Para conhecer a atividade, clique aqui.

 

PPGCL


Professora Jussara Sá participa do Programa Ciência & Pesquisa

 

(02/08/2011) A professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, professora e coordenadora do curso de Letras e professora dos cursos de Mestrado e de Doutorado em Ciências da Linguagem, foi entrevistada pelo professor Dr. Gilson Rocha Reynaldo, apresentador do Programa Ciência & Pesquisa, no último dia 06 de julho.

 

No Programa, Jussara Sá falou, dentre outras coisas, sobre o curso de Letras, sobre o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem, sobre as pesquisas que vem desenvolvendo e sobre a Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

“O curso de Letras comemora 40 anos em 2011 e o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem surgiu a partir desse curso”, comenta. “Por esse motivo, os cursos estão conectados, interagem e são relevantes para a universidade”, complementa.

 

Na sequência, Jussara é convidada a apresentar suas produções. Inicialmente, ela apresenta o CD interativo Topônimo: memória, história e cidadania.

 

Topônimo: memória, história e cidadania é um projeto que nasceu de uma pesquisa de PIBIC de uma aluna do curso de Letras com a parceria de duas professoras da rede pública, Edna Maria Matias da Silva e Simone Bittencourt Neto. O projeto trata da história dos nomes de dez municípios de nossa região e, por sua vez, das etnias que formaram esses municípios”, explica.

 

No decorrer da entrevista, Jussara apresenta outras produções, dentre elas, pode-se citar: Dez primeiros passos; Quem não lê não escreve: inovação com responsabilidade; Lira dos cem anos; Palavras contadas: memória da cultura oral do povo de Tubarão; Nação em cena: Brasil, teatro e século XIX.

 

Ao fim da entrevista, Jussara fala sobre a relevância social e científica das pesquisas que a Unisul, de uma forma geral, e os cursos de Letras, de Mestrado e de Doutorado em Ciências da Linguagem, de uma forma mais específica, realizam.

 

“No curso de Letras, percebe-se um retorno imediato para a comunidade, uma vez que os alunos atuam nas escolas e atuam como consultores de textos. Tudo isso provém dessas pesquisas, os alunos estão aprimorando-se e também estão aprimorando o seu entorno”, comenta.

 

“No Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem há várias pesquisas vinculadas ao projeto Identidades e Migrações que tem como objeto analítico questões relacionadas à cidade de Tubarão ou à região. Com isso, direta ou indiretamente, a universidade está indo através dos professores pesquisadores e dos alunos pesquisadores as comunidades, as cidades, mudando e modificando um pouco do contexto ou contribuindo com essa mudança”, completa.

 

Veja a entrevista completa, aqui.

 

PPGCL


Seminário Institucional movimentará a Unisul

 

(01/08/2011) O Seminário Institucional PIBID/UNISUL - 3º Encontro de Formação Pedagógica e 2º Seminário de Socialização – movimentará o campus de Tubarão da Unisul em 1º de outubro. O evento acontecerá no Espaço Integrado de Artes.

 

O objetivo do evento é proporcionar aos bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID, bem como aos demais envolvidos, práticas docentes no que se refere ao ensino com pesquisa na sala de aula. Participam do PIBID: bolsistas supervisores, bolsistas de iniciação à docência, e coordenadores de área (Biologia, Letras, Pedagogia e Matemática) e um coordenador institucional.

 

Para Adriana Mendonça Destro, coordenadora institucional do PIBID, o evento proporcionará a formação continuada que, por sua vez, é uma atividade importante na implantação do projeto institucional que tem como ação a realização de encontros preparatórios visando orientar a atuação dos bolsistas. “Diante dessa ação e com olhar na formação continuada dos bolsistas, propõem-se para o evento a temática: ensino com pesquisa na sala de aula”, afirma. “A temática apresentada irá articular ainda mais as áreas de conhecimento envolvidas e irá aproximar a Universidade e a comunidade educacional de seu entorno, comprometendo-se em fortalecer a qualidade de ensino da região”, completa.

 

O PIBID da Unisul é intitulado “Projeto Integrado das Licenciaturas: formação docente e compromisso social” e ocorre desde 1º de agosto de 2010 com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. “A finalidade do programa é valorizar o magistério e apoiar estudantes de licenciatura plena”, explica Adriana Destro.

 

O Seminário Institucional conta com o apoio da CAPES e da UNISUL. Estão envolvidos, direta ou indiretamente no evento, o PPGCL, o PROFOCO, o DEHON, o PARFOR, bem como os cursos de Matemática, de Letras, de Ciências Biológicas e de Pedagogia.

 

Para conferir a programação do evento, clique aqui.

 

PPGCL

Filmes hollywoodianos são objetos de estudo

 

(28/07/2011) A estudante Isabel Cristina Scafuto defendeu a dissertação intitulada “Mitos e identidades nos filmes Justiça Vermelha, Turistas e Gran Torino” nesta terça-feira (26), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A pesquisa de Isabel teve por objetivo analisar aspectos ideológicos, mitológicos e identitários dos estadunidenses, verificando de que maneira a mitologia estadunidense contemporânea está se adaptando às transformações históricas que se assistem, movidas por mais uma crise global do capitalismo.

 

“Para a realização deste estudo utilizei três filmes hollywoodianos: Justiça Vermelha (1995), Turistas (2006) e Gran Torino (2008), os quais serviram como base para a análise proposta”, explica a estudante. “Busquei focalizar a construção do ‘americano’ em cada filme, o seu discurso e a sua relação com o Outro, nas três diferentes situações que foram apresentadas”, completa.

 

Isabel acredita que as questões levantadas nessa pesquisa podem ser mais desenvolvidas e aprofundadas em estudos futuros. “Certamente esta pesquisa trará implicações futuras na história”, conclui a estudante.

 

O trabalho de Isabel foi aprovado por banca formada pelo professor Dr. Fernando Simão Vugman, UNISUL, orientador; pelo professor Dr. Jorge Hoffmann Wolff, UFSC, avaliador externo; e pela professora Dra. Ramayana Lira de Sousa, UNISUL, avaliadora do PPGCL.

 

Edna Mazon


Professora Solange ministra oficina no PROFOCO

 

(28/07/2011) A professora Dra. Solange Maria Leda Gallo ministrou a oficina “A pesquisa na Unidade de Articulação Acadêmica” nesta terça-feira (25) no auditório do bloco C do campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Segundo a professora, o objetivo da oficina foi o de contextualizar os participantes a respeito da pesquisa na Universidade. “Meu objetivo foi o de provocar uma reflexão sobre a importância da pesquisa na Unisul e nas UnAs”.

 

Para a pesquisadora, as discussões realizadas nas UnAs (Unidades de Articulação Acadêmicas) acerca das novas metodologias de ensino e de pesquisa vão constituir o conhecimento coletivo sobre o que é possível fazer em termos de pesquisa neste novo modelo.

 

“Quando falamos de pesquisa nas UnAs estamos falando de pesquisa em um novo modelo, como uma atividade estruturante das aulas e dos cursos. Então, se pesquisa é estruturante, ela não combina com um saber ‘pronto’ e transmitido para o professor que tem este conhecimento e que passa este conhecimento pronto para os alunos”, explica.

 

Além de abordar a pesquisa nas UnAs e na Unisul, a professora fez uma breve explanação sobre as pesquisas realizadas com o auxílio de órgãos de fomento externo nas esferas federal e estadual (CAPES, CNPq e FAPESC).

 

Edna Mazon


Programa de Formação Continuada discute Ciência e Pesquisa

 

(26/07/2011) “O papel da pesquisa e da extensão na Universidade”, foi o tema da mesa-redonda do Programa de Formação Continuada – PROFOCO – desenvolvida no CETTAL, campus de Tubarão, nesta última segunda (25). Foram conferencistas os professores Paulo Roberto Boff e Fábio José Rauen.

 

O professor Paulo Boff, representando a AGETEC, apresentou o tema “O papel da pesquisa e da extensão na Universidade”. O pesquisador fez um histórico sobre a implantação da pesquisa e da extensão nas Universidades, com especial ênfase às Universidades Brasileiras. Para ele, a noção da indissociabilidade do ensino, da pesquisa e da extensão é uma conquista ainda a ser obtida na Universidade, e a criação da AGETEC sinaliza fortemente em prol dessa meta.

 

O professor Fábio Rauen apresentou o tema “Ciência e Pesquisa em tempos do Twitter”. Conforme Rauen, pensar ensino e pesquisa na Universidade não pode estar dissociado de uma reflexão profunda sobre o que é “pesquisar em meio à abundância de informações disponibilizadas pela era virtual”.

 

O Programa de Formação Continuada da UNISUL – PROFOCO – visa oferecer oportunidades de formação que possibilitem, continuamente, o repensar de suas práticas, a fim de consolidar a Universidade como referência em qualidade de ensino, pesquisa e extensão, atendendo aos eixos temáticos: Saúde e bem-estar, Espaços de aprendizagem, Formação técnica, política e filosófica e Políticas Institucionais.

 

Em 2011, as atividades de formação do Programa acontecem a partir do Projeto “Pesquisa e extensão: desenvolvimento e inovação na universidade”, organizado nos seguintes módulos: Pesquisa: princípios e prática, Pesquisa, extensão, desenvolvimento e inovação, Espaços de aprendizagem e Ensino, pesquisa e extensão em espaços de aprendizagem.

 

Na foto principal, o professor Fábio José Rauen. Mais abaixo, o professor Paulo Roberto Boff.

 

 

PPGCL


Filme publicitário é utilizado como ferramenta de ensino

 

(18/07/2011) A estudante Ligiane Pessoa dos Santos Bonifácio defendeu a dissertação intitulada “Influência de intervenção didática sobre estímulos ostensivos de um filme publicitário em textos escritos por alunos do 9º ano do ensino fundamental: estudo de caso com base na Teoria da Relevância”, nesta última sexta (15), na sala de Treinamento no campus de Tubarão da Unisul.

 

A pesquisa de Ligiane analisou, com base na Teoria da Relevância, a influência de uma intervenção didática sobre os estímulos ostensivos do filme publicitário Bar da Boa 1 – “Introdução” em textos escritos que foram elaborados em sala de aula por alunos do nono ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Arthur Engrácio da Silva, de Manaus, Amazonas.

 

Segundo Ligiane, a pesquisa compreendeu três etapas: produção textual dos alunos elaborada exclusivamente a partir da audiência do filme publicitário, pré-teste; intervenção didática sobre os estímulos ostensivos do filme e mensagens a ele associadas; e produção textual dos alunos, pós-teste.

 

“Observamos que os enunciados da segunda produção textual evidenciaram marcas de ampliação do ambiente cognitivo dos alunos em virtude da análise dos estímulos ostensivos do filme publicitário, passando da simples descrição de caráter sincrético presente nos primeiros textos à exploração de argumentos considerados pela intervenção didática, bem como marcas da influência dos ambientes cognitivos ativados nas fases anteriores e de informações inéditas não exploradas nas duas fases anteriores”, conclui a estudante.

 

A dissertação de Ligiane foi aprovada com distinção por banca formada pelo professor Dr. Fábio José Rauen, orientador; pela professora Dra. Débora de Carvalho Figueiredo, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes, UNISUL, avaliadora interna.

 

 

PPGCL


Mídia de massa: consumo, prazer e controle são discutidos em conferência

 

(18/07/2011) A professora Dra. Débora de Carvalho Figueiredo, Universidade Federal de Santa Catarina, ministrou a conferência “Em busca do corpo ‘ideal’: consumo, prazer e controle através da mídia de massa”, nesta sexta (15), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Segundo a professora, o discurso promocional ou de consumo trabalha com a noção de falta. “Os produtos veiculados na mídia dão ao consumidor uma sensação de satisfação momentânea”, comenta. “A consumidora obtém gozo (no sentido psicanalítico do termo) ao consumir determinado produto; tornar a consumidora mais feliz e satisfeita permite acesso quase imediato ao prazer”, comenta.

 

Para a pesquisadora, não nos relacionamos com os produtos em si mesmos, mas com artefatos simbólicos que são agregados aos produtos. Trata-se de um consumo simbólico e até fetichezado. “Quem eu sou é o resultado subjetivo dos produtos que eu consumo”, comenta. “Se eu souber comprar bem serei ‘X’ pessoa”, completa.

 

De acordo com a professora, o ato de comprar mudou radicalmente na modernidade tardia. “Atualmente, o ato de comprar é mais solitário do que já fora no passado”, comenta.

 

Para ilustrar, a pesquisadora mostrou chamadas de capas que mostram que tudo será fácil, desde que você consuma o produto. “Na pós-modernidade, o discurso midiático precisa sair da persuasão para o encantamento”, comenta.

 

Figueiredo tem suas pesquisas fundamentadas na Análise Crítica do Discurso. “São temas centrais de sua agenda de pesquisa: o hibridismo discursivo (a mistura de diferentes gêneros e discursos), a globalização, a identidade, a reflexibilidade e a  comodificação”, explica.

 

Débora de Carvalho Figueiredo, que foi docente do PPGCL por vários anos, possui graduação em Direito (1990), Universidade Federal de Santa Catarina; mestrado em Letras e Linguística Aplicada - Inglês e Literatura Correspondente (1995), Universidade Federal de Santa Catarina; e doutorado em Letras e Linguística Aplicada - Inglês e Literatura Correspondente (2000), Universidade Federal de Santa Catarina.  Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina e tem experiência na área de Linguística Aplicada e ensino de Língua Inglesa. Seus interesses de pesquisa se voltam para questões de gênero, poder e identidade nos discursos profissionais, midiático e jurídico.

