Página Inicial > Dissertações > Dissertações Defendidas > Resumos de Dissertações

 

Dissertações

Dissertações Validadas

Dissertações Defendidas

Editais de Dissertações

 

Dissertações

Resumos de Dissertações


 

161


O artista e o seu lugar: uma leitura de imagens e de narrativas da mulher araranguaense a partir das esculturas de Marta Rocha

 

Sandra Regina de Barros de Souza


18 de dezembro de 2007, às 13h30

Sala 103 do Bloco Sede do Campus Sul da Unisul

Dra. Jussara Bittencourt de Sá – UNISUL (orientadora);

Dr. José Endoença Martins – Uniandrade (avaliador);

Dr. Wilson Schuelter – UNISUL (avaliador); e

Dra. Albertina Felisbino – UNISUL (suplente)


Resumo:

 

A apresente pesquisa teve como objetivo verificar quais vozes sociais do feminino e que aspectos da cultura local são despertados pelas obras da artista araranguaense Marta Rocha em narrativas de mulheres da cidade de Araranguá. A opção por elaborar este estudo deu-se durante pesquisas realizadas pelo projeto Os artistas e seus lugares, que possibilitou a interação com a artista e suas obras. Procurou-se examinar a constituição dessas narrativas sob a ótica das teorias de gênero, da arte, da história da arte, aspectos teoria da linguagem de Mickail Bakhtin e do existencialismo moderno de Jean Paul Sartre. Objetivou-se demarcar a construção da consciência a cerca do feminino na cultura araranguaense a partir dos elementos do imaginário que se construiu na percepção de dois grupos mulheres araranguaenses. Os dados levantados foram analisados utilizando-se procedimentos da técnica de grupo e de análise da historia oral. Esta apontou como as narrativas produzidas pelas componentes do grupo, instigadas a partir da observação a arte de Marta Rocha, podem traduzir as histórias das mulheres, seus perfis sociais, trazendo consigo as vozes sociais do feminino: avó, mãe, filha, neta, sobrinha, tia, amiga, esposa, namorada; como também o papel profissional e a condição de tempo e do lugar. Na leitura dessas narrativas levou-se em consideração que o ser mulher não faz parte de uma natureza feminina biologicamente falando, mas sim desse útero social chamado cultura, a qual se insere desde o nascimento, o que a leva a experimentar uma naturalização socialmente construída.

 

Palavras-chave:

 

Arte, feminino, vozes sociais, consciência.


versão integral

 

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem

Campus Tubarão:  Av. José Acácio Moreira, 787, Bairro Dehon, 88.704-900 - Tubarão, SC - (55) (48) 3621-3369

Campus Grande Florianópolis: Avenida Pedra Branca, 25, Cidade Universitária Pedra Branca, 88137-270 - Palhoça, SC - (55) (48) 3279-1061