 

Na mesma tarde, a professora participou da defesa pública de dissertação de Ligiane Pessoa dos Santos Bonifácio.

 

PPGCL


Dissertação discute adaptação cinematográfica

 

(18/07/2011) A estudante Maribel Barbosa da Cunha defendeu a dissertação intitulada “A personagem Miguilim no diálogo entre texto literário e adaptação cinematográfica”, na manhã desta sexta (15) na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Segundo Maribel, o mote que impulsionou esta pesquisa deu-se pelo modo como é estabelecida a relação entre a leitura do livro literário e sua respectiva adaptação cinematográfica nas aulas de Literatura.

 

“A pesquisa traz à baila o diálogo entre a obra Manuelzão e Miguilim (2001), de João Guimarães Rosa e a adaptação cinematográfica Mutum (2007), dirigida por Sandra Kogut e roteirizada por Ana Luiza Martins Costa”, explica.

 

“Buscando refletir e pensar o modo como o livro e o filme tratam e apresentam a personagem Miguilim, eu decidi por traçar um painel analítico desta personagem principal, não só a partir de uma metodologia comparatista, mas também, mostrando suas facetas, de modo intertextual em livro e em filme”, completa.

 

De acordo com a estudante, a relevância desta pesquisa para a comunidade escolar em geral, sustenta-se, pois o cinema e a literatura apresentam-se como ferramentas essenciais no processo de aprendizagem do aluno e também do próprio professor.

 

A dissertação de Maribel foi aprovada por banca formada pela professora Dra. Alessandra Soares Brandão, orientadora; pelo professor Dr. Antonio João Teixeira, UEPG, avaliador externo; e pela professora Dra. Ramayana Lira de Sousa, UNISUL, avaliadora interna.

 

 

PPGCL


Literatura e cinema são abordados em conferência

 

(18/07/2011) O professor Dr. Antonio João Teixeira, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, proferiu a conferência “Literatura e cinema: a prática da adaptação”, na manhã da última sexta (15), na sala de Treinamento do campus de Tubarão da Unisul.

 

Segundo o professor, as adaptações de Joseph Leo Mankiewicz privilegiam o diálogo a ponto de se discutir se os filmes por ele adaptados seriam pobres se fossem tirados os diálogos. Teixeira discorda desse argumento e traz ao longo da conferência alguns exemplos em que isso se revela discutível.

 

Para ilustrar, o pesquisador apresentou duas cenas de “De repente, no último verão”, que é uma adaptação de uma peça teatral de Tennesse Williams, com Katherine Hepburn, Montgomery Clift e Elizabeth Taylor no elenco. A peça, que tem 1 ato e 4 cenas costumava ser apresentada junto com outro espetáculo, dada a sua pouca extensão.

 

No filme, John Cukrowicz (Montgomery Cliff), um neurocirurgião interessado em conseguir recursos para o hospital onde trabalha, conhece Violet Venable (Katherine Hepburn), uma rica senhora da aristocracia que quer mandar fazer uma lobotomia em Catherine Holly (Elizabeth Taylor), uma sobrinha supostamente acometida de crises de loucura. Na verdade, Violet teme que Catherine revele a homossexualidade de Sebastian, o filho de Violet, que morreu de forma violenta na Espanha. Há uma versão “oficial” do acidente, mas Catherine viu o que realmente aconteceu e assim sua tia tenta silenciá-la. (Sinopse: http://www.adorocinema.com/filmes/de-repente-no-ultimo-verao/)

 

“Na peça, o predador torna-se presa. Ms. Venable pretende destruir Catherine, mas é destruída no processo”, defende o pesquisador.

 

Na conferência foram discutidas questões como a fidelidade das adaptações (por vezes, até indesejável), e as diferenças dos dois veículos. Entre os argumentos apresentados, Teixeira destaca que o ator de cinema enfatiza a exibição enquanto o ator de teatro explora o disfarce.

 

Teixeira é graduado em Letras/Inglês (1976), pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, e em Farmácia e Bioquímica (1970), pela Universidade Estadual de Ponta Grossa; mestre em Letras (1980), Universidade Federal do Paraná; doutor em Letras - Inglês e Literatura Correspondente (2001), Universidade Federal de Santa Catarina. O professor tem pesquisado sobre filme, adaptação, identidade nacional, história e representação.

 

Na Unisul, além de proferir a conferência, o pesquisador participou da banca de avaliação da dissertação de Maribel Barbosa da Cunha.

 

PPGCL


Obras de Cristovão Tezza e Bernardo Carvalho são objetos de estudo

 

(14/07/2011) Tibério Fabian Santos apresentou a dissertação intitulada “Na fábrica do presente brasileiro: o sentido e a palavra nos romances de Cristóvão Tezza e Bernardo Carvalho”, na última terça-feira (12), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL.

 

Segundo Tibério, a pesquisa procurou estabelecer parâmetros comparativos entre os horizontes ficcionais dos escritores Cristovão Tezza e Bernardo Carvalho, ambos reconhecidos no interior da cena literária brasileira contemporânea.

 

“Eu tinha a intenção de construir uma proposição que reunisse e apontasse as singularidades produzidas por esses dois autores através do exame de suas compleições discursivas”, explica. “Além disso, procurei depreender as condições pelas quais essas marcas são depositas no interior de cada uma das obras aqui analisadas”, completa.

 

Para o estudante, assim, a letra passa a ser submetida a uma radicalidade de ordem analítica, funcionando em exame do corpus significacional das obras analisadas.

 

O trabalho de Tibério foi aprovado com distinção por banca formada pela professora Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, orientadora; pelo professor Dr. Marcos José Müller-Granzotto, UFSC, avaliador externo; e pela professora Dra. Maria do Rosário Stotz, UNISUL, avaliadora da UNISUL. Esta foi a primeira defesa de dissertação orientada pela professora Dra. Dilma Juliano no PPGCL.

 

Edna Mazon


Docentes e discentes do PPGCL participam de seminário em Joinville

 

(14/07/2011) Docentes e discentes do PPGCL participaram do V Seminário Integrado e Interinstitucional Arte, Cultura, Ciência e Desenvolvimento, que ocorreu nos dias 7, 8 e 9 de julho na UNIVILLE em Joinville, Santa Catarina.

 

A abertura do V Seminário Integrado e Interinstitucional (7) contou com a exposição de obras e projetos do artista argentino Cristian Segura. Na ocasião, ele também ministrou a palestra “Museus, assunto e obsessão de um artista”.

 

Debates e palestras movimentaram o segundo dia do evento (8). Nesse segundo dia houve a mesa Cultura e Ciência, da qual participaram as professoras do PPGCL Solange Maria Leda Gallo e Nádia Régia Maffi Neckel e o mestre em Ciências da Linguagem Lúcio Giovanella.

 

Nessa mesa foram desenvolvidas análises discursivas de vídeos da revista Ciência em Curso (www.cienciaemcurso.unisul.br) publicados no âmbito do número da revista que tem o mesmo nome.

 

Um dos vídeos analisa a obra da pintora Heloana Terpan comparando-a com a obra do pintor Lauro Benazzi, duas pinturas inspiradas no conflito do Contestado, porém com diferentes modos de inscrição na história e diferentes formas de expressão, ou seja, diferentes teceduras e diferentes tessituras, segundo a autora do trabalho analítico, professora Nádia Régia Maffi Neckel.

 

Outro vídeo analisado traz a composição de um documentário baseado em audiovisuais da época em que a empresa Lumber instalou-se na região, misturados a registros feitos por integrantes da equipe da revista Ciência em Curso, Mara Salla e Antonio Cândido Lopes, no mesmo local. Segundo Lúcio Giovanella, trata-se de um documentário no qual se explicita o gesto de autoria, sem preocupação com o efeito de objetividade, próprio dos documentários jornalísticos tradicionais.

 

O terceiro vídeo analisado traz a entrevista de dois descendentes de famílias envolvidas no conflito do Contestado, representativas de lados antagônicos da guerra; o lado dos chamados sertanejos e o lado dos chamados coronéis. A professora Solange Gallo comparou a conjuntura política da época em que aconteceu a guerra, com a configuração política atual, enfatizando o modo como se diluem as formações ideológicas na contemporaneidade.

 

No terceiro dia de seminário (9) houve comunicações individuais. Apresentaram trabalhos os doutorandos Marilene Teresinha Stroka, Regina Aparecida Milléo de Paula e Leonardo Amorim Roat.

 

O seminário é resultado de um projeto interdisciplinar da UNISUL, UnC e UNIVILLE, inscrito no Ministério da Cultura, que visa refletir sobre temas comuns aos cursos de mestrado e de doutorado das instituições. “Estamos no segundo ano deste projeto interinstitucional e o entusiasmo pela produção decorrente é cada vez maior”, explica a professora Solange Maria Leda Gallo.

 

O VI Seminário Integrado e Interinstitucional acontecerá na UNISUL nos dias 5 e 6 de setembro e encerrará o ciclo de eventos do projeto. “Nós, do grupo de coordenadoras, já estamos esboçando um novo projeto que vai dar continuidade a este trabalho tão profícuo que estamos desenvolvendo”, complementa a professora Solange.

 

Na foto acima, um instante da mesa na tarde de sexta-feira (8). Mais abaixo, as coordenadoras das três Universidades envolvidas no projeto. Da esquerda para a direita, Professora Solange Maria Leda Gallo (UNISUL), Professora Nadja de Carvalho Lamas (UNIVILLE) e Professora Maria Luiza Milani (UnC).

 

 

Edna Mazon


Encontro discute inovação em Letras e Linguística

 

(08/07/2011) Ocorre nas dependências da Universidade Federal Fluminense (UFF) em Niterói o XXVI Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação em Letras e Linguística – XXVI Enanpoll. O evento que se iniciou quarta-feira (6) e vai até hoje (8) discute pesquisa e inovação para a área de letras e linguística.

 

A XXVI Enanpoll foi aberta com a mesa redonda “Novas Perspectivas para a Área de Letras e Linguística: Pesquisa e Inovação”, que foi mediada pelo Presidente da ANPOLL, professor Sílvio Renato Jorge (UFF), e contou com a participação das Professoras Doutoras Margarida Salomão (UFJF) e Regina Zilberman (UFRGS). Essa mesa teve por objetivo refletir sobre o percurso da área de Letras e Linguística no Brasil e apontar para possibilidades de inovação, seja em seus objetos, seja em termos de aplicação dos resultados de pesquisa.

 

Quinta-feira (7), pela manhã, ocorreu a mesa redonda “Órgãos de fomento à pesquisa no Brasil e suas políticas para a inovação”. Essa mesa contou com a participação dos professores Raul Antelo (CNPq), Beth Brait (CNPq), Beatriz Resende (FAPERJ) e Dermeval da Hora (CAPES) e teve como objetivo discutir como as agências de fomento avaliam a inovação em nossa área e as estratégias que são utilizadas por elas para estimular esse processo: projetos, quotas de bolsas etc.

 

À tarde, os coordenadores dos programas de pós-graduação participaram de mais uma mesa intitulada “Perspectivas para a Pós-Graduação em Letras e Lingüística: é possível inovar?”. Essa mesa contou com a participação dos professores Mariângela Rios (UFF), Frederico Fernandes (UEL), Henrique Cairus (UFRJ), Lêda Correa (UFSE). A mesa teve por objetivo discutir a atuação dos Programas de Pós-Graduação em Letras e Linguística no Brasil, sua inserção social e sua capacidade de propor estratégias para a renovação constante da Área.

 

Hoje ocorre uma reunião plenária intitulada “Pesquisa e Pós-Graduação: projetos para inovar”. Nessa atividade, reúnem-se os representantes dos GTs e os coordenadores dos Programas de Pós-Graduação, com apresentação dos relatórios estabelecidos no dia anterior, e discussão de estratégias conjuntas para o fomento à pesquisa e a inovação na Área de Letras e Linguística. O evento será finalizado, à tarde, pela Assembleia Geral.

 

Para o professor Fábio José Rauen (coordenador do PPGCL), a participação do Programa na Reunião da ANPOLL é de suma importância. “Nessas oportunidades, podemos verificar quais são as políticas da área para melhor alinharmos os nossos cursos”, explica. “Além disso, é uma excelente oportunidade de trocar experiências com os demais coordenadores do Brasil, complementa.

 

Atualmente a ANPOLL representa 138 programas de pós-graduação em letras e linguística de todo o país e é a instância de interlocução acadêmica e política privilegiada da área.

 

Na foto principal, um flagrante da participação do professor Fábio Rauen. Na foto abaixo, um flagrante da mesa da manhã de quinta-feira. Da esquerda para a direita, Dermeval da Hora (representante de Letras na CAPES), Beth Brait (CNPq), Júlio César Diniz (PUC-Rio), Beatriz Resende (FAPERJ) e Raul Antelo (CNPq).

 

 

PPGCL


O discurso da escola é tema de dissertação

 

(08/07/2011) A estudante Rosane Lemos Barreto defendeu a dissertação intitulada “O discurso da escola sobre sujeitos com 'patologia' da linguagem: uma análise discursiva” nesta quinta-feira (7), no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

A dissertação de Rosane procurou analisar, utilizando os dispositivos teóricos da Análise do Discurso de linha francesa, o discurso de docentes do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano) do Município de Imbituba, Santa Catarina, sobre sujeitos com “patologia” de linguagem.

 

“O corpus foi coletado mediante entrevista semiestruturada, através de um diálogo informal realizado com doze professores da rede municipal de Imbituba/SC”, explica a estudante. “Na posição de pesquisadora/analista procurei entender como o processo de constituição do sujeito se dá através da ideologia e do inconsciente”, completa.

 

Segundo a pesquisadora, foi possível destacar a existência de ideias preconcebidas no discurso da escola com referência a qualquer tipo de “desvio”, como se todos fossem executantes perfeitos da língua em todas as situações de uso.

 

“Percebi que a escola, signatária do discurso científico, por vezes endossa os desvios, tomando a diferença como elemento de patologia, e as condições de formação do discurso da escola sobre as 'patologias' da linguagem provocam efeitos de sentido que incidem tanto no campo do discurso como das práticas pedagógicas que constituem o sujeito”, finaliza.

 

O trabalho de Rosane foi aprovado por banca formada pelo professor Dr. Maurício Eugênio Maliska, UNISUL, orientador; pelo professor Dr. Pedro de Souza, UFSC, avaliador externo; e pelo professor Dr. Sandro Braga, UNISUL, avaliador do PPGCL.

 

Edna Mazon


V Seminário Integrado e Interinstitucional tem início em Joinville

 

(08/07/2011) V Seminário Integrado e Interinstitucional Arte, Cultura, Ciência e Desenvolvimento, acontece nos dias 07, 08 e 09 de julho na UNIVILLE em Joinville, Santa Catarina.

 

O evento faz parte do projeto “As relações culturais e artísticas e a preservação do patrimônio material e imaterial implicados no desenvolvimento regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville” que é desenvolvido pela UNISUL, UnC e UNIVILLE.

 

O Seminário reunirá professores e alunos das três Universidades envolvidas no projeto. A programação inclui palestras, mesas, comunicações e exposições.

 

Confira a programação completa do seminário aqui.

 

Edna Mazon


PPGCL participa de Congresso Internacional

 

(05/07/2011) A professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes e a mestranda Leidiane Coelho Jorge apresentaram o trabalho “Observação Participante como técnica: contribuições metodológicas para a pesquisa social em Educação” no V Congresso Internacional de Educação da Unibave em Orleans, realizado entre os dias 30 de junho e 2 de julho de 2011.

 

“A comunicação foi uma oportunidade de compartilhar, ainda antes da qualificação de projeto, a técnica de pesquisa que pretendemos utilizar na minha dissertação”, destaca Leidiane.

 

A professora Heloisa reforça que, “além de partilhar uma proposta de pesquisa com os pares num evento acadêmico-científico, foi uma oportunidade de ouvir cases interessantes de projetos em educação, trazidos por pesquisadores de universidades da Espanha, Suécia, Colômbia e Brasil e, também, de inserir os nossos alunos de stricto sensu em discussões para além do Programa”.

 

O V Congresso Internacional de Educação da Unibave foi organizado pelo Centro Universitário Barriga Verde – Unibave, com apoio da Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação da Universidade de Jaén (Espanha), da Universidade de Barcelona (Espanha), da Universidade de Boras (Suécia), da Universidade Nacional de Cuyo (Argentina) e da Universidade Adam Mickiewicz (Polônia).

 

O evento teve o objetivo de promover um entorno para a polinização de inovações propícias para o desenvolvimento social, cultural, ambiental e econômico, mediante o intercâmbio de experiências, debates e oficinas que estimulem uma nova consciência educacional.

 

PPGCL


Professora Alessandra participa de Festival de Cinema

 

(05/07/2011) A professora Dra. Alessandra Soares Brandão participou da mesa “A estética singular do solstício: complexidade da imagem latina”, juntamente com os diretores Carlos Reichenbach (Brasil) e Matías Bize (Chile), terça última (28), no Florianópolis Audiovisual MERCOSUL (FAM), realizado na Universidade Federal de Santa Catarina.

 

De acordo com a professora Alessandra, a mesa, que foi mediada pelo jornalista José Geraldo Couto, teve como objetivo maior a discussão de uma consciência crítica e política do cinema na América Latina do ponto de vista da realização, da pesquisa e da crítica.

 

“A mesa evidenciou uma necessidade de se fugir às perspectivas totalizantes dos cinemas latino-americanos para se pensar em singularidades e nas novas configurações políticas que surgem com as novas gerações de pesquisadores e de realizadores”, comenta. “O debate foi transmitido ao vivo pela internet e teve respostas de espectadores até de fora do Brasil em redes sociais como facebook e twitter”, completa.

 

Florianópolis Audiovisual MERCOSUL (FAM) é um festival de cinema que acontece em Florianópolis há 12 anos e promove um fórum de debates sobre questões ligadas à produção e à crítica cinematográficas.

 

PPGCL


Dissertação discute encontros e desencontros na dramaturgia

 

(04/07/2011) “Encontros e desencontros na dramaturgia do século XIX: um olhar sobre o gênero em Amélia Smith e A Casa de Bonecas” foi o título da dissertação defendida por Maristella Letícia Selli, nesta última sexta-feira (1º), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

Segundo Maristela, a pesquisa teve como objetivo proporcionar um diálogo entre as peças teatrais de Henrik Ibsen, Casa de Bonecas e de Visconde de Taunay, Amélia Smith, ambas escritas no século XIX, em plena efervescência do drama português.

 

“As personagens principais das duas peças, Nora e Amélia respectivamente, têm o núcleo dramático centrado em seus dramas pessoais e as relações que ambas possuem com as instituições sociais como o casamento, a família, a igreja são os elementos constituintes desse estudo”, explica.

 

De acordo com Maristela, a pesquisa também buscou analisar a constituição das mulheres como sujeito, a formação de suas identidades e a forma como as personagens conseguem transgredir os conceitos sociais do que é o feminismo. “Para alcançar os objetos propostos, fez-se uma leitura contemporânea do gênero feminino através da leitura de Lipovetsky, Showalter, Foucault, Lauretis buscando evidenciar os pontos de convergência e divergência das personagens em relação à sociedade oitocentista e a contemporaneidade”, esclarece.

 

O trabalho de Maristela foi aprovado por banca formada pela professora Dra. Alessandra Soares Brandão, UNISUL, orientadora; pela professora Dra. Simone Pereira Schmidt, UFSC, avaliadora externa; e pela professora Dra. Ramayana Lira de Sousa, UNISUL, avaliadora do PPGCL. A suplência ficou sob responsabilidade da professora Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano.

 

PPGCL


Exílio e experiência feminina são temas de conferência

 

(04/07/2011) A professora Dra. Simone Pereira Schmidt da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) apresentou a conferência “Exílio e experiência feminina nas literaturas africanas de língua portuguesa”, nesta última sexta (1º), na sala de Treinamento do bloco A do Campus de Tubarão da Unisul.

 

Segundo Simone, sua pesquisa procura mostrar algumas variadas expressões do exílio vivenciadas a partir de uma posição de sujeito feminino, representadas nas literaturas africanas de língua portuguesa (Cabo Verde, Angola e Moçambique).

 

“A experiência pós-colonial, com que hoje nos ocupamos largamente, longe de representar um esgotamento e uma superação da história colonial, aponta, pelo contrário, para sua incômoda e dolorosa permanência”, comenta. “Um dos efeitos mais marcantes e representativos das relações vivenciadas a partir do colonialismo é o exílio, que muitas vezes marca indelevelmente a experiência dos sujeitos”, complementa.

 

De acordo com a pesquisadora, o exílio tornou-se, para todos nós que vivemos na pós-modernidade, uma experiência demasiado familiar. “Há muitos exílios e há muitas formas de vivenciá-lo”, diz.

 

Simone analisa, dentre outras, a narrativa que encerra o livro Cais do Sodré te Salamansa. “A narrativa que encerra o livro Cais do Sodré te Salamansa leva-nos até a praia de Salamansa, enfocando a experiência dos que não partiram de Cabo Verde”, comenta. “No diálogo entre a criada Antoninha e o seu patrão, vemos outro exílio, aquele que é vivido na terra natal, como impossibilidade de permanência”, complementa.

 

A conferência foi ministrada para docentes e estudantes de pós-graduação e faz parte dos Seminários de Estudos da Linguagem, uma iniciativa do PPGCL para disseminar o conhecimento produzido em outras universidades na comunidade acadêmica da Unisul.

 

Na Unisul, além de proferir a conferência, a pesquisadora participou da banca de avaliação da dissertação de Maristella Letícia Selli.

 

PPGCL


Dissertação analisa as artes cênicas na contemporaneidade

 

(01/07/2011) O estudante Leonardo Amorim Roat defendeu a dissertação intitulada “As artes cênicas em um mundo de carbono e silício: perspectivas de (re)significação dos elementos cênicos constituintes na cena contemporânea a partir da incorporação da linguagem audiovisual e da hipermídia” na última sexta-feira (1º), no Cine Pedra Branca, Bloco A, do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Roat pesquisou especificamente os novos produtos estéticos surgidos a partir da incorporação da linguagem audiovisual e da hipermídia.

 

“Minha pesquisa objetivou compreender as possíveis rupturas pragmáticas instauradas através de um olhar atento à revolução gerada pela cultura digital no campo das artes, ancorada em um processo retroalimentador entre sujeito e contexto pós-modernos”, complementa o estudante.

 

“Minha motivação pessoal sobre o tema deve-se pela vivência em diversas áreas do fazer teatral e audiovisual, realizando inúmeras peças e filmes em diferentes funções técnicas e criativas, fato que tornou a pesqusia muito estimulante”, conclui.  

 

O trabalho foi aprovado por banca formada pelos professores: Dr. Fernando Simão Vugman, orientador; Dra. Inês Alcaraz Marocco (UFRGS), avaliadora externa; Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano, avaliadora interna e Dra. Solange Maria Leda Gallo, suplente. A professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel também contribuiu com sugestões para o trabalho final do estudante

 

Edna Mazon


Câmera Aberta 2ª Edição é objeto de análise

 

(30/06/2011) Fábio Bitencourt Cadorin defendeu a dissertação intitulada “Exame de processos de representação da identidade cultural de Tubarão em reportagens do telejornal ‘Câmera Aberta 2ª Edição’, veiculadas pela Unisul TV”, nesta última segunda (27), na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

A dissertação de Cadorin procurou discutir os processos de representação de identidade cultural em produção televisiva local/regional.

 

“O estudo baseou-se na análise de reportagens que referenciam a data de emancipação político-administrativa de Tubarão, extraídas do telejornal ‘Câmera Aberta 2ª Edição’”, explica Cadorin. “A pesquisa foi desenvolvida a partir de conceitos como identidade cultural, dialogismo e informação de proximidade. Foram considerados também aspectos históricos que contextualizam o papel da televisão e do telejornalismo no Brasil e sua relação com a cultura nacional”, complementa.

 

Cadorin demonstrou, com excelente desenvoltura, profundo conhecimento do tema, evidenciando a importância da pesquisa ao demonstrar que as identidades culturais de caráter local/regional se mantêm vivas e até se fortalecem, mesmo diante do movimento tendente à globalização. Esse reforço ao particularismo se deve, em grande parte, às narrativas midiáticas, por meio da informação de proximidade.

 

“Nas reportagens analisadas, observa-se que Tubarão é representado como município em vias de desenvolvimento e, portanto, aberto ao novo; também como cidade grande, pólo regional do comércio, mas que preserva características de comunidade interiorana, onde princípios de religiosidade ainda determinam práticas sociais”, afirma o estudante.

 

Segundo a professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, orientadora, a dissertação de Fábio Cadorin contribuirá como importante acervo para a história da TV Unisul e para futuras pesquisas sobre o tema. “Este estudo certamente resulta em mais uma das relevantes pesquisas que o PPGCL deixa como legado aos estudos sobre identidade e a cultura de nossa região”, enaltece Jussara.

 

Jussara destaca que a TV Unisul foi obtida por meio de concessão à Universidade do Sul de Santa Catarina, sendo a primeira e ainda a única emissora televisiva com sede em Tubarão. “A investigação desenvolvida por Fábio, sobre processos de representação da identidade cultural de Tubarão em reportagens do telejornal, desenha com maestria a história regional e local, ao trazer à cena elementos constitutivos da formação do povo tubaronense”, finaliza a professora.

 

O trabalho de Cadorin foi aprovado com distinção por banca formada pela professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, Unisul, orientadora; pelo professor Dr. Clóvis Reis, FURB, avaliador externo; e pela professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes – UNISUL, avaliadora do PPGCL. A suplência ficou sob responsabilidade do professor Dr. Aldo Litaiff.

 

PPGCL


Egressa Édina Freitas apresentará pesquisa em Brasília

 

(29/06/2011) Édina da Silva Freitas, egressa do curso de Mestrado em Ciências da Linguagem, foi convidada a apresentar o relato de experiência que fez parte da sua dissertação intitulada “O gênero artigo de opinião do programa Escrevendo o Futuro: estudo de caso”, no seminário organizado pela Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, em Brasília.

 

Um dos objetivos da pesquisa de Édina era o de verificar, com base nos estudos sócio-retóricos de gêneros textuais, se os textos apresentados como exemplos do gênero artigo de opinião no contexto escolar, disponibilizados no "Caderno do professor - orientação para produção de textos", do programa Escrevendo o Futuro, e do livreto das Olimpíadas de Língua Portuguesa, apresentavam uma estrutura de composição regular para se configurarem como gênero.

 

“Dada à regularidade dos movimentos nos textos analisados, pôde-se inferir que o artigo de opinião do Programa Escrevendo o Futuro constitui-se um novo gênero escolar”, explica Édina.

 

O seminário acontecerá em Brasília nos dias 29, 30 e 31 de agosto de 2011, no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21. Os convidados, que terão suas despesas custeadas pela Olimpíada, participarão de três dias de conferências, exposições de relatos, apresentações de pesquisas acadêmicas sobre a Olimpíada e grupos de trabalho.

 

O encontro oportunizará a reflexão sobre a interlocução entre práticas didáticas e saberes acadêmicos.

 

Em julho será disponibilizado um sítio para que as pessoas possam inscrever-se no evento.

 

PPGCL


PPGCL seleciona novos estudantes

 

(22/06/2011) Exame Escrito, exame de proficiência em língua estrangeira e entrevistas marcaram a seleção dos candidatos aos cursos de mestrado e de doutorado em Ciências da Linguagem nas dependências do Campus da Pedra Branca nos dias 20 e 21 de junho.

 

A média dos candidatos aos cursos de mestrado e de doutorado é formada por duas avaliações. A primeira provém da análise do exame escrito a partir de um conjunto de leituras estabelecidas em edital. A segunda provém da análise do currículo, do anteprojeto de pesquisa e do desempenho do candidato em entrevista individual perante banca de docentes da linha a que ele se candidatou.

 

Além dessas etapas, os candidatos aproveitam o processo seletivo para realizar o exame de proficiência em língua estrangeira moderna (inglês, espanhol ou francês). No curso de mestrado, o estudante deve comprovar proficiência em uma língua estrangeira; no curso de doutorado, deve comprovar proficiência em duas línguas.

 

“A avaliação dos exames escritos e de proficiência é cega, isto é, os docentes do Programa não tinham acesso ao nome do candidato na folha de teste”, comenta o professor Fábio José Rauen, coordenador do Programa.

 

A divulgação da lista de aprovados será efetuada até o dia 30 de junho de 2011, através de Edital específico no sítio do Programa. As aulas iniciam-se no dia 1º de agosto em Pedra Branca, Palhoça (SC) e no dia 4 de agosto em Tubarão (SC).

 

Na foto principal, um flagrante da seleção de alunos para o doutorado. Mais abaixo, candidatos do mestrado em um momento do exame escrito.

 

 

PPGCL


Profa. Maria Marta e aluna Cristiane Dagostim participam do I SIELP

 

(22/06/2011) A professora Dra. Maria Marta Furlanetto e a doutoranda Cristiane Gonçalves Dagostim, do PPGCL, participaram, nos dias 16 e 17 de junho, na Universidade Federal de Uberlândia (MG), do I Simpósio Internacional de Ensino de Língua Portuguesa (SIELP).

 

A professora Maria Marta coordenou, com a professora Nelita Bortolotto, da UFSC, o Grupo Temático “O conhecimento dos gêneros do discurso na esfera escolar”, em que apresentou o trabalho “Os gêneros do discurso na esfera escolar: relações interpessoais e conhecimento para a/na prática”, e Cristiane apresentou, no mesmo grupo, o trabalho “A prática de produção textual a partir do gênero imagético charge”, decorrente de sua dissertação de mestrado, defendida na Unisul em 2009.

 

O SIELP objetiva promover uma reflexão em torno do ensino de Língua Portuguesa, configurando-se como mais um espaço de discussão e circulação de ideias e trabalhos que fundamentam as principais linhas de pesquisa que compõem as áreas desse ensino. Nesse primeiro simpósio, o SIELP reuniu pesquisadores do Brasil e do exterior em conferências, mesas-redondas, oficinas, painéis e comunicações orais organizadas em 25 grupos temáticos.

 

Nas fotos, flagrantes das apresentações de Maria Marta Furlanetto (foto acima) e de Cristiane Gonçalves Dagostim (foto abaixo).

 

 

PPGCL


Relatório psicológico é objeto de estudo

 

(17/06/2011) A doutoranda Liamara Tansini Camargo encerrou uma sequência de 15 (quinze) apresentações que compuseram os Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem. Seu trabalho, intitulado “Relatório psicológico: uma análise sobre os processos inferenciais na comunicação escrita entre psicólogos e juízes de direito, com base na teoria da relevância e nas teorias de gênero textual”, foi apresentado nesta sexta (17) na sala de Treinamento do bloco sede do campus de Tubarão da Unisul.

 

O ensaio de Liamara lança o desafio de construir um saber interdisciplinar entre os campos da linguagem, da psicologia e do direito. O trabalho almeja ampliar as possibilidades de compreensão acerca dos processos cognitivos da comunicação humana por meio da escrita, busca-se explicitar a compatibilidade teórica entre essas diferentes áreas do conhecimento para o estudo da interação comunicativa nos processos judiciais.

 

A futura tese de Liamara pretende propor uma abordagem teórica e procedural que permita descrever e explicar os processos inferenciais envolvidos na elaboração e na interpretação de relatórios psicológicos aplicados a fins jurídicos. “Por meio de uma análise lógica não trivial dessa categoria de documento técnico, eu desejo observar como se estabelece a comunicação na díade juiz/psicólogo, do ponto de vista de psicólogos e de juízes de direito, com base em teorias da linguagem que versam sobre cognição e gênero textual”, comenta.

 

O trabalho de Liamara Tansini Camargo está sendo orientado pelo professor Dr. Fábio José Rauen. Participaram do seminário, docentes, colaboradoras e alunos do Programa.

 

O seminário avançado é uma etapa obrigatória para a formação dos futuros doutores em Ciências da Linguagem. “Após o término da disciplina “Seminários Avançados” os doutorandos tem o prazo máximo de 6 (seis) meses para a solicitação de matrícula em qualificação de projeto de tese”, comenta o professor Fábio José Rauen, coordenador do Programa.

 

Suelen Francez Machado


Professora Nádia Neckel participa de Semana de Arte e Cultura

 

(17/06/2011) A professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel, PPGCL, participou da mesa-redonda “De um lugar para outro: teatro e artes visuais” nesta última quarta (15) no Centro de Eventos Cau Hansen, em Joinville.

 

Nádia abordou a imbricação material nas artes contemporâneas, juntamente com o professor Luciano Buckmann, Faculdade de Artes do Paraná – FAP. “Na mesa abordei as artes cênicas na discursividade contemporânea e o professor Luciano abordou a formação do professor em artes visuais”, comenta a professora.

 

A mesa fez parte da Semana de Arte e Cultura promovida pela Casa da Cultura em parceria com o Departamento de Artes Visuais da Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE).

 

 A Semana de Arte e Cultura, que aconteceu de 13 a 16 de junho, teve por objetivo promover a integração das áreas artísticas, culturais e educacionais em ações reflexivas sobre os conhecimentos e os saberes dessas áreas. O evento apresentou uma programação variada, com palestras, mesas-redondas, mini-cursos, atrações artísticas e exposições.

 

 

Edna Mazon


Dissertação analisa o ensino superior a distância

 

(15/06/2011) A estudante Nágila Cristina Hinckel defendeu a dissertação intitulada “Os recursos educacionais abertos e a materialização do sujeito leitor aprendente no projeto OpenLearn da Open University” nesta segunda (13), no Auditório do Bloco C do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

“Assim como a educação tem se modificado ao longo dos tempos, os sujeitos que fazem parte dela também estão se transformando, de forma que os modelos já instituídos parecem não fazer mais sentido neste contexto”, comenta. “Diante deste cenário de transformação, foi necessário pensar em outras possibilidades de oferta, em outros modelos que fossem diferentes daqueles encontrados no Brasil”, completa.

 

A pesquisa da estudante buscou compreender, através da Análise do Discurso, os gestos de interpretação do projeto OpenLearn, da Open University, uma Universidade de renome na Europa. “O projeto OpenLearn é um espaço de construção e acesso aberto ao saber, que favorece, através dos Recursos Educacionais Abertos a divulgação de informações atravessadas pelos mais diversos discursos”, explica a estudante. “Tem-se nele inscrito um sujeito leitor em processo contínuo de aprendizado relacionando-se com diferentes indivíduos, com interesses diferentes, mas com um objetivo comum: o conhecimento”, esclarece.

 

De acordo com Nágila, o processo de análise apontou para a constituição de dois sujeitos distintos: um referente à análise do discurso (sujeito leitor virtual) em contraponto com outro sujeito, constituído pela Educação a Distância (aprendiz virtual), que, em articulação, deslocam-se para uma terceira posição: o sujeito leitor aprendente.

 

Esta foi a primeira defesa de dissertação orientada pela professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel no PPGCL. Compuseram a banca avaliadora, ainda, as professoras Dra. Dulce Márcia Cruz e Dra Jucimara Roesler, avaliadoras, e Dra. Solange Gallo, suplente.

 

Na foto principal, uma flagrante da estudante defendendo a dissertação. Mais abaixo, da esquerda para a direita, as professoras Dulce, Jucimara, Solange e Nádia.

 

 

Edna Mazon


Encerram-se os Seminários Avançados em Pedra Branca

 

(15/06/2011) A estudante Helena Iracy Cerquiz Santos Neto foi a última doutoranda a expor sua pesquisa na disciplina de Seminários Avançados em Pedra Branca. A apresentação aconteceu nesta segunda (13) no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Helena apresentou o ensaio intitulado “Circulação de línguas na região de fronteira: análise discursiva do radiojornalismo nas cidades irmãs de Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (Amambay, Paraguai)”.

 

Segundo a doutoranda, a pesquisa tem por objetivo estudar, a partir das ondas do rádio, a materialidade discursiva da fronteira entre estas duas cidades-gêmeas (Ponta Porá e Pedro Juan Caballero). “Acredito que o meio radiofônico pode ser pensado para além da perspectiva da teoria da comunicação, pode ser pensado a partir da perspectiva discursiva, inserido em uma formação discursiva produtora de sentido tanto na questão do sujeito quanto nas suas condições de produção, ou seja, na sua amplitude histórica, social e ideológica”, explica.

 

Durante a elaboração do ensaio, Helena fez uma viagem exploratória à região de fronteira Brasil-Paraguai durante o Encontro Internacional de Jornalistas, no qual oitenta e sete veículos de mídia fronteiriça participaram do evento.

 

O trabalho foi avaliado pelas professoras Dra. Solange Maria Leda Gallo, Dra. Nádia Régia Maffi Neckel e Dra. Rosângela Morello. Após a avaliação, discentes do curso de doutorado em Ciências da Linguagem fizeram comentários e sugestões sobre o tema em estudo.

 

Edna Mazon


Ensino de matemática é debatido em seminário

 

(10/06/2011) A estudante Marleide Coan Cardoso apresentou nesta sexta (10) o ensaio “Língua natural e processos de conversão de registros de representação semiótica em matemática” nos Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem. O trabalho foi debatido na sala de Treinamento do Bloco sede da Unisul de Tubarão.

 

Esse ensaio emerge de inúmeras inquietações de Marleide como docente de Matemática em diferentes níveis de ensino. “Os alunos têm muitas dificuldades para a aprendizagem e a apropriação de conceitos de objetos matemáticos, mesmo após a apresentação do conteúdo e a extensiva consideração de exemplos”, reconhece a estudante. "Por exemplo, depois de apresentar um novo conteúdo, eu espero que o aluno compreenda esse conteúdo e o relacione com os demais conceitos que ela já havia elaborado antes. Porém, nem sempre é o que acontece”, completa.

 

O ensaio de Marleide traça um caminho de análise dessa questão que passa pela noção de transposição didática, pela noção de formação, conversão e tratamento de registros de representação semiótica e pela noção de relevância.

 

Marleide argumenta, concordando com Duval (2009), que somente pelas operações de conversão de registros de representação é que o aluno percebe e dissocia as múltiplas representações semióticas dos conceitos subjacentes e isso pode ser um caminho para otimizar a aprendizagem. Contudo, há de se reconhecer que há diferenças lógicas entre os registros matemáticos em sentido estrito e os registros em linguagem natural. Como a linguagem natural é o instrumento por excelência do ensino e da aprendizagem, essas diferenças precisam ser levadas em conta pelo professor de matemática.

 

Com base nessas considerações e fazendo confluir a proposta de Duval com os conceito de relevância de Sperber e Wilson (1986, 1995), a pesquisadora pretende desenvolver uma pesquisa que considere seriamente a interface da lógica da linguagem natural com a lógica própria da linguagem matemática.

 

O ensaio, orientado pelo professor Dr. Fábio José Rauen, foi avaliado pelo professor Dr. Amilton Barreto de Bem e pela professora Dra. Maria Marta Furlanetto. Feitas as arguições, o tema foi debatido por docentes e alunos do Programa.

 

Na próxima segunda (13) a estudante Helena Iracy Cerquiz Santos Neto apresenta o ensaio “Circulação de línguas na região de fronteira: análise discursiva do radiojornalismo nas cidades irmãs de Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (Amambay, Paraguai)” no campus da Pedra Branca. Na próxima sexta (17) os seminários se encerram com a apresentação do ensaio “A aplicabilidade do laudo psicológico à pratica jurídica: uma análise sobre as diferenças de gênero com base na Teoria da Relevância” da estudante Liamara Tansini Camargo.

 

PPGCL


Política linguística é discutida em seminário

 

(08/06/2011) O doutorando Cristiano Neves apresentou o trabalho “Línguas e fronteira: por uma política linguística” nos seminários avançados do curso de doutorado nesta terça (07), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

O trabalho de Cristiano tem por objetivo expor a importância da implementação de políticas públicas que contemplem a diversidade linguística do Brasil. “As mudanças políticas e sociais ocorridas ao longo da história refletem a necessidade de valorizar os interesses das diversas comunidades linguísticas não oficiais”, explica.

 

Segundo Neves, abordar o tema políticas linguísticas em um país que contempla o português como língua oficial pode parecer inócuo num primeiro momento. “Tal política monolíngue está relacionada, sobretudo, com metodologias de educação que não contemplam as mais de 200 línguas que circulam em nosso território”, enfatiza o estudante.

 

O ensaio buscou fazer uma reflexão sobre o que é política, os princípios a que ela está subordinada e a emergente necessidade de se fazer políticas públicas que possibilitem a diversidade linguística no território brasileiro.

 

Compuseram a comissão avaliadora os professores Dr. Aldo Litaiff, Dr. Fernando Simão Vugman e Dra. Rosângela Morello.

 

Edna Mazon


Modelagem corporal masculina é tema de ensaio

 

(08/06/2011) Fabio Silva apresentou o ensaio intitulado “O ideal de masculinidade em Men’s Health: a corporeidade e a representação do gênero na edição brasileira” nesta segunda (06), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da Unisul.

 

Segundo Silva, se falar de corporeidade e de beleza à mulher é comum e tradicional; ao homem, já não o é. “As revistas voltadas ao público masculino costumam abordar temáticas que reforçam este gênero como superior: veículos, esportes, negócios e, especialmente, a nudez e a sensualidade do corpo da mulher”, comenta. “Apenas recentemente há, no Brasil, revistas que abordam o modelo ideal de corpo voltado ao gênero masculino. Uma delas é Men’s Health”, complementa.

 

Silva propõe observar estas representações de identidade masculina por meio da corporeidade nas capas da revista Men’s Health, edições do verão 2010/2011. “Men’s Health é uma revista voltada especialmente aos homens heterossexuais, que orienta sobre ideais de comportamento e de modelagem corporal”, explica. “A escolha da capa deve-se ao fato de ser ela a responsável pelo primeiro contato do leitor com a publicação, além de trazer uma síntese dos principais conteúdos que a edição oferta”, completa.

 

O trabalho foi avaliado pelos professores Dr. Sandro Braga, Dr. Aldo Litaiff e Dra. Rosângela Morello. Após a avaliação, discentes do curso de doutorado em Ciências da Linguagem promoveram um debate sobre o tema em estudo.

 

Edna Mazon


Seminário discute psicanálise e discursos feministas e femininos

 

(03/06/2011) A doutoranda Adriana de Oliveira Limas Cardozo apresentou o ensaio intitulado “O discurso feminista e sua relação com o feminino: uma discussão Psicanalítica” nesta sexta (03) na sala de Treinamento do bloco sede da Unisul.

 

Segundo Adriana, que é psicanalista e docente da Unisul, o interesse pelo tema surgiu na experiência clínica direcionada a escuta de pacientes que marcam suas inquietações diante da sexualidade que se reflete diretamente na relação estabelecida com seus parceiros.

 

“Proponho nesse ensaio investigar qual a relação do discurso feminista com o feminino na acepção psicanalítica, através da análise discursiva de mulheres que compõem o movimento feminista”, explica a estudante.

 

"Busco, através da articulação proposta, identificar os indícios de negação da castração no feminino, através das manifestações discursivas inseridas no movimento criado pelas mulheres, partindo-se da premissa de que esta é uma condição inconsciente que se mostra na linguagem, e que, portanto compõe uma formação discursiva onde se evidencia o feminino como uma posição subjetiva constituída pela diferença”, complementa.

 

Após a apresentação do trabalho e os questionamentos da banca, composta pelos professores Maurício Eugênio Maliska, Sandro Braga e Fábio José Rauen, houve ampla discussão do tema por professores e estudantes do curso de doutorado em Ciências da Linguagem. Também participou do debate a professora Andreia Daltoé, que contribuiu com aspectos mais específicos da interface Análise do Discurso e Psicanálise.

 

Suelen Machado


Professora Jussara Sá coordena curso de Letras da Unisul

 

(02/06/2011) A professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá assumiu neste mês de maio a coordenação do Curso de Letras do Campus de Tubarão da Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL.

 

Segundo a professora Jussara, que compõe o colegiado do PPGCL, é uma grande responsabilidade suceder o professor Felipe Felisbino, que assumiu a Secretaria de Educação do Município de Tubarão, e os demais coordenadores e coordenadoras que tão bem conduziram o Curso de Letras até o momento.

 

“A Unisul e, em especial, o Curso de Letras sempre estiveram presentes em importantes capítulos de minha vida e de minha família. Sempre que estou na instituição percebo a relevância do contato, da interação, da integração com os colegas e com os alunos, para minha vida pessoal e profissional”, comenta. “Neste momento, na coordenação, espero, realmente, poder contribuir positivamente com o Curso, com a Unisul, no novo tempo que se avizinha”, complementa.

 

O Curso de Letras tem uma sólida tradição de mais de 30 anos na Universidade e tem por objetivo maior a formação do Educador na área da licenciatura com habilitação em Letras: Português/Inglês ou Português/Espanhol e suas Literaturas. Segundo o projeto pedagógico, ao licenciado em Letras corresponde o desempenho do educador com personalidade intelectual e profissional próprias, bem além do de professor de disciplinas.

 

Jussara atuou por quase três décadas com o Ensino Fundamental. “Sou professora da Unisul desde 1985 pertencendo ao quadro do Colégio Dehon e da antiga FEESC. Em 1989 passei a compor o quadro de professores do Curso de Letras”, comenta

 

Jussara Bittencourt de Sá é mestre e doutora em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, especialista em Literatura e graduada em Letras pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL. Foi Secretária Municipal da Educação, Cultura e Esportes, da Prefeitura Municipal de Tubarão. É Membro fundador da Academia Tubaronense de Letras. Foi professora da rede pública, atuando no ensino fundamental e na área de projetos educacionais e culturais. Atua também como professora da Unisul no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem e no curso de Comunicação Social.

 

PPGCL


Moda é tema de seminário

 

(31/05/2011) A doutoranda Graziela Morelli apresentou o trabalho “O mito na sociedade de moda e novas perspectivas no comportamento de consumo no design de produtos e serviços” nos seminários avançados do curso de doutorado nesta terça (31), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL.

 

Considerando a moda como um mito da sociedade contemporânea, a estudante propõe analisar as novas perspectivas no comportamento de consumo no design de produtos e serviços.

 

“Minha formação, graduação e especialização, é na área de moda. Na medida em que lidava com disciplinas de Projeto de Desenvolvimento de Produtos passei a observar que os debates relacionados a uma preocupação ecológica e ambiental estavam se tornando presentes no meio acadêmico e nas instituições, porém de uma forma ainda bastante superficial, mais presente no discurso do que na prática”, explica.

 

“Percebi que havia um discurso nas tendências de um direcionamento voltado a essa preocupação ambiental, que foi observado inicialmente como uma tendência e que rapidamente se tornou uma moda. Empresas e estudantes passaram a apresentar ‘projetos ecológicos’ ou ‘projetos sustentáveis’ baseados em pequenas propostas de reciclagem. O fato é que é preciso pensar a respeito de alternativas de consumo de produtos de moda”, complementa.

 

Compuseram a comissão avaliadora os professores Aldo Litaiff, Fernando Simão Vugman e Dilma Beatriz Rocha Juliano.

 

Edna Mazon


Professor Alexandre Motta lança livro na Unisul

 

(31/05/2011) O professor Alexandre de Medeiros Motta lançará o livro intitulado “Viajando pelas fronteiras de Santa Catarina: da gênese à atualidade” nos dias 07, 10, 14 e 17 de junho na Unisul.

 

A obra trata dos aspectos sociais, culturais, econômicos, políticos e históricos que formam o Estado, envolvendo todas as regiões catarinenses.

 

“Em nenhum momento houve a pretensão de apresentar uma síntese definitiva sobre o estado, mesmo porque várias lacunas se fazem presentes em seu conteúdo. A ideia maior é colaborar na formação e informação de quem se aventurar na leitura da obra, assim como educadores das mais diversas áreas de ensino, ampliando o conhecimento sobre o território catarinense”, explica Alexandre Motta, coordenador do curso de História da Unisul.

 

Motta, que é mestre em Ciências da Linguagem, defendeu em 2005 a dissertação intitulada “História narrativa e matéria de estudo: pressupostos da disciplina História entre docentes de História e os especialistas do ensino médio do Município de Tubarão (SC)”, sob a orientação do Professor Dr. Fábio de Carvalho Messa.

 

O professor Alexandre atua no ensino e na pesquisa na área de História, com ênfase em História de Santa Catarina, História do Brasil e Metodologia do Ensino, assim como na área de Metodologia Científica e da Pesquisa, com publicações pertinentes a essas áreas.

 

Datas e horários do lançamento:

 

07/06

Hall do Bloco Pedagógico da Unisul

Matutino das 8 às 10 horas

Noturno das 19 às 21 horas

 

10/06

Unidade de Içara da Unisul

Noturno das 19 às 21 horas

 

14/06 Unidade de Araranguá da Unisul

Noturno das 19 às 21 horas

 

17/06 Hall do Cettal da Unisul

Noturno das 19 às 21 horas

 

C&M/PPGCL


Ensaio reflete escritos de Gonzaga Duque

 

(30/05/2011) A doutoranda Alexandra Filomena Espíndola apresentou o ensaio “Os escritos de Gonzaga Duque: algumas reflexões” nesta segunda-feira (30), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL.

 

Alexandra pertence à segunda turma de doutorado em Ciências da Linguagem e é a oitava estudante a apresentar sua pesquisa nos Seminários Avançados de 2011. Sua pesquisa dá continuidade à sua dissertação de mestrado intitulada “Gonzaga Duque – Vida na arte: uma concepção artístico-filosófica”, defendida no PPGCL em 2009.

 

“Na dissertação de mestrado montei uma noção de vida na arte que aqui ajudará a pensar o movimento. Acredito ser importante ampliar essa noção de vida com auxílio de outras leituras, para que essa vida possa ser entendida para além da visão de Gonzaga Duque, porém tendo ele como guia”, comenta. “Neste ensaio pretendo mostrar alguns avanços nas leituras que podem auxiliar na construção da tese”, complementa a doutoranda.

 

O arquivo de Gonzaga Duque está sob os cuidados da Fundação Casa de Rui Barbosa. “Na Fundação Casa de Rui Barbosa encontram-se imagens e escritos ainda inéditos e é de onde sairá a pesquisa mais aprofundada sobre o autor. Esse é o agravante, porque é necessário fazer uma viagem ao Rio de Janeiro antes de afirmar definitivamente os objetivos do trabalho de tese”, explica.

 

A pesquisadora lança algumas hipóteses: mapear a biografia de Gonzaga Duque; mostrar uma possibilidade de investigar Gonzaga Duque como um literato-historiador; fazer brevemente um apanhado geral de como a arte foi concebida, tendo como guia os regimes de arte de Rancière; apontar nossos avanços na pesquisa e novas perguntas sobre vida e movimento na arte.

 

O trabalho, que está sendo orientado pelo professor Antonio Carlos Gonçalves dos Santos, foi avaliado pelos professores Fernando Simão Vugman e Dilma Beatriz Rocha Juliano. Além disso, alunos e docentes participaram da apresentação e dos debates.

 

Edna Mazon


Professora Nádia representa o PPGCL no CONALI

 

(30/05/2011) A professora Dra. Nádia Régia Maffi Neckel representou o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) no III Congresso Nacional de Linguagens em Interação (CONALI), que ocorreu nas dependências da Universidade Estadual de Maringá, entre os dias 25 e 27 de maio.

 

A professora Nádia, juntamente com a professora Suzy Lagazzi da Unicamp, ministrou o minicurso “Discurso: a palavra e a imagem em funcionamento”.

 

O minicurso buscou discutir os procedimentos analíticos discursivos na relação entre as materialidades verbal e visual, enfocando os conceitos de recorte e entremeio, materialidade e significante, tessitura e tecedura.

 

Mais especificamente, Nádia Régia Maffi Neckel apresentou o trabalho “A palavra e a imagem em funcionamento: teceduras e tessituras do discurso artístico”.

 

 “A imagem, assim como a linguagem verbal, tem processos específicos de formulação de sentidos, pois cada ‘corpo’ constitui-se por condições de produção diferenciadas”, comenta. “Isso implica na não separação entre forma e conteúdo, ou seja, jogam na imagem o significante (forma, cores, luz, sombra, movimento) e a história, que são constitutivos um do outro”, complementa.

 

O evento teve como objetivo maior proporcionar a oportunidade da troca acadêmica e científica entre pesquisadores de áreas como Linguística, Literatura, Línguas Estrangeiras e demais temas relacionados. 

 

Na foto principal, a professora Nádia expõe sua pesquisa. Mais abaixo, o público assiste a apresentação.

 

 

Edna Mazon


Professora Alessandra participa da V Semana Acadêmica de Letras

 

(30/05/2011) A professora Dra. Alessandra Soares Brandão participou da V Semana Acadêmica de Letras da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, nesta última quinta (26), nas dependências da universidade. Alessandra foi a convite das professoras Simone Schmidt, Rosana Kamita e Claudia Lima.

 

“Minha participação foi como debatedora da Atividade Cultural: CINEFORUM, juntamente com a professora Vanessa Pedro, da UFSC”, comenta Alessandra. “Na ocasião, falamos sobre o filme ‘O visitante’ (2008)”, complementa.

 

A temática proposta pelas professoras para a escolha dos filmes discutidos no CINEFORUM foi “Viagens, fronteiras, contatos”. “‘Viagens, fronteiras, contatos’ são palavras-chave em muitas pesquisas da linha ‘Linguagem e Cultura’ e que norteiam o meu projeto de pesquisa ‘Cinema e(m) trânsito’ no Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul”, explica a professora Alessandra. “‘O visitante’, de Thomas Mccarthy, filme que discuti no evento, fala sobre a política de imigração dos Estados Unidos pós 11 de setembro”, completa.

 

 

José Carlos dos Santos Debus (foto), mestrando em Ciências da Linguagem, participou do evento no dia anterior, quarta (25). “Na oportunidade, Debus falou sobre o filme “Entre os muros da escola” que é seu objeto de pesquisa no mestrado, sob a orientação da Ramayana Lira de Sousa.

 

A V Semana Acadêmica de Letras da Universidade Federal de Santa Catarina tem como objetivo promover a integração e o intercâmbio entre as diferentes áreas de ensino-pesquisa-extensão do curso de Letras, proporcionando discussões sobre Língua(gem) e Literatura e o acesso aos resultados dos projetos de pesquisa e de extensão de alunos de graduação em Letras e de professores, através da elaboração de um ambiente comum aos estudantes e a toda a comunidade.

 

PPGCL


Letramento é discutido em seminário

 

(27/05/2011) A estudante Cristiane Gonçalves Dagostim apresentou o trabalho “O funcionamento e os efeitos de sentido possíveis na relação entre linguagem verbal e linguagem não verbal imagética: a inserção dos gêneros discursivos imagéticos nas práticas de alfabetização-letramento” nos seminários avançados do curso de doutorado nesta sexta (27), na sala de treinamento do campus sul da Unisul.

 

A pesquisa visa compreender como ocorre a inserção da linguagem não verbal imagética nas práticas de sala de aula com vistas ao desenvolvimento da oralidade e da escrita no processo de alfabetização-letramento.

 

Segundo a estudante, quando se ministram aulas de Língua Portuguesa e de Produção Textual, tanto no Ensino Fundamental como no Ensino Médio, observa-se a dificuldade que os alunos encontram para interpretar textos não verbais imagéticos.

 

“Quando os alunos se deparam com a relação entre linguagem verbal e não verbal, como é o caso das tiras de humor, por exemplo, a interpretação e a análise ficam limitadas ao texto escrito. Nesses casos, o funcionamento e os efeitos de sentido presentes na construção argumentativa entre escrita e imagem são, muitas vezes, desconsiderados”, lamenta.

 

Cristiane pretende, então, verificar como os gêneros que incluem imagens circulam na sala de aula e descrever como ocorrem práticas de compreensão de texto na escola a partir desses gêneros discursivos.

 

“Quero compreender o funcionamento das atividades desenvolvidas a partir desses gêneros discursivos, especialmente analisando a interação entre aluno/professor no processo de compreensão da linguagem não verbal e no cruzamento desta com a linguagem verbal”, complementa.

 

O trabalho de Cristiane é orientado pela Profa. Dra. Maria Marta Furlanetto e co-orientado pela professora Leonete Schmidt do curso de Mestrado em Educação da Unisul. A banca foi formada pelos professores Dr. Sandro Braga e Dr. Fábio José Rauen. Após a avaliação dos professores da banca, seguiu-se uma discussão do tema que envolveu docentes e estudantes do Programa e da Universidade.

 

A pesquisa se insere na linha “Texto e Discurso”, do Programa de Doutorado em Ciências da Linguagem, e está vinculado ao projeto “Alfabetização com letramento: a formação inicial e continuada e trabalho docente nas escolas da rede pública da região sul de Santa Catarina”, do Observatório da Educação, financiado pela CAPES/INEP e vinculado ao Mestrado em Educação da Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

PPGCL


Pinturas de Chachá são analisadas em dissertação

 

(25/05/2011) A estudante Monalisa Pivetta da Silva defendeu a dissertação intitulada “Arte e linguagem: leitura das narrativas em imagens de pinturas de Chachá (Richard Calil Bulos)” nesta quinta (25), na sala de Treinamento do bloco Sede do campus de Tubarão da Unisul.

 

A pesquisa tinha como objetivo investigar a relação entre a linguagem verbal e a não-verbal, a partir da análise de imagens de seis obras (telas em óleo) do artista Richard Calil Bulos (Chachá). “A leitura das imagens de Chachá articulou a leitura das duas linguagens: verbal e não-verbal”, comenta a estudante. “Foram analisadas seis obras e observados os elementos da narrativa que delas se ensejam: Vacas Magras, Fim do defeso, Hora da Missa, Virada do ano, Entardecer e Laguna”, complementa.

 

Segundo Monalisa, a linguagem, através de narrativas, revela-nos como o homem compreende a própria existência. “O contato com as obras de Chachá possibilitou-nos conhecer peculiaridades de sua linguagem artística em representar a vida, vivida e imaginada”, ressalta. “A pesquisa sobre a leitura de imagem enquanto narrativa faz-se importante, na medida em que enseja a possibilidade de ler, refletir e intertextualizar o que se vê”, completa.

 

Richard Calil Bulos – Chachá nasceu no Rio de Janeiro e com 4 anos de idade mudou-se com a família para Laguna. “O jornalismo e a pintura formavam suas grandes paixões. Nos jornais, ao registrar os fatos que ocorriam no município de Laguna, denunciava as injustiças e defendia o povo, principalmente os pescadores. Na pintura, retratava peculiaridades da comunidade de Laguna, cidade na qual passou a maior parte de sua vida”, explica Monalisa.

 

 

A banca de avaliação (foto acima) foi composta pela professora Dra. Jussara Bittencourt de Sá, orientadora, pelo professor Dr. Gladir da Silva Cabral – UNESC, avaliador externo; e pela professora Dra. Heloisa Juncklaus Preis Moraes, avaliadora interna.

 

Suelen Francez Machado


Seminário analisa linguagem visual nos pôsteres da Copa do Mundo

 

(24/05/2011) “Pôsteres da copa do mundo de futebol: oitenta anos de imagens reveladoras das identidades nacionais” foi o título do seminário apresentado pela doutoranda em Ciências da Linguagem Karen Cristina Kraemer Abreu nesta terça-feira (24), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL.

 

Karen propõe analisar a linguagem visual utilizada nos pôsteres da Copa do Mundo FIFA de Futebol, no período de 1930 a 2010. “Pretendo investigar a imagem utilizada nos pôsteres em seus 80 anos de existência e suas relações com a história das Copas do Mundo de Futebol, com os movimentos artísticos desenvolvidos no século XX, com a semiologia da imagem, com a linguagem visual, com as origens, cultura, identidades nacionais e momentos históricos dos países sede”, explica a estudante.

 

Segundo a estudante, a imagem, na peça publicitária, não atua como simples ilustração. “A escolha de uma imagem para uma peça publicitária, nesse caso o cartaz, não atua como simples ilustração ou complemento da informação verbal, mas como o elemento representativo da linguagem não verbal que comunica e constrói sentido(s) isoladamente e em conjunto com os demais elementos dispostos no pôster”, comenta.

 

Participaram do seminário docentes e alunos do Programa. A comissão avaliadora foi composta pelos professores Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos, Dra. Dilma Beatriz Rocha Juliano e Fernando Vugman (orientador).

 

Edna Mazon


Agetec é apresentada para docentes do PPGCL

 

(20/05/2011) O PPGCL promoveu uma reunião para apresentar a Agência de Inovação Tecnológica – AGETEC – para docentes que atuam em Tubarão nesta última sexta (20) na Sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul. Na oportunidade, o professor Ademar Schmitz e a funcionária Luciana Flor Correa falaram sobre as principais ações do Escritório de Projetos da agência e sobre formas de parceria com a pós-graduação.

 

Segundo Schmitz, a função do Escritório de Projetos da AGETEC é a de auxiliar na prospecção, elaboração, aprovação e gestão dos projetos. “Nossa meta é zelar pela execução adequada dos projetos de acordo com as diretrizes institucionais da Unisul e da Fundação Unisul, e com os editais, contratos e convênios que os regem”, ressalta.

 

A missão da AGETEC, que está subordinada à Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, é a de “promover o estreitamento da relação da Unisul com o setor produtivo e o governo, gerando conhecimento científico e tecnológico entre pesquisadores, empresas e organizações públicas, visando à melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão, o empreendedorismo e a inovação”.

 

O objetivo da agência é o de tornar a Unisul referência entre as universidades catarinenses na gestão e desenvolvimento da pesquisa aplicada, na inovação e transferência de tecnologia e no empreendedorismo.

 

Uma das novidades, segundo Shmitz, é a de que a AGETEC assumirá oficialmente os projetos tipo conta pesquisador. Nesses projetos, a verba da pesquisa é depositada numa conta bancária em nome do próprio pesquisador.

 

“O objetivo é tirar o pesquisador da burocracia de gerenciamento de um projeto e deixá-lo mais liberado para fazer seu trabalho, que é desenvolver a pesquisa”, comenta o professor Ademar. “Para isso, várias normatizações e processos estão sendo definidos e a parceria com docentes pesquisadores é essencial”, complementa.

 

PPGCL


Discurso das emoções é objeto de ensaio

 

(20/05/2011) “Discurso das emoções e emoções no discurso: análise das interações educador-criança” foi o título do ensaio da estudante Rosa Cristina Ferreira de Souza do curso de doutorado em Ciências da Linguagem nesta última sexta-feira (20) às 9 horas, na sala de treinamento do campus sul da Unisul.

 

O ensaio projeta uma pesquisa que põe em evidência a polêmica consideração das emoções na linguagem, porque, entre outros motivos, a emoção vem sendo sistematicamente colocada em segundo plano em relação aos aspectos racionais.

 

O trabalho de Rosa visa analisar o discurso de educadores e crianças do ensino infantil. A estudante pretende analisar a dinâmica do relacionamento educador/criança, no que se refere ao modo como os educadores lidam com as emoções expressas ou “dissimuladas” pelas crianças. Daí a importância da linguagem e do silêncio nesse estudo, uma vez que muitas dessas emoções apresentam contornos sutis.

 

“Meu interesse pela temática emoções/infância está relacionado aos estudos em psicologia, particularmente nas contribuições da Análise Transacional”, diz a pesquisadora. “Essa teoria destaca a importância de se considerar as emoções nas interações, principalmente no desenvolvimento infantil”, completa.

 

A estudante, orientada pela Dra. Maria Marta Furlanetto, foi avaliada por banca composta pelos professores Dr. Maurício Eugênio Maliska e Dr. Fábio José Rauen. Após a avaliação, docentes e discentes promoveram um debate sobre as questões teóricas suscitadas pelo ensaio.

 

“Os seminários são uma oportunidade ímpar para o estudante pôr em discussão os fundamentos de sua futura tese”, comenta o professor Fábio Rauen, coordenador do Programa.

 

PPGCL


Linguagem em (Dis)curso lança primeiro fascículo de 2011

 

(19/05/2011) A revista Linguagem em (Dis)curso lançou nesta semana o primeiro fascículo de 2011 (volume 11, número 1). A edição conta com oito artigos provenientes de pesquisadores da UERJ, UPF, UFSCAR, USP, UNIOESTE, UFSJ, UNISUL, UFSC, UFV.

 

A revista Linguagem em (Dis)curso, que conta com financiamento do CNPq, Edital 68/2010, para as três edições de 2011, é publicada em três endereços: no sítio do PPGCL, no portal de periódicos da Unisul e na base Scielo Brasil.

 

A seguir, apresentam-se os trabalhos publicados neste fascículo.

 

O primeiro trabalho, Enlaçamentos enunciativos em análise do discurso: quando o dizer e o dito se interlegitimam, de Décio Rocha, discute o conceito de “enlaçamentos” apresentado por Dominique Maingueneau, e que diz respeito à instituição de uma cena pela atividade enunciativa que a legitima ao mesmo tempo. Analisando videojogos em português e em francês, o autor quer demonstrar um tratamento mais adequado da articulação enunciação/enunciado, apelando para dispositivos que marcam um posicionamento no campo discursivo.

 

Na sequência, Carme Regina Schons e Cinara Sabadin Dagneze, em Trapaceando a língua no governo Médici: um estudo sobre o imaginário de língua pelo jornal O Pasquim, refletem sobre o modo como as relações entre poder e força de resistência atuam na construção de um imaginário que possibilita novos sentidos. As autoras analisam material jornalístico publicado em O Pasquim em 1969 e 1970 (período de ditadura), mostrando os efeitos desse discurso de oposição a um governo ditatorial.

 

Roberto Leiser Baronas, em Enunciados de curta extensão: gênero de discurso, aforização, mídia e política, procura compreender o papel da mídia ao produzir, fazer circular e criar informações políticas sobre as eleições presidenciais brasileiras de 2010. Apoiando-se nos trabalhos de Dominique Maingueneau, o autor selecionou enunciados de curta extensão atribuídos aos dois candidatos à presidência e, a partir das características desses enunciados, constatou os efeitos de sentido da “destextualização” dessas sequências que passaram a funcionar como autônomas, por um processo que Maingueneau denomina “aforização”.

 

O quarto artigo, de Francis Lampoglia, Valdemir Miotello e Lucília Maria Sousa Romão, intitula-se Do desfile na avenida ao camarote: um olhar discursivo sobre o carnaval nos cartuns de Angeli. Nesse texto, os autores procuram mostrar, analisando dois cartuns de Angeli sobre o tema “carnaval”, o papel da memória discursiva, os sentidos e o posicionamento subjetivo. Eles apontam para a emergência de um espaço de ruptura do sentido dominante sobre o que se considera óbvio quando se fala de carnaval no Brasil.

 

No artigo Contrajunção e velhice: tradição e obsolescência, João Carlos Cattelan analisa, nos moldes da semântica da argumentação, enunciados construídos com conetivos contrajuntivos tendo como tema a longevidade dos homens e das coisas, trabalhando aí o imaginário estabelecido.

 

No sexto trabalho, intitulado Implicações socioculturais e ideológicas da tradução de textos sensíveis: reflexões a partir do Pai Nosso e suas múltiplas possibilidades de leitura, Cláudio Márcio do Carmo buscou compreender as implicações socioculturais e ideológicas que apontam os pontos de vista no processo tradutório de textos, usando o recurso do “paratexto” para o estudo da oração do Pai Nosso segundo Mateus.

 

O sétimo texto, Analisando a organização descritiva do gênero conselho em Correio Feminino, de Clarice Lispector, de Leonardo Coelho Corrêa Rosado e Mônica Santos de Souza Melo, explora um conjunto de textos jornalísticos escritos para páginas femininas de jornais cariocas de 1950 a 1960 reunidas em Correio Feminino, de Clarice Lispector. Com base na teoria Semiolinguística do discurso, os autores mostram duas imagens de identificação no gênero conselho: mulher-leitora e mulher-modelo, esta como referência para aquela.

 

O último artigo, de Sandro Braga e Tiago Costa Pereira, intitula-se Quando a história cala e o exótico fala: efeitos de sentido da cobertura da revista Veja na pré-candidatura de Obama à presidência dos EUA. Trata-se da análise discursiva de uma reportagem sobre o lançamento da candidatura de Obama em 2008, caracterizando-o como uma figura exótica, afastada de um passado histórico e político que marcou os negros nos Estados Unidos.

 

Linguagem em (Dis)curso é uma publicação quadrimestral que publica textos de pesquisadores do Brasil e do exterior que estejam interessados em questões relativas ao campo textual-discursivo, separadamente ou em sua intersecção, e às teorias pertinentes a tais objetos. A revista está indexada em 13 bases de dados e está qualificada no estrato A2 no Qualis da CAPES. Conheça o fascículo aqui.

 

Na foto, o mosaico intitulado “Linhas Perdidas”, de Francisco de Assis Silva (Kiko), que irá compor a capa da versão impressa do periódico.

 

Fábio José Rauen

Maria Marta Furlanetto


Estrada Dona Francisca - a memória de uma nação é tema de Seminário

 

(18/05/2011) Marilene Teresinha Stroka apresentou o trabalho intitulado “Estrada Dona Francisca - a memória de uma nação”, nesta terça-feira (17), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL, como sequência das apresentações que compõem os Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem.

 

A pesquisa da estudante propõe analisar a memória do sujeito imigrante colonizador da região norte de Santa Catarina a partir da construção da estrada Dona Francisca. “Partimos da realidade de um novo lugar, uma nova nação, não enquanto geográfica, mas enquanto lugar simbólico, onde esse sujeito traz consigo sua história, sua ideologia, inserido em uma determinada sociedade”, explica.

 

Segundo a estudante, o estudo está ligado a sua origem familiar. “Minha relação com este estudo está marcada pela ligação de origem familiar com os imigrantes que vieram para o Brasil no final do século XIX, e com as minhas próprias memórias e esquecimentos que se apresentam marcados no cotidiano, como no cultivo de jardins, hábitos alimentares e marcas da memória que se cunham no esquecimento pela naturalização”, comenta.

 

Para a Marilene, a experiência com docente de línguas possibilita a convivência com as línguas de imigrantes. “Também me relaciono diretamente com essa realidade pela vivência como professora de línguas, percebendo marcas da língua alemã na oralidade do português, observadas nos fonemas representados pela letra R, das vogais mais abertas como ‘a’, e uma série de outros elementos fonéticos e mórficos que estão marcados nas palavras, principalmente de alunos advindos de comunidades interioranas, que são descendentes dos imigrantes”, complementa.

 

Compuseram a comissão avaliadora as professoras Solange Maria Leda Gallo, Nádia Régia Maffi Neckel e Jussara Bittencourt de Sá.

 

Edna Mazon


Seminário discute constituição da subjetividade na EAD

 

(18/05/2011) A estudante Regina Aparecida Milléo de Paula apresentou o ensaio “O processo de constituição da subjetividade na EAD” para docentes e estudantes do PPGCL, nesta segunda-feira (16), no Cine Pedra Branca do Campus da Grande Florianópolis da UNISUL.

 

A pesquisa de Regina tem por objetivo compreender o modo de funcionamento específico da educação a distância, no que se relaciona à produção e circulação do conhecimento. “Ao desenvolver este estudo pretendo refletir sobre experiências vividas em um curso oferecido nesta modalidade: corretora de redações; revisora de material didático; professora conteudista; assistente; titular; coordenadora acadêmica e coordenadora de avaliação”, esclarece Regina.

 

Segundo a estudante, em linhas gerais, sabe-se que a EAD é uma forma de educação em que os alunos e o professor não se encontram, continuadamente, um na presença do outro. “A ausência física denota que a maior parte da comunicação professor-aluno se realiza por meio de uma tecnologia. No caso do curso em questão essa tecnologia/ferramenta usada é a webtutoria, um dos métodos de ensino e forma de interação que não está isento de limitações”, comenta.

 

O trabalho de Regina pretende analisar: qual é o aspecto do funcionamento da EAD que provoca/implica o efeito de abandono e desamparo nos alunos aí inscritos; como se estabelece esta relação: Aluno X EVA; Aluno X Aluno; Aluno X Professor e como essas relações que o aluno estabelece nesse modelo determinam o efeito de desamparo e desconexão.

 

De acordo com a estudante, a distância entre o professor e os colegas pode desmotivar a permanência no curso. “A distância do professor e colegas, por exemplo, pode provocar sensação de isolamento em alguns alunos que, às vezes, pode ser seguida por sensação de impotência ou de abandono, que é a principal causa de desistência dos cursos”, argumenta a estudante. “Estou interessada em compreender como os efeitos de desamparado e abandono se estabelecem”, conclui.

 

A apresentação faz parte dos Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem. Compuseram a comissão avaliadora as professoras Solange Maria Leda Gallo, Nádia Régia Maffi Neckel e Jucimara Roesler. O ensaio foi debatido, ainda, por docentes e discentes do Programa.

 

Edna Mazon


Unisul sorteia vagas para cursos da Plataforma Freire

 

(18/05/2010) Foram sorteadas nesta última terça (17) as 40 vagas para o curso de Licenciatura em Língua Portuguesa da Plataforma Freire. O curso, oferecido em calendário especial, será coordenado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Unisul.

 

A Secretaria de Ensino da Universidade sorteou as vagas de vários cursos de Licenciatura do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica – PARFOR, a serem oferecidos em regime de calendário especial já no primeiro semestre de 2011. Entre as vagas sorteadas, destacam-se 40 vagas do curso de licenciatura em Língua Portuguesa.

 

A lista dos professores sorteados, em ordem alfabética, é a que se segue.

 

Alessandro Pinter Damian

Aline dos Santos Raulino

Cilene Silva de Oliveira

Claudia Martins Cardoso

Cyntia de Souza Teixeira

Daiane Menegali Vieira

Dalva Fernandes

Edjanara Fernandes

Elaine Christina da Silva Egypto

Elaine Christina Soares Maria

Elidia Matias da Silva

Fabiana Schmitz

Franciele Santiago Jose

Giovania Pacheco Bonifacio

Glauco Arns Moretti

Helaine Cristina Vicente Cardoso

Indiana Caetano da Rosa

Jamille Militao de Souza

Juliana de Aguiar Francisco

Leticia Helena Cardoso Ferreira

Luciana de Souza Eduardo

Maria da Graca Rosa

Maricleia Aparecida Bernardo

Marisangela Nandi Veronez

Marluce Roque Alves

Michela Bitencourt Mariano

Neusa Teresinha Fraga Cimirro

Nídia di Paula Batalha

Rodrigo Darela de Souza

Rogeria Silverio Camargo

Rosiani Cunha de Souza

Rosilaine Santiago

Rosinete Lima Barbina

Samanta Pereira Zago

Tatiana Soares Dornelles

Tatiane Machado Goulart Sa

Thaisi Morona Burato

Thanara Rocha Custodio

Tuliana Fernandes Rosa

Valdirene da Silva Campos

 

Estão classificados para segunda chamada, em ordem de sorteio, os seguintes professores.

 

Lindaura Silveira Rodrigues

Daiane Izidoro Martins

Jaison John Werner

Cintia de Jesus de Souza

 

As matrículas para os professores classificados em primeira chamada ocorrem nos dias 23 e 24 de maio próximos das 14 às 19 horas no Campus de Tubarão. Lista oficial da segunda chamada será divulgada dia 25 de maio, com matrícula marcada para o dia 26.

 

Mais detalhes e acesso ao edital, clique aqui.

 

PPGCL


Observatório da Educação na Fronteira promove primeiro seminário

 

(17/05/2011) Seminário “Observatório da Educação na Fronteira” rompe com as barreiras da distância física, e reúne virtualmente os pesquisadores responsáveis pelo Projeto da UNISUL, UFSC e UNIR.

 

Aprovado pela CAPES no fim de 2010, o Projeto Observatório da Educação na Fronteira (OBEDF), não foi pensado em mão única, mas sim, através da parceria entre escolas de ensino fundamental localizadas na fronteira do Acre, Rondônia e Mato Grosso do Sul e pólos da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

 

Como organizadores dessa parceria, e grandes sistematizadores do trabalho com as escolas, foram designados como coordenadores de pólo os professores doutores: Gilvan Muller de Oliveira (UFSC), Marci Fileti (UNIR) e Rosângela Morello (UNISUL), sendo a última, Coordenadora Geral do Projeto.

 

Ressaltando a região de fronteira como um espaço plurilíngue e de circulação intensa de pessoas, Rosângela Morello explica que “o projeto parte da ideia de que na fronteira poderia haver crianças que são falantes de mais de uma língua e como na escola brasileira a alfabetização é sempre e só em português, tanto da língua como da matemática, nós estamos fazendo esse projeto para observar como é que acontece esse processo de ensino e aprendizagem das línguas e da língua portuguesa nessas escolas da fronteira.”

 

O projeto será composto de duas ações que vão se articulando todo o tempo. A primeira ação consiste na observação e no estudo sobre o que acontece nas salas de aula. Como parte da primeira ação, nesta segunda-feira, 16 de maio, foi realizada uma videoconferência, que possibilitou o encontro (ainda que virtual) dos coordenadores de pólos, professores e coordenadores das escolas e pesquisadores ligados as universidades.

 

A segunda ação implica em uma abordagem mais ampla, através do diagnóstico sociolinguístico, “com o objetivo de levantar os usos, as atitudes, e representações das pessoas sobre as línguas que circulam naquela fronteira” – diz Ana Paula Seiffert, pesquisadora do Projeto. O diagnóstico não pondera apenas se a criança ou os pais sabem falar, mas sim como é a interação com a língua em outros espaços, além da escola. Essa ação é importante, porque permitirá articular o que acontece dentro da sala de aula com a realidade da fronteira.

 

Reunindo as duas ações o Observatório da Educação na Fronteira funcionará como espaço de compartilhamento de reflexões sobre o ensino das e nas línguas no processo de alfabetização. Seus resultados pretendem contemplar como o plurilinguismo está presente nas escolas, ponderando o que é importante levar em consideração para futuras políticas públicas. Para o bom andamento e a execução do Projeto é essencial a colaboração de professores, que atuarão como pesquisadores, e das escolas, como espaços de construção das pesquisas. Assim, a realização da videoconferência possibilitou um momento de apresentação e organização que foi essencial para o projeto. É como disse Machado de Assis: “A distância é como os ventos: apaga as velas e acende as grandes fogueiras”. Com certeza essa fogueira de dedicação, cativada pelo amor à pesquisa e atiçada pela paixão à língua, ainda tem muita lenha para queimar.

 

Na foto, um flagrante do Seminário.

 

Cristina Estefano e Ana Maria Ghizzo


Ensaio discute o conceito de nação rubro-negra

 

(13/05/2011) A estudante Claudia Nandi Formentin apresentou o ensaio “A nação na arena: análise do processo de construção da concepção de nação e de nacionalidade no esporte” para docentes e estudantes do PPGCL nesta última sexta (13) nas dependências da sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

“Pretendo analisar em minha tese de doutorado como o esporte, através de estratégias midiáticas (de cunho narrativo/estético) pode construir concepções de nação e de nacionalidade”, disse Claudia.

 

Segundo a estudante, o trabalho ainda em fase de concepção inicial quer problematizar os conceitos de nação e nacionalidade, tendo em vista sua possível apreensão pelo contexto esportivo. Para isso, pretende-se apresentar momentos e elementos da história do esporte com a finalidade de discutir o papel do esporte na socialização.

 

“Para dar conta dessas metas, meu foco será o futebol e, no campo futebolístico, o conceito de nação rubro-negra”, comenta a pesquisadora. “Penso ser possível analisar essas questões delimitando matérias que se referem ao campeonato brasileiro de 2009, onde o Clube de regatas Flamengo saiu da zona de rebaixamento para a obtenção do título nacional”, complementa.

 

A apresentação faz parte dos Seminários Avançados do curso de Doutorado em Ciências da Linguagem e foi avaliada pelas professoras Alesandra Soares Brandão, Heloísa Juncklaus Preis Moraes e Ramayana Lira de Sousa, que compuseram a banca principal e, depois, por todos os docentes e doutorandos do Programa.

 

PPGCL


Professora Nádia participa de Simpósio Internacional

 

(13/05/2011) A professora Nádia Régia Maffi Neckel, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, participou do III SELL – Simpósio Internacional de Estudos Lingüísticos e Literários realizado de 11 a 13 de maio na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

 

A comunicação da professora Nádia, que aconteceu no dia 11, intitulou-se “Tessitura e tecedura: dispositivos de análise em materialidades do discurso artístico” e teve por objetivo discutir, à luz da teoria da Análise do Discurso de linha francesa, as imbricações materiais dos dizeres artísticos contemporâneos.  

 

“Temos o discurso: Estrutura e Acontecimento. Tessitura e Tecedura são formulações tomadas como funcionamento na ordem da estrutura e do acontecimento do/no corpus de análise, permitindo um deslocamento teórico-analítico das noções de Poiésis e Estesia inscritas no artístico e, das noções de Inter e Intradiscurso inscritas na AD”, explica a professora.

 

 

 

Professora Nádia fez parte da mesa de comunicações coordenadas, intitulada “Imagem: O tecido do texto e do discurso” com as professoras Ismara Elaine Tasso (UEM) Nadea Regina Gaspar (UFSCar) e Roselene de Fátima Coito (UNIOESTE).

 

O III SELL teve por objetivo promover a integração de pesquisadores participantes de grupos de pesquisas ou pesquisadores diletantes em torno de estudos linguísticos e literários, configurando-se como espaço de discussão e de circulação de ideias bem como de trabalhos que fundamentam pesquisas nessas áreas.

 

Edna Mazon


Produção coletiva de textos é tema de dissertação

 

(13/05/2011) Manoel Mathias Ferreira defendeu a dissertação “Análise discursiva de um debate político entre alunos, jovens e adultos agricultores, e técnicos de aparelhos ideológicos de estado, em contexto de ensino/aprendizagem” nesta última quinta (12) na sala de Treinamento do Campus de Tubarão da Unisul.

 

A dissertação analisou, do ponto de vista da Análise do Discurso, textos produzidos pelos alunos, jovens e adultos agricultores, do “Projeto Terra e Água - Cidadania e Educação”, da Secretaria Municipal de Educação de Jaguaruna - SC, em intercâmbio com a FETRAF/SUL - Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul.

 

“Meu objetivo foi o de comparar fragmentos textuais como forma de observar as distintas materialidades linguísticas, com o objetivo de compreender o processo discursivo de textos produzidos em sala de aula pelos alunos-agricultores”, explica o estudante.

 

Segundo Ferreira, para o sujeito ser inserido num meio social em que a capacidade técnica da escrita é cada vez mais exigida, espera-se um aprendizado escolar satisfatório. Para isso, a escola é a instituição social responsável pelo processo de aquisição da língua escrita.

 

“Considero que entender as características dos textos escolares é de fundamental importância para contribuir com a melhoria da qualidade do ensino”, afirma o pesquisador. “Penso que, com este trabalho, posso contribuir indiretamente para melhoria do ensino de produção/interpretação de textos”, complementa.

 

A pesquisa de Ferreira observou três momentos do processo de produção discursiva dos agricultores: uma “aula-reunião” com autoridades presentes; os textos produzidos pelos alunos a partir da reunião; e um texto síntese daquele acontecimento (objeto principal).

 

 

O estudo, entre outras conclusões-hipóteses, observou que há, no contexto e nos textos analisados, duas formações discursivas e duas formas-sujeitos em embate discursivo. Um discurso refere-se aos alunos-agricultores (FDy), organizado em torno de duas instituições: o Sindicato (SINTRAF- Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar) e a escola. Em conflito com o discurso do Aparato técnico-jurídico do Estado (FDx), inserido também em duas instituições: a promotoria de justiça e os técnicos de vigilância da sanidade animal da CIDASC.

 

A banca foi composta pelos professores: Dr. Sandro Braga, orientador; Dr. Cleudemar Alves Fernandes, avaliador externo; Dra. Maria Marta Furlanetto, avaliadora interna; e Dra. Solange Maria Leda Gallo, suplente.

 

A defesa foi marcada pela presença dos próprios agricultores envolvidos na pesquisa, bem como da professora do projeto “Projeto Terra e Água - Cidadania e Educação”. Como destacou o professor Sandro Braga: “O corpus ganhou corpo”, comemorando a participação dos sujeitos investigados na apresentação da defesa de Manoel Ferreira.

 

PPGCL


Michel Foucault é objeto de conferência

 

(13/05/2010) Prof. Dr. Cleudemar Alves Fernandes, do Laboratório de Estudos Discursivos Foucaultianos da Universidade Federal de Uberlândia, apresentou conferência “Discurso e Sujeito em Michel Foucault”, nesta última quinta (12), na Sala de Treinamento do Campus Sul da Universidade do Sul de Santa Catarina.

 

Fernandes traçou um panorama dos estudos discursivos com ênfase nas propostas de Michel Foucault, distinguido-as de outros intelectuais da Análise do Discurso de orientação francesa.

 

Para sustentar seus argumentos, entre seus exemplos, destacou enunciados de 2010 que vincularam a imagem da então candidata Dilma Roussef à guerrilha, tais como: “Globo tenta o golpe da Dilma terrorista”; “Campanha contra Dilma Rousseff: Terrorista”; “Biografia de uma terrorista de  alta periculosidade”; “Fotos anexas são para reavivar a memória da terrorista Dilma”; “A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, condenou hoje o rótulo de "terrorista" dado à ex-ministra Dilma Rousseff”

 

Além disso, Fernandes destacou o paralelo entre verdade e guerra. Conforme Foucault, seguindo Nietzsche, verdade e guerra podem ser compreendidas mutuamente, a tal ponto que a verdade da verdade é a guerra. Os processos por meio dos quais a verdade prevalece são os mecanismos de poder que asseguram poderá verdade. “Não existe verdade fora da dimensão de poder, explica o pesquisador.

 

O professor Cleudemar Alves Fernandes, mestre em doutor pela Universidade de São Paulo, é professor associado da Universidade Federal de Uberlândia, onde atua na graduação em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Estudos Lingüísticos. Fernandes é líder do Laboratório de Estudos Discursos Foucautianos nessa universidade (LEDIF/UFU/CNPq) e desenvolve o projeto de pós-doutorado “Teoria do Discurso em Michel Foucault” junto à UNESP-CAr, com bolsa do CNPq de pós-doutorado sênior.

 

Fernandes é autor dos livros: Tratos discursivos do sem-terra, da Edufu; Análise do discurso - reflexões introdutórias, da editora Claraluz; O coronel e o lobisomem: uma abordagem sócio-interacional, da editora AnnaBlume.

 

Na Unisul, além de proferir conferência, o pesquisador participou da Banca de Avaliação da dissertação de Manoel Mathias Ferreira.

 

PPGCL


Jacques Rancière é discutido no Café Philo

 

(10/05/2011) O Professor Antonio Carlos Santos foi o convidado para animar uma conversa em torno do atual Jacques Rancière, ou por uma filosofia contra o consenso, na vigésima segunda edição Café Philo, quinta-feira última (5) no Auditório da Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina.

 

“Meu objetivo na conversa sobre Rancière era não falar sobre a obra do filósofo francês como um todo, mas mostrar como, a partir de um problema – Como ler o século XIX? Como pensar o realismo? Como sair do modernismo? – fazer um determinado uso de seus conceitos”, afirma Santos.

 

O professor traçou um panorama de sua pesquisa dedicada às imagens do século XIX e início do XX, principalmente, pintura, fotografia e literatura, e a aporia em que me encontrava em função de um juízo sobre elas que caminhava sempre no sentido da condenação: acadêmicas, “caretas”, miméticas, esses alguns dos adjetivos que marcavam a distância que os modernistas da primeira hora abriam entre eles e a arte que lhes antecedia.

 

Para Antonio Carlos, o esgotamento desse modelo, no final do século XX e início do XXI, nos permite repensar esse esquema, pôr em dúvida a “ruptura” que divide a história entre antes e depois dos modernistas e ler essas imagens de outra maneira.

 

“Para isso, passei a explicar rapidamente o esquema conceitual de Rancière: um modo de entender a estética não mais como teoria da percepção ou teoria do belo, como fazia ainda a filosofia do século XVIII e início do XIX, mas sim como uma distribuição do sensível, uma partilha do sensível que dá a ver o que cabe a cada um no todo e o que é comum a todos, ou seja, uma teoria da comunidade, uma teoria política que retoma o sensível desprezado pela filosofia tradicional que se agarrava ao inteligível para pensar a comunidade”, explica.

 

Santos, então, explicou os três regimes (ético, representativo e estético) da arte com os quais Rancière mostra como é exatamente o realismo dos romances de Balzac, Flaubert, dos irmãos Goncourt que fazem a ruptura entre o regime representativo e o regime estético, ou seja, exatamente aquele momento das artes no final do século XIX geralmente acusado pelos modernistas de mimético, algo execrado pela arte do século XX. Segundo o pesquisador, foi esse esquema teórico que permitiu então voltar às imagens do século XIX para lê-las de outra maneira.

 

“Ressaltei ainda que não se tratava de dizer que o modernismo errou, ou que estava errado, mas que o tempo e seu esgotamento nos permitiam ver as coisas de outro modo”, complementa.

Seguiu-se à explanação uma conversa sobre os problemas da arte contemporânea, as relações da política com a estética, etc.

 

O Café Philo é uma pareceria da Aliança Francesa de Florianópolis com a Biblioteca Pública de Santa Catarina e se destina a promover em 2011 conversas em torno dos filósofos franceses. O projeto, de periodicidade quinzenal, tem a coordenação do Prof. Pedro de Souza, da UFSC.

 

“A curadoria do Café Philo é uma atividade pura e simples de extensão universitária, sem a menor pretensão de exibir competência no campo da filosofia e de seus renomados filósofos”, afirma Souza.

 

PPGCL


Professores e alunos da Unisul apresentam trabalhos em Simpósio

 

(09/05/2011) Professores e alunos da Unisul apresentaram trabalhos no IV Seminário Integrado e Interinstitucional Capital Social que ocorreu nos dias 29 e 30 de abril, na Universidade do Contestado, Campus Canoinhas, Santa Catarina.

 

O evento faz parte do projeto “As relações culturais e artísticas e a preservação do patrimônio material e imaterial implicados no desenvolvimento regional de Canoinhas, Florianópolis, Tubarão e Joinville” que é desenvolvido pela UNISUL, UnC e UNIVILLE.

 

No primeiro dia (29), foram desenvolvidos fóruns e simpósios: II Fórum de Gestores de Cultura do PNC; Simpósio I: Arte - Cultura e Desenvolvimento; Simpósio: II Ciência, Cultura e Desenvolvimento; e Simpósio III: Cultura, Patrimônio e Capital Social. E, ainda, a conferência internacional com o Professor Doutor Sérgio Boisier, do Chile.

 

No segundo dia (30), houve o lançamento do livro Ciência e Cultura, fruto do II Seminário Integrado realizado em setembro de 2010, na UNISUL, e a mesa redonda sobre o patrimônio histórico cultural e desenvolvimento, com a participação de José La Pastina Junior – Iphan do Paraná, Fabiano Teixeira dos Santos – Iphan de Santa Catarina e Roberto Domit da Casa Amarela.

 

“Estamos no segundo ano deste projeto interinstitucional e o entusiasmo pela produção decorrente é cada vez maior. Mesmo com as dificuldades materiais temos conseguido a participação dos docentes e discentes dos Programas e dos cursos de graduação. Esta produção está disponibilizada na nossa revista Ciência em Curso (http://www.cienciaemcurso.unisul.br/index.php) na forma de audiovisual (palestras e mesas) bem como em livros. Já são três livros publicados, dois já em circulação (Cultura: Faces do Desenvolvimento e Ciência e Cultura) e um no prelo (Arte e Cultura)”, explica a professora Solange Maria Leda Gallo.

 

“Para este ano, além deste IV Seminário realizado na UnC, estão programados outros dois, um em Joinville, nos dias 7, 8 e 9 julho e outro aqui na UNISUL, na Pedra Branca, no início do segundo semestre. O seminário da UNISUL encerrará o ciclo de eventos do projeto e reunirá um público importante. Nós, do grupo de coordenadoras, já estamos esboçando um novo projeto que vai dar continuidade a este trabalho tão profícuo que estamos desenvolvendo”, complementa.

 

Segundo a professora Nádia Régia Maffi Neckel, certamente, o IV Seminário Integrado e Interinstitucional alcançou seus objetivos. “Houve uma participação expressiva do público nos dois dias de evento. Além disso, também chamo a atenção para a qualidade dos trabalhos apresentados e a